Curso trata de mídia online para quem está começando

Mídia online para iniciantes

Objetivo

Proporcionar técnicas e conceitos básicos para utilizar as mídias sociais como ferramenta de marketing, ensinando como aplicar e utilizar ao seu mercado. O conteúdo do curso é para quem tem interesse de fazer conteúdo patrocinado, mas ainda não fez.

Conteúdo programático

Como fazer um planejamento – Nessa etapa vamos mostrar como se faz um bom planejamento, definições dos objetivos de comunicação, dos personas e públicos de interesse, quanto investir, onde investir, listar as palavras chaves.
Estratégia de Conteúdo – Vamos definir quais e como os conteúdos podem ser postados, com que frequência com quanto de investimento. Definir o que é um bom CTA, o que deve ou não ser feito.
Investimento FaceAds e AdWords (Search) – Aqui vamos ver as estratégia de cada uma dessas mídias, quais os anúncios ideais, como funciona as ferramentas, quais padrões seguir.
Monitoramento – Aqui definiremos o que é importante para se monitorar, quando fazer isso, com quais ferramentas, quando corrigir rotas.
Análise e Resultados – Como interpretar os gráficos e relatórios, o que eles nos dizem.

Professora​

Monique Baraúna
Jornalista e Gestora de Mídias Digitais com 12 anos de carreira em comunicação, destes cinco dedicados ao trabalho com Planejamento Estratégico e Desenvolvimento de Comunicação Digital, gerenciamento de campanhas, mensuração e análise de dados.
Graduada em Comunicação Social – Jornalismo (2005) e pós-graduada em Política e Sociedade Brasileira Contemporânea, ambas pela Unitau. Especialista em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais no Senac- SJC (2013) e mestranda em Linguística Aplicada, na Unitau.

Local e Data​
​24/03 das 9h às 18h
Co-necta Espaço de Coworking – ​ Praça Chuí, 35 – Vila Ema
São José dos Campos

Inscrições aqui

É recomendável levar um laptop para acompanhar os exercícios práticos.

E atenção: leitor do Publicitando tem desconto especial. Mande uma mensagem pelo Contato do blog e receba seu cupom desconto!

Você está vivendo Black Mirror? 7 coisas que não parecem mas são reais

Conheça 7 episódios de Black Mirror que provam que já estamos vivendo dentro desse universo

Você assiste a série Black Mirror da Netflix? Se sim, sabe que a obra apresenta muitas criticas a sociedade. Porém, será que além dessas críticas, nós já não estamos vivendo o que se passa na série? Separamos 7 episódios desse fenômeno para te mostrar que as coisas podem ser mais reais do que você imagina, dá uma olhada:

1. Nosedive

Ainda falando em redes sociais, o episódio Nosedive da terceira temporada reflete exatamente o que estamos passando. Julgamos as pessoas pela quantidade de amigos e likes que cada uma possui, damos uma avaliação para tudo, inclusive ao pegar um Uber. Somos números que dependem da aprovação de terceiros. Uma boa crítica também é a superficialidade e falsa imagem que passamos nas redes sociais.

Em Nosedive, a personagem é convidada para o casamento de uma amiga que possui uma pontuação maior que a dela e faz de tudo para que seus pontos também aumentem, sendo um desses caminhos ir ao casamento da suposta amiga. Ao longo do episódio, as situações em que ela se coloca para agradar e ganhar uma grande pontuação são absurdas. Não estamos distantes do ocorrido.

2. Be Right Back

Robôs substituindo pessoas? Sim, isso está começando a acontecer. Recentemente, um robô foi demitido de um supermercado na Escócia, mas ele não é o único empregado ao redor do mundo. Apesar de ainda não existir um robô com as mesmas características humanas, estamos cada vez mais próximos desse momento.

A trama mostra uma esposa que perde o seu marido e após isso começa a conversar por mensagens com uma simulação do parceiro. Isso a incentiva a comprar seu robô, que vive no dia a dia com a mulher como se fosse seu marido.

