Coluna “Discutindo a relação…”

Humanizar marcas: como fazer?

Uma das coisas que mais se discute em termos de marketing e comunicação atualmente é a questão da humanização das marcas. Em temos de mídias sociais e muita tecnologia digital, as pessoas querem dialogar com as marcas como se elas fossem pessoas, quebrando barreiras corporativas/institucionais.

O fato é que entender que os consumidores como pessoas é passo fundamental no chamado marketing centrado no ser humano, da mesma maneira que entender e expor o lado humano das marcas igualmente é.

O autor do livro Leaders without Titles (Líderes sem cargos), Stephen Sampsnon identificou seis atributos humanos responsáveis por cativar as demais pessoas, mesmo que não tenham autoridade sobre elas. Poderíamos afirmar que estes seis atributos meio que definem o tipo de ser humano completo capaz de servir como modelo.

Já Kotler, em seu Marketing 4.0, afirma que marcas que desejam sucesso em sua humanização e, por consequência, ampliar sua influência sobre seus públicos, devem buscar construir estes seis atributos.

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Os atributos humanos definidos por Sampson são: fisicalidade, intelectualidade, sociabilidade, emocionalidade, personalidade e moralidade. Vamos ver como elas podem ser aplicadas às marcas:

Fisicalidade – está relacionado a capacidade de ser atraente. Nas marcas devem possuir atrativos físicos: boas identidades visuais, bom design de produto e de embalagem, boa arquitetura e decoração dos pontos de venda físico, anúncios e comerciais bem feitos e com estética apurada.

Intelectualidade – marcas com perfil inovador, capazes de entregar soluções para dores dos consumidores e propor produtos e serviços que outras marcas ainda sequer haviam imaginado.

Sociabilidade – marcas abertas a dialogar, a ouvir seus consumidores, a engajá-los com relacionamentos regulares em múltiplas mídias/canais. São marcas amigáveis e solícitas.

Emocionabilidade – marcas que trabalham as emoções, que buscam ser inspiradoras, bem humoradas, que apoiam seus consumidores em relação às dificuldades emocionais.

Personalidade – as marcas com personalidade forte têm clara noção do que representam para seus públicos. Sabem sua razão de ser, seu propósito. E trabalham isso em sua comunicação. Marcas com personalidade exalam autoconfiança e automotivação, mas não têm receio de expor suas fragilidades, seus possíveis erros.

Moralidade – as marcas que tem a coragem de fazer a coisa certa. São movidas por valores. Para estas marcas, o princípio ético norteia os negócios.

As marcas cada vez mais buscam adquirir qualidades humanas para ter mais consumidores na era do Marketing centrado no ser humano. Entender e tentar aplicar/construir estes seis atributos pode ser um ótimo rumo para chegar lá.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Pesquisa revela aumento no investimento anual das marcas em influência e aponta tendência crescente do conteúdo como protagonista de ações

YOUPIX realiza pesquisa inédita sobre ROI e Marketing de Influência

Pesquisa revela aumento no investimento anual das marcas em influência e aponta tendência crescente do conteúdo como protagonista de ações

A YOUPIX, aceleradora do mercado de influência e social vídeo, realizou a 2a edição da sua pesquisa sobre a forma como os principais anunciantes do país entendem e mensuram suas ações com influenciadores.

No período de 18 a 22 de fevereiro, 94 grandes empresas brasileiras responderam às questões da pesquisa “ROI & Marketing de Influência 2019”. Mais de 60% das respostas partiram de executivos de altos cargos como diretores, gerentes e coordenadores de empresas de diferentes segmentos Bens de Consumo, Telecom e Mídia, Automotivo; Serviços Financeiros; Varejo; Tecnologia e Serviços.

Destas, 68% consideram o marketing de influência estratégico para seu negócio e 69% considera que esta modalidade de marketing traz um resultado que nenhum outro tipo de comunicação digital traz. Isso se traduz em um aumento sensível do valor do investimento anual feito pelas marcas no Marketing de Influência: em 2017, quando a 1a pesquisa foi feita, 36% das empresas investia até 100 mil reais por ano; em 2019, o budget anual se concentrou na faixa entre 100 e 700 mil reais (40% das marcas). O estudo também revela otimismo das marcas em relação ao segmento, já que 56% delas afirma que vai investir mais em 2019 do que no ano anterior.

“Esses dados nos mostram que as marcas estão mais confiantes em relação aos resultados que o Marketing de Influência pode trazer, aumentando seus investimentos e atuando no segmento de forma mais estratégica”, afirma Bia Granja, sócia da YOUPIX.

Além disso, outro dado interessante foi a mudança na maneira como esse budget é investido. Em 2017, a maior parte do investimento era direcionado a remunerar o trabalho das agências de publicidade ou de influência. Em 2019, o maior investimento acontece na produção e criação de conteúdo, consolidando uma tendência já identificada pela YOUPIX no ano passado.

