Previsões para o Natal em pesquisa

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia, projetam CNDL/SPC Brasil

Este ano, mais de 110 milhões de brasileiros pretendem ir às compras e desembolsar, em média, R$ 116 por presente. Lojas de departamento, internet e shopping center são os principais locais de compra. Mais da metade dos consumidores pagarão à vista

Apesar da lenta recuperação da economia no país e do ambiente de incertezas, a maior parte dos brasileiros pretende manter a tradição e ir às compras neste Natal, movimento que promete aquecer as vendas do varejo em 2018. É o que revela pesquisa realizada em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). As projeções permanecem no mesmo patamar do último ano e indicam uma injeção de aproximadamente R$ 53,5 bilhões na economia.

Além disso, espera-se que mais de 110,1 milhões de consumidores presenteiem alguém no Natal de 2018. Em termos percentuais, 72% dos brasileiros planejam comprar presentes para terceiros no Natal deste ano, número que se mantém elevado principalmente nas classes A e B (83%). Apenas 9% disseram que não vão presentear — 26% porque não gostam ou não têm o costume, 23% por estarem desempregados e 17% por não ter dinheiro — enquanto 19% ainda não se decidiram.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a injeção desse volume de recursos na economia reforça o porquê a data é a mais aguardada do ano para consumidores e comerciantes. “Embora o cenário econômico atual não esteja tão favorável, a expectativa positiva para o Natal dá indícios sobre a disposição dos brasileiros em consumir”, afirma Pellizzaro Junior.

Consumidor pretende comprar entre quatro e cinco presentes; ticket médio será de R$ 116 por item. Considerando os que realizaram compras no ano passado, 27% planejam gastar mais

Em média, os consumidores ouvidos na pesquisa devem comprar entre quatro e cinco presentes. O valor médio com cada item será de R$ 115,90, sendo maior entre os homens (R$ 136,51). O levantamento também revela que o número dos que pretendem desembolsar entre R$ 101 e R$ 200 com presentes cresceu na comparação com 2017, passando de 10% para 16%. Esse percentual chega a mais de um terço (33%) na faixa acima de 55 anos. Há, contudo, uma parcela considerável de consumidores (33%) que ainda não decidiu qual ao valor a ser desembolsado.

Outro dado que sugere uma disposição maior de consumo para o Natal é que quase um terço (27%) dos entrevistados que compraram presentes em 2017 irá gastar um valor superior este ano — alta de oito pontos percentuais na comparação com o último Natal. Outros 30% planejam gastar a mesma quantia e 22% menos. Considerando os que vão gastar mais no Natal de 2018, 29% afirmam que vão adquirir um presente melhor, enquanto 25% reclamam do aumento dos preços, principalmente as classes A e B (41%). Há ainda, 22% de pessoas que economizaram ao longo do ano para poder gastar mais com os presentes natalinos, em especial as mulheres (33%).

Entre os que irão diminuir os gastos, a principal razão deve-se à situação financeira ruim e ao orçamento apertado (34%). Outros 30% afirmaram que querem economizar, enquanto 14% possuem outras prioridades de compra, como a casa própria ou um automóvel e 12% estão desempregados.

85% dos consumidores vão pesquisar preços antes de comprar presentes; lojas de departamento e internet são principais locais de compra

Os reflexos da crise continuam sendo sentidos no bolso do consumidor, que enfrenta orçamento mais apertado e renda que não acompanhou ajustes de preço dos produtos. Tanto que a maioria dos consumidores ouvidos (56%) disseram que os presentes de Natal estão mais caros em 2018 do que no ano passado. Para 28%, os produtos estão na mesma faixa de preço, enquanto apenas 6% disseram que os preços estão menores.

