Celebra Formaturas abre vaga

Assistente de Marketing – Profissional de Relacionamento

Requisitos:
• Completo ou cursando (a partir do 5º semestre) os cursos em Relações Públicas ou Publicidade e Propaganda.
• Técnicas em atendimento
• Conhecimento intermediário em Excel
• Organizado (a)
• CNH B
• Disponibilidade para viagens

Funções:
• Realizar parcerias com outras empresas
• Contato com veículos de comunicação
• Buscar marcas para ativações em eventos
• Orçamentos em fornecedores

Diferencial:
• Conhecimento em softwares de edição de imagem e vídeo.

Remuneração: Informação via e-mail
Benefícios: VT + VR (Em dinheiro)
Pagamento extra por evento.

Enviar currículo somente via e-mail
nilton.comark@celebraformaturas.com.br

Coluna “Discutindo a relação…”

A importância e função dos fornecedores em propaganda

Embora ainda mantenham em suas estruturas profissionais responsáveis pela produção (produtores gráficos e de RTV), todo o trabalho de execução e finalização das peças publicitárias é realizado fora da agência. Neste cenário destacam-se os fornecedores especializados e as produtoras, empresas ou pessoas físicas que são terceirizados pela agência e, sob sua coordenação, executam as peças de uma campanha ou “jobs”.

Os fornecedores e produtoras ganharam vida quando as agências passaram a enxugar suas estruturas, passando a focar-se em sua atividade principal: desenvolver a estratégia de comunicação de seus clientes e, consequentemente, criar as peças. A execução, que em alguns casos exigia altos investimentos em equipamentos muito específicos, foi terceirizada.

Em função disso, podemos afirmar que esse mercado de produção decorre da sofisticação e especialização que o mercado publicitário atingiu nas últimas duas décadas e que serve como sinalizador da força de um mercado publicitário. Ou seja: se você quer avaliar se uma dada região possui um mercado publicitário com bom nível de investimentos, verifique a quantidade e a qualidade de produtoras e fornecedores especializados que nele atuam.

Vamos destacar agora alguns dos principais fornecedores e produtores que atuam no processo publicitário.

a) Produtoras de Áudio

São empresas que contam com recursos tecnológicos e humanos específicos para a criação e produção de som para peças publicitárias. As peças mais comumentes desenvolvidas são:

– “Spot” – Texto que pode ser interpretado por um ou mais locutores/autores e que normalmente é acompanhado de música de fundo ou efeitos sonoros. É uma peça específica para rádio ou sistemas de som;

– “Jingle” – Música que canta as qualidades dos produto. Pode ser totalmente original (letra e música) ou parodiar uma música conhecida alterando a letra para destacar determinado empresa/marca/produto. Pode ser utilizado em rádio, sistemas de som e na TV;

– Trilha sonora – Música que serve de pano de fundo em comerciais de rádio e/ou TV. Pode ajudar na descrição da ação ou simplesmente “criar um clima” adequado ao conteúdo da peça.

b) Produtoras de comerciais para TV
Empresas que reúnem pessoas e equipamentos necessários a execução dos comerciais que assistimos nas TVs e nos cinemas.

Os comerciais são produzidos basicamente em dois suportes: filme e VT. O filme (16 ou 32 mm) possui excelente qualidade mas seu processo de realização é honeroso e lento. Já o VT é rápido e mais barato, mas perde em qualidade final. Mais recentemente, as produtoras vêm fundindo os dois processos, fazendo a captação das imagens em película e a finalização (edição ou montagem) em VT, o que possibilita mais agilidade, menor custo e mais efeitos digitais.

c) Fotógrafos e ilustradores

Os diretores de arte criam imagens para anúncios impressos. Alguém deve dar conta da realização das imagens concebidas por eles. É aí que entra o trabalho dos fotógrafos e dos ilustradores. Partindo de um lay-out que pode conter apenas uma imagem indicativa, estes profissionais vão cuidar da produção e execução da imagem necessária à peça publicitária.

Os estúdios de fotografia devem ter equipamento para diversos tipos de produção, mas podem também dispor apenas do básico e locar estúdios e equipamentos complementares.

Os ilustradores são desenhistas que vão dar soluções que a fotografia não alcance ou resolver uma necessidade mais específica, ou seja, desde o início o pessoal da criação da agência já desejava uma ilustração original e não uma foto.

Ultimamente, tanto fotógrafos como ilustradores sofrem ameaças de produtos colocados a disposição das agências como soluções “prontas”. É o caso dos arquivos de fotos (locam fotos já realizadas e agrupadas por temas) e também dos cliparts (disponíveis tanto nos próprios programas de desktop,em CD’s e na internet). No caso das fotografia há ainda CD’s com fotos de uso irrestrito e bancos de imagens free na internet.

Apesar destas ameaças, o trabalho de fotógrafos e ilustradores segue sendo extremamente útil e importante para a propaganda.

d) Institutos de pesquisa

Ninguém no mercado publicitário e em marketing gosta de dar “tiros no escuro”. Os investimentos são altos e a comunicação deve primar pela eficácia. Daí a importância da pesquisa dentro do universo publicitário.

As pesquisas mais compradas pelas agências são:

– de mercado – busca informações sobre o produto e o seu mercado;

– de mídia – levanta informações capazes de aferir o potencial de penetração de cada veículo e de traçar o perfil do consumidor dos diferentes meios;

– de comunicação – como o consumidor reage à propaganda, quais os efeitos que a comunicação vem gerando sobre seu comportamento e que caminhos ou soluções seriam mais adequadas a determinado público-alvo.

e) Produção Gráfica

Depois que a informática adentrou ao mundo da propaganda, houve profundas modificações no trabalho de produção gráfica, tornando-o mais ágil e econômico. Basicamente, a grande alteração foi a eliminação de uma parte da pré-produção gráfica, relativa a preparação de originais (artes-finais) e de textos e títulos. O antigo past-up.

Atualmente, podemos dividir o trabalho de produção gráfica da seguinte maneira:

– elaboração das peças em computadores e programas específicos, que já permitem reunir e distribuir no layout a um só tempo, fotos, ilustrações, títulos e textos;

– elaboração, em empresas especializadas, de fotolitos a partir dos arquivos gerados nas agências e que podem até ser enviados pela internet;

– a impressão propriamente dita, realizada em gráficas.

Estes são os principais fornecedores e produtores. Há muitos outros que podem participar do processo publicitário em qualquer um de seus momentos. Há aquilo que podemos chamar de “fornecedores dos fornecedores”, o caso, por exemplo, das empresas de “casting” e das que locam equipamentos para produtoras de áudio, de VT’s e para fotógrafos.

Importante é destacar que, já há algum tempo, que estes “terceirizados” deixaram de ser simples executores do que as agências criam. Graças a seus conhecimentos específicos, técnica apurada, talento e criatividade, podemos afirmar que, em vários casos, passaram a ser “co-autores” das peças publicitárias.

Melhores fornecedores para PMEs

Conheça os melhores fornecedores de produtos e serviços para PMEs

Pesquisa Escolha Estadão PME definiu quais são os fornecedores que estão lado a lado das pequenas e médias empresas

unnamed (1)

Ao entrevistar 1,5 mil empresários, ao longo de dois meses, o Estadão e a Officina Sophia, empresa pertencente à holding HSR Specialist Researchers, realizaram o mais completo estudo sobre o mercado de pequenas e médias empresas no Brasil com foco no relacionamento do canal com seus principais fornecedores. Batizada de Escolha Estadão PME, a pesquisa analisou 17 áreas que ilustram caderno especial publicado nesta segunda-feira (30) no jornal.

Além da composição do ranking, o levantamento procurou conhecer as marcas que são objetos de desejo dos empreendedores. A pesquisa deve ser vista como referência para esse mercado, norteando o empreendedor na escolha dos fornecedores de serviços e produtos nas áreas mais relevantes para o dia a dia do seu negócio. O estudo, que visa a compreender a relação das PMEs com seus fornecedores de serviços e produtos, além da edição impressa, contará com site dedicado no Portal Estadão (com conteúdo responsivo para tablets e mobile) e boletins na Rádio Estadão.

“O principal desafio de quem fornece para esse setor é que o empresário de pequeno porte não aceita ser tratado como pequeno. Ele pode estar na base da pirâmide entre as empresas, mas enquanto pessoa física, ele está acima da média econômica, tratado com exclusividade pelas empresas que o atendem”, diz Paulo Secches, presidente da Officina Sophia. “Temos 3 milhões de respostas de satisfação em nosso banco de dados e o brasileiro, geralmente, é muito generoso para graduar. Em uma escala de zero a dez, a nota média é de 8,57. Os empresários, nessa pesquisa, deram nota média de 8,26, o que comprova serem mais críticos.”

Clique aqui para conhecer os escolhidos pelos PMEs ou visite o site e veja a pesquisa completa.

