Ouvimos o Roberto Rezende

Roberto e sua BR012

Desta vez o Publicitando foi ouvir o que o Roberto Rezende tem para dizer. Profissional de propaganda ainda jovem mas com bastante experiência acumulada, Roberto trocou algumas ideias com a gente.

Acompanhe o que ele tem pra dizer:

1 – Fale um pouco de sua trajetória profissional até abrir a BR012.

Comecei minha correria profissional na agência júnior da UNITAU, na época ainda era conhecida como ACI (Agência de Comunicação Integrada). Tive ótimas referências e professores que abriam as portas para mim. Me deram uma base muito boa. No ano seguinte, iniciei um estágio na Publicarte e antes de ir para São Paulo, também passei pela Tríadaz.

Como já tinha colocado em mente que gostaria de trabalhar nas maiores agências de São Paulo, comecei a buscar formas de conquistar esse objetivo. Foi então que o Henrique Barros, hoje sócio da Esgrima, me indicou o curso que estava fazendo: Direção de arte na Miami ad School/ESPM. Foi um divisor de águas para mim. Sempre tive que correr atrás desde o início, pois não conhecia ninguém da área, o que deixava a tarefa de chegar nos primeiros contatos ainda mais difícil. E foi a Miami que me deu a oportunidade de entrar no mercado publicitário de São Paulo já que, após o primeiro trimestre no curso de Direção de Arte com o meu portfólio todo refeito, consegui entrar na SUN/MRM do grupo Mccann. Adorava a agência, mas ainda tinha o sonho de trabalhar em uma grande agência e com advertising. E de lá fui para Salles Chemistri, da Publicis. Após esse período trabalhando com GM, fui para a Matos Grey quando ela estava em processo de se tornar apenas Grey Brasil.

Após um ano trabalhando na equipe do Guy Costa, fui para Almap BBDO, a disney para qualquer amante da direção de arte. Fiquei deslumbrado com a oportunidade de trabalhar em uma agência que tinha uma infraestrutura perfeita para exercer a profissão. E, uma vez inserido no mercado, você percebe que a propaganda em São Paulo é uma grande panela, onde indicações começam a aparecer de todos os lados, principalmente quando havia uma troca no comando criativo. Foi então que fui parar na JWT Brasil. No primeiro ano trabalhei com diversos clientes e, no meu último ano na agência, a Blue Hive assumiu o comando da Ford no Brasil e trabalhei exclusivamente para eles.

Posteriormente ainda trabalhei no Grupo Eugênio, participei de um projeto para Fiat pela Sunset até chegar na Ogilvy Brasil. Antes de me mudar para Blumenau, ainda fiz mais um projeto para o Santander, pela E/OU MRM. Como já estava com planos de voltar para Taubaté, durante o tempo que fiquei em Blumenau, trabalhei em uma agência local e pude conhecer melhor o processo de uma agência com poucos funcionários, o que me ajudou a direcionar melhor a forma de trabalhar na BR012.

2 – Por que voltar a Taubaté? Qual a proposta da BR012?

Primeiro porque após 10 anos em São Paulo a gente começou a buscar mais qualidade de vida além de conseguir ficar mais perto da família. Morar em São Paulo é muito bom, mas te consome bastante.

E depois, eu acho que sempre senti que havia muitas oportunidades se abrindo no mercado publicitário do Vale do Paraíba, só era necessário pensar em uma estrutura e um modelo mais enxuto, já pensando nos valores que são bem abaixo do mercado paulistano. Não dá pra pensar propaganda regional imitando os processos de lá. Tinha que pensar em como aproveitar as coisas boas de cada agência que passei, mas dentro da realidade local. Não adianta. É outro mundo!

E dessa forma foi idealizada a BR012. Uma agência enxuta, onde a equipe é moldada de acordo com as necessidades dos clientes, sem nunca permitir um inchaço na estrutura. Tanto é que nossa base operacional tem apenas 40m2, dividida em 3 ambientes seguindo o conceito de espaço aberto. Assim conseguimos conversar sem barreiras ou hierarquias.

Além disso, sempre gosto de estimular os criativos a não ficarem restritos ao local de trabalho. Sou contra Agência de segurança-máxima. Quero que as pessoas andem pelas ruas e adquiram conhecimento de vida, pois só assim poderão trazer insights verdadeiros e, por consequência, chegar a conceitos realmente impactantes, fazendo a diferença não só para o anunciante em questão mas para todas as pessoas impactadas pela mensagem.

