Para entender o novo marketing

ACIT oferece treinamento de Gestão de Marketing 4.0

Atendendo as demandas do mercado e sempre de olho nas novidades, no próximo dia 27 de setembro a Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT) oferece o treinamento Gestão de Marketing 4.0.

Durante o curso, os participantes irão receber noções de como alcançar seus clientes de maneira efetiva com as mudanças trazidas por essa nova era do mundo digital e como isso influencia o marketing nas empresas.

Dentre os tópicos que serão abordados estão: o marketing 4.0; a melhora do desempenho da empresa; e o marketing de conteúdo.

O treinamento tem carga horário de 3 horas e será ministrado por Victor Chinaglia, consultor especialista em Marketing, mentor, professor e palestrante com vinte anos de experiência nas áreas de marketing, branding e comunicação.

Acontecerá no auditório da ACIT das 19h às 22h e é aberto à todos os interessados, mas as vagas são limitadas. Associados tem desconto na inscrição, que deve ser realizada pelos telefones (12) 2125-8210/8211, whatsapp (12) 99189-7964 ou pelo e-mail cursos.acit@taubate.com.br.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

SJCampos vai receber feira estudantil

São José dos Campos é a primeira cidade do interior a receber a maior feira estudantil da América Latina, a EXPO CIEE

Expectativa é reunir cerca de 10 mil pessoas no Centro de Formação do Educador – CEFE

São José dos Campos, 13 de setembro de 2018 – São José dos Campos (SP) é a primeira cidade não capital a receber o maior evento estudantil da América Latina, a Feira do Estudante EXPO CIEE. De 28 a 29 de setembro a expo, que possui entrada gratuita, deve reunir cerca de 10 mil pessoas no Centro de Formação do Educador (CEFE) para capacitações, direcionamento profissional, contratações e oferta de vagas de estágio e aprendizagem.

Realizada pelo CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), entidade com mais de 54 anos de experiência em programas de aprendizagem e estágio, a EXPO CIEE busca promover um encontro entre empresas e instituições de ensino, ampliando a visão dos jovens sobre formação acadêmica e crescimento profissional. “São José dos Campos foi escolhida para sediar o evento por ser uma das principais cidades de São Paulo, com um polo tecnológico muito forte e grandes universidades. Nosso papel é oferecer o máximo de informação para os jovens e aproximá-los de algumas das maiores empresas do país, onde podem ter oportunidade de fazer estágio e desenvolver uma carreira”, afirma Marco Panza, supervisor de feiras do CIEE.

Durante os dois dias de evento, os visitantes terão acesso a 30 expositores e cerca de 40 palestras que abordarão temas como orientações sobre carreiras, mercado de trabalho, além de dicas para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), opções de intercâmbio, dentre outros.

Inscrições:

A participação na 1ª EXPO CIEE São José dos Campos é gratuita e as inscrições podem ser feitas pelo site www.ciee.org.br/portal/hotsites/expociee2018/site/index.html

Outras novidades sobre a feira também podem ser acompanhadas pelas redes sociais
https://www.instagram.com/expociee/

https://www.facebook.com/expociee/

Serviço:

1ª EXPO CIEE São José dos Campos

Data: 28 e 29 de setembro

Horário: 10h às 18h

Local: CEFE – Centro de Formação do Educador (Av. Olivo Gomes, 250, Santana – ao lado do Parque da Cidade)

4º Edição do YOUPIX CON

YOUPIX divulga programação da 4º Edição do YOUPIX CON

Pela primeira vez aberto ao público, o evento contará com 6 palcos e mais de 50 palestras, aulas, debates e entrevistas que fazem parte da agenda do evento que acontece no dia 24 de setembro.

Único evento no país a discutir sobre social vídeo e creators com profundidade, isenção e visão de negócios, o YOUPIX CON se tornou referência para quem atua neste mercado. Partindo do crescente papel do conteúdo na comunicação digital, o evento deste ano tem o tema “Think Like a Creator” e traz soluções para que marcas, agências e publishers consigam adotar a linguagem, visão e as práticas dos criadores nativos digitais.

Com 6 espaços de conteúdo e 72 horas de atividades, o YOUPIX CON acontece dia 24 de setembro entre 08h30 e 21h30, e espera 1500 participantes para um dia de transformação, aprendizados e negócios.

Além dos 4 palcos habituais do evento – Keynote Stage, How To Stage, Creator Talks e ViU HUB, este ano o evento contará com o lançamento da Business Track, dividida em 2 salas e inteiramente voltada à educação e oportunidades de negócios, com Workshops, Mentoria Coletiva e Speed Dating com marcas. As atividades dos 4 palcos estão inclusas no valor dos ingressos presencial e streaming, enquanto as atividades das salas de Business Track são pagas à parte.

Nomes relevantes do mercado de comunicação, à frente de grandes marcas como: O Boticário, Nike, Gol, LG, Avon, Magazine Luiza e influenciadores como: Jout Jout, Mc Soffia, Fred e Bolívia do Desimpedidos, Dani Noce e Ana Paula Xongani, são alguns dos destaques da programação.

Para participar basta entrar no site e escolher alguma das opções de ingressos que custam a partir de 289,00 reais. Quem estiver sem tempo de ir conferir o evento pessoalmente ou for de outra cidade, pode comprar o ingresso e ver ao vivo pelo computador ou celular de onde estiverem.

SERVIÇO:

24 DE SETEMBRO

RUA MOURATO COELHO, 1404

EBAC – ESCOLA BRITÂNICA DE ATES CRIATIVAS.

HORÁRIO: 8H30 ÀS 21H30

YOUPIX CON 2018

Fonte: Pipah Comunicação

Vaga de estágio em redação

Estágio em Redação Publicitária

A Pentaxial abre vaga

Criação de textos informativos para qualquer plataforma de comunicação.
Pesquisar informações para elaboração de artigos abordando diversos assuntos, discutir o briefing, elaborar o planejamento criativo de comunicação de projetos para clientes de diversos segmentos e gerenciar redes sociais.

Primordial o domínio ortográfico e gramatical da Língua Portuguesa.
Ser comunicativo, criativo e gostar de café!

Para se candidatar, envie seu currículo para o e-mail: sejaptx@pentaxialroot.com.br e boa sorte!

A única certeza é a mudança

Tudo em movimento

Josué Brazil

Uma coisa em termos de comunicação, principalmente a mercadológica, é fato: ela está bem mais complicada do que há 20 ou 25 anos atrás.

Podemos afirmar com certa tranquilidade que o mercado de comunicação está “move fast”. As coisas todas mudam muito rápido: novos anunciantes, novas plataformas, novos mercados e novas profissões. A impressão que temos é que o mundo está o tempo todo em beta.

Imagem: Pixabay

Em função deste cenário, a comunicação das e para as marcas passa a ser definida muito como se define uma pauta jornalística. O trabalho de comunicação mercadológica está próximo ao trabalho editorial, de publisher.

Sim! Aproveitar o que já é assunto, o que já gera buzz e a partir disso produzir conteúdos para marcas.

Também dentro desse cenário percebemos algumas coisas que estão acontecendo e são decisivas:

– O digital – e todas as suas implicações, desdobramentos e imposição de diálogo e velocidade;

– o mobile – a possibilidade de alcançar o consumidor o tempo todo, o maior gadget de acesso a internet no país;

– o protagonismo – as marcas têm que sai a frente, assumir o protagonismo, propor conversas relevantes, assumir posições;

– a velocidade – tudo é muito rápido, instantâneo, efêmero;

– o co-thinking – pensar coletivo, pensar junto, pensar com outros, a colaboração criativa.

Tudo está tão mutável, fluído e líquido que o fato é que não temos exata noção de para onde vamos.

Imagem: Pixabay

Quem trabalha para marcas – seja agência, produtora de conteúdo, assessoria ou consultoria – deve focar em construir, criar e recriar negócios. Deve deixar de pensar em produzir, coordenar e vender mídia e passar a modelar negócios, criar soluções inovadoras e vender e gerar receitas.

Quem trabalha para marcas deve perceber que o que pode gerar valor atualmente gira em torno de três fatores: inovação, propósito e diferenciação!

Pronto para acompanhar as mudanças?

Transformação digital começa pelas pessoas

A digitalização começa com as pessoas

Romi Schneider*

A transformação digital está em todos os lugares, nas empresas com o uso da Nuvem e tecnologias exponenciais pensadas para dar mais eficiência operacional e também na nossa vida pessoal, com a popularização do smartphone, que mudou a forma como assistimos filmes, nos locomovemos, estudamos, pedimos comida, enfim, como nos relacionamos com as pessoas e com mundo. Isso mostra que já vivemos na Era Digital e toda essa transformação só foi possível porque mudamos nossos hábitos. Sabe aquele ditado que diz: “o mundo muda quando a gente muda”? É isso.

O aplicativo de trânsito só ganhou popularidade porque as pessoas perceberam seu benefício e passaram a usá-lo efetivamente. Caso contrário, seria só mais um app que deixaria de existir. Levando esse contexto para o mundo corporativo, precisamos ter em mente que a jornada de transformação digital é mais sobre pessoas do que sobre tecnologia, por isso é fundamental olhar para a gestão do capital humano antes mesmo da escolha das soluções. Porque quando as pessoas percebem o valor de uma determinada coisa, elas a incorporam na sua rotina.

Na criação de uma cultura digital, colocar o colaborador no foco da inovação é fundamental. Ter um ambiente inspirador, que estimule a integração, com certeza acelera o processo da transformação. Pense bem, dentro da sua empresa todos têm liberdade para discutir ideias e compartilhar conhecimento? Se a resposta for não, pare tudo e repense a sua essência. A vivência do colaborador dentro da organização é uma extensão da sua vida pessoal – lembre-se, a digitalização só ganhou impulso com a vontade das pessoas de trocarem informações e se conectar umas com as outras.

Outro ponto é o investimento na capacitação das pessoas, mostrar o valor da tecnologia para a rotina delas é importante a fim de deixá-las à vontade na hora de usar as ferramentas no seu dia a dia, tornando isso um hábito. Mas, acima de tudo, é essencial ouvi-las antes de tomar qualquer decisão. Será que o software que você está comprando é mesmo necessário? O que os seus colaboradores querem para deixar suas atividades mais ágeis e produtivas?

Concluindo, só existe transformação de pessoas, se aliada à mudança tecnológica. Os gestores precisam caminhar juntos com suas equipes e entenderem que esse desafio é de todos, não apenas do time de TI. E o mais importante, a liderança precisa impulsionar iniciativas, ninguém segue uma filosofia se o próprio líder não crer nela. A tecnologia é uma ferramenta que sem o fator humano extraindo o melhor dela, deixa de fazer sentido. Uma iniciativa bem-sucedida está centrada nas pessoas e não apenas em tecnologia.

*Romi Schneider é Diretora da área de Pessoas da Mandic Cloud Solutions.

Fonte: RMA Comunicação – Tamyres Scholler

Artigo trata de realidade mista

Realidade mista: o quanto tecnologia fascinante mudará nossa forma de viver?*

Ao acordar de manhã, você pega o celular ao lado da cama e começa a ler as mensagens. O tempo em que você esteve dormindo, em uma “realidade paralela”, é retomado ali, e, em um clique, você consegue recuperar tudo aquilo que deixou de ler ou saber enquanto “perdia” algumas horinhas durante o sono.

Luiz Alexandre Castanha é diretor geral da Telefônica Educação Digital

Você se reconhece nessa situação? É que a tecnologia está conosco todo o tempo. E a verdade é que a comunicação e a conexão promovidas por ela estão definindo os próximos passos da história da humanidade.

Os smartphones, um dos objetos mais emblemáticos dentro da sociedade multitela em que vivemos, são a prova disso. Segundo matéria da revista Superinteressante, há mais chips de celulares no mundo (6 bilhões) do que escovas de dentes (4,3 bilhões). Ou seja, é como se estivéssemos mais preocupados com a tecnologia do que com um hábito de higiene.

É claro que esses números são relativos, mas indicam o fascínio que temos pelas diferentes formas de viver a realidade que só as inovações tecnológicas podem nos trazer, ao personalizar experiências e nos fazer aprender e desenvolver nosso conhecimento.

Já temos um pacote de novidades realmente empolgante: a inteligência artificial é cada dia mais precisa, os objetos com interface de voz se comunicam com o dono, e até grandes corporações, como a Marvel, usam big data para analisar, por exemplo, a resposta do público aos seus heróis. E olhando por um lado otimista, se bem aplicada, a tecnologia pode ter realmente a capacidade de “nos salvar”, ao promover grandes revoluções na forma que vivemos e nos relacionamos.

Mudou muito, por exemplo, desde meus tempos de faculdade. Como sempre adorei tecnologia, à época, tivemos um serviço de videotexto em casa para consultar a programação de cinema, na tradicional tela de fósforo verde. Fiz muitos trabalhos de faculdade, pesquisas com dicas de bares. Tudo isso era o máximo que esses aparelhos podiam nos proporcionar – e já achávamos incrível.

