Agência busca estagiário

Communicare quer estagiárix

A agência está em busca de um estagiárix para atuar em redes sociais. Veja o que pede a vaga na arte abaixo:

Vaga no Santuário Nacional

A12 contrata

O Santuário Nacional de Aparecida busca estagiário para fazer parte de sua equipe

Requisitos:
– Cursando 1º ou 2º ano de Comunicação Social (Rádio, TV e Internet);
– Experiência com Photoshop;
– Premiere
– Office (Word e Excel)
– Conhecimento de conceitos de redes sociais.

Atividades desenvolvidas:
• Edição de vídeos;
• Descrição de vídeos (título, descrição e tags);
• Criação de miniaturas (thumbr do youtube);
• Postagem em canais de youtube de responsabilidade do A12.com;

Agência busca social media

A Molotov Propaganda tem uma vaga para Social Media

Se você tem os pré-requisitos abaixo, envie seu Cv e se candidate para o processo seletivo. Boa sorte!

O profissional será responsável por:
– Produzir conteúdo para redes sociais;
– Planejar calendário de postagens;
– Gerenciar;
– Analisar;
– Monitorar;
– Conhecimento das ferramentas: RD Station e mLabs

Desejável:
Graduação ou experiência de trabalho na área;
Ter uma presença pessoal ativa e interessante nas redes sociais, com entendimento de cada rede e suas melhores práticas;
Ser um excelente comunicador e criativo, com habilidade de usar dados e análise de resultados;
Domínio de ferramentas para redes sociais e atenção constante às discussões ocorrendo nesses canais;
Experiência bônus inclui conhecimento do Adobe Creative Suite, Marketing de Conteúdo e Blogs;
Certificação em marketing de conteúdo.

Regime de contratação:

CLT / Vale-transporte / Vale alimentação / Plano de saúde e odontológico

Contratação com Início imediato.

Interessados enviar CV para: vagas@molotovpropaganda.com.br

Tendências em e-commerce

Tendências para o e-commerce em 2020

Em 2018, o e-commerce brasileiro registrou 123 milhões de pedidos e obteve um faturamento de R$ 53,2 bilhões, segundo Webshoppers 39 – Ebit|Nielsen. Já o primeiro semestre de 2019 apresentou crescimento de 20%, ante 8% registrados no mesmo período do ano anterior, mostrando o potencial e crescimento do segmento.

A Black Friday de 2019, considerada a segunda data mais importante do varejo, gerou mais de R$ 3,87 bilhões em compras no e-commerce. De início era um segmento dominado apenas por grandes players de mercado como, por exemplo, Walmart, Carrefour, Mercado Livre, mas com o passar do tempo qualquer empresário, por menor que fosse, conseguia investir em um e-commerce.

Imagem de justynafaliszek por Pixabay

Depois veio o “boom” dos e-commerces de nicho, lojas virtuais que vendem apenas um tamanho de sapato, só acessórios, ou cases para celulares etc. Ainda sim, o e-commerce no Brasil é relativamente novo, com menos de três décadas de existência, a cada ano apresenta um novo e grande potencial de crescimento, mesmo em tempos de crise.

Mobile cresce

De acordo com a pesquisa da Webshoppers, aproximadamente 43% dos pedidos são feitos via mobile. Ou seja, isso significa que futuramente, cada vez mais pessoas vão realizar os seus pedidos via mobile. Estima-se que em 2020 mais de 70% das vendas dos e-commerces serão feitas via celular.

Mas para que isso se torne uma vantagem para o negócio e não um problema, o site precisa ser responsivo e focado na experiência do usuário (UX). Para ter certeza que o site está otimizado para o mobile, a navegação deve ser intuitiva e o tempo de carregamento das páginas, menor.

O futuro: aplicativos

Desenvolva um aplicativo. Em relação aos aplicativos, de acordo com o estudo da Criteo (2018), a taxa de conversão de vendas é 3x maior nos aplicativos em relação ao mobile web. Ou seja, é um movimento que está ganhando o mundo e em breve chegará ao Brasil.

Imagem de Pexels por Pixabay

Omnichannel

Oferecer diversos canais de atendimento para o consumidor é uma tendência de mercado antiga, mas que se tornou uma obrigação para o empreendedor que busca se destacar e continuar crescendo.Neste contexto, aproveite a utilização de canais de atendimento com opção de contato via Whatsapp Business, redes sociais, sac, e-mail.

Assistentes virtuais

Segundo a pesquisa da Freshworks Inc. feita em parceria com a Toluna, “Novas regras de engajamento do consumidor – Brasil”, mostra que 70% dos consumidores interagem com chatbots e mais de 80% deles se dizem satisfeitos com a resposta e o atendimento recebido.

Na busca da rapidez e praticidade, os consumidores se acostumaram rapidamente com o atendimento realizado por chatbots automatizados e bots de atendimento inteligentes. Apostar na utilização de bots de atendimento é uma estratégia interessante, que pode poupar tempo e dinheiro da empresa.

Compra online, retira na física

De acordo com pesquisa realizada pela Provokers facilidades mobile, experiência do site e opções multicanais são indispensáveis nas compras online. Destes atributos, cerca de 42% dos consumidores buscam por opções multicanais como retirada na loja e tempo de entrega favoráveis.

Muitas empresas têm investido cada vez mais na otimização do processo de logística através da utilização de “pontos de retirada” de mercadoria. Dessa forma, surge um novo modelo de negócio, em que a descentralização do processo de logística e interconexão entre o mercado online e offline está cada vez mais presente.

Descrições de produtos é passado

“Outra previsão para o futuro do e-commerce é que as descrições de produtos como conhecemos hoje se tornarão obsoletas. Desconsiderando o fator SEO e pensando apenas na experiência do consumidor, a grande tendência é que os vídeos tomem conta das descrições de produto.”, menciona o CEO da Dr. e-commerce, Thiago Sarraf.

Afinal, qual a grande finalidade da descrição de produtos para o consumidor? Além de especificar medidas, cores e materiais de fabricação, é a aplicação destes produtos na vida dos consumidores. Para um e-commerce de moda, por exemplo, um vídeo se torna muito mais útil e interessante para a consumidora, em questão de combinações e caimento da peça.

Não quer dizer que as descrições escritas possam ser deixadas de lado. Afinal, ainda é uma grande ferramenta de SEO e busca para o Google. Além disso, caso o consumidor não tenha tempo para assistir o vídeo, a leitura da descrição supre a necessidade e incentiva a venda.

Uma imagem vale mais que mil palavras: vídeos

De acordo com o Google Advisors, cerca de 53% das pessoas buscam produtos no Google e logo após acessam vídeos para saber mais antes de comprar.

As pessoas não pensam em search e vídeos de forma separada, por isso, é interessante que o site do varejista conte com vídeos informativos, pois uma vez que o consumidor tenha em mãos a oferta de compra + informações relevantes, à tomada de decisão de compra é mais efetiva.

Por isso, com essa mudança no comportamento do consumidor, tenha certeza de incluir tudo o que o cliente precisa saber, isto é, como usar, porque o consumidor precisa daquele produto e todos os detalhes que possam incentivar a compra.

Efeito Amazon e Outros efeitos

Considerado o primeiro e-commerce dos Estados Unidos, a Amazon é um player gigante no mercado de marketplaces. Há uma boa chance de que se a Amazon faz algo, você deva fazer também. O nome que deram para isso foi o Efeito Amazon.

Monitore também a concorrência, mas não copie todas e quaisquer estratégias que o concorrente implementar, o importante é ficar de olho no seu público e como ele está reagindo a determinado fator.

Frete grátis, promoções, ofertas… não podem simplesmente serem aplicados sem qualquer tipo de planejamento. Quem te garante que o concorrente não está perdendo dinheiro com as promoções loucas? A dica principal aqui é ficar atento às tendências dos grandes e, quando fizer sentido para o seu negócio, colocá-las em prática também.

“De maneira geral, o efeito Amazon é um dos grandes indicadores de tendências para o futuro de e-commerce. O mobile commerce vai ultrapassar as vendas por desktop e as tradicionais descrições de produtos se tornarão obsoletas. É importante observar o comportamento do consumidor e se adaptar às novas tecnologias que facilitam a vida do cliente. Faça pesquisas, mantenha-se informado e acompanhe as transformações, fazendo isso, seu negócio terá uma chance muito maior de continuar competindo no jogo do mercado de e-commerce.”, conclui Sarraf.

Fonte: P & S Comunicação – Stefani Pereira

Vídeo novo

Tem vídeo novo do Publicitando

Gostamos de compartilhar pesquisas que descobrimos em publicações idôneas. E fizemos mais um vídeo que traz dados de uma pesquisa em torno dos usos e hábitos em relação às redes sociais.

A pesquisa foi matéria da Meio&Mensagem e foi originalmente divulgada na plataforma Gente, da Globosat. Foi realizada pela Diário de Campo pesquisa e recebeu o nome #hashtagseguidores.

Confira:

Grupo abre vagas em diferentes áreas

Grupo Meon abre vagas

O Grupo Meon abriu diversas vagas em diferentes áreas de atuação. São vagas efetivas e de estágio. Confira nas artes abaixo.

Mande seu currículo e porfólio para rh@meon.com.br

Dança das cadeiras

Edição extra

Ontem soltamos uma edição do Dança das cadeiras e ela acabou deixando de fora uma movimentação importante do mercado.

A publicitária Nathália Salgado ingressou na Mestra Comunicação onde passa a atuar com Planejamento Estratégico Digital. Nathália estava na agência BKW e também já passou pela Pentaxial.

Ela é formada em publicidade e propaganda pela Universidade de Taubaté.

O que são “Martechs” e quais soluções elas oferecem?

O Brasil possui 266 startups de marketing e o Liga Insights mapeou as inovações da área e os desafios para os próximos anos

No Brasil, são 266 martechs – startups da área de marketing que oferecem soluções específicas para o setor e suas operações -, segundo levantamento realizado pelo Liga Insights em outubro deste ano, com o objetivo de discutir as inovações da área e levantar os próximos passos do mercado.

Image by mohamed Hassan from Pixabay

O marketing hoje é considerado um dos principais elos entre a inovação e clientes internos e externos das empresas. O Liga Insights analisou e mapeou as startups que estão entregando soluções para o segmento a partir de um banco de dados com mais de 16 mil startups do Brasil. As soluções foram divididas em 15 categorias e a maioria das startups estão em Analytics, Data e Performance (46 startups); Fidelidade do Cliente (37 startups); Plataforma de Atendimento e Conectores (35 startups).

O estudo também mapeou outras categorias como Conteúdos Interativos (24 startups); Ferramentas de Comunicação (21 startups); Social e Comunicação (20 startups); CRM, Customer Experience e Customer Success (19 startups); Automação de Marketing (16 empresas); Pesquisas Reviews e Feedbacks (15 startups); Gestão de Geração de Conteúdos (14 startups); Vendas e Geração de Leads (11 startups) e Marketing de Aproximação (8 startups).

Customer Experience: por que a experiência do seu cliente é tão importante?

O Customer Experience já não é mais tendência, porém continua sendo uma das grandes preocupações da área de marketing. De acordo com o estudo do Liga Insights, apenas 14% dos profissionais de marketing enxergam que a centralização no cliente é uma característica fundamental das empresas onde trabalham. Em sua pesquisa mais recente sobre o tema Customer Experience, lançada em novembro deste ano, o Liga Insights indicou quais as preocupações e responsabilidades do setor. Para analisar a experiência do consumidor foram entrevistados mais de 30 especialistas, empreendedores, profissionais e pesquisadores de grandes empresas como Nubank, Dafiti, Itaú, iFood, ESPM, ContaAzul, Panasonic, ThoughtWorks, LEADR e Dito.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

75% das empresas pretendem ampliar seus investimentos em soluções tecnológicas capazes de potencializar a experiência do cliente, incluindo ferramentas de customer analytics, de análise das necessidades e da jornada do consumidor e de personalização da experiência. As principais tendências tecnológicas que vão contribuir para o terreno de CX envolvem o uso de inteligência artificial tanto para aplicações mais básicas como bots de atendimento, quanto com aplicações para análise de sentimento do cliente e personalização da experiência.

Segundo Raphael Augusto, responsável pelo Liga Insights, em termos de tecnologia, é possível observar o uso de dados como o principal aliado na individualização e customização das ações de marketing. “Trazer a inteligência dos dados para esse contexto pode resultar numa maior assertividade e individualização dos clientes, garantindo, por exemplo, uma conversão mais eficiente e um tratamento e relacionamento mais personalizado”, comenta.

Descubra as referências do marketing focado no consumidor

O mapeamento do Liga Insights apontou os dez hábitos que empresas de referência centradas no consumidor deveriam ter, a partir de uma pesquisa realizada pela Gartner’s Marketing Technology Survey. São eles:

Estudos constantes do usuário;
Fazer follow-ups para interpretar feedbacks;
Tomar medidas proativas para antecipar as necessidades;
Construir empatia dentro de um processo e políticas;
Proteger a privacidade do usuário;
Intercambiar conhecimentos internos sobre os diferentes tipos de perfil;
Motivar colaboradores para manterem-se comprometidos
Criar ações sistemáticas para melhorar a experiência do cliente;
Adaptação de demandas em tempo real
Desenvolvimento do processo de responsabilidade;

Mercado da publicidade programática

Entre as startups que oferecem soluções inovadoras no Brasil, a Denakop – startup que facilita a ativação de publicidade em sites de pequeno a grande porte -, destaca-se com a publicidade programática. A empresa aponta que pode aumentar o faturamento dos parceiros em aproximadamente 35% utilizando uma tecnologia que permite ativar ou desativar formatos publicitários com um botão.

Para Marcos Viesti, sócio-diretor do Denakop, o mercado de publicidade programática ainda tem muito a crescer. “A nossa empresa enxergou a necessidade de traduzir toda essa parte burocrática deixando a publicidade mais simples e intuitiva, dissolvendo essas barreiras para abrir os horizontes do publisher brasileiro”, completa Marcos.

Fundada em 2011, hoje a empresa possui 120 clientes entre os portais: Metrópoles IstoÉ, Olhar digital, RBS e Fatos Desconhecidos e gerenciam mais de 600 milhões de requisições de publicidade por mês. A tecnologia oferecida pela startup não possui custo de adesão ou multa de rescisão. Além disso, proporcionam ao publisher uma implementação simples – por meio de uma tag o cliente tem acesso a mais de 15 formatos publicitários pré mapeados.

Fonte: Agência NoAr – Kênia Brandão

Dança das cadeiras

Antes do ano acabar…

Esse ano tá chegando ao fim. Mesmo assim o mercado segue movimentado. Veja mais um pouco das idas e vindas dos profissionais de comunicação e marketing do Vale do Paraíba.

A jornalista Viviane Sorbile é a mais nova Produtora de Conteúdo da Agência Maria Fumaça (SJCampos). Ela já passou por Poliedro, Editora Santuário, Alameda Comunicação e TV Vanguarda.

Felipe Ledo assumiu o posto de Gestor de marketing digital na construtora M.Vituzzo (SJCampos). Ele também foi gestor de marketing na Sorrix Odontologia e coordenador de marketing na IBAP Cursos.

Taxa de penetração das redes sociais na América Latina é de 66%

Dados apontam que o Instagram é a rede preferida dos brasileiros e que o número de usuários aumentou em 230%

Dar aquela “olhadela” nos aplicativos sociais durante as folgas do dia já virou rotina. Por isso, o Cuponation, plataforma de descontos online, reuniu os melhores dados sobre o Instagram – que é uma das redes sociais mais utilizadas.

O Statista, portal online de estatísticas, revelou um levantamento feito este ano sobre a taxa de penetração das redes sociais em regiões do mundo todo. No ranking, a penetração das mídias sociais na América Latina ficou em 3º lugar, com cerca de 66% da região usufruindo dos apps do gênero.

Surpreendentemente, a Ásia Oriental e a América do Norte disputam o primeiro lugar da lista, com 70% de inserção das redes nas regiões. O segundo lugar ficou com o Norte da Ásia, com 67%. Por último ficou a África Central, com apenas 7% da população utilizando esse tipo de serviço de comunicação. A taxa da média global ficou em 45%.

Uma segunda pesquisa também feita pelo Statista registrou que em janeiro de 2019 o Instagram, em conjunto com a ferramenta Stories, já havia conquistado 500 milhões de usuários ativos diariamente pelo mundo. Ao comparar este número com o último dado levantado em junho de 2018, em que o número de usuários alcançava 450 milhões, o aumento é de 11,11%.

Entretanto, se compararmos o começo de 2019 com o mesmo período do ano de 2017 (na qual o número de usuários era de 150 milhões), verificamos que em apenas 2 anos a rede social cresceu e ganhou visibilidade em mais de 230%.

O portal ainda divulgou em abril deste ano que os maiores públicos do Instagram são Estados Unidos, Brasil e índia. Em confirmação com este dado, o Statista revela o Instagram é a mídia preferida pelos brasileiros.

O relatório Digital In 2018 já havia publicado que o brasileiro está entre os dois primeiros países no ranking da população que fica mais tempo nas redes sociais, sendo em média mais de 3h e meia por dia.

O Cuponation estimou, em um estudo feito no meio deste ano com 329 jovens brasileiros de classe média com idade entre 18 e 25 anos, que estes costumam passar cerca de 1h30 por dia apenas no Instagram.

No entanto, o aumento de usuários do aplicativo não se dá apenas por causa dos jovens, pois é preciso ressaltar que a mídia social está inovando com novidades para o mercado. Depois de perceber que a forma mais rápida de chegar ao público é por meio das redes sociais, o lojista agora faz sua própria loja online – idéia que agrada à equipe do Instagram, que apoiando o lojista e o consumidor/usuário se beneficia com a tráfego da rede e uma possível monetização.

Hoje em dia, até mesmo marcas como Amaro, Renner, C&A, Zara, entre outras, já possuem um perfil de venda na rede mesmo tendo o próprio site como plataforma oficial. “A ideia é lançarmos, também, campanhas publicitárias destinadas ao público final, inclusive com a realização de eventos”, afirma Beatriz Bottesi, country marketing manager do Instagram no Brasil, em entrevista para o UOL.

Fonte: Cuponation – Giovanna Rebelatto