Coluna “Discutindo a relação…”

Um delicioso desafio

Trabalhar com propaganda tem sido alvo de inúmeras críticas nos últimos anos. Tais críticas em grande parte são justas e consequência de modelos de negócios exauridos (especificamente em relação às agências de propaganda) e das constantes mudanças de cenário ocorridas recentemente.

Posso dizer também que há uma questão de geração. Mas não quero entrar nesta discussão aqui. Ela já deu muito pano pra manga. Tanta gente já falou e escreveu sobre isso. Volta e meia aparece um texto sobre o assunto, como este aqui, por exemplo.

Quero falar na verdade que, apesar de tudo, acredito ainda que trabalhar com propaganda traz ao menos uma grande recompensa : aprender muito e quase sempre.

Isso não é novidade. De fato é bem antigo este negócio. Mas… explico.

Não sou daqueles que crê que em propaganda nunca há rotina. É claro que há. Mas é verdade que é uma atividade bem menos rotineira de que outras. E isso se dá pela diversidade de situações, casos, mercados, produtos e serviços com que podemos nos deparar na atividade publicitária. É aquela velha, mas ainda verdadeira conversa: num dia podemos trabalhar com um cliente de varejo de ferramentas e no outro lançar um empreendimento imobiliário. Podemos fazer feirão de automóveis para uma concessionária e ao mesmo tempo pensar em como fazer com que uma escola de inglês tenha mais alunos matriculados. Tentar vender túmulos num novo, bonito e moderno cemitério e lançar a moda primavera/verão para o publico jovem das classes B e C.

Isso sem falar no interessantíssimo esforço de se colocar no lugar do outro. De se livrar de pré conceitos e de preconceitos. De usar estereótipos mas não ficar preso a eles de maneira superficial.

A questão importante aqui é o quanto temos que aprender para fazer bem feito cada um destes trabalhos. Foi isso que sempre me motivou em propaganda. E acho que quem quer trabalhar com propaganda deve ter como principal característica a curiosidade. Ou melhor: a vontade de aprender.

De meus tempos de agência trago inúmeros aprendizados. A maioria deles obtive com clientes. Um outro tanto com fornecedores e uma outra parcela generosa com os veículos de comunicação. Entender cada mercado, cada cenário competitivo, cada público consumidor, cada produto ou serviço é um desafio delicioso.

Em conversas recentes tenho dito que as agências terão que forçosamente rever seu modelo de atuação ou implodirão ( veja esse texto). E dessa revisão é bem provável que apareçam mais agências bacanas para se trabalhar. Na verdade já estão surgindo. E por esse motivo sigo acreditando que muita gente vai continuar querendo ser publicitário.

Gente talentosa, inteligente e disposta a aprender sempre terá vez no mercado publicitário. E sempre será disputada pelas melhores agências, assessorias e consultorias. As agências, assessorias e consultorias por sua vez, terão que se esforçar para voltar a atrair gente talentosa, inteligente e disposta a aprender.

Vaga aberta para estágio em marketing

Estagiário (a) de Marketing para São José dos Campos

Requisitos: – É necessário que o candidato esteja cursando Publicidade e Propaganda ou Propaganda e Marketing, ou ainda Design Gráfico a partir do 1º semestre.

– Desejável experiência em Publicidade e Propaganda e Marketing
– Necessário conhecimento em: Photoshop, Corel Draw, Ilustrator , Excel.
– Residir em São José dos Campos

Atividades desenvolvidas: Auxiliar na elaboração de folders, material de propaganda (elaboração e criação). Irá auxiliar no Marketing Digital, Mídia Social, E-Mail Marketing. Irá atuar na elaboração e divulgação de campanhas e peças publicitárias, envolvendo ações de criação, produção, lançamento e exibição na mídia. Fará pesquisas de mercado e pesquisa de satisfação do cliente. Irá atuar com atendimento ao cliente via telefone e através de ferramentas digitais, elaboração de propostas comerciais, prospecção de negócios, acompanhamento de metas, relatórios gerenciais, negociação com clientes.

