Agências conseguem prêmios no Recall

17ª edição do Prêmio Recall de Criação Publicitária

Na última sexta-feira (1º/12), em cerimônia realizada na Cidade do Circo, Ribeirão Preto, ocorreu a premiação da 17ª edição do Prêmio Recall de Criação Publicitária.

O juri selecionou peças de 32 agências, de 19 cidades do interior paulista, para o short-list. O julgamento das peças pelo júri, que neste ano foi composto pelos renomados publicitários Carlos Righi, Cássio Zanatta, Giba Lages e Luiz Toledo, levou em consideração a criatividade da ideia.

As agências da Região Metropolitana do vale do Paraíba, Arriba! (SJCampos) e Mind (Cruzeiro), alcançaram prêmios em categorias diferentes.

Na categoria anúncio para jornal ou revista, a Arriba Comunicação, de São José dos Campos, ficou com o de bronze. Já em spots e jingles, a Mind Comunicação, de Cruzeiro, levou o bronze

O 17º Prêmio Recall teve o apoio da ABAP (Associação Brasileira de Agências de Publicidade) e da DTP Comunicação Visual.

Vem aí a Pixel Show 2017

Maior festival de criatividade da América Latina tem 80% das atividades gratuitas

Criativos do Brasil e do mundo trazem ao Festival Internacional de Criatividade Pixel Show música ao vivo, sessões de live painting com ilustradores e grafiteiros, simuladores, games de realidade virtual e ainda proporcionam reciclar conhecimentos em palestras dinâmicas – as Sharp Talks.

Em um só fim de semana – dias 2 e 3 de dezembro de 2017 – o 13o Pixel Show pretende atrair 35 mil pessoas a São Paulo, provenientes de todo o Brasil e de vários países da América do Sul. E o melhor de tudo é que é possível aproveitar o evento sem tirar um real do bolso, já que grande parte das atrações é gratuita e cativa tanto quem busca diversão como informação – ou até umas comprinhas exclusivas a preços justos.

Para entrar na Feira de Criatividade do Pixel Show, que ocupa todo o pavimento térreo do Espaço ProMagno (rua Samaritá, 230, na Casa Verde, na capital Paulista), o visitante não paga nada. Ali se concentram cerca de 100 marcas, que expõem e vendem de itens de decoração a peças de roupa – de estilo difícil de encontrar em lojas convencionais –, passando por ilustrações, livros e revistas. A essas marcas, somam-se outras 100, com mercado que está em plena ascensão: são os artesãos independentes que, pela primeira vez no Pixel Show, conquistam área exclusiva, o Espaço Makers, com mais publicações, objetos de design e acessórios, entre tantas outras coisas fantásticas e imperdíveis de se ver.

“Desde seu quarto ano de existência, o Pixel Show investe em atividades abertas ao público. Como um dos maiores festivais de criatividade do mundo, temos a responsabilidade de oferecer atrações gratuitas e diferenciadas com acesso liberado ao público: hoje, 80% do Pixel Show é livre de custo para os visitantes”, informa Allan Szacher, idealizador do evento, que é organizado pela Zupi.

Experiências imersivas
Passeando pela Feira do Festival, o visitante pode conferir os estandes de expositores que levam ao evento simuladores (de corrida, avião ou asa-delta) e jogos de realidade virtual. Se for o caso, garanta seu lugar na fila para aproveitar, de graça, o que o mercado da tecnologia voltada ao entretenimento tem produzido por aqui. Em um dos games, inclusive, aparatos de realidade virtual guiam o jogador em uma verdadeira imersão pelo cenário, montado no estande, para que ele cumpra as tarefas necessárias para chegar ao fim do jogo.

Arte ao vivo
Mas a agitação em torno de uma atividade na Feira do Festival de Criatividade pode ter outro motivo: grandes painéis, nos quais street artists e ilustradores realizam, ali diante do público, seu trabalho ao vivo. Serão diversas sessões de live painting a cada dia, com artistas diferentes, em pontos específicos distribuídos pela Feira. Quem já tem presença confirmada são os grafiteiros Fabiano Senk, Grego, Karen Kueia e André Gonzaga (o Dalata), o fera em stêncil Daniel Melim, a pixel art do casal 8-Bitch Project e a Marina Rodrigues, com sua tape art.