3.Fifteen Million Merits

Sabe quando você trabalha a sua vida inteira todos os dias para alcançar o sucesso? Você pode estar querendo ser um grande blogueiro, youtuber, empresário, simplesmente famoso. É isso o que as pessoas fazem em Fifteen Million Merits.

No episódio os personagens vão para suas bicicletas diariamente para gerar “pontos”. Com esses pontos eles podem comprar todas as coisas necessárias para sobreviver e chegar ao tão esperado “sonho”. Essa realidade transforma todos em pessoas fanáticas e sem identidade própria. É o que resume o “tudo pela fama”.

4.Arkangel

Pais que controlam todos os passos dos filhos e censuram todas as suas ações, que dificultam seu desenvolvimento. Você conhece algum assim? Aquele que protege demais. Isso pode afetar muito a vida de uma criança ou adolescente e a internet abriu essa possibilidade de bisbilhotar tudo o que acontece.

Quer mais provas de que estamos vivendo em Black Mirror? No episódio Arkangel, uma mãe consegue essa medida preventiva da filha, onde consegue monitorar tudo o que ela faz, com quem conversa, o que ela vê e entre outras coisas. A filha é muito afetada por isso e tem toda a sua maturidade prejudicada.

5.USS Calister

Jogos de realidade virtual estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia. As pessoas querem estar dentro dos jogos de uma forma cada vez mais fiel ao que passamos na nossa rotina.

O USS Calister mostra um jogo chamado Infinity, que colocamos na têmpora e podemos sentir tudo o que acontece. As pessoas terão consciência de que estão dentro desse universo. Falta pouco tempo para chegar até esse momento, não acha?

6.White Bear

Já parou para pensar como atualmente muitas pessoas filmam um espancamento, um assalto ou outras atrocidades, mas ninguém ajuda? Todos seguram suas câmeras ao invés de dar atenção e prestar socorro. Já estamos vivendo uma parte do que é passado no episódio White Bear.

Além disso, a trama ainda envolve a questão dos direitos humanos de um criminoso. Até que ponto não estamos nos tornando iguais ao tomar algumas atitudes?

7.The Entire History of You

Que os relacionamentos ficaram mais complicados após as redes sociais virarem parte do dia a dia já sabemos. Mas, o que o episódio The Entire History of You traz é justamente uma reflexão de até que ponto isso está nos afetando. Esse episódio mostra uma crítica sobre a tecnologia está afetando as relações e nos deixando paranoicos.

No episódio, as pessoas possuem um dispositivo que grava todas as memórias. A trama gira em torno de uma família, que é desfeita após descobertas de situações passadas através do dispositivo. Parece que já estamos vivendo esse momento com fotos curtidas, comentários, conversas de WhatsApp e outras redes, não é?

Hoje em dia a tecnologia está cada vez mais ligada à saúde e aos nossos corpos, por exemplo: podemos ser atendidos por um médico sem estarmos em sua presença, recebemos laudos a distância. As evoluções robóticas como as de Black Mirror estão cada vez mais próximas de se tornarem algo real.

Fonte: Link Builder da SEO Marketing e DiagRad– Luana Santos

Vaga para analista de marketing digital

Analista de Marketing Digital

Formação: Comunicação Social ou Marketing

Atividades:
– Analisar mercado e concorrência, traçar as estratégias para mídias sociais, estratégias SEO, estratégias de inbound.
– Gestão e planejamento de conteúdo digital para todos os Canais de Comunicação do Grupo;
– Criação e desenvolvimento de textos par social media, sites e e-mail marketing em parceria com equipe de criação (concepção e redação).
– Acompanhamento e interação com os fãs e seguidores dos canais.
– Criação e acompanhamento de promoções.
– Impulsionamento de posts e avaliação de perfomance dos canais.
– Monitoramento das redes sociais e produção de relatórios de desempenho.

Requisitos:
– Excelência em redação.
– Experiência comprovada na área, enviar portfólio.
– Domínio das ferramentas de monitoramento.
– Conhecimento em wordpress e SEO

Residir em: São José dos Campos/Jacareí/Caçapava

Candidatos DENTRO DO PERFIL enviar currículo + portfólio + pretensão salarial para isabelle.borges@plenoself.com.br.

Vaga de estágio em jornalismo

Vaga aberta para Jornalista (Estágio) no Quero Bolsa

O (a) Estagiário (a) de Jornalismo fará parte do time de Marketing e Conteúdo e suas principais atividades estão ligadas a:

– Responder comentários postados nas redes sociais e páginas do site.
– Trabalhar com a Equipe da Revista QB.
– Ajudar na edição de textos dos “Guias da Faculdade”.

COMO SERÁ O DIA A DIA?
Redigir textos jornalísticos para internet;
Realizar editoração eletrônica de textos;
Conduzir atualização de dados;
Conduzir suporte de informações para as diversas produções do site Quero Bolsa;
Auxiliar em edição eletrônica de textos;
Auxiliar na atualização de dados;
Auxiliar na edição de fotos.
Acompanhar a pesquisa de conteúdos;
Conferir material de áudio e vídeo;

PERFIL DESEJADO
Estudantes do curso superior de Jornalismo;
Organizado(a), dedicado(a) e proativo(a);
Bom relacionamento e boa comunicação;
Ótimos conhecimentos em Língua Portuguesa.

Candidate-se por aqui

Vaga para trabalhar com conteúdo

Vaga aberta para Curador de Conteúdo

A Aproxima busca alguém para atuar como curador de conteúdo.

HABILIDADES
– Cursando ou formado na área de comunicação, publicidade e propaganda, design ou marketing;
– Boa noção de diagramação e criação;
– Experiência mínima com criação de conteúdo para mídias sociais ou mídia impressa;
– Experiência com texto (mesmo que tenha apenas um blog pessoal, o importante é demonstrar capacidade de redigir com linguagem atual seguindo as normas gramaticais;
– Capacidade de estabelecer contato com os clientes e sugerir ideias de pauta;
– Ser adepto de um um trabalho com times horizontais;
– Familiaridade com os seguintes softwares: Trello, Google –
Agenda, Google Drive, MLabs, Mailchimp e programas de edição e diagramação como Photoshop, Corel, Illustrator e afins.

O TRABALHO
– Criar e programar conteúdo nas mídias sociais;
– Fazer curadoria de conteúdo;
– Ser extremamente atualizado e interessado em tendências;
– Criação de E-mail Marketing;
– Desenvolvimento de material impresso variado;
– Incentivar o engajamento nas mídias sociais dos clientes principalmente respondendo e comentando suas mensagens e comentários.

Reforço em agência de Taubaté

Molotov traz gente nova

O recém formado em jornalismo pela Unitau, Vitor Garcez, é a novidade no time da Molotov (Taubaté).

Vitor já acumulava passagens pela TV Câmara (Taubaté), Prefeitura Municipal de Cachoeira Paulista, Inpe, ACI (agência de comunicação integrada do Depto. de Comunicação Social da Unitau) e ACOM (Unitau).

O jovem jornalista reforçará a área de conteúdo da agência, atuando de modo mais específico para o cliente Hospital Reger (voltado para o cuidado e tratamento de idosos).

Mercado brasileiro de publicidade on-line recebe produto e tecnologia únicos no mundo

WorldSense, startup brasileira, chega ao mercado com uma proposta diferenciada: ser uma rede de distribuição de conteúdo na qual as marcas podem participar das histórias

A história de dois engenheiros, com grande experiência no mercado de tecnologia, poderia ser bem diferente – aliás, como a da grande maioria de empreendedores no mesmo segmento. Ao abrirem sua própria empresa, o caminho mais lógico seria optarem por um conceito conhecido, como a publicidade on-line. Mas Diego Nogueira e Davi Reis elegeram a inovação e uma nova perspectiva digital como diferenciais de atuação e criaram uma startup a partir de uma ideia inédita: uma rede de publicidade em conteúdo on-line, na qual marcas podem participar de histórias por meio de intervenções em artigos relevantes publicados nos principais portais da internet. Assim nascia a WorldSense, exatamente para suprir uma necessidade que sempre perceberam em meio ao mercado que viviam.

