O futuro da TV Conectada

TV, TE VI: o futuro é conectado

Por Rafael Pallarés, General Manager da Telaria no Brasil*

Fico pensando sobre Assis Chateaubriand em 1950, quando fundou o primeiro canal televisivo no Brasil, a TV Tupi. Por muitas décadas o princípio “dessa televisão” era ser um receptor, ou seja, uma caixa que transmite conteúdo vindo de outros lugares. Depois de alguns anos, os nossos hábitos de audiência evoluíram, principalmente depois do advento do cabo nos anos 1970. Esse progresso não parou, lembro que passamos por alguns formatos, até chegar nos modelos de distribuição de streaming e over-the-top (OTT, qualquer app ou website que entrega conteúdo em streaming via internet), que também é conhecido por um termo genérico para descrever o que a TV se tornou: TV avançada, que representa a convergência da TV tradicional com o streaming de vídeo fornecido por plataformas OTT e TVs conectadas.

Foto: Pixabay

Essa evolução é tão evidente que o consumo de televisão com hora marcada está morto! Isso mesmo, morto, pelo menos entre Millennials (nascidos após 2000) e a GenZ (os nativos digitais nascidos em meados da década de 90), que em alguns poucos anos vão comandar o mercado de consumo. Os jovens de 18 a 34 anos já dedicam 24% do tempo de consumo de TV nos Estados Unidos a TVs conectadas, em comparação a 10% entre toda a população adulta, de acordo com estudo recente da Nielsen. Eles esperam assistir o que eles querem, quando eles querem e da forma que eles querem. Isso mesmo, estamos falando de streaming, de VOD (vídeo por demanda).

E essa mudança de comportamento está recriando a indústria de mídia, produzindo novos modelos de negócio. A Netflix, com seu investimento de US$ 8 bilhões, é o exemplo mais proeminente, mas há outras dezenas de bilhões sendo investidos em produção de conteúdo para streaming por empresas como Hulu, Amazon e Apple, além de fusões multibilionárias, derretendo e recriando modelos que nascem da intersecção de mídia, ad tech e telco a se sucederem. Disney e Fox, AT&T e Warner Media são casos recentes, e a evolução da Roku, de um hardware para o consumo de vídeo para um ecossistema de conteúdo, distribuição e publicidade segmentada é outro exemplo da transformação pela qual a indústria está passando.

No Brasil, que tem enorme tradição com TV, a tendência não é diferente. E mais, a receptividade a anúncios nos torna um mercado de alto potencial para um futuro AVOD (ad-based video on demand). Um estudo recente da Telaria com painéis em cinco países, incluindo o Brasil, mostra que somos o mercado que mais bem aceita a publicidade como uma troca para acessar conteúdo de qualidade. A única coisa que não dá para esquecer é que Millennials e GenZ toleram – até gostam da publicidade e a tratam como Conteúdo – mas desde que ela seja relevante e altamente personalizada. O que é boa notícia, pois as TVs conectadas reúnem o melhor dos dois mundos, a experiência lean back de consumo de vídeo associada às possibilidades de segmentação do ambiente digital, com 100% de viewability e 95% de completion rate (taxa de conclusão de vídeo), já que é non-skippable.

Imagem: Pixabay

Então, quem diria, a TV está mais viva que nunca. O que muda é a forma de ver. O OTT cresceu 200% em audiência no mundo nos últimos três anos, e muitos produtores de conteúdo premium estão surfando a onda. No Brasil, onde TV linear, tradicional, tem qualidade e um alcance gigantesco ainda há muito espaço para convívio amigável entre o que foi e o que será.

Mas o ambiente para o streaming já existe, e as oportunidades para os produtores de conteúdo de conquistar audiências e para as marcas de conversar com seus públicos já está aí. E você, não vai aproveitar essa oportunidade? Recomendo você dar o play, não perca tempo.

*Rafael Pallarés, General Manager da Telaria no Brasil, é especialista em Ad-tech, Marketing e Mídia com foco em publicidade programática, streaming de vídeo e TVs Conectadas.

