Aplicativo para não perder a bagagem

Jovens criam aplicativo que permite rastrear bagagens de avião

Sabemos que a cada ano, o número de passageiros das companhias aéreas vem aumentando e um dos maiores receios deles é em relação ao extravio de suas bagagens, o Back2’U. Pensando nisso, alunas de Engenharia de Produção do Instituto Mauá de Tecnologia desenvolveram um rastreador de bagagens aéreas nacionais, que permita ao usuário ter acesso da localização de seus pertences, por meio de um sistema implementado.

E como ele funciona?

Com a aquisição Back2’U e ao inseri-lo em sua bagagem, o usuário terá acesso a localização de sua mala a partir de um aplicativo instalado no celular. Desta forma, ele terá a possibilidade de monitorar seus pertences e, em caso de extravio, encontrá-los mais rápido.

Diferenciais:

Para o futuro, o grupo estuda disponibilizar o produto por um valor que varia de R$ 50,00 a R$ 100,00, o que é um grande diferencial competitivo, uma vez que aplicações similares disponíveis no mercado costumam chegar a 400 reais, mais a taxa de mensalidade.

O trabalho completo será apresentado na 23ª Edição da Eureka, evento que reúne trabalhos de conclusão de curso altamente inovadores das áreas de Engenharia, Administração e Design.

Alunos: Amanda Carvalho Fernandes, Beatriz Cutlak Schiavi, Clara Santandrea Augusto e Juliane Jampolsky.

Fonte: RMA Comunicação – Assessoria de Imprensa do Instituto Mauá de Tecnologia – Lis Assis/Francine Vechio

O crescimento do Pinterest

Pinterest ultrapassa 200 milhões de usuários ativos mensais, sustentado pelo engajamento e crescimento global

O Pinterest anuncia que mais de 200 milhões de pessoas usam o aplicativo todo mês, um crescimento de aproximadamente 40% ano após ano. Para celebrar essa ocasião, o Pinterest também anuncia que vai iniciar os testes de um dos recursos mais pedidos pelos usuários de Pins: subpastas.

 

Pinterest é um aplicativo de descobertas visuais que ajuda o usuário a encontrar e experimentar as melhores ideias personalizadas. O Pinterest passou essa marca histórica duas vezes e meia mais rápido do que quando conquistou os seus 100 milhões de usuários e com uma base de Pinners – como são chamados os usuários da plataforma – mais diversificada que nunca:

– Mais de 75% das signups são de fora dos Estados Unidos
– Mais de 50% dos usuários são de fora dos Estados Unidos
– As signups de homens estão crescendo três vezes mais rápido que as de mulheres
– Usuários ativos homens têm crescido mais de 50% ano a ano

Não se trata apenas do número de pessoas que estão usando o Pinterest, mas também como eles estão usando o aplicativo para encontrar ideias:

– O engajamento no aplicativo permanece forte, com impressões crescendo em 50% ano a ano.
– A busca no Pinterest continua a crescer 45% ano a ano, especialmente no celular, onde aproximadamente 85% das buscas acontecem. Fora dos Estados Unidos, as buscas cresceram 75% no ano.
– O crescimento de busca por celular está excedendo o crescimento de usuário em 32% fora dos Estados Unidos, e 13% em todo mundo.
– 98% dos Pinners compartilham como eles estão tentando novas coisas que encontram no Pinterest, comparado com a média de somente 71% em plataformas de mídia social (Estudo da Nielsen, em maio de 2017)

Na busca do Pinterest para adicionar mais 100 milhões de usuários, o feedback da sua base atual é muito importante. Por isso, o Pinterest inicia os testes de subpastas, ou seja boards dentro de boards, para ajudar os Pinners a organizarem as ideias que gostariam de experimentar. Por exemplo, se você tem um board de estilo de outono, logo será possível que você organize os Pins em seções de sapatos, casacos, camisetas e outros. O Pinterest também introduziu recentemente o zoom – outra ferramenta muito solicitada -, e ainda tem muito mais por vir.

