Quer aumentar sua visibilidade no mercado?

Participe do Workshop LinkedIn para Carreira da APP Brasil

O Workshop LinkedIn para Carreira vai ajudá-lo a entender a importância da rede e diferenciá-lo como profissional, mostrando como seu perfil pode ser mais que um currículo e tornar-se a sua marca pessoal.

POR QUE PARTICIPAR DO WORKSHOP LINKEDIN PARA CARREIRA?

Com a pandemia, o mercado de trabalho se tornou ainda mais competitivo e estar bem posicionado no digital nunca foi tão importante.

A proposta é um encontro prático e interativo.
Ao final do Workshop LinkedIn para Carreira você terá todas as informações para ter um perfil completo e saber explorar todos os recursos do LinkedIn, bem como se posicionar corretamente na rede.

Inscrições aqui

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Soft Skills: quais são as habilidades do profissional do futuro?

Mais do que dominar habilidades técnicas, livro inédito no Brasil destaca que profissionais do futuro serão selecionados pelo comportamento

Você sabia que a revolução digital transformou as relações humanas até mesmo profissionalmente? Um estudo recente realizado pela IBM em 50 países, com 5.800 executivos, corrobora com a afirmativa e aponta que, os próximos três anos, mais de 120 milhões de profissionais deverão se recapacitar para trabalhar nesses modernos ambientes digitais. Ao contrário do que pode parecer, o maior desafio está na ausência de habilidades comportamentais por parte dos candidatos.

Mas o que as Soft Skills têm a ver com essa nova realidade? Tudo. Soft Skills é um termo em inglês usado, sobretudo, por profissionais da área de recursos humanos para definir habilidades comportamentais.

A frase de Peter Drucker permanece uma máxima nos dias atuais: “As pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas, mas são demitidas pelos seus comportamentos”. Sabe-se que nove em cada 10 profissionais, cerca de 90% das pessoas, são contratadas pelo currículo (Hard Skills) e demitidas pelos comportamentos (Soft Skills). A informação é do levantamento de 2018 da Page Personnel, consultoria global de recrutamento. Os dados destacam que não basta profissionais qualificados tecnicamente, com ótimos cursos e atividades complementares para serem selecionados para uma vaga. Relacionamento interpessoal, comunicação, liderança, negociação, empatia etc., são algumas das Soft Skills mais buscadas pelas empresas nos candidatos e que vão muito além dos bancos de faculdade.

Do mesmo modo que a tecnologia e a inteligência artificial avançam rapidamente, é fato que as Soft Skills dificilmente serão copiadas pelos robôs. É o que revela o livro Soft Skills: competências essenciais para os novos tempos, que será lançado pela Literare Books International em novembro. Lucedile Antunes coordenadora editorial dessa obra de coautoria, conseguiu reunir grandes especialistas que compartilharam seus conhecimentos e valiosas experiências. Os capítulos são apresentados em um estilo que irá prender a atenção do leitor, do prefácio ao epílogo.

Dentre esse grupo seleto de autores, o livro reúne CEO’s, C-levels da área de desenvolvimento humano, terapeutas, coaches e médicos comportamentais. A obra traz um conteúdo prático de como desenvolver as principais Soft Skills mais buscadas pelos profissionais no mercado dos tempos atuais e como dar os passos para o seu autodesenvolvimento.

Livro inédito no Brasil
O livro Soft Skills: competências essenciais para os novos tempos será lançado virtualmente pelo canal da editora Literare Books no Youtube (http://youtube.com/literarebooks). O lançamento da obra foi planejado para o formato virtual devido à pandemia do novo coronavírus.

A obra foi estruturada em 33 capítulos, além da introdução e epílogo. Dentro desse livro, o leitor encontrará tudo o que precisa saber para se tornar um ser humano ainda melhor e, acima de tudo, um profissional destacado no mercado. “Ao longo do livro você entenderá quais são as exigências comportamentais que o mundo nos desafia a aprender, passando pela importância das inteligências emocional, espiritual, lúdica e relacional”, informa a coordenadora editorial Lucedile Antunes.

Ao final de cada capítulo o leitor encontrará dicas incríveis de como desenvolver cada Soft Skill. A autoconsciência, a sensibilidade e uma ampla gama de linguagens do corpo e do coração (emoções e comportamentos) não podem ser facilmente reproduzidas pelos robôs. É por isso que as Soft Skills se tornarão cada vez mais os nossos verdadeiros diferenciais. Uma obra imprescindível para os dias atuais.

