Agilidade e conveniência do áudio explicam sucesso do Clubhouse

Nova rede social utiliza a voz, meio de interação entre pessoas e equipamentos em ascensão no mundo todo. Apesar de já ter se tornado um fenômeno, a novidade ainda deixa perguntas em aberto

Imagine entrar numa sala virtual e ouvir, ao vivo, personalidades como a apresentadora americana Oprah Winfrey ou o todo poderoso do Facebook Mark Zuckerberg conversando ao vivo com os ouvintes. Com usuários de peso, como personalidades do Vale do Silício e celebridades brasileiras como Anitta, Luciano Huck, e Felipe Neto, o Clubhouse é a rede social do momento e está agitando o cenário virtual. Lançada em abril de 2020, nos dois primeiros meses de lançamento, contava com cerca de 1.500 adeptos e era avaliada em U$ 100 milhões. Em janeiro de 2021, após nova rodada de investimentos, alcançou U$ 1 bilhão em valor de mercado e estima-se que já possua mais de 6 milhões de usuários. No Brasil, as buscas pelo Clubhouse cresceram 525% entre 30 de janeiro e 6 de fevereiro, se comparado com a semana anterior, ultrapassando o TikTok no interesse de buscas no mês de fevereiro.

Qual o segredo para tanto sucesso? O Clubhouse é uma plataforma de voz. O aplicativo tem uma vasta quantidade de rooms ou salas de bate-papo, limitadas a 5 mil ouvintes e organizadas por segmentos como talk shows, podcasts, networking, música, filmes, relacionamento e tantos outros. O usuário entra e escolhe uma sala para trocar uma ideia com os contatos que possui ou então apenas para ficar ouvindo outras pessoas falarem sobre o tema de sua preferência. De acordo com o especialista em inteligência artificial aplicada à voz e CEO da PhoneTrack, Marcio Pacheco, a ascensão da voz pode explicar o sucesso da nova rede social. “Desde sempre, a voz é um poderoso instrumento de comunicação e interação entre as pessoas, mas, de uns tempos para cá, ela ressurgiu com força total. Falar é mais conveniente do que escrever. A gente fala até sete vezes mais rápido do que escreve, e podemos falar ou escutar enquanto realizamos outras tarefas, como andar e dirigir; já escrever é quase uma monotarefa”, afirma Pacheco.

Para ele, o comportamento do consumidor e de usuários das redes sociais já vinha dando sinais claros de que a voz voltaria a ser o principal canal de interação entre pessoas e equipamentos. “A vida moderna está sempre acrescentando um ritmo mais acelerado à rotina das pessoas. Além disso, as novas gerações são cada vez mais multitarefas. Os smart speakers nos mostram como é fácil fazer buscas por voz e consumir conteúdo e informação dessa forma. Interagir com outras pessoas por meio da voz também está se mostrando muito mais prático. Todo esse contexto tornou o terreno fértil para o surgimento de uma rede social como o Clubhouse”, ressalta o especialista. Segundo Pacheco, o conceito veio para ficar e está abrindo espaço, inclusive, para que outras plataformas com a mesma proposta possam surgir. “Uma rede dessas, na nossa visão, vem para fortalecer aquilo que a gente acredita que é o futuro da comunicação entre as pessoas: menos tela e mais interação por voz”, acrescenta.

O presidente da Abradi/PR (Associação Brasileira de Agentes Digitais) e professor da pós-graduação em Mídias Digitais da Universidade Positivo, Ney Queiroz, concorda que uma rede social exclusiva para áudios seja mesmo uma tendência e destaca alguns pontos interessantes sobre a nova plataforma. O primeiro deles é que, por restringir a participação dos usuários apenas à voz e áudio, ela elimina a exposição da imagem, dando à quem fala uma liberdade e conforto muito maiores. Outro ponto destacado por Queiroz está ligado ao conteúdo do que está sendo falado. “Esse início de experiência na nova rede já nos mostrou que o conteúdo que está proposto ali é o mais importante e ele precisa ser muito bom, porque não há mais nada para prender ou desviar a atenção, não tem uma imagem, por exemplo. Em outras redes sociais, o visual complementa a mensagem – mas pode também desviar o foco do conteúdo principal”, explica. Segundo Queiroz, esse novo conceito é muito bom para quem busca conteúdo mais aprofundado.

O especialista em mídias digitais acredita que o caminho aponta para uma segmentação das redes sociais. “O Clubhouse não vai acabar com o Instagram ou com o Twitter; as redes sociais se complementam e elas vêm para preencher lacunas deixadas pelas outras redes. Com o tempo, acabam fidelizando públicos diferentes e com objetivos diferentes. O TikTok é um exemplo disso. A rede surgiu com foco e público alvo específicos – quem quer fazer vídeos de danças com músicas inusitadas vai para o TikTok. Agora, quem quer discutir política, postar fotos, ver a família e amigos, busca outras redes”, ressalta Queiroz.

E como controlar o que é dito?

O presidente da Abradi/PR afirma que ainda não é possível saber como vai ser a política de monitoramento e qual o trabalho que os criadores da plataforma terão para fazer um controle sobre os conteúdos e o que é falado ali. “Ainda é cedo para saber como e se isso será feito, até que ponto uma curadoria nesse sentido vai funcionar. Não sabemos como será, por exemplo, se surgir uma sala com tema ou conteúdo voltado para uma prática criminosa, ou para disseminação de ideias como racismo. Como a rede social vai se comportar? O fato é que hoje há uma liberdade muito grande, qualquer um pode criar uma sala, propor temas, tudo de forma muito aberta e democrática”, destaca.

Outras dúvidas são levantadas pelo Chief Marketing Officer (CMO) do Banco Bari, Ricardo Sanfelice. Ele lembra que, neste início, a rede social é gratuita e ainda não se falou em um modelo de monetização. “Não se sabe se a moderação das salas num futuro poderá ser patrocinada, ou se os temas serão dirigidos e sugeridos pelo algoritmo conforme interesses dos patrocinadores”, alerta. Sanfelice destaca também que o Clubhouse é uma rede social de topo de pirâmide, já que, inicialmente, está reservada apenas a usuários do sistema IOS (IPhone), tornando o público da classe A majoritário dentro da plataforma. “As temáticas e o foco principal de quem está por lá também acabam influenciados por essa segmentação, voltando o Clubhouse fortemente para o lado business”, aponta.

Para Sanfelice, isso já impõe à nova rede um desafio: o da massificação. “Será que o Clubhouse vai conseguir gerar conteúdo que seja atrativo para todas as classes sociais? Depois que passar esse início estrondoso, será que vai continuar em alta? E, a partir da massificação, a grande oferta de conteúdo vai exigir um esforço extra para mineração do que mais interessa ao usuário, num universo enorme de temas e salas, o que vai exigir do algoritmo muita habilidade e inteligência para selecionar o que realmente vale”, analisa. Profissional da área de marketing, Sanfelice confessa que estava cético em relação à novidade, mas salienta que o Clubhouse conseguiu explorar muito bem o efeito FoMO – Fear of Missing Out – medo de estar perdendo algo. É uma sensação muito comum em pessoas viciadas em redes sociais. O aspecto de exclusividade fez muita gente correr em busca de um convite. “Ainda existem muitos pontos de interrogação, mas certamente, vale a pena conseguir entrar e provar da novidade”, completa.

Fonte: Central Press

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Inscrições para o 20º Prêmio Recall já estão abertas e irão até 30 de setembro

Esta será uma edição histórica, pois há duas décadas nascia a mais importante premiação publicitária do interior paulista

As inscrições para a histórica 20ª edição do Prêmio Recall de Criação Publicitária já estão abertas e irão até 30 de setembro, ao custo de R$ 190,00 por peça. A mais importante premiação publicitária do interior paulista entregará troféus de ouro, prata e bronze em nove categorias (Vídeo, Impresso, Áudio, Gráfico, Promocional, Packaging Design, Branding Design, Social Media e Social Media Stories), além do troféu de ouro Jack Ronc para a agência que obtiver o maior número de trabalhos no short-list.

As inscrições só podem ser feitas por agências de publicidade com sede no interior ou litoral do estado de São Paulo. A produção e a veiculação podem ser realizadas em qualquer local, mas a ideia tem de ser, comprovadamente, concebida por uma agência do interior ou do litoral. Concorrem trabalhos veiculados ou publicados no período de 1º de setembro de 2019 a 31 de agosto de 2020.

O júri será formado por publicitários renomados das principais agências, produtoras de som e imagem, escritórios de design e veículos da capital escolhidos pela equipe da Recall. Os jurados selecionarão 10% dos trabalhos inscritos em cada categoria, formando, assim, o short-list.

Em 19 anos, agências de todas as regiões do interior e litoral paulistas já participaram do Prêmio Recall, o que demonstra a abrangência e a importância desta premiação, que sempre contou, desde a sua 1ª edição, com um renomado corpo de jurados e o apoio da ABAP (Associação Brasileira de Agências de Publicidade).

No site www.premiorecall.com estão o regulamento completo e a ficha de inscrição. Mais informações podem ser obtidas pelo telefones (16) 2111-7200 e (11) 99313-0642 ou pelo e-mail tatiane@premiorecall.com.

Fonte: Fonte Assessoria de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Pesquisa sobre áudio digital na quarentena

Audio.ad apresenta pesquisa sobre áudio digital na quarentena

Em parceria com a Brandwatch, a unidade de negócios da RedMas analisou as mudanças no comportamento e no consumo do ouvinte em relação à publicidade e às marcas no Brasil durante o isolamento social

A Audio.ad, unidade de negócios da RedMas, realizou um estudo sobre o comportamento do ouvinte digital durante a quarentena. Em parceria com a Brandwatch, a empresa de publicidade em áudio digital aplicou setecentos questionários online em todo o país entre os dias 12 e 26 de junho de 2020.

A pesquisa teve como propósito conhecer o impacto que a quarentena gerou no consumo dos ouvintes brasileiros e entender o papel das marcas e anunciantes na vida do público. Com dados coletados por duas semanas e analisados pela Brandwatch-Qriously, empresa de tecnologia de propriedade da Brandwatch, percebeu-se que 80% dos entrevistados aumentaram ou mantiveram seu consumo de áudio digital neste período apesar da queda de ouvintes no início do isolamento social.

“As pessoas estão vendo cada vez mais valor e dando mais importância para essa mídia. O estudo traz dados bastante relevantes ao mercado de áudio digital. Por exemplo, para 67% dos entrevistados, rádios, podcasts e música são muito importantes na quarentena”, explica Rodrigo Tigre, CEO da Audio.ad.

Em relação à publicidade, grande parte dos entrevistados têm visto sua importância durante esse período conturbado. 91% pensa que a publicidade digital atualmente é igual ou mais importante do que antes da quarentena. O estudo também revela que 60% concorda que as marcas devem continuar a anunciar para aproximar os produtos dos consumidores e que 53% acabou mudando o consumo de marcas habituais devido ao isolamento social.

Image by whoalice-moore from Pixabay

Aproximadamente a metade dos ouvintes buscam apoio das marcas. 48% afirmam que os anunciantes deveriam passar mensagens de conscientização e apoio, enquanto 31% acham que as marcas deveriam manter a comunicação habitual.

Apesar das medidas e distanciamento, muitos continuam fazendo compra através de lojas físicas. O e-commerce teve um aumento significativo. A pesquisa revelou que 26% faz compras em supermercados online, 26% em plataformas de delivery e 15% em lojas online, mas 30% ainda permanece adquirindo produtos em lojas físicas.

Além do consumo de áudio digital e do comportamento de compra, a pesquisa procurou saber quais foram os setores mais afetados, ou seja, produtos e/ou serviços que os ouvintes adiaram por causa do isolamento social. Vestuário aparece em primeiro lugar, com 27%, o segundo lugar é ocupado pelo turismo com 23% e o terceiro lugar traz um empate de eletrônicos e beleza, ambos com 18%. Ocupam o quarto e quinto lugar utensílios domésticos (16%) e automóveis (10%).

Apenas 23% dos entrevistados afirmaram não terem adiado nenhuma compra por causa da quarentena.

Fonte: Comuniquese – Giovanna Ricc

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Entenda os podcasts

Sete dicas para quem quer ingressar no mundo dos podcasts

por Achiles Júnior e Maria Carolina Avis*

A primeira coisa é entender o que é podcast, concorda?

Trata-se de uma nova mídia cujo nome tem sua origem no latim e significa “meio ou caminho”. É utilizada para transmissão de informações, da mesma maneira que a televisão, rádio, revista ou mesmo o jornal. Assim, o podcast pode ser compreendido como uma espécie de programa de rádio, que tem como diferença básica e grande vantagem ser produzido sob demanda específica.

Com ele, é possível acessar, ouvir, curtir e aprender o que quiser e quando considerar mais adequado.

Porém, o tal do podcast tem novos recursos, nasce e cresce com novas possibilidades, novos hábitos de vida e novas formas de utilização. Dessa forma, pode ser entendido como uma nova mídia que tem como finalidade a transmissão de informações. É muito recente em terras brasileiras, onde cresce e pouco a pouco passa a fazer parte de novos hábitos e costumes.

No podcast pode-se usar, ainda, os chamados agregadores, que são aplicativos (SoundCloud, WeCast, Stitcher, Overcast, Feedly, iTunes, Podflix, entre outros). São serviços específicos para usufruir de temas de sua preferência, tais como cultura, esportes, ciência, educacional e política.