Dados sobre o Brasil:

– Crescimento: o número de usuários ativos mensais quase dobrou no último ano.
– Engajamento: 5,3 milhões de ideias são salvas por dia no Brasil, um crescimento de 68% no últimos 12 meses.
– Busca: o número de buscas mensais no Brasil mais que dobrou nos últimos 12 meses.
19 milhões de visitantes únicos mensais no Brasil, segundo a comScore

Fonte: SmartPR – Ana Castilho

Novo ‘app’ permite busca de mais de 22 mil imóveis em SP

Ferramenta online da Lello contém informações detalhadas sobre unidades em oferta para venda e locação, com fácil acesso pelo celular

A evolução da tecnologia também chegou ao mercado imobiliário. Antigamente os cadernos de imóveis eram a forma mais comum de se buscar uma nova casa. Um pouco mais recentemente, houve migração de quase 100% dos que buscam um imóvel para o computador, via desktop. E hoje a Lello, imobiliária e administradora paulistana, já registrou 57% das pessoas que buscam imóveis na empresa usando o celular.

Baseados nesses números, a Lello que, além de já oferecer a busca de seus imóveis pelos smartphones, de forma responsiva, trás também ao mercado o seu aplicativo, que permite buscas ainda mais ágeis e dinâmicas aos mais de 22 mil imóveis que a empresa tem disponível na capital paulista. De norte a sul o app da Lello leva aos usuários o mundo imobiliário até a palma de suas mãos.

A ferramenta fornece informações detalhadas sobre unidades residenciais e comerciais ofertadas para venda ou locação, com fotos e descrição dos imóveis, permitindo, por exemplo, a busca por mapas, onde usuário pode traçar rotas, ver distâncias, ver o que há por perto – metrô, lista de estabelecimentos, como escolas, hospitais e supermercados – e, por meio do street view, a imagem da localização do imóvel.

E para os seus mais de 10.000 locatários, há a opção de tirar a segunda via de boleto de aluguel.

Pesquisas comprovam que pessoas que compram ou alugam imóveis distanciam-se apenas três quilômetros de sua residência atual. Por isso a ferramenta de geolocalização do “app” vai facilitar e agilizar muito a busca de imóveis pelos usuários.

O novo “App” Busca de Imóveis da Lello, disponível gratuitamente para IOs e Android, ainda possibilita “favoritar” as escolhas e fazer solicitação de visita aos imóveis desejados. Disponibiliza, ainda, a relação com endereço e telefone de todas as 18 lojas, que compõe a Rede própria da Lello.

O aplicativo foi desenvolvido inteiramente pela equipe de Inovação/TI da imobiliária. “O objetivo foi o de oferecer aos usuários uma jornada de busca de imóvel mais ágil e agradável, com informações mais detalhadas e, ao mesmo tempo, de navegação simples e intuitiva”, afirma Elaine Fouto, gerente de Marketing da Lello Imóveis.

Fonte: Assessoria de imprensa Lello

Para uma ideia acontecer!

Como tirar uma ideia do papel e colocá-la na rua. Confira oito dicas de um especialista no assunto

Algumas dicas valem ouro na hora de começar uma startup, mas onde encontrá-las, com quem falar, por onde começar? A IN3, software house nascida dentro de uma venture builder, desenvolve projetos desde sua concepção até o produto final e seu CEO Ale Porto tem alguns conselhos para quem quer começar uma startup.

Confira oito conselhos de quem ajuda diariamente startups a transformar ideias em realidade:

– Pesquisar o mercado e identificar quem são os concorrentes. É sempre importante reconhecer se existe espaço para mais um negócio ou, quando disruptivo, se questionar do porquê não foi feito ainda ou se existe algum caso sem sucesso;

– Saber com quem vai se associar, muitos negócios chegam ao fim por escolhas erradas de sócios;

– Ter um business plan do seu negócio muito bem detalhado. Muitas pessoas tem boas idéias, mas não sabem como monetizá-las;

– Não querer abraçar o mundo e fazer tudo sozinho. Se você não conhece bem alguma área, como por exemplo, jurídica ou financeira, é bom recorrer a especialistas para ajudar no seu crescimento do seu negócio;

– Testar! Essa é a melhor maneira de saber se o negócio realmente funciona. Colher feedbacks com o público e até mesmo com amigos e familiares;

– Contratar uma equipe correta é essencial para o sucesso da empresa, equipe e produtividade caminham juntas;

– Uma ideia não acontece sozinha, a prática é muito mais complicada do que parece:

– Acreditar no negócio e ter muita força de vontade fazem a diferença nos momentos mais complicados;

– Timing é a palavra de ordem, saber o momento certo de colocar o produto na rua pode mudar o curso de uma startup.