“A nova era do Marketing de Influência está pautada no fato de que influência é a consequência de um trabalho de criação de conteúdo autêntico, capaz de gerar mudanças de comportamento, ideias e ações”, explica Bia Granja.

Por outro lado, percebemos ainda um nível de maturidade baixo em relação a como os influenciadores são usados em ações e os resultados que são medidos a partir daí.

53% das ações ainda estão concentradas na 1a etapa do funil de comunicação, com as marcas usando influenciadores apenas em ações de awareness ou promoção de mensagens. Isso se reflete na forma como a maior parte delas mede o resultado de suas ações: 50% considera apenas o alcance e engajamento dos posts feitos pelos influenciadores. Com apenas 16%, a venda de produtos ou serviços vem em 2o lugar no ranking de métricas,

Segundo Bia Granja, “esses dados demonstram uma mentalidade que vem emprestada do mundo da mídia offline, onde audiência e impacto são considerados importantes, em detrimento de métricas que indicam que a mensagem da marca está de fato sendo aceita e se tornando relevante junto à comunidade daquele influenciador”.

Para que as marcas tirem o melhor proveito do Marketing de Influência, é importante passar a realizar ações em outras etapas do funil de comunicação, deixando de medir apenas o impacto e entendendo, de fato, os resultados de negócio que os influenciadores estão trazendo.

Outros dados interessantes:

– 83% das marcas realiza ações remuneradas com influenciadores (eram 64% em 2017)

– 51% dos trabalhos é feito de forma pontual, sem continuidade na relação entre marca e influenciador

Fonte: Pipah Comunicação – Laize Lima

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Plataforma ajuda marcas a explorar o poder dos consumidores

Hive ajudará marcas a explorar o poder de influência dos consumidores com novo serviço

Plataforma Beepos tem referência em campanhas de member get member

unnamed-2

Investir no poder de influência dos consumidores tem gerado excelentes oportunidades para empresas, e o famoso “boca a boca” ganha ainda mais força com os avanços da tecnologia. A Hive Marketing Technology, uma das maiores desenvolvedoras de plataformas digitais da América Latina, transformou essa tendência em negócio com o Beepos, solução desenvolvida com referência em campanhas de member get member. Há três meses no mercado, já vem sendo utilizada no Brasil por estabelecimentos como Camargo Alfaiataria e unidades da Clinica de Estética Hollywood e Academia Overall, bem como a rede de concessionárias Mitsubishi, nos Estados Unidos.

Com o Beepos, a empresa utiliza o poder da rede de contatos de seus clientes, transformando-os em importantes canais de mídia. A ferramenta funciona na indicação de consumidores para o varejo, na qual um comprador indica o estabelecimento ou produto para um amigo. Quando este último adquire algo na loja, ambos são recompensados em futuras compras.

Para utilizar o Beepos, basta o estabelecimento possuir website ou ter um tablet em seu ponto de venda. Em qualquer desses espaços o cliente precisa se cadastrar e enviar um cupom que pode ser de desconto, brinde ou qualquer outro tipo de recompensa para um ou mais amigos.

“A plataforma vai muito além da indicação e conquista de novos consumidores as empresas. Ela é um importante serviço de Gestão de Relacionamento com o Cliente (CRM, sigla em inglês), permitindo aos estabelecimentos automatizarem importantes tarefas do dia a dia que envolvam a comunicação com seus clientes e com baixo custo”, explica Ming Ko, gerente de produto do Beepos.

Além dessas funcionalidades, o Beepos é um recurso administrativo responsivo, pois permite ao próprio lojista criar suas promoções sem a necessidade de ter que contratar uma agência. “A plataforma pode importar a base de dados do estabelecimento, possibilitando o uso, de forma prática e barata, como um canal de comunicação entre empresa e clientes”, ressalta Ming Ko.

De acordo com Marina Camargo, gerente de Marketing da Camargo Alfaiataria, com apenas três meses de uso já foi possível atrair novos clientes. “O Beepos está sendo uma ferramenta útil para a indicação de novos clientes, além de movimentar a interação com nossos atuais”, conta.

Sobre a Hive Marketing Technology:Empresa de tecnologia, reconhecida como uma das principais desenvolvedoras de plataformas digitais da América Latina. Atualmente, conta um time de mais de 50 pessoas altamente especializadas focadas na utilização de tecnologia, criatividade e inteligência de dados para o desenvolvimento de experiências digitais diferenciadas. Entre os projetos desenvolvidos, para empresas como Ambev, Cisco, Itaú, P&G e Twitter, estão promoções online, plataformas de gamification, games, aplicativos e projetos digitais dos mais diversos portes.

Fonte:Lucia Faria Comunicação Corporativa – Tatiane Oliveira

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0