Marcas ganharam visibilidade na Black Friday 2019

Levantamento mostra quais marcas foram mais procuradas pelos consumidores, nos dias anteriores à Black Friday

A Black Friday 2019 revelou que o consumidor brasileiro está mais atento às marcas que investem na Black Friday, motivo pelo qual ganharam destaque na preferência do público, notadamente as lojas de varejo físicas e digitais. Essa foi uma das constatações do levantamento realizado, em conjunto, pelas empresas Blend New Research e Shopper Experience, pertencentes à holding HSR Specialist Researchers. Desde 11 de novembro, as consultorias monitoraram campanhas publicitárias e ouviram, por meio de painel online, 5.880 consumidores de todas as regiões do País.

De acordo com o estudo, marcas de lojas de varejo foram mais lembradas pelos entrevistados do que as de produtos. Quando perguntados se lembravam de campanhas da Black Friday nos últimos dias, independentemente do tipo, 81% dos respondentes disseram que sim. As lembranças com relação às marcas foram, na ordem: Casas Bahia (citada por 25,19% dos entrevistados), Americanas (25,17%), Magazine Luiza (22,94%), TIM (10,23%), Netshoes (10,14%), Samsung (9,72%) e Vivo (7,83%).

Para Valeria Rodrigues, diretora da Shopper Experience, isso ficou mais evidente quando se percebe que as empresas varejistas têm tradição de começar suas campanhas bem antes da data em si (29 de novembro). “Independentemente da mídia, as campanhas das lojas de varejo tendem a ser mais massivas. Mesmo que sejam apresentadas ofertas de produtos, o que fica na cabeça do consumidor é quem vende”, afirma, assegurando que essa pode ser uma oportunidade para os fabricantes, pois o público tem demonstrado interesse cada vez maior em adquirir produtos e serviços que estão na sua lembrança.

No tocante a produtos, a pesquisa mostrou que o consumidor quer aqueles que precisam de constante atualização tecnológica, e nesse sentido os eletroeletrônicos tiveram grande destaque. No levantamento, os mais procurados foram celulares (pesquisados por 50,87% dos consumidores), televisores (31,9%), roupas (17,6%), computadores e notebooks (7,12%), e geladeiras (6,85%). Interessante, segundo ela, é ver que itens como pacotes de viagens e fast food, entre outros itens, começam a aparecer no radar do consumidor.

A pesquisa também observou como o consumidor estava percebendo a edição deste ano em comparação com o ano anterior. De acordo com o levantamento, 61% das pessoas ouvidas entenderam que os preços, este ano, estavam melhor que em outros meses do ano e em comparação a mesma data em 2018. Para 34% estavam no mesmo nível e somente 5% tiveram a percepção que estavam mais altos. Esse cenário demonstra o ganho de confiança da Black Friday, que abandona a imagem de ser apenas uma ação de comunicação promocional, sem trazer o benefício real de preços mais baixos.

Lucas Pestalozzi, diretor da Blend New Research, ressalta outro ponto interessante do levantamento, sinalizando que 52% dos respondentes pretendiam comprar na Black Friday deste ano. “As marcas precisam enxergar as oportunidades de contato – e venda – com o público. Essa consolidação abre espaço mercadológico para que novas datas sejam incluídas no calendário do varejo brasileiro, assim como a Cyber Monday, que, ainda tímida, já passa a ser vista. Anunciantes, setores de produção, prestação de serviços e varejo devem olhar com mais cuidado para esse tipo de ação”, defende. Ele enfatiza, ainda, que quanto mais empresas – de todos os segmentos – aderirem, com promoções realmente efetivas, mais credibilidade a data terá.

Fonte: LF Comunicação Corporativa – Marco Barone

Black Friday do Colinas é recheada de atrações

Colinas Shopping anuncia Black Friday com estacionamento 50% off,
descontos de até 80% nas lojas, shows gratuitos e sorteios de vales-compra de R$ 5.000

Centro de compras recebe violinista Cleyton Rodriguez na sexta (29) e show infantil ‘Beatles For Kids’ no sábado (30); principais ofertas estão nos setores de presentes, brinquedos e entretenimento

Descontos de até 80%, shows musicais, sorteios de vales-compra, sessões de cinema a R$ 5 e estacionamento 50% off: esta é semana da Black Friday do Colinas Shopping, que já começou com prêmios. Até o dia 29 de novembro, quem aproveitar as ofertas das lojas pode concorrer a vales-compra de R$ 5.000.

A cada R$ 400 em compras, o cliente tem direito a um cupom. A troca pode ser realizada na ilha de autoatendimento, no próprio shopping, ou via o app Prizor. Se as compras forem realizadas de segunda a quarta-feira, os clientes têm cupons em dobro. Notas fiscais que forem cadastradas pelo app Prizor também dão direito a dois cupons.

Os cupons também valem para o grande prêmio da campanha de Natal do Colinas Shopping, que este ano sorteia um BMW X1, com rack e bagageiro Thule.

Economia

As melhores ofertas estão nos setores de presentes e brinquedos, com descontos de 80%, e entretenimento – o Cinemark Colinas, por exemplo, tem sessões nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro a R$ 5.

Acessórios e vestuário vêm na sequência, com 70%. Itens para casa, cosméticos, eletrônicos, viagens e alimentação também oferecem preços promocionais, com descontos a partir de 30%.

Além disso, na sexta-feira (29), os clientes do Colinas Shopping também ganham 50% de desconto no valor do estacionamento.

Atrações culturais

Para animar a noite da Black Friday, o Colinas Shopping recebe Cleyton Rodriguez e Banda, às 20h, na Praça de Alimentação. Dono do Violive Project, o músico já viajou para mais de 23 países com releituras de músicas a partir do singular som do violino, em uma performance sem igual.

Cleyton Rodriguez

Cleyton Rodriguez também dividiu palco com diversos artistas, como Skank, Simoninha, Diogo Nogueira, Gilberto Gil, Elba Ramalho, Oswaldo Montenegro, Renato Borghetti, Zeca Baleiro, Zé Ramalho e Geraldo Azevedo, entre outros.

No sábado (30), será a vez da banda The Beatles Memory, que traz ao shopping o show “Beatles For Kids”. A música começa a rolar às 15h, na Praça de Alimentação. A banda traz os clássicos do quarteto de Liverpool em versões preparadas especialmente para as crianças. Tudo de graça.

Além das músicas, a banda ainda interage com os pequenos por meio de brincadeiras ligadas à história do grupo musical mais famoso do mundo.

Black Friday Colinas Shopping

Quando: de 25 de novembro a 1º de dezembro

Descontos de até 80% nas lojas do shopping

Estacionamento 50% off na sexta-feira (29)

Sorteios de vales-compras de R$ 5.000: dias 25, 26, 27, 28 e 29 de novembro

Shows:

Dia 29 (sexta), às 20h: Cleyton Rodriguez e Banda, na Praça de Alimentação

Dia 30 (sábado), às 15h: The Beatles Memory, na Praça de Alimentação

Sessões de cinema a R$ 5: dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro (consulte programação em cinemark.com.br)

Onde: Colinas Shopping (Av. São João, 2.200, Jardim das Colinas, São José dos Campos – SP)

Shows gratuitos

Fonte: CABANA | Suzane Rodrigues Ferreira

Black Friday chega com inauguração de mega loja no Via Vale

Shopping está otimista com a data e prepara atrações especiais para os clientes

O Via Vale Garden Shopping, em Taubaté, está ansioso com a chegada da data e espera que os consumidores compareçam ao empreendimento para aproveitar as ofertas. “Os lojistas participantes estão preparando promoções arrasadoras para a Black Friday. Algumas lojas estarão com descontos de até 70% em toda a loja, o que impacta de maneira positiva o consumidor. Nosso objetivo é movimentar o Shopping, trazendo ao público descontos reais, que irão valer a pena”, enfatiza Aline Duarte, responsável pelo Marketing do Via Vale.

Uma pesquisa divulgada pela plataforma de comércio eletrônico Zoom mostra que 95% das pessoas pesquisadas pretendem comprar na Black Friday deste ano e 66% estão pensando em aproveitar a data para antecipar suas compras de natal. Os itens preferidos pelos consumidores na hora da compra são: eletrodomésticos, eletrônicos e celulares, seguidos por vestuário e perfumaria.

Inauguração Loja Pirueta

A grande novidade dessa Black Friday é a inauguração da Rede Pirueta de São Paulo. A operação inaugura sua 9ª e maior loja da Rede, com 7,5mil m² neste sábado, 30, às 11h da manhã, na portaria 3 e promete chegar com preços de Black Friday. A Loja Pirueta já gerou mais de 150 empregos diretos e indiretos, desde o início das obras. São mais de 100 mil itens em brinquedos, doces, artigos para festas, papelaria, utilidades domésticas e decoração, e mais de 850 fornecedores, sendo os principais: Tramontina, Nadir Figueiredo, Lego, Mattel, Estrela, Faber Castell, Tilibra, Bic, Fisher Price, Nestle, Lacta, Garoto, Elma Chips, Lindht, Milka, M&M’s e Ferrero Rocher. O Espaço Disney e o cinema Universal Studio são alguns dos diferenciais que prometem arrancar suspiros de pais e filhos.

No sábado, 30, a loja recebe a presença dos Personagens licenciados Minions, que receberão a criançada a partir das 11h na entrada da loja para fotos e muita diversão. Além disso, atrações como: piscina de marshmallow, distribuição de brindes, degustação de doces, pipoca e pintura de rosto serão gratuitas para quem prestigiar essa grande festa.

Ações do Via Vale

Para a data, o Via Vale Garden Shopping preparou diversas ações, juntamente aos lojistas, para promover ótimos descontos aos clientes e com isso e estabelecimento estima um aumento de 9% em relação ao ano anterior. “Além do horário diferenciado, vamos estender a Black Friday de apenas uma sexta-feira para o final de semana inteiro. No Garden ela começará no dia 29, mas vai até o dia 01 de dezembro, ou seja, o consumidor terá um final de semana inteiro para aproveitar os descontos oferecidos nas lojas do shopping”, explica Aline. Todas as lojas do shopping serão participantes dessa festa de descontos.

Nos dias da campanha o Garden também trabalhará com alguns horários diferenciados. Na sexta-feira (29) a Lojas Americanas abre das 6h às 00h, a Havan e Di Gaspi das 07h às 00h e as demais lojas, das 8h às 23h. Já no sábado (30) todas as lojas funcionam das 10h às 23h. No domingo (01) o horário de funcionamento das lojas do shopping será estendido, das 10h às 22h.

Serviço

Campanha Black Friday e Inauguração Loja Pirueta

Data: 29 de novembro a 01 de dezembro

Horário: a partir das 06h às 00h.

Local: Lojas do Via Vale Garden Shopping

Fonte: Aline Duarte – Marketing

Vendas devem crescer na Black Friday deste ano

Black Friday: vendas no varejo devem crescer 18% este ano

Expectativa é da Abcomm e dados da Klooks, plataforma de big data especializada em inteligência financeira corporativa, confirmam crescimento no ano passado: 9 das 10 maiores varejistas registraram aumento

Apesar do momento de recessão que vivemos, as expectativas para a Black Friday são animadoras para o varejo: a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) projeta crescimento de 18% de vendas na data em relação ao resultado de 2018. Dados da Klooks – plataforma de big data especializada em inteligência financeira corporativa – demonstram que 9 das 10 maiores varejistas do país registraram crescimento no ano passado.

Esta é a 9ª edição do evento no país e, ao longo dos anos, a aderência do público e as vendas subiram vertiginosamente. No ano passado, a sexta-feira mais esperada do ano cresceu 23% em relação a 2017, movimentando cerca de R$2,6 bilhões.

Segundo o fundador da Klooks, Alexandre Abu-jamra, a Black Friday se tornou um importante termômetro para as vendas de fim de ano. “A data, a cada ano que passa, mostra sua importância para o desenvolvimento nacional, mas ao mesmo tempo aponta a necessidade de planejamento para atender o aumento da demanda”, destaca Alexandre.

O panorama que aponta Abu-jamra é baseado no trabalho da Klooks, que utiliza inteligência artificial e machine learning para mapear, reunir e analisar demonstrativos financeiros de capital fechado, transformando-os em relatórios inteligentes. Com mais de 30 mil empresas em seu banco de dados, a startup tem a maior base de demonstrativos financeiros do país e possui clientes que são referência no mercado, como Standard & Poor’s, Moody’s Analytics, Lexis Nexis, entre outras.

“A Klooks é um grande catálogo de demonstrativos financeiros de empresas privadas. Usamos nossas ferramentas para fornecer dados mais atualizados, padronizados e relevantes para ajudar na tomada de decisão de nossos clientes”, destaca.

Fonte: Agência No Ar – Andréa Camilo

Mais um shopping da região é finalista em premiação da ABRASCE

Colinas Shopping é finalista do Prêmio Abrasce com campanha de Natal protagonizada por Mr. Gift

Centro de compras de São José dos Campos concorre na categoria ‘Eventos e Promoções de Natal’; premiação ocorre no dia 9 de setembro, no Tom Brasil, em São Paulo

Com o desafio de vincular Black Friday e Natal, mantendo a magia do período natalino, o Colinas Shopping ganhou destaque em 2018 ao apresentar a campanha “A Fantástica Fábrica de Presentes”, estrelando o personagem Mr. Gift, criado especialmente para o período. A proposta, que foi destaque no mercado do setor, é uma das finalistas do Prêmio Abrasce, da Associação Brasileira de Shopping Centers, o principal e mais desejado reconhecimento do segmento no Brasil.

Na premiação, que ocorre no dia 9 de setembro, em noite de gala no Tom Brasil, em São Paulo, o Colinas Shopping concorre na categoria “Eventos e Promoções de Natal”. A banca responsável por avaliar os candidatos é composta por 10 especialistas de reconhecidas instituições, que indicarão prêmios em nove categorias.

A campanha que rendeu a indicação ao Colinas Shopping teve como proposta projetar na imaginação do público quais atividades o Papai Noel exerce entre janeiro e novembro, e como era possível entregar tantos presentes no fim do ano. O desafio, no entanto, foi incluir um novo personagem, sem deixar de lado a figura do bom velhinho como a principal estrela da campanha.

“Com o tema ‘Presentes’ na decoração de Natal do Colinas Shopping’ e o conceito ‘A Fantástica Fábrica de Presentes’, criamos um personagem exclusivo e real, o ‘Mr. Gift’, que é o gerente da fábrica de presentes”, afirma a gerente de marketing do Colinas Shopping, Margarete Sato.

Inspiração no cinema
Para inserir o público no ambiente mágico da fábrica de presentes, o shopping se inspirou em obras do cinema. “A Fantástica Fábrica de Chocolates” e “Grande Hotel Budapeste”, do diretor Wes Anderson, direcionaram o figurino e os cenários da campanha. O personagem “Mr. Gift” nasceu da mistura de personalidades de Willy Wonka e Gustave G.

O carisma do “Mr. Gift” trouxe ao período da Black Friday uma magia especial. Com ele, o mall realizou ações de interação com os clientes, como quando, acompanhado de um mágico, o gerente da fábrica de presentes abordava os passantes com truques e promoções exclusivas tiradas da cartola.

“Dentro das estratégias de estímulo, incorporou-se a Black Friday à campanha de Natal, premiando os clientes que antecipassem suas compras com 2 vales-compra no valor de R$ 5.000. Era a primeira fase da campanha, com protagonismo do ‘Mr. Gift’. Outro ponto relevante foi incorporar a Black Friday ao Natal. Com isso, potencializamos as duas ações: a Campanha de Natal ganhou um importante apelo promocional e a Black Friday ficou ainda mais atrativa, pois além dos descontos, o cliente poderia concorrer aos prêmios de Natal”, comenta Margarete.

Fonte: CABANA | Suzane Rodrigues Ferreira

Dicas para incrementar o e-commerce

Três dicas para impulsionar o e-commerce nas datas comemorativas do varejo

O profissional do varejo entende o valor que as datas comemorativas proporcionam para o negócio, seja para trazer equilíbrio na sazonalidade (meses de alta versus meses de baixa) ou para alavancar as vendas e liberar estoques.

No Brasil, o Natal por exemplo, desponta como a data comemorativa mais importante para o comércio eletrônico, que concentrou 10% de todo o faturamento da categoria em 2018, segundo o estudo Webshopper da Ebit Nielsen. Outro dado interessante desse levantamento é que a Black Friday superou o tradicional vice-campeão em vendas do mercado, o Dia das Mães, alcançando um faturamento de R$ 2,6 bilhões, o que representa 4,9% do total, enquanto o Dia das Mães atingiu R$ 2,11 bilhões (4% do total). Além disso, em 2018, o ticket médio mais alto foi precisamente da Black Friday (R$ 608), seguido pelo Cyber Monday (R$ 494) e o Natal (R$ 475).

No último ano, no entanto, o Dia do Consumidor surge como uma ótima oportunidade para o varejo. De acordo com pesquisa Google, 35 mil pessoas já conhecem a data: 35% acharam que as promoções estavam boas e 65% encontraram promoções que procuravam.

Para acompanhar o ritmo do mercado e aproveitar as oportunidades que as datas comemorativas trazem, os e-commerces devem se planejar antecipadamente com estratégias eficientes com o objetivo de alcançar o desejado equilíbrio entre performance, resultado para o negócio e experiência de alto nível para as pessoas em toda a jornada de compra e interação com a marca.

Ao longo dos últimos anos eu tive a oportunidade de vivenciar de perto muita estratégia eficiente, mas também algumas crises durante eventos como a Black Friday. Por isso o meu objetivo é compartilhar alguns aprendizados que tive ao longo da minha carreira e observando nossos clientes na Worldline.

A primeira dica é: planeje-se! Independentemente do segmento e porte, isso é fundamental para todo varejista: saiba quais datas terão o máximo da sua energia e investimento, quais produtos/serviços serão ofertados e qual será a sua estratégia de relacionamento pós-data comemorativa.

Você, como gestor de e-commerce, deve estar preparado para um alto tráfego no e-commerce, por isso, é importante ter muita atenção com as datas de freezing (datas que o site não pode sofrer ajustes) para não comprometer a experiência do usuário.

Na prática, é necessário realizar testes no e-commerce para identificar como a plataforma se comporta com uma quantidade de acessos muito maior. Normalmente esses testes são feitos pelo menos um mês antes da campanha com o objetivo de avaliar a capacidade de processamento e navegação.

É importante ainda reforçar a infraestrutura de logística, capacitar e orientar todos da equipe para atender aos pedidos que sofrerão alta, além de comunicar todos os fornecedores, especialmente àqueles que atuam com sistemas antifraude, a fim de preparar todas as ferramentas para um comportamento do consumidor que pode parecer incomum.

Caso a equipe de antifraude não esteja alinhada com a ação entenderá esse movimento como suspeito e tornará a aprovação da compra lenta e, em alguns casos, levará o banco a entrar em contato com o cliente para confirmar a transação e, enfim, aprovar a compra. Neste meio tempo, o consumidor tem a opção de desistir do pedido, abandonar o carrinho e comprar do concorrente.

Mais do que oferecer uma experiência simples e conveniente, você precisa fidelizar. Com isso, a segunda dica é: faça da venda uma experiência positiva. E isso se dá por meio da navegação fluída no site, comunicação simples, facilidade de compra, incluindo diversidade nas formas de pagamentos e eficiência na comunicação entre e-commerce e adquirente. Essa é a fase em que você se questiona: meu gateway suporta o volume maior de transações durante o período da ação? Os bastidores de funcionamento do seu site devem estar muito orquestrados, para que não haja erro de comunicação no meio do processo.

Aqui ressalto a importância de contar com parceiros capacitados. Certifique-se que seu gateway conta com o certificado PCI Compliance e se ele é válido para o Brasil. Isso significa que ele funciona dentro das normas locais e atende a todos os requisitos para funcionar no país.

A terceira é tenha redundância! O que isso significa? Basicamente conte com um plano B para todo o seu serviço de venda: gateway, adquirente e antifraude. Você não quer que uma compra não seja aprovada porque um dos seus servidores ou parceiros não suportaram o seu volume de vendas. Para se ter uma ideia da importância deste processo, os e-commerces estruturam um “war room” em datas de grande movimento no varejo composto por TI, logística, financeiro, mercado, negócios, atendimento, comunicação. Isso, para que todo mundo esteja pronto para atuar em caso de crise.

Por fim, as oportunidades ao longo do ano são muitas, e, por isso, é indispensável se preparar para essas datas importantes do varejo. Planeje e gerencie o seu e-commerce sempre valorizando a experiência do seu público-alvo para que o ano seja de conquistas e resultados extraordinários no seu negócio e na sua carreira.

Thais FischbergThais Fischberg está à frente da operação América Latina da Worldline, empresa líder em meios de pagamento na Europa. No Brasil atua como gateway especializado em operações globais de grande porte.

Fonte: Tamer Comunicação – Lucas Hensou
Assessor de Imprensa

Estudo mostra crescimento na vendas durante Black Friday

Vendas na Black Friday foram até 5,4 vezes maiores e Cyber Monday não tem crescimento expressivo no Brasil, aponta Criteo

Na noite de quinta-feira houve um aumento considerável nas compras feitas por dispositivos móveis

Durante a última sexta-feira, 23 de novembro, o tráfego de consumidores no e-commerce brasileiro triplicou em relação à média do mês de outubro, o que resultou em um aumento de 5,4 vezes nas vendas. Na noite da quinta-feira, véspera da Black Friday, as vendas pela Internet registraram às 22h00 um crescimento de 4 vezes no desktop e 4,5 vezes no celular quando confrontadas com a quinta-feira anterior. Entre os produtos mais vendidos na data promocional deste ano estiveram smartphones, calçados e TVs. No sábado, o índice de compras realizadas em dispositivos móveis também permaneceu elevado durante todo o dia, confirmando a tendência de crescimento das compras on-line pelo celular.

Estes são alguns dos principais dados de levantamento realizado pela Criteo S.A. (NASDAQ: CRTO), plataforma de anúncios para a Internet aberta, sobre o comportamento do consumidor durante a Black Friday. O período considerado pelo estudo foi de 21 a 24 de novembro (quarta a sábado) e analisou horários de pico, dispositivos utilizados para pesquisar produtos e finalizar as compras, categorias e produtos mais comprados.

“Em comparação aos anos anteriores, quando quase a totalidade das compras foram realizadas durante a Black Friday, nesta edição observamos um grande movimento também nos dias anteriores e posteriores, principalmente em compras fechadas através de dispositivos móveis. A Black Friday continua conquistando cada vez mais espaço no Brasil com vendas chegando a ser 5 vezes maiores. Ainda hoje as compras seguem aquecidas nas lojas físicas e, por isso, é muito importante que tanto as marcas quanto os varejistas alinhem a estratégia online com uma experiência relevante e de qualidade nas lojas”, assinala Alessander Firmino, diretor geral da Criteo para o Brasil e América Latina.

As categorias mais vendidas

As três categorias com melhor desempenho de vendas na Black Friday foram Varejo, Sites de Comparação de Produtos e Vestuário. A categoria que mais cresceu, com 35%, foi a de Viagens.

Vendas por dispositivo

A escolha do dispositivo mudou significativamente dependendo da categoria. Os dispositivos móveis foram usados principalmente para comprar Alimentos e Bebidas (95%) e Anúncios e Classificados (73%), enquanto o desktop foi predominante no Varejo (60%) e em Viagens (69%).

Consumidor omnichannel

Em geral, navegar em dispositivos móveis e comprar em computadores ainda é a norma, embora haja também casos em que os consumidores navegam em desktop e concluem a compra via mobile.

Os produtos mais comprados

Os produtos mais populares entre os consumidores brasileiros durante a Black Friday deste ano foram smartphones, calçados e aparelhos de TV.

Cyber Monday

Durante a Cyber Monday, a segunda-feira de descontos focados em produtos eletrônicos, mas que também oferece promoções de categorias variadas no embalo do período, o crescimento das vendas no Brasil não foi tão expressivo quanto em outros países, segundo a Criteo.

As categorias que mais cresceram no dia seguinte a Black Friday foram Varejo (aumento de 113%), Serviços Financeiros (72%), Telecomunicações (36,71%), Automotivo (36,32%) e Viagens (30%). Os produtos que registraram maiores vendas foram smartphones e calçados.

Acesse aqui mais dados sobre o estudo da Criteo sobre a Black Friday.

Fonte: FirstCom Comunicação – Cíntia Yamashiro

Final de ano e o mercado de comunicação

Mercado discute influência do fim de ano no faturamento

Tradicionalmente se anuncia mais nos últimos dois meses do ano em função da chegada do Natal, a maior data promocional do calendário. Por conta disso, essa sempre foi uma época de mais trabalho e mais faturamento para as agências de propaganda/comunicação.

O Publicitando ficou curioso para saber se, com todas as mudanças no cenário e no mercado de comunicação mercadológica e com a ainda persistente crise econômica, o final de ano ainda amplia o volume de serviços e o faturamento das agências do Vale do Paraíba.

A expectativa para o Natal é boa. Pesquisa realizada recentemente pelo  CNDL/SPC Brasil aponta que o Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia brasileira este ano. A mesma pesquisa indica que o consumidor tem intenção de comprar entre quatro e cinco presentes e que ticket médio ficará na casa de R$ 116 por item. Em comparação com o ano passado, 27% planejam gastar mais.

Também temos nos últimos anos o crescimento da Black Friday, data “importada” do mercado americano e que, apesar de alguns tropeços, vem se consolidando como uma importante data promocional. Segundo levantamento do Ebit o comércio eletrônico deve faturar R$2,43 bilhões durante a Black Friday de 2018,com alta de 15% na comparação com o ano passado.

O efeito Black Friday se faz sentir mais fortemente nas agências com foco em digita, como explica Eduardo Costa, da Resultage: “na Resultage, por ser uma agência digital, a demanda é um pouco diferenciada. A partir de setembro já se nota claramente um aumento no número de solicitações e demandas especificamente para campanhas de Black Friday, para varejos online e/ou tradicionais, além de empresas de software SaaS”.

Eduardo Costa, da Resultage

Há uma percepção de que a festas de fim de ano não impactam tanto assim o faturamento da agência, como explica Roberto Rezende, da BR012:

“Em termos de faturamento para a agência não houve aumento. Mas percebemos uma maior demanda por campanhas e jobs de nossos clientes se comparado ao mesmo período do ano anterior. Talvez a desaceleração da economia, tão sentida por nós ao longo do ano, em meio a um cenário de incertezas e que deverá levar as vendas do varejo a crescer menos no Natal de 2018 (+2,3%) do que no de 2017 (+3,9%), esteja “obrigando” as empresas a se planejarem e se preparem ainda mais para a época do ano que – ainda é – considerada a mais importante do varejo brasileiro se quiserem manter o mesmo patamar de vendas de anos anteriores”.

Roberto Rezende, da BR012

Ele também destaca a ação da Black Friday nos investimentos de final de ano: “Outro ponto que sempre é bom salientar, é o fato de muitos consumidores aguardarem as promoções da Black Friday para comprar os presentes de Natal. Esse movimento vem causando uma retração nas vendas de Natal desde que a Black Friday foi introduzida no calendário varejista”.

Já Thiago Monteiro Luz da Árvore Propaganda e Marketing, faz uma reflexão um pouco diferente:

“O fim de ano aumenta o volume de trabalhos não só pelas campanhas natalinas, mas também para concluir os planos estratégicos para o próximo ano. Sem dúvida é uma época em que todos os prazos se apertam”.

Thiago Luz, da Árvore

Esse raciocínio guarda semelhança com outros aspectos levantados também por Eduardo, da Resultage. Ele afirma que o volume de trabalho aumenta também em função de festas de final de ano, notadamente para o varejo,de campanhas de vestibular, pós-graduação, etc, para universidades e entidades de ensino e também de campanhas de férias de verão e réveillon para os diversos clientes de turismo da Resultage, sobretudo resorts e destinos nacionais e internacionais. Ele destaca: “Ou seja, segundo semestre bem forte, crescendo mais a cada ano”.

 

A primeira Black Friday Omnichannel

A primeira Black Friday Omnichannel

*Por Maurício Trezub

A Black Friday no Brasil nasceu no canal e-commerce. Devido ao grande sucesso da data, nos últimos anos notamos também uma alta na adoção por parte das lojas físicas. Ao contrário dos consumidores, que já são digitais, o varejo brasileiro está muito atrasado na agenda da transformação digital e tem baixa maturidade nos processos OmniChannel. Por todos estes fatores, somados a grande demanda gerada pela BF, acredito que esta será a primeira Black Friday verdadeiramente omnichannel do Brasil. E o risco é grande…

Então, como planejar uma Black Friday que não vai decepcionar esses clientes?

Em primeiro lugar sugiro focar em dois processos omniChannel. O primeiro é dar a opção ao cliente comprar no site e retirar na loja física (Buy Online, Pick up in Store). O chamado Click and Collect possibilita que as pessoas economizem no frete que, por vezes, pode ser o grande vilão das vendas online. Dependo do seu valor, o preço final pode perder o desconto dado.

Essa estratégia pode gerar não somente a venda pelo e-commerce, mas ainda, quando retirar o pedido, o cliente pode se interessar por outros produtos da loja. Ou seja, é uma boa oportunidade de cross sell e up sell. O desafio aqui é o volume de pedidos gerados para separação por parte das lojas físicas, que tradicionalmente não sabem executar bem este processo. O ideal é que nesta data exista uma equipe treinada e dedicada a fazer a separação dessas compras em um lugar facilmente acessível e sem filas, afinal ninguém que já escolheu e pagou por um produto no ecommerce espera pegar fila na loja física para retirá-lo.

O segundo processo é o “Buy in Store, Ship to Home”, ou gôndola infinita, que acontece quando a loja física vende um produto que não tem em estoque utilizando o armazém do e-commerce ou de outra loja e entrega na casa do cliente. Como o cliente se deslocou até a loja física para fazer a compra, ele espera que os produtos que foram anunciados estejam disponíveis, mas sabemos que durante a Black Friday é muito comum que as melhores ofertas acabem se esgotando rapidamente. Para evitar frustrar a expectativa destes clientes e não perder a venda, este processo omnichannel é uma grande sacada. Não esqueça de rever os incentivos aos vendedores das lojas físicas neste processo.

No final das contas, o real desafio dessa Black Friday será atender um consumidor multicanal, esperando que o preço anunciado seja honrado em todas as frentes, que os produtos estejam disponíveis em todos os canais e que os processos funcionem. Do lado do lojista existe todo um planejamento de entregar essa experiência, sem que haja insatisfação por parte dos consumidores, em um dia que o movimento é absurdamente maior do que um dia normal. Vale a pena analisar o caminho não convencional desse processo, os fluxos de exceção como rupturas de estoque, produtos danificados, trocas e devoluções intra-canais, etc.

Talvez o fator mais crítico a ser considerado com relação a multicanalidade é a integraçãperfeita entre os sistemas de gestão da companhia. Enquanto o e-commerce vendia apenas os produtos segregados de um armazem central o desafio de concorrência era muito menor. Para conseguir atender grandes demandas de fluxos omni é muito importante que o ERP esteja 100% integrado com os sistemas de loja.

O omnichannel é ainda muito novo no Brasil e as empresas que implementaram processos nos últimos 12 meses ainda não tiveram a chance de estressá-los durante uma Black Friday. Será preciso muito treinamento e planejamento para conseguir atingir as expectativas dos clientes!

*Maurício Trezub é diretor de e-commerce da TOTVS

Fonte: RMA Comunicação – Natália Baggio

Consumidor vai usar Black Friday para antecipar Natal

Consumidor planeja comprar na Black Friday, e pretende antecipar compras de Natal, afirma estudo da SBVC

A totalidade dos respondentes pretendem comprar algum produto na data este ano.

Black Friday já é a data mais importante para o e-commerce brasileiro. Segundo estudo do Ebit o comércio eletrônico deve faturar R$2,43 bilhões durante a Black Friday de 2018, alta de 15% na comparação com o ano passado. E o número de pedidos pode registrar uma expansão de 6,4%, passando de 3,76 milhões para 4 milhões.

Apesar da crise que o país vem enfrentando, o consumidor está animado e otimista para a Black Friday 2018. 100% dos entrevistados pretendem se arriscar nas promoções esse ano e pretendem gastar em média R$ 1.283,00. Em 2017 o gasto médio dos consumidores na data (soma de compras online e off-line) foi de R$ 1.178, segundo o Ebit.

As compras estão destinadas a uso próprio e a preferência é por Eletrônicos, Eletrodomésticos e Vestuários. Porém, parte dos respondentes (69%) pretendem gastar a mais pensando em compras para o final de ano, ou seja, planejam comprar para presentear no Natal. O valor destinado a compras de fim de ano se aproxima de 37% do total das compras da Black Friday. Essa é uma das descobertas do estudo “O fenômeno Black Friday no varejo brasileiro”, desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) em parceria com a Ferraz Pesquisas, que faz uma radiografia dos principais hábitos de compra, intenção de compra e opiniões em relação a Black Friday.

O estudo mostra que 57% concordam que a Black Friday é uma data para encontrar produtos de coleções anteriores ou que estão fora de linha, porém 47% acreditam que irão encontrar produtos de lançamento. A data está consolidada no país, e aos poucos os consumidores passam a ver vantagens de comprar (84%) na Black Friday. Porém, a credibilidade (67%) em relação as promoções ainda não estão em um patamar sólido.

O canal online é a principal fonte de pesquisa de preços, sendo que 100% dos entrevistados irão pesquisar antes de realizar a compra na data, principalmente em sites de busca, sites de lojas próprias e redes sociais. Assim como a busca por informações é online, o e-commerce (33%) se sobressai quando comparado com lojas físicas (18%) no processo da compra, porém a maioria utiliza os dois canais para fazer suas compras (49%).

Metodologia

O estudo entrevistou 403 consumidores em todo o país, e teve como objetivo quantificar aspectos relacionados aos hábitos de compra, intenção de compra e opiniões em relação a Black Friday, visando entender o impacto dessa data para o varejo brasileiro.

Disponível no site: http://sbvc.com.br/o-fenomeno-black-friday-no-varejo-brasileiro-2018/

Sobre a SBVC – Fundada em 29 de maio de 2014, a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) é uma organização sem fins lucrativos, aberta, multissetorial e com atuação complementar às demais entidades de classe do varejo. Sua missão é contribuir para o aumento da competividade do varejo, por meio de conteúdos e estudos de mercado, promovendo networking entre executivos do varejo de todos os segmentos. A entidade tem como objetivo defender os interesses do segmento e promover ações sociais. A SBVC é sustentada por quatro pilares fundamentais: Conteúdo, Relacionamento, Responsabilidade Social e Apoio Técnico.

Fonte: SBVC – Fernanda Besnosoff – Coordenadora de Estudos e Pesquisas