Futebol e amendoim: as paixões nacionais agora juntas na publicidade

Santa Helena Indústria de Alimentos foca campanha de marketing em veículos de comunicação de massa na Grande São Paulo

A bola e o gol. O futebol e o amendoim. É fato unânime que um completa o outro. Nada melhor do que assistir ao jogo do time do coração rodeado de amigos e saboreando um amendoim de qualidade e procedência garantida. Pensando nisso, e para aproveitar a reta final dos principais campeonatos de futebol do país, a Santa Helena Indústria de Alimentos, fabricante dos amendoins mais gostosos e consumidos do Brasil – Mendorato e a nova Linha Aperitivo em bandejas -, vai focar sua campanha de comunicação nos principais veículos da mídia esportiva da Grande São Paulo, onde a empresa também está investindo em uma maciça distribuição dos produtos.

A empresa está apostando no poder de alcance dos veículos de comunicação para falar de perto com a população de cerca de 19 milhões de pessoas que vivem na Grande São Paulo durante 75 dias da ação. O público-alvo da campanha é composto por homens e mulheres de 25 a 49 anos, das classes A, B e C, apaixonados pelos principais times de São Paulo e que acompanham esportes em todas as mídias. A ação poderá atingir 180 milhões de visualizações em todo esse período.

Os veículos escolhidos foram Globo Esporte, da Rede Globo; Os Donos da Bola, Terceiro Tempo e Jogo Aberto, da Rede Bandeirantes; Estádio 97 transmitido pela Energia 97 FM (97,7 MHz); os canais digitais Cartola FC, G1, UOL, Esporte Interativo e Google, além de pequenos vídeos no YouTube e full motion videos no metrô.

O objetivo da ação, segundo o diretor comercial da empresa, Luís Bertella, é conectar o maior número de consumidores com as marcas de produtos Santa Helena e, principalmente, com a categoria de amendoim. Os produtos selecionados para esta campanha foram o amendoim japonês Mendorato e a nova Linha Aperitivo de amendoins em bandeja, vendida em embalagens práticas e prontas para consumo, com diferenciais únicos na categoria, e envasada sem contato manual, com garantia de qualidade e procedência e validade de seis meses. Esta tecnologia é única no Brasil.

“Nossos produtos têm aceitação muito boa no mercado, mas enxergamos que há mercado para crescer. Temos qualidade, a preferência do consumidor e acreditamos que essa campanha que se inicia no dia 2 de outubro vai ser muito positiva. Uma boa comunicação precisa de conteúdo e frequência, por isso, a ação seguirá até 15 de dezembro para que a mensagem fique clara e chame a atenção dos nossos clientes”, afirma Bertella.

Fonte: Fonte Assessoria de Comunicação – Ana Catarina Prebill

Coluna {De dentro pra fora}

A lista dos nãos

O que a gente mais gosta de fazer nesta época do ano? Listas!
Lista de pendências para acabar o ano, lista de prioridades, lista de presentes, lista do supermercado, lista de metas para o próximo ano. E por aí vai…

Para entrar no clima e não quebrar sua rotina com um textão (sei que todos estão naquela correria-fim-de-ano), decidi montar minha listinha para a coluna do mês. Vai ser a ~Lista do que não fazer em 2017~.

1 – Não comece o ano sem definir os objetivos de comunicação.

2 – Não faça um planejamento sem realmente entender a cultura da sua empresa (eu espero do fundo do coração que você já tenha um planejamento de comunicação para o próximo ano).

3 – Não gaste tempo desnecessário com atividades que não resolvam os problemas definidos em seu planejamento.

4 – Não faça nada sem sair do seu lugar de “comunicador” e se colocar no lugar do seu público. Não se esqueça de que o principal objetivo é que eles entendam, não você.

5 – Não deixe a liderança de lado. Pelo contrário, incentive, treine, promova a comunicação dela com suas equipes.

6 – Não caia no erro de construir mensagens lindas que não sejam sustentadas pelas ações e práticas corporativas. O dia a dia diz muito mais que nossas palavras.

7 – Não permita que a Comunicação Interna seja apenas o e-mailzinho e o jornalzinho. Eleve a CI para o nível estratégico, faça a presidência entender como nós podemos contribuir para o negócio.

8 – Não siga “tendências de mercado” só porque são tendências. Seja analítico e reflita se aquilo realmente faz sentido para a cultura da empresa, os públicos e segmento do negócio.

9 – Não subestime seu público. Não deixe de entender suas aflições, necessidades de informação e sempre promova o diálogo na organização.

10 – Não se esqueça de agradecer a sua agência, os seus colegas de trabalho e todo mundo que ajuda a encarar os desafios.

Que 2017 seja um ano surpreendente!
Que a gente aprenda a falar mais não e focar no que realmente é importante.