Metodologia – Para a composição do ranking, os pesquisadores usaram uma escala de zero a dez, sendo que as notas obtidas entre oito e dez foram ponderadas com pesos proporcionais chegando-se ao índice de satisfação que determinou as companhias vencedoras. Para chegar ao ranking, procurou-se compreender quais fornecedores, na opinião das PMEs, geram maior satisfação, e quais são os drivers de preferência. A análise completa é composta por 17 categorias essenciais em cinco grandes setores: Financeiro, Seguradora, Comunicação, Bens de Consumo e Serviços. A pesquisa foi realizada entre 29 de setembro e 30 de novembro de 2015, ouvindo 1,5 mil empresários em todo o Brasil. Foram selecionados empreendedores que faturam, por ano, a partir de R$ 500 mil e no máximo R$ 12 milhões.

Fonte:Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone

Coluna “Discutindo a relação…”

Lá vem mais uma crise…

Josué coluna correto

Costumo ser otimista na maior parte do tempo. Mas isso nunca me impediu de ser extremamente realista. Digo isso em função do quadro atual de crise política e econômica que assola o país.O momento está e será bastante difícil. Não adianta tapar o sol com a peneira e querer combater a crise com posts de auto ajuda nas mídias sociais.

Atravessei diversas crises e planos econômicos nos anos em que tive agência de propaganda. Nunca foi fácil! Na verdade, em vários momentos, foi desesperador!

Podem ficar tranquilos. Este não é um texto com cinco, sete ou dez dicas para enfrentar a crise. Longe disso!

Este é um texto que se pretende otimista apenas em relação a um aspecto. E ele não tem nada de ufanista ou de otimista cego. Mas, a verdade, o fato, é que essa crise também vai passar. Sim. Pode demorar mais ou menos tempo, pode afetar mais ou menos os negócios de marketing e comunicação, mas vai passar.

E, veja bem, digo apenas que vai passar. E não digo que a travessia será tranquila.

man-551258_1280

Crises são ótimas oportunidades. Essa frase está prá lá de batida. mas segue sendo verdadeira! O negócio de agências há tempos precisa se reinventar. Mudar pra valer. Talvez a crise seja o combustível que faltava para acelerar as mudanças. Talvez…

Também vejo empresas de comunicação um tanto mais preparadas do ponto de vista de gestão e de recursos humanos para vencer o complicado momento. Bom, talvez nem todas, mas boa parte delas. Principalmente aquelas que se preocuparam em manter estruturas enxutas e altamente produtivas e sempre tiveram cuidado com a lucratividade e as boas e honestas relações com clientes e fornecedores. Aquelas que investiram em gestão e buscaram novas formas de remuneração para manter a rentabilidade da operação.

Sou de uma geração que viveu boa parte da juventude e da vida madura sob crises econômicas. Tivemos um bom período de bonança e bons ventos. Desperdiçado… Muitos que hoje formam os quadros de agências, veículos e fornecedores nunca presenciaram, na vida adulta, uma crise econômica pra valer. Talvez isso assuste parte destas pessoas. Talvez não…

profits-598892_1280

Agências de comunicação vivem de ideias. Está na hora de arregaçar de vez as mangas e encontrar saídas inventivas, honestas e exequíveis. Temos capacidade para isso.

A união da área de comunicação seria um bom antídoto para o amargo da crise econômica. Quem sabe não seja possível agora?!

E quem sabe depois de algum tempo a gente possa dizer: Lá se foi mais uma crise…

Oxalá!

Coluna “Discutindo a relação…”

Hora de mostrar jogo

Josué coluna correto

Em minhas aulas sempre abuso dos paralelos entre a comunicação e o esporte. Isso por acreditar muito na importância da educação esportiva para quase tudo na vida, inclusive o desempenho profissional. Uma das coisas que penso e por vezes digo é que o grande atleta, o grande jogador, aquele que decide aparece sempre nos momentos em que a coisa não tá facil. É nessa hora que o cara mostra que, além de craque, tem poder de decisão.

Fazendo o paralelo com o nosso momento no mercado regional de comunicação, momento em que a crise morde nossos calcanhares, acredito que seja a hora daqueles profissionais e empresas que são craques e têm personalidade e atitude pra encarar o jogo. Agora vamos ver quem se preparou, quem treinou com afinco, batalhou para diminuir as deficiências e limitações e quem tem a atitude para encarar a hora decisiva.

treinovasco_glo_60

Na minha última coluna falei sobre aquelas agências, veículos e fornecedores que fizeram a lição de casa. Lição de casa pra mim é isso. É tudo isso: atender bem seus clientes, entregar o que promete, entregar técnica e eficácia, entregar inovação, entregar resultado. Fazer a lição de casa é ter boa gestão. É ser ético e transparente em suas relações comerciais (e pessoais). É saber montar time escolhendo muito bem quem vem batalhar ao seu lado. Ter construído imagem sólida e positiva ao longo dos últimos anos.

Um jogador de basquete que põe a bola embaixo do braço e decide o jogo nos últimos segundos. O cara que puxa o time inteiro para um gás final pra garantir a vitória no finzinho do jogo. O corredor que resolve fazer a última volta na pista a sua melhor volta em toda sua vida… É hora disso tudo no mercado de comunicação!

basquete.nba_g_stoudemire01_576

Nosso jogo vai ser duro não só em 2015. Teremos temporadas difíceis nos próximos anos. Não creio numa recuperação rápida da economia. Levará algum tempo, infelizmente. Mas quem tem times eficientes, com muita atitude e personalidade, quem tem líderes éticos e pró ativos e ambientes de trabalho que facilitam e induzem à produtividade vai atravessar esse duro campeonato e ficar bem colocado na tabela final.

Ahhh.. só uma coisinha antes de acabar e que também aprendi com meus melhores técnicos quando pratiquei esportes: a gente nunca pode parar de treinar e de aperfeiçoar nossa técnica, nossos fundamentos e nossa habilidades e deficiências.

Sacou?!

Coluna “Discutindo a relação…”

Só pra contrariar

Josué coluna correto

O mercado publicitário de nossa região, a julgar pelo número de vagas que anunciamos esta semana neste blog, parece ignorar a expectativa de um ano de economia ruim.

É fato que o interior de São Paulo como um todo seguirá sendo forte economicamente, mesmo com o cenário nada bonito que se apresenta para este ano: inflação, consumo caindo, juros altos, economia com crescimento zero, aumento de impostos e tarifas… tudo leva a crer que será um ano difícil para todos, incluindo as atividades de comunicação. Mesmo assim algumas agências e empresas estão contratando por aqui.

Pode ser que seja apenas um movimento de reposição de peças. Ou não. Conversei por telefone com um dono de agência esta semana. Ele divulgou vaga neste blog. E me disse que, no caso de sua agência, tratava-se de ampliação de equipe e não mera reposição. E disse também que abriria mais uma vaga além da que estava me passando naquele momento para que divulgasse também aqui.

Torço muito para que nosso mercado consiga manter o fôlego. E que por consequência consiga manter e até ampliar o número de postos de trabalho. Será uma prova de que as agências, principalmente, conseguem ter uma melhor gestão. Talvez aconteçam baixas e algumas agências, fornecedores e até veículos (que deixaram de fazer ou não fizeram bem o dever de casa) de nossa região enfrentem dias ruins. Mas há uma expectativa de um mercado mais amadurecido (apesar das muitas e justificadas reclamações sobre a falta de união e de atitude proativa do setor) e capaz de enfrentar melhor a crise que se aproxima a passos largos.

Não teremos grandes eventos este ano. Ruim por um lado, bom por outro. O ano deverá ser mais fluído, ter mais continuidade. Os anuncioantes deverão se voltar para ações mais programadas e agir dentro de um calendário mais “normal” de que em 2014. Isso poderá ser bom.

Os economistas apostam num primeiro semestre mais apertado e em alguma folga e avanço econômico a partir da segunda metade do ano. Veremos…

De todo modo é hora de provar que o mercado está mais maduro, preparado e experiente. Bom momento também para buscar a tão sonhada e pedida união das partes em busca de uma melhoria da atividade de comunicação do Vale do Paraíba!

E tomara que, assim como no nome do grupo de samba que está lá no título, a gente contrarie as expectativas negativas. Boto fé!

De olho no fornecedor

Um papo sobre fotografia

O mercado publicitário está sempre alicerçado em quatro pilares: cliente, agência, veículos e fornecedores.

Os fornecedores são aqueles que prestam serviços e até entregam produtos específicos para agências e até anunciantes diretos (aqueles que não se utilizam de uma agência para realizar comunicação). Neste segmento podemos incluir gráficas, produtoras de áudio e vídeo, produtoras digitais, ilustradores e… fotografia.

Costumo dizer que se você quer saber se um determinado mercado publicitário é forte ou não, basta olhar para o número e a qualidade dos fornecedores. Eles são um excelente termômetro da “temperatura” de um mercado de comunicação. Têm enorme importância na qualidade final de peças e ações de comunicação.

migotto 4

Dito isso, hoje vamos tratar de fotografia. Nosso papo é com Diego Migotto, proprietáio de um estúdio de fotografia localizado em Taubaté, o Diego Migotto Fotografia. Confira o que ele tem dizer:

1 – Que tipos de serviços o estúdio presta?

O estúdio presta serviços para produções fotográficas em geral. Desde produções Still (produtos, embalagens), moda, até em locações externas. O estúdio vai muito além de seu espaço físico, nosso princípio é ser uma produtora de imagens para atender todo o mercado publicitário.

2 – Como tem sido a procura para trabalhos publicitários? Esse é um bom segmento de mercado?

Cada vez temos ganhado mais abertura no mercado do Vale, há 4 anos já trabalhamos com algumas agências parceiras, o fator limitante na maioria das vezes era ter uma estrutura física com capacidade suficiente para produções fotográficas mais elaboradas, agora conquistamos essa estrutura capaz de suprir as principais necessidades. Hoje estamos de portas abertas para novos parceiros e em busca de novos clientes.
Acredito ser um bom segmento de mercado sim, pois tenho percebido dificuldade das agências em lidar com produções fotográficas, cada vez mais nosso objetivo tem sido solucionar esses problemas.

migotto 1

migotto 2

3 – Qual é a estrutura do estúdio hoje?

A estrutura física do estúdio hoje totalizam 175m2, sendo 100m2 livres apenas para o estúdio, o restante é divido entre galeria, ilha de edição, escritório, etc. Contamos com todo equipamento fotográfico de ponta, estrutura completa desde a captura até finalização da imagem.

4 – O que você projeta para os próximos anos?

Estamos em constante atualização. Futuramente pretendemos criar uma equipe completa especializada na produção de imagens, passando por atendimento, fotógrafo até o arte finalista.

migotto 3

migotto 5

Daqui a pouco tem Prêmio Lettering

Mercado regional conhece hoje vencedores do Prêmio Lettering de Comunicação 2013

premio_lettering

Agências, veículos, empresas e profissionais de comunicação de toda a Região Metropolitana do Vale do Paraíba conhecem hoje, dia 25 de junho, os vencedores da segunda edição do Prêmio Lettering de Comunicação.
A premiação contempla os melhores trabalhos de propaganda, jornalismo e relações públicas, realizados entre março de 2012 e abril de 2013, e será realizada no parque da Resolução Gráfica, em Taubaté, a partir das 20h.
A festa premiará trabalhos em 27 categorias diferentes, além de conceder uma honraria a um empresário que se destaca por seus investimentos em comunicação. No total, foram 263 inscritos e mais de 100 empresas envolvidas.
Com um aumento de 30% de inscritos em relação a 2012, neste ano, o Prêmio Lettering conta com importantes patrocinadores entre eles a Comevap, GM do Brasil, Resolução Gráfica e o Sinapro-SP (Sindicato das Agência de Propaganda do Estado de São Paulo).
A Comissão Julgadora dos trabalhos, composta por profissionais de diferentes regiões do Brasil, já finalizou o processo de avaliação. Os vencedores somente serão anunciados na noite do evento.
A Resolução Gráfica fica na rua Batista Sansoni, 360, no Distrito de Quiririm, em Taubaté – SP.

Como chegar?

Em decorrência da onda de manifestações que vem acontecendo no país, aconselhamos todos aqueles que vão participar da premiação, chegar ao local da festa com antecedência. Para aqueles que vêm do sentido São Paulo – Taubaté, recomendamos o acesso pela rodovia Carvalho Pinto. Já para aqueles que vêm do sentido Rio de Janeiro – Taubaté, aconselhamos o acesso pela Estrada Velha de Pindamonhangaba.

Mapa de localização sentido São Paulo – Taubaté

Pegar a Rod. Carvalho Pinto > fazer o retorno e sair na Rodovia Carlos Pedroso > virar à esquerda na Rua Taubaté > continuar pela Avenida dos Imigrantes > virar à esquerda na rotatória na rua Batista Sansoni, 360, até a Resolução Gráfica

Veja o mapa: http://goo.gl/maps/r42cR

Mapa de localização sentido Rio de Janeiro – Taubaté

Na rodovia Presidente Dutra > pegar o acesso a Rodovia Carvalho Pinto > sair na Rodovia Carlos Pedroso da Silveira > virar à esquerda na Rua Taubaté > continuar pela Avenida dos Imigrantes > virar à esquerda na rotatória na rua Batista Sansoni, 360, até a Resolução Gráfica

Veja o mapa: http://goo.gl/maps/VAi7D