Coluna “Discutindo a relação…”

Novas expectativas, novas entregas

Vivemos definitivamente um tempo em que fazer propaganda e comunicação “feijão com arroz”, mesmo que bem feita, funciona cada vez menos.

Pesquisas e estudos indicam que as pessoas demonstram cada vez mais resistência a uma comunicação escancaradamente comercial. E também rejeitam a propaganda tradicional e interruptiva – aquele que se intromete e interrompe um determinado conteúdo ou programação.

As marcas e a propaganda tradicional estão desgastadas. Motivar, persuadir e convencer pessoas está cada vez mais complicado e difícil. O consumidor atual é cético em relação às formas tradicionais de propaganda.

É preciso que marcas e agências de comunicação estejam atentos a propósitos e causas verdadeiras que sejam detonadoras de ganhos e conquistas sociais para as pessoas. As marcas devem pensar não apenas em vender mais, mas sim em como podem melhorar a vida das pessoas.

Um bom exemplo de como buscar soluções que associem ideias, marcas e propósitos é a ação da Sansung que reuniu crianças que queriam muito jogar futebol e trouxe ninguém mais ninguém menos do que o treinador da seleção brasileira para treiná-los. A ação é na verdade uma websérie chamada “Samsung é Mais Jogo” e foi criada pela agência Cheil Brasil.

Confira nesta matéria do Reclame:

Confira os bastidores de criação da websérie "Samsung é Mais Jogo", da agência Cheil Brasil para Samsung Brasil

A Samsung lançou recentemente a websérie "Samsung é Mais Jogo", dando continuidade ao trabalho que vem fazendo no Brasil dentro do novo posicionamento global "Do What You Can't". Criada pela agência Cheil Brasil e produzida pela BigBonsai, os três filmes contam uma história real de um grupo de crianças que antes eram preteridas pelos colegas na hora de jogar futebol, mas que agora serão treinadas pelo técnico Tite.Confira todos os detalhes dos bastidores de criação da campanha que o RECLAME trouxe para você!

Posted by RECLAME on Friday, June 8, 2018

Os profissionais de marketing, comunicação e branding devem estar atentos ao fato de que a tecnologia não deve ser um fim, mas um meio para promover a felicidade e o progresso das diversas camadas da população. Usar a tecnologia para associar a sua marca à solução das dores dos consumidores, ou seja, resolver ou atenuar problemas reias e cotidianos.

As pessoas querem se sentir pessoas. O caminho é esse. Promover causas e pessoas. E não marcas e produtos apenas. O crescimento de ações focadas em causas sociais é destacada nesta matéria da Meio&Mensagem.

Fiquemos atentos! Os consumidores (as pessoas) querem ações diferenciadas de comunicação e um novo papel das marcas.

As melhores práticas para atender o consumidor moderno

Especialista destaca alguns aspectos fundamentais para quem quer atender as necessidades dos novos consumidores

A forma de consumo de produtos e serviços está mudando, muitas dessas mudanças se dão graças a era digital e a popularização da conexão. De acordo com Ricardo Zanlorenzi, fundador e CEO da Nexcore Tecnologia, os consumidores acabam de entrar em uma nova fase, a chamada fase 3.0. E a partir daí, como as empresas devem agir para atender da melhor maneira possível esse consumidor moderno?

“O consumidor 3.0 é ativo, conectado, crítico e bem informado. É comum que ele pesquise sobre as empresas, informe-se sobre os produtos e, principalmente, avalie suas experiências de compra e atendimento”, comenta o especialista. Para quem busca formas mais interessantes para se relacionar com os clientes, Zonlorenzi separou três dicas fundamentais:

Multicanalidade: O cliente entrará em contato com sua empresa por onde for mais fácil para ele, por isso, adapte-se. Esteja pronto para receber interações em todas as mídias e canais disponíveis. Para facilitar, procure uma opção de solução que integre o atendimento e torne o processo dinâmico e conectado.

Empatia: A chave de todo o atendimento para o consumidor 3.0 é gerar empatia, nosso objetivo é transformar clientes em embaixadores da marca. Segundo estudos, 88% dos cliente que foram bem atendidos avaliaram positivamente a experiência nas redes sociais, além de recomendar para amigos e familiares. Um atendimento adequado resulta em venda.

Agilidade: Atendimentos demorados podem custar uma venda. Mesmo se for uma dúvida simples pontual, ou um problema de maior complexibilidade, a operação de relacionamento precisa resolver a questão de forma ágil e dinâmica. Busque plataformas e soluções que analisam, automatizam e são integradas aos softwares que a sua operação já usa, são soluções responsáveis por deixar o seu operador focado no que realmente importa: atender bem o cliente.

Ricardo Zanlorenzi lembra, ainda, que com o avanço da tecnologia é fundamental que as empresas estejam de olho no mercado, nas novas tendências, e em meios que facilitem essa interação com o consumidor, evitando assim maiores prejuízos. “Um bom atendimento é fundamental para boas vendas, precisamos estar ligados nas novidades que o mercado oferece para atender o cliente da melhor maneira, trazendo resultados positivos a empresa”, completa.

Fonte: Camila Borba – P+G Comunicação Integrada

Como ligar marcas e consumidores (pessoas)

Propaganda, comunicação e necessidades do consumidor

por Josué Brazil

A propaganda é um fenômeno da era industrial. Mesmo mais recentemente, a propaganda não possuía o caráter motivador que é sua marca registrada atualmente. Era apenas informativa.

Foi a produção em larga escala que gerou um tipo especial de comunicação publicitária. Essa comunicação ultrapassa a informação, chegando a uma área mais sofisticada e complexa, que é a motivação para comprar.

Com a produção em série, centenas de novos produtos chegam constantemente ao mercado. Apresentá-los objetivamente aos consumidores já não basta. É preciso motivar o comprador, despertar seus desejos latentes e levá-lo ao ato da compra.

Podemos afirmar que a sociedade moderna é movida pela propaganda. Quase todos os produtos atuais surgiram de necessidades latentes e não de necessidades expressas. Assim, podemos dizer que a propaganda não cria necessidades: ela desperta as já existentes.

Também é possível afirmar que a propaganda é um encontro de duas vontades: a do anunciante e a do consumidor. Quem liga estas duas vontades gerando um elo entre ambos os pólos é a propaganda. Para gerar este elo, entretanto, é preciso conhecer os dois pólos:

1 – o produto;
2 – o consumidor.

Para trabalhar a comunicação publicitária devemos:

1 – saber o que dizer;
2 – saber a quem dizer;
3 – saber como dizer.

Devemos ter informações completas sobre o assunto (produto ou serviço) de que vamos tratar e conhecer o interlocutor (o mercado consumidor). Assim é possível elaborarmos um código adequado que será decodificado pelo receptor.

É como disse Flavio Ferrari em sua palestra no 27° Fest’up (festival Universitário de Propaganda – evento promovido pelo setor estudantil da APP): devemos descobrir os pontos de contato entre a marca e o consumidor. Estabelecer um território de afinidades entre o valor, o significado e a imagem da marca; e o consumidor, entendendo suas experiências, histórias, ideais e discurso.

Conhecendo a fundo o produto e o consumidor é possível estabelecer o elo que vai ligá-los num intercâmbio permanente e estabelecer um sistema eficaz de comunicação. Esse sistema é conhecido no mundo comercial e industrial como “propaganda”.

Conteúdo no formato áudio aborda estrutura de agências

Como se estrutura uma agência de propaganda/comunicação?

O conteúdo desta semana em formato de áudio do Publicitando trata da estrutura organizacional de uma agência de propaganda e/ou comunicação. Qual é a estrutura básica e o que cada setor faz? Descubra ouvindo este áudio!

Lembrando que este programete foi ao ar terça feira, 22/05, em primeira mão no programa Panorama da Rádio Unitau (exibido  de segunda a sexta feira das 14h00 às 16h00.

 

O impacto da propaganda na economia

A publicidade na economia moderna

por Josué Brazil

Atualmente, a forte concorrência e a grande capacidade produtiva obrigam o empresariado a apostar cada vez mais no uso da publicidade para comercializar com sucesso seus produtos.

Outro fator que pesa na decisão do uso da propaganda é a necessidade de desenvolvimento e lançamento de novos produtos, além da construção da marca da empresa.

É preciso deixar claro, entretanto, que a publicidade é apenas uma das forças que levam a venda de produtos. Existem diversas forças que devemos combinar para poder efetuar a venda de produtos e serviços. São elas:

1 – o próprio produto;
2 – a distribuição;
3 – a embalagem;
4 – os vendedores;
5 – a promoção de vendas;
6 – o preço.

Efeitos da publicidade na economia das empresas

a) Criação de mercados – quando se trata de produto ou serviço novo, a publicidade pode criar um mercado onde antes não existia.

b) Ampliação de mercados – se o mercado já existe, a propaganda pode ampliá-lo em duas direções:
– verticalmente, alcançando novas faixas de consumidores;
– horizontalmente, ampliando o campo de uso do produto.

c) Ação reguladora – quando o ciclo de produção não se desenvolve paralelamente ao de consumo, a publicidade pode atuar como um regularizador.

d) Redução de custos – a produção em série foi obtida graças ao uso da publicidade que introduziu produtos padronizados, que sem dúvida alguma foi fator fundamental na queda dos custos.

e) Ação sobre os preços – a publicidade favorece a prática de preços reduzidos para atrair a atenção dos consumidores.

f) Aceleração da rotação de estoques – a publicidade permite acelerar a rotação de estoques (“turnover”) o que permite a liberação do capital empregado na estocagem e distribuição para outras áreas estratégicas da empresa.

g) Melhoria da qualidade – por ser um compromisso público a publicidade influi na qualidade. Basta apenas um produto ruim para comprometer toda a empresa.

O tamanho da propaganda no Brasil

O mercado brasileiro movimentou R$ 134 bilhões em compra de mídia – compra de espaços publicitários nos meios de comunicação – no ano de 2017. A informação vem do Kantar Ibope Media, que utiliza como métrica os preços cheios das tabelas dos veículos de comunicação, sem os descontos praticados com as agências para seus respectivos anunciantes.

Esses são números apenas da compra de espaços publicitários. Se pensarmos nos empregos gerados direta e indiretamente, a contratação de fornecedores (gráficas, produtoras etc), a contratação de profissionais freelancers e etc, podemos imaginar um número ainda maior.

Você pode ter uma ideia bem mais completa do impacto da publicidade&propaganda na economia brasileira acessando este material.

Fontes:

CABRAL, Plínio. Propaganda: técnica da comunicação industrial e comercial. 3º Ed. São Paulo, Atlas, 1990.
RIBEIRO, J. Tudo que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar. 3ª Ed. São Paulo, Atlas, 1989.
SAMPAIO, R. Propaganda de A a Z: como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso. Rio de Janeiro, Campus, 1995.
SANT’ANA, A. Propaganda – Teoria, técnica e prática da comunicação. 7ª ed. São Paulo, Pioneira, 1998.

www.abap.com.br

Áudio trata de marketing digital

Áudio da semana aborda marketing digital

Nesta semana o conteúdo em formato de áudio do Publicitando e que é exibido em primeira mão às terças feiras dentro do programa Panorama da Rádio Unitau, comandado por Gérson Mário, trata do marketing digital.

Confira o que apresentamos sobre este assunto tão importante nos dias de hoje.

Coluna “Discutindo a relação…”

Os elementos fundamentais da redação publicitária

A redação publicitária é um tipo especial de redação, com algumas peculiaridades e especialidades. É a busca para dizer o que deve ser dito de maneira original e persuasiva.

É sedução, persuasão e informação.

David Ogilvy disse uma certa vez que “Fazer anúncios perfeitos é um artesanato.” Ele não estava de todo errado… Mas, em contraposição a esta ideia do grande publicitário e criativo, temos a realidade atual de que hoje trabalhamos num ritmo quase industrial…

João Renha, em A propaganda brasileira depois de Washington Olivetto, isnpirado em Olivetto e Ogilvy afirma que: “Escrever bem não é ter lampejos criativos a toda hora. É técnica, é estudo, é concentração.”

Dentro desta visão de técnica e empenho podemos destacar quatro elementos prá lá de importantes para qualquer redator publicitário. Vamos a eles:

1 – Repertório

Repertório é tudo! Tudo que você ouve, lê, escuta, experimenta e vivencia. Dentro do repertório estão o conhecimento formal, a cultura erudita, a popular e a de massa. As besteiras e os assuntos sérios. Quem quer trabalhar com criação e ser um bom redator tem que batalhar para construir um GRANDE repertório.Portanto, vá ao cinema e ao teatro, leia de tudo, veja TV aberta e fechada, maratone séries, viaje, vá a festas, pegue fila, preste atenção às conversas alheias.

2 – Associação de ideias

É a base de todo processo criativo. Buscar estabelecer entre ideias, fatos, histórias, coisas… É aqui que percebemos claramente a necessidade de ter um grande repertório. As ideias não surgem do nada. O original vem do não original, daquilo que já foi feito, que já foi dito, que já foi escrito. Junte, misture, associe! Brinque com ideias e fatos. Aproxime-os.

3 – Ideias

Devemos tentar sempre ter muitas ideias. Muitas! Não ter preguiça. Buscar associações diferentes, estranhas até. Anotar muitas ideias, escrever tudo o que vier em sua cabeça. Deixe a cabeça solta para viajar. Brinque. Faça piadas. Deixe a cabeça leve.

4 – Formulação

É o momento de dar a melhor redação possível para as ideias que você teve. É o trabalho de lapidar os diamantes. Buscar as melhores palavras, a melhor construção da frase, a melhor formulação para que a ideia seja colocada com força, com impacto! Temos que “perder” um tempo na formulação. Esse tempo é fundamental para um bom resultado final do trabalho de redação.

Então, se você deseja trabalhar ou está começando a trabalhar com redação publicitária tenha sempre em mente esses quatro elementos. E mão na massa!

Ciclo de Palestras Publicitando 2018

Saiba mais sobre a nova iniciativa do Publicitando

O Ciclo de Palestras Publicitando 2018 será uma sequência programada de palestras cujo conteúdo tenha alinhamento com o conteúdo editorial do blog – propaganda, publicidade, comunicação, marketing e negócios.

A ideia principal é construir uma série de palestras mensais (aos sábados), com o apoio do Via Vale Garden Shopping.

 

Objetivos

Os principais objetivos do Ciclo são:

  • Contribuir para o aprimoramento do mercado de comunicação e marketing de nossa região;
  • Contribuir para melhor formação de profissionais e estudantes de comunicação e marketing de nossa região;
  • Trazer conteúdos relevantes e pertinentes.

Local

As palestras serão realizadas no auditório do Via Vale Garden Shopping, parceiro do projeto.

Primeira palestra do ciclo

A palestra que abrirá o Ciclo de Palestras Publicitando 2018 acontecerá no dia 26 de maio, sábado, e terá como tema “Estratégias de Jogos para comunicação digital”. O palestrante será Ale Santos. Saiba mais sobre ele aqui.

Inscrições

As inscrições para a primeira palestra do Ciclo já estão abertas e podem ser feitas por aqui.

Voltamos a falar do papel das agências

Retomamos o assunto

No nosso drops de rádio desta semana retomamos o assunto agências de propaganda, abordando de forma um pouco mais específica o papel que estas vêm desempenhando nos últimos anos.

Vale a pena ouvir

 

Vaga para estágio em criação

Estágio para início imediato

A Experiencialize está com uma vaga aberta para estagio na área de criação. A preferência é para alunos dos sétimos semestres.

A contratação é para início imediato.

Os interessados podem enviar o currículo para atendimento@experiencialize.com.br