Atuar como microinfluenciador pode ser uma opção de renda

Ser influenciador é alternativa para voltar ao mercado de trabalho

Segundo a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo IBGE no final de setembro, a queda da taxa de desemprego tem sido puxada pelo aumento do número de postos informais. Entre junho e agosto, foram registrados 12,7 milhões de desocupados, 4,8 milhões de desalentados e a taxa de subutilização era de 24,4%. Uma das alternativas encontradas por aqueles que não conseguem uma vaga formal é atuar em mídias sociais.

Chamadas de microinfluenciadoras, estas pessoas contam milhares de seguidores e atuam em nichos de mercado. Têm conhecimento sobre temas específicos e, por isso, chamam a atenção de alguns públicos que interessam às empresas. Por isso, acabam divulgando os produtos de forma efetiva, gerando mais conversões – negócios.

Mesmo que a pessoa esteja fora do mercado de trabalho, pode se engajar nas mídias sociais de forma a cativar públicos específicos. Ao fazer vídeos didáticos sobre como pintar uma parede, escolher a cor e como combinar com os móveis, um arquiteto conquista as pessoas que estão interessadas em reformar sua casa. Por que não associar uma marca a estas recomendações? Este tipo de material vale ouro para as empresas e muitas pessoas abandonaram seus empregos formais para viver disso.

Há influenciadores que têm poucos seguidores, mas que possuem grande credibilidade perante pessoas que se interessam por diferentes temas, desde informática a finanças, fitness a pets, o que permite que eles influenciem decisões de compra. É isso que as empresas querem, pois, ao invés de pagar fortunas para que uma celebridade mencione suas marcas nas mídias sociais eles têm o alcance sobre públicos que podem utilizar seus produtos e resultam em leads de melhor qualidade.

A valorização desse tipo de internauta se deve ao fato de que, com um investimento bem modesto, atingirem diretamente quem interessa às companhias. No entanto, as empresas que procuram influenciadores com esse perfil sofrem com um problema: ninguém sabe como encontra-los e mensurar o engajamento gerado. A questão que se impõe é como unir as empresas e estes influenciadores espalhados por todo o Brasil. Neste sentido, a tecnologia vem a facilitar a conexão. Plataformas específicas para isso, funcionam como uma espécie de “agência de modelos”, unindo o perfil do influenciador com a necessidade da empresa.

Além disso, o profissional de marketing consegue remunerar o microinfluenciador conforme seu alcance. O ideal é que as plataformas ranqueiem estes profissionais com notas diárias, pois sua influência muda a todo o momento. Ser influenciador pode ser uma saída para driblar o desemprego ou complementar a renda e a Inflr está entre as recrutadoras do mercado.

Thiago Cavalcante é sócio-fundador da Inflr

Fonte: Compliance Comunicação – Ana Borges

Como bombar meu Instagram?

Especialista dá dicas para garantir o engajamento e o aumento de seguidores

Há cerca de 8 anos, em meio ao boom das redes sociais, o mundo conheceu um novo aplicativo: o Instagram. Diferente de outras mídias populares na época, o Instagram incentivava apenas o compartilhamento de fotos, oferecendo filtros e opções de edição que davam um ar profissional as imagens, o que fez com que a ferramenta conquistasse e aumentasse seu número de usuários consideravelmente ano a ano.

Além de popularizar uma nova forma de informação e interação entre o público da internet, o Instagram se transformou em um dos principais canais utilizados por marcas e empresas para alcançar clientes em potencial. E para destacar as principais formas de conseguir aumentar o engajamento e ganhar muitas curtidas e seguidores, a especialista em branding e professora do pioneiro curso de Digital Influencer do Centro Europeu de Curitiba, Lizi Zue, preparou uma lista com dicas preciosas para quem deseja bombar no Instagram.

Conteúdo relevante: para a especialista, é fundamental que as fotos, vídeos, sorteios e divulgações estejam alinhadas as necessidades e interesses do público alvo do perfil.

Visual: segundo Lizi Zue, outra boa dica é buscar um posicionamento visual interessante. “Um feed organizado com uma característica marcante e harmonia entre os conteúdos, é uma das formas mais eficazes para atrair o público”, detalha a especialista.

Stories: use e abuse dos vídeos e fotos nos stories. “É uma ferramenta maravilhosa para ampliar seguidores, pois gera uma aproximação maior com o público, além de oferecer opções como as enquetes, hashtags e perguntas possibilitam muita interação e ajudam a identificar o perfil do público e os conteúdos que mais interessam”, comenta a Lizi Zue.

Parcerias: outro ponto relevante apontado pelo especialista é o de marcar outras pessoas, marcas, locais e hashtags, para aparecer para outros seguidores além dos seus.

Eventos: “Participar de festas e acontecimentos de interesse para o público alvo, além de ser uma ótima fonte de conteúdo, também ajuda a ampliar a rede de contatos e cria a oportunidade de aparecer para novas pessoas”, afirma a especialista.

Regularidade: Lizi Zue explica que a palavra chave quando se trata de Instagram é conteúdo, “O conteúdo que você oferece é o que vai atrair o seu público, e neste ponto a regularidade de postagens é crucial. Você precisa aparecer para os seus seguidores e isso só acontece com postagens diárias”, explica.

Nicho de mercado: Em um universo em que todos têm muito o que falar, encontrar um nicho específico de público é uma ótima estratégia. “É preciso entender o perfil e as preferencias do seu seguidor principal e oferecer o que ele espera, pesquisando, planejando e sendo profissional em todos os pontos de contato”, completa Lizi.

Fonte: P+G Comunicação Integrada – Caroline Rodrigues

O futuro da TV Conectada

TV, TE VI: o futuro é conectado

Por Rafael Pallarés, General Manager da Telaria no Brasil*

Fico pensando sobre Assis Chateaubriand em 1950, quando fundou o primeiro canal televisivo no Brasil, a TV Tupi. Por muitas décadas o princípio “dessa televisão” era ser um receptor, ou seja, uma caixa que transmite conteúdo vindo de outros lugares. Depois de alguns anos, os nossos hábitos de audiência evoluíram, principalmente depois do advento do cabo nos anos 1970. Esse progresso não parou, lembro que passamos por alguns formatos, até chegar nos modelos de distribuição de streaming e over-the-top (OTT, qualquer app ou website que entrega conteúdo em streaming via internet), que também é conhecido por um termo genérico para descrever o que a TV se tornou: TV avançada, que representa a convergência da TV tradicional com o streaming de vídeo fornecido por plataformas OTT e TVs conectadas.

Foto: Pixabay

Essa evolução é tão evidente que o consumo de televisão com hora marcada está morto! Isso mesmo, morto, pelo menos entre Millennials (nascidos após 2000) e a GenZ (os nativos digitais nascidos em meados da década de 90), que em alguns poucos anos vão comandar o mercado de consumo. Os jovens de 18 a 34 anos já dedicam 24% do tempo de consumo de TV nos Estados Unidos a TVs conectadas, em comparação a 10% entre toda a população adulta, de acordo com estudo recente da Nielsen. Eles esperam assistir o que eles querem, quando eles querem e da forma que eles querem. Isso mesmo, estamos falando de streaming, de VOD (vídeo por demanda).

E essa mudança de comportamento está recriando a indústria de mídia, produzindo novos modelos de negócio. A Netflix, com seu investimento de US$ 8 bilhões, é o exemplo mais proeminente, mas há outras dezenas de bilhões sendo investidos em produção de conteúdo para streaming por empresas como Hulu, Amazon e Apple, além de fusões multibilionárias, derretendo e recriando modelos que nascem da intersecção de mídia, ad tech e telco a se sucederem. Disney e Fox, AT&T e Warner Media são casos recentes, e a evolução da Roku, de um hardware para o consumo de vídeo para um ecossistema de conteúdo, distribuição e publicidade segmentada é outro exemplo da transformação pela qual a indústria está passando.

No Brasil, que tem enorme tradição com TV, a tendência não é diferente. E mais, a receptividade a anúncios nos torna um mercado de alto potencial para um futuro AVOD (ad-based video on demand). Um estudo recente da Telaria com painéis em cinco países, incluindo o Brasil, mostra que somos o mercado que mais bem aceita a publicidade como uma troca para acessar conteúdo de qualidade. A única coisa que não dá para esquecer é que Millennials e GenZ toleram – até gostam da publicidade e a tratam como Conteúdo – mas desde que ela seja relevante e altamente personalizada. O que é boa notícia, pois as TVs conectadas reúnem o melhor dos dois mundos, a experiência lean back de consumo de vídeo associada às possibilidades de segmentação do ambiente digital, com 100% de viewability e 95% de completion rate (taxa de conclusão de vídeo), já que é non-skippable.

