Boa dica de livro

Livro da Scup abora métricas em Mídias Sociais

Scup lança o livro “Monitoramento e métricas de mídias sociais: do estagiário ao CEO”
Uma metodologia prática para o profissional de mídias sociais, marketing e negócios ficar atualizado

livro_

A obra aborda temas interessantes e importantes: Como se aproximar dos clientes nas mídias sociais? Como monitorar as mídias sociais? Como definir métricas a partir dos objetivos de negócio?

E para responder a essas e a outras questões, Diego Monteiro, cofundador do Scup, e Ricardo Azarite, coordenador de marketing e mídias sociais do Kekanto, desenvolveram a metodologia Social Media Cycle (SMC), apresentada no livro Monitoramento e métricas de mídias sociais: do estagiário ao CEO.

Nas 210 páginas do livro, o leitor aprenderá:

Níveis de maturidade em mídias sociais;
Monitoramento e métricas de mídias sociais;
Como transformar dados em informações úteis para o negócio; e
O Social Media Cycle (SMC).

Novo livro sobre a profissão de publicitário

Livro discute a formação do publicitário

André Porto Alegre, ex-presidente da APP e membro do Conselho de Administração da entidade na atual gestão lança o livro “A Trajetória de um Publicitário Comum – Ideias para a Formação do Profissional de Propaganda”, no próximo dia 10 de março na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, a partir das 18:00.

unnamed (2)

 

O livro nasceu dos anos de trabalho como professor, palestrante e dirigente associativo empenhado na qualificação dos publicitários e na valorização dos estudantes de publicidade. A ideia é provar que há espaço para os bons profissionais, éticos e talentosos, independentemente de atuarem nos grandes centros. A obra vem ocupar um espaço na literatura especializada em comunicação, que não produz textos dedicados ao começo da vida profissional do publicitário.

Uma boa dica de leitura

Livro preenche importante lacuna

Já tive a oportunidade, como professor orientador, de trabalhar com dois diferentes alunos em dois TCCs (Trabalhos de Conclusão de Curso) o tema Jingle. E ficou evidente em ambos os momentos a falta absurda de bibliografia nesta área. Agora este lançamento ajuda a preencher este espaço.

Veja matéria publicada no Meio&Mensagem:

Publicidade antes dos jingles
ESPM lança livro e CD com músicas encomendadas por anunciantes e distribuídas como brindes no século 19

Instituto Cultural da ESPM está lançando o livro Partituras Publicitárias Antes do Rádio, que relata as primeiras formas de usar canções na publicidade brasileira, ainda no século 19, antes mesmo da chegada do rádio no País, o que ocorreu apenas em 1922. Além da edição impressa, o livro é acompanhado por um CD no qual o maestro Amilton Godoy, acompanhado por uma orquestra, regravou 15 das 40 partituras encontradas pelo pesquisador Paulo Goulart, da A9 Editora.

partituras

O material foi coletado em arquivos como os da Biblioteca Nacional e do Instituto Moreira Salles. Entre os autores das partituras para piano estão grandes nomes da música nacional, como Ernesto Nazareth (1863–1934) e Chiquinha Gonzaga (1847–1935). “Eles eram contratados para escrever partituras que seriam entregues como forma de brinde aos consumidores”, explica Goulart. Naquela época, era comum a presença de pianos nas salas das famílias de classe média e alta.

A expectativa do comerciante era a de que, ao levar a partitura para casa, as pessoas tivessem a curiosidade de tocar a música ou deixar que um aprendiz o fizesse. “Esse era um dos muitos brindes oferecidos na época, além de mapas e leques”, ressalta Goulart.
O curioso é que essa ferramenta de ­marketing era uma demanda que partia dos próprios empresários e anunciantes. Eles encomendavam partituras e, às vezes até letras para as canções, diretamente aos músicos. Entre as raridades encontradas está uma composição de Ernesto Nazareth para o Odeon. Nazareth, aliás, foi quem mais compôs músicas publicitárias nessa época: 13 em quase 40 anos de atividade.
Também há uma composição de Chiquinha Gonzaga para o Café de São Paulo, de 1912. A maestrina utilizou-se de um tango instrumental de uma peça de teatro portuguesa, posteriormente acrescida de versos de Tito Martins. Nascia ali uma tática até hoje muito usada: a publicidade comparativa. A letra da música encomendada pelo Café de São Paulo desafiava explicitamente um concorrente: “Não há (café) Moka que me vença…”.

De acordo com Goulart, a primeira música publicitária tocada em uma rádio brasileira foi Sudan, em 1926 — composta por Canhoto para os cigarros Sudan. O primeiro jingle surgiu em 1932, mas, como só foi cantado ao vivo, como era prática nas emissoras da época, seu registro se perdeu. Os jingles gravados só começaram a aparecer a partir de 1935. O primeiro de que se tem notícia foi criado pela ­agência Bastos Tigre para o Chope da Brahma, com composição de Orlando Silva.

Leia Mais: http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/noticias/2013/11/26/Publicidade-antes-dos-jingles.html#ixzz2lky5QZkG

Vaga para quem é de Pinda

One Designer procura criativo

A agência quer um estagiário cursando PP a partir do Segundo ano e com conhecimentos em Pacote Adobe / Corel.

designerda

Enviar os Cvs para contato@onedesigner.com.br

Somente para quem reside em Pindamonhangaba

Boa dica de leitura para criativos

Livro fala sobre criação de anúncios para mídia impressa

7067343g1

Mídia Impressa – Como Fazer um Anúncio de Jornal e Revista

Na hora de criar, assuma o papel do público e pense no que gostaria de ouvir sobre o produto. Quando for pensar no título, use palavras fortes, que emocionem e levem o leitor às compras. Se o veículo for um jornal, não use fontes muito pequenas ou serifadas, que podem ter problemas de registro na hora da impressão. Essas são apenas algumas das valiosas dicas dadas pelo escritor e publicitário Newton César no livro Mídia Impressa – Como fazer um anúncio de jornal e revista. Com linguagem simplificada e formato prático de livro de bolso, o livro, de 80 páginas, traz à tona questões recorrentes e atuais do design contemporâneo e da criação publicitária. Com leitura fácil e ágil, o livro é um passo-a-passo completo e minucioso do processo de produção de peças publicitárias, ideal para auxiliar estudantes, e até mesmo profissionais, com informações introdutórias e essenciais à elaboração de um anúncio eficaz, tanto para jornais, quanto para revistas. – A idéia da obra é dizer somente o estritamente necessário e facilitar a rotina do estudante ou profissional de publicidade, ou de áreas afins como design, artes e jornalismo, na criação e produção de um anúncio, eliminado etapas inúteis – explica o autor, Newton César, diretor decriação da Wired Comuicação. A obra faz parte da coleção Basedesign, uma série de bolso, descomplicada de ler e a preço acessível. Segundo o autor: “A idéia é dizer o necessário, o estritamente “necessário.”

Fonte: http://www.submarino.com.br/produto/7067343/livro-midia-impressa-como-fazer-um-anuncio-de-jornal-e-revista?franq=267579#productDescription

Bom livro sobre marketing

Essa dica de livro veio direto do Portal CidadeMarketing

Marketing no Brasil
Um guia prático – Brand Equity, Mídias e Estatísticas

Autor: Riccardo Morici

Além de definir o marketing, Riccardo Morici oferece um guia repleto, com mais de 100 dicas, para orientar tanto os profissionais com pouca experiência, que buscam fortalecer conceitos, quanto aqueles mais experientes, que necessitam de alguma inspiração. O livro aborda, entre outros temas, brand equity, mídias e estatísticas, ensinando de maneira completa como gerenciar o marketing mix. Compêndio com os principais conceitos, as informações mais importantes e as ferramentas mais utilizadas no marketing brasileiro, este é um manual necessário para enfrentar os desafios do dia a dia.

ft_f2262ce565e35f83c9152d7415b33e79

Boa opção de leitura

Livro sobre propaganda lançado pela editora da PUC

Em A propaganda brasileira depois de Washington Olivetto, João Renha desvenda a faceta criativa do renomado publicitário. De forma inédita, o autor realiza um minucioso estudo das campanhas de Olivetto, revelando a retórica de um dos profissionais mais aclamados da área.

livro_propaganda_brasileira (1)

Mais do que analisar o que foi produzido, o livro explora de forma pioneira como as histórias do primeiro sutiã, do garoto-propaganda das mil e uma utilidades e de tantas outras campanhas de sucesso foram criadas, para descobrir se existe ou não uma fórmula para fazer peças publicitárias de sucesso.

Além do estudo revelador, esta obra presenteia o leitor com um capítulo especial, redigido por amigos e colegas de trabalho do publicitário. Nele, redatores, músicos, artistas, empresários e intelectuais prestam depoimentos engraçados, irônicos e emocionados de histórias que vivenciaram com Washington Olivetto.