A WorldSense é uma rede de conteúdo on-line complementar aos principais produtos existentes, em sua maioria focados em segmentação por usuários e impacto por meio de formatos muitas vezes invasivos. Por ser a primeira rede de publicidade digital que oferece às marcas acesso direto às matérias dos canais parceiros, se diferencia pela alta contextualização e integração com o conteúdo, valorizando a história publicada pelo veículo e as oportunidades das marcas de interagirem com ela.

Produto e tecnologia desenvolvidos pela empresa são únicos no mundo. Sob a perspectiva do cliente – que são sites, agências e anunciantes -, basta uma simples integração para que as publicações passem a ser acessadas pelas marcas. A partir desse momento, o cliente passa a ver sua marca presente nas histórias da internet automaticamente. Internamente, a WorldSense funciona como uma máquina de busca reversa, na qual, dados os canais parceiros, determina-se quais seriam potenciais consultas de máquina de busca representadas por cada parágrafo publicado. Com base nessas consultas, faz o match com as mensagens das marcas a serem veiculadas.

Esse acesso é feito de forma altamente contextualizada dentro das notícias, ao contrário da maior parte dos produtos de publicidade digital, que se focam no perfil do leitor e não do contexto da matéria. A proposta da WorldSense é de fato única. Algumas soluções permitem que os conteúdos das marcas sejam descobertos a partir da experiência de navegação dos leitores do portal (como nas histórias relacionadas ao fim da página), aproveitando a estratégia de conteúdo existente de cada site parceiro. No entanto, nenhuma solução permite que a marca efetivamente participe das histórias publicadas (das publicações) nos portais em escala. A empresa (e sua rede de veículos parceiros) oferece às marcas acesso às matérias sendo distribuído na mídia que é relevante para estratégia de comunicação e publicidade da marca.

“O mercado de publicidade digital tem crescido muito nos últimos anos e não há evidências de uma desaceleração. No entanto, cada vez menos empreendedores têm se arriscado na área por causa da grande concentração da verba nos produtos do Google e do Facebook. Quando fundamos a WorldSense, com a missão ousada de trazer um novo produto a esse espaço, sabíamos que nosso maior desafio seria nos diferenciarmos das poderosas e bem sucedidas soluções oferecidas por esses gigantes”, analisa Davi Reis.

“Essa decisão, que acreditamos valorizar o conteúdo e preservar a experiência do usuário, resulta em fragmentação do inventário. Já temos naturalmente uma dinâmica de marketplace entre nossos parceiros e as marcas que anunciam conosco, e a liquidez se torna ainda mais difícil de manter na presença dessa decisão. Crescer o marketplace confrontando essa dificuldade é outro grande desafio”, completa Davi.

Segundo os fundadores, não há no mercado uma oferta com os mesmos recursos e resultados. Alguns produtos que estão no mesmo espaço, mas com propostas de valor diferentes, são as redes de pesquisa, como Adwords (Google), redes de conteúdo, como GDN (Google) e Criteo, redes de recomendação de conteúdo, como Taboola e Outbrain, e redes de links afiliados, como Awin e Lomadee. Nenhum deles almeja nível de integração com o contexto similar ao oferecido pela WorldSense.

Seus fundadores são profissionais experientes no mercado de informação e alta tecnologia. Há 15 anos trabalhando na fronteira da academia e da indústria, Davi é autor de artigos científicos e patentes nas áreas de publicidade on-line, extração de dados e recuperação de informação. Diego, por sua vez está construindo sua segunda startup. Ambos estiveram por quase uma década como engenheiros na Google, onde lideraram grandes projetos em publicidade on-line, busca e mapas.

