Dicas para um bom desempenho na Black Friday

Quatro dicas da Mandic Cloud para um bom desempenho na Black Friday

Impulsionado pela pandemia, período conta com forte expectativa por parte dos consumidores e empresários de todo o Brasil

De acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), nos últimos dez anos, a Black Friday se tornou o período de vendas mais aguardado do ano pelos consumidores brasileiros. É também um momento de alta lucratividade para o varejo, considerando os descontos agressivos e a grande demanda de atendimento em todos os setores. Neste ano, com o isolamento social desencadeado pela pandemia do novo coronavírus, o consumidor desenvolveu novos hábitos de compras, fortalecendo o consumo on-line. Com isso, é previsto um aumento expressivo no acesso às plataformas de e-commerce, o que demanda uma preparação especial da infraestrutura dos ambientes de vendas.

A Black Friday de 2020 promete ser a maior de todos os tempos, visto que os downloads de aplicativos de compras no Brasil cresceram 100% durante a pandemia, segundo estudo da empresa americana AppsFlyer. Dessa forma, a Mandic, referência em gerenciamento de cloud e DevOps na América Latina e líder brasileira na gestão de ambientes em nuvem, destaca práticas efetivas para que as companhias alcancem um bom desempenho nas operações on-line, a fim de atender o alto volume de compras.

Segundo a consultoria, a data mais importante do mundo para o varejo requer cuidados que vão desde a obtenção de um suporte de TI bem estruturado, que opere em todas as frentes de negócios, até uma boa campanha de marketing. Para Karina Costa, diretora nacional de negócios da Mandic Cloud, um erro comum das companhias, não só para este período de promoções, mas também em grande parte das estratégias de negócios, é a desvalorização do serviço de infraestrutura de qualidade.

“Na hora de investir em um sistema de TI, muitos lojistas não levam em consideração a importância de optar por um servidor que comporte uma alta quantidade de acessos. Em datas de picos de vendas, ou em outras ocasiões imprevisíveis, como o cenário atual, no qual a expectativa é de concentração de vendas no meio digital, um ambiente despreparado pode afetar toda a estratégia de vendas. Outro equívoco é deixar para programar a campanha de marketing na última hora, sem pensar em uma estratégia centralizada. Isso impacta todo o projeto de forma negativa, pois há menos tempo para que seja possível criar um trabalho de qualidade”, afirma Karina.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

Nesse sentido, é importante ter um ambiente de vendas bem estruturado, com um sistema de suporte que ofereça apoio desde o início das operações. A diretora reuniu alguns pontos importantes, que devem ser levados em consideração durante a preparação das estratégias para esse período:

1. Invista em um sistema de TI de qualidade: é preciso que as operações estejam baseadas em um servidor adequado, para comportar a alta na quantidade de acessos prevista para a data. Qualquer instabilidade na plataforma pode fazer com que o cliente perca o interesse na compra, e ainda prejudique a reputação da marca.

2. Estabeleça um plano estratégico: a base para alcançar um bom desempenho em períodos desafiadores é desenhar uma estratégia que preveja todas as possíveis demandas e determine prazos para que as ações estejam em conformidade. O tempo de programação deve levar em conta o tamanho da operação: grandes empresas do varejo, por exemplo, se preparam para o período de Black Friday desde o começo do ano.

3. Tenha uma equipe de marketing sólida e uma campanha diferenciada: nesse período, as ofertas são bastante agressivas, e os consumidores ficam mais exigentes. Assim, é preciso contar com um time preparado para lidar com as adversidades e propor soluções criativas para atrair e reter os clientes. A melhor estratégia é pensar na experiência dos clientes em todos os canais de venda e atendimento.

4. Esteja preparado para qualquer inconveniente técnico: por causa do alto pico de acessos, as plataformas de vendas podem apresentar lentidão e falhas, problemas que abrem vantagem para a concorrência. Por isso, o suporte técnico deve ter a experiência necessária para operar ajustes de forma rápida e eficiente. Com uma consultoria bem preparada, esse tipo de instabilidade não fica sem solução.

Com base nessas dicas, fica evidente a relevância de contar com um parceiro tecnológico desde o começo do planejamento, para entender todas as ações que serão aplicadas no período e desenvolver um processo completo, com gerenciamento, segurança e monitoramento. Neste ano, como as vendas físicas serão minimizadas, é preciso garantir que os meios digitais estejam preparados com ferramentas para suportar e atender às altas demandas dos consumidores.

“A expectativa para a data é grande, pois agora o consumidor está em casa, com mais tempo para pesquisa e disposição de compra para adquirir produtos que deseja. Na Mandic, apoiamos nossos clientes em todo o processo da campanha para a Black Friday, desde o início até a finalização, atuando como seu parceiro de negócios para garantir bons resultados. O que mais determina o sucesso da Black Friday é a tecnologia por trás dos processos, os mecanismos e a plataforma que processam as informações e garantem o bom funcionamento da campanha”, finaliza Karina.

Fonte: Mandic Cloud Solutions – RPMA Comunicação

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Artigo traz dicas para a construção de um blog diferenciado

Seis dicas para construir um blog diferenciado e fortalecer a marca da empresa

por Rodrigo Gomes de Oliveira*

A criação de um blog é uma estratégia de marketing eficiente para trazer resultados positivos à empresa. Um blog com conteúdo de qualidade traz autoridade e credibilidade à empresa tornando-se uma boa referência dentro do setor, gerando maior visibilidade e fortalecendo o relacionamento entre a marca e o cliente.

A construção de um blog não é um bicho de sete cabeças, mas existem seis dicas importantes que podem facilitar o processo:

1. Estude o seu público-alvo

Ao começar um blog, você precisa atentar-se ao seu público alvo e estudá-lo ao máximo para saber o que funcionará com esse público. Portanto, o blog deve ser adequado para agradar ao público. Não adianta começar um blog e insistir em fórmulas que afastam o público que você quer atingir do seu conteúdo.

É preciso conhecer bem os seus leitores, estudando quais são seus hábitos e que tipo de conteúdo consomem e qual linguagem estão acostumados.

O próximo passo é elaborar um calendário editorial que definirá os assuntos a serem pesquisados.

2. Pesquise a concorrência

Ao começar um canal, é preciso deixar claro qual é o seu diferencial em relação aos demais. Os leitores precisam enxergar o seu blog como canal principal de conteúdo. É nesse momento que concorrência pode ajudar. Nos canais semelhantes você pode pesquisar quais os assuntos que eles ainda não abordaram e quais os pontos que faltam em seus conteúdos. É analisando o que os outros blogs estão fazendo que você conseguirá ser diferenciado e desenvolver assuntos que atrairão os leitores para o seu blog.

3. Escolha a ferramenta correta ao começar um blog

Um blog precisa ser elaborado para ser funcional e capturar a atenção dos leitores. Hoje, existem diversas plataformas no mercado que permitem a criação de um site ou blog na internet sem a necessidade de conhecimentos técnicos na área. Uma dessas plataforma é o WordPress, com uma estrutura que é extremamente intuitiva e um suporte que funcionará perfeitamente para atender todas as suas dúvidas iniciais.

Aproximadamente 60% dos domínios em toda a internet estão associados ao WordPress. É mais da metade do mundo digital, oferecendo quantidade enorme de temas e de recursos disponíveis.

4. Gerencie o tempo que você dedicará para o blog

Um blog é um projeto a longo prazo. Assim é preciso ter constância nas atualizações e na quantidade de informações. Para isso, é essencial dividir o tempo disponível da melhor maneira possível e alimentar o conteúdo periodicamente. Além de produzir novos conteúdos, recomendamos que você visite os posts mais antigos e os atualize, coloque novos links internos. Não utilize o seu tempo apenas para criar novos posts.

Atualize o canal de modo que o calendário de postagens seja funcional e natural. Assim, seus leitores se habituarão às datas de postagem e irão visitar seu blog nesses dias.

5. Invista em técnicas de SEO

O SEO (Search Engine Optmization, ou Otimização para os Motores de Busca) consiste na aplicação de técnicas envolvendo os conteúdos para que sejam ranqueados nas primeiras páginas dos principais buscadores, como o Google e o Bing.

É uma técnica indispensável para quem quer começar um blog e deseja que o conteúdo do blog faça parte da sua estratégia de captação e conversão de clientes.

O SEO é responsável por trazer tráfego orgânico para o seu blog, ou seja: seu blog será visto por mais pessoas, sem a necessidade de se investir em conteúdo pago. Por exemplo, se seu blog falar sobre advocacia e alguém buscar por alguma palavra-chave da qual fale sobre em seu blog (como remuneração, por exemplo), ele aparecerá logo nos primeiros resultados de busca.

Lembrando que esse resultado depende da qualidade do conteúdo e leva algum tempo.

6. Cuidado com os erros de português

Por fim, cuidado com os erros gramaticais. Não adianta ter um blog com o melhor design do mundo se o conteúdo estiver cheio de erros gramaticais e de ortografia.

Blogs com muitos erros causam uma má impressão em qualquer visitante e perdem totalmente a credibilidade, não importa o assunto do qual estejam falando.

Além do português podemos entender como erro uma imagem mal cortada, um design sem acabamento ou links incorretos. Isso faz parecer que o seu blog foi feito “às pressas” ou que o autor é desleixado.