Essa atividade articula-se à filosofia do Pixel Show de aproximar artista e público, promovendo interações, trocas e aprendizados entre eles. E o melhor, rodeado de uma atmosfera descontraída e de múltiplas atrações acontecendo simultaneamente. E tem mais, qualquer pessoa do público pode também deixar a sua arte e sua marca no painel público de ilustração e arte.

Papo reto
Outra atividade que acontece gratuitamente são as palestras de curta duração, no modelo consagrado pelos TED Talks, que ganham o nome de Sharp Talks no Pixel Show. Nesta edição, elas terão um de seus módulos, o Business, inteiramente dedicado a pequenos empreendedores. Realizado em parceria com o SEBRAE, o módulo convida especialistas em contabilidade, expressão da criatividade, software de vendas pela internet e crescimento do mercado plus size, tendo sempre a inovação e o micronegócio como focos. Participam também associações e profissionais de áreas diversas, ligados à economia criativa.

Dois dos pontos altos dentre as Sharp Talks serão as palestras ministradas pela assessora da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil, abordando ora mulheres em cargos estratégicos, ora a preparação de empresas brasileiras para participarem de eventos internacionais. Outro nome de peso dentre as mais de 80 minipalestras confirmadas até o momento é o da WGSN, agência referência mundial em pesquisa de tendência, que traz Julia Curan para falar de direcionamentos do consumo para 2018. E o documentário codirigido pelo papa do design gráfico Stefan Sagmeister, The Happy Film, ainda inédito no Brasil, ganha exibição gratuita no evento, em uma sessão de Sharp Talk que terá, excepcionalmente, uma hora e meia de duração.

Os assuntos abordados incluem, ainda, branding, arquitetura, captação de som, tipografia, lettering, treinamento empresarial, stop motion e gestão de comunicação de marcas.

Quem se interessar por qualquer uma das Sharp Talks deve ficar atento à programação, já que as vagas são limitadas e a entrada na sala é por ordem de chegada. Vale lembrar que estão previstas mais de 100 Sharp Talks durante o final de semana, todos gratuitas.

Cena independente
Com o palco de sua Arena Musical, atividade também aberta ao público gratuitamente, o Pixel Show segue colocando artistas novos frente a frente a seus ouvintes e abrindo caminho para o trabalho de bandas independentes.

Este ano, o line up conta com o trio paulista Voltaire, que está vivendo um 2017 agitado, com a premiação no Pindorama de Música, a boa colocação na votação para tocar no Lollapalooza 2017 e um novo lançamento, de “O Sol Já Vem”. Os cinco moços da paulistana banda Hotelo também têm espaço garantido, levando seu som de bem com a vida, com suingue e influências de ska, aos fãs de seus três discos e do mais recente EP Chama. O compositor Thiago Romano se reúne à sua banda de apoio, com guitarra, baixo, bateria, teclado e ukulele, para apresentar suas baladas sensíveis, em especial as do álbum solo O Rei do Asfalto.

Os chegados em batidas mais pesadas não devem ficar longe da Arena Musical durante a apresentação da banda Persia, com seu rock alternativo, e do quarteto Mask Down, que leva ao palco o mais recente EP Caosmentalmotim. Estas são apenas algumas entre as previstas 30 atrações musicais que se apresentarão nos dois dias do Festival Internacional de Criatividade Pixel Show.

E para os que, além de curtir muita novidade e networking na Feira, também quiserem aproveitar a oportunidade para investir em criatividade, ainda há ingressos para a Conferência Internacional de Criatividade, além de vagas para os mais de 40 workshops dos mais variados segmentos. Os ingressos possuem venda online e também podem ser adquiridos no local do evento.

Sobre o Pixel Show 2017:
Maior festival de criatividade da América Latina, o Pixel Show – que realiza sua 13a edição no fim de semana de 2 e 3 de dezembro no Espaço ProMagno, em São Paulo – reúne palestras, workshops, atrações musicais, sessões de live painting e um festival de tatuagem, atrações de realidade virtual e simuladores, exposição de arte e de Lego (feita por membros da LUG), entre diversas outras atividades paralelas. Em sua Feira de Criatividade, cerca de 200 marcas, consagradas e novatas, têm espaço privilegiado de venda e contato com seu público-alvo. Estima-se a visitação de 35 mil pessoas neste ano. www.pixelshow.com.br.

Fonte: Virta Comunicação

Vaga para assistente de arte

Cabrillano busca assistente de arte

Para ampliar e reforçar seu time criativo, a Cabrillano quer um assistente de arte.

