Vaga para Analista de Endomarketing

Vaga no Grupo Zaragoza

Local de atuação: Corporativo – Taubaté/SP
Cargo: Analista de Endomarketing / atuação no RH.
Horário: 08:00 – 17:48 / segunda à sexta
Salário: à combinar.

Foto: Pixabay

Descrição das Atividades e Responsabilidades:

• Responsável por planejar, organizar e gerenciar as ações de comunicação estratégica, endomarketing e engajamento para o público interno, desde calendário de eventos passando pelo briefing, debriefing e execução;
• Realiza a gestão de eventos corporativos, mapeamento de necessidade para desenvolvimento de conteúdos, campanhas motivacionais e treinamentos;
• Elabora ações/campanhas para melhoria de resultados e tornar a cultura mais produtiva, reforçando a marca/ visão, missão e valores na mente e no coração dos colaboradores, campanhas de datas comemorativas e comunicação interna;
• Suporte no programa de Integração dos novos colaboradores;
• Busca soluções de comunicação e interatividade;
• Elabora a comunicação visual e textual dos eventos;
• Atua com definição de layout e textos dos materiais.

Pré-Requisitos: Formação: superior completo em Jornalismo, Comunicação Social ou Publicidade e Propaganda
Domínio em programas gráficos, tais como Illustrator e PowerPoint.

Mande seu CV para: rh.anacarla@grupozaragoza.com.br

Coluna {De dentro pra fora}

Trabalhar em equipe; transformar problemas em desafios
{Spoiler: este texto pode parecer autoajuda}

vitor-2016

A nossa rotina pode ser resumida em resolver problemas. E eles são os mais variáveis possíveis: problemas de comunicação, tráfego lotado, expectativa dos clientes, relacionamento de equipe e por aí vai.

O primeiro erro é encarar tudo isso como problema. Pode soar meio autoajuda -eu sei-, mas acho importante a gente olhar para esses pontos como desafios. E não é só mudar a palavrinha que a gente usa, é mudar nossa percepção e reação sobre o que acontece.

(Abre parêntese para falar sobre equipe)
Quando eu observo histórias de amigos, nos mais variados ambientes de trabalho, sempre penso: se a situação fosse entendida como um desafio de todos, a solução seria bem mais fácil. Ou seja, desaprendemos a trabalhar em equipe. A gente quer departamentalizar tudo. O famoso “isso não é comigo”. Principalmente dentro das agências, esse fator é decisivo para que os processos realmente funcionem. Todo mundo precisa se comprometer com uma necessidade do cliente. Criação precisa entender que não é inflexibilidade do atendimento. Atendimento precisa entender que não é birra de criação. Porém, ainda mais importante, todos precisam dialogar: falar, ouvir, compreender e chegar a uma solução, por favor. Sei que isso parece básico, mas vejo muitas empresas ainda batendo a cabeça porque as pessoas não se falam.
(fecha)

connect-20333_640

Voltando aos desafios. Quando a gente recebe um pedido do cliente interno, uma demanda do atendimento, um planejamento ferrado, uma gestão de crise, acho que é importante responder duas perguntas:
– O que eu posso aprender com isso?
– O que eu posso fazer para ir além das expectativas (da área, do cliente, da demanda)?

Essas duas perguntinhas vão nos ajudar a encarar o ponto como um desafio, e não como um problema. Deixe de enxergar a situação como algo negativo, pesado, desgastante. Lembre-se de que ela vem acompanhada de oportunidades, de desenvolvimento, de mais conhecimento. Seja positivo que tudo flui melhor. Além da satisfação pessoal, o resultado final tem muito mais chance de encantar. É um ciclo do bem: você trabalha mais leve, todo mundo participa, o resultado é melhor, supera as expectativas, o cliente fica feliz, elogia o trabalho, confia mais em você, e assim a vida segue.