Quero começar minha carreira…

Como começar sua carreira em comunicação

por Josué Brazil

Tempos atrás fui elogiado por uma leitora do blog em função de um texto publicado. E ela me fez uma sugestão e/ou pedido: fale sobre o início de carreira, sobre como entrar no mercado.

Vou tentar atender esse pedido usando um pouco das coisas que vi e vivi tanto no mercado de agências de propaganda quanto nas universidades. Vamos lá:

1 – Comece sua carreira na faculdade – sempre digo aos meus alunos que a carreira profissional deles começou exatamente no primeiro dia de aula. Na primeira vez que se sentou na carteira escolar em sua sala de aula. É na faculdade que, desde o início, o aluno/profissional deve mostrar o que quer, o quanto quer e o que vai fazer para conseguir chegar lá. Tratar cada trabalho escolar como um desafio e fazer coisas incríveis e não apenas para tirar nota, aproximar-se dos professores, colaborar com os colegas, voluntariar-se, participar de TUDO, frequentar os eventos da faculdade e depois tentar conversar com os palestrantes. Ser um ótimo aluno!

2 – Leia! – leitura ainda é uma das mais poderosas armas para aumentar sua qualificação e empregabilidade. Não tenha preguiça. Não me venha com aquele história de que não gosta de ler: aprenda a gostar. E rápido! Leia livros de sua área, leia publicações de sua área, leia blogs de sua área. Mas leia! Literatura, poesia, entrevistas e artigos científicos. LEIA!

3 – Comece por algum lugar – não fique escolhendo muito qual estágio fazer. Tudo bem, há propostas indecorosas de estágio. Então, exageros negativos a parte, é melhor um estágio ruim do que ficar em casa sem fazer nada. Um estágio ruim pode gerar, mais a frente, um emprego bom. Começar em algum lugar é bom para conhecer gente, conhecer o mercado, fazer relacionamentos e usar isso para buscar uma posição melhor. Há de se engolir vários sapos e ralar um pouco para chegar em algo legal. Quase sempre será assim. Caso tenha condição e achar que o lugar vale a pena tente estagiar sem remuneração. Pode valer muita coisa lá na frente.

4 – Faça um bom CV – há muitos modelos disponíveis na internet. Há tutoriais, dicas, textos… Pesquise e tente fazer um bom currículo. Mesmo que num primeiro momento você não tenha muita coisa para incluir no CV, o importante é tê-lo bem redigido, organizado e claro. E, por favor, evite abreviações no texto do CV. Caso você queira ir para uma área criativa faça um portfólio. Há plataformas digitais disponíveis para fazer um portifa minimamente bom. Capriche ao máximo. Mas cara, eu ainda não trabalhei, como vou ter portfólio??? Onde estão os seus melhores trabalhos de faculdade?

5 – Chegue preparado para entrevistas – o CV e o portifa fizeram a parte deles e você conseguiu uma entrevista! Prepare-se, arrume-se (vista-se adequadamente), pesquise e vá com tudo para uma entrevista de estágio/emprego. Não seja convencido ou arrogante, mas tenha confiança e mostre o que você é capaz de – realmente – fazer. Nunca fale coisas negativas de seu emprego/estágio anterior e nem desmereça sua faculdade/curso. Por que alguém iria querer contratar alguém de um curso que tem todos os defeitos que você citar na entrevista? Diga o quanto a faculdade ajudou você a conhecer sua área. Seja positivo! E seja autêntico e honesto. SEMPRE!

6 – Não tenha vergonha – peça indicações, solicite nomes, contatos. Fale com seus amigos, familiares, professores, parentes distantes, namorado(a), sogo ou sogra… diga que está a fim, que precisa. Mantenha contato com seus professores mesmo depois de formado. Acompanhe sites de emprego/vagas/estágios. Leia sobre o mercado e identifique oportunidades. Quem quer tem que se virar!

7 – Marque presença – vá a eventos, palestras, cursos, treinamentos, workshops etc. Há muita coisa barata e as vezes até gratuita. Faça cursos online. Faça cursos rápidos. E em todas as oportunidades conheça pessoas. Fale com elas, pegue contatos.

8 – Use o Linkedin – ele é uma grande ferramenta. Caso não tenha um perfil lá faça. Imediatamente! Agora! Procure dicas de como se comportar nesta rede social. O que fazer lá. Como ter um bom perfil. E faça!!!

9 – Seja gente boa – seja íntegro, honesto, correto, verdadeiro. Seja autêntico! E seja comunicativo. Mesmo que você não seja a pessoa mais extrovertida do mundo, entenda que é necessário saber conversar bem. E escrever bem.

10 – Dica final – o melhor momento para procurar um bom emprego é quando se está empregado. Conserte seu telhado nos meses em que faz sol. Quando chove, e as goteiras aparecem, já é tarde demais.

Outros muitos fatores podem intervir para sua entrada no mercado de trabalho. Portanto, mantenha-se atento e forte. Cave chances. Mantenha olhos e ouvidos bem abertos. E boa sorte

 

Livro trata de gestão de imagem

Editora Senac São Paulo lança livro com foco em gestão de imagem

A máxima popular “a primeira impressão é a que fica” nunca foi tão atual. Em um mundo extremamente conectado, as incontáveis quantidades de selfies, posts, vlogs e os mais diversos conteúdos visuais são responsáveis pela impulsão da imagem como primeiro contato com alguém, seja ele no âmbito profissional ou pessoal. É praticamente impossível não ler uma pessoa pela sua postura, sua forma de falar ou de cruzar as pernas. No âmbito profissional, essa leitura pode ser fator determinante para conquistas.

Para ajudar o público a entender a importância da imagem para sua carreira, Joel Reis e Roseli Mazulo lançam, pela Editora Senac São Paulo, o livro Gestão de Imagem | Propósito, plano de carreira e êxito profissional. Nele, os profissionais destacam a importância da imagem para a conquista de realizações profissionais e pessoais e apresentam ferramentas e caminhos para quem deseja melhorar ou até mesmo reposicionar sua percepção.

Com prefácio de Arlindo Grund, a obra mostra que cuidar de sua imagem pessoal está além do que é visto no exterior, como uso de uma roupa com um bom corte ou de acessórios caros, por exemplo. Na verdade, ela abrange um conjunto de atitudes e complementos que valorizam quaisquer itens vestidos por alguém. O interior reflete no exterior.

Para eles, o passo inicial de todo o processo é o autoconhecimento. É por meio disso que se torna possível entender a real essência de quem você é e qual seu propósito de vida. E é essa análise que permite que sejam desenhados e/ ou ajustados os pontos destoantes da mensagem que uma pessoa quer transmitir da que ela está transmitindo de fato, em sua apresentação.

Ao longo de mais de 200 páginas, Joel e Roseli instigam e inspiram seus leitores a se descobrirem e a adotarem ferramentas que valorizem e destaquem sua personalidade. Da administração do tempo com sabedoria a questões que agreguem cultura, são apresentados pontos que ajudam na construção de um plano de carreira pautado por uma imagem verdadeira e única, um importante diferencial dos grandes profissionais.

Indispensável para o aprimoramento pessoal e profissional de cada leitor, Gestão de Imagem | Propósito, plano de carreira e êxito profissional propicia conteúdo de qualidade a todos que desejam melhorar sua imagem para alçar voos mais altos em suas carreiras.

Sobre os autores

Joel Reis

Formado em publicidade e propaganda, tornou-se um dos relações públicas mais respeitados do país, sendo responsável pelos eventos mais disputados do eixo São Paulo–Minas Gerais–Rio de Janeiro–Nova York, onde produziu desfiles de moda para a Calvin Klein. Depois de trabalhar para as marcas mais consagradas do mundo, como LG, Perrier-Jouët e Prada, escreveu o livro Sou Produtor de Eventos | Diário de bordo para o aperfeiçoamento profissional, publicado pela Editora Senac São Paulo.

Roseli Mazulo

Formada em letras e pós-graduada em psicopedagogia, foi secretária executiva de grandes empresas. Atua em educação há mais de trinta anos e é organizadora de eventos e cerimônias, entre outras atividades. É docente do Senac São Paulo nos cursos de comunicação, organização de eventos, protocolo e cerimonial, marketing pessoal, etc. Coautora do livro Secretária | Rotina gerencial, habilidades comportamentais e plano de carreira, publicado pela Editora Senac São Paulo.

Fonte: Fernanda Spagnuolo – Estrela Comunicação

Coluna Branding: a alma da marca

O que você é?

Nessa última semana fui surpreendido com uma pergunta de um aluno que questionava o que eu era além de professor?

Esse questionamento, que soou inicialmente como aquela velha história de desprestígio com a função de professor, me deu a oportunidade de refletir um pouco mais sobre um assunto importante e contemporâneo, então, relutei um pouco mas respondi: “SOU HUMANO!”

Passadas as risadas do grupo que estava ao meu redor, tive a oportunidade de desenvolver mais o assunto com os alunos e gerar um aprendizado muito interessante. O que nos define não poderia ser tão stricto sensu.

Temos como mania, nos definir por nossa profissão. Sou publicitário, design, arquiteto, ou ainda mais stricto, sou diretor de arte, design gráfico ou design de interiores … mas aí a pergunta que fica é …E quando nos falta o emprego o que somos? Perdemos a nossa finalidade e assim a nossa identidade?

No mundo de hoje, quantos de nós se sentem frustrados com o que não conseguem representar profissionalmente? Será que ao colocar tanta importância em uma empregabilidade não estamos fragilizando a nossa natureza?

É interessante também perceber que, se tivesse que me definir mais assertivamente, provavelmente diria que sou algo como ” um cientista social aplicado”, e neste caso é até lógico que como tal, deveria me preocupar com os principais assuntos sociais do mundo e a clara falta de “Humanidade” em que nos deparamos por todos os lados.

É como se de repente nos víssemos todos desempregados dos cargos de “Humanos” e nos definíssemos a partir do nosso bico, que é ter uma profissão.

Não estou me desfazendo da importância da formação profissional, seria até um contra-senso trabalhando como um professor fazê-lo mas, questiono sim, se estamos posicionando acertadamente o valor da empregabilidade nessa relação.

Os jovens, os quais ensino diariamente, deixam claro que não querem estar limitados a um projeto de vida que os fixe a um cargo, setor, empresa, profissão ou país. São claramente sonhadores de espírito livre que precisam de nós apenas para dar-lhes um ancoradouro moral, uma trilha mais justa e sustentável.

No mundo novo, me parece claro que eles irão mais longe tecnicamente que a nossa geração, e com muito menos esforço, pois, estão vivendo uma revolução tecnológica que avança em velocidade maior que a dos séculos anteriores. Este processo garante também um conforto menor ao emprego, o que talvez preocupe demasiadamente a atual geração de adultos de 35 a 50.

Ser hoje, portanto, um ser humano, um cientista social no cargo de professor, me obriga a pensar melhor no que posso contribuir para o futuro desses jovens .

Sendo assim, acho que preciso aprimorar as minhas aulas para que consiga transferir claramente qual é a hierarquia das coisas, pois, se no futuro faltar-lhes o emprego, ainda assim devem estar preparados para serem um analista da vida cotidiana, e se tiverem calada a sua voz social, mesmo assim, NUNCA PODERÃO PERDER A SUA HUMANIDADE!

Para nós professores, #FicaDica!

Acontece S.Bento realiza palestra

Portal traz palestra sobre inovação e carreira

O Portal Acontece São bento realiza palestra sobre inovação e criatividade na carreira com o grande José Predebon.

Confira:

12248764_10203850500062987_200317978_n

Surge nova empresa de mkt pessoal

Publicitária lança empresa de marketing pessoal

A publicitária Carol Zacharczuk acabou de colocar no mercado a Unique Marketing pessoal.

O foco da empresa é o oferecimento de cursos rápidos e acessíveis. Além disso, trabalha com Gerenciamento de Marketing Pessoal para auxiliar na colocação e no reposicionamento de pessoas no mercado de trabalho.

11152709_1418050245179017_3692431573787876175_n

A Unique tem como missão desenvolver e executar conceitos, ideias e métodos para agregar valor ao gerenciamento da carreira e da vida pessoal dos indivíduos, garantindo assim, a otimização de resultados em termos de receita e processos.

Carol, a empreendedora por trás da Unique

Carol, a empreendedora por trás da Unique

Veja mais sobre a Unique em www.facebook.com/uniquemarketingpessoal

Publicitários insatisfeitos, aponta pesquisa

Esta vem direto da Meio&Mensagem. Pesquisa aponta dados muito importantes sobre a carreira de publicitário.

As angústias dos publicitários no divã

Eles estão insatisfeitos e inseguros, diz estudo conduzido por Fabricia Navarro, consultora especializada em coaching

Estudo conduzido pela consultora de coaching Fabricia Navarro traz números que indicam publicitários insatisfeitos no Mercado brasileiro. “Trabalhei na área por 16 anos e percebi que o nível de insatisfação na publicidade cresceu muito. Em meus primeiros coachings, notei reclamações muito parecidas e comecei a procurar a entender o que está acontecendo no mercado”, afirma Fabricia, que ouviu um total de 103 pessoas, incluindo alguns que não eram clientes seus.

Um dos dados que mais chamou a atenção de Fabricia foi que 47% dos entrevistados vivenciam dúvidas em relação à carreira na publicidade. “Há uma sensação grande de desvalorização, que não tem a ver só com salário, mas também com desrespeito ao tempo e à liberdade de ideias das pessoas. Muitos se sentem perdidos”, analisa. Segundo ela, uma soma de três situações indica que 71,84% das pessoas “querem se sentir mais seguras e ter mais reconhecimento” (confira o estudo ao final da reportagem).

Essas pessoas em dúvida, afirma Fabricia, buscam realizar novos sonhos, ter mais tempo ou mais autonomia. Cerca de 20% dos entrevistados estão planejando como ganhar mais dinheiro, porque há muita preocupação com a perda de emprego no futuro. “Notei que ter um plano B, fazer uma transição de carreira ou uma troca de emprego, a vontade de largar tudo e passar um tempo no exterior ou vender coco na praia são algumas dúvidas que assombram a mente de alguns publicitários que sonham em ter mais tempo, se divertir e ganhar dinheiro sem ter de pagar um preço muito alto por isso”, analisa.

Publicitário-personagem
Embora as causas de tantas dúvidas em relação à carreira em publicidade sejam conhecidas, elas não são tratadas em aberto. Fabricia aponta um fenômeno em que os profissionais assumem um personagem de “publicitário”, que acha legal, por exemplo, virar noites no trabalho. “O mercado não está preparando as pessoas. Há muita preocupação das agências de se informar sobre o que os clientes querem, ou o que os consumidores desejam da marca, mas elas se esquecem de olhar para dentro e entender os anseios dos seres humanos que trabalham ali”, critica.

Não por acaso, os reflexos na vida pessoal são muito claros: 28% dos entrevistados estão na situação de quem deseja melhorar a vida em casal, alinhando valores, desejos e planos. “Eles buscam resolver conflitos e muitos se queixam, por exemplo, da falta de sexo na relação”, conta. Outros dados também indicam questões não resolvidas, como os 15% que se se culpam por não estarem presentes na vida de seus filhos como queriam, e 15% que querem ter um relacionamento afetivo, mas que têm medo de assumir.

Confira os dados completos da pesquisa:

QUEREM SE SENTIR MAIS SEGUROS, TER MAIS RECONHECIMENTO:
74 PESSOAS – 71,84% (soma das situações A, B e C)
SITUAÇÃO A – 48 pessoas – 46,60%
Querem ganhar o respeito e admiração dos profissionais com quem trabalha, sejam chefes, subordinados ou pares de outros departamentos. Desejam ser reconhecidos pelo que fazem, na maioria dos casos não se trata de uma recompensa financeira. Buscam se posicionar de forma mais adequada através de atitudes e da comunicação interpessoal.
SITUAÇÃO B – 14 pessoas 13,59%
Se preocupam em como conseguir o reconhecimento dos clientes. Acham que a agência perdeu o poder que tinha e querem descobrir como recuperar a relevância.
SITUAÇÃO C -12 pessoas 11,65%
Estão preocupados em deixar expostos os conhecimentos técnicos que não dominam 100%, e acreditam que a falta de validação da equipe (subordinados, pares, chefe e cliente) é porque as vezes erram ou não têm todas as respostas. Alguns acham que assumiram um cargo sem merecimento ou antes da hora, e não se sentem preparados para o que precisa ser feito e se cobram por isso.