A empresa foi fundada em 2015, mas começou a oferecer o produto ao mercado no início de 2017. “Oferecemos uma maneira mais assertiva de associação à marca, o que permite alcance qualificado a custos mais baixos que esforços de branding tradicionais. Isso faz do Brasil um bom mercado para o produto, uma vez que as verbas de branding possam ser mais restritas”, explica Diego Nogueira.

Conforme os sócios, a experiência extensa trabalhando em entendimento de texto em diversos produtos do Google e na academia, os levou a acreditar que teriam uma perspectiva única de como conectar a informação da internet. Isso fez com que vislumbrassem uma oportunidade de criar um mecanismo de publicidade e comunicação na web que fosse mais respeitoso e integrado à experiência do usuário e capaz de remunerar canais de qualidade e engajantes.

Para ampliar ainda mais essa atuação e fomentar negócios, era necessário um profissional com experiência de atuação junto ao mercado, por isso, juntou-se aos dois Ana Paula Ramos como gerente de Desenvolvimento de Negócios. Formada em Marketing e pós-graduada em Comunicação e Vendas pela Faap, conta com mais de 13 anos de experiência no mercado digital, atuou em empresas como Mercado Livre, Yahoo, Grupo Havas e Apontador. “Acreditei neste projeto desde a minha primeira conversa com o Diego. Para mim, é extremamente gratificante participar de tudo isso em um momento tão importante para o mercado publicitário no que diz a respeito ao ponto de vista comportamental. Sem dúvida, terei a oportunidade de ajudar as marcas e agências a utilizarem de forma estratégica um novo modelo de publicidade.”

Para os sócios, esse tempo de maturação foi necessário para entender melhor como atuar no mercado publicitário. Os sócios têm profundo conhecimento do mercado de publicidade no Brasil e no mundo, mas como o produto é inovador, foi preciso fazer várias especulações acima dos números que esperaríamos de um produto tradicional. Os primeiros clientes foram a Intel (McGarryBowen) e outras marcas menores, a partir de relacionamentos pessoais. O entendimento do valor do produto levou um tempo para ser capturado e ainda hoje é preciso um esforço de educação do cliente por se tratar de algo muito novo.

Para os veículos parceiros, a WorldSense é uma nova fonte de receita para o digital, principalmente no tráfego mobile, sem comprometer a experiência dos leitores e valorizando as publicações. Para as marcas e agências clientes, é um canal de associação de marca baseada em conteúdo e altamente complementar aos canais tradicionais. Atualmente já conta, em sua carteira de clientes nomes fortes no mercado, como TOTVS (Fbiz), IBM (Ogilvy), Deloitte, SONDA e Sistema Positivo de Educação (Predicta) entre as marcas. Dentre os parceiros, já contam com a rede Abril, NZN, IDG e Diários Associados.

Sobre a WorldSense – Startup criada em 2015, a WorldSense é uma content ad network (rede de publicidade on-line para conteúdo) complementar aos principais produtos existentes, em sua maioria focados em segmentação por usuários e impacto por meio de formatos muitas vezes invasivos. Criou a primeira rede de publicidade digital que oferece às marcas acesso direto aos canais, se diferenciando pela alta contextualização e integração com o conteúdo, valorizando a história publicada pelo veículo e as oportunidades das marcas de interagirem com ela. A empresa oferece às marcas acesso às publicações sendo distribuídas na mídia que são relevantes para estratégia de comunicação e publicidade da marca. Para saber mais www.worldsense.com.

Fonte: Galbraith PR – Robert Galbraith – Marco Barone

Vagas em jornalismo

Agência abre duas vagas

A Código BR está com as seguintes vagas abertas:

– Jornalista para atuação como produtor de conteúdo digital, com experiência.
– Estagiário (a) em jornalismo.

Interessados podem enviar currículo para atendimento@codigobr.com.br