Na atividade

Publicitário cria projeto solidário

O publicitário Daniel Calderaro, com cerca de 10 anos de atuação no mercado, deu um passo a frente e criou um projeto cuja finalidade é dar apoio às empresas que estão atravessando dificuldades em função da quarentena.

Ele batizou o projeto de Agência Solidária e a apresentou através de seus perfis nas redes sociais. Confira o texto escrito por Daniel e compartilhado na rede que explica a iniciativa:

“Pessoal, estava pensando por esses dias em uma forma de ajudar quem precisa a dar uma “alavancada” no seu “negócio” nessa fase difícil de quarentena!.
Com portas fechadas (ou quase fechadas), restrições de acesso, vendas, eventos, clientes, etc, etc, etc e tals… Sei que não tem sido fácil pra ninguém, em qualquer situação de negócios/produto ou serviço. Então venho aqui oferecer uma ajuda na área de comunicação, publicidade, propaganda e marketing, onde posso e consigo atuar com mais facilidade!
A ideia é bem simples: Tô chamando de AGÊNCIA SOLIDÁRIA!�Você que sente que precisa de uma ajuda aí nas redes sociais pra vender seu produto ou serviço, mas não sabe por onde começar…�Você que não faz propaganda porque acha caro demais…
Você que não consegue que seu produto/serviço chegue no seu público…�Você que tem uma ideia, mas não sabe por onde começar…�Você que conhece alguém que precisa de ajuda…
*ME CHAMA!*
Vamos conversar e juntos achar um caminho!
Minhas redes sociais estão abertas!
Sabe quanto isso vai custar?
*NADA!*
Essa foi uma forma que achei de contribuir para a melhoria da nossa vida em sociedade nesses tempos difíceis!
Sou publicitário por formação, e atuo nessa área a mais de 10 anos.
Estou trabalhando em casa nesses dias de quarentena e minha jornada de trabalho (e salário também… kkk) foi reduzida, portanto vou ter um tempinho pra gente conversar e trabalhar junto!
Amigos da comunicação (e demais áreas também) que quiserem se juntar nessa ideia da “Agência Solidária”, sejam bem vindos! @ Taubaté”.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Estágio em Social Media

Procura-se Estagiário em Social Media (para trabalhar home office até depois que acabar a quarentena)⁣


Requisitos
⁣⁣
– Cursando Publicidade e Propaganda, Comunicação Social, Marketing ou áreas afins⁣⁣
⁣⁣
– Familiaridade com Instagram, Facebook e YouTube ⁣⁣
⁣⁣
– Ter noções de Marketing de Conteúdo e Marketing Digital⁣⁣
⁣⁣
– Ter noções de como utilizar aplicativo de agendamento de postagens (trabalhamos com Mlabs)⁣⁣
⁣⁣
– Gostar muito de escrever e querer aprender sobre Copywriting⁣⁣
⁣⁣
– Excelente conhecimento da língua portuguesa⁣⁣
⁣⁣
– Disponibilidade de 6 horas diárias de segunda a sexta em horário comercial⁣⁣
⁣⁣
Diferencial:⁣⁣
⁣⁣
– Desejável experiência com Planejamento Estratégico de Mídias Sociais⁣⁣
⁣⁣
– Desejável conhecimento em facebook/instagram ads ⁣⁣
⁣⁣
A empresa oferece treinamento completo em marketing de conteúdo, copywriting e social media. ⁣⁣
⁣⁣
Estágio remunerado. ⁣
Envio de currículo por direct ou pelo meu email pessoal: tamaramachado00@gmail.com

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Plataforma promove live em apoio a empreendedores

Helpis promove live para ajudar empreendedores na crise

A Helpis, plataforma de comunicação online sediada em Taubaté, organiza nesta quinta (21) o primeiro episódio da série “Help On Live”, criada para dar aquela mãozinha aos empreendedores nesse período de crise.

A live será transmitida pelo Instagram da plataforma, @helpisbr, e contará com a presença de Suélen Corrêa, diretora comercial da Aprimore Assessoria Empresarial, empresa do Vale do Paraíba focada em auxiliar outras organizações a crescerem de forma saudável.

