Criteo revela que consumidores iniciam jornada de compras de final de ano em outubro

Conversões começam em novembro com forte influência da Black Friday e dispositivos móveis crescem como canal para conclusão de pedidos

Quando o assunto são as compras de final de ano, a antecipação tem sido a palavra de ordem para os consumidores brasileiros que fazem suas aquisições pela Internet. De acordo com o estudo Criteo Shopper Story 2017, da Criteo (NASDAQ: CRTO), líder em marketing para e-commerce, as pessoas começam a pesquisar os presentes mais caros (como televisores e videogames) em outubro e as conversões iniciam em novembro.

A Black Friday tem papel importante nessa antecipação. Importada dos Estados Unidos, a data vem ganhando cada vez mais representatividade no Brasil. De 2012 para 2016, as vendas aumentaram quase cinco vezes, atingindo um crescimento de 465%.

“Tudo o que sempre foi verdade absoluta sobre sazonalidade do varejo está começando a mudar, pois agora os consumidores compram quando bem entendem. As marcas e as lojas precisam estar lá com seus produtos durante toda a sinuosa jornada de compra, que para muitas pessoas começa em outubro”, comenta Alessander Firmino, diretor da Criteo para América Latina e Brasil.

Dados da empresa ainda revelam que o uso de dispositivos móveis é cada vez maior nas transações pela Internet. No quarto trimestre do ano passado, 24% de todas as compras online do País foram concluídas no ambiente mobile. E os consumidores esperam ter a mesma experiência que têm no computador em seus tablets e smartphones.

“Os varejistas precisam traçar estratégias que foquem no consumidor e não apenas no canal ou dispositivo. Em média, a jornada de compra é 1,5 vez mais longa do que o visto em análises que consideram apenas um device”, explica Firmino.

A jornada até a compra

O estudo Criteo Shopper Story 2017 analisou o comportamento de mil consumidores omnichannel do Brasil para entender melhor suas influências e motivações. A pesquisa abrange as palavras mais buscadas na Internet e também milhões de carrinhos de compra dentro de uma rede que conta com mais de 15 mil anunciantes, incluindo os principais varejistas do Brasil, além de marcas de segmentos variados, como eletrônicos, moda, artigos esportivos e eletrodomésticos. Mais descobertas seguem abaixo:

As pessoas usam a internet para pesquisar produtos que compram na loja física (webrooming). Por outro lado, muitos clientes na loja física fecham a compra online (showrooming). De acordo com a pesquisa, 80% dos consumidores omnichannel agem das duas formas.

O e-commerce brasileiro vem ficando mais competitivo graças à expertise cada vez maior dos grandes anunciantes e ao aumento da concorrência online. Agora com mais escolhas, os consumidores fazem compras em vários sites, comparando disponibilidade, opções de frete e informações do produto, além dos preços. O cross-shopping é especialmente comum na categoria “Eletroeletrônicos”, na qual 47% dizem visitar regularmente vários sites para fazer comparações.

A pesquisa revela ainda que antes da conversão, as pessoas costumam manter o carrinho de compras online cheio. Essa prática é mais forte na categoria “Roupas”. Neste caso, um terço dos consumidores inclui itens no carrinho, mas não conclui o pedido na hora.

Fonte: FirstCom Comunicação – Eduardo Mustafa

Mais mobile nas férias

Mobile: pesquisa da RTB House revela aumento no uso dos dispositivos móveis durante as férias

A sazonalidade nas campanhas de marketing não deve considerar apenas datas comemorativas ou períodos de promoções, mas também o tipo de dispositivo que os consumidores usam para pesquisar e comprar produtos online. Foi isso que a RTB House, uma empresa global que fornece tecnologia de ponta para retargeting, concluiu ao constatar que as atividades de smartphones e tablets cresceram mais de 30% durante as férias de julho no ano passado.

O poder crescente dos dispositivos móveis já foi comprovado pelo relatório sobre Receita de Publicidade na Internet, desenvolvido pela PricewaterhouseCoopers em conjunto com o Interactive Advertising Bureau. O levantamento mapeou que 51% dos US$ 72,5 bilhões gastos com anúncios digitais em 2016 vieram de plataformas móveis – movimentando um total de US$ 36,6 bilhões. Agora, a RTB House constatou também que as atividades em smartphones e tablets ficam particularmente mais intensas durante as férias.

O mapeamento levou em conta uma base em dados de mais de 40 mercados em toda a Europa, América Latina, Ásia e Pacífico, Oriente Médio e África. De maneira geral, o número de conversões de dispositivos móveis aumentou em julho e agosto de 2016, onde a participação nos smartphones foi de 27% a 36% superior à média do ano. Os smarphones e tablets geraram, em conjunto, 28% do número total de conversões no primeiro mês e quase 30% no último mês – os smartphones representaram mais 24% e 25%, respectivamente, enquanto os tablets representaram mais de 4% em ambos.

Rodrigo Lobato, country manager da RTB House no Brasil, aponta que, com a quantidade crescente de dispositivos móveis, os anunciantes precisam estar conscientes da sazonalidade na utilização dos smartphones e tablets. “O uso de celular aumenta significativamente, pois as pessoas gastam mais tempo fora de casa, saem de férias ou vão viajar. As atividades baseadas em performance com o uso de campanhas cross device podem direcionar as pessoas em seu percurso, permitindo que os anúncios aproveitem não apenas as temporizações em suas ofertas, mas os canais mais prováveis de serem usados”.

Lobato também observa que “com as ferramentas de retargeting corretas, os comerciantes podem reagir rapidamente ao comportamento dos clientes em diferentes estágios do caminho de compra. Sabendo como e quando os consumidores estão envolvidos com plataformas específicas, eles podem planejar estratégias de publicidade por diferentes segmentos de usuários – visitantes, consumidores frequentes ou aqueles de primeira viagem – e entregar mensagens mais precisas e personalizadas durante os horários de pico”.

Essa tendência de mobilidade nas férias reflete uma maior área de crescimento no mercado de marketing móvel. Em 2016, a participação média dos dispositivos móveis de janeiro a maio representou cerca de 19% de conversões. Em 2017, esse valor cresceu para mais de 28%, o que representa um crescimento de quase 50% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Podemos assumir que durante as férias de 2017 teremos um pico igual ou talvez maior”, avalia Lobato.

O estudo baseia-se em dados coletados de mais de 1.000 campanhas realizadas no modelo RTB, uma tecnologia de anúncios online que permite a compra e a venda de visualizações de anúncios individuais em tempo real. Eles foram compilados no Device Report, pesquisa desenvolvida a partir do painel de clientes de retargeting personalizado da RTB House.

A RTB House é uma das poucas empresas do mundo que desenvolveu e implementou sua própria tecnologia para compra de anúncios no modelo RTB (lances em tempo real). A empresa atua em todo o mundo e opera campanhas para marcas globais em 40 mercados da Europa, América Latina, Ásia e Pacífico, Oriente Médio e África.

Fonte: Diego Segura

Comércio eletrônico precisa de uma boa estratégia

E-business de sucesso pede transformação digital

* por Roberto Atayde

O consumidor de hoje possui vários dispositivos – smartphones, tablets, computadores, relógios etc – e espera uma experiência de compras on-line rápida, fácil e, acima de tudo, amigável.

Muitas empresas têm buscado no e-commerce uma saída para melhorar resultados sem, no entanto, se atentarem ao entorno de uma maneira mais detalhada.

Essa atitude geralmente leva a uma grande miopia na concepção de uma estratégia adequada ao negócio. Na maioria das vezes, na tentativa de utilizar os mesmos processos para reduzir custos ou por receio do novo, do desconhecido, os gestores optam por adaptações que acabam sendo desastrosas e fazem com que grandes empresas que deram grandes passos recuem em suas estratégias e criem um novo modelo, porém digitalmente pensado.

Mas a dura realidade é uma só: lojas sem presença online estão destinadas a desaparecer!

A presença digital deve ser pensada como um novo negócio, planejada desde sua concepção até a sua implementação, lembrando que o sucesso está diretamente ligado às estratégias adotadas previamente. Dependendo do negócio, do público, da natureza da operação, os resultados podem se mostrar ainda melhores se, por exemplo, um aplicativo, atrelado ao e-commerce, for concebido para alavancar a empresa digitalmente.

Esse processo de planejamento estratégico geralmente aponta diversas disfunções e demandas e o gestor tem que estar preparado para encarar as mudanças requeridas antes da construção de um e-business, mas nem sempre eles têm conhecimentos suficientes que os permitam se desafiar e encarar uma transformação digital sozinhos, sem o suporte de especialistas que conseguem ter uma visão mais ampla e isentada organização nesse processo de digitalização.

Uma coisa é certa: quem não fizer agora, fará num futuro muito próximo ou não terá a chance de fazê-lo, pois não se trata apenas de uma oportunidade, mas de uma questão de sobrevivência que está ameaçada, face à rápida adoção dos meios digitais que crescem e se tornam mais intuitivos a cada nova geração.

Essas constantes inovações e o ritmo acelerado que acontecem, demandam contínua atenção, questionamentos e reavaliações dos modelos tradicionais para atender gerações muito distintas – desde uma pessoa mais idosa que mal utiliza o controle remoto da televisão, até a geração mais nova que já nasce digital. Surgem novos modelos de negócios que terão um grande impacto no e-commerce, nos aplicativos e na cadeia de valor da indústria e do comércio, atentando ainda aos comportamentos e expectativas dos consumidores que estão evoluindo e ficando cada vez mais exigentes.

Hoje, o comércio eletrônico é em grande parte, impulsionado por preço e conveniência, porém um número cada vez maior de consumidores está começando a querer mais do comércio eletrônico, por exemplo, a capacidade de descobrir produtos exclusivos que não serão encontrados em grandes redes de varejo. Isso fará com que essa experiência de comércio eletrônico mude drasticamente.

A tendência é que cada comprador tenha acesso a conteúdos exclusivos, recebendo recomendações de produtos e acessórios definidos com base em suas preferências, localização geográfica, tendências de mercado, grupo demográfico, experiência de compras anteriores e interações de marca – tudo de forma totalmente natural. É como se uma transferência do conhecimento dos vendedores físicos que sabiam seu nome e suas preferências, migrassem para o mundo virtual.

A conexão entre o que o cliente vê online e o que ele recebe deve ser completa. Ele deve ter acesso a todas as informações de forma clara e um processo fácil do início ao fim. Aproximadamente 92% dos usuários da internet buscam regularmente informações de produtos e comentários de outros compradores, isso porque ainda existe a incerteza, um imenso obstáculo para compras on-line. Quanto mais informações sobre um produto existir (fotos, comentários, descrições, especificações, etc.), maior a chance de conversão.

E para fazer da compra uma experiência única, seja nas lojas ou no ambiente virtual, com o objetivo de aprimorar e diferenciar a proposta de valor de uma marca, ela deve ser altamente envolvente, inclusive utilizando-se de recursos tecnológicos como a realidade aumentada, que na maioria das vezes desempenha um papel fundamental e decisivo. Imagine conseguir “ver” aquele apartamento que ainda está na planta, já mobiliado com os móveis que você idealizou, podendo-se inclusive, caminhar dentro dele sem na verdade sair do lugar. Todos os ajustes são realizados antes e, quando o projeto se materializa, já estará perfeito, sem necessidade de retrabalho e sem causar surpresas indesejadas.

A transformação digital transcende as barreiras do virtual. Para a geração que adora fazer check-in por onde passa e compartilhar suas experiências em mídias sociais, nada melhor do que um ambiente apropriado, já que no mundo das “selfies”, uma foto num local “descolado” pode promover produtos e ganhar escala rapidamente e com baixíssimo custo, motivo da busca incansável da integração da mídia social com o varejo em lojas, no intuito de estimular as compras socialmente impulsionadas além de impactar significativamente a relevância da marca, que é percebida muito rapidamente.

As variáveis são inúmeras, muitas são as dúvidas e questionamentos e as respostas, difíceis e pouco óbvias. Desconstruir conceitos para construir relevância, exige coragem e determinação, mas é o que garante a continuidade. Sem estratégia, não tem transformação digital. Sem transformação digital, não existe e-business de sucesso. Sem e-business de sucesso, não tem cliente.

*Roberto Atayde é adviser da Topper Minds.

A transformação digital

Quando se trata da experiência do seu cliente, a dica é simples: seja digital!

*por Laura Bassett

O futuro dos negócios, na verdade, o futuro da experiência do cliente, é a vida como a conhecemos – aqui e AGORA. O sucesso organizacional neste momento, no entanto, depende de uma coisa: a transformação digital.

Laura Basset

A transformação digital pode significar muitas coisas, mas inclui uma ideia fundamental – aplicar tecnologias digitais a todos os aspectos da vida. Para os consumidores isso já é uma realidade: eles usam seus smartphones, laptops, tablets e aplicativos favoritos para fazer tudo durante todo o dia. Para as organizações, isso significa descobrir como aproveitar as tecnologias digitais (aplicativos, processos, procedimentos) e recursos existentes (essencialmente o talento de seus funcionários) em seus negócios de maneira estratégica para atender as necessidades dos consumidores a qualquer momento – o tempo todo. E fazer melhor do que a sua concorrência. A transformação digital também se trata de analisar seus aplicativos de negócios, aplicativos móveis, processos, procedimentos e talentos existentes com um outro olhar.

A transformação digital bem-sucedida requer uma mudança no comportamento organizacional e na mentalidade cultural da empresa. Isso quer dizer que é necessário criar um roteiro estratégico que descreva a implementação e a melhoria contínua dos processos. E talvez o ponto mais assustador de todos, significa que as empresas precisam trabalhar para verdadeiramente conhecer e entender seus clientes, ou seja, os líderes das empresas devem ter um controle real sobre os dados gerados que alimentam suas organizações.

A realidade de um mundo inteligente e digital é clara. Tecnologias avançadas como a Internet das Coisas e a realidade virtual não são mais ficção científica, já se tornaram realidade e devem ganhar cada vez mais espaço. Tanto que, em apenas três anos, espera-se que 100 milhões de consumidores comecem a fazer compras utilizando a realidade virtual e até 20 bilhões de objetos serão habilitados para a Internet. Enquanto isso, a automação e a análise de dados evoluíram de artigos de luxo para processos essenciais para a empresa. Impulsionados por esse rápido ritmo de mudança digital, os analistas preveem que 65% das crianças hoje vão crescer para trabalhar em funções que ainda não existem.

As empresas precisam se tornar digitais de forma bem-sucedida para permanecerem ágeis, integradas e à prova do futuro, de forma que possam dar suporta a esse futuro do tudo. A boa notícia é que 80% atualmente identificam a “transformação digital” como sua principal prioridade estratégica. As más notícias? Essas mesmas empresas estão realmente enfrentando dificuldades para migrar de seus processos antigos, sistemas e arquitetura ultrapassados. Veja por exemplo o segmento governamental, onde 71% dos tomadores de decisão de TI federais ainda usam sistemas operacionais antigos para executar aplicativos importantes. Como eles podem se tornar digitais sem ter as plataformas mais recentes para suportar um ambiente digital?

As organizações não conseguem re-imaginar as operações, refazer a engenharia de processos críticos ou alinhar áreas de negócios importantes da maneira que precisam, insistindo em tecnologias antiquadas. Mas falar sobre criar um caminho de migração é mais fácil do que fazer isso de fato. Eu já disse isso antes e vou dizer novamente: vai muito além da tecnologia.

Parece desafiante, mas não é impossível. Para isso, é necessário entender os principais desafios de transformar as experiências ultrapassadas para o mundo digital e definir os passos a serem seguidos para minimizar a interrupção e impulsionar a adoção de novas capacidades digitais.

*Laura Bassett é diretora de Marketing para soluções Customer e Team Engagement da Avaya

TecnoMultimídia apresenta novidades da indústria audiovisual

Evento traz o ambiente ideal para quem busca se atualizar sobre as novas tecnologias que impactarão o setor

TecnoMultimídia InfoComm Brasil 2017, maior feira do setor audiovisual, que acontece de 23 a 25 de maio, no São Paulo Expo, irá reunir os principais fabricantes mundiais, assim como distribuidores regionais, nacionais e as mais importantes empresas integradoras no São Paulo Expo.

Voltada ao mercado de sistemas de áudio, vídeo, automação residencial, digital signage e comunicações unificadas, a feira traz para os profissionais da área o ambiente ideal para quem busca se atualizar sobre as novas tecnologias do setor. Entre as empresas já confirmadas estão: Aureside, Arthur Holm/Albiral España, Barco Brasil, Benq Brasil, Casio, Crestron Latin America, Epson, Dealer Tech, Grupo Discabos Brasil, Kramer Electronics Brasil, Milestone AV Technologies, Munddo Distribuidora, Neocontrol, Panasonic Brasil, Ricoh Brasil, SBUS Automação, Shure e Sony Latin America. Veja a lista com todos os expositores no link: http://www.tecnomultimidia.com.br/expositores.html

Os sistemas de projeção estão entre as novidades mais aguardadas. A Casio apresenta seu novo projetor 4K, em primeira mão para o Brasil. A BenQ lança a linha completa de projetores 4K para home cinema, o primeiro no mundo com a tecnologia DLP (Processamento Digital da Luz) e que pode ser desenvolvido sob medida para ambientes residenciais. Mas para quem busca projeções para grandes áreas, eventos e de vídeo mapping, o grande destaque da Epson será a linha profissional Epson Pro L, que incorpora uma fonte de luz laser para uma incrível qualidade de imagem, durabilidade e confiabilidade.

Os visitantes poderão conferir também as soluções de automação residencial e comercial. O Grupo Discabos, apresenta as soluções de automação da SBUS, uma linha cabeada e Wireless com Energy Cloud – sistema de gestão e controle para eficiência energética, e as tecnologias para o mercado AV da ATEN, uma solução para controle de salas de áudio e vídeo, com equipamentos para gestão de energia em racks – PDU.

A Munddo Distribuidora, importadora e distribuidora de sistemas inteligentes para automação residencial e predial, que está lançando o iEAST, sistema para sonorização de ambientes sem fio, compatível com os principais serviços de música online. Em paralelo, a Flex Automation traz a nova linha Hubless, sistema para automação com infravermelho e que não necessita de central para ser comandada por smartphones e tablets.

A feira também apresenta soluções para o ambiente corporativo. AKramer mostra o VIA GO, que permite conexão instantânea para iniciar apresentações com a mais alta qualidade, e o VIA AWARE, que pode exibir até seis telas de usuário em uma principal ou até 12 telas em dois monitores, dependendo do hardware. Além de possibilitar a interação e colaboração entre salas e escritórios, seja em prédios, cidades ou países diferentes, essa tecnologia também pode ser utilizada na área educacional, já que os alunos com acesso remoto podem facilmente participar da turma e colaborar em tempo real com videoconferências e aplicativos de escritório de terceiros.

“A TecnoMultimídia InfoComm é uma oportunidade para os profissionais acompanharem toda a evolução dessa indústria. Além do que está em alta e lançamentos, a feira também conta com fóruns, palestras, programas acadêmicos e seminários”, diz Victor Alarcón, gerente de projetos da feira.

Sobre a TecnoMultimídia InfoComm Brasil

A TecnoMultimídia InfoComm Brasil, organizada pela Latin Press Inc., é a principal feira da indústria de áudio, vídeo, iluminação e sistemas profissionais integrados realizada no Brasil. Realizada pela AVI Latinoamérica e InfoComm International, a feira apresenta aos visitantes os avanços tecnológicos em AVI e reúne os principais fabricantes mundiais, bem como distribuidores regionais e nacionais, incluindo também empresas integradoras. A feira reúne em três dias tudo o que de melhor e mais moderno o mundo audiovisual tem a oferecer. Para mais informações, visite: www.tecnomultimidia.com.br.

Serviço:

TecnoMultimídia InfoComm Brasil 2017

Data e horário: de 23 a 25 de maio (de terça-feira a quinta-feira), das 13h às 20h

Local: São Paulo Expo – Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – Vila Água Funda – São Paulo/SP

Website: www.tecnomultimidia.com.br.

Fonte:Douglas Cruz – Maria Eugenia Lucci

Especialistas discutem o futuro dos games para smartphones

MediaTek reúne especialistas para discutir futuro dos games para smartphones

TechDive contou com a participação da desenvolvedora de jogos Gameloft e abordou questões como a evolução das GPUs e o que é necessário para a criação de um título triple A

A MediaTek realizou na sede da Punto Comunicação Multimeios, em São Paulo, a quinta edição do TechDive, programa de disseminação do conhecimento sobre novas tecnologias destinado à imprensa. O evento teve como tema “Tendências de hardware e software para o mundo dos games para smartphones” e os palestrantes Samir Vani, country manager da MediaTek no Brasil; Hernan Descalzi, Sales & Marketing Manager da MediaTek; e Rodrigo Russano Dias, social media & community manager da Gameloft.

Apresentação de Samir Vani (country manager da MediaTek no Brasil) durante o TechDive

“Os smartphones já representam a principal plataforma para games e o hardware dos celulares passa por uma evolução constante para poder entregar uma experiência de usuário cada vez melhor”, destaca Samir Vani, country manager da MediaTek no Brasil. Segundo o executivo, os fabricantes de processadores precisam equilibrar questões como desempenho, consumo de energia e temperatura para oferecer a melhor combinação aos usuários de smartphones.

“Os nossos jogos triple A exigem muito dos devices e existe uma série de requerimentos que os celulares precisam atender”, ressalta Rodrigo Russano Dias, social media & community manager da Gameloft, empresa que desenvolve jogos mobile há 17 anos. A equipe de “testers” da Gameloft só libera o jogo para um aparelho se todos os requerimentos forem atendidos. “Se o celular não suporta aquele game, o jogo nem aparece na Loja de Aplicativos daquele usuário”, afirma.

No evento, os especialistas também abordaram as novas tecnologias que estão surgindo no mercado, como o uso de óculos de realidade virtual. “Estamos no limiar de uma nova era em relação à demanda por processamento, para atender à evolução de tecnologias como realidade aumentada”, afirma Vani, referindo-se aos requisitos de hardware que as novas tecnologias irão demandar.

Sobre a MediaTek
A MediaTek Incorporated é uma fabricante global de semicondutores com produção terceirizada (fabless). Seus chips equipam mais de 1,5 bilhão de produtos conectados ao ano. Somos um dos líderes de mercado no desenvolvimento de inovadores SoCs (systems-on-chip) altamente integrados e energeticamente eficientes para dispositivos móveis, entretenimento doméstico, conectividade e Internet das Coisas. Nossa dedicação à inovação tem nos posicionado como referencial no mercado em várias áreas da tecnologia, incluindo tecnologias móveis altamente eficientes na economia de energia e soluções avançadas para multimídia, em toda uma gama de produtos, como smartphones, tablets, TV digital, OTT boxes, wearables e soluções automotivas. A MediaTek capacita e inspira pessoas a expandir seus horizontes e atingir suas metas com maior facilidade, por meio do uso de tecnologias inteligentes. Chamamos esse conceito de Everyday Genius e ele guia tudo o que fazemos.

Fonte: Punto Comunicação Multimeios – Daniel dos Santos/Bruna Valentim/Fabiana Macedo

Estadão é o primeiro jornal brasileiro no Telegram

Leitores podem receber manchetes e principais notícias do dia pelo aplicativo

unnamed

O recente bloqueio de 24 horas ao WhatsApp não afetou a maioria dos leitores do Estadão que queriam receber notícias pelo seu celular. O jornal, que envia manchetes e principais notícias aos leitores por meio do app de comunicação mais popular, continuou a fazer isso pelo Telegram. O Estadão é o primeiro jornal brasileiro a usar o aplicativo para se comunicar com seus leitores.

Desde abril, o jornal seleciona as principais notícias do dia e envia por meio de três aplicativos de mensagens instantâneas: WhatsApp, Telegram e MyPush. No caso do Telegram, que teve um incremento de acessos em razão do bloqueio do concorrente, o Estadão já conta com mais de 1,3 mil membros na comunidade que organiza. Além de manchetes, os leitores recebem três vezes ao dia vídeos relevantes e áudios das entrevistas mais importantes veiculadas pela Rádio Estadão, além de breaking news.

No WathsApp já são mais de 6 mil pessoas cadastradas. As informações são enviadas em três horários fixos por dia: 8h, 12h e 18h. Notícias de última hora também são enviadas aos usuários. No MyPush (onde o Estadão também é pioneiro), são 370 assinantes que têm as informações em seus celulares durante todo o dia.

Saiba como se cadastrar:

– Telegram – baixe o aplicativo gratuito no celular (disponível para Android e IOS) e procure por @estadao e comece a receber as informações.

– WhatsApp – adicionar nos contatos do celular o número (11) 99406-2903 e pedir a inclusão no grupo. Os participantes farão parte de um núcleo de transmissão, ou seja, serão notificados apenas pelo ‘Estado’, que administra o grupo. Não é possível conversar entre si, apenas receber informações do jornal.

– MyPush – os serviços do Estado no MyPush estão disponíveis gratuitamente para IOS, Android e Windows Phone. O funcionamento do serviço é muito simples. Basta baixar o aplicativo do MyPush, procurar o canal Estadão e assiná-lo gratuitamente.

telegram-isisJornal impresso nos smartphones – O Estadão não para de inovar. Agora, o leitor pode ter toda a edição impressa do jornal em versão digital direto no seu smartphone, seja iPhone ou com sistema operacional Android. Por meio do novo aplicativo Estadão – Edição Digital, que está disponível gratuitamente na AppStore e no GooglePlay, o usuário pode comprar e ler todas as edições, incrementadas com recursos interativos. O novo aplicativo para smartphones traz a mesma experiência da versão para tablets. Apostando na tendência de consumo de notícias em dispositivos móveis.

O recurso também dá acesso ao Estadão Noite, edição liberada às 20h de segunda a sexta, disponível gratuitamente por tempo limitado. Com o aplicativo Estadão – Edição Digital, o usuário é notificado sempre que uma nova edição fica disponível para leitura. Quem já é assinante pode baixar as edições digitais do jornal para ler quando estiver sem conexão com a internet. Quem não é assinante pode comprar edições avulsas por meio do aplicativo.

O Estado foi o primeiro jornal brasileiro a ter uma versão específica para tablets, lançada em abril de 2010, mesmo dia em que o iPad chegou às lojas dos EUA. “Com a oferta da edição digital para smartphones, o Estadão mostra mais uma vez que está alinhado com as principais tendências”, diz Luis Fernando Bovo, editor executivo de Conteúdos Digitais do Estado.

Fonte:Lucia Faria Comunicação Corporativa – Marco Barone

ROIx lança TVxtender Mobile e mira investimentos de marketing nas plataformas móveis

Novo produto conta com o que existe de mais avançado em tecnologia de segurança

unnamed

Smartphones e tablets são hoje as plataformas digitais mais utilizadas globalmente para o consumo de internet, ultrapassando até mesmo a navegação pelo computador. De olho neste comportamento que vem se destacando nos últimos anos, a ROIx, empresa de gestão de audiência e private network, apresenta ao mercado o TVxtender Mobile.

A nova tecnologia segue os mesmo passos e toda qualidade e precisão do TVxtender tradicional, veículo de distribuição de mídia digital para campanhas de vídeo com entrega por audiência em grandes portais brasileiros.

As características do TVxtender Mobile envolvem o que existe de mais avançado em tecnologia de segurança, incluindo bloqueio de tráfego não-humano e monitoramento diário manual de sites, bem como tecnologia real time de verificação de atividades suspeitas.

 

De acordo com Elenice Galera, Digital Strategy Partner do TVxtender, todas as impressões são homologadas seguindo os parâmetros do Media Rating Council. “Estudamos o mercado mobile por mais de um ano até chegar ao modelo ideal de oferecimento de vídeos em plataformas móveis”, explica.

Para proporcionar a melhor experiência aos usuários, o TVxtender Mobile oferece diferentes formatos a fim de garantir melhor engajamento. São eles in game (publicidade incentivadora), interstitial (filme sobreposto em conteúdo do site) e mobile app video (fulscreen no aplicativo).

O lançamento do TVxtender Mobile acontece em momento estratégico por conta de importantes movimentações no ambiente online. Segundo estimativas, o investimento em mobile marketing superará a marca de US$ 100 bilhões no mundo todo em 2016. Esse montante deve compor uma fatia de 51% do mercado publicitário digital global.

“Estamos investindo pesado neste segmento, que apresenta crescimento constante e sólido há bastante tempo. Nosso objetivo é trazer tanto para o anunciante quanto para o usuário experiências diferentes, garantindo maior engajamento. Acreditamos que os investimentos em ações nesta vertente superarão os recursos destinados à mídia online no desktop”, destaca Elenice.ipad-632394_640Sobre o TVxtender: O TVxtender é um veículo de distribuição de mídia que busca estender uma campanha de vídeo para grandes portais e sites da internet brasileira. Idealizada e gerenciada pela ROIx, empresa pioneira em gestão de dados e audiência no País, a plataforma de vídeo trabalha 100% direcionada à compra de mídia por audiência. Com mais de 94 milhões de usuários a plataforma de vídeo possibilita que a entrega do conteúdo publicitário seja realizada de forma precisa, ou seja, somente para o púbico que deve ser impactado. Com o objetivo de aperfeiçoar o alcance das campanhas publicitárias desenvolveram metodologia denominada Video Extension Strategy (V E S), que se propõe a estudar o ponto ótimo dos meios de comunicação que compõe um plano de mídia e busca oportunidades de redimensionar investimentos, assim, potencializando a entrega e resultados. Para gerar segurança e qualidade ao mercado anunciante o TVxtender trabalha com a ferramenta DAR da Nielsen, que comprova, por meio de relatórios auditados, a assertividade da campanha em relação ao target definido.

Fonte: Lucia Faria Comunicação Corporativa – Tatiane Oliveira

Assuntos Digitais estreando aqui

Novo articulista: Bruno César

Tenho que dizer que é um prazer escrever para o Publicitando. Sempre foi uma das minhas referências preferidas na Internet.
Bom… Me formei no ano passado em Publicidade e Propaganda pela UNITAU. Atualmente trabalho no E-commerce do Magazine Luiza e estou cursando pós graduação em Marketing Digital pela Faculdade Impacta de Tecnologia.

Muito prazer! Sou Bruno César, o novo articulista de assuntos digitais deste blog.
Confesso que adoro assuntos relacionados à tecnologia e comunicação. Estudar estas áreas do conhecimento são um grande prazer para mim. Mas vamos ao que interessa!

DSC02466

Nosso novo articulista, Bruno César, sempre foi entusiasta das novas tecnologias e vai falar sobre elas por aqui.

Hoje todas as ações de comunicação estão diretamente ligadas ao digital. Não existe mais divisão entre ON e OFF, tudo faz parte de um enorme complexo de comunicação integrada. Este cenário se formou graças ao comportamento das pessoas. Hoje, todas as interações no mundo real acabam cruzando em algum momento a linha do digital. Não importa qual tipo de informação seja, todas elas estão dentro da Web.

Você pode me dizer que as redes sociais são as grandes responsáveis por todo este fenômeno. E eu te digo que é VERDADE! Mas o grande catalisador deste fenômeno cabe na palma de sua mão.

Os dispositivos móveis (smartphones, tablets, etc.) estão disseminados em todos os níveis da sociedade, causando uma verdadeira [R]evolução. A necessidade de nos comunicar em qualquer lugar e a qualquer momento fez com que estes dispositivos se tornassem indispensáveis na vida moderna.

Vai me dizer que você consegue sair de casa sem seu aparelho?!
Olhe de uma outra maneira para seu dispositivo móvel e pense nele como uma importante ferramenta de comunicação publicitária. Pois é uma mídia que possibilita um infindável número de formatos e possibilidades de interação, o que a torna (na minha opinião) a mais importante dentro do complexo de comunicação moderno.
Se “antigamente” não se podia ficar fora da Internet, hoje não se pode ficar fora dos dispositivos móveis!

Bem-vindos à [R]evolução Mobile.