Seguindo essas seis dicas é possível dar o pontapé inicial e oferecer conteúdo de qualidade ao seu público, fortalecendo sua marca.

*Rodrigo Gomes de Oliveira é sócio fundador na Agência Tupiniquim, especialista em marketing digital e performance.

Fonte:Case Comunicação Integrada – Cristiane Pinheiro

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Serasa Experian e mLabs juntas para impulsionar transformação digital

Serasa Experian e mLabs se unem para impulsionar a transformação digital de pequenos negócios

Busca dos empreendedores por ferramentas de gerenciamento de redes sociais cresceu 40% em um ano. Veja 5 dicas para melhorar a presença e ter mais segurança no ambiente virtual

Image by StartupStockPhotos from Pixabay

O atual momento desafiador do país levou muitos empreendedores a se reinventarem e encontrarem no ambiente digital uma alternativa para continuar suas vendas. Com o objetivo de apoiar e impulsionar a transformação digital dos pequenos negócios, a Serasa Experian e a mLabs – plataforma de gerenciamento de redes sociais – fecharam uma parceria para proporcionar condições especiais a quem precisa ter mais assertividade, agilidade e segurança no ambiente eletrônico. A partir de agora, quem adquirir um certificado digital da Serasa Experian poderá experimentar por 30 dias a plataforma e ter um desconto especial na contratação do plano anual da mLabs, a qual também passa a oferecer 20% de desconto a seus clientes que quiserem conhecer os benefícios do certificado, utilizado para emitir nota fiscal eletrônica, por exemplo.

“É importante que o empreendedor se adapte a esta realidade digital para garantir um bom potencial competitivo e se manter ativo no longo prazo. Se preparar e contar com ferramentas seguras para as transações são ações necessárias para garantir ao consumidor que ele está se relacionando com uma empresa séria e profissional. O certificado digital traz agilidade, segurança e validade jurídica na troca de informações, além de ser uma ferramenta sustentável e econômica, já que permite a substituição de documentos impressos pelos eletrônicos”, diz o diretor de Identidade Digital da Serasa Experian, Mauricio Balassiano.

De maio a julho deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, a mLabs identificou um crescimento de 40% na demanda de empreendedores pelos seus serviços e um aumento expressivo no volume de buscas pelo termo ‘Marketing Digital’. “Fica evidente que neste cenário adverso muitos empreendedores estão apostando ainda mais nas redes como vitrine para seus produtos e serviços. A busca intensificada por recursos de gerenciamento e conteúdo de marketing mostra que essas pessoas estão realmente engajadas e interessadas em atuar de maneira mais profissional no ambiente virtual e não simplesmente em apostar em uma aventura amadora”, diz o fundador e CMO da mLabs, Rafael Kiso.

Image by Lalmch from Pixabay

A ação conjunta da Serasa Experian com a mLabs contribui para que os empreendedores tenham acesso às ferramentas e serviços essenciais para alavancar os negócios sem abrir mão da segurança. “É uma ótima oportunidade para ter uma experiência imersiva em duas frentes digitais que agregam valor às empresas e garantem a autenticidade das operações, fatores relevantes na conquista da confiança de seus clientes”, afirma Balassiano. Para Kiso, “são duas empresas referência em seus mercados unidas para ajudar os pequenos negócios a prosperarem e manterem o profissionalismo e credibilidade quando inseridos no universo virtual”, finaliza.

Impulso digital: 5 dicas para melhorar a presença nas redes e ter mais segurança no ambiente digital

Mantenha a marca bem posicionada
Utilize as redes sociais de forma sábia e otimizada, com a finalidade de fixar o tom de voz e o posicionamento de sua empresa diante do público final.

Converse com seu público
Os canais digitais permitem a aproximação com seu público. Sempre que houver uma interação, não deixe de responder. Provoque o diálogo também por meio de publicações que incentivem seus consumidores a deixar comentários e mensagens, por exemplo.

Aposte em ferramentas seguras
Busque entender como cada ferramenta funciona, para qual área da empresa se aplica, além de garantir que os dados da empresa estejam seguros no ambiente online. O uso de certificado digital permite, por exemplo, efetuar com segurança processos de emissão de nota fiscal eletrônica, declaração do Imposto de Renda, assinatura de contratos digitais e até mesmo abertura, ou alterações contratuais empresariais na Junta Comercial.

Analise relatórios
Avaliar resultados periodicamente é de extrema importância. Não ignore os números gerados no mês, mesmo que sejam pequenos no início. São os relatórios que trarão indicadores importantes para entender quais são as áreas que precisam de melhorias.
Fique online sem deixar o profissionalismo de lado
Embora as redes sociais possam passar uma imagem de um ambiente mais descontraído, lembre-se que o consumidor está cada vez mais exigente e buscando por empresas sérias e profissionais para se relacionar. Aposte na assinatura eletrônica para validar a autenticidade dos documentos emitidos pela empresa e garanta um gerenciamento eficiente de todas as suas redes para proporcionar um atendimento de excelência.