A transmissão será feita a partir das 20h e será apresentada por Patrik Melero, diretor de criação da Helpis. O tema do debate será a produtividade das empresas mesmo em época de pandemia. “Acreditamos que esse é o momento ideal em que a Helpis pode fazer sua missão principal, de ajudar as pessoas e empresas a se comunicarem melhor, chegar ainda mais longe”, comenta Melero.

Serviço

Help on live com Suélen Corrêa

Quinta-feira, dia 21, a partir das 20h

Transmissão no Instagram @helpisbr e @aprimore.assessoria

Fonte: Isadora Scama – Helpis Comunicação

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Na atividade

Novo player no mercado

Renata Cundari é o nome por trás da novíssima Tagarella Comunicação.

Segundo Renata, a Tagarella estava sendo maturada há quase um ano e tem como missão principal conectar pessoas e propósitos e em seu cardápio de serviços destacam-se Gestão de Mídias Sociais, Mentoria Online e Marketing Estratégico Digital.

Você pode saber mais acessando o site da Tagarella.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Na atividade

Americanas lança campanha “#EstarJunto é muuuito mais que estar perto” em homenagem ao Dia das Mães

Em comemoração à data, a marca vai oferecer condições especiais de pagamento, entrega rápida e até 10% de cashback

A Americanas sabe que, este ano, a comemoração do Dia das Mães vai ser um pouco diferente. Pensando nisso, a marca lançou a campanha “#EstarJunto é muuuito mais que estar perto”, que reúne diversos itens e condições especiais de pagamento para presentear quem você ama nessa data sem sair de casa.

São produtos de diversos departamentos, de informática, eletrônicos, telefonia, eletroportáteis a beleza, perfumaria e chocolates, com condições de parcelamento em até 12x sem juros no cartão de crédito, em compras feitas pelo site ou app. Além disso, quem pagar com o app Ame Digital poderá receber até 10% de cashback (parte do dinheiro de volta).

Para proporcionar uma compra segura, a marca conta com o “Entrega Rápida”. O serviço pode ser encontrado na opção “Compre e Receba Hoje”, disponível no site ou no app, em que o cliente pode inserir o CEP e escolher a loja Americanas mais próxima. Com a loja selecionada, basta escolher os produtos desejados, fechar o pedido e aguardar a entrega. É possível também comprar e agendar a entrega para o CEP da casa da mãe do cliente. Antes de ir às compras, a marca recomenda a verificação das regras do serviço disponíveis na aba “Receba Hoje” do site.

Para facilitar ainda mais o acesso aos produtos, a Americanas disponibiliza também o hotsite nasuacasa.lojasamericanas.com.br. Nele, o cliente consulta a disponibilidade do serviço de entrega para o CEP informado e é direcionado para o WhastApp da loja mais próxima para realizar o seu pedido.

E para surpreender as mães, os clientes poderão criar, mesmo de longe, um vídeo temático em comemoração à data. Basta selecionar algumas fotos e disponibilizar via Messenger, no Facebook da Americanas. Em instantes, o vídeo estará pronto para download e envio para as mães.

Fonte: In Press/Porter Novelli

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Coluna Propaganda&Arte

Tudo vai (realmente) mudar depois da pandemia?

Ainda estamos no olho do furacão. Alguns dizem que as coisas vão piorar, outros ainda acreditam que tudo é uma conspiração, mas afinal: a propaganda e toda nossa compreensão do mercado vai realmente mudar após a covid-19?

Nós aprendemos na faculdade que a propaganda mostra aquilo que as pessoas querem, desperta desejos e nos oferece soluções, certo? E se todo o sistema que conhecemos estiver mudando, não só por uma mudança brutal da economia, mas por mudanças nas pessoas, como seres humanos? Isso pode mudar a regra do jogo e mudar DE jogo.

Eu trabalho com marketing e publicidade há mais de 10 anos e sinto que a partir de 2020, as pessoas vão começar a valorizar outros aspectos, muito além de produtos e marcas. As pesquisas de comportamento apontam a segurança como o principal atributo das marcas do futuro. Na verdade, já é do presente.

Ninguém está mais vendendo, ninguém mais quer falar de produto e com razão

Todas as campanhas que estou vendo/produzindo são ou 100% comerciais (como o serviço de delivery) ou 100% conteúdo para informar, entreter, auxiliar as pessoas. No final, as marcas estão tendo que ser mais humanas na marra. Claro, estamos revendo nossa Humanidade, nosso papel e nossa força como grupo.

Marcas globais e regionais estão buscando soluções, tanto comerciais como de comunicação. A hora da grande virada da propaganda parece que chegou, principalmente a digital. Quem está no celular nesse momento? Em casa? Todos nós (ou deveríamos). Quem está vendo mais séries do que nunca, vídeos no Youtube e canais pagos cheios de propagandas? Nós. Isso mesmo.

Image by fernando zhiminaicela from Pixabay

As agências estão revendo formas de trabalhar, os clientes delas também. Todo mundo quer entender o momento, quer superar essa fase, ver um cenário melhor. E tudo só vai melhorar quando a comunicação for eficiente. Das marcas, governos e pessoas. As mensagens de união e esperança parecem disputar espaço com as manchetes de desespero e angústia. A voz de uma marca agora não parece mais alta do que de uma pessoa. Todos têm valor, mas o que dizer nessa hora?

(Silêncio)

Desafio: pense em uma marca que está se sobressaindo nesse momento

Conseguiu pensar em alguma? Provavelmente você ficou sabendo de alguma empresa fazendo doações para hospitais, famílias, etc. Ou então ajudando de alguma forma filantrópica, mas nem todas estão divulgando. Parece que agora a propaganda percebeu que precisa ser real. Propaganda para mostrar que ajuda não pode ser mais importante que a própria ajuda. Ou seja, o marketing pensando na imagem só pela imagem não se sustenta.

Marcas mais humanas para pessoas mais humanas

Eu sei que muita coisa ainda vai acontecer e está acontecendo na vida de cada um. Estamos mais conectados, mais ligados, mais próximos e distantes. Esse dicotomia é reflexo de uma transição que já estava acontecendo e só vai acelerar daqui pra frente. Você quer se relacionar com marcas verdadeiras e com pessoas reais. Mesmo que esse contato seja virtual, pois agora, mais do que nunca, o virtual nunca foi tão real. Que esta mudança seja um ótimo motivo para nos tornarmos pessoas melhores. Assim, as marcas vão precisar acompanhar, afinal, para quem nós vendemos mesmo?

Fique seguro, cuide dos outros e se comunique melhor.

#FiqueEmCasa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Coluna “Discutindo a relação…”

Momento de adaptação e mudança acelerados

As mudanças impostas pela pandemia do virus Covid 19 impactaram todos os setores da atividade econômica mundial, brasileira e, óbvio, regional. Esses impactos tiveram que ser absorvidos em prazo de tempo curtíssimo pelas agências, veículos e fornecedores de nossa região.

Discutir a relação tem sido fundamental para superar esse momento complicado e absolutamente único em nossa história.

O Publicitando foi buscar a opinião de algumas lideranças regionais para entender como tem sido a adaptação principalmente à necessidade do trabalho remoto. Veja na sequência o que eles nos disseram:

Eduardo Costa – Resultage

Aqui na Resultage entramos em home-office no dia 18/3, alguns dias antes do anúnciio oficial da quarentena na cidade.

Já tínhamos uma certa cultura de home office esporádica, em casos de doença ou compromisso, o colaborador já fazia isso. Mas foi a primeira vez que isso aconteceu massivamente.

Quem não tinha um computador em casa levou a máquina. Na rotina, como tínhamos processos e ferramentas bem estruturadas , não foi tão difícil.

Eu tenho 2 times bem específicos: o de desenvolvimento, que cuida basicamente do Widgrid, nosso produto que é um CMS para construção de sites e o time de Mkt digital.

Cada time tem ferramentas próprias de gerenciamento de projetos e tarefas (Trello, no Widgrid e Basecamp no Mkt DIgital), o que facilitou muito a adoção em massa.

Cada time criou seu processo de reunião diária. Como exemplo, no Mkt, todo dia de manhã o time se reúne via call usando Hangout e faz uma mini reunião (como os daily meeetings do Scrum) onde é analisado o dia anterior, erros, acertos e problemas surgidos e depois traçam-se as tarefas macro do dia , que já estão no Basecamp em detalhes. E durante o dia, micro-reuniões sobre assuntos específicos ou micro-gerenciamento de alguns colaboradores ou assunto específico.

Quanto aos clientes, assim como todos tivemos reduções, cancelamentos e congelamentos, mas estamos abraçando a todos eles, independente de escopo, contrato ou assinatura pois nossa meta é ajudar a todos nesse momento já que o lema é não deixar ninguém para trás.

Nos adaptamos ao momento , estamos preparados para continuar assim o tempo que for necessário, fazendo as adequações que houverem. Estamos dando consultoria para alguns clientes e amigos sobre processo, inclusive. Gerei uma aula que dei para empresários sobre a crise, como se adaptar a esse momento.

Telma Marcondes – Qualicom Diálogos Estratégicos

Estamos há 36 dias em trabalho remoto. Como já é rotina uma reunião online semanal com os atendimentos in-house dos clientes, mantivemos a prática com toda equipe, intensificamos as conversas entre departamentos e centralização de informações no sistema de gerenciamento de projetos.

Além disso, estamos priorizando as reuniões com vídeo para não perdermos a identidade da equipe e tb trabalhando em projetos de comunicação que apoiem comerciantes locais a manterem seus negócios e empregos aqui na nossa região.

Bom humor e alegria! Fotos de gente queimando arroz, pano de prato queimado, pets queridos, doces e cenas do distanciamento da família. Distantes, mas juntos!!!

Gustavo Gobbato – Alchemy

Em face ao trabalho remoto, nós já havíamos nos adaptado ao Home Office há 3 anos, quando deixamos a operação física a um mínimo. Com equipe in company no cliente e uma sede compartilhada com a Holding da qual fazemos parte.

A gente não teve dificuldade porque já vivemos isso e temos um aprendizado já há algum tempo. Temos software de gerenciamento de atividades, o que auxilia muito.

Estamos acostumados a nos falarmos o tempo todo e aos grupos de whatsapp. O mesmo acontecendo com clientes, com quem a gente se relaciona digitalmente apesar das distâncias, já que a maioria de nossos clientes não está na região do Vale.

O maior desafio está sendo por conta dos fechamentos devido ao isolamento. Nossa carteira tem como base os clientes de varejo, que diante do isolamento, reduziram ou suspenderam contratos. Isso trouxe um movimento de redução indesejada do time, pois vínhamos em crescimento extremamente forte nos últimos 3 anos com metas ambiciosas, mas realizáveis para 2020, que agora já estão sendo revistas.

A bem da verdade, elas já foram revistas e estamos já na fase de implantarmos o plano de ação para nos adequarmos.

Lucas Rodrigues – Casa 33

Aqui na agência já tínhamos o hábito do trabalho remoto, então esta adaptação foi tranquila.

Tivemos apenas que adaptar as reuniões por vídeo conferência. Desde de o começo mantivemos a relação de parceria com os clientes nos disponibilizando a ajuda-los neste momento de crise.

Não sabemos quanto tempo ainda vai durar, mas estamos juntos, criando e buscando oportunidades para ajudar a economia local.

Vitor Morais
Diretor de Criação e Conteúdo na Supera (Agência de Comunicação especializada em Estratégia e Cultura Organizacional)

Naturalmente, a gente já tinha o desafio de fazer os alinhamentos e processos com equipes trabalhando de diferentes lugares. Por exemplo, toda a criação está na unidade de São José dos Campos, mas temos profissionais na unidade de São Paulo, em Fortaleza, em Salvador, alguns que ficam dentro dos clientes, então o nosso cotidiano já é muito organizado por plataformas e relações digitais.

