Coluna “Discutindo a relação…”

Os dados e a automação nos libertam

Tenho ouvido e lido muita discussão em torno da presença e uso dos dados e da automação no universo da propaganda e do marketing. Tem sido assunto de artigos, colunas, webinars, podcasts etc.

E, fazendo uma reflexão sobre tudo que ouvi e li até agora, parece que há um certo consenso em torno da ideia de que o uso de dados e de automação podem colocar em evidência o que sempre foi o ingrediente principal do trabalho de comunicação: a inventividade, a criatividade, o encontro de soluções a partir de uma capacidade aguçada de compreensão do cenário e do problema.

Vamos olhar o dados e a automação com bons olhos

Sim, os dados e a automação, ao contrário do que muita gente possa inicialmente pensar, não vieram tornar a propaganda mais chata e previsível (caso dos dados) e nem mesmo tirar empregos (caso da automação). Creio firmemente que ambos vão deixar espaço para que nossa capacidade se amplie. Sim, dados e automação vão impulsionar a presença humana na etapa em que ela é mais necessária: a intuição, o insight, a criatividade.

Imagem de Arek Socha do Pixabay

Não vai faltar big idea na propaganda porque temos que nos orientar por dados (prefiro informação, mas tudo bem). Embora o digital tenha tornado a comunicação ainda mais rápida e fluida, a busca pela ideia que definitivamente vai diferenciar marcas e produtos segue sendo importante e extremamente útil. Há mais “feijão com arroz”, mais peças focadas em performance e no dia a dia? Sim, há. Há mais assertividade e customização da comunicação. Sem dúvida!

Quanto a automação… Não sou daqueles saudosistas e românticos que fica dizendo que o bacana era fazer as coisas na unha, na munheca. De modo algum. Prefiro um zilhão de vezes usar ferramentas de automação de marketing e propaganda que nos deixem com tempo e espírito livre para exercer o que nós, humanos temos de melhor: criatividade.

Tem o lado de que temos que conhecer e aprender a lidar com novas ferramentas e tecnologias e que nem sempre isso é tão fácil ou prazeroso assim. Tudo bem, concordo. Mas há tantas soluções na forma de serviços e empresas terceiras e parceiras pra nos dar uma forcinha que fico esperançoso de que a dor destes aprendizados pode ser bem menor

Então, amigas e amigos, estou cada vez mais convencido de que dados e automação não são grilhões que nos acorrentam, mas sim chaves que nos libertam.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Era Multidirecional e o consumo de mídia

por Josué Brazil

Estamos vivendo a chamada Era Multidirecional quando consideramos o cenário de comunicação, mídia e marketing. Iniciado no ano de 2003 (segundo especialistas) este período caracteriza-se por algumas características ou fatos:

  • Cada pessoa é um canal
  • Não importa o que a marca fale, o consumidor sempre sabe mais através dos seus contatos
  • Os filtros mais comuns são rede de amigos e/ou contatos via redes sociais e os buscadores
  • Embora tenha havido uma grande evolução, algumas marcas ainda tem medo de entrar neste mundo
  • Mas, querendo ou não, entrando ou não, as pessoas já estão falando sobre sua marca ou produto
  • Marcas precisam criar engajamento, para ganhar alcance. Maior engajamento, maior alcance. Marcas precisam dialogar com o consumidor.

Dentro deste cenário de mídias multidirecionais e multicanalidade, como fica o consumo de mídia? E mais! Como fica o consumo de mídia de acordo com as diferentes gerações?

Um estudo muito interessante da GWI colocou luz sobre estas questões e apresentou resultados bastante interessantes para a análise de anunciantes e agências. O estudo foi conduzido também para detectar o consumo de mídia no período pandêmico do Covid 19. Veja só:

Começando pelos Baby Boomers, pessoas nascida entre 1946 e 1964.

E a chamada Geração X, que agrupa os indivíduos nascidos entre meados da década de 1960 e o início da década de 1980, como consome mídia? Olhe só:

A geração que sucedeu a X é chamada de Geração Y ou Millennials e é formada pelas pessoas nascidas entre 1980 e 1996. E elas se comportam assim em relação às mídias:

Para finalizar temos a Geração Z, que reúne aqueles que nasceram entre a segunda metade dos anos 1990 até o início do ano 2010. Portanto, é a geração totalmente nativa digital.

Fica evidente que as diferentes gerações consomem mídia de maneira diferenciada dentro deste universo de múltipla oferta de plataformas e veículos. O domínio de plataformas digitais é fator decisivo para as gerações Baby Boomers e X, assim como o desejo de consumir conteúdo sem interrupção é determinante para as gerações Y e Z.

O estudo traz insights interessantes para marcas e agências tomarem decisões estratégicas na condução da comunicação dentro da realidade multicanal e multidirecional.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Parque Tecnológico São José dos Campos realiza um dos principais eventos para startups do país

Nexus Summit 2020, evento online e gratuito, conta com a participação de profissionais referência no mercado

O Nexus Summit é o evento oficial do Nexus – o Hub de inovação do Parque Tecnológico São José dos Campos (PqTec), considerado o maior complexo de inovação e empreendedorismo do Brasil.

Consolidado no ecossistema de startups do Brasil, o evento está em sua terceira edição e tem novidades para este ano: será realizado de maneira totalmente online e gratuita.

Entre os dias 26 e 28 de agosto, grandes profissionais do universo de empreendedorismo vão compartilhar insights para atender os diversos estágios de negócio, desde o empreendedor que precisa tirar a ideia do papel até aquele que possui mais maturidade, buscando tração e escala.

“Foi preciso adaptar a edição deste ano devido à pandemia do Coronavírus. Decidimos seguir pelo formato 100% online e ainda tornamos o evento gratuito para ampliar o alcance e fortalecermos ainda mais o nosso objetivo, que é auxiliar os empreendedores em todos os estágios da jornada”, afirma Alexandre Barros, Head do Nexus.

Palestrantes confirmados

Já fazem parte da programação Romero Rodrigues, co-fundador do Buscapé e sócio da Redpoint eventures; David Ledson, diretor de gente e gestão da Sympla; Rafael Ribeiro, chefe de operações da Bossa Nova Investimentos; Paulo Mariotto, membro investidor da Anjos do Brasil; Priscila Castro, diretora da Brain Ventures e Felipe Novaes, co-fundador e diretor executivo da The Bakery. O Vale do Paraíba está bem representado com as principais startups da região, nomes como Rafael Kiso, Fundador e CMO da mLabs; Guilherme Rachid, CEO da Compre Sorrindo; Rachel Toyama, CEO do Paraíso Feminino; Tiago Serrano, CEO da SoluCX e Michel Zreik, CEO da Lá Vem Bebê estarão no evento. Confira aqui a agenda completa.

O que você verá no Nexus Summit 2020

A programação do evento está dividida em dias temáticos, de acordo com as etapas da jornada empreendedora. O primeiro dia será focado em conteúdos para ajudar quem quer tirar as ideias do papel. Já o segundo dia trará informações para as empresas que possuem um produto mínimo viável e buscam crescimento e amadurecimento. E o terceiro dia será dedicado para as startups consolidadas que estão em fase de tração e escala.

Sobre o Nexus

O Nexus – Hub de Inovação do Parque Tecnológico São José dos Campos é um ambiente para conexão de startups, pequenas, médias e grandes empresas, investidores e instituições de ensino, com programas de aceleração e incubação que acompanham startups desde a fase de ideação até escala, e programas que estimulam inovação aberta em empresas consolidadas e conexão entre o ecossistema.

Sobre o Parque Tecnológico São José dos Campos

O Parque Tecnológico São José dos Campos é o maior complexo de inovação e empreendedorismo do Brasil. Tem a missão de promover ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo, visando ao desenvolvimento competitivo e sustentável das empresas e instituições vinculadas. Ocupa uma área de 15 milhões de m², onde cerca de 6.000 pessoas transitam diariamente e estão instaladas 145 empresas, quatro institutos de ciência e tecnologia e cinco institutos de ensino e pesquisa.

SERVIÇO – NEXUS SUMMIT 2020
Data: 26 a 28 de agosto
Horário: 8h30 às 12h

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site.

Fonte: Alex Souza

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Kantar anuncia o Projeto Moonshot

Kantar anuncia o Projeto Moonshot, lançando plataforma inédita de medição de eficácia de publicidade

Parcerias fundamentais, incluindo Google, Roku, Pandora e Anzu, impulsionam a próxima geração de planejamento e otimização de mídia

A Kantar, principal empresa de dados, insights e consultoria do mundo, anuncia neste mês um marco importante em seu projeto para oferecer a plataforma independente mais avançada para medir a eficácia da publicidade.

O Projeto Moonshot é a primeira iniciativa do setor a estabelecer integrações diretas de dados com empresas como Google, Pandora e a plataforma de anúncios em rápido crescimento, Anzu, para avaliar o impacto da publicidade nas marcas e suas vendas.

Foram anunciadas também as parcerias com plataformas como Dish, Pinterest, Roku, Snap, Spotify e Twitter para medições sem cookies. A Kantar agora possui parcerias operacionais ou está em testes avançados com 9 dos 10 principais publishers, 15 dos 20 principais aplicativos, e está em discussões avançadas de integração com mais de 50 outros publishers.

O objetivo é representar 95% dos gastos globais com anúncios digitais, integrando 250 publishers em medições cross-publishers na plataforma até o final de 2021.

O Projeto Moonshot foi criado para atingir três objetivos em todo o setor:

  • Estabelecer uma plataforma de dados e tecnologia de última geração, compatível com privacidade, para migrar o setor da medição baseada em cookies para integrações diretas com os publishers.
  • Ter uma medição independente da eficácia dos anúncios de publishers individuais e empresas de mídia.
  • Obter uma medição independente da eficácia dos anúncios entre todos os publishers dentro de um plano de mídia, incluindo soluções de pesquisa para Walled Garden (plataformas fechadas para mensuração) e campanhas cross-publishers.

A avaliação holística, consistente e transparente da eficácia da publicidade em todas as plataformas, incluindo plataformas de mídia social e walled gardens, é identificada como um grande desafio por 75% dos maiores anunciantes do mundo segundo o Getting Media Right, estudo sobre o mercado de mídia e marketing.

A pesquisa da Kantar indica que 80% dos profissionais de marketing confiam na avaliação de terceiros, em comparação com pouco mais de 40% que confiam nos dados de publishers individuais ou plataformas de mídia. O estudo também identificou prioridades importantes para os anunciantes: a necessidade de provar o ROI, atribuir impacto na marca e nas vendas aos canais certos e a capacidade de otimizar as campanhas.

“Até agora, anunciantes e agências de mídia conseguiam medir a eficácia de sua publicidade on-line com muitos publishers, exceto os walled gardens, usando cookies de rastreamento. Com o desaparecimento dos cookies de terceiros, nós desenvolvemos novas maneiras de avaliar a eficácia, usando uma combinação de metodologias, incluindo integrações diretas e medição probabilística amplamente validada, anunciando uma nova era para a eficácia cross-publisher”, afirma Maura Coracini, diretora e líder de Mídia de Insights da Kantar Brasil.

O Projeto Moonshot fornece aos publishers duas metodologias sem cookie e compatíveis com as normas de privacidade para implantar medições e rastreamento. Ambas as metodologias têm em seu núcleo a divisão Profiles da Kantar, baseada em permissão e em conformidade com a privacidade, de 100 milhões de consumidores em todo o mundo.

“Mais do que nunca, é importante que os publishers possam defender suas receitas de forma independente do desempenho dos anunciantes”, diz Valkiria Garré, CEO de Insights da Kantar Brasil.  “A remoção gradual dos cookies de terceiros significa que a mensuração da eficácia dos anúncios on-line precisam evoluir, em conformidade com a privacidade.”

Fonte: Karina Rodrigues – Assessora de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0