Empatia, comunicação intrapessoal, coragem, resiliência, inteligência lúdica, emocional, espiritual e relacional, adaptabilidade, lifelong learning (capacidade de aprendizagem ao longo da vida), trabalho em equipe, autoliderança, atitude positiva, criatividade e aprendizado, sensibilidade, resiliência, resolução de problemas, humor, netweaving, autenticidade, altruísmo, escuta ativa, negociação, pensamento empreendedor, experimentação, colaboração, reflexão sobre os seus pontos fortes, o poder do autoconhecimento e da gestão das emoções e ansiedade, estão entre os temas abordados, em uma brilhante síntese do que precisamos saber para nos reinventar em um mundo que não para de se transformar.

Sobre o Livro
Soft Skills: competências essenciais para os novos tempos
Coordenação editorial: Lucedile Antunes
Literare Books International – 1ª edição – 258 páginas
Formato: 23×16
ISBN: 9786586939903
Amazon: http://bit.ly/livro-soft-skills
Loja Literare Books: http://bit.ly/loja-literare-soft-skills

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Plataforma chama atenção do mercado ao captar clientes para arquitetos, engenheiros e designers de interiores

Brasil 5/11/2020 – Na faculdade infelizmente não nos ensinam a como construir uma carreira de sucesso, e sim a procurar por empregos…

Urbaniza Pro mistura oportunidades reais através de concursos de projetos, captação de clientes ativa e capacitação para profissionais e estudantes da área.

Não é novidade para ninguém que o número de profissionais de Arquitetura, Engenharia e Design de Interiores cresce no Brasil ano após ano. Segundo levantamento do CAU realizado no último ano, 35% das empresas hoje ativas no país foram abertas nos últimos 5 anos.

Seguindo o sentido contrário, no caso da Engenharia, 58% dos profissionais formados não atuam na área, segundo o CNI. Esses dados, na prática, refletem que cada vez mais profissionais entram no mercado e têm acesso a cada vez menos oportunidades reais de exercerem sua profissão, naturalmente acendendo um alerta em seus respectivos conselhos.

Esse mesmo impacto de mercado também foi sentido por Pedro Furfuro, Engenheiro Civil de formação e fundador da Urbaniza Pro, uma plataforma “tudo em um” criada exclusivamente para profissionais e estudantes de Arquitetura, Engenharia e Design de Interiores. “Tanto profissionais quanto estudantes de Arquitetura, Engenharia e Design de Interiores precisam de oportunidades reais, somos pessoas altamente criativas e transformamos vidas com nossos projetos. Na faculdade infelizmente não nos ensinam a como construir uma carreira de sucesso, e sim a procurar por empregos… Acontece que já estamos em 2020, não dá pra ficar perdendo 1, 2 ou 3 anos da nossa vida levando ‘não atrás de não’ do mercado, com a Urbaniza Pro, o profissional não só pode como deve construir seu próprio SIM, ou seja, construir seu próprio sucesso! Nós temos todas as ferramentas necessárias para isso”, afirma.

Na Urbaniza Pro, o profissional ou estudante que se torna membro tem acesso a três principais vantagens: A primeira delas é a captação de clientes ativa, onde clientes de todo o país podem encontrar o profissional e contratá-lo para o desenvolvimento de um projeto. Em seguida há o painel de concursos, com concursos de projetos com premiações em dinheiro que garantem ao membro um portfólio profissional e a produção de conteúdo para suas redes sociais. Além disso, a plataforma conta também com um portal de conteúdo com aulas e materiais de diversos temas como captação de clientes, vendas, gestão financeira, Revit, renderização, projetos complementares, etc.

Com membros na maior parte dos estados brasileiros, a Urbaniza Pro vem se tornando um destino cada vez mais comum entre profissionais e estudantes de Arquitetura, Engenharia e Design de Interiores do país. “A plataforma está realmente bem completa, nos dando a oportunidade de colocarmos tudo o que precisamos para que o cliente nos encontre, seja via redes sociais, contato, etc. Fora que o suporte é nada menos que excelente. Melhor investimento que já fiz”, Comenta Tiago Henrick, de Mogi das Cruzes/SP e membro da plataforma.