Bolsa : 600,00

Benefícios oferecidos : Auxílio transporte, recesso remunerado

Horário e dias a trabalhar : de segunda a sexta, das 08h00 às 15h00 (1 hora de intervalo)

Observação :Apenas candidatos de São José dos Campos com o perfil descrito acima

Candidate-se a vaga por aqui

40 anos do 1º livro de Star Wars no Brasil

Evento celebra os 40 anos de lançamento do 1º livro de Star Wars no Brasil

Os 40 anos de lançamento do primeiro livro da saga Star Wars no Brasil será tema da edição de 19 de novembro do Brain Fitness.

O evento “O universo expandido de Star Wars” reunirá as editoras responsáveis pelas publicações brasileiras das obras derivadas da saga com painéis com Felipe Vieira, tradutor da editora Universo dos Livros, Bárbara Prince, editora de ficção-científica na editora Aleph, e Carol Pimentel, editora de quadrinhos da Marvel Comics.

No local estará em cartaz a Exposição “40 anos de força”, organizada pelo ilustrador e quadrinista Adriano Gon. A mostra homenageia os 40 anos de lançamento do filme Star Wars com releituras dos personagens da saga feitas por ilustradores brasileiros convidados.

Haverá ainda área de venda de produtos geek com livros, quadrinhos e licenciados, espaço de games e jogos de tabuleiro, concurso de cosplay e presença de artistas que se inspiram na franquia Star Wars como o designer Bruno Honda, da Mauricio de Sousa Produções, que fará ilustrações especialmente para o evento.

A divisão brasileira do fã-clube 501st Legion arrecadará brinquedos usados e em bom estado que serão doados para crianças no Natal. Quem colaborar com a ação concorrerá a brindes.

O Brain Fitness “O universo expandido de Star Wars” será no dia 19 de novembro, a partir das 13h, no hall do cinema do Taubaté Shopping.

O evento conta com o apoio do Conselho Jedi-SP, CCAA Taubaté e da Imago Academia de Arte e Design e é realizado pelo Taubaté Shopping, Livraria Leitura e a produtora Almanaque Urupês.

A entrada é gratuita.

“BrainFitness”
O BrainFitness é um evento cultural que tem como missão de formar público para novos eventos, incentivar o hábito da leitura e estimular o mercado consumidor de produtos e serviços da nossa indústria cultural. É realizado pelo Taubaté Shopping, Livraria Leitura e a produtora Almanaque Urupês.

Agência tem nova estagiária

Novidade na Prospecto 

A Prospecto Marketing, agência com sede em Taubaté,  acaba de trazer para seu quadro para atuar como estagiária a estudante de sexto semestre de publicidade e propaganda da Unitau Pâmela Daziella.

A jovem começou a dar expediente semana passada.

Novidade no mercado do Vale

Nova agência surge em Taubaté

Lucas Resende anuncia a chegada da Aproxima Marketing, empresa situada em Taubaté. Lucas também é o nome por trás da Espaço Inove, espaço de coworking também localizado em Taubaté.

Segundo Lucas, a Aproxima é a versão atualizada de sua antiga agência, a Target. Ele declara, inclusive, que continua atendendo com a Aproxima algumas contas da antiga agência.

Multinacional abre vaga em e-commerce

Vaga de Estágio em E-commerce

Multinacional americana localizada em Jacareí (SP), busca universitários com formação prevista para Dezembro de 2019 nos seguintes cursos: Marketing ou Publicidade e Propaganda.

Pedimos inglês intermediário ou avançado. A vaga é para o Departamento de Marketing e tem como foco principal no e-commerce e campanhas digitais.

Salário: bolsa auxílio compatível com o mercado.

Benefícios: assistência médica, vale transporte e vale refeição.

Envio de currículo para o e-mail: lfonseca@wahlbrasil.com.br

**Caso possuir portfolio, encaminhar o link.

Troca de ingressos para duelo entre Vôlei Taubaté e Cruzeiro começa na amanhã no Via Vale

Os times se enfrentam na próxima quarta pela Superliga Masculina de Vôlei no Ginásio do Abaeté

Para quem acompanha as emoções do Vôlei, os ingressos para curtir a disputa entre Taubaté e Cruzeiro, válidos pela Superliga Masculina de Vôlei, estarão disponíveis a partir de amanhã (31/10), das 14h às 22h, no balcão Concierge do Via Vale Garden Shopping. A partida está marcada para o dia 01 de novembro, às 19h, no Ginásio do Abaeté. Os ingressos devem ser trocados por 1Kg de alimento não perecível (exceto sal e açúcar).

O shopping está responsável pela distribuição de 400 ingressos, sendo 40 deles reservados para atender pessoas do grupo especial, ou seja, portadoras de necessidades especiais. Para garantir esse benefício, os contemplados deverão apresentar, no momento da troca, documentos comprovatórios de sua necessidade de atendimento prioritário.

Vale ressaltar que cada pessoa poderá trocar no máximo dois ingressos, mediante a apresentação de CPF, pelo 1kg de alimento. As contribuições serão destinadas às instituições de caridade da cidade. Crianças de até quatro anos não precisam do convite.

Serviço:
Troca de ingressos Vôlei – Via Vale Garden Shopping
Data: terça-feira (31/10)
Horário: das 14h às 22h
Local: Balcão do Concierge – piso 1

Semana recheada

Seguir aprendendo

* Josué Brazil

Esta semana foi muito bem recheada com dois eventos: O Insights by Google, que aconteceu no Departamento de Comunicação Social da Unitau na noite de terça (24/10); e o 1°Meeting de Marketing Digital da RM Vale do Paraíba, realizado em SJCampos, no Yex Boliche do vale Sul Shopping. Nos dois evento o Publicitando teve participação, sendo que no primeiro citado acima foi realizador e no segundo foi apoiador.

Participar, realizar e apoiar eventos de comunicação, marketing, propaganda etc faz parte da missão do Publicitando. Este blog pretende promover e aprimorar o mercado de comunicação da RM Vale do Paraíba. Santa pretensão, Batman! Pois é, mas vamos tentando fazer o que está ao nosso alcance.

Parte fundamental de qualquer proposta para melhorar um mercado ou um segmento de atuação é a difusão e o compartilhamento de conhecimentos. Da teoria à prática, devemos impulsionar o conhecimento e a expertise em torno das coisas da comunicação. Só assim teremos um mercado melhor e maior. O discurso pode soar como antigo, mas ao menos para o Publicitando segue verdadeiro. Não abandonaremos essa crença.

Contar com pessoas inteligentes, interessadas e motivadas ao nosso lado faz toda diferença. Por isso este blog aproveita para agradecer ao Gilberto Marques pelo envolvimento em ambos os eventos: no Insights by Google por ter aproximado o Publicitando e o Departamento de Comunicação Social da Unitau ao pessoal da c3dweb (que ministrou a palestra) e por ter sido realizador, em parceria com a Laís Vieira, do Meeting.

Este que vos escreve em nome do blog esteve, é claro, presente aos dois eventos e aprendeu muito. Bastante mesmo!

No Insights by Google de terça última, ficou evidenciada a crescente e decisiva importância dos números (e da análise e compreensão estratégicas deles) para a comunicação mercadológica atual. Entender como os dados advindos do Google podem definir toda uma estratégia em torno de uma data promocional foi, no mínimo, enriquecedor.

Já no 1° Meeting de Mkt Digital o primeiro painel trouxe luz sobre questões simples, mas muito importantes, da atuação em marketing digital. Não dá mais para ser amador ou pretenso profissional neste segmento de atuação. O jogo é pra valer e é preciso estar bem preparado. O segundo painel contou com um show de conteúdo de Ale Santos e sua ótima explanação sobre gamefication + storytelling.

Não há outro caminho para seguir em busca de um mercado melhor senão o da disseminação de conhecimento e das boas práticas. Não existe um momento para parar ou deixar de aprender. Por conta disso, o Publicitando seguirá apoiando e realizando eventos sempre que possível. E quando parecer impossível também.

O Publicitando quer mais e mais. Podemos levar algum conteúdo para sua escola, faculdade, instituição ou empresa. É só nos chamar para conversar através do contato do blog.

Vamos todos seguir aprendendo! E fazendo!

Performance e experiência do consumidor

Não existe mídia de performance sem experiência do consumidor

Por Fernando Teixeira*

Quantas vezes você já foi a um evento ou leu um artigo de um profissional de marketing falando maravilhas sobre a incrível performance de marketing e mídia de uma empresa, enquanto você lembrava da péssima experiência que teve com aquela marca? Ligações insistentes, o banner que te persegue na internet, o vídeo que cobre a notícia inteira – cenas de praticamente um filme de terror. Filme, não: um seriado de episódios diários que jogam totalmente contra a proposta de cativar e fidelizar clientes e torná-los promotores das marcas.

Corriqueiras, as situações acima ilustram o status-quo: muitas vezes os profissionais de marketing trabalham tão focados na performance que se esquecem da não-performance. Comemoram uma taxa de clique (CTR) de 1% sem pensar que isso pode significar que 99% de pessoas não ligam para a sua mensagem. Isso mesmo: consumidores que não estão nem aí! Definitivamente, não querem vê-la ou assisti-la. Nessa toada, anunciantes muitas vezes compram mídia barata e gastam o mínimo em produção para derrubar o custo de aquisição (CPA) sem perceber que, na verdade, estão gastando para entregar experiências irrelevantes a muitas pessoas.

Esse custo de “não-CPA” ou “não-CTR” pode não ser contabilizado, mas tenha certeza: a conta chega. Cada experiência não relevante, não personalizada e intrometida da marca, torna mais difícil (e mais caro!) converter os não-consumidores. Mais do que isso, o efeito rebote é imediato: com esse tipo de experiência negativa que insiste em persegui-lo, o consumidor passará a odiar a marca.

O nível de exigência dos consumidores de hoje é outro. O sarrafo está lá em cima. Empresas nativas digitais como Amazon, Facebook, Airbnb, Uber e tantas outras oferecem uma experiência tão boa e consistente ao longo do tempo que acabam por se tornarem o “novo normal” em padrão de referência.

Vivemos uma era de experiências acumuladas. Todos os impactos positivos com a marca, em interações de milésimos de segundos, contam. As experiências negativas também. Quando tratamos especificamente da publicidade digital isso é ainda mais acentuado, pois – enquanto consumidores – cada vez menos aceitamos a interrupção da propaganda. Como resposta, recorremos aos bloqueadores de pop-up e pagamos por serviços para não ter propaganda. Não é que a propaganda virou vilã, mas sim que ela é simplesmente irrelevante para uma imensa audiência impactada pela campanha.

Para resolver esse desafio, a propaganda precisa da tecnologia. Esse casamento é essencial para entregar mensagens personalizadas, pessoa por pessoa, no contexto correto, no momento certo, no melhor site, pelo melhor custo para a marca. Hoje, graças à automação da publicidade, isso é possível ser feito em escala e com baixo custo. A automação para o marketing, a inteligência artificial e o aprendizado das máquinas são os elementos tecnológicos que viabilizam essa sinergia entre publicidade digital e consumidores. São estes recursos que ajudam o marketing a entregar o que as pessoas querem, na hora em que elas desejam, culminando na entrega de boas experiências e em maiores oportunidades de negócios. Bom para consumidores, bom para as marcas.

O ponto de partida para o perfeito desenrolar da experiência com publicidade digital está no conhecimento que as marcas têm de seus consumidores, suas audiências, e de como se comportam no ambiente on-line. Só depois disso a mídia é acionada. A compra de mídia com base em dados (data-driven) é assim: cresce conforme se adquire conhecimento, e não conforme foi negociada a verba.