Fonte: Relações com a Imprensa – Viviane Garcia

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

ACIT agora no Youtube

ACIT lança novo canal no Youtube e traz vídeos com dicas de profissionais de diversas áreas

A Associação Comercial e Industrial de Taubaté traz mais uma novidade para os empresários da cidade e lança, nessa semana, seu novo canal na rede Youtube.

Nesse canal, a ACIT irá oferecer uma série de vídeos com dicas de profissionais de diversas áreas com a intenção de ampliar as informações e abranger mais empresas e, assim, continuar a auxiliar empresários e colaboradores no desenvolvimento econômico da cidade.

Inicialmente, as áreas abordadas serão: Marketing Digital, focado nas ferramentas do Instagram; Marketing Digital para o ramo de Gastronomia; e Dicas Jurídicas; sempre com instruções relevantes e que podem ser aplicadas em diferentes tipos de negócios.

O material será disponibilizado no Youtube, mas também poderá ser acessado no IGTV do Instagram. As redes da ACIT podem ser encontradas como “acitaubate” (Site, Youtube, Instagram, Facebook e Linkedin). Todas elas são abertas e estão disponíveis para quem estiver interessado em acessar livremente os conteúdos disponibilizados.

O primeiro vídeo é uma apresentação do projeto e será lançado nessa quarta-feira,15 de julho. Nessa primeira semana, excepcionalmente, será disponibilizado outro vídeo inédito na sexta-feira, dia 17 de julho, que irá trazer as dicas de marketing para o setor de gastronomia. A partir da próxima semana as publicações serão semanais e sempre às quartas-feiras.

Como todas as empresas, a Associação também vem se ajustando e se adaptando para esse período atual. A ACIT também tem estudado e feito diversas avaliações sobre a melhor maneira de continuar ofertando seus produtos aos associados e, com isso, tem apostado nas plataformas digitais como meio para chegar aos empresários, mantendo sua missão de capacitar e desenvolver as empresas de Taubaté.

Fonte: Bruna Abifadel – Assessoria de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dicas para um evento virtual de sucesso

Sete dicas para fazer eventos virtuais de sucesso

Com o isolamento social, um dos setores que mais teve impacto direto foi o de eventos. Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc Brasil), 98% das empresas foram impactadas com a crise, tendo uma média de 12 eventos cancelados e sete remarcados.

Neste cenário, alternativas foram encontradas para que alguns acontecimentos tivessem continuidade, como lives no Youtube feitas por cantores no mundo inteiro. Isso mostrou que os shows podem ser feitos diretamente de suas casas, alcançando e arrecadando milhões em doações. O universo acadêmico se adequou para promover aulas on-line, gravadas e ao vivo, permitindo aos alunos o andamento de seu semestre letivo e a continuidade dos estudos. Os eventos corporativos e acadêmicos passam a se reinventar neste ambiente on-line, por meio de lives, videochamadas e conteúdos gravados e escritos.

Segundo Flávia Roberta Fernandes, professora tutora do curso de Assessoria Executiva Digital do Centro Universitário Internacional Uninter, para que estes eventos mantenham qualidade e atratividade ao público, fatores como a qualidade da transmissão e etiqueta virtual devem ser levados em consideração.

1 – Selecione uma plataforma que permita a transmissão ao vivo e a interação dos participantes via chat, já que isso gera proximidade. Lembre-se de, ao longo da transmissão, incentivar os participantes para que interajam.

2 – A conexão com a internet, tanto dos palestrantes quanto do público deve ser estável, para que não haja cortes e interrupções (se possível, opte por uma conexão via cabo e não wifi).

3 – O microfone e a webcam devem estar configurados para a recuperação do som e imagem. Cuidado com os ruídos e tente um bom ângulo.

4 – A iluminação do ambiente deve ser equilibrada, nem clara ou escura demais, porque reflete diretamente nesta recuperação da imagem. Cuidado redobrado com as transmissões que começam no fim da tarde, pois a alteração de luz pode atrapalhar. Adapte sua iluminação ao horário escolhido do dia.

No que diz respeito à etiqueta virtual, Rafaela Aparecida de Almeida, professora tutora do curso de Secretariado da Uninter, ressalta outros cuidados:

5 – Caso não tenha um escritório em casa, reserve um espaço para realizar a transmissão. Evite locais onde poderá ser interrompido, que tenha interferências sonoras externas, quarto de dormir ou dos filhos. Lembre-se de evitar a exposição de sua vida pessoal. Embora as lives sejam informais, é preciso ter cautela.

6 – Cuidado com a aparência. Não é porque estamos em home office, que devemos descuidar da imagem. Para homens, cabelo penteado, barba feita e uma roupa adequada. Para mulheres, cabelo penteado, roupas discretas, maquiagem compatível.

7 – Postura diante da câmera. Escolha um local confortável, evitando movimentos bruscos, risadas altas ou comentários inoportunos e escolha o melhor enquadramento, se possível mais fechado mostrando mais o participante que o ambiente ao seu redor.

Para as professoras e especialistas da Uninter, o momento exige uma adaptação no modo de se trabalhar a organização de um evento, seja ele empresarial, acadêmico ou artístico. “Mas o que parece ser uma solução pontual e momentânea para reuniões de todos os tipos e a troca de ideias entre estes grupos, pode ser também uma prática que permaneça nos próximos anos e modifique muitos de nossos encontros”.

Fonte: Página 1 Comunicação – Lola Dias

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Especialista dá 5 dicas para reconhecer as fake news

Pesquisa diz que 62% dos brasileiros não sabem reconhecer notícias falsas

As notícias falsas têm ganhado cada vez mais credibilidade entre os brasileiros. De acordo com um estudo feito pela empresa de cibersegurança Kaspersky, 62% dos brasileiros não sabem reconhecer uma fake news. Além disso, segundo o Massachusetts Institute of Technology (MIT), as notícias falsas circulam 70% mais do que as notícias verdadeiras na internet.

Por isso, é preciso estar atento e entender como descobrir se as notícias compartilhadas por amigos, familiares e conhecidos, são verdadeiras ou não. Para isso, a professora do curso de Marketing Digital do Centro Universitário Internacional Uninter, Maria Carolina Avis, dá cinco dicas de como verificar uma fake news. Confira:

DICA 1

Verifique se essa notícia é recente ou antiga. Muitas vezes a informação não é falsa, só é antiga. Após esse texto, foi publicada alguma atualização que seja mais recente? Então antes de repassar algo para frente, analise quando o texto foi escrito e se houveram atualizações. O Google Notícias pode ajudar nessa verificação.

DICA 2

Isso realmente é uma notícia? Não é uma propaganda que parece uma notícia? Cuidado com o compartilhamento de “notícias” de produtos milagrosos que se disfarçam de informação. Além disso, analise se o produtor do conteúdo tem credibilidade, se a fonte é confiável. Prefira repassar informações verificadas por grandes canais de comunicação.

DICA 3

Muitas informações disponíveis na internet são análises pessoais, e não informações baseadas em dados. Essas não necessariamente são falsas, mas têm uma intenção clara pelo autor que expôs sua opinião.

DICA 4

Se uma notícia é verdadeira, vários canais de comunicação a publicarão. Antes de compartilhar, faça uma breve pesquisa e analise essa questão. Neste momento, leia as várias versões de uma mesma notícia para ter a sua opinião sobre.

DICA 5

Tem muitos erros de português? Pelo link conseguiu ver que o nome da empresa está incorreto? Desconfie.

As notícias falsas são muito atraentes, por isso são tão compartilháveis. É importante verificar antes de repassar, afinal nem sempre as pessoas que receberão sua mensagem pensarão em verificar a veracidade, antes de compartilhar com ainda mais gente.

Fonte: Página 1 Comunicação – Lorena Oliva Ramos

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Pra ficar ligado! Dicas de conteúdo

Quer ficar sintonizado com novas tecnologias, marketing e comunicação? Veja essas dicas de conteúdo

por Josué Brazil

Não são poucas as vezes em que meus alunos e até alguns ex alunos me pedem dicas sobre o que ler, ouvir e assistir para ficar sintonizado com as novidades e tendências do mundo do marketing e da comunicação. Então resolvi dar algumas dicas aqui no blog.

Está cada vez mais evidente que entender de tecnologia fará toda a diferença. Na verdade já está fazendo. Então algumas dicas vão nessa direção também. Vamos lá!

Um bom caminho é assinar algumas newsletters. Recomendo ao menos três que são gratuitas. A primeira é a Think With Google. Normalmente eles enviam um pacote com dois ou três artigos repletos de dados e insights do Google. Ajudam demais a entender cenários e tendências.

A segunda newsletter que recomendo é a Morse, editada pelo pessoal da Hands Mobile. Atualidades do mundo digital e mobile com linguagem leve e textos curtos. Muito bom!

E a terceira newsletter que recomendo é a do Gabriel Ishida. Baita profissional, o Gabriel fala de marketing e publicidade digital, plataformas, últimas notícias etc. Também com texto leve, fácil e pra consumir rapidinho.

Outra formato de conteúdo interessante é o podcast. E aqui vou indicar dois bem interessantes. Primeiro vou repetir a dica em relação a Morse, pois eles também tem um podcast bem bacanudo e que vale a pena ouvir. Notícias e entrevistas com gente fera da área de tecnologia e negócios.O segundo podcast é o Código Aberto, da Brainstorm 9 (ou B9). Eles entrevistam muita gente interessante e importante das áreas de propaganda, marketing, comunicação e tecnologia.

Outra coisa legal é acompanhar bons documentários. Fico caçando bons documentários no Netflix. Algumas indicações:

– Abstract – The art of design – A primeira temporada foi muito boa e eles acabaram de disponibilizar a segunda. Já assisti a dois episódios desta nova temporada e eles mantiveram o ótimo nível da primeira. Caso você curta design e goste de referências de diferentes áreas pra se inspirar essa série documental é obrigatória

– Como o cérebro cria – esse documentário desvenda ( ou tenta desvendar)os mistérios da inventividade e criatividade humanas e para tanto mostra diversas atividades artísticas e a relação do processo criativo com as capacidades de nosso cérebro. Ótimo ritmo e edição. Gostoso de assistir.

– Está tudo nos números – já que só se fala de Big Data, IA, Analytics, algoritmos e dados, nada melhor do que um documentários que mostre o universo dos números. Bem bacana e quase que obrigatório para que o povo de humanas se aproxime e passe a gostar um pouco mais dos números.

Acho que por enquanto tá bom! Tente degustar alguns destes conteúdos. Vai valer a pena!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Entenda os podcasts

Sete dicas para quem quer ingressar no mundo dos podcasts

por Achiles Júnior e Maria Carolina Avis*

A primeira coisa é entender o que é podcast, concorda?

Trata-se de uma nova mídia cujo nome tem sua origem no latim e significa “meio ou caminho”. É utilizada para transmissão de informações, da mesma maneira que a televisão, rádio, revista ou mesmo o jornal. Assim, o podcast pode ser compreendido como uma espécie de programa de rádio, que tem como diferença básica e grande vantagem ser produzido sob demanda específica.

Com ele, é possível acessar, ouvir, curtir e aprender o que quiser e quando considerar mais adequado.

Porém, o tal do podcast tem novos recursos, nasce e cresce com novas possibilidades, novos hábitos de vida e novas formas de utilização. Dessa forma, pode ser entendido como uma nova mídia que tem como finalidade a transmissão de informações. É muito recente em terras brasileiras, onde cresce e pouco a pouco passa a fazer parte de novos hábitos e costumes.

No podcast pode-se usar, ainda, os chamados agregadores, que são aplicativos (SoundCloud, WeCast, Stitcher, Overcast, Feedly, iTunes, Podflix, entre outros). São serviços específicos para usufruir de temas de sua preferência, tais como cultura, esportes, ciência, educacional e política.

Vale lembrar que esse hábito cresce impulsionado pelo aumento do comportamento mobile do cidadão.

Segue, então, algumas dicas para quem pretende ingressar e se destacar no mundo dos podcasts:

Busque relevância

Como esse mercado é relativamente novo, busque a atenção de todos, inclusive de gigantes da indústria. Para se destacar é necessário ser relevante e encontrar algo que você domine, algo que possa agregar à vida das pessoas, que seja valioso e gere conteúdo relevante — aliás, esta última regra é a mais importante.

Nichos de audiência

Ser relevante em um assunto que ninguém se interessa pode ser ainda mais complicado. Sendo assim, encontre seu nicho de audiência. Entenda qual seu segmento e interaja de maneira eficiente.

Marca pessoal forte

Diga “a que veio” e qual seu propósito no meio de tanta gente produzindo conteúdo. Crie uma marca pessoal forte — afinal, não basta ser o melhor profissional, mas continuar desconhecido no mercado, concorda?

Planejamento e organização

Pense em conteúdo, logicamente, mas nunca se esqueça de que um planejamento que vai desde a criação, postagem, até a divulgação de seu podcast é base para o sucesso, ou certamente minimiza o fracasso. Com planejamento, sempre vai funcionar, seja no mundo real ou virtual.

Equipamento

Invista na qualidade dos áudios. Vale adquirir algum equipamento com alto padrão de captação e de som. Que tal um microfone profissional para ter um áudio de padrão de estúdio?

Fidelização

Encontrado seu nicho, as palavras de ordem são: identificá-los, valorizá-los e fidelizá-los. Afinal eles serão os grandes propagadores para o bem ou para o mal em sua caminhada no mundo dos podcasts. Como diz o ditado: as formigas têm megafones.

Participantes convidados

A participação de pessoas relevantes, conhecidas e influentes dentro do segmento de sua atuação é bem-vinda, principalmente no início. Credibilidade vem de influência, premissa nesse mundo novo do qual fazemos parte.

* Achiles Júnior e Maria Carolina Avis são professores de Marketing Digital no Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Página 1 – Lorena Oliva

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dicas para incrementar o e-commerce

Três dicas para impulsionar o e-commerce nas datas comemorativas do varejo

O profissional do varejo entende o valor que as datas comemorativas proporcionam para o negócio, seja para trazer equilíbrio na sazonalidade (meses de alta versus meses de baixa) ou para alavancar as vendas e liberar estoques.

No Brasil, o Natal por exemplo, desponta como a data comemorativa mais importante para o comércio eletrônico, que concentrou 10% de todo o faturamento da categoria em 2018, segundo o estudo Webshopper da Ebit Nielsen. Outro dado interessante desse levantamento é que a Black Friday superou o tradicional vice-campeão em vendas do mercado, o Dia das Mães, alcançando um faturamento de R$ 2,6 bilhões, o que representa 4,9% do total, enquanto o Dia das Mães atingiu R$ 2,11 bilhões (4% do total). Além disso, em 2018, o ticket médio mais alto foi precisamente da Black Friday (R$ 608), seguido pelo Cyber Monday (R$ 494) e o Natal (R$ 475).

No último ano, no entanto, o Dia do Consumidor surge como uma ótima oportunidade para o varejo. De acordo com pesquisa Google, 35 mil pessoas já conhecem a data: 35% acharam que as promoções estavam boas e 65% encontraram promoções que procuravam.

Para acompanhar o ritmo do mercado e aproveitar as oportunidades que as datas comemorativas trazem, os e-commerces devem se planejar antecipadamente com estratégias eficientes com o objetivo de alcançar o desejado equilíbrio entre performance, resultado para o negócio e experiência de alto nível para as pessoas em toda a jornada de compra e interação com a marca.

Ao longo dos últimos anos eu tive a oportunidade de vivenciar de perto muita estratégia eficiente, mas também algumas crises durante eventos como a Black Friday. Por isso o meu objetivo é compartilhar alguns aprendizados que tive ao longo da minha carreira e observando nossos clientes na Worldline.

A primeira dica é: planeje-se! Independentemente do segmento e porte, isso é fundamental para todo varejista: saiba quais datas terão o máximo da sua energia e investimento, quais produtos/serviços serão ofertados e qual será a sua estratégia de relacionamento pós-data comemorativa.

Você, como gestor de e-commerce, deve estar preparado para um alto tráfego no e-commerce, por isso, é importante ter muita atenção com as datas de freezing (datas que o site não pode sofrer ajustes) para não comprometer a experiência do usuário.

Na prática, é necessário realizar testes no e-commerce para identificar como a plataforma se comporta com uma quantidade de acessos muito maior. Normalmente esses testes são feitos pelo menos um mês antes da campanha com o objetivo de avaliar a capacidade de processamento e navegação.

É importante ainda reforçar a infraestrutura de logística, capacitar e orientar todos da equipe para atender aos pedidos que sofrerão alta, além de comunicar todos os fornecedores, especialmente àqueles que atuam com sistemas antifraude, a fim de preparar todas as ferramentas para um comportamento do consumidor que pode parecer incomum.

Caso a equipe de antifraude não esteja alinhada com a ação entenderá esse movimento como suspeito e tornará a aprovação da compra lenta e, em alguns casos, levará o banco a entrar em contato com o cliente para confirmar a transação e, enfim, aprovar a compra. Neste meio tempo, o consumidor tem a opção de desistir do pedido, abandonar o carrinho e comprar do concorrente.

Mais do que oferecer uma experiência simples e conveniente, você precisa fidelizar. Com isso, a segunda dica é: faça da venda uma experiência positiva. E isso se dá por meio da navegação fluída no site, comunicação simples, facilidade de compra, incluindo diversidade nas formas de pagamentos e eficiência na comunicação entre e-commerce e adquirente. Essa é a fase em que você se questiona: meu gateway suporta o volume maior de transações durante o período da ação? Os bastidores de funcionamento do seu site devem estar muito orquestrados, para que não haja erro de comunicação no meio do processo.

Aqui ressalto a importância de contar com parceiros capacitados. Certifique-se que seu gateway conta com o certificado PCI Compliance e se ele é válido para o Brasil. Isso significa que ele funciona dentro das normas locais e atende a todos os requisitos para funcionar no país.

A terceira é tenha redundância! O que isso significa? Basicamente conte com um plano B para todo o seu serviço de venda: gateway, adquirente e antifraude. Você não quer que uma compra não seja aprovada porque um dos seus servidores ou parceiros não suportaram o seu volume de vendas. Para se ter uma ideia da importância deste processo, os e-commerces estruturam um “war room” em datas de grande movimento no varejo composto por TI, logística, financeiro, mercado, negócios, atendimento, comunicação. Isso, para que todo mundo esteja pronto para atuar em caso de crise.

Por fim, as oportunidades ao longo do ano são muitas, e, por isso, é indispensável se preparar para essas datas importantes do varejo. Planeje e gerencie o seu e-commerce sempre valorizando a experiência do seu público-alvo para que o ano seja de conquistas e resultados extraordinários no seu negócio e na sua carreira.

Thais FischbergThais Fischberg está à frente da operação América Latina da Worldline, empresa líder em meios de pagamento na Europa. No Brasil atua como gateway especializado em operações globais de grande porte.

Fonte: Tamer Comunicação – Lucas Hensou
Assessor de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Para evitar erros no e-commerce

Especialista destaca 5 erros comuns nos sites de comércio eletrônico

Erros técnicos, de navegabilidade e até de SEO são capazes de prejudicar os negócios onlines; saiba como se prevenir

Imagem de justynafaliszek por Pixabay

O número de vendas pela internet está crescendo exponencialmente, seja por meio das lojas virtuais ou dos marketplaces. De acordo com previsão da Abcomm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o comércio eletrônico brasileiro deve crescer 16% até o final de 2019 e o volume de vendas deve chegar a R$ 79,9 bilhões.

Cada vez mais, o nível de concorrência que os empreendedores enfrentam no mundo digital também aumenta e para driblar esse cenário é preciso estar atento às novidades do mercado e tecnologias que ajudam o lojista durante sua jornada empreendedora – além de construir uma estratégia eficaz para as vendas pela internet.

“O lojista online pode perder vendas por conta de detalhes pequenos e por isso é fundamental estar de olho em toda jornada do cliente. Problemas com rastreabilidade, imagens dos produtos e estrutura de URL são comuns em sites de e-commerce e podem ser resolvidos antes de causar um problema maior para o empreendedor”, explica Frederico Flores, especialista em marketplace e head de Negócios da Becommerce – maior plataforma para gestão de vendas em marketplace da América Latina.

A Becommerce em parceria com o Mercado Pago e a SEMRush – ferramenta de web analytics responsável por entregar dados consolidados sobre buscas de usuários e posicionamento no Google – preparou um e-book com os 80 Erros Mais Comuns nos Sites de E-commerce. Foram analisados cerca de 1300 lojas online, procurando 80 erros técnicos e de SEO capazes de prejudicar as vendas pela internet. Frederico Flores separou abaixo os 5 principais erros e dá dicas de como os lojistas podem otimizar seus negócios.

Rastreabilidade: é importante que seu site seja fácil de rastrear. Se o seu conteúdo/página não puder ser rastreado por quaisquer motivos, ele não será indexado no Google e o seu site não será exibido nos resultados de pesquisa dos consumidores. Esse é um erro comum que deve ser visto como prioridade por quem vende pela internet.

Estrutura de URL: o Google recomenda manter a estrutura da URL simples, para que tanto os rastreadores – robôs – quanto os humanos possam lê-los. Uma dica é usar hífens ao invés de underlines, e garantir URLs curtas e com poucos parâmetros pode ajudar também a melhorar a legibilidade do seu site.

Segurança de implementação de HTTPS: a segurança do site é uma alta prioridade para lojas virtuais. Um navegador que sinaliza uma conexão insegura pode assustar seus clientes e impedir a compra. Migrar para HTTPs pode ser um desafio, mesmo para as grandes empresas de comércio eletrônico. A maioria dos sites analisados possui páginas com links para a versão antiga (HTTP) e páginas com conteúdo misto, portanto, os mecanismos de pesquisa não sabem se a página é segura.

Desempenho de site: a velocidade de carregamento do seu site afeta a experiência do usuário e sua classificação nos mecanismos de pesquisa. Os relatórios mostram que, para cada segundo de demora no tempo de carregamento, você pode ver uma redução de 7% nas conversões.

Imagens: imagens quebradas podem causar problemas para qualquer site, mas quando se trata de e-commerce, a falta de imagens quase sempre resulta na perda de dinheiro. Imagens amadoras, tremidas ou desfocadas também podem afastar o seu consumidor na hora de fechar a compra. Invista em fotos profissionais dos produtos, aposte em ângulos diferentes e não esqueça de colocar as infos do item, como tamanho, altura, etc – isso ajuda o consumidor a ter uma visão mais real do produto que irá receber.

Fonte: Agência NoAr – Henrique Rodrigues

Share and Enjoy !

0Shares
0 0