Imagem: Pixabay

Então, quem diria, a TV está mais viva que nunca. O que muda é a forma de ver. O OTT cresceu 200% em audiência no mundo nos últimos três anos, e muitos produtores de conteúdo premium estão surfando a onda. No Brasil, onde TV linear, tradicional, tem qualidade e um alcance gigantesco ainda há muito espaço para convívio amigável entre o que foi e o que será.

Mas o ambiente para o streaming já existe, e as oportunidades para os produtores de conteúdo de conquistar audiências e para as marcas de conversar com seus públicos já está aí. E você, não vai aproveitar essa oportunidade? Recomendo você dar o play, não perca tempo.

*Rafael Pallarés, General Manager da Telaria no Brasil, é especialista em Ad-tech, Marketing e Mídia com foco em publicidade programática, streaming de vídeo e TVs Conectadas.

Shopping e rádio lançam campanha de arrecadação de brinquedos

Via Vale e Jovem Pan promovem campanha “Faça uma criança feliz, doe brinquedos.”

Ação do Via Vale & Jovem Pan visa arrecadar brinquedos para doação às crianças da Associação Vida Nova

Quanto vale o sorriso de uma criança?

Neste Dia das Crianças você pode fazer uma criança ainda mais feliz! O Via Vale Garden Shopping em parceria com a Jovem Pan, promove a Campanha de Doação de Brinquedos “ Faça uma criança feliz”. Até 12 de outubro os clientes podem participar doando um brinquedo novo ou em bom estado e ainda concorrer a dois super videogames relançamento da Atari. A arrecadação final será entregue para as crianças da Instituição Associação Vida Nova.

Para concorrer aos videogames basta realizar sua doação no balcão de atendimento Concierge, preencher um cupom e depositá-lo na urna no mesmo local. O sorteio será realizado no dia 15 de outubro e os ganhadores serão divulgados nas redes sociais do shopping.

Caso os clientes não queiram participar do sorteio, a doação também pode ser feita deixando os brinquedos diretamente na ‘Loja dos Sonhos’, no segundo piso do Via Vale – próximo a loja Constance.

Entre nessa brincadeira e participe!

Informações:

Período: 1 a 12/10

Local de Doação: Balcão Concierge ou Loja dos Sonhos, Via Vale Garden Shopping

Horário: funcionamento do Shopping

Um pouco do que foi o Festup Tendências

Mudar para tratar de mudança

Josué Brazil

No último sábado tivemos a volta do tradicional evento da APP (Associação dos Profissionais de Propaganda) voltado para os estudantes de comunicação, o Festup. Depois de um hiato em 2017, o Festup voltou repaginado. E com novo nome: Festup Tendências.

Mudou basicamente em dois aspectos: o local e o número de dias (e por consequência o número de palestras). O festival que tradicionalmente acontecia na FAAP foi realizado na ESPM. Eram dois dias, sábado e domingo, e agora ocorreu apenas no sábado.

Eu, Gerson Mario (professor) e a turma de alunos que compareceram aos Festup Tendências

Permaneceu o modelo de auditórios identificados por cores, cada um com uma grade de palestras que ocorrem simultaneamente. Só que neste ano tivemos três auditórios (amarelo, azul e vermelho). O line up estava bem equilibrado, de modo que os três auditórios eram igualmente atraentes.

A ideia, expressa no novo nome, é tratar de tendências do mercado de comunicação. Para tanto, palestrantes de outras áreas e atividades foram escalados para palestrar. Como disse André Porto Alegre, diretor da APP, na abertura: “o Festup sempre tentou mostrar como a propaganda era feita, agora queremos mostrar como ela deverá ser feita”.

Como tenho o privilégio, como professor, de usar um crachá branco e poder circular livremente por todos os auditórios, fiz uma costura que julguei interessante entre os diferentes conteúdos. Vou tentar falar um pouquinho do que vi e ouvi.

Comecei pelo auditório azul com a palestra de Marcelo Tripoli, da MCKinsey. Ele focou sua palestra no cenário digital, no uso de dados e numa comunicação assertiva e de performance. Mostrou que o big data e a inteligência de negócios vão conduzir a comunicação a outro nível de atuação.