A plataforma pode ser acessada diretamente pelo site da Urbaniza Pro, tem experiência gratuita para pessoas que desejam encontrar profissionais de Arquitetura, Engenharia ou Design de Interiores de todo o país e mensalidade para profissionais e estudantes que desejam se tornar membros.

Website: https://urbanizapro.com.br/

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dança das cadeiras

O mercado volta a se movimentar

Ficamos um tempo sem noticiar as idas e vindas do mercado publicitário e de comunicação/marketing da RM Vale do Paraíba. Mas agora estamo de volta com duas novidades. Confira:

Renan Floriano de Siqueira acaba de assumir o posto de Especialista de Produto e Novos Negócios na Academia CEO. Ele estava atuando como Coordenador de Expansão de Polos EaD na Unitau.

Já o publicitário Ariel Marcon é o novo Coordenador de Marketing na Lexos. Ele estava atuando em planejamento na Focusnetworks – OnLife Marketing Transformation.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Quais são os desafios numa era de carreiras digitais

Futuro do Trabalho: Os desafios de carreira na era digital

*Por Valdir Scalabrin Superintendente do Instituto da Via de Acesso

A tecnologia impôs mudanças rápidas em todas as áreas das nossas vidas. Cadernos deram lugar a tablets; lousa e giz têm há tempos sua versão digital; enciclopédias tornaram-se Wikipedia etc. A curva das inovações avança de forma progressiva. Enquanto as gerações de nossos pais, avós e bisavós passavam 20 ou 30 anos sem mudanças disruptivas, atualmente não há um dia sequer sem que alguma inovação seja anunciada ao mercado.

Imagem de Eluj por Pixabay

A internet alavancou a inovação a uma velocidade praticamente impossível de ser acompanhada. Segundo o Data Never Sleeps, relatório gerado anualmente desde 2013 pela empresa Domo, a estimativa é que em 2020 o universo digital atinja os 44 zettabytes e que cada pessoa no mundo gere 1.7 MB de dados por segundo. Este volume de dados não para de crescer, e a expectativa é que tenhamos cada vez mais informações disponíveis.

Associado a isso, temos o avanço da Inteligência Artificial que, segundo estudo realizado em 2019 pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Microsoft, pode elevar a taxa de desemprego no país em 4 pontos percentuais nos próximos 15 anos, e, no cenário mais agressivo, considerando os empregados menos qualificados, esse aumento deve chegar a 5,14 pontos na taxa de desemprego e 1,56 ponto de aumento de empregos qualificados.

A estimativa do Fórum Econômico Mundial é um pouco mais preocupante. Segundo relatório de 2018 apresentado novamente em 2020, a taxa de automação no trabalho passa de 29% em 2018 para 42% em 2022 e deve ultrapassar os 52% em 2025. Essa taxa de automação influi diretamente no desemprego, por isso a necessidade de aprender novas habilidades tem sido ressaltada nos últimos anos.

Mas a situação não é para desespero, a tecnologia elimina empregos, mas também os cria. Segundo relatório anterior sobre Futuro do Trabalho do Fórum Econômico Mundial, as estimativas são de que 65% das crianças que estão começando a estudar hoje terão empregos que ainda não existem.

Não é por acaso que as teorias que aprendemos na universidade estão sendo revisitadas, reformuladas e até substituídas por algo inteiramente novo. A forma como nos relacionamos, trabalhamos, nos alimentamos ou, ainda, como nos transportamos, talvez esteja sendo alterada nesse exato momento por uma startup, que pode estar dando os últimos retoques no aplicativo que revolucionará nossas vidas, e isso, “mais uma vez”.

O grande desafio atualmente é o de estar sempre aprendendo novas habilidades, alimentando o ciclo do conhecimento e antenado com as novas tecnologias, para não correr o risco da obsolescência profissional e, consequentemente, o desemprego.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Palestra aborda carreira

ACIT realiza mais uma etapa do Projeto Palestra Itinerante

Sempre atenta ao desenvolvimento da cidade de forma homogênea, por meio do comércio e prestação de serviços, a Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT) leva para a região da Estiva e adjacências o Projeto Palestra Itinerante.

Foto: Pixabay

Sucesso nos últimos dois anos, o projeto foi pensado visando aumentar a abrangência dos serviços e atender o público das diferentes regiões de Taubaté por meio de eventos nos variados bairros da cidade, levando capacitação e informação aos comerciantes de todas as regiões, com assuntos inerentes às realidades de cada parte da cidade.

O evento acontece na quinta-feira, dia 20 de setembro, das 18h30 às 21h, no auditório do SESI e vai trazer o tema “Como ser protagonista da sua carreira”. A palestra será ministrada por João Carlos Rocha, que abordará temas como: reflexão sobre a trajetória profissional; percepção do papel da profissão na vida; e como estimular os próximos passos da carreira.

Com cunho social, a entrada é mediante a doação de 1 quilo de alimento não perecível, em prol do Lar Irmã Amália de Taubaté. As vagas são limitadas e para participar é preciso confirmar presença pelos telefones (12) 2125-8210/8212, whatsapp (12) 99189-7964 ou ainda pelo email: cursos.acit@taubate.com.br.

A Palestra Itinerante ACIT tem patrocínio da Fábrica de Bolos Vó Alzira e apoio do SESI São Paulo e do Lar Irmã Amália.

Serviço:

Palestra Itinerante ACIT

Data: 20 de setembro – quinta-feira

Horário: das 18h30 às 21h

Local: SESI Taubaté

Endereço: Av. Voluntario Benedito Sérgio, 710 – Estiva

Horário: 18h30 às 21h

Entrada mediante doação de 1 quilo de alimento não perecível.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Quero começar minha carreira…

Como começar sua carreira em comunicação

por Josué Brazil

Tempos atrás fui elogiado por uma leitora do blog em função de um texto publicado. E ela me fez uma sugestão e/ou pedido: fale sobre o início de carreira, sobre como entrar no mercado.

Vou tentar atender esse pedido usando um pouco das coisas que vi e vivi tanto no mercado de agências de propaganda quanto nas universidades. Vamos lá:

1 – Comece sua carreira na faculdade – sempre digo aos meus alunos que a carreira profissional deles começou exatamente no primeiro dia de aula. Na primeira vez que se sentou na carteira escolar em sua sala de aula. É na faculdade que, desde o início, o aluno/profissional deve mostrar o que quer, o quanto quer e o que vai fazer para conseguir chegar lá. Tratar cada trabalho escolar como um desafio e fazer coisas incríveis e não apenas para tirar nota, aproximar-se dos professores, colaborar com os colegas, voluntariar-se, participar de TUDO, frequentar os eventos da faculdade e depois tentar conversar com os palestrantes. Ser um ótimo aluno!

2 – Leia! – leitura ainda é uma das mais poderosas armas para aumentar sua qualificação e empregabilidade. Não tenha preguiça. Não me venha com aquele história de que não gosta de ler: aprenda a gostar. E rápido! Leia livros de sua área, leia publicações de sua área, leia blogs de sua área. Mas leia! Literatura, poesia, entrevistas e artigos científicos. LEIA!

3 – Comece por algum lugar – não fique escolhendo muito qual estágio fazer. Tudo bem, há propostas indecorosas de estágio. Então, exageros negativos a parte, é melhor um estágio ruim do que ficar em casa sem fazer nada. Um estágio ruim pode gerar, mais a frente, um emprego bom. Começar em algum lugar é bom para conhecer gente, conhecer o mercado, fazer relacionamentos e usar isso para buscar uma posição melhor. Há de se engolir vários sapos e ralar um pouco para chegar em algo legal. Quase sempre será assim. Caso tenha condição e achar que o lugar vale a pena tente estagiar sem remuneração. Pode valer muita coisa lá na frente.

4 – Faça um bom CV – há muitos modelos disponíveis na internet. Há tutoriais, dicas, textos… Pesquise e tente fazer um bom currículo. Mesmo que num primeiro momento você não tenha muita coisa para incluir no CV, o importante é tê-lo bem redigido, organizado e claro. E, por favor, evite abreviações no texto do CV. Caso você queira ir para uma área criativa faça um portfólio. Há plataformas digitais disponíveis para fazer um portifa minimamente bom. Capriche ao máximo. Mas cara, eu ainda não trabalhei, como vou ter portfólio??? Onde estão os seus melhores trabalhos de faculdade?

5 – Chegue preparado para entrevistas – o CV e o portifa fizeram a parte deles e você conseguiu uma entrevista! Prepare-se, arrume-se (vista-se adequadamente), pesquise e vá com tudo para uma entrevista de estágio/emprego. Não seja convencido ou arrogante, mas tenha confiança e mostre o que você é capaz de – realmente – fazer. Nunca fale coisas negativas de seu emprego/estágio anterior e nem desmereça sua faculdade/curso. Por que alguém iria querer contratar alguém de um curso que tem todos os defeitos que você citar na entrevista? Diga o quanto a faculdade ajudou você a conhecer sua área. Seja positivo! E seja autêntico e honesto. SEMPRE!

6 – Não tenha vergonha – peça indicações, solicite nomes, contatos. Fale com seus amigos, familiares, professores, parentes distantes, namorado(a), sogo ou sogra… diga que está a fim, que precisa. Mantenha contato com seus professores mesmo depois de formado. Acompanhe sites de emprego/vagas/estágios. Leia sobre o mercado e identifique oportunidades. Quem quer tem que se virar!

7 – Marque presença – vá a eventos, palestras, cursos, treinamentos, workshops etc. Há muita coisa barata e as vezes até gratuita. Faça cursos online. Faça cursos rápidos. E em todas as oportunidades conheça pessoas. Fale com elas, pegue contatos.

8 – Use o Linkedin – ele é uma grande ferramenta. Caso não tenha um perfil lá faça. Imediatamente! Agora! Procure dicas de como se comportar nesta rede social. O que fazer lá. Como ter um bom perfil. E faça!!!

9 – Seja gente boa – seja íntegro, honesto, correto, verdadeiro. Seja autêntico! E seja comunicativo. Mesmo que você não seja a pessoa mais extrovertida do mundo, entenda que é necessário saber conversar bem. E escrever bem.

10 – Dica final – o melhor momento para procurar um bom emprego é quando se está empregado. Conserte seu telhado nos meses em que faz sol. Quando chove, e as goteiras aparecem, já é tarde demais.

Outros muitos fatores podem intervir para sua entrada no mercado de trabalho. Portanto, mantenha-se atento e forte. Cave chances. Mantenha olhos e ouvidos bem abertos. E boa sorte

 

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Livro trata de gestão de imagem

Editora Senac São Paulo lança livro com foco em gestão de imagem

A máxima popular “a primeira impressão é a que fica” nunca foi tão atual. Em um mundo extremamente conectado, as incontáveis quantidades de selfies, posts, vlogs e os mais diversos conteúdos visuais são responsáveis pela impulsão da imagem como primeiro contato com alguém, seja ele no âmbito profissional ou pessoal. É praticamente impossível não ler uma pessoa pela sua postura, sua forma de falar ou de cruzar as pernas. No âmbito profissional, essa leitura pode ser fator determinante para conquistas.

Para ajudar o público a entender a importância da imagem para sua carreira, Joel Reis e Roseli Mazulo lançam, pela Editora Senac São Paulo, o livro Gestão de Imagem | Propósito, plano de carreira e êxito profissional. Nele, os profissionais destacam a importância da imagem para a conquista de realizações profissionais e pessoais e apresentam ferramentas e caminhos para quem deseja melhorar ou até mesmo reposicionar sua percepção.

Com prefácio de Arlindo Grund, a obra mostra que cuidar de sua imagem pessoal está além do que é visto no exterior, como uso de uma roupa com um bom corte ou de acessórios caros, por exemplo. Na verdade, ela abrange um conjunto de atitudes e complementos que valorizam quaisquer itens vestidos por alguém. O interior reflete no exterior.

Para eles, o passo inicial de todo o processo é o autoconhecimento. É por meio disso que se torna possível entender a real essência de quem você é e qual seu propósito de vida. E é essa análise que permite que sejam desenhados e/ ou ajustados os pontos destoantes da mensagem que uma pessoa quer transmitir da que ela está transmitindo de fato, em sua apresentação.

Ao longo de mais de 200 páginas, Joel e Roseli instigam e inspiram seus leitores a se descobrirem e a adotarem ferramentas que valorizem e destaquem sua personalidade. Da administração do tempo com sabedoria a questões que agreguem cultura, são apresentados pontos que ajudam na construção de um plano de carreira pautado por uma imagem verdadeira e única, um importante diferencial dos grandes profissionais.