Dessa forma, conseguimos nos manter pensando grande mesmo sendo pequenos. E mantendo o controle de tudo que entra e sai da agência sem deixar cair a qualidade, mesmo quando um freela é incorporado para algum projeto.

3 – Como analisa este início de atuação aqui no Vale do Paraíba?

Promissor. Hoje, estamos chegando a 2 anos de BR012. Temos ótimos clientes como Shibata Supermercados, Shibata Casa, Cooper, IOV, Taubaté Veículos, Autopinda e Natufibras, onde a maior parte deles está conosco desde o primeiro dia.

Mas também, por outro lado, posso definir que foi um aprendizado. Tive que rever meus conceitos e pensar como manter a qualidade do trabalho criativo com prazos menores, equipe enxuta e orçamentos bem apertados.

Agora não tenho mais assistentes, produtores gráficos, rtvs, finalizadores, retocadores, etc. Nossa equipe precisa ser multidisciplinar e aguerrida para saber cobrar o escanteio e correr na área pra cabecear. E tem que fazer o gol!

E isso é muito legal, porque mesmo com toda a experiência que adquiri todos esses anos em São Paulo, a publicidade no Vale do Paraíba está me ajudando a crescer em outros aspectos profissionais e renovando o meu gás. Espero retribuir ajudando a elevar cada vez mais o nível da publicidade de todo o nosso mercado.

Coluna Branding: a alma da marca

O que esta Copa já tem a ensinar aos brasileiros

Como professor não tenho como não buscar lições em tudo o que fazemos na vida e assistir a Copa do Mundo é uma distração muito produtiva quando queremos tirar lições.

Desde já deixo claro que não é o evento organizado pela FIFA que traz consigo os exemplos para os brasileiros, mas sim este contato com o mundo todo, com povos e culturas diferentes, com crenças e relações diferentes.

Portanto vamos lá, listando e explicando:

Não dá pra viver de imagem para sempre – está claro que no futebol as coisas estão muito niveladas, que países favoritos estão tendo muita dificuldade em passar por esquadras de menor tradição. O que aprendemos: não dá pra viver de imagem para sempre, para ganhar é preciso se esforçar.

Quem cai, deve se levantar – nosso futebol tem sido muito lamentador, assim como nosso povo. Estamos sempre lamentado as nossas quedas. Está na hora de seguir com a jogada, mesmo que haja uma nova queda lá na frente.

Fingir menos e brigar mais – é interessante ver que países como Rússia, Croácia, Islândia, Servia e outras nações como essa mostram força. O que eles têm a nos ensinar? A resistência à vontade por algo maior do que o próprio jogo. É a famosa pátria na chuteira, uma expressão militar, que não deve ser entendida como propaganda do “volta militares”, mas de um estado de combate que nosso povo precisa ter em suas veias.

Frieza é controle – Temperança é um das virtudes que Platão dizia fundamental ao ser humano. É preciso se controlar em momentos difíceis e fazer o que precisa ser feito. É isso que Tite quer dizer quando diz “não reclama do árbitro, concentra!”

Por amizade, não por dinheiro – A Islândia pode até sair da Copa, mas para um time onde muitos são amadores, chegaram muito longe e tem muito a ensinar. Podem até estar jogando hoje por uma oportunidade de se realizarem individualmente como jogadores profissionais, já que hoje são mineiros ou dentistas, mas chegaram até aqui sem precisar dessa ambição. Belo exemplo!

Para terminar a mais importante de todas:

Piada, tem limite – Novamente a elite econômica do Brasil, mostra que dinheiro e educação não são sinônimos, e que cultura passa longe desta nossa “burguesia”. Muitos exemplos de piadas de mal gosto na Rússia rolando pela internet as quais nem vale a pena dar ibope. Isso não acontece só com os brasileiros, há muitos desses “ricos sem cultura” espalhados pelo mundo, mas são os nossos que nos cabem.

Para eles meu desejo é que fossem presos e punidos na Rússia, já que lá teriam a justiça que merecem, sem o apadrinhamento de nossas cortes.

Por fim, digo o porquê desses fatos se tornarem importantes para nós comunicadores.

Somos cientistas sociais, e como tais, devemos estar atento a todos os assuntos do momento, aprendendo e ajudando a corrigir erros de nosso povo. Por enquanto, vou usando minha comunicação para o aprendizado e amadurecimento das nossas ações, assim como a seleção de Tite. Acredito que nesse momento nosso povo também está atento a estes fatos, torcendo não só pelo bom futebol de nossos jogadores, mas principalmente pelo bom desenvolvimento do nosso comportamento como nação.

Oficina para motivar equipe

“Equipe Motivada” é tema de oficina na ACIT

Em continuidade à programação da agenda do Projeto Empreende 2018, desenvolvido pela Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT) em parceria com o Sebrae, acontece no próximo dia 29 de maio, terça-feira, a Oficina “Equipe Motivada”.

Durante a explanação, que traz um dos temas fundamentais para vida saudável de uma empresa nos dias de hoje, serão abordados assuntos como a importância da auto motivação e de como criar um ambiente de trabalho motivador dentro da empresa serão discutidos. Além disso, serão apresentadas ferramentas de motivação, a diferença entre gerações, pesquisa e fatores que desmotivam uma equipe, compromissos do líder e plano de ação para melhorar a gestão do negócio.

A carga horária prevista é de 4 horas e o evento, que acontece no auditório da ACIT, tem início às 18h30. A oficina é gratuita mas tem vagas limitadas. Para participar é necessário realizar inscrição previa pelo email cursos.acit@taubate.com.br ou pelos telefones (12) 2125-8210/8211 e whatsapp 99189-7964. Maiores informações também podem ser obtidas por esses meios.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

Time de marketing leva prêmio

Equipe de marketing do Via Vale recebe prêmio

Na última sexta-feira o time de marketing do Via Vale Garden Shopping (Taubaté) recebeu o troféu Sou +, da Tenco. Esta premiação elege os melhores projetos e ações de 2017 dentro do grupo. A premiação ocorreu na convenção anual de líderes.

Da esquerda para direita: Bruna Marcon, Letícia Caroline e Aline Duarte

A equipe de marketing do Via Vale conquistou o primeiro lugar na categoria Marketing, Eventos e Promoções com o projeto Beer nas Alturas!

O time de marketing é comandado por Bruno Marcon e conta também com Aline Duarte de Oliveira e Leticia Caroline Almeida Moura.

Submarino lança equipe

Submarino cria equipe de eSports e traz de volta “YoDa” com um time de streamers

O Submarino, referência em tecnologia e inovação, se posiciona no crescente mercado de esportes eletrônicos. Em parceria com Felipe “YoDa” Noronha, maior streamer brasileiro de eSports e o terceiro maior do mundo, cria o “Submarino Stars”, um projeto que promete revolucionar o cenário competitivo nacional.

A iniciativa de criar um time de super streamers, foi idealizada pelo próprio YoDa. O astro volta aos campos virtuais, após ter vencido o campeonato brasileiro de League of Legends, em maio de 2017. Yoda foi convidado para liderar a equipe “Submarino Stars” e convocou para o time Daniel “Blury”, Luca “Grátis 150ml”, Flávio “Jukes” e Gabriel “Pimpimenta”. Juntos, eles somam mais de 5 milhões de fãs em suas redes sociais.

Mais do que um patrocinador, o Submarino quer incentivar o crescimento da comunidade gamer no Brasil. O projeto dá oportunidade aos apaixonados por games de entrar para um time de estrelas dos eSports. Por meio de uma seletiva aberta ao público, duas vagas serão disputadas ainda em dezembro.

O caminho escolhido pelo Submarino promete atrair milhões de fãs de LOL e dos próprios streamers, que juntos combinam um alto potencial competitivo e de geração de conteúdo. “A ideia é mostrar de forma divertida para toda a comunidade, a rotina e os desafios de jogadores profissionais. Vamos transmitir os treinos ao vivo na Twitch.TV, com todos os Streamers da equipe, o que nunca foi feito por nenhum time profissional”, afirma YoDa.

O esporte eletrônico, um dos segmentos mais expoentes do cenário digital global, atrai milhões de jogadores, espectadores, e movimenta bilhões de dólares. Segundo a Neewzoo, empresa especializada em pesquisas sobre este universo, os eSports movimentarão aproximadamente US$ 700 milhões em 2017 em patrocínios, direitos de mídia, audiência e premiações, chegando à impressionante marca de US$ 1,5 bilhão em 2020.

O Brasil ocupa posição de destaque no cenário global sendo a terceira maior audiência, atrás apenas dos EUA e China. Na Twitch.TV, principal plataforma assistida pelos fãs de eSports, foram mais de 800 milhões de horas de streaming na plataforma consumidas no Brasil no ano de 2016. A base doméstica de gamers ultrapassa os 60 milhões.

A equipe “Submarino Stars” foi lançada oficialmente no dia 09 de dezembro, no stand do Submarino na Comic Con Experience.

O primeiro desafio do time será em um dos maiores campeonatos do mundo, que acontecerá na Suécia, nos estúdios da Dreamhack, em janeiro de 2018.

No cenário nacional, o Submarino Stars irá disputar a divisão de acesso ao Circuito Desafiante de League of Legends, com o objetivo de concorrer a uma vaga no CBLoL, principal campeonato da modalidade no país.

Os fãs poderão acompanhar ao vivo os treinos e partidas do time nos canais do Submarino e dos streamers.

Fonte: In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação – Fernanda Viegas

O desafio de expandir as oportunidades de negócio dentro da base de clientes

Entenda o papel das equipes comerciais na era do Customer Success e veja três dicas para ampliar relações com uma carteira de consumidores

*Por Régis Lima

O que é mais difícil: conquistar novos clientes ou expandir a venda de produtos e serviços a partir de uma base de clientes fiel? A grande verdade é que estamos tratando de dois desafios diferentes e igualmente importantes para uma equipe comercial.

Todavia, embora ambas questões sejam fundamentais para o fortalecimento de um negócio, o fato é que, muitas empresas investem um capital considerável em treinamentos e capacitação para a conquista de mercado, mas não trabalham de modo eficiente com aqueles que, por já nutrirem uma relação com a marca, podem apresentar maior abertura para novas ofertas comerciais.

Esta, aliás, tornou-se uma problemática especialmente relevante em tempos de economia de recorrência e Customer Success: hoje, não basta mais vender um determinado serviço e contar com um bom suporte ou SAC. Os clientes querem mais. Eles desejam travar relações com empresas que entendam seu perfil, necessidades e sejam capazes de investir em suas experiências de consumo.

Este plus, essa capacidade de enxergar além e favorecer o sucesso contínuo de meu cliente pode, sim, ser conduzido ou contar com o auxílio de uma equipe comercial qualificada. Pensemos, por exemplo, em uma companhia que faz uso de um ERP que, por sua vez, é fornecido por uma consultoria que também disponibiliza para o mercado soluções de Compliance.

Neste cenário, um time de vendas mais afiado pode muito bem ser capaz de identificar novas necessidades por parte da empresa-cliente e ofertar o serviço de Compliance como forma de tornar mais segura as operações do contratante. Para tanto, será necessária uma comunicação muito próxima entre equipes de atendimento (identificação do problema) e comerciais (oferta da solução), agentes indispensáveis em um time de Customer Success.

Tal exemplo serve para demonstrar que não só é possível, como também é recomendável, ir além na relação com uma base fiel de clientes, posto que tal atitude demonstra que seu negócio está alinhado com o objetivo de fortalecer sua comunicação com os consumidores e ampliar seus níveis de satisfação.

Dito isso, gostaria de listar três estratégias eficientes para que você gere oportunidades de negócio dentro de sua carteira de clientes. Confira:

01. Transforme o Customer Success em um dos principais pilares do seu negócio

Para que você consiga, de fato, gerar novos negócios a partir de sua base de clientes, o Customer Sucess não só deve fazer parte de seu negócio, ele precisa ser um dos principais centros motores da empresa. Unindo esforços de especialistas em marketing, vendas, atendimento e análise de mercado, será possível criar estratégias para ofertar serviços complementares, premium ou adicionais, de acordo com as necessidades de um determinado grupo de clientes.

02. Abra espaço para a inovação

Mentes criativas e inovadoras devem fazer de seu negócio pois elas é que serão as principais responsáveis pela criação de novos produtos e serviços capazes de encantar seus clientes e convencê-los a expandir a relação deles com sua empresa. Além disso, colaboradores com espírito inovador tem maior potencial para desenvolver estratégias e insights para atrair, ainda mais, sua base de clientes em novas ações comerciais.

03. Entenda, surpreenda e crie experiências significativas

Por fim, o consumidor busca experiências de consumo significativas e surpresas positivas são sempre bem-vindas nesta relação. Para tanto, você precisará investir todo o tempo que for necessário na compreensão e entendimento das demandas de seus clientes. Do contrário, como poderá suprir tais necessidades com produtos ou serviços adicionais? Esteja atento, cultive relações sólidas, saiba ouvir e tenha em mente que seu sucesso é fruto do sucesso de seus clientes.

*Régis Lima tem mais de 16 anos de experiência em Gestão de Equipes e atuação em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais do mercado de TI. Atualmente é diretor executivo na Lumen IT, sendo responsável pelas áreas comercial, financeira e de marketing da empresa.