Marcelo Tripoli, MCKinsey

Na sequência troquei de auditório e fui acompanhar a fala de Luis Renato Lui, da Tribal Worldwide. E foi muito bom! Ele abriu o jogo. Mostrou todo o “modus operndi”de sua agência e como seu modelo de atuação tem atraído novos clientes. Ele disse que a Tribal é uma agência “end to end”: comunicação para além do plano de mídia, construindo plataformas de negócio. A Tribal promove a junção, a síntese de stories+systems, apostando em ser uma agência líquida.

Luis Renato Lui da Tribal

Ainda pela manhã acompanhei a interessante palestra de Tati Oliva e sua Cross, agência de parcerias. Uma proposta de atuação muito interessante e calcada na construção de parcerias entre marcas para a geração de novos negócios. E também a palestra de Patricia Santos, do Empregueafro, que baseou sua apresentação no projeto desenvolvido junto a uma grande agência de propaganda para a inserção de jovens negros e no quadro de desigualdade racial do país. Conheça aqui o Empregueafro.

Almoço com meus alunos…

Depois presenciei a melhor palestra do dia: Ana Cortat da Hybrid Colab dando um show de lucidez e discurso fluído e rico. Ela tratou dos quatro fatores impulsionadores da nova economia e mostrou que aspectos como igualdade e diversidade são urgentes e necessários para um maior desenvolvimento econômico e social. Um show. Nem consegui fazer anotações…

Ana Cortat, Hybrid Colab

Logo depois vieram Alessandre Siano do Finacial Times e Thabata Guerra da Must Music Academy. Misturei as duas assistindo um pouco de cada, mas estava cansado pós almoço e pouco aproveitei. Falha minha…

Acordei com a palestra da Wieden+Kennedy. Vitor Abud apresentou o projeto Os Kennedys e trouxe o grupo que atualmente usufrui da oportunidade de inclusão gerada pelo programa. Muito bacana ver jovens de origens tão distintas apaixonados pelo universo da propaganda.  A Wieden+Kennedy marcou um golaço!

Fábio Tachibana e os Kennedys 2018

Para fechar o dia fui assistir a fala de Fábio Tachibana da Grey Brasil. O tema da palestra foi “Mídia que não tem cara de mídia”. Fábio é profissional de mídia por origem, mas mostrou que a Grey fundiu as áreas de Mídia, Data e Conteúdo. Explicou os desafios que virão com o novo modelo e apresentou cases excelentes da agência, como este aqui.

Para finalizar só resta dizer: novo modelo de Festup 100% aprovado. E que venha o Festup Tendências 2019!

Formato de áudio trata de diversidade na propaganda

Diversificar é preciso!

Mais um conteúdo de áudio e desta vez o assunto gira em torno da busca do mundo da comunicação pela diversidade.

Vale a pena conferir! E se quiser ouvir todos os programetes já produzidos é só clicar aqui.

 

Nova sede no Vale

Record TV Vale inaugura nova sede e amplia operações no Vale do Paraíba

Presente em 39 cidades, a Record TV Vale fortalece sua operação e inaugura em São José dos Campos a nova sede da emissora, reafirmando o seu compromisso com a comunidade do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. Os investimentos da ordem de 3 milhões de reais possibilitaram, além do novo espaço, a aquisição de novos equipamentos e a implantação do sinal digital nestas cidades.

Já em operação na região desde 2009 por meio da atuação comercial e de equipes de reportagem para a cobertura jornalística, a Record TV Vale segue para um espaço amplo e moderno, localizado no edifício Hyde Park do Jardim Aquárius, em São José dos Campos, e foi projetado para que todos os departamentos trabalhem de forma integrada. A redação ganhou uma roupagem em formato “News Room”, integrando estúdio e jornalismo.

“Este é um momento de expansão, quando a Record TV Vale consolida um projeto iniciado há anos, o qual sempre projetamos incrementar ainda mais conteúdo regional de qualidade e possibilidades ao mercado joseense, do Vale e Litoral Norte. A hora chegou e quem ganha são os telespectadores, os anunciantes e o mercado publicitário”, conta Mário Toledo, Diretor Comercial da Record TV Vale.