Pesquisar preço antes de comprar já se consolidou como hábito entre os brasileiros: 85% dos entrevistados adotarão essa prática pensando em economizar e a internet (67%) será a principal aliada. O tradicional comércio de rua e as lojas de shopping são dois outros destinos de quem pretende comparar preços, com 49% e 47% das menções, respectivamente. Quanto ao local escolhido para as compras de Natal, este ano as lojas de departamento dividem a preferência dos consumidores (42%) com as lojas online (40%) — 75% desses consumidores virtuais farão, pelo menos, metade de suas compras neste canal.

Os shopping centers aparecem em seguida, com 34% das citações, enquanto as lojas de rua foram mencionadas por 30%. Os endereços online preferidos são os sites das grandes redes varejistas nacionais (75%), sites de classificados de compra e venda (27%) e lojas virtuais especializadas em ofertas e descontos (22%).

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a internet vem se consolidando como um importante canal de vendas no país “Cada vez mais, os consumidores usam a rede para compras, principalmente pela comodidade e praticidade, além da possibilidade de comparar preços e encontrar uma diversidade de produtos disponíveis”, comenta Marcela.

Roupas continuam sendo o item mais procurado para o Natal e os filhos mantêm lugar cativo como os mais presenteados

Por mais um ano, as roupas permanecem na primeira posição do ranking de produtos que os consumidores pretendem comprar para presentear no Natal (55%). Calçados (32%), perfumes e cosméticos (31%), brinquedos (30%) e acessórios, como bolsas, cintos e bijuterias (19%), completam a lista de produtos mais procurados para a data.

Quando o assunto se refere a quem deve receber os presentes neste Natal, os filhos continuam em primeiro lugar (57%). Em seguida, os entrevistados mencionaram maridos ou esposas (48%), mães (46%), irmãos (24%), sobrinhos (21%), pais (20%) e namorados (17%). Os filhos também receberão os presentes mais caros (25%).

Na hora de escolher os presentes, o fator que os consumidores mais levam em conta é a qualidade do item adquirido (21%). A pesquisa aponta que dois aspectos chamam a atenção este ano e ganharam importância frente a 2017, tanto as promoções ou descontos oferecidos pelas lojas (20%, contra 13% no último ano) quanto o preço dos presentes (17%, contra 9% no ano passado). Além desses, os entrevistados destacaram ainda o perfil do presenteado (17%) e o desejo do presenteado (13%) como pontos a serem considerados na decisão.

57% vão pagar presentes à vista; para quem parcela, dívidas vão durar, em média, quatro meses

De acordo com o levantamento, a maioria dos entrevistados (57%) vai optar por uma modalidade de pagamento à vista — percentual que sobe para 61% nas classes C, D e E. Os que vão utilizar alguma modalidade de crédito somam 40% dos compradores, dos quais 26% vão recorrer ao cartão de crédito parcelado, 10% preferem pagar no cartão em parcela única e apenas 2% devem usar o cartão de lojas.

Na média, as compras parceladas serão divididas entre quatro e cinco vezes, o que significa para o consumidor comprometer parte de sua renda com prestações de Natal até a Páscoa do próximo ano. Para 54% das pessoas ouvidas pela pesquisa que irão dividir o pagamento de suas compras, a escolha pelo parcelamento deve-se à falta de condições em comprar todos os presentes de uma única vez, enquanto 29% preferem parcelar para garantir sobras de dinheiro no orçamento e 25% esperam poder comprar presentes melhores.

“O ideal é que se o consumidor estiver inadimplente não contraia novas dívidas com o Natal, já que o início do próximo trará despesas altas com impostos, férias e matrícula escolar. Recomenda-se que a pessoa faça as contas e se a opção for o pagamento parcelado, é preciso estar atento para que a prestação não comprometa o pagamento das contas que virão no próximo ano”, orienta a economista-chefe do SPC Brasil.