A mensagem que as pessoas recebem deve ser personalizada, uma a uma. Depois do clique, a vida continua no site e nos apps. Nesses ambientes, o consumidor deve ser recebido com a mesma mensagem que viu na mídia. Um site deve se transformar em milhares de sites, um para cada audiência, levando-as até a conversão. Tudo isso contribui para o desenho de um ciclo virtuoso para a marca: mais conhecimento do público, novas experiências, campanhas, interações e – chegamos lá – performance/conversão.

Para entregar esse marketing sem rupturas, os gestores da área precisam entender de tecnologia. Devem aprender sobre sistemas, plataformas e dados. O novo marketing passa obrigatoriamente por APIs e integrações. É um marketing cirúrgico, pensado nos detalhes, podendo atingir mais ou menos gente até encontrar seu ponto ótimo – o ponto da melhor experiência para o consumidor e performance para a marca.

Como isso nem sempre significa comprar mais veiculação, muitas vezes os incentivos dos vendedores de mídia podem não estar alinhados com os do anunciante. É por isso que as marcas devem ser protagonistas, exigir transparência na cadeia e se estruturar com pessoas e plataformas. Terceirizar toda a operação de marketing pode significar deixar os incentivos da cadeia dominarem, cada um do seu jeito. O resultado é a proliferação do status-quo: a comemoração cega da performance de 1%, enquanto se gasta dinheiro da marca com mensagem que não interessa.

*Fernando Teixeira é head de advertising da Adobe para a América Latina.

Coluna Propaganda&Arte

A arte de criar valores falsos, mas bonitos para as marcas

Atualmente as empresas mais valiosas do mundo são Google, Apple e Amazon, respectivamente. Será que as empresas mais valiosas do planeta também são as que possuem os melhores valores para o planeta?

Toda empresa bem estruturada possui uma missão, visão e valores. Frases como: “Somos uma empresa sustentável”, “Nossa equipe prioriza materiais ecológicos”, “Nossos processos são transparentes”, são apenas algumas das mentiras que lemos muitas vezes em sites ou nas recepções das empresas. Mas se tudo isso é mentira, nós, publicitários, também somos culpados disso e eu explico porquê.

Quando se constrói uma empresa, pensa-se em tudo, inclusive na marca e nos valores que irão direcioná-la. O problema é que esses valores precisam vir antes das ações da empresa e não depois que já está em movimento e produzindo, para não se tornar uma camada artificial, cheia de propaganda bonita e frases “da moda” para vender algo que não é a essência da empresa.

Se a marca diz ser sustentável, mas não prova isso em nenhuma ação, seus vídeos, anúncios ou posts perdem peso e não são mais valorizados pelo público. Uma hora a verdade aparece e o que era um ponto positivo pode se tornar uma grande propaganda negativa.

A Google, empresa que mais valorizou nos últimos anos, tem se mostrado extremamente útil para as pessoas, investe em tecnologia, comunicação, se mostra muito preocupada com o futuro e a cultura. Muitas ações dela provam isso, como os ambientes de trabalho descolados, mais relaxados e divertidos que os padrões normais que imperam nos escritórios em todo o mundo.

As pessoas possuem valores e, por isso as marcas também devem ter. Isso ajuda na comunicação, na escolha das imagens, nas pautas, nas lutas, nas ações que devem ou não devem ser apoiadas. Se as empresas estão ainda batendo cabeça com assuntos polêmicos é porque não conseguem mostrar suas essências, onde querem chegar e como.

O futuro será de empresas que realmente são úteis para a humanidade com valores que a maioria concorda e defende. Ainda não vivemos 100% esse mundo, mas alguns fatos apontam para um dia em que você só irá consumir produtos de empresas que estão totalmente alinhadas com a sua forma de viver e entender o mundo. Ou seja, os valores das empresas serão os itens mais valiosos nas prateleiras dos supermercados.