Inclusão digital

Projeto Rede de Comunicação do ITA possibilita inclusão digital para comunidade ribeirinha em Acará (PA)

Objetivo foi instalar uma rede de comunicação para 1.500 habitantes na comunidade de Boa Vista

social-media-1744854_640

A partir de um olhar comunitário, o projeto Rede de Comunicação, composto por alunos do curso Engenharia da Computação e C-lab (Laboratório de Cidadania) do ITA (Instituto de Tecnologia Aeronáutica), foi até a pequena Boa Vista do Acará, uma comunidade de 1.500 habitantes localizada na cidade de Acará, no Pará (PA), para realizar a inclusão digital dessa população ribeirinha de baixa renda por meio da instalação de uma rede de comunicação. O projeto teve como colaboradores o IDDS (International Development Design Summit) Amazon 2016, coordenado pelo D-lab/MIT (Development through Dialogue, Design and Dissemination), o LASSE (Laboratório de Sensores e Sistemas Embarcados), da UFPA (Universidade Federal do Pará), e contou com o financiamento da T61/ITA.

A Rede de Comunicação, após identificar as necessidades locais, instalou o hardware no período de março a setembro de 2016. Neste período, três alunos do ITA viajaram mais de uma vez para Boa Vista do Acará para planejar e implementar o projeto com participação intensa da comunidade e dos parceiros, levando a internet à escola, ao posto de saúde e à Associação de Produtores. Além disso, em julho, dois alunos foram selecionados para participar do encontro internacional IDDS na comunidade.

De acordo com Cecília César e John Bernhard Kleba, professores do ITA, cada aluno trouxe diferentes talentos, que no trabalho em grupo, se complementaram e fizeram o projeto ser um sucesso. “Para a realização desse projeto, lidamos com a cultura e expectativa local. Além da instalação da rede de comunicação, impactamos diretamente a vida de uma comunidade carente por meio do uso inteligente da tecnologia”, disseram os professores.

Sobre a instalação – Um enlace de rádio foi instalado com o uso de 4 antenas Ubiquiti Airgrid M5 HP Ag-hp-5g27 27dbi, interligando a UFPA (Universidade Federal do Pará) à torre próxima da escola da comunidade (6 km), e um segundo enlace comunica com uma segunda torre localizada a 2 km junto à Associação de Produtores de Boa Vista do Acará. A banda do link de rádio é de 100 Mbps e foi fornecida pelo CTIC (Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação) da UFPA.

Uma segunda fase do projeto, que inicia em breve, desta vez sob coordenação do NUPEF – Rio de Janeiro/Fundação Ford, vai realizar a capacitação da população local para o uso inteligente da internet, priorizando o acesso digital como ferramenta de educação, de saúde pública e de auxílio para as cooperativas de produtores locais.

O projeto contou ainda com a colaboração da SBA Communications, Laps Informática, Constrói Telecom e Cisco.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social – ITA – Thaís Mazini

Investimento pesado no Rio de Janeiro

TIM reforça rede e investe em tecnologia de ponta no Rio de Janeiro
Operadora amplia sua infraestrutura e implementa soluções inovadoras que ficarão de legado para a cidade e o país

tim1

A TIM realizou uma série de melhorias e investimentos para reforço de cobertura no Rio de Janeiro. A companhia implementará soluções tecnológicas inovadoras e de vanguarda para oferecer uma melhor experiência aos brasileiros e visitantes, além de deixar um legado de infraestrutura aos cariocas em pontos importantes da cidade. A TIM ampliou, ainda, sua capacidade de rede em locais distribuídos estrategicamente nas rotas de mobilidade urbana e pontos de grande concentração durante as disputas do megaevento esportivo que acontecerá na cidade, visando fornecer uma boa experiência no uso de rede de voz e dados.

“Este será o primeiro grande evento de envergadura mundial para a tecnologia 4G e, seguramente, o mais conectado da história. A TIM espera, entre visitantes e residentes, que cerca de 70% do tráfego navegado virá de usuários da rede 4G, e 30% aos usuários da rede 3G. Para garantir a entrega de um serviço de alta qualidade, estamos trazendo tecnologia de ponta e o que há de mais moderno para nossos clientes, além de ampliar de forma significativa nossa cobertura. Queremos ser protagonistas no uso de soluções inéditas no Brasil. O investimento realizado no Rio de Janeiro será modelo para as demais regiões do país no futuro”, anuncia o Chief Technology Officer da TIM Brasil, Leonardo Capdeville.

Uma das novidades é a adoção do serviço de conexão móvel de alta velocidade agregando duas faixas de frequências distintas (2600 MHz e 1800 MHz), que vai oferecer uma experiência única em banda larga móvel. A junção das frequências permite o aumento significativo da velocidade de download de dados. Outro destaque, que fará parte do portfólio da empresa é o Cloud RAN, que será aplicado na região da Barra da Tijuca que receberá competições esportivas. Considerando a grande quantidade de elementos de rede instalados no local, esta solução amplia a capacidade da rede, otimizando o uso dos recursos de forma mais inteligente.

Também, em parceria com a Huawei, a operadora terá o projeto ‘Key Event Assurance’, para prover monitoramento e mensuração na adequação de recursos à alta demanda de voz e dados. A solução também ajuda na prevenção contra possíveis falhas ou sobrecarga de rede, com monitoramento e identificação de necessidades de atuação em tempo real.

“A Huawei está muito entusiasmada em colaborar com a evolução das redes da TIM no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro. Ao adotar as tecnologias de redes mais avançadas do mercado como Cloud RAN e Carrier Aggregation, a operadora está bem posicionada para oferecer serviços inovadores e de qualidade aos seus clientes. Com o serviço Key Event Assurance, também está adotando a mais avançada metodologia para garantir as comunicações em grandes eventos e preparar sua rede para picos extremos de tráfego de voz e dados. Esperamos continuar apoiando a TIM na trajetória de sucesso de sua transformação digital e na construção de um mundo melhor conectado”, diz Huang Hailin, vice-presidente da Huawei do Brasil.

A TIM lançará, ainda, o projeto piloto de uma solução inovadora, que permite a realização de chamadas de alta definição de voz e de vídeo baseado em IMS (IP Multimedia Subsystem), o VoLTE, além do WiFiCalling. A tecnologia possibilita que a voz trafegue sobre a rede 4G, por meio de protocolo IP fim a fim, de um smartphone até o outro, aumentando de forma significativa a qualidade da conexão. Já o WiFi Calling permitirá a melhoria de cobertura Indoor onde o sinal estiver disponível. A operadora é pioneira no desenvolvimento da solução na América do Sul e disponibilizará o serviço, em conjunto com a Huawei, para um grupo de clientes do Rio de Janeiro e, posteriormente, para todo o Brasil.

Outros investimentos
Além das ações nos locais destinados para as competições, a TIM vai reforçar a cobertura em toda a região metropolitana do Rio de Janeiro, com destaque para as áreas de maior circulação de turistas, que poderão usufruir a tecnologia de quarta geração na frequência de 1800 MHz, a mais utilizada no mundo e também adotada pela companhia para expandir sua rede 4G, na qual é líder com 513 cidades cobertas no país. Ao todo, os clientes poderão contar com 1.100 estações rádio base 3G ativas e 1.250 estações em 4G no Rio de Janeiro até o fim desse ano.

Para suporte ao visitante de outros países, a TIM está ampliando seus acordos de roaming 4G que irão ultrapassar 60 operadoras de 30 países (85% do tráfego atual de roaming), somados aos acordos existentes para as redes 3G e 2G que ultrapassam 340 operadoras em 160 países.

A TIM vem apostando na combinação de diferentes tipos de tecnologias para atender às demandas crescentes de tráfego de dados. Para isso, conta com investimento R$ 14 bilhões (2016-2018), focado na infraestrutura de rede. “Continuamos a investir fortemente na expansão e qualidade da cobertura no Rio de Janeiro, implementando novas tecnologias, como o biosite. A TIM já instalou 100 biosites no município e a previsão é dobrar este número até o final do ano. E tudo isso ficará de legado para a cidade”, complementa Capdeville.

O biosite é uma solução sustentável patenteada pela TIM. Trata-se de uma estrutura similar a um poste e que camufla as antenas da operadora – acomodando todos os equipamentos de telecomunicações (2G, 3G e 4G) em seu interior – além de abrigar outros mobiliários urbanos, como iluminação pública e câmeras de segurança. O projeto simplifica as etapas necessárias para ampliar a rede de telefonia em regiões de grande concentração, como é o caso do Rio de Janeiro, e contribui para diminuir a poluição visual nas cidades.

Fonte: Alameda Comunicação – Tawana Miquelino