Três passos para as empresas engajarem o público certo e venderem mais na internet

Especialista em audiência na internet, Samuel Pereira explica como atrair a atenção do público mesmo com a avalanche de informações

Existe uma forma totalmente nova de se comunicar com a audiência através da internet. Segundo o especialista Samuel Pereira, autor do livro “Atenção: o Maior Ativo do Mundo” e criador do Segredos da Audiência, maior evento de tráfego e audiência da América Latina, a forma como as pessoas lidam com a propaganda mudou. “Elas preferem ir atrás da informação quando precisam dela, em vez de serem interrompidas por propagandas que não pediram para ver”, alerta.

Samuel Pereira

Para ajudar os empreendedores e profissionais responsáveis por marcas e empresas a compreenderem como captar a atenção do público e transforma-lo em cliente, Samuel desenvolveu o conceito de Jornada do Engajamento, este material está presente em seu livro que já chegou à lisa dos mais vendidos. “Os três passos da jornada do engajamento ajudam a construir uma trilha com muito mais chances de fazer a audiência estar com você a escolher contratar seus produtos ou serviços”, completa Samuel, que destaca a importância de conquistar o interesse das pessoas com algo de valor em vez de apenas interromper o conteúdo que estão consumindo. “A ideia é que as marcas e empresas não tenham que correr atrás do cliente, mas sejam encontradas quando ele precisar do seu serviço”, completa, antes de listar os passos.

1- Atração do interesse:

O primeiro passo é definir o público-alvo e se tornar um verdadeiro especialista em interpretar suas dores e desejos. “O empreendedor tem que saber explicar o problema do seu público-alvo melhor do que ele mesmo”, sugere. Assim, o cliente em potencial automaticamente percebe que pode encontrar a solução para o problema. “O segredo é focar em uma comunicação para gerar identificação, trazendo características que fazem parte desse público, como a linguagem, os desenhos e os problemas, assim o consumidor vai sentir que é este o produto ou serviço que vai ajudá-lo”.

2- Doutrinação:

Ao contrário do que muitos fazem na internet, o conteúdo não deve ser composto apenas de dicas soltas. “O que as marcas ou especialistas produzem deve seguir uma lógica que leve as pessoas até o que vai ser oferecido depois”, enfatiza. Ao fazer assim, o conteúdo irá ter um objetivo na jornada do cliente. “A ideia é usar o que é ensinado para reforçar a importância do produto ou serviço que você oferece”, completa.

3- Conversão:

Por fim, deve-se oferecer o produto ou serviço que soluciona um ou mais problemas do público-alvo. “As marcas devem oferecer ao seu cliente não o meio, mas o fim, ou seja, a transformação que ele terá ao adquirir o produto ou serviço”, ensina. Um exemplo é quando se vende um produto para cabelos: a venda deve se preocuparem oferecer cabelos mais bonitos e saudáveis, e não apenas um creme. “O segredo é vender o resultado que ele terá com o serviço, método ou produto”, completa Samuel Pereira.

Definir esses três passos é fundamental para que a audiência seja alcançada no momento certo, preparada para consumir o produto, e entenda os motivos pelos quais deve comprá-lo.

Sobre Samuel Pereira

Samuel Pereira, é publicitário, empresário, especialista em tráfego e audiência na internet e criador do Segredos da Audiência Ao Vivo, o maior evento de tráfego e audiência do mundo, que em sua última edição reuniu mais de 3 mil pessoas. Concentra o seu trabalho em ajudar empreendedores a criar negócios online sustentáveis a longo prazo, por meio de estratégias de tráfego e audiência que não dependam das constantes mudanças de regras das redes sociais, atraindo um público extremamente qualificado e capaz de gerar resultados. É ainda, autor do livro “Atenção: o maior ativo do mundo – o caminho mais efetivo para ser conhecido, gerar valor para seu público e ganhar dinheiro” e co-autor de “Negócios Digitais”.

Fonte: Sigma Six Comunicação Integrada – Taiana Bueno

Adobe é a primeira a oferecer dados analíticos para áudio offline e online

Adobe Analytics Cloud permite que as marcas obtenham mais informações sobre podcasts, streaming de música e livros digitais

 No Adobe Summit, realizado em Las Vegas agora em março, a Adobe revelou seu Analytics para streaming de áudio. Pela primeira vez, as marcas poderão obter informações detalhadas sobre o áudio online e offline. Parceira das dez maiores marcas de mídia e entretenimento, como CBS Interactive, Pandora, Spotify, Time Warner e Viacom, a Adobe Analytics Cloud permite que as marcas entendam como o ouvinte interage com podcasts, streaming de músicas, audiolivros e muito mais, no fim das contas, isso as ajuda a tomar decisões mais bem informadas para oferecer a melhor experiência ao cliente. O Adobe Analytics mede a batida e a monitora em tempo real fornecendo um nível avançado de insights sobre o streaming, o que permite que as marcas obtenham métricas essenciais.

“Com um mercado lotado e a possibilidade de ouvir áudios a qualquer hora e em qualquer lugar, as marcas geralmente ficam no escuro quando se trata de entender como o áudio é consumido. Os profissionais de marketing basicamente chutam o orçamento”, disse Jeff Allen, diretor de marketing de produtos, Adobe Analytics Cloud. “Nenhuma outra solução de dados analíticos permite esse nível de insights para podcasts, streaming de áudio e livros digitais”.

Os novos recursos de áudio na Adobe Analytics Cloud incluem:

Entenda os ouvintes: as marcas podem mensurar se um ouvinte terminou o podcast ou o audiolivro, se um anúncio foi ignorado, quando a entrega ocorreu e como erros (buffering, por exemplo) afetam a experiência, tanto para áudio baixado quanto áudios transmitidos ao vivo. A Adobe também permite que as marcas mensurem o conteúdo de áudio em todos os dispositivos e se um podcast ou audiolivro for ouvido em diferentes dispositivos. Com o Audience Marketplace do Adobe Audience Manager, as marcas podem se conectar a fontes de dados secundárias e de terceiros para entender o comportamento do usuário em marcas parceiras ou para avaliar a localização, a demografia ou a psicografia do público-alvo. Essas informações ajudam os editores de áudio com recomendações, decisões de publicidade e programação, levando a uma melhor experiência do consumidor.

Garanta a melhor experiência de áudio: com tantas opções de conteúdo, os consumidores podem rapidamente mudar de ideia, especialmente se a experiência não atingir o padrão esperado. Por meio do Adobe Sensei, a estrutura de IA ​e de machine learning da empresa, o Adobe Analytics alerta a marca quando uma anomalia está ocorrendo, como buffering muito demorado, e monitora o tempo entre o clique e a inicialização do áudio.

Gere receita na entrega: ao capturar as escolhas de conteúdo e os comportamentos dos ouvintes, as marcas podem segmentar melhor os anúncios para os consumidores e fornecer uma experiência de áudio personalizada para garantir que os ouvintes permaneçam engajados. As marcas podem mensurar os anúncios que os ouvintes iniciaram e concluíram, se houve uma desistência, e quais os pontos ideais para o anúncio no áudio. Com o Adobe Audience Manager, as marcas podem monetizar seus ativos de dados no Audience Marketplace e distribuir seus públicos-alvo em canais de entrega de conteúdo e de entrega de anúncios centrados em dispositivos móveis em todo o ecossistema de publicidade e marketing.

Acelere o carro conectado: para fabricantes de automóveis e desenvolvedores de aplicativos para carros, o Adobe Analytics garante a personalização e recursos de anúncios, propiciando às marcas a capacidade de oferecer experiências únicas no carro. Playlists personalizadas, recomendações de rota e anúncios de áudio podem ser usados para recomendar e exibir diferentes tipos de conteúdo. As marcas também podem ser alertadas instantaneamente se uma interação de voz do carro falhar.

Fonte: RMA Comunicação – Alisson Costa

eSports: descubra mais sobre este mundo de gente grande

Brasil está em 3º lugar em audiência global dos torneios de esportes eletrônicos

A Comic Con Experience (CCX), evento de origem britânica com o intuito de reunir os fãs de quadrinhos, vem crescendo no Brasil desde sua primeira edição em 2014, que recebeu 97 mil pessoas para as mais 200 mil esperadas para a edição de 2017. Encerrada neste domingo dia 10, a atração é recomendada a todos que se interessam pelo mundo geek e pop.

Além dos quadrinhos, os visitantes também se deparam com outras atrações relacionadas, como roteiristas, quadrinistas e até atores internacionais de grandes séries e filmes. Além disso, o evento também abre espaço para os gamers e o mercado de eSports, este tão promissor que aos poucos vem conseguindo lugar em mídias mais tradicionais, como a televisão.

Os esportes eletrônicos mostram a seriedade de um mercado consolidado: em 2016 o faturamento global chegou aos 493 milhões de dólares, e expectativa de alcançar 696 milhões de dólares em 2017, com a previsão de crescimento de 41,3% ao ano, chegando aos 1.488 bilhões de dólares em 2020, segundo a consultoria Newzoo.

O Brasil já é considerado o 3º maior em audiência de torneios de eSports no mundo, ficando atrás da China e Estados Unidos, com estimativa de 11.4 milhões de espectadores entusiastas em 2017. Estes torneios abrem oportunidades não somente com a venda de produtos e ingressos, mas também para patrocínios e propaganda direta entre as desenvolvedoras dos jogos e os atletas, que contam com um grande preparo por trás de suas trajetórias. No Brasil já há espaços dedicados aos expectadores dos jogos casuais e torneios eletrônicos, além de contar também com o treinamento dos jogadores profissionais, as chamadas Gaming Houses.

A consultoria também aponta que no Brasil o eSport mais popular entre os jogadores é League of Legends, representando 31% dos pesquisados, seguido por Counter Strike, (21%). League of Legends, ou LoL para os fãs, teve o campeonato (World Championship) que gerou a maior receita em 2016, 3 milhões de dólares.

Veja mais alguns dados no infográfico preparado pelo CupoNation, plataforma de descontos online pertencente ao Global Savings Group. Conheça os streamers com o maior número de seguidores e outros dados do gigante mercado dos esportes eletrônicos.

Fonte: Global Savings Group – Luciana Saiuri

IVC e AAM firmam parceria

IVC e AAM estabelecem aliança global para combate de fraude digital e promoção de informações seguras

Duas das principais auditorias independentes de mídia do mundo se unem para formar a Aliança Global para Confiança Digital

unnamed (2)

A Alliance for Audited Media (AAM), dos Estados Unidos, e o Instituto Verificador de Comunicação (IVC) acabam de firmar parceria para criar a Aliança Global para Confiança Digital. O convênio entre duas das principais auditorias independentes de mídia do mundo será dedicado a ajudar o segmento a lidar com fraude em publicidade on-line, tráfego inválido, visibilidade de publicidade on-line e transparência de métricas e práticas de publicidade digital para ajudar os anunciantes, agências e empresas de mídia a negociar com maior confiança e segurança.

Os órgãos americano e brasileiro de auditoria são respeitados internacionalmente com profundo conhecimento nos meios de comunicação e publicidade digitais. Com esta nova parceria, estão se alinhando para padronizar técnicas e melhores práticas de auditoria digitais, desenvolver conjuntamente tecnologias e ferramentas de verificação e compartilhar recursos e conhecimentos globais personalizados para os mercados locais.

A natureza internacional da mídia digital – com seus lados positivos e negativos intrínsecos – é uma razão fundamental para a formação da aliança. Padrões e métricas podem variar ligeiramente de país para país, mas as questões de responsabilidade, transparência e fraudes avançam pelas fronteiras. AAM e IVC percebem muitas questões comuns em sua atuação e esta aliança é uma forma de unir forças para compartilhar soluções comuns para os editores, profissionais de marketing, agências de publicidade e plataformas tecnológicas de publicidade.

O primeiro produto desenvolvido no âmbito da parceria é chamado de Site Certifier, que fornece, em tempo real, verificação independente das métricas mensais de audiência digital dos editores conforme medido por ferramentas de web analytics como Google Analytics ou Adobe Analytics. O produto, inicialmente desenvolvido pelo IVC no Brasil, verifica independentemente medidas importantes de navegação na web, seja em computadores, smartphones ou tablets, ajudando os editores a fornecer aos anunciantes medições de mídia multiplataforma, constatadas de forma destacada por auditores digitais confiáveis. Os dados são consolidados nos respectivos bancos de dados do IVC e da AAM para ajudar anunciantes e agências no planejamento de seus investimentos em mídia digital. O serviço está atualmente disponível pelo IVC no Brasil e a AAM espera lançá-lo no primeiro trimestre de 2016 nos EUA e no Canadá.

man-792174_960_720

Os parceiros também estão desenvolvendo soluções técnicas adicionais para lidar com algumas das questões atualmente mais polêmicas da publicidade digital. Um novo serviço planejado para 2016 ajudará a publicidade a monitorar campanhas digitais em tempo real prevenindo fraudes, tráfego inválido de robôs, impressões visíveis (viewability) e segmentação de campanhas. Outro produto futuro lidará com o bloqueio de publicidade, permitindo que os editores possam contabilizar acessos ao seu site feitos com software de bloqueio de publicidade instalado.

Com isso poderão entender melhor este impacto no seu negócio e tomar decisões balizadas em relação ao conteúdo e a estratégia de publicidade.

Por meio da parceria, ambos os órgãos continuarão a promover e apoiar padrões desenvolvidos pelos Media Rating Counsel (MRC), Interactive Advertising Bureau (IAB), Mobile Marketing Association (MMA) e Trustworthy Accountability Group (TAG). Esses padrões consensuais da publicidade cobrem uma série de recomendações para a medição publicidade, programas antifraude e antipirataria e transparência em torno das práticas de publicidade digital, incluindo compra de mídia programática.

A Aliança Global para Confiança Digital será aberta seletivamente para outras organizações internacionais de auditoria que compartilhem missão e objetivos comuns e desejem colaborar com AAM e IVC na garantia de melhores práticas, padrões e técnicas digitais.

A informação auditada da AAM e do IVC é amplamente demandada pela indústria da publicidade como uma fonte independente e confiável para o planejamento e investimento em canais de mídia premium. Como exemplo, as informações AAM estão inseridas em um sofisticado banco de dados on-line, o Media Inteligence Center, que é amplamente utilizado por anunciantes, agências de publicidade e editores norte-americanos. Esta informação auditada também é difundida pelos principais fornecedores da indústria, como Gfk MRI e Kantar Media SRDS, distribuído diretamente para muitas agências de publicidade importantes e para os anunciantes. Ao todo, os dados da AAM são consultados ou visualizados mais de cinco milhões de vezes por ano.

A informação do IVC está disponível por intermédio de um banco de dados on-line que inclui ferramentas personalizadas, como o MediaPlanner, TotalView e TotalReaders, com gráficos personalizáveis e visualizações de dayparts e geolocalização. Esta informação auditada é utilizada pelos editores auditados e por mais de 270 agências filiadas ao IVC.

Sobre a AAM – A Alliance for Audited Media (AAM) é uma organização representante da indústria sem fins lucrativos fundada pela Associação Nacional dos Anunciantes para garantir a transparência e a confiança da mídia. A AAM fornece serviços de verificação independente e de informação para milhares dos principais editores, anunciantes, agências de publicidade e plataformas tecnológicas de publicidade para facilitar o planejamento, compra, venda e entrega de mídia tradicional e digital. A organização também é uma das fornecedoras mais experientes da indústria de auditoria de certificação de tecnologia em relação às normas estabelecidas pelo Media Rating Council, Trustworthy Accountability Group, Interactive Advertising Bureau e Mobile Marketing Association. Visite o site da AAM para saber mais (http://auditedmedia.com/).

Sobre o IVC – O IVC é uma entidade nacional sem fins lucrativos responsável pela auditoria multiplataforma de mídia. Seu objetivo é fornecer ao mercado dados isentos e detalhados sobre comunicação, incluindo tráfego web, tanto de desktops quanto de smartphones, tablets e aplicativos, bem como circulação e eventos. Para isso, conta com plataforma única que interliga números de diversas audiências às agências mais importantes de todo o País. A entidade é composta por representantes de anunciantes, agências de propaganda e editores. IVC Brasil – A verdade allmedias. Para mais informações sobre o IVC Brasil acesse: www.ivcbrasil.org.br.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone

TVxtender anuncia duas novas contratações para área comercial

Profissionais reforçarão a equipe comandada por Sergio Kligin

O TVxtender, veículo de distribuição de mídia digital para campanhas de vídeo pertencente à ROIx, anuncia a contratação de Patricia Abrell e Gabriel Toledo. Ambos profissionais chegam para reforçar a área comercial comandada por Sergio Kligin.

Patricia tem passagens por importantes empresas e agências como General Motors e IProspect. Ela assume a posição de Client Service Manager. Já Toledo, que esteve recentemente no Portal Terra, atuará na área de Atendimento e Pós-Vendas como Account Manager.

“O TVxtender está cheio de talentos e esses profissionais chegaram para enriquecer ainda mais nosso time. Eles reforçam os atributos que diferenciam nossa empresa por meio do comprometimento com resultados e foco exclusivo no cliente”, destaca Sergio Kligin, Head Commercial do TVxtender.

xt

Sobre o TVxtender: O TVxtender é um veículo de distribuição de mídia que busca estender uma campanha de TV para os principais portais e sites da internet brasileira. Idealizada e gerenciada pela ROIx, empresa pioneira em gestão de dados e audiência no País, a plataforma de vídeo trabalha 100% direcionada à compra de mídia por audiência. Com mais de 94 milhões de usuários a plataforma de vídeo possibilita que a entrega do conteúdo publicitário seja realizada de forma precisa, ou seja, somente para o púbico que deve ser impactado. Com o objetivo de aperfeiçoar o alcance das campanhas publicitárias desenvolveram metodologia denominada Video Extension Strategy (V E S), que se propõe a estudar o ponto ótimo dos meios de comunicação que compõe um plano de mídia e busca oportunidades de redimensionar investimentos, assim, potencializando a entrega e resultados. Para gerar segurança e qualidade ao mercado anunciante o TVxtender trabalha com a ferramenta OCR da NIELSEN, que comprova, por meio de relatórios auditados, a assertividade da campanha em relação ao target definido.

Fonte:Lucia Faria Comunicação Corporativa – Tatiane Oliveira

Rádio bate a TV

Essa vem direto do AdNews

Em SP, rádio tem o dobro de audiência da TV pelas manhãs

Pela manhã, num período que vai das 6h ao 12h, o rádio apresenta o dobro da audiência da TV aberta na média de todos os dias da semana, segundo informa uma pesquisa da Ipsos Brasil feita para a Jovem Pan e divulgada pelo site Notícias da TV.

Na faixa de horário analisada, o rádio tem 1,815 milhão de ouvintes por minuto na Grande São Paulo, enquanto a soma da Rede Globo, SBT, Record e TV Canção Nova resulta em 886 mil telespectadores por minuto.

Das 12h às 14h, as FMs contabilizam 1,604 milhão de ouvintes. Já à noite é dominada pela televisão. Os canais abertos somam 5,6 milhões de telespectadores, contra 1,152 milhão do rádio. No horário, a maioria da audiência vem de ouvintes no carro e que sintonizam as emissoras pelo celular.

Fonte: http://www.adnews.com.br/midia/em-sp-radio-tem-o-dobro-de-audiencia-da-tv-pelas-manhas