João Batista Rodrigues, Diretor Executivo da Record TV Litoral, acrescenta que esta decisão representa um salto para a renovação da emissora. “São José dos Campos tem em seu DNA muito empreendedorismo e inovação, que vem de encontro também com o momento vivido pela Record TV Vale. Por este motivo, escolhemos esta macroregião para a ativação de um novo ciclo da emissora na região”, conta.

“Reinventar é a nossa marca e somos entusiastas para que este crescimento sustentável traga também benefícios, geração de negócios e novos empreendimentos para todos”, declara Marcelo Dantas, Diretor Administrativo da Record TV Vale.

Com 65 anos de atuação na TV brasileira, a Record TV é a segunda rede mais assistida de todo o país. Oferece uma programação de qualidade em seu conteúdo de entretenimento, como também um jornalismo imparcial e comprometido pela busca incansável pela verdade. Em São José dos Campos, Vale do Paraíba e Litoral Norte, a regional já atua desde 2009 retratando o desenvolvimento sócio econômico da região e desta vez mais integrada irá contribuir ainda mais para a expansão de toda a região.

Fonte: Agência Cápsula – Cimey Gadelha

Prêmio para mídia OOH

ABOOH lança Prêmio OOH de Criatividade

A Associação Brasileira de Out Of Home (ABOOH) vai premiar as três agências de propaganda ou anunciantes que tiverem os melhores trabalhos na mídia out of home, com a 1ª edição do Prêmio OOH de Criatividade. As inscrições são gratuitas e feitas mediante preenchimento e envio do formulário de inscrição, disponível no http://premiodecriatividade.abooh.com.br, até 30 de setembro de 2018. A iniciativa contemplará as peças considerando como critérios criatividade, adequação e utilização de setores de exibição que caracterizam o OOH como aeroportos, edifícios, estabelecimentos comerciais, grandes formatos, mobiliário urbano e transportes.

Podem concorrer os trabalhos veiculados entre 1 de outubro/2017 e 30 de setembro/2018 inscritos, que devem ter usado, pelo menos, uma das empresas exibidoras filiadas à ABOOH. São elas: BR Malls, ClearChannel, Coletiva, Elemidia, Eletromidia, GM7, Helloo, Hyperfator, Indoormidia, JC Decaux, Kallas, LedChannel, LedWave, Onbus, Otima e Urbana.

As propostas inscritas serão julgadas por uma comissão, integrada por representantes de agências e clientes do mercado publicitário. Os vencedores serão homenageados em cerimônia de premiação no dia 6 de novembro.

“A mídia OOH é a que está apresentando maior crescimento no País e acreditamos que há imenso potencial para que o setor avance ainda mais. Trata-se de um segmento que oferece possibilidades infinitas para a comunicação e marketing das marcas e os avanços dos recursos digitais integrados ao meio tornam o cenário extremamente favorável. Nesse contexto, a ABOOH cumpre sua missão de estimular o mercado de out of home com o lançamento do Prêmio OOH de Criatividade”, ressalta Eduardo Alvarenga, presidente da ABOOH e CEO da Elemidia.

Sobre a Associação Brasileira de Out of Home (ABOOH)

Entidade que tem como associados as maiores operadoras do setor e como objetivo incentivar as relações entre os associados e o mercado publicitário, além de ajudar a disseminar o conhecimento sobre o meio, posicionando-o como uma poderosa ferramenta na construção de marcas de produtos e serviços. A entidade agrega grandes e médios players – nacionais e internacionais – que estão atuando no meio e/ou chegando ao País, com status de associados. Mais informações, no site www.abooh.com.br.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Fernando Ciupka

Vaga para atuar em mídia

Coyô abre vaga de analista de mídia digital

Envie seu currículo para vempramatilha@coyo.com.br

O Analista de Mídia aqui na Coyô precisa manjar de:

– Redes sociais
– Anúncios nas principais plataformas de mídia digital.
– Conhecimento básico em Google Ads

Dança das cadeiras

E tem mais novidades no mercado de comunicação

Tem mais movimentação no mercado de comunicação do Vale do Paraíba. Os movimentos acontecem em agência, veículo e empresa.

Confira:

Gabriela Couto é a mais nova estagiária de Relações Públicas na Embraer, em São José dos Campos.

Já Clara Casagrande assumiu vaga de estágio em marketing na Pensare.

E pelos lados do Santuário Nacional de Aparecida, Taiana Moura assume o cargo de Analista de Mídias Sociais.