Indispensável para o aprimoramento pessoal e profissional de cada leitor, Gestão de Imagem | Propósito, plano de carreira e êxito profissional propicia conteúdo de qualidade a todos que desejam melhorar sua imagem para alçar voos mais altos em suas carreiras.

Sobre os autores

Joel Reis

Formado em publicidade e propaganda, tornou-se um dos relações públicas mais respeitados do país, sendo responsável pelos eventos mais disputados do eixo São Paulo–Minas Gerais–Rio de Janeiro–Nova York, onde produziu desfiles de moda para a Calvin Klein. Depois de trabalhar para as marcas mais consagradas do mundo, como LG, Perrier-Jouët e Prada, escreveu o livro Sou Produtor de Eventos | Diário de bordo para o aperfeiçoamento profissional, publicado pela Editora Senac São Paulo.

Roseli Mazulo

Formada em letras e pós-graduada em psicopedagogia, foi secretária executiva de grandes empresas. Atua em educação há mais de trinta anos e é organizadora de eventos e cerimônias, entre outras atividades. É docente do Senac São Paulo nos cursos de comunicação, organização de eventos, protocolo e cerimonial, marketing pessoal, etc. Coautora do livro Secretária | Rotina gerencial, habilidades comportamentais e plano de carreira, publicado pela Editora Senac São Paulo.

Fonte: Fernanda Spagnuolo – Estrela Comunicação

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Coluna Branding: a alma da marca

O que você é?

Nessa última semana fui surpreendido com uma pergunta de um aluno que questionava o que eu era além de professor?

Esse questionamento, que soou inicialmente como aquela velha história de desprestígio com a função de professor, me deu a oportunidade de refletir um pouco mais sobre um assunto importante e contemporâneo, então, relutei um pouco mas respondi: “SOU HUMANO!”

Passadas as risadas do grupo que estava ao meu redor, tive a oportunidade de desenvolver mais o assunto com os alunos e gerar um aprendizado muito interessante. O que nos define não poderia ser tão stricto sensu.

Temos como mania, nos definir por nossa profissão. Sou publicitário, design, arquiteto, ou ainda mais stricto, sou diretor de arte, design gráfico ou design de interiores … mas aí a pergunta que fica é …E quando nos falta o emprego o que somos? Perdemos a nossa finalidade e assim a nossa identidade?

No mundo de hoje, quantos de nós se sentem frustrados com o que não conseguem representar profissionalmente? Será que ao colocar tanta importância em uma empregabilidade não estamos fragilizando a nossa natureza?

É interessante também perceber que, se tivesse que me definir mais assertivamente, provavelmente diria que sou algo como ” um cientista social aplicado”, e neste caso é até lógico que como tal, deveria me preocupar com os principais assuntos sociais do mundo e a clara falta de “Humanidade” em que nos deparamos por todos os lados.

É como se de repente nos víssemos todos desempregados dos cargos de “Humanos” e nos definíssemos a partir do nosso bico, que é ter uma profissão.

Não estou me desfazendo da importância da formação profissional, seria até um contra-senso trabalhando como um professor fazê-lo mas, questiono sim, se estamos posicionando acertadamente o valor da empregabilidade nessa relação.

Os jovens, os quais ensino diariamente, deixam claro que não querem estar limitados a um projeto de vida que os fixe a um cargo, setor, empresa, profissão ou país. São claramente sonhadores de espírito livre que precisam de nós apenas para dar-lhes um ancoradouro moral, uma trilha mais justa e sustentável.

No mundo novo, me parece claro que eles irão mais longe tecnicamente que a nossa geração, e com muito menos esforço, pois, estão vivendo uma revolução tecnológica que avança em velocidade maior que a dos séculos anteriores. Este processo garante também um conforto menor ao emprego, o que talvez preocupe demasiadamente a atual geração de adultos de 35 a 50.

Ser hoje, portanto, um ser humano, um cientista social no cargo de professor, me obriga a pensar melhor no que posso contribuir para o futuro desses jovens .

Sendo assim, acho que preciso aprimorar as minhas aulas para que consiga transferir claramente qual é a hierarquia das coisas, pois, se no futuro faltar-lhes o emprego, ainda assim devem estar preparados para serem um analista da vida cotidiana, e se tiverem calada a sua voz social, mesmo assim, NUNCA PODERÃO PERDER A SUA HUMANIDADE!

Para nós professores, #FicaDica!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0