Vaga de estágio para PP/Mkt

Shopping de Taubaté abre vaga

Estágio em publicidade e propaganda/marketing

O Via Vale Garden Shopping está com uma oportunidade de estágio para estudantes de nível superior do curso de Publicidade e Propaganda.

Bolsa Auxílio + Vale Alimentação + Vale Transporte + Seguro de Vida

Pré-Requisitos:

Estar cursando entre o 2° período e 7° período do curso de Publicidade e Progapanda
Residir somente em Taubaté

Conhecimentos avançados em Redes Sociais (Instagram, Facebook, WhatsApp) para fins de gerenciamento de campanhas, acompanhamento de retornos e execução de ações de mercado;
Conhecimentos em ferramentas de edição de imagens;
Conhecimentos intermediários de Word, Excel e Power Point (será aplicado teste);
Habilidades em redigir textos.

Interessados encaminhar currículo atualizado para o e-mail rhviavale@outlook.com até 12/12, com o assunto ESTÁGIO – PUBLICIDADE

Agência abra vagas para estágio

Vincere quer estagiários

A agência digita situada em Taubaté abre vagas de estágio para diferentes áreas e funções.

Confira:

Vaga para atuar em digital

Empresa contrata

A Consórcio Porto Brasil busca profissional para cuidar de comunicação digital

Descrição:

*Planejamento, criação e gerenciamento de campanhas em Adwords, com possiblidade de uso de scripts em java para otimização de campanha;
* Planejamento, criação e gerenciamento de campanhas para Facebook Ads, Instagram e Linkedin;
* Planejamento e gestão de Instagram, com possiblidade de uso de bots para crescimento rápido;
* Planejamento estratégico de Social Media, estudo de mercado e persona;
* Copywriting e geração/gerenciamento de conteúdo;
* Criação de Squeeze Pages/Sites/Apresentações persuasivas, com foco em otimização de conversão;
* Criação de campanhas de email marketing automatizadas.

Carga Horária: 04 horas diárias, na empresa.

Local: São josé dos Campos

Enviar CV para lucianocarrara@consorcioportobrasil.com.br

Coluna “Branding: a alma da marca”

Uma sociedade comunicadora, mas com muito pouco a dizer

A educação voltou a ser um dos principais temas de debate na atualidade. No olho deste furacão uma sociedade onde a tecnologia faz da comunicação a mola propulsora da revolução. Mas é aí? por que estamos discutindo isso? O que isso significa?

Significa que todos nós precisamos nos preparar para um mundo de comunicadores sem qualificação. No mundo revolucionado pela comunicação, toda opinião, não importa a sua qualidade, estará disponível e terá leitor, o que não significa educação. Significa o caos dos contraditórios.

Basta ver que hoje os veículos de comunicação tradicionais se preocupam em fazer “recall” da informação, caçando as chamadas fakenews. No entanto, cada vez mais a credibilidade destas mídias chamadas tradicionais é colocada à prova. Vivemos uma nova idade média, onde a desinformação, ou melhor, o desconhecimento paira no ar, e é preciso pessoas esclarecidas para conduzir.

No mundo globalizado onde a internet oferta troca de informações instantaneamente, o papel do educador nunca foi tão relevante. Na origem da palavra, que pode ser facilmente encontrada com uma “googada”, temos conceitos como o latino “ex ducere”, guiar para fora, ou também encontrado com outras raizes como “educir”, trazer para fora, ambas com o mesmo sentido.

Inclusive a palavra “conDUCIR” que vem desse radical nos da uma boa ideia do que isto representa.

Neste exemplo observamos o nó que se tornou a discussão sobre educar.

Encontrar a origem etimológica foi muito fácil, a um simples toque no “touch”. Porém, compreender a importância deste conceito requer preparo e vínculo. Não se faz um aprendizado simplesmente com um vídeo na internet ou com um professor sem ideologia. O educador é um CONDUTOR para fora dessa lama, uma função importante e valiosa , mas cada vez mais combatido.

Foto: Pixabay

Diferente do que muitos podem imaginar, um professor não é um “doutrinador” por excelência que se preocupa apenas em transmitir informações que lhe interessa, mas aquele que constrói um conjunto de experiências com estas informações que quando relevantes ao aluno faz o mesmo chegar ao que chamamos de significado. Muitas vezes o aluno encontra outro significado, mas nem por isso significa que no caminho não precisou ser conduzido pelo professor.

A construção do significado depende de um conhecedor dos caminhos e de outro disposto a caminhá-lo, dessa forma, se requer que o professor tenha vivência previa, convicções pessoais e de um aluno que apreenda a pensar por si só com suas próprias vivências.

A ideia de uma escola que possa ser transmitida on line e sem um professor com convicções pessoais parece nos levar a tentar achar combustão espontânea na educação.

O fato é que, seja por questões econômicas ou partidárias, estamos discutindo a educação, tentando criar um modelo fadado ao fracasso.

É possível construir uma educação mais contemporânea sem matar o aprendizado.

Basta deixar que o livre mercado a regulamente, pois, talvez para isso funcione o modelo.

O aluno deve escolher se quer mais aulas on line ou presenciais, pagando o justo preço por isso. E também escolher quem o regulará por estas informações, o professor de linha X ou aquele com linha Y.

Enfim, se não quisermos uma sociedade com um monte de informações que não nos serve como aprendizado é preciso deixar existir uma PLURALIDADE DOUTRINÁRIA. Sem tentarmos impor aquilo que acreditamos podemos tatear as coisas e aprender a decidir sobre o que nos serve ou não, e isso faz o compreender das coisas. Penso assim, mas aceito ser contrariado!

—————————–

Pessoal, no mês de Dezembro me darei férias desta coluna, até por que ela sairia bem no dia de Natal. Por isso, agradeço a todos pelo companheirismo da leitura, desejo um feliz fim de ano e um excelente 2019. Até a próxima !

Vaga para social media/designer jr

XCOMDesign abre vaga

Agência situada em SJCampos abre vaga para contratação de um social media com habilidades de design.

O profissional precisa ser graduado em comunicação e ter experiência na área.

Principais funções:

-Criação de conceitos criativos e cronograma de campanhas
-Redação e design de posts
-Postagens, agendamento e gerenciamento de anúncios

Pré-requisitos básicos:

-Plataforma Apple
-Domínio do Pacote Adobe
-Criatividade

Diferenciais:

-webdesign/ wordpress

Mande um e-mail com cv e portfólio para contato@xcomdesign.com.br

Plataforma em constante desenvolvimento

Kiso fala sobre a MLabs

Rafael Kiso é sócio do Grupo Focusnetworks e nos deu entrevista falando de uma das empresas do grupo, a mLabs. Aliás, mLabs também é o nome do principal produto da empresa.

Acompanhe a seguir o que o Rafael conversou conosco:

Rafael Kiso

1 – A mLabs é uma empresa do grupo Focusnetworks mas também dá nome a uma ferramenta para facilitar a vida de anunciantes no digital, correto? Explique um pouco a ideia da empresa e a ferramenta.

Rafael: A mLabs nasceu incubada dentro da Focusnetworks e reuniu os três pilares no qual temos maior experiência: Tecnologia, Comunicação e Marketing.

A mLabs foi criada em função de um propósito forte, que é fazer a inclusão de pequenos negócios através das redes sociais e ajudá-las a ter sucesso. Esse propósito surgiu em função de um olhar crítico meu ao longo dos últimos anos, onde eu via que as redes sociais eram democráticas, no entanto, somente grandes empresas estavam tendo sucesso, pois tinham dinheiro para acessar ferramentas profissionais e conhecimento, através de agências e/ou consultorias, para obter o sucesso.

Hoje em dia o sucesso é muito baseado em dados para melhor tomada de decisão, mesmo para se fazer um post. Portanto, ao ver que os pequenos negócios não tinha sucesso porque não tinham dinheiro e conhecimento, surgiu o insight de criar uma plataforma acessível, com o melhor custo benefício possível, compatível com as melhores ferramentas internacionais, porém pensada nos pequenos. Ou seja, tinha que ser algo simples, intuitivo e relevante para qualquer negócio.

Assim, nasceu a mLabs em Agosto de 2015, uma plataforma de gestão de redes sociais, que para muitos é uma ferramenta de produtividade, pois gerenciam diversas marcas nas redes, e para outros tantos, uma ferramenta mão na roda, pois auxilia de fato para obter melhores resultados de forma simples.

Através da mLabs é possível agendar e publicar posts, com recomendações de melhores dias, horários e formatos, é possível extrair relatórios completos e se comparar com concorrentes, fazer o atendimento ao cliente através do inbox de Instagram, messenger do Facebook e até mesmo WhatsApp, é possível criar processo de aprovação de posts para não ficar tudo bagunçado por e-mail. Uma das últimas novidades foi o lançamento do relatório de micro influenciador no Instagram, onde os negócios podem descobrir potenciais influenciadores digitais para fazer ações. Tudo isso por R$29,90/mês!

2 – Vocês têm implementado melhorias em MLabs. Como o mercado tem reagido?

Rafael: A cada mês lançamos alguma novidade que melhora o dia a dia de quem gerencia redes sociais. Esses lançamentos são estrategicamente pensados para ajudar os maiores pontos de dores do mercado, por isso, quando lançamos algo, o mercado faz barulho e vira o nosso promotor, pois sentem que estamos escutando e ajudando genuinamente. Nunca aumentamos o preço, apesar dos lançamentos.

3 – Há intenção de desenvolver novas ferramentas para o universo digital?

Rafael: O roadmap da mLabs é grande e temos trabalho até o final de 2020! Lançaremos muitas coisas e estamos ampliando constantemente o nosso time para acelerar as entregas. Não posso revelar o que vem por aí, mas pode ter certeza de que irá ajudar muitas empresas.

Agência digital busca diretor de arte

Resultage abre vaga para diretor de arte

Buscando expandir seu time de criação, a Resultage, agência focada em digital, busca diretor de arte digital.

Requisitos:
– Ser ágil e criativo(a);
– Experiência significativa comprovada em agência digital;
– Domínio dos softwares Adobe: Photoshop, Illustrator e InDesign;
– Conhecimento em formatos de mídia online e redes sociais (Posts, Facebook Ads, Instagram Stories, Google Remarketing, etc.);
– Criação de e-mail marketing (RDStation, MailChimp, e-Goi, Exact Target, etc);
– Bom relacionamento interpessoal;
– Facilidade de comunicação.

Diferenciais:
– Conhecimento em Sketch
– Conhecimento em Motion (After Effects);
– Conhecimento em WordPress.

Envie seu currículo com portfolio para negocios@resultage.com
* Currículos sem portfólio não serão analisados

Vaga de comunicação

Parque tecnológico abre vaga

O Parque Tecnológico de SJCampos (PqTec) abre vaga para comunicação social.

É desejável superior completo em comunicação ou cursando último ano. Veja abaixo detalhes da vaga:

Escolha as melhores hashtags

Como acertar na hora de usar hashtags?

Dicas para escolher uma hashtag estratégica e que traga mais engajamento e seguidores para a sua marca

Por Marina dos Anjos, Gerente de Marketing da Scup

As hashtags não nasceram nessa década, mas nunca foram tão populares quanto hoje em dia. Afinal, quem nunca postou um #tbt na quinta-feira ou um #tb nos outros dias da semana no Instagram? O uso desse símbolo se estendeu às empresas e hoje faz parte da estratégia de marketing das marcas: 88% dos grandes nomes presentes na rede social usa pelo menos uma hashtag em seus posts.

As hashtags funcionam como uma espécie de marcador, indicando sobre o que são as postagens. Elas são tão usadas no Instagram e nas redes sociais no geral porque permitem que algo muito específico seja encontrado pelos usuários e, por outro lado, faz com que tudo possa ser descoberto. Por esse motivo elas engajam e trazem novos seguidores, e por isso as empresas adoram. No Instagram, posts com hashtags têm um engajamento 12,6% maior do que aqueles desacompanhados dos famosos símbolos.

Existem várias maneiras de utilizá-las: postar no final da legenda, escondê-las com pontinhos, postar nos comentários, postar hashtags com emojis e por aí vai. Isso nos leva à pergunta: existe uma ciência para as hashtags? A resposta é: não, não existe, mas algumas performam melhor do que outras.

Não importa se elas estão na legenda ou nos comentários, o importante é que estejam lá. A lógica é bem simples: como elas são símbolos usados para categorizar ou resumir uma postagem de acordo com seu assunto principal, é necessário que façam o mínimo de sentido. Para ajudar na tarefa de escolher a melhor hashtag para o seu post, indico abaixo quatro dicas para considerar na hora de definir a melhor estratégia.

Não aposte em hashtags aleatórias só porque elas têm grande alcance
Uma hashtag boa é aquela relacionada a sua marca. É verdade que praticamente todo mundo pode usar #picoftheday ou #tbt porque são hashtags amplas e englobam a maioria dos assuntos. Se o seu negócio é sobre arte com frutas, porém, é necessário que as hashtags postadas tenham minimamente a ver com o produto. Só assim você irá atrair as pessoas que realmente importam para a sua marca.

Pense em quais categorias você quer que o seu post apareça e escolha uma hashtag que descreva o seu negócio, o propósito do seu perfil, seu público alvo e até mesmo sua localização.

Hashtags boas são relevantes para o público
Uma hashtag que funciona não é só aquela que tem relação com seu produto ou serviço, ela precisa interessar a quem mais importa: os usuários. Ao usar as que são realmente relevantes para o público do seu negócio, as chances de alguém entrar em contato com suas postagens e seguir o seu perfil aumentam, principalmente desde que o Instagram permitiu que os usuários seguissem não somente @, mas também hashtags.

Para descobrir quais são relevantes para o seu negócio, faça uma pesquisa. Veja o que as pessoas influentes do seu ramo, concorrentes e seguidores estão utilizando. Uma boa dica é pesquisar as palavras-chave para sua empresa e ver as hashtags relacionadas que aparecem.

Hashtags boas são específicas
Melhor do que ser vista, é ser vista pelas pessoas certas. Sua empresa precisa não só de seguidores, mas de usuários que sejam possíveis clientes, e as hashtags podem ser uma ótima maneira de chegar até eles. Para isso é necessário usar aquelas mais específicas. Elas trarão usuários que passam tempo curtindo e comentando as fotos que as acompanham.

Se você tem uma cafeteria, por exemplo, é mais interessante usar #pingado do que simplesmente #café. A primeira opção atrairá menos pessoas, é verdade, mas elas serão uma comunidade nichada muito mais engajadas e, afinal, é isso que interessa. Quanto mais específica a hashtag, maior a chance de construir relacionamentos com os usuários.

Um bom caminho é usar hashtags que tem a ver com seu bairro, assim fica fácil para alguém encontrar o seu negócio por meio da localização.

Varie as opções
É possível usar várias hashtags a cada postagem, mas é importante variar as opções. Se você conseguir encontrar 30 escolhas relevantes, vá em frente. A resposta para a pergunta “devo usá-las?” é sempre sim, mas não saia adicionando # se elas não forem úteis para você, ou pior, para os usuários.

Sobre Marina dos Anjos

Marina dos Anjos é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e possui MBA em Marketing e Vendas. Trabalha com comunicação corporativa desde 2009, tendo passado por agências de comunicação e atendido startups e empresas como BIC, boo-box (já vendida) e Scup (antes de passar a integrar a equipe da empresa). Na Scup desde 2014, foi head de conteúdo e atualmente gerencia o marketing da plataforma.

Fonte: Motim.cc – Bruno Lino