Fonte: Assessoria de imprensa Lumen IT/IDEIACOMM – Ana Beatriz Felicio

ACIT traz palestra gratuita para motivar equipes

ACIT oferece oficina gratuita de motivação de equipe

Na próxima quinta-feira, 03 de agosto, a Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT), oferece uma oficina gratuita aos associados, dentro do Projeto Empreende, desenvolvido junto com o Sebrae.

Com o tema “Como motivar sua equipe”, a oficina visa sensibilizar o empresário participante para os benefícios do desenvolvimento constante das equipes e para o fortalecimento da rede de pessoas da empresa, compreendendo seu papel na condução deste processo.

O curso acontece no auditório da ACIT das 14h às 17h. As vagas estão abertas mas são limitadas, e as inscrições podem ser feitas pelo email cursos.acit@taubate.com.br ou pelos telefones (12) 2125-8201 e 99189-7964.

Essa é mais uma oportunidade de capacitação que a Associação Comercial e Industrial de Taubaté oferece, sempre com foco na consolidação do comércio local, prestação de serviços e indústria, buscando excelência em seus produtos para manter a cidade como referência na região e fazer com que a economia local seja fortalecida.

Projeto Empreende – Foi implementado em 2016 e surgiu da necessidade de desenvolver e capacitar os empresários de Taubaté, oferecendo cursos, oficinas e treinamentos de qualidade, voltados para cada setor especificamente. Para 2017, o Projeto mantém o mesmo formato e traz novidades nos temas das atividades, que acontecerão ao longo de 2017, com realização da ACIT em parceria com o SEBRAE.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

Vaga em marketing e vendas

Gerente De Vendas E Marketing

Exercer liderança direta junto à equipe de Marketing e Vendas. Fazer uso de softwares e ferramentas de Marketing Digital. Atuar com gestão dos serviços de criação, Social Media, produção de conteúdo e pesquisa de mercado. Planejar e avaliar os resultados das etapas de todo o ciclo de Marketing e Vendas.

Experiência em gestão de equipes, de processos e de resultados da área de Marketing e Vendas. Experiência em vendas.
Conhecimentos de TI. Elevado nível de competência interpessoal.

Ter formação superior em Marketing ou Propaganda e Publicidade.

Possuir veículo próprio. Ter disponibilidade para trabalhar nos finais de semana quando necessário. Trabalhar como gestor de uma equipe com seis (06) pessoas, focado na área comercial e Gestão Integrada.

SOMENTE RESIDENTES EM SJC

Salario inicial: R$ 2.000,00 (Dois mil reais)

VT + Cesta Básica

Participação nos resultados.

Horários:

Segunda a Sexta-Feira das 9:00 às 19:00

Sabado: 10:00 às 14:00

Mande seu CV por aqui

Esteja pronto para a retomada

 

Os multiplicadores de lucro
Por Francisco Nozolino

arrows-1412060_640

E aí, está preparado para a retomada? O Brasil sempre viveu uma gangorra de bons e maus momentos.
Os novos empreendedores certamente estão passando pela primeira crise econômica de suas vidas. Me permito listar algumas dicas e perguntas ”poderosas” que poderão auxiliar na sobrevivência e na multiplicação de lucros, que se aplicam virtualmente a todos os tipos de negócios.
Vamos lá,

• Reavalie as suas estratégias aplicadas nos negócios garantindo que ela seja a mais clara e detalhada possível.
• Foque em cinco caminhos fundamentais para gerar as estratégias e ações necessárias que te ajudarão a melhorar seus lucros em mais de 60%! Pergunte-se:

o Tenho um plano de marketing? Um plano detalhado o suficiente que direcione meu time a prospectar corretamente o mercado?
o Tenho uma estratégia comercial para convencer meu público-alvo a se converter em clientes? Como meus produtos e serviços se diferenciam dos de minha concorrência? Qualidade e atenção ao cliente já não bastam porque sua concorrência mais importante tira isso de letra!! Tem que ser oferecer algo mais! Inove!
o Meu serviço pós-venda mantém meus clientes atuais fieis e continuando a comprar mais volume?
o Meu serviço pós-venda mantém meus clientes atuais fieis e continuando a comprar mais de seu portfólio de produtos ou serviços?
o Conheço com detalhe as estruturas de custos de minha empresa? Sei diferenciar custos fixos de variáveis?Sei como tornar meus centros de custos mais do tipo “variáveis” e menos do tipo “fixos”?

• Faça um planejamento detalhado e rigoroso para essas estratégias e respectivas ações.
• Reaja rapidamente às novas condições do ambiente econômico interno e externo,

o Conheçe o ponto de equilíbrio de sua atividade?
o O seu negócio é lucrativo? Ou
o acha que sim, mas não sabe porque não sobra dinheiro?
o Ou está claramente perdendo dinheiro? E o que deve fazer?
o Manter o fluxo de caixa sempre positivo deve ser uma tarefa constante! Aja com rapidez, determinação e coragem para equilibrar suas contas.
o Você mistura os recursos da empresa com as suas contas pessoais?

• Reveja seus planejamentos trimestrais e anuais, meça e ajuste, passado e futuro, sempre trimestralmente! Além disso acompanhe seus números principais diária, semanal e mensalmente!
• Não deixe também de avaliar as estratégias para um plano de cinco anos! Não esqueça que seu negócio mudará constantemente e é justamente por isso que deve olhar para onde deve ir (para não parar em qualquer lugar, ou pior, não chegar a lugar nenhum!).
• Não diga que “no Brasil as coisas mudam tanto que não faz sentido um plano para cinco anos”. E principalmente, não subestime suas capacidades de gestor de seu empreendimento! Reveja com sua equipe seus conceitos e pratique a visão e planejamento a cinco anos! Não é uma ação individual, mas de sua equipe, sob sua liderança!
• Seja um sobrevivente e se prepare para ressurgir mais forte e com maior participação de mercado do que antes!
• O Brasil tem um mercado potencial futuro muito grande. Prepare-se e aproveite.

Agora você deve estar se perguntando: qual o “caminho das pedras” para chegar lá e implementar tudo isto?
Para começo de conversa é fundamental:

• Querer, entusiasmo, ambição
• Conhecimento
• Trabalho em equipe
• Peça ajuda!

Francisco Nozolino é coach de negócios e auxilia, por meio de poderosas práticas de vendas, marketing e estratégia, inúmeras empresas a alcançar o alto desempenho, elevando as melhorias em produção de lucros.

Coluna {De dentro pra fora}

Trabalhar em equipe; transformar problemas em desafios
{Spoiler: este texto pode parecer autoajuda}

vitor-2016

A nossa rotina pode ser resumida em resolver problemas. E eles são os mais variáveis possíveis: problemas de comunicação, tráfego lotado, expectativa dos clientes, relacionamento de equipe e por aí vai.

O primeiro erro é encarar tudo isso como problema. Pode soar meio autoajuda -eu sei-, mas acho importante a gente olhar para esses pontos como desafios. E não é só mudar a palavrinha que a gente usa, é mudar nossa percepção e reação sobre o que acontece.

(Abre parêntese para falar sobre equipe)
Quando eu observo histórias de amigos, nos mais variados ambientes de trabalho, sempre penso: se a situação fosse entendida como um desafio de todos, a solução seria bem mais fácil. Ou seja, desaprendemos a trabalhar em equipe. A gente quer departamentalizar tudo. O famoso “isso não é comigo”. Principalmente dentro das agências, esse fator é decisivo para que os processos realmente funcionem. Todo mundo precisa se comprometer com uma necessidade do cliente. Criação precisa entender que não é inflexibilidade do atendimento. Atendimento precisa entender que não é birra de criação. Porém, ainda mais importante, todos precisam dialogar: falar, ouvir, compreender e chegar a uma solução, por favor. Sei que isso parece básico, mas vejo muitas empresas ainda batendo a cabeça porque as pessoas não se falam.
(fecha)

connect-20333_640

Voltando aos desafios. Quando a gente recebe um pedido do cliente interno, uma demanda do atendimento, um planejamento ferrado, uma gestão de crise, acho que é importante responder duas perguntas:
– O que eu posso aprender com isso?
– O que eu posso fazer para ir além das expectativas (da área, do cliente, da demanda)?

Essas duas perguntinhas vão nos ajudar a encarar o ponto como um desafio, e não como um problema. Deixe de enxergar a situação como algo negativo, pesado, desgastante. Lembre-se de que ela vem acompanhada de oportunidades, de desenvolvimento, de mais conhecimento. Seja positivo que tudo flui melhor. Além da satisfação pessoal, o resultado final tem muito mais chance de encantar. É um ciclo do bem: você trabalha mais leve, todo mundo participa, o resultado é melhor, supera as expectativas, o cliente fica feliz, elogia o trabalho, confia mais em você, e assim a vida segue.