Coluna Propaganda&Arte

Precisamos falar de Abstract, a série documental da Netflix

Abstract – A arte do design, foi lançada pela Netflix em fevereiro de 2017, mas vai continuar moderna por um bom tempo. Afinal, boa arte e design estão sempre na moda, certo?

Independente de concordar ou não, se você é ligado a temas do universo criativo, deve assistir ao menos um episódio de Abstract, que basicamente apresenta 8 artistas e designers inovadores que estão na ativa atualmente e que possuem certo respeito no meio por seus trabalhos e formas de pensar.

Quer uma dica? Não vá com preconceito sobre os temas dos episódios. Hora você verá algo sobre design de calçados, outra hora de arquitetura urbanística, depois estará dentro de uma agência de artes visuais ou em um quartinho pequeno de um artista especializado em fazer capas para revistas. Não importa o tema, você vai se apaixonar pela paixão deles. Eu mesmo, nunca imaginei que desenvolver um Nike fosse tão difícil e interessante. Ou então, que a cenografia de grandes espetáculos e peças de teatros poderia ser muito criativa e moderna.

São séries como esta que nos faz pensar, inclusive no formato do documentário, que não deixa de ser uma outra maneira de fazer arte (e informar, claro).

Nesse quesito, alguns episódios são mais “animados”, no sentido de linguagem e transições de cena, talvez para se adequar ao tema abordado. Claro, não podemos falar de carros, tênis, tipografias, arquitetura e cenografia e achar que tudo é igual. Realmente, são mercados diversos, que necessitam de investimentos, treinamentos, aperfeiçoamentos e muito QI. Isso mesmo, o sucesso de alguns desses artistas, em partes, se deu devido terem feito trabalhos interessantes e relevantes para figuras conhecidas. Logo, com a exposição de seu trabalho em circuitos exclusivos, ganharam fama, prestígio, expectativas e muitas responsabilidades, sem dúvidas.

Quero deixar claro que não estou menosprezando o trabalho de nenhum dos artistas retratados na série, mas fica evidente que para se chegar ao posto de referências mundiais em suas áreas, são necessários dois ingredientes essenciais: muito trabalho e as indicações certas.

Encontramos perfis diversos no Abstract. De jovens inovadores, que estão criando e revolucionando suas respectivas áreas, a artistas mais “coroas”, que em algum momento da vida tiveram seu auge e hoje buscam se manterem, ao menos dentro das tendências, arriscando hora ou outra algo realmente novo. Nessa fase, vale muito a experiência e sabedoria para administrar e tocar os seus próprios negócios.

Se você quer ser um artista famoso, um arquiteto foda ou simplesmente alguém que mude a forma das pessoas de pensarem o mundo, vale a pena conhecer essa turma do Abstract. Você pode não se tornar o próximo Steve Jobs, mas essa série dará um ânimo extra para quem quer viver criando e inovando cada vez mais em sua profissão. Pelo jeito, o seu sucesso vai ser consequência disso e, quem sabe, você pode ser o tema da próxima temporada de Abstract.

Coluna Propaganda&Arte

7 dicas definitivas para ser mais criativo (e feliz)

Somos cobrados todos os dias para termos ideias criativas, “diferentonas”, fora da caixa etc, mas com o estresse e tempo escasso no trabalho fica mais difícil, não é? Diante desse desafio, será que existe alguma fórmula mágica para ter grandes ideias?

Claro que sim. E que não. Depende muito de cada um. Porém, o que sabemos é que algumas medidas podem ser tomadas para facilitar o processo das ideias em nosso cérebro e, isso sim, funciona igual para todo mundo. Para dividir com vocês, selecionei algumas técnicas que funcionaram comigo de forma surpreendente e que eu considero as mais relevantes.

1 – Selecione uma lista com músicas que te fazem sentir algo indescritível.

Sabe aquelas músicas que te lembram de uma época antiga? Ou um estilo de música que te faz relaxar, cantar ou emocionar? Guarde-as. Crie uma sequência musical para estes momentos de bloqueio e solte o play somente em urgências, não “gaste o cartucho”, para ver os resultados. Não precisa ser Bach ou outros clássicos (apesar de funcionar bem), basta ser um estilo que te leve para longe por alguns minutos.

2 – Desenhe e escreva com as duas mãos.

Isso é bem básico, mas ninguém faz. Escrever já é bom, com as duas mãos, é ainda melhor. O exercício faz com que você desenvolva o lado adormecido, afiando o cérebro por completo. Com mais conexões, você cria mais chances de novas ideias. Isso é comprovado pela ciência e faz muito bem à sua saúde. 5 minutos por dia, na hora do almoço, é o que eu indico. Já tem o seu caderno e lápis separados? Comece amanhã! Quem sabe você até descobre um talento para o desenho.

3 – Solte-se, esqueça os outros, relaxe e fique sozinho.

Se você trabalha com mais pessoas, não precisa ficar sozinho literalmente. Faça um isolamento mental, imagine-se em uma sala vasta e vazia, afinal a grande ideia precisa de espaço para nascer. Pense naqueles minutos que ninguém irá julgar a sua ideia. Comece pelas ideias mais “idiotas”, sem censuras internas. Faça piadas das primeiras soluções. Use-as para piorar ainda mais, comece a lapidar. Apague tudo e veja se algo diferente e interessante aparece na sala. Pode ser aquela solução que você nunca imaginou, porque estava se prendendo e pensando no que os outros diriam. Deixe o lixo nessa sala branca e saia apenas com o que realmente vale a pena para seu job.

4 – Descubra algo que não te interessa (toda a semana).

Você gosta de reggae? Ouça uma música clássica. Você curte MPB? Escute um funk. Você gosta de rock independente? Liga na rádio para saber o que toca na casa das pessoas. Isso vale também para leitura, filmes, canais no Youtube, desenhos, personalidades para seguir na internet, artigos, blogs etc. Ao buscar algo totalmente incomum para o seu perfil, você ganha repertório variado, amplia sua compreensão do mundo e recebe de bandeja novas ideias para criar conexões inesperadas. Qual vai ser o assunto que não te interessa que você vai descobrir essa semana?

5 – Saia do automático. Pare tudo!

Nosso corpo e mente funcionam no automático. As ideias e soluções mais comuns são sempre as mais fáceis. Se você quer realmente criar algo novo, verifique o que você tem feito. Pare uns minutos. Pesquise sobre o que o mercado tem feito. Pare de fazer sempre igual. Pare alguns instantes para tomar um café ou olhar para a rua. Apenas parar, já pode te ajudar a sair do redemoinho do dia, das tarefas comuns, para olhar de fora e tentar fazer algo novo. Se não der uma pisada bem forte no freio, o carro vai parar sempre na mesma vaga.

6 – Comece uma atividade física (pode ser qualquer coisa).

Eu sei que não é fácil. Praticar atividades físicas pode ser prazeroso para alguns e maçante para outros, mas faz um bem danado para sua saúde (e suas ideias). Essa dica precisa ser colocada aqui, pois vai muito além de ser criativo. Para ter grandes ideias é preciso estar bem com o cérebro. E ele precisa do corpo 100% também. Você quer uma ideia 100% ou 50%, 1%? Se você não está bem disposto, com saúde e feliz, do que adianta ter grandes ideias?

7 – Não siga nenhuma regra colocada aqui. Crie as suas!

Eu disse que funciona diferente para cada um, portanto nada mais justo do que deixar uma regra para você criar as suas próprias regras. Teste durante um mês e colha os resultados. Veja as técnicas que mais funcionam com você. Mande a sua técnica para mim. Quem sabe podemos unir nossas experiências e ter uma produtividade ainda melhor, mais original e prazerosa para todos.

Boa prática!

Veja os cursos do Senac em junho

Confira os cursos do Senac Taubaté com início em junho

Selecionamos os cursos do Senac que têm relação com comunicação, marketing e negócios

Marketing: Criatividade e Inovação
Capacitar o profissional para a utilização de técnicas para geração de novas ideias no trabalho individual ou em equipes multidisciplinares, por meio de ferramentas que estimulam a criatividade e a busca por inovação, objetivando a solução de problemas, o desenvolvimento de novas formas de atuação e o atendimento às necessidades dos projetos e desafios da empresa.
Data: 3/6 a 15/7
Horário: das 9h30 às 13h30; sábado

Excel 2016 – criando planilhas interativas e dashboard
Este curso tem como objetivo capacitar e preparar o aluno a criar planilhas e gráficos avançados utilizando as ferramentas do Excel, assim como, criar planilhas específicas com gráficos dashboard.
Data: 5/6 a 28/6
Horário: das 19 às 22 horas; segunda, quarta e sexta-feira

30% de desconto
O Senac São Paulo oferece 30% de desconto em todos os seus cursos livres, de idiomas e técnicos presenciais que iniciam as aulas em janeiro de 2017 – para cursos oferecidos nos períodos da manhã e da tarde, no litoral e no interior, o desconto pode chegar a 40%. São diversas opções de cursos nas áreas de arquitetura e urbanismo; beleza e estética; certificações em tecnologia; comunicação e artes; design; educação; eventos e lazer; gastronomia; gestão e negócios; gestão executiva; hotelaria e turismo; idiomas; limpeza, conservação e zeladoria; moda; saúde e bem-estar; e tecnologia da informação.

A instituição oferece infraestrutura moderna, com laboratórios que simulam situações reais de trabalho em suas 60 unidades distribuídas em todo o Estado. Conheça a programação completa de cursos oferecidos na instituição de excelência e tradição de 70 anos em educação profissional, por meio do Portal Senac – www.sp.senac.br.

Local: Senac Taubaté
Endereço: Rua Nelson Freire Campello, 202, Jardim Eulália
Informações e inscrições: (12) 2125-6099 ou www.sp.senac.br/taubate

Fonte: KMS Comunicação – Thaís Mazini

Coluna “Discutindo as relação…”

O adeus do Z

Os três sempre foram uma referência para mim e, acredito, para mais de meio mundo publicitário. O D, o P e o Z mudaram totalmente a propaganda brasileira. Trouxeram inteligência, brasilidade, charme e elegância. Acrescentaram excelência criativa, rigor estético e ética profissional. Trouxeram leões e muitos outros prêmios para o Brasil.

O P e o Z eram catalães. E, como eu descobri através de um vídeo comemorativo aos 50 anos da carreira do Z, conheceram-se no primeiro dia de cada um deles no primeiro emprego no Brasil (ou algo parecido com isso). É muito boa armação do destino, né?!

O Z era artista plástico. E um BAITA diretor de arte. Era divertido, bem humorado e talentosíssimo! Ajudou a formar uma montanha de profissionais de criação nos longos e fantásticos anos de DPZ. Aliás, a DPZ era uma agência tão original à época, que tinha dois andares e duas equipes completas de criação: uma comandada pelo P e outra pelo Z.

O Z se foi ontem. Tomei um enorme baque, confesso! Era fã de carteirinha. Infelizmente nunca tive a oportunidade de vê-lo em carne e osso. Nem uma única palestrazinha sequer…Mas admirava e muito mesmo à distância.

Escrevi no meu perfil de Facebook que a propaganda brasileira acabava de ficar um tanto menos rica. Perder o Z é como perder um Pelé, um Rivelino, um Zico, um Ademir da Guia… É como perder um Ademar Ferreira da Silva, um João do Pulo. É perder um W… e um P (que infelizmente já tinha ido também). É perder alguém insubstituível. Sim!

Acredito que a propaganda brasileira siga sendo competente, criativa, forte e que continuem surgindo profissionais que sejam referência para outros futuros profissionais. Mas, para os que são da minha geração, a despedida do Z faz calar, faz pensar, faz a alma ficar triste…

O Z vai deixar o céu ainda mais interessante, divertido e, claro, criativo e prazeroso. Não tenho dúvidas.

Um grande abraço, mesmo que ainda mais de longe agora, Zaragoza!

Cannes altera julgamento para 2017

Cannes Lions anuncia mudanças no julgamento dos trabalhos para 2017

Organização define que grupos menores melhorarão qualidade das discussões na sala do júri

unnamed

O Estadão, representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade, informa que a organização do evento anunciou mudanças nos júris para a próxima edição. O tamanho dos painéis de júri presentes em Cannes será reduzido em 92 membros, assegurando o mais alto padrão de debate significativo.

A primeira fase do processo de votação para o Promo & Activation, Media e Direct Lions será concluída nas semanas antes do Festival por um júri de shortlist. Os jurados serão selecionados usando o mesmo processo e critérios dos grupos de premiação e mantidos com os mesmos padrões rigorosos de neutralidade e justiça. O tamanho dos júris também será reduzido nas categorias Film, Radio, Print & Publishing, Outdoor, Digital Craft, Creative Effectiveness e Mobile.

“Proteger a integridade dos Leões é fazer com que as pessoas certas estejam na sala de julgamento. Alguns júris foram muito maiores do que outros no passado como resultado do número de inscrições que eles têm para julgar. Esse e o caso de Titanium, de dez pessoas extremamente qualificadas, considerado o padrão ideal. Depois de uma extensa consulta com jurados de edições anteriores e a indústria em geral, concluímos que podemos reduzir o número de membros do júri, permitindo-lhes ainda mais tempo para julgar os trabalhos”, diz José Papa, diretor-gerente da organização Cannes Lions.

“Eu preferiria ser julgado por um número menor de jurados, mais focados, mais responsáveis e mais qualificados. A responsabilidade coletiva e a qualidade da discussão são perdidas se você tem muitos jurados. O tamanho não é garantia de força”, comenta John Hegarty, fundador do Bartle Bogle Hegarty e presidente do júri de Titanium neste ano.
Philip Thomas, diretor-executivo do Cannes Lions, acrescenta que o padrão de julgamento e qualidade dos júris é um dos principais fatores que contribuem para o valor de longa data do Cannes Lions. “Defender o valor do Leão é fundamental.”

A edição de 2017 do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade acontece entre 17 e 24 de junho.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone

Curso aborda criatividade e inovação em marketing

Marketing: Criatividade e Inovação

MLQHCxYPAlém das competências técnicas, os profissionais de marketing precisam ser criativos, dinâmicos, solucionadores inovadores de problemas, líderes de novos projetos e possuir a capacidade de enxergar tendências e novos modelos de gestão para implementar de forma empreendedora as inovações nas organizações em que trabalham.

O curso livre Marketing: Criatividade e Inovação, do Senac São José dos Campos, capacita o profissional para a utilização de técnicas para geração de novas ideias no trabalho individual ou em equipes multidisciplinares, por meio de ferramentas que estimulam a criatividade e a busca por inovação, objetivando a solução de problemas, o desenvolvimento de novas formas de atuação e o atendimento às necessidades dos projetos e desafios da empresa.

As aulas acontecem de 30 de julho a 3 de setembro, das 8 às 12 horas, aos sábado. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (12)2134-9000, pessoalmente na unidade ou pelo Portal www.sp.senac.br/sjcampos.

Serviço:
Local: Senac São José dos Campos
Endereço: Rua Saigiro Nakamura, 400, Vila Industrial
Informações e inscrições: (12) 2134-9000 / www.sp.senac.br/sjcampos

Fonte: KMS Comunicação e Marketing – Bruna Sales/Thaís Mazini

O desempenho brasileiro em Cannes

Levantamento do Estadão mostra Brasil como terceiro país com mais Leões no Cannes Lions 2016

País recebeu 90 troféus, mais Agência do Ano, ficando atrás, no geral, somente dos Estados Unidos e Reino Unido

unnamed

De acordo com levantamento do Estadão, representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade no Brasil, com informações da organização do evento, na edição deste ano, o Brasil ficou em terceiro lugar no total de Leões conquistados. Foram 90 troféus mais Agência do Ano à AlmapBBDO. Das 23 categorias, o Brasil só não recebeu Leões em Glass, Creative Effectiveness, Innovation, Film Craft e Titanium.

Conforme os dados, este ano o País teve um total de 2.805 peças inscritas em Cannes Lions, Lions Health, Lions Innovation e Lions Entertainment. Houve queda de quase 10% em relação a 2015, quando Cannes recebeu 3.114 trabalhos brasileiros.

Dos 91 países que inscreveram peças, 61 levaram troféus para casa. Foram 43.101 trabalhos (novo recorde) e 1.360 Leões. A surpresa foi o total de peças inscritas pelos Estados Unidos, 9.702, muito acima de 2015, o que representou mais de 22% de todos os trabalhos julgados neste ano. O Reino Unido teve 3.214 peças inscritas.

Ao que parece, os resultados levaram em conta essa proporção, pois EUA tiveram 355 Leões, Reino Unido, 164, e Brasil, 90. Em seguida, na ordem, ficaram, no Top 10, Austrália (70), Alemanha (63), Nova Zelândia (57), França (55), Suécia (51), Japão (46) e Argentina (40). Esse foi, com poucas mudanças, quase o mesmo cenário no total de peças inscritas por país entre os dez que mais inscreveram: Alemanha, Austrália, França, Japão, Índia, Espanha e Canadá.

Para acessar as listas completas de inscrições e prêmios por país, clique nos links: para Leões, http://goo.gl/vnjL6P, e para inscrições, http://goo.gl/GG5csZ.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone