O impacto da propaganda na economia

A publicidade na economia moderna

por Josué Brazil

Atualmente, a forte concorrência e a grande capacidade produtiva obrigam o empresariado a apostar cada vez mais no uso da publicidade para comercializar com sucesso seus produtos.

Outro fator que pesa na decisão do uso da propaganda é a necessidade de desenvolvimento e lançamento de novos produtos, além da construção da marca da empresa.

É preciso deixar claro, entretanto, que a publicidade é apenas uma das forças que levam a venda de produtos. Existem diversas forças que devemos combinar para poder efetuar a venda de produtos e serviços. São elas:

1 – o próprio produto;
2 – a distribuição;
3 – a embalagem;
4 – os vendedores;
5 – a promoção de vendas;
6 – o preço.

Efeitos da publicidade na economia das empresas

a) Criação de mercados – quando se trata de produto ou serviço novo, a publicidade pode criar um mercado onde antes não existia.

b) Ampliação de mercados – se o mercado já existe, a propaganda pode ampliá-lo em duas direções:
– verticalmente, alcançando novas faixas de consumidores;
– horizontalmente, ampliando o campo de uso do produto.

c) Ação reguladora – quando o ciclo de produção não se desenvolve paralelamente ao de consumo, a publicidade pode atuar como um regularizador.

d) Redução de custos – a produção em série foi obtida graças ao uso da publicidade que introduziu produtos padronizados, que sem dúvida alguma foi fator fundamental na queda dos custos.

e) Ação sobre os preços – a publicidade favorece a prática de preços reduzidos para atrair a atenção dos consumidores.

f) Aceleração da rotação de estoques – a publicidade permite acelerar a rotação de estoques (“turnover”) o que permite a liberação do capital empregado na estocagem e distribuição para outras áreas estratégicas da empresa.

g) Melhoria da qualidade – por ser um compromisso público a publicidade influi na qualidade. Basta apenas um produto ruim para comprometer toda a empresa.

O tamanho da propaganda no Brasil

O mercado brasileiro movimentou R$ 134 bilhões em compra de mídia – compra de espaços publicitários nos meios de comunicação – no ano de 2017. A informação vem do Kantar Ibope Media, que utiliza como métrica os preços cheios das tabelas dos veículos de comunicação, sem os descontos praticados com as agências para seus respectivos anunciantes.

Esses são números apenas da compra de espaços publicitários. Se pensarmos nos empregos gerados direta e indiretamente, a contratação de fornecedores (gráficas, produtoras etc), a contratação de profissionais freelancers e etc, podemos imaginar um número ainda maior.

Você pode ter uma ideia bem mais completa do impacto da publicidade&propaganda na economia brasileira acessando este material.

Fontes:

CABRAL, Plínio. Propaganda: técnica da comunicação industrial e comercial. 3º Ed. São Paulo, Atlas, 1990.
RIBEIRO, J. Tudo que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar. 3ª Ed. São Paulo, Atlas, 1989.
SAMPAIO, R. Propaganda de A a Z: como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso. Rio de Janeiro, Campus, 1995.
SANT’ANA, A. Propaganda – Teoria, técnica e prática da comunicação. 7ª ed. São Paulo, Pioneira, 1998.

www.abap.com.br

O que se pode aprende com as Olimpíadas

O que os estudantes precisam aprender com as Olimpíadas e seus atletas?
Psicóloga e coach educacional fala sobre dicas para os estudantes se inspirarem nos atletas olímpicos e alcançarem seu lugar no pódio

swimming-78112_640Os atletas olímpicos são a bola da vez e além de representar seus países nas Olímpiadas são fonte de inspiração para muitos, inclusive, para os estudantes que diariamente superam obstáculos para alcançar o tão sonhado sucesso na carreira profissional, garantindo o diploma universitário. E foi pensando nesse cenário competitivo e cheio de oportunidades, que a psicóloga e coach educacional Mariana Marco preparou dicas para os estudantes se inspirarem nos atletas olímpicos para conquistar o seu lugar ao pódio. Confira:

▶ Ninguém torna-se medalhista treinando às vésperas da competição, por isso estudar diariamente é mais interessante que varar uma madrugada toda sobre os livros;

▶Fracassos públicos (como cair de bunda ou errar um pênalti) são superáveis e são o combustível para treinar ainda mais, portanto notas menores ou críticas severas de professores só te fazem mais forte;

▶ Ter um propósito pelo qual treinar forte. Provar à uma nação, agradecer à mãe, superar seus limites físicos, ensinar à alguém ou conquistar a fama. Não importa. Saiba qual é seu propósito!;

▶ É preciso abrir mão. Sim, os atletas abrem mão de horas de sono, alimentos pouco nutritivos e de vida social para conquistarem boas posições;

relay-race-655353_640▶ Ninguém vê, ninguém sente por eles, mas as lesões existem. Um estudante com dificuldades e limitações é como um atleta lesionado. É preciso tratamento, cuidado e esforço. É possível o alto rendimento apesar das limitações;

▶ Até que enfim verbalizaram publicamente que o aspecto emocional/psicológico conta tanto quanto a preparação física. Ou seja, estar seguro e preparado psicologicamente para a vida universitária é tão importante quanto suas leituras e exercícios;

▶ A medalha de ouro não dura para sempre. Quem deseja continuar no pódio deverá continuar treinando. Um semestre bem feito não é o suficiente para UMA VIDA de alta performance;

▶ Ter alguém que “chegou lá” como admiração e inspiração facilita o caminho. Estudantes, pensem comigo: se alguém já fez e deu muito certo, porque não seguir?

Fonte: Bruna Sales – Assessora de Imprensa