A propaganda brasileira depois de Washington Olivetto trata-se de uma obra imperdível para quem quiser conhecer melhor o processo criativo de um dos mais premiados publicitários do mundo.

Sobre o autor

João Renha nasceu no interior do Rio de Janeiro, em 1955. Foi redator publicitário e hoje é professor do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio. Pós-graduado em Marketing e em Direito do Consumidor e Responsabilidade Civil, é autor também de David Ogilvy: a origem da publicidade moderna, publicado pela Editora PUC-Rio em 2011.

Lançamento da Cengage

Segunda edição

A editora Cengage Learning lança a 2ª edição do livro Gestão estratégica da comunicação
mercadológica – Planejamento, escrito por Marcélia Lupetti

A obra destina-se tanto a estudantes como a profissionais interessados em entender o universo da comunicação mercadológica. Leitura recomendada a gestores de comunicação, que trabalham com os serviços de marketing e não possuem necessariamente uma formação em comunicação publicitária.

8522112975

Funciona como livro-texto para cursos de graduação em comunicação, publicidade e propaganda, relações públicas, administração de empresas, e também para cursos de pós-graduação de todas as áreas relacionadas à gestão empresarial e de marketing.

Descrição
Observa-se com muito mais frequência a preocupação dos executivos com a comunicação
integrada organizacional. algumas empresas já possuem o que chamamos de ceo (chief
executive officer) de comunicação e, por vezes, gerindo a comunicação mundial. o que
ainda é uma questão de ajustes é a integração das comunicações institucional, interna,
administrativa e mercadológica. esta, pela visibilidade e pelos altos investimentos, assume
papel de extrema importância na obtenção de resultados na organização.
Gestão estratégica da comunicação mercadológica – Planejamento tem por objetivo auxiliar
o gestor na realização de seu planejamento de comunicação. esta obra traz um novo
conceito de SWot ou SWotcom, uma análise exclusiva de oportunidades, ameaças,
pontos fortes e frágeis da comunicação organizacional. este conceito está ligado a uma
nova metodologia de análise da empresa e de seus concorrentes, tendo como resultado
o mapeamento de caminhos disponíveis para os problemas encontrados. aplicando a
metodologia da SWotcom é possível identificar claramente objetivos e estratégias
disponíveis, cuja utilização dependerá única e exclusivamente do gestor de comunicação e
de suas prioridades

Boa sugestão de leitura

A Novatec Editora lançou nessa semana o livro A Empresa Conectada

Já que o fim de semana vai começar que tal uma dica de leitura para você aproveitar bem o tempo livre?

Recebi da editora o primeiro capítulo deste lançamento para que conhecesse e pudesse fazer uma rápida avaliação. E gostei bastante do que li. Veja abaixo algumas informações sobre esta obra. Eu recomendo!

A Empresa Conectada

Os consumidores encontraram seu poder online e as empresas deverão se atualizar e se adaptar às novas tecnologias se quiserem sobreviver à revolução gerada por esse cliente conectado

Os avanços tecnológicos e os novos meios de comunicação deram aos consumidores o poder da voz ativa, antes dominado pelas empresas. Os consumidores estão se conectando, organizando e ganhando massa e impulso.

Para que uma empresa se mantenha no mesmo ritmo dos clientes conectados, ela deverá construir uma organização ágil, inteligente e conectada. A Empresa Conectada mostrará como engajar funcionários, parceiros e clientes para sobreviver a esse ambiente em constante mudança e não ser afetada pela revolução do consumidor.

O livro A Empresa Conectada, considerado um dos mais importantes livros sobre gerenciamento do início do século 21, examina o que essas “novas” empresas estão fazendo, como estão fazendo e por que o que fazem funciona.

Leitura obrigatória para qualquer um que busca colocar a sua empresa à frente dos seus concorrentes.

livro novatec

Sobre os autores

Dave Gray, Vice-Presidente Sênior de Estratégia do Dachis Group, é autor e consultor de gerenciamento e trabalha com empresas que são líderes mundiais para desenvolver e pôr em prática estratégias vencedoras. Seu livro anterior, Gamestorming, vendeu mais de 50 mil cópias e foi traduzido para 14 idiomas.

Thomas Vander Wal, diretor da InfoCloud Solutions, orienta empresas sobre negócios sociais, conteúdo digital e informação pessoal para social. Participa do comitê que está à frente do Web Standards Project, ajudou a fundar o Information Architecture Institute e cunhou o termo “folksonomia”.