Metodologia

Inicialmente foram ouvidas 761 pessoas nas 27 capitais para identificar o percentual de quem pretendia ir às compras no Natal e, depois, a partir de 607 entrevistas, investigou-se em detalhes o comportamento de consumo no Natal. A margem de erro é de 3,5 e 4,0 p.p, respectivamente, para um intervalo de confiança de 95%. Baixe a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

Fonte: Assessoria de Imprensa CNDL/SPC Brasil

Consumo consciente em pesquisa

Conteúdo em áudio traz pesquisa

O conteúdo em áudio do Publicitando desta vez traz informações de uma recente pesquisa que mostra o quanto o consumidor brasileiro está ligado ao consumo consciente de produtos e serviços.

Confere aí:

 

Relatório de Tendências

Audiovisual no mercado de casamentos

Chegamos ao terceiro, e infelizmente último, episódio da série Relatório de Tendências. Essa série é uma parceria entre o Publicitando e os alunos do 8° semestre de publicidade e propaganda matutino da Unitau. Trata-se de trabalho desenvolvido por eles dentro da disciplina Inteligência de Mercado, ministrada pela professora doutora Mônica Franchi.

Desta vez o tema é audiovisual na indústria de casamentos. Confira!

Mais uma chegada de Papai Noel

Chegada do Papai Noel em Taubaté traz atrações gratuitas para o dia 18 de novembro

O Bom Velhinho desembarca no Via Vale Garden Shopping no próximo domingo, 18. Programação gratuita terá show especial de Natal e diversas atividades para toda família

A chegada do Papai Noel no Via Vale Garden Shopping promete muita surpresa, diversão e glamour! O bom velhinho chega ao centro de compras a bordo de uma limousine no próximo domingo (18), em uma super parada Natalina com programação gratuita a partir das 16h. Além de acompanhar a chegada glamourosa do Noel, quem passar pelo empreendimento vai curtir outras atrações em família, como pula-pula, tobogã, cama elástica, piscina de bolinha e escalada.

No estacionamento, na portaria lateral, às 16h, acontece a parada de Natal ao som encantador da FAMUTA (Fanfarra Municipal de Taubaté). O Papai Noel chegará acompanhado de uma limusine branca repleta de princesas e super heróis, além de vários personagens do mundo encantado. Logo em seguida, às 16h30, é a vez da FANSAP (Fanfarra de São Luis do Paraitinga), que apresentará belíssimas canções natalinas e da apresentação de dos bailarinos do projeto Montanh’arte. Às 17h00 haverá um show especial com a Turma do Mickey. “Preparamos uma verdadeira festa para toda a família! Além de ver de perto a chegada do Papai Noel, nossos clientes poderão curtir o domingo com muitas atrações gratuitas. O Via Vale está pronto para surpreender neste fim de ano”, ressalta Bruna Marcon, responsável pelo Marketing do Garden.

Na ocasião também será inaugurada uma decoração exclusiva de Natal do Shopping – O incrível Mundo Doce, um circuito de brincadeiras, inspirado em uma candy machine, que promete conquistar toda a família.

A Praça de Eventos estará tomada pelo clima de Natal com uma atração que reúne um ambiente lúdico e colorido como tobogã, circuito de obstáculos e uma piscina de espumas em formato de guloseimas, além do trono do Bom Velhinho. “O Garden já está em clima de Natal esperando a chegada do Papai Noel, que inclusive já tem vaga especial para estacionar seu trenó. Uma brincadeira com a ação e mais uma forma de comunicar aos nossos convidados que um grande evento vem por aí”, completa Bruna.

Fonte: Assessoria deImprensa Via Vale

Mais um shopping da região abre preparativos para o natal

Shopping Pátio Pinda se prepara para o Natal e terá festa para chegada do Papai Noel

A ação terá apresentações e diversão para aguardar o Bom Velhinho

O clima do Natal já contagia o Shopping Pátio Pinda e para dar início às festividades o centro de compras vai receber o Papai Noel no sábado (10). O Bom Velhinho chegará das alturas, em um helicóptero, para começar a atender aos pedidos das crianças. Todas as atividades são gratuitas e acontecem no estacionamento do shopping.

