Artigo trata de realidade mista

Realidade mista: o quanto tecnologia fascinante mudará nossa forma de viver?*

Ao acordar de manhã, você pega o celular ao lado da cama e começa a ler as mensagens. O tempo em que você esteve dormindo, em uma “realidade paralela”, é retomado ali, e, em um clique, você consegue recuperar tudo aquilo que deixou de ler ou saber enquanto “perdia” algumas horinhas durante o sono.

Luiz Alexandre Castanha é diretor geral da Telefônica Educação Digital

Você se reconhece nessa situação? É que a tecnologia está conosco todo o tempo. E a verdade é que a comunicação e a conexão promovidas por ela estão definindo os próximos passos da história da humanidade.

Os smartphones, um dos objetos mais emblemáticos dentro da sociedade multitela em que vivemos, são a prova disso. Segundo matéria da revista Superinteressante, há mais chips de celulares no mundo (6 bilhões) do que escovas de dentes (4,3 bilhões). Ou seja, é como se estivéssemos mais preocupados com a tecnologia do que com um hábito de higiene.

É claro que esses números são relativos, mas indicam o fascínio que temos pelas diferentes formas de viver a realidade que só as inovações tecnológicas podem nos trazer, ao personalizar experiências e nos fazer aprender e desenvolver nosso conhecimento.

Já temos um pacote de novidades realmente empolgante: a inteligência artificial é cada dia mais precisa, os objetos com interface de voz se comunicam com o dono, e até grandes corporações, como a Marvel, usam big data para analisar, por exemplo, a resposta do público aos seus heróis. E olhando por um lado otimista, se bem aplicada, a tecnologia pode ter realmente a capacidade de “nos salvar”, ao promover grandes revoluções na forma que vivemos e nos relacionamos.

Mudou muito, por exemplo, desde meus tempos de faculdade. Como sempre adorei tecnologia, à época, tivemos um serviço de videotexto em casa para consultar a programação de cinema, na tradicional tela de fósforo verde. Fiz muitos trabalhos de faculdade, pesquisas com dicas de bares. Tudo isso era o máximo que esses aparelhos podiam nos proporcionar – e já achávamos incrível.

É fato que, de lá para cá, tudo ganhou qualidade e agilidade: muito mais cores, maior definição e maior velocidade nos dispositivos, internet 5G e, claro, celulares (que cabem nos nossos bolsos) muito mais potentes do que os computadores que auxiliaram o homem a chegar pela primeira vez à Lua.

Mas, apesar de toda essa incrível evolução, penso que agora tocamos em uma nova fronteira: a de sairmos da realidade 2D, para avançarmos para o holográfico e às realidades em que ambiente, som e localização também sejam alteráveis.

A realidade mista é um dos caminhos mais promissores e, apesar de os dispositivos ainda não serem tão acessíveis, transformará nosso futuro. Os óculos lançados pela Microsoft, “HoloLens”, são um exemplo incrível: com o gadget, é possível interagir com hologramas no seu mundo real. Eu mesmo experimentei alguns óculos holográficos e posso dizer que viver entre a realidade real e virtual mudará nossa maneira de trabalhar, se divertir e aprender de um jeito que nunca vimos.

Imagine você que depois de alguns cliques e ajustes na configuração, será possível ter um instrutor de musculação dentro de sua sala passando dicas sobre exercícios físicos. Ou então, colocar objetos de arte em uma estante virtual no corredor de sua casa. Nós, que estudávamos com enciclopédias, nos tornamos quase homens das cavernas frente à tecnologia que está sendo testada em vários lugares do mundo.

A gigante Disney, por exemplo, também embarcou nesta nova onda. Há um projeto muito interessante de realidade mista feito pelos pesquisadores da empresa, o “Magic Bench”, ou “Banco mágico”. De forma fácil, as pessoas vivenciam uma experiência combinada de realidade mista e aumentada e interagem com um personagem – um elefantinho holográfico – sem a necessidade de dispositivos como monitores.

Disney “Magic Bench”

Segundo a descrição da empresa, o usuário vê uma imagem espelhada em uma tela grande na frente, como se visse a cena acontecendo pelo olhar de uma terceira pessoa. Tudo, então, é reconstruído usando um sensor de profundidade e o participante ocupa, de fato, o mesmo espaço 3D que o personagem.

Essa é uma realidade particularmente intrigante para nossos tempos; tanto que faz o passado soar um pouco vintage. Estamos prontos para imergir em experiências multisensoriais que a realidade mista pode nos proporcionar – e, junto com as novas gerações, fazer da tecnologia a nossa melhor aliada para ganhar conhecimento.

* Luiz Alexandre Castanha é diretor geral da Telefônica Educação Digital – Brasil e especialista em Gestão de Conhecimento e Tecnologias Educacionais. Mais informações em https://alexandrecastanha.wordpress.com

Fonte: onecte – Eliane Tanaka

Prêmio para mídia OOH

ABOOH lança Prêmio OOH de Criatividade

A Associação Brasileira de Out Of Home (ABOOH) vai premiar as três agências de propaganda ou anunciantes que tiverem os melhores trabalhos na mídia out of home, com a 1ª edição do Prêmio OOH de Criatividade. As inscrições são gratuitas e feitas mediante preenchimento e envio do formulário de inscrição, disponível no http://premiodecriatividade.abooh.com.br, até 30 de setembro de 2018. A iniciativa contemplará as peças considerando como critérios criatividade, adequação e utilização de setores de exibição que caracterizam o OOH como aeroportos, edifícios, estabelecimentos comerciais, grandes formatos, mobiliário urbano e transportes.

Podem concorrer os trabalhos veiculados entre 1 de outubro/2017 e 30 de setembro/2018 inscritos, que devem ter usado, pelo menos, uma das empresas exibidoras filiadas à ABOOH. São elas: BR Malls, ClearChannel, Coletiva, Elemidia, Eletromidia, GM7, Helloo, Hyperfator, Indoormidia, JC Decaux, Kallas, LedChannel, LedWave, Onbus, Otima e Urbana.

As propostas inscritas serão julgadas por uma comissão, integrada por representantes de agências e clientes do mercado publicitário. Os vencedores serão homenageados em cerimônia de premiação no dia 6 de novembro.

“A mídia OOH é a que está apresentando maior crescimento no País e acreditamos que há imenso potencial para que o setor avance ainda mais. Trata-se de um segmento que oferece possibilidades infinitas para a comunicação e marketing das marcas e os avanços dos recursos digitais integrados ao meio tornam o cenário extremamente favorável. Nesse contexto, a ABOOH cumpre sua missão de estimular o mercado de out of home com o lançamento do Prêmio OOH de Criatividade”, ressalta Eduardo Alvarenga, presidente da ABOOH e CEO da Elemidia.

Sobre a Associação Brasileira de Out of Home (ABOOH)

Entidade que tem como associados as maiores operadoras do setor e como objetivo incentivar as relações entre os associados e o mercado publicitário, além de ajudar a disseminar o conhecimento sobre o meio, posicionando-o como uma poderosa ferramenta na construção de marcas de produtos e serviços. A entidade agrega grandes e médios players – nacionais e internacionais – que estão atuando no meio e/ou chegando ao País, com status de associados. Mais informações, no site www.abooh.com.br.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Fernando Ciupka

Move Digital procura

Vaga para UX DESIGNER JR / DIRETOR DE ARTE JR

A vaga é na Move Digital e para início imediato – PJ

Requisitos:
– Amar o que faz e a profissão
– Essencial experiência em criação de interfaces digitais (Sites, APPs, Lojas Online, E-mail Mkt, etc…)
– Domínio de Sketch App, Adobe XD, Figma, Photoshop
– Webflow é um grande diferencial
– Já ter usado Trello ou já ter ouvido falar
– Dominio de MacOS

Detalhe da vaga:
– Trabalhar bem em equipe, e saber ouvir bem
– aprender juntos pensando apenas no produto ou interface final, e na experiência que ele irá gerar
– Pro-ativo e interessado
– Trabalho de um mês para atuar em diversos projetos. (com possibilidade de efetivação)

Enviar link com portfólio (emails sem link serão desconsiderados)

Regime: PJ
Horário: 9h – 18h
Local de Trabalho: Pq Industrial

Salário: De R$ 1.200 a R$1.500
Benefícios: VT

Enviar email para jobs@movedigital.com.br

Vaga para atuar em mídia

Coyô abre vaga de analista de mídia digital

Envie seu currículo para vempramatilha@coyo.com.br

O Analista de Mídia aqui na Coyô precisa manjar de:

– Redes sociais
– Anúncios nas principais plataformas de mídia digital.
– Conhecimento básico em Google Ads

Vaga para analista de marketing

Vaga para Analista de Marketing Digital

Desejável:

– Superior completo em Marketing ou Publicidade

– Vivência anterior com gestão de plataformas digitais

– Inglês avançado

– Experiência na gestão de sites, planejamento de redes sociais, gerenciamento de leads, planejamento estratégico digital e mídia performance

Local de trabalho: Jacareí – SP

Interessados mandar CV com pretensão salarial para marketing@cherybrasil.com.br com o título da vaga no assunto do e-mail

Vaga para designer

O Guichê Virtual está contratando Designer Jr.

A vaga é para atuar em São José dos Campos – SP.

Envie seu currículo com o nome da vaga no assunto do e-mail para recrutamento@guichevirtual.com.br

 

Vaga aberta para social media

Vaga para atuar em Social Media

Planejar, criar, implementar e monitorar as ações de mídias digitais (Facebook, Instagram e, twitter);

Design de peças para mídias sociais;

Planejamento, estratégia, monitoramento, métricas e análise de mídias sociais.

Elaborar e implementar campanhas de anúncios online.

Elaboração de conteúdos para todos os canais digitais: catálogos, banners, mídias, institucionais, textos, vídeos, fotos, entre outros.

Elaboração de relatórios de desempenho e apresentação de resultados das ações.

Elaborar e gerenciar campanhas de e-mail marketing.

Noções de fotografia, ser antenado as tendências de conteúdo digital e promocional.

Experiência e foco na área de marketing relacionado a mídias sociais.

Diferenciais:

• Superior em Publicidade / Propaganda, Marketing ou Jornalismo;

• Conhecimentos práticos no pacote Office (Word, Excel, PowerPoint e Outlook) e Adobe (principalmente em Photoshop e Illustrator).

Interessados encaminhar currículo para oportunidadetaubate2018@outlook.com
com pretensão salarial

Começou a 38ª Secom

Metamorfose

Começou na noite de ontem, 20/08, a trigésima oitava edição da já bastante tradicional Semana de Comunicação da Universidade de Taubaté, a SECOM.

O evento conta com extensa programação de palestras, oficinas e painéis e segue até a próxima sexta, dia 24/08.

Quem abriu a programação deste ano foi Leo Veri, consultor de tecnologia e inovação da Oracle. Ele trouxe uma palestra que abordou, segundo sua visão, dois pilares da transformação digital: inovação e intraempreendedorismo.

O tema escolhido pelo palestrante mostrou extrema afinidade com o tema geral do evento, “Metamorfose: transformação digital” (#saiadocasulo). Durante sua exposição ele apresentou o ciclo de conhecimento proposto pela Oracle. Quatro etapas para que você se diferencie em termos de aprendizado e conquistas. Visão, Aprendizagem, Ação e Experiência.

Leo Veri, da Oracle
Foto: Aguinaldo de Jesus

Ele abriu várias oportunidades de interação entre os alunos presentes e a Oracle e afirmou que o que era ficção científica agora é parte natural de nosso cotidiano. Ressaltou também que comunicação e criatividade são e serão elementos fundamentais dentro do mercado pós digital.

O mesmo palestrante repetiu a dose e fez a abertura também para a turma do matutino hoje pela manhã.

A 38ª Secom da Unitau segue com ótimas oportunidades de aprendizado. Confira a programação completa aqui.

Já ouviu falar de marketing conversacional?

Marketing conversacional: o futuro da relação empresa – consumidor

*Por Raphael Godoy

O marketing conversacional ainda não é um verbete do Wikipedia, tem menos de 90 resultados na pesquisa do Google em língua portuguesa e não aparece (ainda!) no Google Trends Brasil dos últimos 12 meses. Mesmo assim, é capaz de elevar a relação das empresas com os clientes a um nível jamais visto com outros métodos de interação. E aqui estou falando do telefone, mobile, e-mail e até dos apps e redes sociais.

Como isso é possível? Primeiro, porque o marketing conversacional não é simplesmente uma junção de palavras já conhecidas que mantêm seus significados particulares. Muito além disso, o marketing conversacional se apropria de dois termos conhecidos para ressignificá-los e criar um universo de possibilidades na indústria 4.0, onde a comunicação não pode ser mais uma via de mão única. Assim, quem se comunica precisa estar preparado tanto para emitir a mensagem quanto para receber e reagir prontamente aos feedbacks, que podem vir de diferentes e múltiplos canais. Não parece simples, mas já é totalmente possível.

O marketing conversacional parte do princípio de que a humanização está na qualidade e prontidão da resposta para sanar as dores, e não, necessariamente, no atendimento humano. É fácil entender esse exemplo ao pensar nas ligações que fazemos com o objetivo de resolver um problema – em relação a um produto, serviço ou uma dúvida – mas, ao desligar o aparelho, temos a sensação de que apenas perdemos tempo, depois de uma série de transferências de linha.

A boa notícia é que tudo pode ser mais simples! O marketing conversacional chega para transformar a comunicação em uma conversa personalizada, contextual (o histórico não se perde) e com respostas em tempo real ou no tempo adequado para melhorar a experiência dos clientes, colocando-os no centro.

A questão é que a transformação digital não é um termo passageiro. É uma revolução que está apenas começando e, por isso, demanda novos modelos de serviços, produtos, atendimento. Em recente estudo, divulgado em abril deste ano, a consultoria Gartner apoia essa visão ao afirmar que a automação de processos e a adoção de tecnologias que agreguem agilidade e inteligência às operações deverá crescer em ritmo frenético em poucos anos, por demanda do próprio mercado. Só em 2018, de acordo com a consultoria, os investimentos globais em tecnologia da informação deverão somar US$ 3,7 trilhões, um aumento de 4,3% sobre 2017. E em dois anos, o número de dispositivos conectados à Internet em todo o mundo passará dos 30 bilhões.

Por tudo isso, o marketing conversacional conta com uma tecnologia imbatível: o chatbot, canal com grau de importância de 3,9 (em uma escala até 5) para a comunicação com os clientes, segundo pesquisa realizada em junho pelo Share, especializado em consultoria direcionada à curadoria de conteúdos para marketing e agências, que considerou a opinião de profissionais de marketing digital e agências.

Esse número é totalmente compreensível se olharmos para as vantagens trazidas por esses assistentes virtuais: atendimento 24 horas por dia, nos sete dias da semana; escalabilidade; automação que possibilita diversos atendimentos qualificados ao mesmo tempo; comunicação pelo canal preferido pelo cliente; possibilidade de ser aplicado a todos os modelos de negócios para resolver diversas dores; além de possibilidade de integração com diversas ferramentas do ecossistema atual de marketing, como CRM, inbound marketing, funil de vendas, e-commerce e muitas outras possibilidades.

O marketing conversacional, com o suporte do chatbot, transita por toda a jornada do cliente. Está presente na atração e qualificação com a geração e avaliação de leads; na ativação, com promoções e atendimento; e na fidelização, retenção e reativação com promoção, atendimento e pesquisas de satisfação. Assim, é possível qualificar, engajar e informar, desde que o chatbot tenha uma personalidade bem definida e aderente ao perfil das pessoas com as quais se comunica, seja construído com base em storytelling e oriente a próxima ação.

Segundo o Gartner, 85% dos consumidores vão se relacionar com as marcas sem interagir com humanos. Sua empresa está preparada para essa nova realidade? Posso te dizer, com toda a certeza, que se o marketing conversacional for implantado ao longo desses próximos dois anos, a sua companhia certamente estará!

* Raphael Godoy é head de Marketing na Zenvia, empresa líder brasileira em mensagens e chatbots.

Prêmio para os influenciadores digitais

Influenciadores digitais ganham premiação nível Oscar

Organizado pelos mesmos idealizadores do Prêmio Comunique-se, evento reconhecido por ser o “Oscar do Jornalismo Brasileiro”, Prêmio Influency.me será realizado em setembro. Objetivo é prestigiar o trabalho dos principais influenciadores digitais do país

 

Os principais influentes digitais do Brasil vão se reunir em festa especialmente preparada para eles. Trata-se da primeira edição do Prêmio Influency.me, que será realizada na noite de 12 de setembro, em São Paulo. Iniciativa idealizada pelo Comunique-se, empresa que há 17 anos realiza premiação voltada aos profissionais de imprensa, o mais novo evento busca valorizar quem consegue engajar milhares – e milhões – de pessoas por meio de conteúdo relevante produzido originalmente por meio de plataformas online.

 

Em sua edição de estreia, o Prêmio Influency.me será dividido em 16 categorias. A cerimônia de gala, produzida nos moldes do Oscar, entregará troféus em: ‘Beleza’, ‘Casa & Decoração’, ‘Ciências & Curiosidades’, ‘Cultura’, ‘Educação’, ‘Família’, ‘Fitness’, ‘Gamers’, ‘Gastronomia & Culinária’, ‘Humor’, ‘Moda’, ‘Música’, ‘Negócios’, ‘Opinião & Comportamento’, ‘Tecnologia’ e ‘Viagem & Turismo’. Os nomes dos 48 finalistas da disputa (três em cada divisão) foram revelados nesta semana, quando a votação para definir os vencedores foi aberta para o público.

Programada para 12 de setembro, a festa do Prêmio Influency.me servirá para revelar quem serão os grandes vencedores da noite. Além dos finalistas, o espaço VIP do Tom Brasil será reservado a 500 pessoas, entre outros influenciadores digitais, executivos dos patrocinadores e representantes dos apoiadores de mídia. Entre as personalidades que já confirmaram presença estão Rachel Apollonio, Gabbie Fadel, Mc Loma, Maicon Santini, Igor Saringer, Dany Martines e André Pilli. Eles e todos os demais presentes irão se deparar com uma festa lúdica planejada com toque indiano. Afinal, o evento vai prestigiar os “gurus da influência”.

Encontro com fãs

O Prêmio Influency.me também será uma forma de aproximar influenciadores digitais de seguidores. Isso porque cada finalista terá o direito de distribuir 20 ingressos entre seus próprios fãs. Com isso, creators e público ficarão próximos. “O Prêmio Influency.me terá os influenciadores digitais como principais astros. Estrelas essas que poderão contar com suas torcidas, que poderão acompanhar toda a festa ao vivo, diretamente do Tom Brasil”, comenta Rodrigo Azevedo, CEO e fundador do grupo Comunique-se. “Será uma noite especial para o mundo da influência digital”, complementa o executivo, que é o idealizador da premiação.

Votação aberta

Antes da festa do primeiro Prêmio Influency.me, o público poderá compor o júri online da última fase de votação da disputa. Cada internauta pode indicar o seu influenciador favorito em cada uma das 16 categorias. O “pleito” para a eleição dos “gurus da influência” ficará aberto até 2 de setembro. Para participar, basta clicar aqui. Os vencedores serão definidos com base na taxa de engajamento, fórmula que combina o total de votos, com o alcance e o poder de persuasão de cada concorrente. Os nomes dos ganhadores só serão revelados apenas na noite de cerimônia da entrega de troféus. “Para levar o Oscar da influência pra casa, não basta ter muitos seguidores”, indica a organização do evento.

Serviço

Prêmio Influency.me 2018

Onde:
Tom Brasil
(Rua Bragança Paulista, 1281 – Santo Amaro – São Paulo/SP)

Quando:

12 de setembro, a partir das 19h

Fonte: Comunique-se