“Um bom aplicativo se vende sozinho, porém não meça esforços para investir em marketing”, completa Ale Porto.

Fonte: Incube Mobi – Thaina Protta

Pedido Bom garante o remédio necessário pelo melhor preço

App gratuito permite encontrar e receber remédios sem precisar sair de casa, tudo em poucos minutos

Com as agendas cada vez mais encurtadas, a sociedade atual tem optado por soluções que otimizem ao máximo o seu tempo. De olho nessa praticidade, o Pedido Bom, aplicativo gratuito que pode ser utilizado por qualquer pessoa – até mesmo por idosos não familiarizados com a tecnologia -, é a mais nova ferramenta de compra de remédios de maneira rápida, segura e eficiente. O app evita que o paciente tenha que se deslocar para buscar remédios ou pesquisar em diferentes farmácias.

Com o Pedido Bom, é possível digitar, falar, tirar foto do código de barras ou até mesmo da receita médica. Em poucos minutos, o usuário recebe, pelo celular, propostas de farmácias cadastradas da região com o preço mais baixo, a entrega mais rápida e a farmácia melhor avaliada. O usuário precisa apenas escolher o que for mais conveniente para confirmar o pedido e a farmácia selecionada enviará os medicamentos ao endereço informado. Outra função do aplicativo é o lembrete, que avisa o dia e horário para tomar os remédios específicos, além de alertar sobre um medicamento que está para acabar.

Em apenas três meses de operação, o Pedido Bom já conta com mais de 200 farmácias cadastradas na cidade de São Paulo. “Ainda temos muito a fazer e aprender, mas temos o que mais importa: a execução eficiente e a preocupação com o cliente”, explica Jorge Geras, diretor de Marketing da Pedido Bom.

O Pedido Bom surgiu para resolver uma grande necessidade do mercado. Com diferentes olhares, um executivo, um médico e um programador perceberam que não era suficiente apenas a entrega em casa ou somente a comparação de preços. Com este desafio em mente, decidiram criar uma solução completa.

O app Pedido Bom pode ser encontrado nas lojas Apple Store e Google Play, tendo inclusive avaliação média máxima, de cinco estrelas. Pode ser acessado também pelo site https://www.pedidobom.com.

Sobre o Pedido Bom

O Pedido Bom é um aplicativo gratuito que permite a compra de medicamentos de forma simples, segura e com menor custo.

Rede social de casamento para noivos e convidados

Rede social de casamento estimula interação entre noivos e convidados

App iCasei ganha linha do tempo e outras facilidades para gerir a espera do “sim”

O smartphone já é uma extensão do corpo humano para a maioria das pessoas, seja para trabalho, diversão ou grandes eventos. Pensando nisso, o iCasei (www.icasei.com.br), plataforma referência em serviços de casamento, reformulou seu app e o transformou em uma rede social para noivos e convidados interagirem em um ambiente exclusivo por meio de uma linha do tempo, como o Facebook e o Instagram.

A ideia é disponibilizar no aplicativo o acesso a todos os recursos da plataforma para facilitar a atualização e a troca de informações ao longo dos meses que antecedem o tão esperado dia. Ele permite aos convidados publicarem fotos e histórias, confirmarem presença e presentearem os noivos. O casal pode gerenciar o conteúdo, acompanhar as novidades e se emocionar a cada mensagem recebida.

Segundo o CCO da plataforma, Diego Magnani, o aplicativo foi reformulado “para que casais compartilhem sua história de amor de uma forma prática e intimista com seus familiares e amigos. Por isso, cada detalhe foi planejado para trazer o melhor da tecnologia ao altar”.

Pioneiro no desenvolvimento de soluções para facilitar os preparativos até a hora do “sim”, o iCasei disponibilizou a nova versão do seu aplicativo para Android e iOS e já ultrapassa a marca dos 100 mil downloads.

Fonte: Press Works

Aplicativo busca impactar a educação

Inovação para Educação: ClassApp

Em 2015, o Governo do Estado de São Paulo propôs um grande desafio a todas as Startups do Brasil: resolver cinco grandes desafios pendentes na educação pública. A ClassApp foi finalista deste Edital, se propondo a atender duas dessas demandas:

  • Aumentar o engajamento dos pais na vida escolar dos filhos,
  • Criar sistema de interação social entre alunos, pais, coordenadores e gestores

A partir daí, a startup teve a oportunidade de validar sua proposta, por meio do projeto piloto que envolveu nove escolas técnicas do Centro Paula Souza no interior paulista e beneficiou mais de 10 mil alunos e seus familiares!

Estamos muito felizes em ver os resultados iniciais e estamos em busca de instituições que queiram apoiar a expansão do projeto!

Quer ver como o ClassApp está ajudando as escolas? Veja esse vídeo.

Aplicativo propõe benção high tech

Você já “godblesseou” alguém hoje?

Você que está acostumado a “Curtir” fotos e posts nas redes sociais, prepare-se porque este novo aplicativo pode acrescentar um gesto inédito – e muito original – aos seus hábitos digitais. Criado na França e batizado de “GodBlessYoo” (nome inspirado na expressão americana que equivale à nossa popular “Deus te abençoe”), é o primeiro a promover a prática de desejar o bem a outras pessoas por meio de um smartphone.

Na prática, para “godblessear” – ou seja, abençoar alguém virtualmente – basta baixar o GodBlessYoo (grátis e disponível para Android ou IOS), tirar ou escolher uma foto da galeria e, em seguida, decidir qual sinal vai utilizar (uma cruz, um coração ou um peixe – ictus – símbolo dos cristãos). A partir daí, o aplicativo ensina, de maneira muito intuitiva, o caminho das pedras para que o usuário realize, com o dedo sobre a tela, o simbolismo da benção. A foto ganha um logotipo e o sinal escolhido, indicando que ela foiabençoada.

Depois, é só sair distribuindo as “e-bênçãos”. O compartilhamento da foto “godblesseada” (ou seja geolocalizada e certificada), pode ser feito por meio das redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, Google+, LinkedIn etc), MMS ou e-mail. A imagem pode ser, ainda, arquivada na BlessBox. É ou não é um aplicativo “do bem”?

“O objetivo do Godblessyoo é unir as pessoas, criar laços sociais por meio do envio de mensagens de amor, positivas e afetuosas nestes tempos difíceis. Abençoar não é algo reservado aos líderes religiosos; cada um de nós pode fazer o mesmo, desejando paz e espalhando o bem às pessoas que amamos”, explica o pai do projeto, o francês Sébastien Poncelet, 40.

Segundo ele, outros sinais ainda estão sendo desenvolvidos para eventos especiais (fitas, filtros, paz e amor, etc). Ex-gerente de comunicação em uma empresa francesa, ele largou tudo para investir na ideia e acredita que seu aplicativo vai criar uma demanda, até então, inexistente. Preocupado em passar longe dos estereótipos religiosos considerados ultrapassados, Sébastien trabalhou para criar um conceito diferente, moderno e aberto a todos os que desejam exercitar sua espiritualidade, praticantes ou não de uma religião.

Sua próxima missão é apresentar o aplicativo ao Papa Francisco, conhecido por acreditar nas redes sociais como um excelente meio de evangelização, sobretudo de jovens.

O GodBlessYoo já deu o que falar na imprensa francesa, sendo tema de reportagem em mídias das mais variadas, desde o popular Le Parisien, passando por jornais religiosos, como o La Croix até o satírico Charlie Hebdo. Programas de TV variados e de grande audiência também falaram sobre o aplicativo inovador.

Para Sébastien, o mundo é o limite quando o assunto é propagar boas vibrações e o seu desejo é que o planeta todo possa godblessear em breve. A largada já foi dada: além da França e do Brasil, GodBlessYoo está sendo utilizado nos Estados Unidos, no Reino Unido, no Canadá e na Austrália. O objetivo: 20 milhões de usuários até 2020, o que prova que conquistar o resto do mundo é uma questão de tempo. E de fé.

Fonte: Valeria Lima – Com’ Brésil

A experiência do usuário em primeiro lugar!

Coloque a experiência do usuário no topo da lista de prioridades

por Karin Lublin*

Os smartphones tornaram as pessoas mais conectadas entre si e com as várias possibilidades de empresas e serviços. Mas, por outro lado, desenvolveram um novo comportamento que exige das companhias mudanças contínuas em diversos aspectos do negócio.

Tendo tudo na palma da mão e cada vez mais pressa, as pessoas não estão mais dispostas a esperar, por isso, o tempo passou a ser determinante na experiência. Se antes aguardar seis segundos para um site carregar era normal, hoje um segundo já faz a diferença entre ficar ou sair de uma página.

Então, não basta ter um portal atrativo, cheio de funcionalidades e design, e uma comunicação bem estruturada para captar a atenção do potencial cliente e fidelizar a audiência. Muito mais importante e decisivo é entender com quem você se comunica e quais são os gostos, desafios, problemas e inquietudes desse público, para que a sua empresa possa ofertar a solução mais acertada, aquela que fará o consumidor se decidir de imediato. Essa tendência, que está fazendo companhias em todo o mundo se tornarem mais competitivas e distribuírem os investimentos assertivamente é a UX, ou User Experience (experiência do usuário).

As companhias que querem ter negócios online precisam entender muito bem como proporcionar a melhor experiência ao usuário para alcançar o sucesso, que deve refletir não apenas na relação com o consumidor, mas também nas métricas mais importantes.

As maiores referências em vendas online já perceberam o valor da UX. A Amazon, por exemplo, uma das maiores no segmento de tecnologia, descobriu que 100 milissegundos de atraso no carregamento do site reduzem em 1% a receita. Assim, conseguiu aumentar em 2% a receita depois de elevar em 500 milissegundos o carregamento de suas páginas. Já o Walmart, em análise de 2012, constatou que quando o tempo de carregamento do site varia entre 1 e 4 segundos, a taxa de conversão cai consideravelmente. Por outro lado, a cada 1 segundo a menos no load das páginas, a taxa de conversão aumenta em 2%.

E não é só o tempo de carregamento. Os caminhos para encontrar as soluções também são extremamente importantes para que o cliente consiga chegar rapidamente ao que procura e precisa. A UX exige que a empresa esteja comprometida em aprender e conhecer como as experiências digitais podem se desenvolver da melhor maneira para o público que se pretende impactar.

Se a companhia ainda não tem um site ou aplicativo, a experiência do usuário deve ser pensada desde o início, com base no estudo do comportamento da audiência. Mas se o portal já está em funcionamento – hoje a realidade de praticamente todas as empresas -, o caminho é buscar melhorias, seja por meio de testes gratuitos de navegabilidade disponíveis na internet ou com o suporte de uma empresa especializada, que te ajudará a descobrir as diversas variáveis que impactam sua marca para identificar como melhorar a web performance, reduzindo o tempo de navegação, aprimorando a experiência nas páginas e diminuindo a taxa de abandono, por exemplo.

Como toda quebra de paradigma, o início da adoção da UX pode não ser tão confortável. É preciso fazer testes para achar um caminho que corresponda realmente ao que o usuário quer, e não ao que você pensa que ele pode querer.

É um trabalho contínuo, que exige renovações frequentes, testes AB e atenção às novas possibilidades de mercado quanto a modelo, desempenho e identificação de uso do usuário. A novidade do momento neste universo é a personalização, onde a comunicação da empresa com seus consumidores precisa ser pensada de forma a tornar o cliente agente, entendendo que é ele quem comanda a navegação.

É preciso entender que tudo é digital. Se antes os clientes guardavam as experiências com as marcas para si, hoje compartilham nas redes sociais e são capazes de levar a mensagem para milhares de pessoas em todo o mundo. Saber como impactar positivamente essas pessoas com as suas ofertas e com web performance é o que determinará o sucesso dos seus negócios.

*Karin Lublin é especialista em User Experience (UX) na Exceda, líder na América Latina em soluções de segurança e web performance e representante da Akamai.

Fonte: Grupo RMA

Saiba mais sobre Youtube TV

Tudo o que você precisa saber sobre o Youtube TV

O novo serviço da Google para o Youtube surge com a ideia de competir com a TV a cabo atualmente, substituindo a TV por assinatura na sua sala. A ideia do serviço é ter uma plataforma de televisão com transmissão ao vivo, em que o usuário pode assistir o que quiser, onde quiser, a hora que quiser. Umas das diferenças entre a TV a cabo e esse serviço é que tudo isso poderá ser feito por meio de um aplicativo. Muito mais fácil e prático para os usuários.

Ficou curioso ? Vem cá, olha esse infográfico bacana que preparamos especialmente para você saber mais sobre esse serviço.

Fonte: Seven Care BR – Seven Care BR