Atingindo objetivos

Esse texto foi escrito por Tuani Carvalho, aluna do segundo ano noturno de publicidade e propaganda da Unitau. Ela o publicou em seu Tumblr e eu pedi autorização a ela para reproduzi-lo aqui só para mostrar que eventos como o de ontem – Caravana APPVale – surtem efeito na formação de nossos alunos.

Segue o texto:

A Caravana APP Vale estacionou na Unitau e mudou o rumo das minhas idéias. A “mesa redonda” foi extremamente interessante e espontânea do começo ao fim. O tema era comunicação regional e diversos pontos polêmicos e controversos foram discutidos. Vale a pena parar para refletir e ampliar a nossa visão que, às vezes, é muito limitada.
Eu me tomo como exemplo, e assumo nunca ter reconhecido devidamente o valor da comunicação no Vale do Paraíba. Tenho a certeza de que não era a única a pensar: “Ok, me formo e vou pra São Paulo”. Pensava assim até algumas horas atrás.
É preciso reconhecer e valorizar o potencial que temos aqui por perto. Profissionais de altíssima qualidade e uma estrutura que não deve nada às renomadas agências da capital.
Um ponto-chave discutido foi o “preconceito” com tudo o que é regional (ou interiorano). O preconceito tanto por parte dos clientes que ainda conservam o pensamento de que o que vem de fora é muito superior em qualidade, quanto por parte das agências que barateiam os custos para não perderem as contas.
Como foi bem colocado na discussão, talvez a solução esteja na doutrinação dos clientes: educá-los para que possam aprender a valorizar o que é regional e de qualidade. Deve partir deles a iniciativa de pagar um preço justo pela qualidade do trabalho.
E é inegável a importância da comunicação na nossa região. Agências que vêm de fora e tomam por base apenas estatísticas saem em desvantagem se colocadas em comparação às agências do interior.
O fato de estarmos totalmente inseridos no ambiente e na sociedade da região, já nos dá uma visão muito mais ampla e profunda do mercado. Nós somos o público e convivemos com o público todos os dias. Temos muito mais referências e percepção das preferências, padrões e necessidades dos consumidores.
Depois de tanta discussão e reflexão, me resta dizer que, hoje, a minha vontade é permanecer no Vale até depois de me formar. Vejo uma possibilidade muito grande de crescimento no mercado valeparaibano, agora ainda mais palpável com a criação da APP Vale.
Espero ter a oportunidade de participar de mais eventos como esse e recomendo, quem puder, a fazer o mesmo.

A Caravana APP Vale estacionou na Unitau e mudou o rumo das minhas idéias. A “mesa redonda” foi extremamente interessante e espontânea do começo ao fim. O tema era comunicação regional e diversos pontos polêmicos e controversos foram discutidos. Vale a pena parar para refletir e ampliar a nossa visão que, às vezes, é muito limitada.

Eu me tomo como exemplo, e assumo nunca ter reconhecido devidamente o valor da comunicação no Vale do Paraíba. Tenho a certeza de que não era a única a pensar: “Ok, me formo e vou pra São Paulo”. Pensava assim até algumas horas atrás.

É preciso reconhecer e valorizar o potencial que temos aqui por perto. Profissionais de altíssima qualidade e uma estrutura que não deve nada às renomadas agências da capital.

Um ponto-chave discutido foi o “preconceito” com tudo o que é regional (ou interiorano). O preconceito tanto por parte dos clientes que ainda conservam o pensamento de que o que vem de fora é muito superior em qualidade, quanto por parte das agências que barateiam os custos para não perderem as contas.

Como foi bem colocado na discussão, talvez a solução esteja na doutrinação dos clientes: educá-los para que possam aprender a valorizar o que é regional e de qualidade. Deve partir deles a iniciativa de pagar um preço justo pela qualidade do trabalho.

E é inegável a importância da comunicação na nossa região. Agências que vêm de fora e tomam por base apenas estatísticas saem em desvantagem se colocadas em comparação às agências do interior.

O fato de estarmos totalmente inseridos no ambiente e na sociedade da região, já nos dá uma visão muito mais ampla e profunda do mercado. Nós somos o público e convivemos com o público todos os dias. Temos muito mais referências e percepção das preferências, padrões e necessidades dos consumidores.

Depois de tanta discussão e reflexão, me resta dizer que, hoje, a minha vontade é permanecer no Vale até depois de me formar. Vejo uma possibilidade muito grande de crescimento no mercado valeparaibano, agora ainda mais palpável com a criação da APP Vale.

Espero ter a oportunidade de participar de mais eventos como esse e recomendo, quem puder, a fazer o mesmo.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

2 pensou em “Atingindo objetivos

  1. Aplausos… para todos em questão. Para a APP Vale, que começa a mostrar seu papel no mercado da região. Para a estudante Tuani Carvalho, que começa a descobrir um “novo mundo” no local onde vive. Para o professor Josué Brazil, que, certamente, é um atuante intermediador de tudo isso.

  2. Obrigado, Kelma!
    O papel de que educa é ser intermediador. E a sala de aula não é o único espaço para a atuação do professor e nem o único espaço de aprendizado do aluno. Também congratulo a APPVale!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *