Três motivos para as agências de comunicação implementarem o home office

*Maria Carolina Martins Rossi

O tema Coronavírus está entre os mais comentados no mundo, seja nos noticiários, redes sociais ou nas conversas do dia a dia. A preocupação com Covid-19 impôs home office em uma série de empresas, porém, no caso das agências de comunicação esse cenário é bem diferente. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , trabalhar em casa ou até mesmo em outros espaços, como o coworking, cresceu 21,1% entre os anos de 2017 e 2018. Mas quem vive a rotina das agências, muitas vezes, ainda tem que ir ao escritório todos dias, mesmo sabendo o quanto nosso trabalho pode ser remoto.

O dia a dia na agência exige muitas atividades que podem ser feitas de qualquer lugar do mundo, desde que haja internet. Grande parte das funções realizadas acontecem com a ajuda de um computador e uma boa organização de tempo para lidar com as demandas exigidas. A agenda do Relações Públicas, por exemplo, envolve uma comunicação 360º, com diversos clientes, jornalistas e serviços, como assessoria de imprensa, branded content, treinamento e palestras, endomarketing, mídias sociais, consultoria de comunicação, análise de reputação, storytelling e gestão de crise, e todas essas funções são realizadas na maioria das vezes pelo computador. Mas porque ainda exigem a nossa presença nas agências e controlam nossos horários?

Para desmistificar esse assunto e acabar com o pré-conceito ao home office, listo três benefícios dessa modalidade de trabalho. Confira:

1 – Nosso ambiente de trabalho é o computador: o trabalho de um PR acontece primordialmente na internet. Normalmente, o espaço físico pode funcionar para reunir a equipe e garantir também um ambiente com todo o suporte necessário – telefone, computador e internet. Mas todas as atividades podem ser realizadas de casa e com uma gestão completa da organização de tempo. Adotando medidas como listas diárias, planejamento, agenda de tarefas e compromissos, checklist de suas tarefas, definindo o que é prioridade, é possível realizar todas as atividades com eficiência e no prazo.

2 – Menos horas no trânsito, mais qualidade de vida: quem trabalha em agências de comunicação sabe que temos um cronograma de atividades, pautas e temas para seguir, e que existem horários e momentos que todo o planejamento já foi cumprido. Muitas vezes, perdemos horas para chegar no escritório e também terminamos nossas atividades antes do esperado. Mesmo assim, ainda é preciso ficar “fazendo hora” – o que prejudica o desempenho do colaborador e não é necessário. Hoje, muitas empresas trabalham com entregas e flexibilidade, não importa que horas o colaborador chegue na agência ou o local em que trabalha, mas sim a entrega do que foi combinado. Por isso, a organização é o ponto chave e não a presença física.

3 – Nossa equipe não precisa de um lugar físico para se reunir: acredite ou não, muitas agências enfrentam problemas de falta de comunicação interna, o que prejudica o trabalho em equipe. Algumas estratégias podem ser utilizadas para unir a equipe e não apenas colocá-las no mesmo espaço física. Entre as opções está a utilização de alguns apps de Comunicação, como o Hangouts do Google, Google Drive – para a equipe compartilhar os arquivos e conseguir acesso de qualquer computador, em qualquer lugar -, Dialog uma ferramenta corporativa que tem “cara” de rede social e gerenciadores de tarefas, como o Todoist e o Trello, que é baseado na metodologia Scrum. Com as ferramentas encontradas no mercado atualmente, torna essa essa tendência de home office cada vez mais uma realidade.

*Maria Carolina Rossi é jornalista e sócia-fundadora da Comunica PR, agência de Relações Públicas

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga para analista de comunicação

Santuário Nacional de Aparecida abre vaga

A vaga é para atuar como Analista de Comunicação Digital Jr.

E está aberta para todas as formações em comunicação social.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dança das cadeiras

Ano acabando e mercado em movimento

O mês de novembro anda agitado para os lados do mercado de comunicação e marketing da Região Metropolitana do Vale do Paraíba.

Confira as últimas movimentações:

Marina Teixeira acaba de assumir o cargo de Analista de Mídia na Focusnetworks – OnLife Marketing Transformation. A jovem publicitária estava na Quero Educação atuando em Growth Marketing B2B.

A Relações Públicas Letícia Faria é agora Analista de Marketing na Monaro Sports em
São José dos Campos. Ela estava tocando seu próprio negócio até então, a Letícia Faria Assessoria e Cerimonial.

E pelos lados da mLabs a novidade é Rodolfo Marcondes, novo Diretor de criação. Ele já tinha passagem pela Focusnetworks – OnLife Marketing Transformation, onde também atuou como diretor de criação.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Por que contratar uma agência de comunicação para o seu negócio?

*por Beatriz Destefani Augusto

Mesmo com as mudanças nos meios de comunicação que enfrentamos atualmente, o trabalho da assessoria de imprensa ainda é um mistério para muitas pessoas e empresas. Entre nossas funções visamos construir e solidificar a imagem da marca – seja empresa ou pessoa – , por meio de matérias orgânicas nos diferentes meios de comunicação, como televisão, portais, revistas, jornais impressos e até rádio. Porém, a maneira de consumir notícia mudou e, assim, as redes sociais como Facebook e Instagram roubaram o espaço de muitos veículos na hora de achar um /conteúdo. Com este cenário, o trabalho antigo de assessoria de imprensa vai morrer?

Não, na minha opinião não irá morrer, ele irá se transformar – e essa transformação já é perceptível. Para se ter uma ideia, segundo um estudo pela Hoopsuite com a We Are Social, o Brasil está classificado como o segundo país que mais usa a internet, em que, cada pessoa, fica em média nove horas e vinte e nove minutos por dia. Com este cenário, é possível perceber onde as pessoas procuram notícias e consomem informações atualmente.

Antes, um assessor de imprensa, produzia um release, ou seja, um texto com um título chamativo e disparava para um mailing gigantesco de jornalistas que, por sua vez, publicavam ou marcavam uma entrevista com o porta-voz para uma matéria mais ampla. Porém, muitos veículos de comunicação não existem mais, como a crise da editora Abril que, em 2018, anunciou o fechamento de 10 títulos. O mesmo aconteceu com a editora Escala, ou até mesmo com alguns programas de TV que simplesmente não têm mais audiência.

Por outro lado, Instagram cresce cada dia mais e torna-se perceptível que o público está no online, quer a notícia ali e agora, e dificilmente comprará uma revista para ler sobre emagrecimento, sendo que pode seguir uma influenciadora que mostra sua rotina saudável. Nesse momento, como assessora, me pergunto: qual estratégia seguir para dar visibilidade ao meu cliente? As agências de assessoria de imprensa passaram a oferecer um serviço de PR – Public Relations (Relações Públicas), em que a assessoria de imprensa se tornou apenas um braço. Na hora de vender o serviço, é importante explicar para o cliente que fazemos muito mais que uma aparição na mídia, pois somos os responsáveis pela imagem da marca diante do público externo, potencializando ainda mais os seus valores.

A imprensa nunca vai acabar, mas ela encontrará outros meios de chegar até quem consome notícia. E as marcas que desejam aparecer, precisam entender essa transformação e investir em um serviço de comunicação completa, conhecida como comunicação 360°. As agências, além de incluir os clientes na imprensa – independente da plataforma utilizada, também será responsável por alimentar as redes sociais dessa mesma marca, criar vídeos criativos para o Youtube, ou até criar os vídeos-releases, em que um jornalista poderá ter um canal e postar um vídeo pronto de um cliente, falando sobre um determinado assunto. Por que não?

O mesmo raciocínio podemos ter com os influenciadores digitais. Eles não são jornalistas, mas são formadores de opinião e contam com um grande público que se influenciam por suas opiniões. As marcas precisam estar lá, é preciso criar laços com esses influenciadores, por meio de parcerias, para dar mais visibilidade. Com este cenário, acredito que fica mais fácil de empreendedores e empresas entenderem a importância de um PR atualmente e não somente grandes empresas poderão investir nesse serviço, como acontecia há alguns anos.

Um micro empreendedor, por exemplo, precisa de visibilidade, precisa ser achado nas primeiras páginas do Google, precisa ter um bom posicionamento nas redes sociais, um bom site e, ainda, aparições orgânicas nos principais meios de comunicação. Costumo dizer para os meus clientes que, no momento em que eles saem na imprensa, isso mostra para o seu público-alvo que ele tem experiência, renome, mesmo que este mesmo público não tenha encontrado a notícia, mas no momento em que entre no Instagram da marca e vê que aquele serviço está como referência nos veículos, passará credibilidade, confiança. Por isso essa comunicação precisa estar alinhada.

O que seria essa tal comunicação 360°?

Para isso, são usadas algumas estratégias como mídias sociais, comunicação interna, branded content, assessoria de imprensa, entre outras. Vou dar um exemplo de como isso se aplica. Vamos supor que você é dono de um escritório de arquitetura, nós procuramos saber qual é sua especialidade, seu potencial, se você abre faturamento, seus lançamentos e o que deseja passar da sua empresa. A partir disso, traçamos um plano de comunicação, em que vamos divulgar alguns press release, textos direcionados para a imprensa com informações relevantes sobre seu trabalho e também podemos marcar encontros de relacionamentos com jornalistas – sempre de forma estratégica para alcançarmos aquela pessoa que se interessa pelo assunto. Sempre prezar por qualidade e não quantidade.

Quando começamos a divulgar seu nome e o da sua empresa podem começar a surgir as solicitações de entrevista, tudo de forma orgânica. Temos que saber qual é o seu intuito com o trabalho de assessoria de mídia, se você for um artista plástico e não abre faturamento, é mais vantajoso sair em veículos trade, como Arte1, em que seu público-alvo está mais presente do que no Valor Econômico, por exemplo. Muitas vezes, sair em 100 blogs sobre diversos assuntos, não traz o mesmo retorno de sair em apenas um portal que abranja seu público de interesse.

Depois de alinhar tudo isso, a agência precisará traçar um cronograma de pautas para o blog da empresa, além de pensar em estratégias de posts nas redes sociais para maior visibilidade e posicionamento. Se você gosta de falar em vídeo, criar um canal no Youtube ou vídeos para o Instagram, também é bem importante nos tempos atuais. Temos que pensar que as pessoas estão quase todo tempo no online, conectadas e, se o negócio que não estiver nesse meio, não sobreviverá. Tudo isso forma o plano de comunicação.

Portanto, é perceptível a importância da atualização e seguir essas tendências. O mercado de comunicação tem sofrido sim por uma transformação, mas tudo é adaptável e precisamos ficar de olho no que as pessoas estão consumindo. Isso vale para qualquer negócio. Consideramos um trabalho de formiguinha que, assim como no formigueiro, na agência o trabalho é planejado, com o desenvolvimento da comunicação corporativa focando todos os níveis: relacionamento com o jornalista/influenciador ou público-final, por meio da divulgação de conteúdo relevante que aperfeiçoam e destacam o trabalho do cliente.

*Beatriz Destefani Augusto é jornalista e sócia-fundadora da Comunica PR, agência de Relações Públicas

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dança das cadeiras

Agitou

O final de outubro e início de novembro trouxeram muitas movimentações entre profissionais e estudantes de comunicação. Confira algumas delas:

O jornalista Daniel Corrá que vinha atuando como Editor de Conteúdo na Rede Vanguarda passa a exercer a mesma função na CNN Brasil.

Já a relações Públicas Sibele Lopes passa a atuar no Conrerp2. Ela tem passagem anterior pela Polo Palestrantes.

A ainda estudante de relações públicas Gabielle Botário iniciou recentemente como estagiária na Prefeitura Municipal de Taubaté.

O recém formado em relações públicas JoãoPedro Batista de Paula passa atuar no Hub de Educação de Resende – RJ.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga de estágio em comunicação social

Oportunidade de Estágio

COMUNICAÇÃO SOCIAL, PUCLICIDADE E PROPAGANDA, MARKETING e cursos relacionados. Preferencialmente para alunos do 2º e 3º ano. A vaga é para atuar na área de Comunicação e Marketing Digital, site e redes sociais.

Conhecimentos:
– Corel Draw
– Photoshop
– Ferramentas on-line
– Redação

– Noção de fotografia

Habilidades:
– relacionamento interpessoal
– trabalho em equipe
– criatividade

Desejável:
– comprometimento
– responsabilidade
– pontualidade
– interesse em aprender e contribuir com ideia produtivas

Oportunidade:
Empresa: Campel Papelaria
Vaga: 01
Jornada: segunda à sexta-feira – 6h por dia
Oferta: Bolsa estágio + auxílio transporte + seguro acidentes pessoais

Interessado:
– enviar currículo para o e-mail: anabinotto@hotmail.com
– Assunto: Estágio 2020

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Estágio em Criação e Edição de vídeos

Vaga de estágio na Dominus

Empresa situada em SJCampos busca estagiário para atuar com criação e edição de vídeos

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Estágio em Atendimento às Mídias Sociais

Estágio na área de atendimento ao cliente nas mídias sociais

A vaga é para atuar no Supera. O MÉTODO SUPERA é a primeira empresa brasileira dedicada exclusivamente ao desenvolvimento das capacidades do cérebro e à saúde mental. Está no mercado desde 2006, trabalhando para entregar a seus alunos um curso que transforma sua vida pessoal, acadêmica e profissional. É uma rede de franquias com mais de 400 unidades espalhadas por todo o Brasil.

O SUPERA Matriz tem sede em São José dos Campos/SP.

Image by Martin Polo from Pixabay

Requisitos: É necessário estar matriculado nos cursos superiores de publicidade e propaganda, Propaganda e marketing ou jornalismo.

Experiência em redes sociais e atendimento ao público será um diferencial .

Benefícios: Vale refeição de R$25,00 por dia (equivalente a +- R$550,00 por mês), Vale transporte Estudante e Seguro de Vida em grupo.

Jornada de estágio: segunda a sexta das 9h ás 16h.

Duração do contrato: 24 meses

Horas de meio período: 30 por semana

Tipo de vaga: Meio Período, Estágio

Bolsa: R$ 850 por mês

Candidate-se por aqui

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dança das cadeiras

Setembro agitado

É a primavera está quase por aí. E parece que a proximidade da nova estação agitou as coisas no mercado de comunicação e marketing do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira.

André Virgilio passa a responder pelo cargo de Designer de Interface do Usuário na Aproxima.co Marketing, agência sediada em Taubaté

Natália Aragão é a nova Head Of Digital na Papaya Comunicação, de SJCampos.

A publicitária Acácia Teixeira passa a atuar como Social Media na Mood Marketing – Agência de Publicidade. Detalhe: a agência é de São Vicente e a Acácia trabalhará remotamente.

Isadora de Souza Prazeres era estagiária e agora foi contratada como Designer Gráfico na Qualicom, agência localizada em Taubaté.

E por último, mas nem por isso menos importante, Gabriela Couto é a nova Relações Públicas do GAPC Taubaté.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga de estágio aberta em criação

Helpis busca estagiário de criação

A vaga é para alunos de qualquer curso de comunicação social. A Helpis está localizada em Taubaté. Contato anterior com programas de desktop design é interessante para a vaga.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0