Para recepcionar muito bem o Papai Noel, o Shopping Pátio Pinda organizou uma programação com atividades para animar e envolver o público de todas as idades. A festa começa às 13h com a presença de personagens natalinos, distribuição de pipoca e algodão-doce, brinquedos infláveis para os pequenos, mutirão da saúde e caricaturas gratuitas.

O ballet Julia Pyles também estará no centro de compras e fará uma apresentação especial de Natal a partir das 13h; em seguida, às 14h, será a vez da apresentação infantil Show dos Personagens Encantados e a partir das 15h o grupo do Projeto Guri se apresenta. o Coral da APAE encerra as apresentações antes dos preparativos finais para a chegada do Noel.

Fonte: Communicare – Giovanni Romão

Relatório de Tendências

Tendências do mercado de gráficas

Quem acompanha de perto já está sabendo que o Publicitando fechou uma parceria com os alunos do oitavo semestre de publicidade e propaganda matutino da Unitau e com a professora doutora Mônica Franchi – que ministra a disciplina Inteligência de Mercado – para apresentar aqui o resultado de trabalhos sobre tendências de mercado.

Chegou a hora do segundo relatório – que aborda o mercado gráfico. Serão três episódios ou relatórios no total (reveja o primeiro aqui).

 

 

Natal Iluminado volta com mudanças em 2018

Bancado pela iniciativa privada, projeto foi protocolado pela ACI junto à Prefeitura de São José dos Campos

A Associação Comercial e Industrial protocolou junto à Prefeitura de São José dos Campos o projeto do “Natal Iluminado 2018”. Pelo projeto, as festividades do Natal Iluminado começam no dia 30 de novembro, com a chegada oficial do Papai Noel à cidade, e terminam no dia 23 de dezembro.

Idealizado pela ACI e bancado pela iniciativa privada, com apoio da prefeitura, o projeto foi dividido em três frentes e terá algumas novidades para este ano.

A primeira frente do “Natal Iluminado” é a Casa do Papai Noel, que, este ano, será montada na praça Afonso Pena, a principal praça do centro da cidade. A partir do dia 30 de novembro, a Casa estará aberta a visitação interna e terá sempre a presença do Papai Noel.

Esse espaço terá ainda a Árvore de Natal oficial de São José dos Campos e máquinas de neve, para alegria da criançada. Completa o cenário um palco para apresentações musicais, a cargo da Fundação Cultural Cassiano Ricardo.

— Pela dimensão da praça, a Casa do Papai Noel vai ganhar destaque este ano, com iluminação especial das árvores – disse o presidente da ACI, Humberto Dutra, lembrando que, em 2017, a Casa foi montada na Praça do Sapo, um espaço menor.

A segunda frente do “Natal Iluminado” será na igreja de São Benedito e no largo existente ao seu lado. De 14 de dezembro a 23 de dezembro, a fachada e a lateral da igreja serão usadas para a projeção de imagens em 3D, o chamado vídeo mapping. Trata-se de uma projeção de vídeo em objetos ou superfícies irregulares, tais como estruturas de grandes dimensões, fachadas de edifícios e estátuas, criando efeitos surpreendentes. Segundo o projeto da ACI, serão cinco shows por noite, cada um deles durando de 7 a 8 minutos.

No dia 14, estreia do mapping, o show de luzes será encerrado com a participação especial do Coro Jovem da Fundação Cultural Cassiano Ricardo. É o uso da tecnologia e da criatividade para tornar o Natal da cidade mais bonito, mais atrativo e interativo.

Por fim, o “Natal Iluminado” retoma este ano as Caravanas de Natal, que vão percorrer boa parte da cidade, e o Cinema nos Bairros, um dos sucessos da primeira edição do projeto em 2017, em sua primeira edição. Em parceria com a prefeitura, 10 espaços públicos e poliesportivos da cidade vão receber o Cinema dos Bairros, com filmes natalinos, pipoca e algodão doce para a criançada. A lista de espaço a serem visitados ainda está sendo definida.

O que é

O projeto “Natal Iluminado” é bancado pela iniciativa privada, por iniciativa da ACI e apoio da Prefeitura de São José dos Campos. Em 2017, ele marcou a retomada das festividades de Natal em áreas públicas da cidade. Este ano estão previstas ainda a decoração natalina dos prédios do Museu Municipal (Câmara Velha) e Mercado Municipal, além da circulação de ônibus urbanos enfeitados especialmente com luzes coloridas para o Natal. Com motoristas e cobradores vestidos de Papai Noel, essa frota natalina foi uma das atrações do projeto em 2017.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Nathalia Barcelos

Vida acelerada impõe inovações

Velocidade na vida dos consumidores e empresários impacta ritmo da inovação das corporações

Pesquisa aponta como esses públicos encaram as mudanças provocadas pela conectividade

Grandes mudanças estão acontecendo no plano pessoal e social e as pessoas estão passando por transformações drásticas em seus valores, percepções e formas de relacionar com si e com o mundo. Que tipo de ser humano está sendo construído nesse novo contexto e qual impacto esse cenário provoca no consumo e relacionamento com as marcas? No intuito de ser um “abridor de latas da consciência”, a Officina Sophia Minds & Hearts, empresa pertencente à HSR Specialist Researchers, desenvolveu a pesquisa Uma Vida Conectada para entender como as pessoas estão se relacionando com a velocidade das transformações e se estão se sentindo beneficiadas com esse novo cenário.

Para a maior parte das 2.650 pessoas entrevistadas em todo o Brasil, com idade entre 18 e 49 anos, das classes ABC, a velocidade não é inimiga da perfeição. O estudo detectou que 60% dos respondentes admitem que estão fazendo as coisas de forma mais rápida e melhor do que há cinco anos, e este índice eleva-se entre os mais jovens (69%). Mais do que isso, elas acreditam que, de maneira geral, estamos todos nos sentindo beneficiados e nos transformando com o momento atual.

Ao mesmo tempo em que as pessoas sentem-se beneficiadas com a velocidade, elas exigem que suas respostas sejam na mesma medida (demandam que Indústria, Varejo, Serviços e os meios de comunicação estejam sintonizadas a velocidade que já vivenciam nos seus mundos individuais). No entanto, esse ambiente tem contribuído para aumentar a ansiedade, um dos “efeitos colaterais” da velocidade. Ansiedade ainda é um sentimento “novo” para as pessoas, administrar e compreender as suas facetas é difícil e, assim, grande parte delas não sabe como capitalizar o sentimento para favorecer a sua criatividade.

Como ficam as empresas nesse novo mundo? Com maior acesso à informação e contato com inovação, a capacidade de rápida transformação passa a ser exigência dos consumidores, que acham as empresas lentas em relação ao ritmo de novidades demandadas pelo mercado.

Os empresários também foram ouvidos na pesquisa e, para eles, a velocidade das transformações pode ser aliada. Mas 38% admitem que estão aquém do que o público – e eles mesmos – esperam. Para 52%, a velocidade das mudanças em suas empresas fica na média do mercado. Apenas 10% se acham na vanguarda.

“O desafio para as empresas é entender como essas mudanças afetam seu negócio e que ele, empresário, deve estar atento a essa visão e ao novo consumidor. É imperativo ter maior compreensão da mudança que está ocorrendo no ‘sistema operacional’ dos indivíduos. Da mesma forma, para os profissionais, de maneira geral (seja empresário, seja consumidor), é fundamental estar aberto a grandes transformações pessoais e corporativas, buscar novas visões e conhecimentos e entender com mais profundidade o indivíduo que está por trás do consumidor”, analisa Naira Maneo, sócia-diretora da Officina Sophia Minds & Hearts, responsável pela pesquisa. Por fim, ela dá um conselho: “Aproveite as mudanças e mostre sintonia com os novos momentos para gerar identidade”.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone

Consumidor vai usar Black Friday para antecipar Natal

Consumidor planeja comprar na Black Friday, e pretende antecipar compras de Natal, afirma estudo da SBVC

A totalidade dos respondentes pretendem comprar algum produto na data este ano.