Vale lembrar que esse hábito cresce impulsionado pelo aumento do comportamento mobile do cidadão.

Segue, então, algumas dicas para quem pretende ingressar e se destacar no mundo dos podcasts:

Busque relevância

Como esse mercado é relativamente novo, busque a atenção de todos, inclusive de gigantes da indústria. Para se destacar é necessário ser relevante e encontrar algo que você domine, algo que possa agregar à vida das pessoas, que seja valioso e gere conteúdo relevante — aliás, esta última regra é a mais importante.

Nichos de audiência

Ser relevante em um assunto que ninguém se interessa pode ser ainda mais complicado. Sendo assim, encontre seu nicho de audiência. Entenda qual seu segmento e interaja de maneira eficiente.

Marca pessoal forte

Diga “a que veio” e qual seu propósito no meio de tanta gente produzindo conteúdo. Crie uma marca pessoal forte — afinal, não basta ser o melhor profissional, mas continuar desconhecido no mercado, concorda?

Planejamento e organização

Pense em conteúdo, logicamente, mas nunca se esqueça de que um planejamento que vai desde a criação, postagem, até a divulgação de seu podcast é base para o sucesso, ou certamente minimiza o fracasso. Com planejamento, sempre vai funcionar, seja no mundo real ou virtual.

Equipamento

Invista na qualidade dos áudios. Vale adquirir algum equipamento com alto padrão de captação e de som. Que tal um microfone profissional para ter um áudio de padrão de estúdio?

Fidelização

Encontrado seu nicho, as palavras de ordem são: identificá-los, valorizá-los e fidelizá-los. Afinal eles serão os grandes propagadores para o bem ou para o mal em sua caminhada no mundo dos podcasts. Como diz o ditado: as formigas têm megafones.

Participantes convidados

A participação de pessoas relevantes, conhecidas e influentes dentro do segmento de sua atuação é bem-vinda, principalmente no início. Credibilidade vem de influência, premissa nesse mundo novo do qual fazemos parte.

* Achiles Júnior e Maria Carolina Avis são professores de Marketing Digital no Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Página 1 – Lorena Oliva

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vagas para atuar com produção de vídeo

Vaga para Operador de Vídeo

Atividades: Configuração de equipamentos do estúdio, corte em tempo real, orientação aos professores na gravação de videoaulas.

Conhecimentos: Operação de câmera, áudio e iluminação. Adobe Premiere.

Requisitos: Ensino superior completo.

O que irá aprender? vMix

Habilidades: Organização, proatividade, interesse em aprender, senso de estética, senso de urgência, trabalho em equipe, relacionamento interpessoal e trabalho sob pressão.

Local de Trabalho: Caçapava/SP

Horário de Trabalho: Comercial

Salário: a combinar

Benefícios: Convênio médico, vale alimentação, vale transporte, seguro de vida.

Início imediato! 

Vaga para Editor de Vídeo

Atividades: Edição de videoaulas.

Conhecimentos: Adobe Premiere e After Effects.

Requisitos: Ensino superior completo.

Habilidades: Organização, agilidade, criatividade, proatividade, interesse em aprender, senso de estética, senso de urgência, trabalho em equipe, relacionamento interpessoal e trabalho sob pressão.

Local de Trabalho: Caçapava/SP

Horário de Trabalho: Comercial

Salário: a combinar

Benefícios: Convênio médico, vale alimentação, vale transporte, seguro de vida.

Início imediato! 

Enviar currículo para rh.cacapava@saolucas.edu.br

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Novo conteúdo em áudio

Pesquisa sobre universo digital

O nosso conteúdo de áudio dessa semana traz dados de uma importante pesquisa realizada sobre o universo das mídias sociais e as marcas/anunciantes.

Vale muito a pena conferir!

 

Share and Enjoy !

0Shares
0


0

Desta vez o assunto é promoção

Publicitando no rádio aborda promoção

A área de promoção de vendas ou de comunicação promocional é o foco do nosso novo conteúdo em áudio.

Originalmente exibido ontem dentro do programa Panorama da Rádio Unitau, o drops traz definições sobre promoção de vendas e explica um pouco do quadro atual desta área no Brasil.

Confira:

Share and Enjoy !

0Shares
0


0

Novo programete

Mais um

Ontem foi ao ar pela Rádio Unitau, dentro do programa Panorama, mais um drops do Publicitando.

Desta vez o tema foi o desgaste da propaganda tradicional e a necessidade das marcas buscarem novas saídas. Confira:

 

Share and Enjoy !

0Shares
0


0

TecnoMultimídia apresenta novidades da indústria audiovisual

Evento traz o ambiente ideal para quem busca se atualizar sobre as novas tecnologias que impactarão o setor

TecnoMultimídia InfoComm Brasil 2017, maior feira do setor audiovisual, que acontece de 23 a 25 de maio, no São Paulo Expo, irá reunir os principais fabricantes mundiais, assim como distribuidores regionais, nacionais e as mais importantes empresas integradoras no São Paulo Expo.

Voltada ao mercado de sistemas de áudio, vídeo, automação residencial, digital signage e comunicações unificadas, a feira traz para os profissionais da área o ambiente ideal para quem busca se atualizar sobre as novas tecnologias do setor. Entre as empresas já confirmadas estão: Aureside, Arthur Holm/Albiral España, Barco Brasil, Benq Brasil, Casio, Crestron Latin America, Epson, Dealer Tech, Grupo Discabos Brasil, Kramer Electronics Brasil, Milestone AV Technologies, Munddo Distribuidora, Neocontrol, Panasonic Brasil, Ricoh Brasil, SBUS Automação, Shure e Sony Latin America. Veja a lista com todos os expositores no link: http://www.tecnomultimidia.com.br/expositores.html

Os sistemas de projeção estão entre as novidades mais aguardadas. A Casio apresenta seu novo projetor 4K, em primeira mão para o Brasil. A BenQ lança a linha completa de projetores 4K para home cinema, o primeiro no mundo com a tecnologia DLP (Processamento Digital da Luz) e que pode ser desenvolvido sob medida para ambientes residenciais. Mas para quem busca projeções para grandes áreas, eventos e de vídeo mapping, o grande destaque da Epson será a linha profissional Epson Pro L, que incorpora uma fonte de luz laser para uma incrível qualidade de imagem, durabilidade e confiabilidade.

Os visitantes poderão conferir também as soluções de automação residencial e comercial. O Grupo Discabos, apresenta as soluções de automação da SBUS, uma linha cabeada e Wireless com Energy Cloud – sistema de gestão e controle para eficiência energética, e as tecnologias para o mercado AV da ATEN, uma solução para controle de salas de áudio e vídeo, com equipamentos para gestão de energia em racks – PDU.

A Munddo Distribuidora, importadora e distribuidora de sistemas inteligentes para automação residencial e predial, que está lançando o iEAST, sistema para sonorização de ambientes sem fio, compatível com os principais serviços de música online. Em paralelo, a Flex Automation traz a nova linha Hubless, sistema para automação com infravermelho e que não necessita de central para ser comandada por smartphones e tablets.

A feira também apresenta soluções para o ambiente corporativo. AKramer mostra o VIA GO, que permite conexão instantânea para iniciar apresentações com a mais alta qualidade, e o VIA AWARE, que pode exibir até seis telas de usuário em uma principal ou até 12 telas em dois monitores, dependendo do hardware. Além de possibilitar a interação e colaboração entre salas e escritórios, seja em prédios, cidades ou países diferentes, essa tecnologia também pode ser utilizada na área educacional, já que os alunos com acesso remoto podem facilmente participar da turma e colaborar em tempo real com videoconferências e aplicativos de escritório de terceiros.

“A TecnoMultimídia InfoComm é uma oportunidade para os profissionais acompanharem toda a evolução dessa indústria. Além do que está em alta e lançamentos, a feira também conta com fóruns, palestras, programas acadêmicos e seminários”, diz Victor Alarcón, gerente de projetos da feira.

Sobre a TecnoMultimídia InfoComm Brasil

A TecnoMultimídia InfoComm Brasil, organizada pela Latin Press Inc., é a principal feira da indústria de áudio, vídeo, iluminação e sistemas profissionais integrados realizada no Brasil. Realizada pela AVI Latinoamérica e InfoComm International, a feira apresenta aos visitantes os avanços tecnológicos em AVI e reúne os principais fabricantes mundiais, bem como distribuidores regionais e nacionais, incluindo também empresas integradoras. A feira reúne em três dias tudo o que de melhor e mais moderno o mundo audiovisual tem a oferecer. Para mais informações, visite: www.tecnomultimidia.com.br.

Serviço:

TecnoMultimídia InfoComm Brasil 2017

Data e horário: de 23 a 25 de maio (de terça-feira a quinta-feira), das 13h às 20h

Local: São Paulo Expo – Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – Vila Água Funda – São Paulo/SP

Website: www.tecnomultimidia.com.br.

Fonte:Douglas Cruz – Maria Eugenia Lucci

Share and Enjoy !

0Shares
0


0