Consultoria chega ao mercado para oferecer gamificação

Ale Santos cria a Savage Fiction

Muitas empresas observam os mega faturamentos e níveis absurdos de engajamentos que os Games conquistam e se perguntam como levar um pouco disso para dentro do seu negócio, projeto ou para sua marca.

Ale Santos

Ale Santos tem ajudado algumas delas com essas questões e em outras vai além, desenvolvendo sistemas totalmente gamificados. Passou por várias fases até decidir unificar esses esforços em um nome. Savage Fiction, uma consultoria de Gamificação e Narrativas Interativas.

O que a Savage Fiction pode fazer?

– Cursos in company sobre Gamificação, Inteligência Gamer, Transmídia e Game Design;
– Desenvolvimento de Rankings com lógica de Game Design;
– Trilhas de ações Gamificadas para Eventos;
– Mecânicas para aumentar o engajamento e desenvolver habilidades;
– Dinâmica para Treinamento Empresarial;
– Gamificação de Eventos;

A consultoria sempre tem disponibilidade para projetos mais customizados. Um dos trabalhos iniciais da Savage é para uma startup internacional do campo da genética que pretende gamificar seu programa, além de uma consultoria de Design e Inovação de S.Paulo (SP).

Quem se interessou pode seguir a página no Linkedin: https://www.linkedin.com/company/savagefiction/

O crescimento do Pinterest

Pinterest ultrapassa 200 milhões de usuários ativos mensais, sustentado pelo engajamento e crescimento global

O Pinterest anuncia que mais de 200 milhões de pessoas usam o aplicativo todo mês, um crescimento de aproximadamente 40% ano após ano. Para celebrar essa ocasião, o Pinterest também anuncia que vai iniciar os testes de um dos recursos mais pedidos pelos usuários de Pins: subpastas.

 

Pinterest é um aplicativo de descobertas visuais que ajuda o usuário a encontrar e experimentar as melhores ideias personalizadas. O Pinterest passou essa marca histórica duas vezes e meia mais rápido do que quando conquistou os seus 100 milhões de usuários e com uma base de Pinners – como são chamados os usuários da plataforma – mais diversificada que nunca:

– Mais de 75% das signups são de fora dos Estados Unidos
– Mais de 50% dos usuários são de fora dos Estados Unidos
– As signups de homens estão crescendo três vezes mais rápido que as de mulheres
– Usuários ativos homens têm crescido mais de 50% ano a ano

Não se trata apenas do número de pessoas que estão usando o Pinterest, mas também como eles estão usando o aplicativo para encontrar ideias:

– O engajamento no aplicativo permanece forte, com impressões crescendo em 50% ano a ano.
– A busca no Pinterest continua a crescer 45% ano a ano, especialmente no celular, onde aproximadamente 85% das buscas acontecem. Fora dos Estados Unidos, as buscas cresceram 75% no ano.
– O crescimento de busca por celular está excedendo o crescimento de usuário em 32% fora dos Estados Unidos, e 13% em todo mundo.
– 98% dos Pinners compartilham como eles estão tentando novas coisas que encontram no Pinterest, comparado com a média de somente 71% em plataformas de mídia social (Estudo da Nielsen, em maio de 2017)

Na busca do Pinterest para adicionar mais 100 milhões de usuários, o feedback da sua base atual é muito importante. Por isso, o Pinterest inicia os testes de subpastas, ou seja boards dentro de boards, para ajudar os Pinners a organizarem as ideias que gostariam de experimentar. Por exemplo, se você tem um board de estilo de outono, logo será possível que você organize os Pins em seções de sapatos, casacos, camisetas e outros. O Pinterest também introduziu recentemente o zoom – outra ferramenta muito solicitada -, e ainda tem muito mais por vir.

Dados sobre o Brasil:

– Crescimento: o número de usuários ativos mensais quase dobrou no último ano.
– Engajamento: 5,3 milhões de ideias são salvas por dia no Brasil, um crescimento de 68% no últimos 12 meses.
– Busca: o número de buscas mensais no Brasil mais que dobrou nos últimos 12 meses.
19 milhões de visitantes únicos mensais no Brasil, segundo a comScore

Fonte: SmartPR – Ana Castilho

Treinamento de digital em SJCampos

Maratona Digital Content em São José dos Campos

A população digital brasileira soma 100,3 milhões de pessoas: são 81,3 mil usuários de Desktop, 60,4 mil usuários de Smartphone e 11,8 mil usuários de Tablet. Os dispositivos mobile correspondem a 72% do total de tempo gasto no Brasil.

Manter o engajamento dessas pessoas é um desafio. Para que isso ocorra de forma espontânea, é preciso acompanhar as rápidas mudanças da sociedade e utilizar, de forma inteligente, conteúdos com linguagem dinâmica, rápida, divertida e que gera entusiasmo.

Capacitar universitários e profissionais para o planejamento e a produção de conteúdo digital relevante é o objetivo da Maratona Digital Content, um treinamento inédito na região do Vale do Paraíba, promovido pela Frase.

O curso, que será realizado nos dias 27 e 28 de maio, das 09h às 18h, no Espaço Co-Necta Coworking (Vila Ema), tem o objetivo de auxiliar os participantes a aprimorar estratégias para mapeamento e definição de temas e técnicas para elaboração de textos e vídeos engajadores, aplicados aos diversos canais de mídias digitais.

A metodologia do treinamento é baseada no conceito de Gamification. Trata-se de um processo que usa elementos, mecânicas e dinâmicas de jogos para engajar e direcionar comportamentos de jogadores dentro de um contexto de um não jogo. Ou seja, potencializar o aprendizado tornando-o, ao mesmo tempo, divertido!

A programação inclui: storytelling, Facebook, Blog, Instagram, Inbound marketing, processo criativo, roteiros para Youtube, webwriting e muito mais.

O treinamento será ministrado por Rodolfo Dantas, Mestre em Comunicação Social, na área de Propaganda e Marketing, pela Universidade Metodista de São Paulo – UMESP e graduado em Comunicação Social pela FAAP de São Paulo. É um dos mais conceituados especialistas em Redação Publicitária e Estratégica do país, com mais de 19 anos de carreira e responsável pela criação e gestão de conteúdo multiplataforma para importantes marcas e instituições, como:Santander, Unilever, Petrobrás, Eletropaulo, Prefeitura de São Paulo, Johnson & Johnson, Comgas, Brastemp, Cônsul, IG, Ministério do Trabalho, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ministério do Turismo, Unibanco, Bradesco, Lojas Marisa, Vigor, Prefeitura de São José dos Campos, Governo do Ceará, Alstom, Votorantim, Novartis, Takeda, Lilly, Basf, Bayer, Rede Globo, entre outras. Rodolfo é também criador e diretor de conteúdo da Frase Conteúdo Estratégico e da Frase School.

O primeiro lote de inscrições para o curso tem o valor promocional de R$ 390 à vista. As vagas são limitadas! Garanta sua inscrição no site http://bit.ly/QueroMaratonaComDesconto ou entre em contato pelo pamela@fraseconteudo.com.br

Narrativas para Realidades Mistas AR & VR

Ferramentas que possibilitam grande engajamento e mobilização

Com certeza deve ter lido alguma coisa sobre realidades mixadas, essas criadas com as tecnologias de Realidade Aumentada ou Realidade Virtual, são termos cada vez mais em uso pelo pessoal do marketing e do TI.

Pokemon Go mostrou o potencial de engajamento e mobilização que elas podem ter. Assim como também mostrou que esse poder fica amplificado quando sustentado por uma narrativa tão envolvente quanto as do Anime.

Ale Santos
Storyteller & Game Master Consultant

Ale Santos,junto com o pessoal do Coletividad (que desenvolve cursos por todo o Brasil) está trazendo um novo workshop dedicado a esse tipo de Storytelling Interativo. Nele você poderá aprender as bases para a construção de narrativas interativas que criam a sensação de um mundo fantástico, misturando tecnologias como a realidade alternativa ou virtual com o mundo real.

O curso ainda está em pré-inscrição no Sympla e fazendo seu cadastro, além de garantir uma das 25 vagas disponíveis, você ganha 10% de desconto na inscrição final. Tem mais informações aqui no link
https://www.sympla.com.br/criando-narrativas-para-realidades-misturadas-ar–vr__132097/

Ótima ação no Twitter

Setor de mídias sociais do Spani emplaca case de relacionamento

Em época de ampla atuação nas mídias sociais todas as marcas buscam forte interação e engajamento com seus públicos. Em muitos casos isso ocorre sem a necessidade de ações mirabolantes e grande investimento. Basta estar atento ao monitoramento e às interações e ser criativo.

Tiago Ferreira, da área de mídias sociais do atacadista, nos conta que um cliente no dia 1 de dezembro foi até a loja em São José dos Campos e postou um twitt dizendo que gostou das músicas dos anos 1980 que estava tocando. A partir disso, Tiago começou a trocar twitts com o cliente e começou uma relação interessante. Ele e a namorada tem uma banda e o mesmo até enviou o link para que o pessoal do Spani conhecesse a música deles.

Atacadista e cliente seguiram trocando twitts. O cliente comprava produtos e dizia que comprar tal coisa ouvindo tal música era muito melhor.

Foi então que Tiago teve uma ideia a partir de um twitt do cliente dizendo que ia na loja mais tarde. Tiago disse a ele para nos avisar quando chegasse. O cliente pediu uma música. E o responsável pelo diálogo no Spani disse que mandaria tocar a música quando ele chegasse à loja.

Aí ocorreu a ação surpresa: quando o cliente chegou a música que tocou no sistema interno de som da loja foi da banda dele. Ele e a namorada, que é a vocalista da banda, chegaram na loja e tocou a música deles.

Impacto total! Uma ação regional, com investimento zero e que gerou um grande buzz.

O cliente, emocionado, postou vários twitts de agradecimento.

Tim no MasterChef Junior

TIM realiza ação interativa no MasterChef Júnior

A TIM, que aposta em ações interativas para compor sua estratégia de marketing, realizou nesta semana mais uma campanha durante o programa MasterChef Júnior da BAND. Durante a exibição do reality, nesta terça-feira (8), a apresentadora Ana Paula Padrão filmou com um celular a chef Paola Carosella – integrante do júri do programa – preparando um bolo de banana. O vídeo com a receita foi imediatamente postado no perfil da TIM no Twitter (@TIMBrasil) e prontamente compartilhado pelos internautas, que iniciaram uma conversa com a marca para ter mais informações sobre os ingredientes.

Print do vídeo que faz parte da ação da TIM

Print do vídeo que faz parte da ação da TIM

A repercussão e o buzz gerados pela ação da TIM ao longo da segunda edição do MasterChef Brasil – quando a operadora anunciou em seu perfil no Twitter o vencedor da disputa final com alguns segundos de antecedência em relação ao programa na TV ao vivo – motivou a empresa a participar da versão infanto-juvenil do famoso reality show de gastronomia. Na ocasião, foram mais de 1,5 milhão de tweets com a hashtag #masterchefbr apenas durante a final.

“Estamos presentes com inserções e interações no Twitter nos principais momentos do programa e alcançamos índices excelentes de engajamento dos consumidores com a nossa marca. Associar a TIM a eventos de grande repercussão como o Masterchef é muito importante e contribui para aumentar a proximidade com os nossos clientes”, afirma Livia Marquez, diretora de Advertising e Brand Management da TIM Brasil.

Fonte: Alameda Comunicação – Camila Garcêz

Coluna {De dentro pra fora}

O outro lado da moeda (ou um roqueiro num show de axé)

Vitor coluna

Depois de storytelling e conteúdo, a nova palavra do momento é engajamento. Em digital, a gente ouve muito sobre público engajado. Em Comunicação Interna não é diferente. Toda empresa quer ver seus empregados engajados. Vestindo a camisa, pra sermos mais leves e próximos. Pode vasculhar os briefings dos últimos tempos. Sem dúvida, engajamento vai estar entre os objetivos. Como se fosse assim: bum! Despertamos o engajamento. Não vou me aprofundar em definições de engajamento, mas partimos do princípio de que todos sabem que engajamento não é um botãozinho que será acionado e mudará tudo na mente do empregado. Muito menos que apenas comunicação será capaz de gerar engajamento.

Entendido isso, começa a batalha de RH e comunicação para o tão desejado engajamento. É pesquisa, é imersão, é alinhamento estratégico, é desenvolvimento de pessoas, é retenção de talentos, é clima organizacional. Movemos tudo para conseguir um nível de engajamento melhor. É pra funcionar, mas tem um fator muito importante nisso tudo. É o que eu chamo de o outro lado da moeda: o empregado.

Não dá pra engajar um roqueiro num show de axé. Ele pode até ir pra micareta em pleno Carnaval. Talvez como uma prova de amor! Porém, não dá pra sustentar isso por muito tempo. Ele vai, vive aquele momento e depois volta pro bom e velho rock. Vai ver o som que toca no carro dele!

Deixando essa comparação clara: o empregado precisa ter a mesma visão da empresa. Os valores precisam ser, pelo menos, parecidos. Se a empresa pensa de um jeito e o funcionário totalmente de outro, será quase impossível um engajamento verdadeiro. Ele poderá se envolver em um ou outro momento, mas não será algo constante. E inconstância afeta muita coisa no dia a dia profissional.

Resumindo: vai procurar um emprego ou contratar alguém? Cruze a cultura, a missão, a visão, os valores da empresa com os do candidato. Eles precisam ser coerentes. Os dois precisam ter uma visão de mundo parecida e um jeito de agir semelhante. E não me venha com essa história de que os opostos se atraem, rs. Não estou dizendo que a empresa não terá pessoas diferentes, de pensamentos distintos e plurais. Mas os pilares culturais precisam ser semelhantes para essa relação funcionar melhor.

Quando as empresas considerarem isso, o engajamento será quase natural. Quando você trabalha numa empresa em que você acredita e faz o que acredita, o envolvimento é espontâneo.

O engajamento nasce nos interesses comuns, quando o empregado acredita na empresa e quer fazer parte do que ela está fazendo no mundo. Dificilmente ele será despertado em uma campanha. É um processo que começa lá na seleção do candidato. Se queremos engajamento, precisamos dos empregados certos.

{De dentro pra fora}

De dentro pra quê? Calma, gente. Vocês já vão entender o motivo desse simples nomezinho. Esta coluna terá a missão de falar sobre Comunicação Interna, com o grande desafio de provar que CI (a partir de agora, CI será Comunicação Interna pra gente, ok?) não precisa ser chata. Isso mesmo: CI sem chatice!

Vitor coluna

O funcionário vem em primeiro lugar

Antes de tudo, precisamos entender a importância que a CI pode ter para uma empresa. Sabe quando você vai fazer trabalho em grupo e tem aquele colega bem legal que não faz a parte dele direito? Aquele que só atrapalha, faz piada fora de hora, é preguiçoso. Enfim, ele não está envolvido com o trabalho, não está engajado. As empresas têm o mesmo problema: funcionário sem engajamento. E funcionário sem engajamento não veste a camisa, não se esforça, não tem proatividade, não colabora. Isso afeta no clima de trabalho, no desenvolvimento da equipe e, claro, nos resultados.

E o que a comunicação tem a ver com isso? Tudo! Além de informar as coisas básicas do dia a dia, a CI tem a difícil missão de envolver esse colega desorientadinho do grupo. Ou seja, ela precisa estabelecer um diálogo com o funcionário, trazê-lo para perto da empresa, fazê-lo entender as decisões, envolvê-lo e convencê-lo de que ele é importante. Isso só é possível se a gente for além do jornalzinho e do e-mailzinho, concorda? Afinal, todas as experiências dele na empresa serão compartilhadas com a família, com os amigos e nas redes sociais. Ele é a melhor propaganda da empresa! E também interfere na imagem dela perante o mercado.

Quando a Comunicação Interna é estratégica, ela ganha visibilidade e reconhecimento dentro da empresa. Deixa de ser algo do dia a dia e vira uma área fundamental para o sucesso do negócio. Golaço! Pode comemorar.