Black Friday já é a data mais importante para o e-commerce brasileiro. Segundo estudo do Ebit o comércio eletrônico deve faturar R$2,43 bilhões durante a Black Friday de 2018, alta de 15% na comparação com o ano passado. E o número de pedidos pode registrar uma expansão de 6,4%, passando de 3,76 milhões para 4 milhões.

Apesar da crise que o país vem enfrentando, o consumidor está animado e otimista para a Black Friday 2018. 100% dos entrevistados pretendem se arriscar nas promoções esse ano e pretendem gastar em média R$ 1.283,00. Em 2017 o gasto médio dos consumidores na data (soma de compras online e off-line) foi de R$ 1.178, segundo o Ebit.

As compras estão destinadas a uso próprio e a preferência é por Eletrônicos, Eletrodomésticos e Vestuários. Porém, parte dos respondentes (69%) pretendem gastar a mais pensando em compras para o final de ano, ou seja, planejam comprar para presentear no Natal. O valor destinado a compras de fim de ano se aproxima de 37% do total das compras da Black Friday. Essa é uma das descobertas do estudo “O fenômeno Black Friday no varejo brasileiro”, desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) em parceria com a Ferraz Pesquisas, que faz uma radiografia dos principais hábitos de compra, intenção de compra e opiniões em relação a Black Friday.

O estudo mostra que 57% concordam que a Black Friday é uma data para encontrar produtos de coleções anteriores ou que estão fora de linha, porém 47% acreditam que irão encontrar produtos de lançamento. A data está consolidada no país, e aos poucos os consumidores passam a ver vantagens de comprar (84%) na Black Friday. Porém, a credibilidade (67%) em relação as promoções ainda não estão em um patamar sólido.

O canal online é a principal fonte de pesquisa de preços, sendo que 100% dos entrevistados irão pesquisar antes de realizar a compra na data, principalmente em sites de busca, sites de lojas próprias e redes sociais. Assim como a busca por informações é online, o e-commerce (33%) se sobressai quando comparado com lojas físicas (18%) no processo da compra, porém a maioria utiliza os dois canais para fazer suas compras (49%).

Metodologia

O estudo entrevistou 403 consumidores em todo o país, e teve como objetivo quantificar aspectos relacionados aos hábitos de compra, intenção de compra e opiniões em relação a Black Friday, visando entender o impacto dessa data para o varejo brasileiro.

Disponível no site: http://sbvc.com.br/o-fenomeno-black-friday-no-varejo-brasileiro-2018/

Sobre a SBVC – Fundada em 29 de maio de 2014, a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) é uma organização sem fins lucrativos, aberta, multissetorial e com atuação complementar às demais entidades de classe do varejo. Sua missão é contribuir para o aumento da competividade do varejo, por meio de conteúdos e estudos de mercado, promovendo networking entre executivos do varejo de todos os segmentos. A entidade tem como objetivo defender os interesses do segmento e promover ações sociais. A SBVC é sustentada por quatro pilares fundamentais: Conteúdo, Relacionamento, Responsabilidade Social e Apoio Técnico.

Fonte: SBVC – Fernanda Besnosoff – Coordenadora de Estudos e Pesquisas

Relatório de Tendências

Parceria por tendências

O Publicitando fechou uma parceria com os alunos do oitavo semestre de publicidade e propaganda matutino da Unitau e com a professora doutora Mônica Franchi – que ministra a disciplina Inteligência de Mercado – para apresentar aqui o resultado de  trabalhos sobre tendências de mercado.

O primeiro deles aborda o mercado de agências de propaganda/comunicação e sua reconfiguração. Confira: