A mais importante das datas comemorativas

Natal, o recorde de vendas em datas comemorativas

O que significa Natal para a maioria das pessoas? Comemorado em diversos países mundo afora, o dia 25 de dezembro pode ser associado aos mais variados significados, quando questionamos pessoas de diferentes culturas, hábitos e religiões.

Um teste simples, para identificar as principais associações feitas às comemorações de Natal, pode ser feito em um rápido passeio pelo escritório e uma breve conversa com seus colegas de trabalho. Certamente, as respostas serão diferentes umas das outras e poderão ter um viés mais pragmático do que sugerem as histórias narradas sobre o tema. Fizemos essa experiência entre os membros de nosso escritório. Pedimos que todos citassem as três primeiras coisas relacionadas ao Natal que lhes viessem à cabeça. “Comida” foi um das respostas mais comuns, mas isso já era esperado. Outro aspecto recorrente foi o tema “presentes/compras”. Como resultado, sete em cada dez pessoas incluíram em suas respostas algo relacionado ao consumo.

A partir desse simples experimento e levando em consideração toda mobilização do mercado para as vendas nessa época do ano, subjetividades à parte, sabemos que é disso que se trata o Natal: comprar e presentear.

O movimento gerado pela compra de presentes pode ser observado claramente na dinâmica de vendas das lojas que utilizam a plataformas como o Mercado Livre nos últimos anos. A ocorrência da Black Friday, associada ao início das vendas para o Natal, contribuem para que novembro aponte um pico nas vendas, que se sustenta nas primeiras semanas de dezembro, fazendo com que a compra de presentes para o Natal nesses dois meses seja o equivalente ao dobro, ou até ao triplo, de vendas em um mês comum para muitos.

Segundo a Real Trends, uma ferramenta que brinda as informações certas e em tempo real para quem opera com e-commerce, no ano de 2016, os segmentos mais procurados em lojas online para os presentes natalinos, foram: celulares e telefones, moda, beleza e cuidado pessoal e eletrônicos, somando 65% das opções disponíveis. O total de vendas para o Natal atingiu o valor de 262.000.000 reais.

Javier Goilenberg, CEO e Co-fundador da plataforma salienta que “há um aumento significativo das transações e vendas efetuadas via mobile, o que pode ser apontado como tendência real de mercado e enfatiza a relevância de ter um site responsivo para celulares e tablets”.

Em fim do ano é natural que o mercado aqueça ainda mais, mesmo em anos de crise econômica. Esse pico de vendas, apesar de desejado, pode também sobrecarregar os servidores e promover falhas em seu site, caso não sejam tomadas as devidas precauções. A velocidade de carregamento da página afeta sua taxa de conversão e até mesmo o SEO.

Também nesta época, tendo em vista o aumento das ofertas em diversos canais, os potenciais clientes se convertem em comparadores seriais de preços. Será um outro grande desafio para os vendedores converter esses consumidores em vendas concretas.

“Com ferramentas como a nossa, os lojistas do Mercado Livre podem conhecer tudo sobre a concorrência. Segui-los em tempo real, saber tudo o que fazem, e atuar mais rápido. Conhecer quando mudam os preços e até quando criam novas publicações. Só no Natal de 2016 foram geridas quase dois milhões de perguntas com o apoio da Real Trends”, assinala Goilenberg.

Em razão do aumento da demanda, outro erro de logística muito comum é o não cumprimento dos prazos de entrega dos produtos. Como bom lojista, deve se planejar com antecedência e tomar as medidas necessárias para não frustrar o cliente; ainda mais nessa época do ano, onde os sentimentos ficam à flor da pele e entrega antes do dia 25/12 é fundamental.

A primeira coisa a fazer é ter certeza de que sua loja tem estrutura suficiente para atender a todos os clientes. Outra bem importante é caprichar no seu marketing. Para chamar a atenção das pessoas para sua loja, você pode fazer um post especial no seu blog, chamadas e concursos nas redes sociais, enviar campanhas de e-mail marketing e investir em anúncios pagos no Google AdWords, ou Facebook Ads. As possibilidades são infinitas! Só tome cuidado para não bombardear o cliente de informações e esquecer do principal: converter vendas.

“O e-commerce é uma atividade que veio para ficar. É uma excelente porta para quem deseja entrar no mundo do empreendedorismo, ser seu próprio chefe, conquistar a independência financeira e deixar sua marca no mundo”, conclui Goilenberg .

Provavelmente, você já deve estar convencido da evolução do comércio eletrônico nos últimos anos e que 2018 promete grande crescimento. O que acha de começar o próximo ano dando um grande salto neste Natal?

Fonte: Partner Press&PR – Daniel Salman