É fato que, de lá para cá, tudo ganhou qualidade e agilidade: muito mais cores, maior definição e maior velocidade nos dispositivos, internet 5G e, claro, celulares (que cabem nos nossos bolsos) muito mais potentes do que os computadores que auxiliaram o homem a chegar pela primeira vez à Lua.

Mas, apesar de toda essa incrível evolução, penso que agora tocamos em uma nova fronteira: a de sairmos da realidade 2D, para avançarmos para o holográfico e às realidades em que ambiente, som e localização também sejam alteráveis.

A realidade mista é um dos caminhos mais promissores e, apesar de os dispositivos ainda não serem tão acessíveis, transformará nosso futuro. Os óculos lançados pela Microsoft, “HoloLens”, são um exemplo incrível: com o gadget, é possível interagir com hologramas no seu mundo real. Eu mesmo experimentei alguns óculos holográficos e posso dizer que viver entre a realidade real e virtual mudará nossa maneira de trabalhar, se divertir e aprender de um jeito que nunca vimos.

Imagine você que depois de alguns cliques e ajustes na configuração, será possível ter um instrutor de musculação dentro de sua sala passando dicas sobre exercícios físicos. Ou então, colocar objetos de arte em uma estante virtual no corredor de sua casa. Nós, que estudávamos com enciclopédias, nos tornamos quase homens das cavernas frente à tecnologia que está sendo testada em vários lugares do mundo.

A gigante Disney, por exemplo, também embarcou nesta nova onda. Há um projeto muito interessante de realidade mista feito pelos pesquisadores da empresa, o “Magic Bench”, ou “Banco mágico”. De forma fácil, as pessoas vivenciam uma experiência combinada de realidade mista e aumentada e interagem com um personagem – um elefantinho holográfico – sem a necessidade de dispositivos como monitores.

Disney “Magic Bench”

Segundo a descrição da empresa, o usuário vê uma imagem espelhada em uma tela grande na frente, como se visse a cena acontecendo pelo olhar de uma terceira pessoa. Tudo, então, é reconstruído usando um sensor de profundidade e o participante ocupa, de fato, o mesmo espaço 3D que o personagem.

Essa é uma realidade particularmente intrigante para nossos tempos; tanto que faz o passado soar um pouco vintage. Estamos prontos para imergir em experiências multisensoriais que a realidade mista pode nos proporcionar – e, junto com as novas gerações, fazer da tecnologia a nossa melhor aliada para ganhar conhecimento.

* Luiz Alexandre Castanha é diretor geral da Telefônica Educação Digital – Brasil e especialista em Gestão de Conhecimento e Tecnologias Educacionais. Mais informações em https://alexandrecastanha.wordpress.com

Fonte: onecte – Eliane Tanaka

Prêmio para mídia OOH

ABOOH lança Prêmio OOH de Criatividade

A Associação Brasileira de Out Of Home (ABOOH) vai premiar as três agências de propaganda ou anunciantes que tiverem os melhores trabalhos na mídia out of home, com a 1ª edição do Prêmio OOH de Criatividade. As inscrições são gratuitas e feitas mediante preenchimento e envio do formulário de inscrição, disponível no http://premiodecriatividade.abooh.com.br, até 30 de setembro de 2018. A iniciativa contemplará as peças considerando como critérios criatividade, adequação e utilização de setores de exibição que caracterizam o OOH como aeroportos, edifícios, estabelecimentos comerciais, grandes formatos, mobiliário urbano e transportes.

Podem concorrer os trabalhos veiculados entre 1 de outubro/2017 e 30 de setembro/2018 inscritos, que devem ter usado, pelo menos, uma das empresas exibidoras filiadas à ABOOH. São elas: BR Malls, ClearChannel, Coletiva, Elemidia, Eletromidia, GM7, Helloo, Hyperfator, Indoormidia, JC Decaux, Kallas, LedChannel, LedWave, Onbus, Otima e Urbana.

As propostas inscritas serão julgadas por uma comissão, integrada por representantes de agências e clientes do mercado publicitário. Os vencedores serão homenageados em cerimônia de premiação no dia 6 de novembro.

“A mídia OOH é a que está apresentando maior crescimento no País e acreditamos que há imenso potencial para que o setor avance ainda mais. Trata-se de um segmento que oferece possibilidades infinitas para a comunicação e marketing das marcas e os avanços dos recursos digitais integrados ao meio tornam o cenário extremamente favorável. Nesse contexto, a ABOOH cumpre sua missão de estimular o mercado de out of home com o lançamento do Prêmio OOH de Criatividade”, ressalta Eduardo Alvarenga, presidente da ABOOH e CEO da Elemidia.

Sobre a Associação Brasileira de Out of Home (ABOOH)

Entidade que tem como associados as maiores operadoras do setor e como objetivo incentivar as relações entre os associados e o mercado publicitário, além de ajudar a disseminar o conhecimento sobre o meio, posicionando-o como uma poderosa ferramenta na construção de marcas de produtos e serviços. A entidade agrega grandes e médios players – nacionais e internacionais – que estão atuando no meio e/ou chegando ao País, com status de associados. Mais informações, no site www.abooh.com.br.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Fernando Ciupka

Começou a 38ª Secom

Metamorfose

Começou na noite de ontem, 20/08, a trigésima oitava edição da já bastante tradicional Semana de Comunicação da Universidade de Taubaté, a SECOM.

O evento conta com extensa programação de palestras, oficinas e painéis e segue até a próxima sexta, dia 24/08.

Quem abriu a programação deste ano foi Leo Veri, consultor de tecnologia e inovação da Oracle. Ele trouxe uma palestra que abordou, segundo sua visão, dois pilares da transformação digital: inovação e intraempreendedorismo.

O tema escolhido pelo palestrante mostrou extrema afinidade com o tema geral do evento, “Metamorfose: transformação digital” (#saiadocasulo). Durante sua exposição ele apresentou o ciclo de conhecimento proposto pela Oracle. Quatro etapas para que você se diferencie em termos de aprendizado e conquistas. Visão, Aprendizagem, Ação e Experiência.

Leo Veri, da Oracle
Foto: Aguinaldo de Jesus

Ele abriu várias oportunidades de interação entre os alunos presentes e a Oracle e afirmou que o que era ficção científica agora é parte natural de nosso cotidiano. Ressaltou também que comunicação e criatividade são e serão elementos fundamentais dentro do mercado pós digital.

O mesmo palestrante repetiu a dose e fez a abertura também para a turma do matutino hoje pela manhã.

A 38ª Secom da Unitau segue com ótimas oportunidades de aprendizado. Confira a programação completa aqui.

Coluna “Discutindo a relação…”

Sinta o movimento

Ando conversando um pouco em sala de aula sobre os novos rumos do mercado de comunicação e da profissão de publicitário. Muita gente anda temerosa achando que não vale mais a pena investir na carreira e coisa e tal.

Penso um pouco diferente. Acredito que o mercado está em ebulição, em forte ritmo de mudança. E isso deixa mesmo as coisas um tanto confusas. Creio, portanto, que o mercado oferece mais oportunidades do que nunca ofereceu.

Sei, você vai dizer: e a crise?

Sim, existe a crise. As empresas vão mal porque a economia vai mal. Fato!

Por outro lado fica claro após uma breve mas boa observação de tudo que está acontecendo que o mercado está se abrindo e se desdobrando, criando novas formas de sobreviver e continuar existindo. Há novas formas de atuação, há novas funções, há a busca por novas soluções e práticas de comunicação.

Há muito impacto de tecnologia e ao mesmo tempo muita necessidade de entender as pessoas.

O que tenho dito é que é preciso estar atento e forte! Temos que sacar os movimentos do mercado e encontrar oportunidades para nossa atuação profissional. Ao contrário dos últimos vários anos não haverá um modelo predominante no mercado publicitário – como ocorreu com as onipresentes e tradicionais agências de propaganda.

Há modelos híbridos em que se atua dentro do cliente, mas sendo contratado por uma agência, há modelos de atuação dentro dos clientes sendo contratado pelo cliente – houses, content houses, digital houses, hubs de criatividade e conteúdo, polos de inovação etc.

Há o B.I., os eventos, o VR, os apps, os bots, machine learning, varejo omni-channel etc etc etc

Fique sacando o mercado o tempo todo e perseguindo as oportunidades. Perceba as tendências e tente surfar uma determinada onda. Aquela que talvez melhor lhe convenha. Ache algo dentro deste emaranhado de novidades que lhe sirva. E vá fundo: pesquise, aprenda, encare!

Tá tudo aí para quem souber entender e conseguir apanhar.