Primeira edição do ‘W Investor Day’ é sucesso de público em São José dos Campos

Evento contou com participação de grandes no segmento como Guilherme Benchimol e Zeina Latif

Promovido pela WFlow, o evento sobre investimentos direcionado a empresas ‘W Investor Day’, que aconteceu nesta quinta-feira (15) em São José dos Campos, foi sucesso de público atraindo mais de 200 pessoas entre empresários e especialistas em sua primeira edição no Vale do Paraíba. O evento contou grandes nomes do mercado como Zeina Latif, economista chefe da XP Investimentos; Daniel Frajhof, sócio à frente o Private B2B da XP Investimentos; Rony Dreger, especialista em gestão patrimonial estratégica, sócio da PSQA Advogados; além de Guilherme Benchimol, CEO e fundador da XP Investimentos.

Breno Andrade, sócio proprietário da Wlfow e Guilherme Benchimol, CEO e fundador da XP Investimentos

O evento é o maior do segmento já realizado na região. Convidados desfrutaram de quase oito horas de programação, com palestras, painéis e bate-papos exclusivos com especialistas. “Sem dúvidas o evento foi único. O ‘W Investor Day’ mais do que uma maneira de aproximarmos nossa marca dos clientes finais, foi uma oportunidade de imersão e compartilhamento do que há de mais atual no mundo dos investimentos”, diz Breno Andrade sócio da WFlow.

Um dos pontos altos do evento foi o bate-papo com Zeina Latif, economista chefe da XP Investimentos. Em conversa descontraída mediada por Paulo Saad, sócio da WFlow, a especialista abordou temas atuais da economia brasileira e os impactos no mundo dos negócios.

Sobre um dos principais assuntos tratados na conversa, a redução da taxa básica de juros, a especialista alertou: “Não há motivo para comemorar!”. De acordo com Latif, o corte da taxa de juros é sim muito bem vindo, mas não fará milagre sozinho. “A taxa de juros baixa é o alicerce para discutirmos o crescimento econômico, mas está longe de ser uma condição suficiente. A nossa economia está praticamente estagnada e isso é uma lembrança de que corte de juros é essencial, mas não é suficiente para termos crescimento econômico. O que gera crescimento econômico de longo prazo é ganho de produtividade, é investimento e nesse quesito ainda teremos uma agenda enorme pela frente”, destaca.

Breno Andrade, sócio proprietário da Wlfow e Guilherme Benchimol, CEO e fundador da XP Investimentos e Simoni Chitarra, sócia proprietária da Wlfow

Para encerrar o bate-papo, a economista deixou uma mensagem de otimismo sobre o futuro do cenário econômico no país. “O momento que o Brasil atravessa é importante, porque estamos passando por testes de maturidade. O Brasil ainda é um garotão que ainda não saiu da casa dos pais, mas já está melhorando. Tivemos um desvio de rota nos últimos governos, mas estamos retomando e uma demonstração disso é a reforma da previdência. E agora precisamos da continuidade dessa agenda, que também vejo como um teste de maturidade para o país”, finaliza.

O palestrante mais esperado era Guilherme Benchimol, CEO e fundador da XP Investimentos. O economista fechou o evento compartilhando sua história de sucesso como empreendedor e destacou a importância do ‘W Investor Day’ para a região. “Esse evento é nossa maneira de trazer educação. Hoje a concentração bancária é grande e as pessoas não sabem que existem investimentos além do CDI. Essa modalidade de investimento sempre foi muito rentável no Brasil e com baixo risco, só que isso mudou e as pessoas ainda não perceberam isso. Então o que agente traz aqui é uma informação nova, que ajude as pessoas entenderem que o Brasil está mudando e que se elas não mudarem a forma como elas investem, elas não vão otimizar seus investimentos”, explica.

Empreendedor de sucesso, Benchimol ainda deixou um dica para aqueles que sonham em ingressar no mundo dos negócios. “O empreendedor tem que ter na cabeça algo que seja consistente e que fique de pé. Se você encontrou um segmento que você faz bem feito, se você vai mantendo o foco no cliente e a cabeça de longo prazo, melhorando um pouquinho a cada dia, não tem como você não chegar num lugar bacana lá na frente”, afirma Guilherme Benchimol.

Fonte: Pilares Relações Públicas

Evento sobre investimento

WFlow promove “W Investor Day”, maior evento sobre investimentos do Vale do Paraíba

Evento acontece dia 15 de agosto, em São José dos Campos

A WFlow, escritório Private especializado em Assessoria Financeira e Patrimonial credenciada à XP Investimentos, realizará o maior evento sobre investimentos direcionado a empresas no Vale do Paraíba, no dia 15 de agosto, em São José dos Campos. Trata-se do “W Investor Day”, que tem o objetivo de proporcionar uma experiência única para aqueles que querem estar à frente no mundo dos negócios e investimentos.