Mesmo assim, as equipes 100% em home-office, por tanto tempo, foi uma adaptação diferente. As rotinas específicas de cada área precisaram ser migradas para plataformas, as interações com outras equipes precisam de um aviso prévio (Pode falar agora? Vamos fazer uma vídeo?), os processos colaborativos precisam ser provocados; caso contrário, o trabalho passa a ser individual. Mas nada é impossível, e de fato o isolamento reforçou essa possibilidade.

Fizemos uma mobilização para entender se todas as equipes tinham os recursos básicos, alguns profissionais precisaram levar o desktop para dar conta de edições mais pesadas, organizamos todo um acesso remoto para possibilitar que todos continuem acessando os arquivos necessários.

A gente já usava um sistema interno, além do Workplace, então a adaptação da rotina foi muito mais uma questão de incentivar as conexões digitais e intensificar nosso uso dessas ferramentas. Para ajudar, a gente está produzindo pílulas com dicas práticas e mensagens diárias para manter o engajamento.

Alguns trabalhos foram congelados, como treinamentos presenciais e pesquisas, mas em geral as demandas continuam. Até apresentar concorrência por videoconferência já aconteceu. De certa forma, vejo que a situação nos acelerou a tomar uma decisão que estava ali na frente: flexibilizar o formato de trabalho.

Deborah Meister – Triadaz – Propaganda e Marketing

Bom, embora alguns já fizessem home office, ainda tínhamos o hábito da equipe reunida. Percebemos a possibilidade de migrar para o home office antes de ser declarada a pandemia, o que nos deu tempo de preparar um pouco mais a nós e a equipe.

Estamos trabalhando remotamente desde o dia 16. Entendemos que muitos funcionários vivem e convivem também com idosos e isso valia para resguardar todos.

Assim, desenhamos uma nova rotina há um mês. Desde então, Skype tem sido a principal comunicação interna da agência. Com os clientes, muitos deles já estavam habituados com o uso de meios digitais, assim sendo, apenas uma ou outra reunião teve a plataforma alterada, migrando para zoom, FaceTime, WhatsApp e afins.

No geral, acho que chegamos numa nova normalidade. Todos da equipe já nos adaptamos, conseguimos prover máquinas e acessos a servidores, bancos de imagens e afins.

E os “bom dia”, cafezinho e reuniões continuam, só de uma outra forma.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Vaga para designer gráfico

Vaga para designer gráfico

A Agencia Soul está em busca de um designer gráfico para compor seu time. Preferência por recém formados.

O novo contratado fará:

Produção da identidade visual da agencia e dos produtos e programas

Criação e manutenção das plataformas digitais

Produção de artes para redes sociais.

Interessados devem enviar currículo e portfólio para: araujowilliam87@gmail.com

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Helpis lança projeto de consultorias gratuitas

Plataforma de Taubaté lança projeto para ajudar autônomos na crise

A Helpis, plataforma de estratégia e mídias sociais, oferecerá consultorias totalmente gratuitas a autônomos e pequenos empreendedores durante crise

A crise econômica causada pelo novo coronavírus (COVID-19) pegou todos de surpresa, mas quem sentiu a dor no bolso foram, principalmente, os pequenos empreendedores e os trabalhadores autônomos. Forçados a fecharem as portas ou a suspender seus serviços repentinamente na quarentena, muitos estão ficando sem saber como reagir para continuar a manter o faturamento nesse período.

Foi pensando nisso que a Helpis, uma marktech – plataforma que alia tecnologias online com o marketing – de Taubaté, iniciou a campanha #DêUmHelp, que consiste em oferecer uma consultoria gratuita a todos os autônomos ou pequenos empreendedores que estão com problemas nos seus negócios a passarem por esse momento de crise sem grandes perdas. “Entendemos que o marketing é algo que deveria ter começado bem antes da crise nessas empresas. É algo contínuo, não deve ser feito só quando se está na pior… Muitas vezes, são nessas horas que os resultados mais aparecem e a diferença entre comprar em uma empresa ou na sua concorrente se evidencia”, conta Patrik Melero, diretor de criação da plataforma.

Patrik Melero

As consultorias podem ser escolhidas pelos empreendedores em duas áreas: criação de conteúdo, que é será ministrada pelo próprio Patrik, dando dicas sobre marketing de conteúdo e de influência de acordo com o negócio da pessoa ou na área de finanças pessoais, que é dada pelo Gabu Camacho, responsável pelo Jornalista Econômico, veículo de finanças pessoais simplificadas, também de Taubaté. “Fizemos essa parceria com o Gabu, que é nosso cliente, de forma a expandir os horizontes desses autônomos. O marketing é importante, mas saber separar as finanças pessoais e empresariais também”, completa Melero.

Para participar das consultorias, os interessados devem entrar no Instagram da plataforma (@helpisbr) e comentarem na postagem respectiva ao assunto que precisa de ajuda. O serviço é totalmente gratuito e será agendado de acordo com a disponibilidade dos profissionais envolvidos e dos interessados, sempre por meios digitais. “A única coisa que estamos pedindo em troca é que o empreendedor poste uma imagem que deixamos disponível na nossa conta em seu Instagram, indicando três profissionais autônomos que admira. Dessa forma, criamos uma grande corrente de indicação e auxílio mútuo”, finaliza Patrik.

As consultorias poderão ser solicitadas e agendadas até o final de abril ou até atingirem o fim das vagas.

Fonte: Isadora Scama – Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Dança das cadeiras (edição especial)

Mudança em liderança de agência

O publicitário Thiago Luz anunciou recentemente sua saída da sociedade da agência Árvore, localizada em São José dos Campos.

O publicitário Thiago Luz

 Thiago tornou pública sua decisão em um texto postado nos seus perfis de redes sociais. Reproduzimos o texto abaixo:

MINHA SAÍDA DA ÁRVORE

Você acorda todo dia e se enche de esperança? Acreditando que as coisas vão dar certo? Sinto dizer, mas você não acordou ainda.

“Esperança” é uma palavra inspiradora em alguns contextos. Se você naufragar no mar – por exemplo – a esperança poderá manter você vivo (tom hanks que o diga). Mas no mundo dos negócios não dá pra esperar milagres acontecerem.

É preciso que você saiba que a Árvore está bem e tenho fé de que, mesmo com a minha saída, vai continuar firme com as raízes fortes que têm.

Há alguns anos, a minha conta “ação + realização” não fechava mais. A vida vinha me cobrando caro por eu não dar ouvidos a quem mais precisava de mim: eu.

Em 2010 criamos o que se tornaria uma das agências mais premiadas do mercado, quando me dei conta, putz, 10 anos se passaram. Neles realizei sonhos, me tornei conhecido, trabalhei para marcas gigantes e conheci muita gente foda.

Mas chegou um momento em que eu não me reconhecia mais ali.

A empresa foi se desprendendo do que eu acreditava, cada galho em uma direção, e um sentimento de que minha missão ali havia sido cumprida.

Decidi fechar a conta, levantar da cadeira que eu estava sentado e começar a agir para responder as perguntas que a vida estava me fazendo e eu não conseguia responder.

Mergulhei em um recomeço, troquei o “medo de perder” por “o que eu tenho a oferecer?”. O “quero 1 milhão de reais” por “quero ajudar 1 milhão de pessoas”, troquei também a “esperança” pela “ação”.

Saio da Árvore sentindo muita gratidão por tudo que conquistei, por todas as pessoas que convivi e por todas as transformações em minha vida. Assim como uma árvore no outono, deixo minhas certezas e crenças caírem, para que na próxima estação eu possa crescer de outro jeito, em outro lugar, em novas formas.

Gratidão à minha família, por segurar a barra e me apoiar em minhas decisões. Gratidão a todos os clientes, fornecedores e parceiros (muitos me seguem aqui). Gratidão aos meus ex-sócios pela longa caminhada. Gratidão aos colaboradores que ficaram por lá, máximo respeito.

Seguimos forte: Eu, meus valores na armadura e um propósito na espada.

A Árvore continuará atuando sob o comando de Lucas Bornal e de Ramon Toledo.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0