QUEREM MELHORAR A PARTE FINANCEIRA: 50 PESSOAS – 48,53%(soma das situações D, E, F)
SITUAÇÃO D -15 pessoas – 14,56%
Estão com dividas e buscam solução. Normalmente são pessoas que sempre têm dividas independente do que ganham, estão sempre em busca de consumir como forma de recompensa pelo tanto que trabalham e pelas coisas que passam.
SITUAÇÃO E – 20 pessoas 19,41%
Querem ganhar mais dinheiro, fazer a própria empresa crescer (existentes ou não), buscam aumento de salário e planejam um plano B porque estão preocupados em perder o emprego.
SITUAÇÃO F –15 pessoas – 14,56%
Buscam ganhar dinheiro com o que da prazer. Na maior parte dos casos é fazendo Arte (fotografia, obras, moda, design, musica), que é o que inicialmente despertou a vontade de fazer publicidade e se frustraram ao conhecer como funciona a criação “encomendada”. Outros querem ganhar dinheiro viajando para fora do país. Todos querem sair da rotina e buscam liberdade.

QUEREM MELHORAR A SATISFAÇÃO COM A CARREIRA – 77 PESSOAS – 74,74%(soma das situações G, H, I, J):
SITUAÇÃO G -7 pessoas 6,79%
Definir o que realmente quer fazer dentro da profissão de publicitário, buscam encontrar o que gostam e meios de conseguir ser o que desejam
SITUAÇÃO H – 7 pessoas 6,79%
Plano de saída do emprego atual para uma outra carreira (e não outro trabalho da mesma carreira)
SITUAÇÃO I – 48 pessoas – 46,60%
Dúvidas com relação à carreira, porque buscam realizar um sonho, ter mais tempo ou ter autonomia (ou os 3 juntos).
SITUAÇÃO J – 15 pessoas – 14,56%
Querem planejar o futuro que esteja mais alinhado com o que desejam, dar um novo sentido à vida, ganhar dinheiro sem deixar de viver. Tem 5 deles querem encontrar um proposito para o trabalho, têm muito dinheiro, gostam de trabalhar, mas não acham o que realmente gostam e querem se sentir desafiados com algo novo.

QUEREM MELHORAR OS RELACIONAMENTOS AFETIVOS -59 PESSOAS – 57,27% (soma das situações K, L, M)
SITUAÇÃO K – 29 pessoas 28,15%
Querem melhorar a vida do casal. Alinhamento de valores, desejos e planos. Buscam resolver conflitos e se queixam pela falta de sexo na relação.
SITUAÇÃO L – 15 pessoas – 14,56%
Trabalham questões relacionadas aos filhos enquanto pais. Se preocupam em traçar o caminho “certo” para a educação e se culpam por não estarem presentes o quanto acham ser o adequado.
SITUAÇÃO M -15 pessoas – 14,56%
Busca por ter um relacionamento afetivo (amor na vida pessoal). Medo de se entregar a um relacionamento, definir o que realmente quer no parceiro, presos a historias do passado que geraram frustrações (normalmente que impedem o avanço, abrir mão do controle, a famosa busca pela “pessoa certa”.

QUEREM MELHORAR A IMAGEM PESSOAL – 14 PESSOAS – 13,59% (situação N)
SITUAÇÃO N – 14 pessoas 13,59%
Querem mudança na parte estética, seja emagrecer ou adotar um novo estilo que vai agregar à imagem pessoal.
Leia Mais: http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/noticias/2014/10/15/As-angustias-dos-publicitarios-no-diva.html?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=mmbymail-geral&utm_content=As-angustias-dos-publicitarios-no-diva#ixzz3GJ6BY0NX

Palestra de Max Gehringer marca encerramento de Feira da UNITAU

Especialista em gestão de carreiras, Gehringer foi a atração final da Feira de Oportunidades e Empreendedorismo da Universidade e deu dicas para os alunos

A Universidade de Taubaté (UNITAU) sediou, na noite da última quarta-feira (8), uma palestra com o administrador de empresas Max Gehringer. O evento, que contou com um público de mais de 2.000 pessoas, marcou e encerrou a 1ª Feira de Oportunidades e Empreendedorismo, promovida pela Pró-reitoria Estudantil (PRE).
Com uma carreira de êxito e experiências internacionais em grandes empresas, o gestor de carreiras conquistou o público pelo seu prestígio e carisma. Abordou desde carreira e empregos ao perfil necessário do jovem empreendedor. “Quando mais se criam programas para dar atendimento e incentivo ao aluno, e após isso, atendimento ao formando, mais a universidade se destaca”, considerou Gehringer ao conhecer os programas e serviços que a UNITAU oferece aos alunos, como a Feira. “Iniciativas desse tipo eu aplaudo delirantemente”, comentou em conversa com o Reitor, Prof. Dr. José Rui Camargo, que o recebeu junto com os Pró-reitores da Universidade.

08-05 - Max Gehringuer - ACOM_UNITAU 152

Max Gehringer palestra na Unitau

Questionado sobre ações e práticas empreendedoras que os alunos devem ter para um futuro promissor, Gehringer foi direto e considerou que trabalhar o quanto antes é o aprendizado que prova que a vida não é fácil. “Existe uma hierarquia, uma disciplina. Não importa o que e quanto estudamos, e sim o quanto e como nos relacionamos com outras pessoas”. Durante a palestra, Gehringer também sugeriu dicas aos futuros empreendedores, como a de serem sempre voluntários. “Não vai ser fácil, vocês vão mesmo “ralar”, e muito. Mas são escolhas certas que resultam no sucesso”, referindo-se assim a toda preparação necessária a ser desenvolvida e, principalmente, aos contatos e networking. “Seja visto, presencioso. Oportunidades de contato decolam carreiras”.
Max Gehringer foi cativante durante toda a sua participação na UNITAU, conquistando não só os alunos, mas os professores e servidores presentes. Ao final, revelou aos alunos o prazer de estar ali. “Abri um parênteses na minha vida para servir a jovens como vocês, e estimulá-los. Tenho a alegria de vê-los aqui hoje. Parabéns UNITAU”, encerrou.

Fonte: ACOM/UNITAU

Texto: Igor Imediato

Na hora de concorrer a vaga…

Pamela Botelho é publicitária formada pela Unitau e já teve vivência profissional até nos EUA. Trabalha atualmente em uma empresa/instituição aqui do Vale do Paraíba e precisou selecionar candidato a uma vaga em comunicação. Dessa experiência acabou surgindo esse interessante e útil texto para quem está correndo atrás de uma colocação. Lá vai:

Quero
um
emprego,
pensando
bem…quero
uma
carreira.
Você
acabou
de
se
formar,
está
algum
tempo
sem
emprego
ou
apenas
buscando
por
algo
melhor,
independente
do
motivo
da
busca
vale
lembrar
que
a
partir
do
momento
que
se
decide
concorrer
por
uma
vaga
você
está
participando
de
um
Processo
de
Seleção.
Não
seja
imediatista,
tome
um
tempo
para
pensar
no
assunto
e
saber
o
porque
você
quer
participar
desse
ou
daquele
processo,
não
mande
seu
curriculo
o
mais
rápido
possível
porque
você
simplesmente
precisa
de
um
emprego.
O
Mercado
é
competitivo
e
você
precisa
se
destacar.
Por
menos
informações
que
você
tenha,
pelo
menos
a
área
ou
nome
da
empresa
são
mencionados,
então,
se
apresente
para
aquele
do
outro
lado,
que
vai
receber
duzias
de
emails,
de
forma
que
ele
se
lembre
de
você
e
queira
saber
mais.
Pesquise
sobre
a
empresa,
escreva
uma
carta
de
apresentação
contando
o
porque
acredita
que
deveria
ser
chamado.
Mesmo
que
não
tenha
experiência,
demonstre
seu
interesse
escrevendo
como
entende
do
assunto,
sua
vivência,
afinal
o
que
tem
feito
com
seus
anos
acadêmicos,
são
de
extrema
importância
para
mostrar
seus
interesses
e
determinação.
Quantas
vagas
você
realmente
almeja
a
ponto
de
ler
sobre
o
assunto,
pesquisar
sobre
a
empresa,
e
perceber
que
pode
fazer
a
diferença
para
ambas
as
partes?
Com
certeza
dessa
forma
não
seria
possivel
mandar
10
curriculos
por
dia,
mas
demonstraria
que
sabe
o
que
quer
e
busca
uma
carreira
profissional,
não
está
apenas
apertando
o
enter
na
expectativa
de
encontrar
aquilo
que
aparecer.
Faça
seu
curriculo
com
cuidado,
lembre
que
ainda
não
o
conhecemos.
Se
decidir
colocá-­‐lo
no
corpo
do
email,
não
deixe
de
anexar
o
arquivo
também.
Não
liste
os
lugares
que
trabalhou,
mas
conte
o
que
aprendeu,
desenvolveu
e
conquistou
na
empresa.
Sem
experiência?
Não
apenas
liste
os
congressos
que
participou
durante
a
faculdade,
a
outra
parte
pode
pensar
que
é
apenas
uma
“viagem”,
fale
o
porque
deve
ser
considerado.
Não
precisa
contar
onde
estudou
no
primário,
mas
vamos
adorar
saber
quais
os
cursos
que
fez
e
projetos
que
realizou.
No
mais,
faça
porque
relmente
acredita
no
que
é
proposto,
na
sua
capacidade
e
ambição,
porque
senão
os
dias
não
vão
passar
de
frustracões
e
talentos
perdidos.

Quero um emprego, pensando bem…quero uma carreira

Você acabou de se formar, está há algum tempo sem emprego ou apenas buscando por

algo melhor, independente do motivo da busca vale lembrar que a partir do momento

que se decide concorrer por uma vaga você está participando de um Processo de

Seleção.

Não seja imediatista, tome um tempo para pensar no assunto e saber o porque você

quer participar desse ou daquele processo, não mande seu currículo o mais rápido

possível porque você simplesmente precisa de um emprego.

O Mercado é competitivo e você precisa se destacar. Por menos informações que

você tenha, pelo menos a área ou nome da empresa são mencionados, então, se apresente

para aquele do outro lado, que vai receber duzias de emails, de forma que ele se lembre

de você e queira saber mais. Pesquise sobre a empresa, escreva uma carta de apresentação

contando o porque acredita que deveria ser chamado. Mesmo que não tenha experiência,

demonstre seu interesse escrevendo como entende do assunto, sua vivência, afinal o

que tem feito com seus anos acadêmicos, são de extrema importância para mostrar seus

interesses e determinação.

Quantas vagas você realmente almeja a ponto de ler sobre o assunto, pesquisar sobre

a empresa, e perceber que pode fazer a diferença para ambas as partes? Com certeza

dessa forma não seria possível mandar 10 currículos por dia, mas demonstraria que

sabe o que quer e busca uma carreira profissional, não está apenas apertando o

enter na expectativa de encontrar aquilo que aparecer.

Faça seu currículo com cuidado, lembre que ainda não o conhecemos. Se decidir

colocá-­‐lo no corpo do email, não deixe de anexar o arquivo também. Não liste os lugares

que trabalhou, mas conte o que aprendeu, desenvolveu e conquistou na empresa.

Sem experiência? Não apenas liste os congressos que participou durante a faculdade, a

outra parte pode pensar que é apenas uma “viagem”, fale o porque deve ser considerado.

Não precisa contar onde estudou no primário, mas vamos adorar saber quais os cursos

que fez e projetos que realizou. No mais, faça porque realmente acredita no que é

proposto, na sua capacidade e ambição, porque senão os dias não vão passar de

frustrações e talentos perdidos.