A origem das agências

Drops fala do começo das agências de propaganda

O drops de rádio do Publicitando que foi ao ar ontem no Panorama, programa exibido de segunta a sexta feira pela Rádio UNitau trata da origem das agências de propaganda, como elas surgiram a partir do desenvolvimento dos jornais.

Confira:

 

 

Coluna “Discutindo a relação…”

Você sabia que a propaganda nem sempre foi criativa?

É verdade!

No início da revolução industrial a propaganda era usada basicamente para informar as pessoas de que os produtos, agora padronizados e produzidos em série, existiam e estavam a disposição dos consumidores. A propaganda, neste momento, era basicamente informativa pois quase tudo era absolutamente novo.

Com a proliferação dos métodos e recursos de produção industrial começou a surgir a concorrência entre produtos similares, semelhantes, que ofereciam os mesmos benefícios para quem os comprasse e utilizasse. Aí surge a necessidade de a propaganda começar a criar diferenciais para tais produtos. Era preciso algo mais do que simplesmente informar.

Aí a propaganda parte para a persuasão, para o encantamento e, portanto, passa a buscar elementos criativos. Ela passa a ser criativa.

Olha o que o Carlos Domingos escreveu sobre isso em seu famoso livro “Criação sem pistolão – Segredos para você se tornar um grande criativo”:

“Depois da Revolução Industrial, o mundo assistiu ao lançamento de milhares de produtos novos. A geladeira, o automóvel, o liqüidificador, o creme dental, a margarina e produtos de beleza passaram a ser vendidos em larga escala. Como tudo era novidade, bastava mostrar o produto, dizer para que ele servia e pronto: as pessoas iam correndo comprar. Por isso os anúncios eram óbvios, diretos, sem qualquer criatividade. Por ser praticamente educativa, a propaganda introduziu na sociedade novos hábitos de higiene, saúde, beleza e cuidados com o lar. Foi ela que ensinou, por exemplo, as crianças a escovar os dentes.

Essa situação começou a mudar na segunda metade do século 20. Os produtos deixaram de ser novidade e foram surgindo diversos concorrentes no mercado. A pergunta do consumidor não era mais “por que preciso de uma geladeira?”, mas sim “qual geladeira eu devo comprar?”Descobriu-se que o produto que tinha a imagem mais simpática junto ao consumidor levava vantagem no ponto-de-venda. E para ter imagem simpática era preciso uma comunicação simpática. Foi por isso que surgiu a propaganda criativa: para ganhar a preferência do consumidor, diferenciar os produtos e construir a imagem das marcas.”

Sem o correto e adequado uso da criatividade é impossível, atualmente, conseguir a atenção e a simpatia dos consumidores.

A gente pode dizer que a propaganda moderna, criativa e estratégica é consequência da revolução industrial e da
concorrência.

E aqui no Brasil?

A grande virada criativa da propaganda brasileira ocorreu nos anos 1960. Até então ou se reproduzia ou se copiava o que era feito nos países sedes dos grandes anunciantes. Mas um grupo de publicitários brasileiros resolveu mudar isso e propor uma linguagem criativa que tivesse mais ligação com o jeito de ser do brasileiro.

Veja o que ecreveram Daniela Regina da Silva e Jairo de Araújo Lopes em “Publicidade no Brasil: novos caminhos, novas linguagens”:

“Para a publicidade, a década de 1960 foi revolucionária. Muitas mudanças ocorreram e outras práticas se consolidaram. O primeiro ponto a ser destacado é a criatividade reconhecida pelo ramo como fundamental. Houve a integração entre redação e arte e a valorização de profissionais versáteis que criam para diferentes mídias. Com relação à linguagem, houve a mudança de ênfase dos apelos racionais para os apelos emocionais.”

Essa mudança fez com que a propaganda brasileira se destacasse no cenário mundial nas décadas seguintes e possibilitou que o Brasil seja, atualmente, uma das três maiores potencias criativas da propaganda mundial, ganhando prêmios nos principais festivais internacionais de criatividade publicitária.

Premiando trabalhos sobre a livre concorrência

TIM e IBRAC premiam pesquisadores sobre Defesa da Concorrência no Brasil
Iniciativa visa a estimular a cultura da livre concorrência no país; evento de 2016 reuniu número recorde de trabalhos inscritos

Na sétima edição do Prêmio IBRAC TIM 2016, que aconteceu na última semana no Grande Hotel de Campos do Jordão (SP), foram premiados os sete melhores trabalhos acadêmicos sobre Defesa da Concorrência na categoria “Graduação” e “Pós-Graduação”. Neste ano, a premiação registrou um número recorde de pesquisas inscritas, 44 no total, quase o dobro do ano passado. Ao longo dos sete anos de premiação, foram avaliados 250 trabalhos.

unnamed-3Na categoria Graduação, os vencedores foram Vinícius Uler Lavorato (Instituto de Educação Superior de Brasília) em primeiro lugar; Zack Douer (Fundação Getúlio Vargas) em segundo e, empatados em terceiro, Gabriella de Alarcón Guimarães (USP) e Mônica Tiemy Fujimoto (USP).

Já na categoria pós-graduação/profissionais, os vencedores foram Patrícia Serson Deluca em primeiro lugar (CEABE – Master in Business Economics); Ricardo Villela Mafra Alves da Silva (University of California) em segundo lugar e Ana Paula Paschoalini (Faculdade de Direito da USP) em terceiro lugar. O primeiro lugar dessa categoria ganhou R$ 15 mil reais e a inscrição no 64rd Antitrust Law Spring Meeting (ABA), em Washington, EUA, com direito a hospedagem e passagem aérea.

Estiveram presentes na cerimônia de premiação no dia 20 de outubro Eduardo Caminati, Presidente do Ibrac; Mario Girasole, vice-presidente de Assuntos Institucionais e Regulatórios da TIM; Marcio Junior, Presidente do CADE, entre outras autoridades.

Confira abaixo os trabalhos premiados:

Categoria Graduação:

1º COLOCADO

Título: A quantificação econômica de danos decorrentes de cartel como instrumento de efetivação do papel dissuasor do dano moral coletivo: um estudo de caso do cartel de combustíveis em Guaporé – RS

Autor: Vinícius Uler Lavorato (Instituto de Educação Superior de Brasília)

2º COLOCADO

Título: Um novo velho desafio antitruste: cooperação ou colusão?

Autor: Zack Douer (Fundação Getúlio Vargas)

3º COLOCADO (1)

Título: A interface entre política industrial e política concorrencial sob a perspectiva do subdesenvolvimento

Autora: Gabriella de Alarcón Guimarães (Universidade de São Paulo)

3º COLOCADO (2)

Título: Análise crítica do transplante do programa de leniência brasileiro

Autora: Mônica Tiemy Fujimoto (Universidade de São Paulo)

Categoria pós-graduação/profissionais

1º COLOCADO

Título: Cláusula de raio em contratos de locação por shopping centers como conduta anticompetitiva: metodologias de análise no contexto brasileiro

Autora: Patrícia Serson Deluca (CEABE – Master in Business Economics)

2º COLOCADO

Título: The approach of antitrust law toward excessive pricing: a matter of policy or fairness?

Autor: Ricardo Villela Mafra Alves da Silva (University of California)

3º COLOCADO

Título: Fixação e sugestão de preços de revenda: principais efeitos concorrenciais e distribuição do ônus de prova

Autora: Ana Paula Paschoalini (Faculdade de Direito da USP)

Fonte: Alamaeda Comunicação – Viviane Sorbile

Concurso de monografias sobre concorrência

TIM e IBRAC promovem concurso de monografias sobre Defesa da Concorrência
Prêmio inclui categorias para estudantes, alunos de pós-graduação e profissionais. Vencedores poderão ganhar até R$15 mil

tim1Estão abertas as inscrições para o Prêmio IBRAC – TIM 2016, sétima edição da parceria entre o Instituto e a operadora TIM, que selecionará os melhores projetos de monografias sobre o tema “Defesa da Concorrência”, com objetivo de promover a cultura da livre concorrência e competição no país.

O prêmio terá categorias voltadas para estudantes universitários de instituições brasileiras ou estrangeiras, que não tenham concluído outro curso de graduação até dezembro de 2016, e para alunos de pós-graduação ou profissionais que tenham realizado estudos sobre o tema concorrencial. Os interessados em participar devem enviar os seus trabalhos até o dia 18 de setembro.

A premiação ocorrerá durante o 22º Seminário Internacional de Defesa da Concorrência, nos dias 20 e 21 de outubro de 2016, em Campos do Jordão (SP), com a participação dos três primeiros colocados de cada categoria.

Na categoria alunos de graduação, o primeiro colocado receberá R$ 5 mil e inscrição gratuita em três eventos organizados exclusivamente pelo Instituto Brasileiro de Estudos de Concorrência, Consumo e Comércio Internacional (IBRAC) em 2017, a critério do vencedor.

Já a categoria de pós-graduação/profissionais premiará o vencedor em R$ 15 mil e inscrição no 65th Antitrust Law Spring Meeting, organizado pela American Bar Association, entre 29 e 31 de março de 2017, em Washington, nos Estados Unidos. Os segundo e terceiro colocados receberão R$ 10 mil e R$ 5 mil respectivamente.

Para mais informações e inscrições, os candidatos devem acessar www.ibrac.org.br.

Fonte: Alameda Comunicação – Tawana Miquelino

Venceu concorrência importante

Deze7 conquista Conta da Unimed Caçapava

Em Junho de 2014 a Agência Deze7, de Taubaté, participou da disputa pela conta da Unimed Caçapava, e venceu apresentando a campanha “Movimento Unimed”.O evento foi em comemoração ao aniversário de um ano do Espaço Saúde, que promoveu uma corrida de rua com o intuito de incentivar a prática de exercícios físicos por todos independente de sexo ou idade.

photo

 

A cidade simpatia recebeu um público estimado de mil pessoas no domingo, 17 de agosto. A corrida foi dividida em oito categorias, os primeiros colocados de cada categoria receberam troféus, e todos os inscritos ganharam kits contendo medalha, bebida isotônica, barra de cereal e fruta.

A Deze7 foi responsável pela criação e conceituação do logotipo do Movimento Unimed, elaborou o designer das medalhas, troféus e camisetas, também executou o desenvolvimento online (Hotsite, links patrocinados e E-mail marketing), offline (Anúncios em revistas, cartazes e flyers) e todo o Backdrop do evento. A agência pode compreender e materializar o conceito da Unimed Caçapava, provando que essa aliança é triunfante.

O sucesso da corrida Movimento Unimed foi devido ao engajamento da agência Deze7 em unidade com o Departamento de Atenção e Promoção a Saúde da Unimed Caçapava. A Deze7 Agradece a confiança que toda equipe de marketing do Espaço Saúde depositou na agência e a todos que participaram da confraternização esportiva e cooperam para o êxito da festa de primeiro ano do Espaço Saúde.

Veja as peças desenvolvidas pela agência: http://deze7.com.br/unimed/