O evento contará com a presença de Deniel Frajhof, que é sócio e comanda o Private B2B da XP Investimentos e apresentará a estrutura baseada em um atendimento personalizado de um Family Office com a robustez de um Private Banking. Os palestrantes Vivian Sesto (Corporate XP Investimentos) e Felipe Campelo (Mercado de Capitais) abordarão as possibilidades de melhorias na gestão do caixa empresarial e as oportunidades para Pessoa Jurídica através da XP Investimentos.

O evento contará ainda com Zeina Latif, economista chefe da XP Investimentos, que trará temas atuais da economia brasileira, como a Reforma da Previdência e os impactos no mundo dos negócios. Por fim, pela primeira vez no Vale do Paraíba, Guilherme Benchimol, CEO e fundador do Grupo XP, compartilhará a história de sucesso e os próximos passos de uma das maiores empresas brasileiras da atualidade.

O “W Investor Day” acontece no dia 15 de agosto, das 10h às 18h, no edifício Hyde Park, no Jardim Aquárius, zona oeste de São José dos Campos.

Sobre a WFlow

A WFlow faz parte do grupo dos 20 maiores escritórios da XP Investimentos no Brasil. Com uma atuação no segmento Private, o grupo ultrapassou a marca de R$ 2 bilhões de capital sob assessoria distribuídos nas unidades de São José dos Campos, São Paulo, Presidente Prudente, São José do Rio Preto, Piracicaba e Belo Horizonte. Atuando por meio de seus sócios desde o ano 2000 no mercado financeiro, já conquistou duas vezes o prêmio de melhor assessor de investimentos do Grupo XP e possuí mais de 50 especialistas em investimentos.

Programação

09h – Credenciamento

10h – Abertura

10h10 – Private XP Investimentos

10h30 – Investimentos | XP Empresas

11h30 – Mercado de Capitais | XP Empresas

12h – Almoço

14h – Cenário Econômico com Zeina Latif

15h – Previdência Privada nas Empresas

15h30 – Sucessão Empresarial

16h – Gestão Patrimonial

16h30 – Coffe Break

17h – Painel com Guilherme Benchimol

Fonte: Pilares Relações Públicas

Transformação digital já é realidade no varejo brasileiro

Investimento em transformação digital já é realidade no varejo brasileiro, afirma estudo da SBVC

Por outro lado, cultura organizacional é principal dificuldade para a implementação da transformação digital.

Desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) em parceria com Oasis Lab Innovation Space, o estudo “Transformação Digital no Varejo Brasileiro” faz uma radiografia de como andam os investimentos em transformação digital, automação e treinamento dos funcionários que atuam nas empresas do varejo brasileiro, assim como ferramentas de inteligência artificial nos pontos de venda.

Entre as principais conclusões que o estudo identificou, está a melhora da percepção dos consumidores em relação à loja física, segundo opinião dos varejistas. A experiência do consumidor e a rapidez em sua tomada de decisão aumentaram. Porém para as empresas do varejo, os investimentos em ferramentas utilizadas para a contribuição na transformação digital nas lojas físicas não traduzem em redução de custos, mas sim retorno financeiro de longo prazo e diferencial competitivo. Esse investimento em T.D., segundo os varejistas entrevistados, resumem-se em média 0,42% sobre o faturamento bruto.

Investimento TD

Ainda de acordo com a análise feita pela SBVC, 100% dos varejistas acreditam que líderes são co-criadores, e trabalham em parceria com seus funcionários. “Para verejistas, cultura de co-criação entre funcionários e líderes é essencial para o desenvolvimento cultural, digital e de relacionamento, que de alguma forma transparece ao mercado”. assegura Hélio Biagi, Fundador e CEO OasisLab Innovation Space.

Outro tema que merece atenção especial dos varejistas são as start-ups, 20% já investem em parcerias, e 80% pretende investir nos próximos 12 meses. “Sem dúvida são conclusões reveladoras e que sugerem uma reflexão para as empresas. Num momento em que eficiência e produtividade máxima tornam-se palavras de ordem, investir em parcerias passa a ser obrigatório”, afirma Eduardo Terra, presidente da SBVC.

Metodologia

Para a avaliação, as empresas ouvidas foram divididas por faturamento: 41% delas tinham faturamento até 500 milhões; 18% com faturamento entre 500 milhões e 1 bilhão de reais e 41% com faturamento acima de 1 bilhão de reais. E representam os maiores players do mercado, de 7 diferentes segmentos do varejo, como moda, calçados e artigos esportivos, super, hiper, atacarejo e conveniência, lojas de departamento, artigos do lar e mercadorias em geral, drogarias e perfumarias, foodservice, livrarias e papelarias e outros segmentos.

Download do Estudo

Sobre a SBVC – Fundada em 29 de maio de 2014, a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) é uma organização sem fins lucrativos, aberta, multissetorial e com atuação complementar às demais entidades de classe do varejo. Sua missão é contribuir para o aumento da competividade do varejo, por meio de conteúdos e estudos de mercado, promovendo networking entre executivos do varejo de todos os segmentos. A entidade tem como objetivo defender os interesses do segmento e promover ações sociais. A SBVC é sustentada por quatro pilares fundamentais: Conteúdo, Relacionamento, Responsabilidade Social e Apoio Técnico.

Fonte: SBVC – Fernanda Besnosoff – Coordenadora de Estudos e Pesquisas

Pesquisa mostra confiança estável

Pesquisa da ACI revela estabilidade das empresas para o semestre

O Índice de Confiança dos Empresários, pesquisa realizada semestralmente pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, apontou para uma estabilidade do mercado, com uma advertência: o cenário ainda é delicado, refletindo o período de recessão pelo qual atravessa o país.

A pesquisa do Índice de Confiança do Empresário da ACI apresenta 90% de nível de confiança e 5% de margem de erro.

Pelo levantamento, 41% dos 265 empresários entrevistados têm uma visão otimista em relação à economia brasileira frente a 32% que acreditam que a situação deve permanecer a mesma e 17% que estão pessimistas.

021---Infografico

Já em relação a São José dos Campos, a expectativa é diferente. Respondendo sobre suas expectativas para os próximos seis meses em relação ao município, apenas 23% dos empresários estão otimistas, frente a 49% que acreditam que não haverá mudanças e 19% que se declararam pessimistas.

Vendas. Em relação às vendas do último semestre, 36% consideraram os números estáveis frente a 32% que classificaram as vendas como ruins e apenas 11% que definiram o movimento como bom. Para o segundo semestre de 2016, os índices oscilam pouco: 34% acreditam que serão as vendas serão boas, 36% acham que elas serão estáveis e 14% têm uma expectativa ruim.

Quanto aos investimentos, no entanto, existe um certo receio do empresariado local em razão da crise que ainda atinge o país. Somente 24% dos entrevistados afirmaram que vão realizar investimentos no segundo semestre de 2016, 21% não souberam ou quiseram avaliar e 36% disseram que é improvável a realização de novos investimentos.

“O panorama geral do resultado do último semestre não foi satisfatório e para os próximos seis meses, apesar de haver uma expectativa de melhoria, o cenário ainda é pessimista”, disse o presidente da ACI, Felipe Cury.

Fonte: Matéria Consultoria e Mídia – Daniela Borges

Monsanto aposta em startups

Monsanto investe em fundo de startups brasileiras para acelerar inovação na agricultura
Companhia é a primeira multinacional agrícola a apoiar empreendedores locais, por meio de fundo criado pela Microsoft.

Inscrições para receber investimentos vão até o dia 7 de agosto

startup-1018548_640A Monsanto anuncia sua entrada no fundo Brasil Aceleradora de Startups – BR Startups, um Fundo de Investimentos em Participações (FIP) focado em startups brasileiras. Com o aporte da Monsanto, o fundo BR Startups passará a investir em startups que estejam criando inovação tecnológica para o agronegócio.

A seleção para a nova rodada de investimentos, de R$ 250 mil a R$ 1,5 milhão por startup, começou na última terça-feira (5/7) e vai até o dia 7 de agosto de 2016. Para participar, as Agritechs com pelo menos dois sócios e faturamento anual entre R$ 300 mil e R$ 10 milhões devem se inscrever pelo link: http://www.fundacity.com/fundo-br-startups/apply/990.

O objetivo da Monsanto é acelerar a inovação na agricultura brasileira e dentro da própria empresa, por meio do investimento e da interação com os empreendedores brasileiros mais inovadores. Além de contribuir com seu investimento no fundo, a Monsanto dividirá com as startups de agricultura o conhecimento e experiência no agronegócio brasileiro.

“Acreditamos que a colaboração é uma ferramenta fundamental para que o mundo consiga alimentar 9,7 bilhões de pessoas em 2050, e este é um passo nessa direção”, disse o presidente da Monsanto para a América do Sul, Rodrigo Santos, durante o Global Agribusiness Forum. Em sua apresentação durante o evento, Santos destacou que a inovação tecnológica é ainda mais crucial para a agricultura neste momento de revolução digital.

O fundo BR Startups foi criado pela Microsoft Participações, holding de investimentos lançada em 2012 para realizar investimentos estratégicos relacionados ao fomento à inovação e ao empreendedorismo, em conjunto com a Qualcomm Ventures, a ES Ventures (Portugal) e a Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio). O foco do fundo é em empresas que já passaram por um processo de aceleração, mas que ainda não têm porte suficiente para acessar o mercado de venture capital série A.

“A união de forças entre a Monsanto e o Fundo BR Startups dará aos empreendedores mais inovadores do país uma oportunidade única de usar toda a tecnologia disponível para transformar a agricultura nacional”, diz Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil.

O fundo é gerido pela MSW Capital, gestora com experiência na orientação de empreendedores e histórico em fusões e aquisições. “Ao integrar a Monsanto ao seu time de cotistas corporativos, o fundo BR Startups se fortalece como principal veículo estratégico de corporate venture no Brasil e ganha o conhecimento e a parceria da líder mundial em tecnologia agrícola, impulsionando um setor chave da economia brasileira”, afirmou o gestor do fundo, Moises Swirski.

Inovação na Monsanto
A Monsanto também está investindo no pré-lançamento do primeiro produto da sua afiliada de agricultura digital The Climate Corporation no Brasil. O FieldViewTM Plus será utilizado por cerca de 100 produtores brasileiros de soja e milho nesta safra e o lançamento está previsto para os próximos dois anos. “O Brasil é um dos primeiros países onde demos esse passo, depois dos Estados Unidos”, afirmou Mateus Barros, líder comercial da The Climate Corporation para a América do Sul.

Nos Estados Unidos, a Monsanto mantém o fundo de investimentos Monsanto Growth Ventures (MGV), o braço de venture capital da empresa, que anunciou seu primeiro portfólio de investimento em janeiro e já permitiu o avanço de startups em áreas chave da produtividade agrícola, agricultura digital e produtos biológicos. “A inovação é o modelo de negócio da Monsanto e por isso precisamos buscar parcerias com startups, que trazem agilidade e novos olhares para resolver problemas antigos”, disse Santos.

Esses investimentos estratégicos de colaboração somam-se ao constante investimento da Monsanto em inovação. Anualmente, cerca de 10% do faturamento é investido em Pesquisa e Desenvolvimento. No ano fiscal de 2015, esse investimento foi de US$ 1,5 bilhão. Desse esforço surgem produtos como a soja Intacta RR2 PRO®, a primeira biotecnologia agrícola desenvolvida por uma multinacional para as necessidades da América do Sul. Em junho de 2016, a Monsanto foi reconhecida como uma das 50 empresas mais inteligentes pela revista americana MIT Technology Review.

Fonte: Alameda Comunicação – Tawana Miquelino

Jornal realiza evento sobre a infraestrutura no Brasil

Estadão realiza fórum sobre infraestrutura

Jornal reúne, dia 23 (sexta-feira), empresários e especialistas para debater caminhos para o crescimento

Dando continuidade à série Fóruns Estadão, o Estadão promove, no próximo dia 23 (sexta-feira), no Hotel Grand Hyatt (Av. das Nações Unidas, 13.301 – Itaim Bibi), evento com o tema Infraestrutura – Caminhos para o Crescimento. O encontro, das 8h30 às 12h30, reunirá importantes nomes no setor, que discutirão os grandes desafios da área e apontarão os caminhos futuros.

Entre os convidados já confirmados, Cesar Borges, vice-presidente de Serviços, Infraestrutura e Operações do Banco do Brasil; Gabriel Galípolo, sócio da Galípolo Consultoria; Gesner Oliveira, sócio da GO Associados e professor da Fundação Getúlio Vargas; Luiz Afonso dos Santos Senna, PhD, professor da Escola de Engenharia da UFRGS; e Raul Velloso, PhD em Economia, ex-secretário Nacional Adjunto e ex-secretário para Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento.

No encontro serão abordados temas como o papel das Parcerias Público-Pivadas (PPPs) no desenvolvimento da infraestrutura – rodovias, aeroportos, ferrovias etc.; como tornar as concessões atrativas para o setor privado e o que o Programa de Investimentos em Logística (PIL) traz de novo e o que falta corrigir?; como assegurar a qualidade e sustentabilidade dos projetos?; quais as condições para atrair investidores globais?; e exemplos de outros países e PPPs bem sucedidas.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site http://www.furqdelg.com.br/foruns-estadao-infraestrutura. Jornalistas que quiserem participar devem confirmar presença pelos telefones (11) 3277-8891, ramal 32, e 99462-9496 ou e-mail marco@luciafaria.com.br.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone