Comércio de São José está otimista com o Natal

Inflação controlada, queda na taxa de juros e retomada do emprego prometem aquecer setor, aponta nova pesquisa ACI-Unitau

Uma boa notícia: apesar de cautelosos, os comerciantes de São José dos Campos estão otimistas para o Natal deste ano.

Esse é o cenário que aponta nova rodada de pesquisas feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, por meio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação). Realizado entre os dias 7 e 9 de novembro, o levantamento ouviu 249 comerciantes no Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro e nos shoppings Vale Sul e CenterVale. O nível de confiança da amostra é de 95% e a margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.

“Esse Natal vai ser embalado pela recuperação lenta, mas gradual da economia, com inflação dentro da meta, redução de juros e retomada do nível de emprego. Tudo isso, somado ao projeto “Natal Iluminado”, com a retomada da decoração natalina nas ruas e praças do centro da cidade, favorece o comércio” – disse o presidente da ACI de São José dos Campos, Humberto Dutra.

Nesse cenário, 40,2% dos entrevistados acreditam que as vendas para o Natal desse ano serão maiores que em 2016, contra 26,9% que esperam que o movimento fique no mesmo patamar e 16,1% que prevêem redução nas vendas. Os setores mais otimistas são viagem e turismo, cosméticos e perfumaria, tecidos e armarinhos, roupas e acessórios, além de drogarias.

Para a maioria do setor, o tíquete médio desembolsado pelo consumidor vai atingir até R$ 150. Esse patamar é citado por 52,2% dos entrevistados.

Sobre o desempenho da economia do país, o empresário do comércio está cauteloso. A expectativa da grande maioria (58,6%) é que o ritmo de crescimento da economia se mantenha igual para os próximos meses. Outros 32,9% acreditam em aumento do ritmo contra 3,6% que acreditam em uma retração.

Emprego

A pesquisa ACI-Unitau aponta ainda que 63,9% dos lojistas pretendem contratar funcionários temporários para o Natal. O número médio de contratações por loja deve girar de um a três funcionários. E os setores que mais devem contratar são os de drogarias, eletroeletrônicos, alimentação, calçados, bolsas e acessórios, jóias e bijuterias, cosméticos e perfumaria, além de roupas e acessórios.

Transformar a vaga temporária em vaga efetiva, no entanto, não vai ser fácil no comércio de São José dos Campos.

Dos 249 lojistas ouvidos na pesquisa ACI-Unitau, apenas 13,3% planejam aumentar o ritmo de contratações em sua empresa nos próximos três meses, contra 79,1% que planejam manter o quadro atual e 5,6% que admitem reduzir o quadro de pessoal. A maioria dos estabelecimentos pesquisados é formado por microempresas, que empregam, atualmente, até 9 funcionários.

Fonte: Matéria Consultoria e Mídia – Nathália Barcellos

RP estagia no Grupo Solar

Aluna de sexto semestre trabalhará com mídias sociais

A aluna de relações públicas da Unitau, Luísa Barbosa Siqueira, acaba de assumir como estagiária de social media do Grupo Solar.

O Grupo Solar é dividido em três vertentes de atuação: Solar Social, Solar Music e Solar Digital. A primeira vertente faz a ponte entre aqueles que querem ajudar e as entidades/projetos sociais/instituições que precisam ser ajudados. A segunda trabalha na área musical fazendo projetos para artistas e assessorando na parte digital. A terceira e última vertente é a que faz/cuida de toda a divulgação via mídias sociais das empresas, projetos e pessoas atendidas pelo grupo.

Luísa cuidará do planejamento, postagem, mensuração e reports. Anteriormente ela havia atuado na ACI (Agência de Comunicação Integrada do Depto. de Comunicação Social da Unitau) e está atuando na ACOM, assessoria de Comunicação da Unitau, onde permanecerá apesar das novas atividades no Grupo Solar.

Pesquisa aponta que corrupção assusta empresários

Corrupção é o principal problema do país, segundo empresários joseenses

Pesquisa realizada em parceria entre ACI e Fapeti/ Unitau analisa as percepções do empresário diante da atual situação do país

A corrupção é o principal problema a ser resolvido no país, de acordo com a opinião dos empresários do comércio de São José dos Campos. Esse é o dado apontado pela pesquisa realizada pela ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté por meio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação).

De acordo com o levantamento, 21% dos entrevistados acreditam que a corrupção é o maior problema, seguido de 13,5% que enxergam o desemprego como a principal dificuldade do país. Em terceiro lugar, está a educação, com 13,1% e, em seguida, com 12,4%, a crise política. A saúde foi apontada como a principal queixa para 12,1% dos entrevistados.

Os empresários também foram questionados sobre os impactos da crise política na economia brasileira. O aumento do desemprego foi o mais registrado, com 24,7% das opiniões. Em seguida, vieram a diminuição de vendas, com 13,5%, e o fechamento de empresas, com 11,3% das respostas. O aumento de impostos também apareceu entre as opiniões de 10% dos entrevistados.

Segundo o estudo, a crise causou a diminuição de vendas para 34,3% dos entrevistados. Para 14,5%, a situação econômica do país também tem resultado na inadimplência de clientes. Em terceiro lugar, com 8,3%, apareceu a dificuldade para pagamento em dia e, com 8%, ficaram os que enxergam dificuldade para manter empregos.

Na mesma rodada de perguntas, 25,3% dos empresários responderam que para o Brasil voltar a crescer, é preciso combater a corrupção. Com 14,4%, há o grupo que entende ser preciso trocar de governo, seguido dos que acreditam ser necessário promover a reforma política e controlar a inflação, com 9,4%. Por último, com 9,3%, há ainda os que acreditam ser importante reduzir os impostos.

Os dados foram coletados entre os dias 19 e 22 de junho, em 302 estabelecimentos da região central de São José dos Campos e dos shoppings Center Vale e Vale. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. É importante ressaltar que cada entrevistado pode escolher mais de uma alternativa em cada pergunta realizada.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia

Em novo endereço e função

De casa nova

O ainda aluno de sétimo semestre de publicidade e propaganda da Unitau, Rafael Santos Barbosa, é o novo estagiário de marketing na Ícone Lean Consulting.

Rafael já acumula passagens por Avalanche SJCampos, Agência BKW e Pentaxial – Tecnologia da Informação, sempre ocupando o cargo de assistente de arte.

Um proveitoso dia dos namorados

Dia dos Namorados aquece comércio de São José

Pesquisa ACI-Unitau mostra que vendas relativas à data foram consideradas excelentes e boas para 41,8% dos lojistas este ano

Boa notícia: no geral, as vendas de presentes no Dia dos Namorados foram consideradas como excelentes e boas para 41,8% dos lojistas de São José dos Campos. Outros 39% classificaram as vendas como regulares.

A informação consta de pesquisa exclusiva realizada pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, por meio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação). Entre 19 e 22 de junho foram ouvidos 302 lojistas de estabelecimentos comerciais localizados no centro da cidade e nos shoppings Centro, Faro, CenterVale e Vale Sul. O nível de confiança do levantamento é de 95% e a margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.

O levantamento ajuda a traçar, ao lado de pesquisas anteriores, como o comércio de São José dos Campos tem se comportado neste primeiro semestre. Neste Dia dos Namorados, por exemplo, é possível notar uma reação do comércio em relação a 2016, possivelmente ligada à liberação do FGTS de contas inativas – disse Humberto Dutra, presidente da ACI.

Apesar dos números positivos, a pesquisa revela desempenhos diferentes do comércio em alguns setores e até na geografia da cidade.

No setor de alimentação, por exemplo, o Dia dos Namorados deste ano foi melhor para 75% dos entrevistados. O índice também foi positivo em setores considerados estratégicos para a data, como cosméticos e perfumes (33,3%) e roupas e acessórios (30,5%). Já para setores como livrarias e papelarias, material esportivo e cama, mesa e banho, o desempenho deste ano foi considerado aquém de 2016.

Na geografia das compras, lojistas dos shoppings fazem um balanço mais positivo do que os empresários do centro. No Vale Sul, 36,9% dos lojistas classificaram as vendas como muito melhores e melhores, contra 33,2% no CenterVale. No centro da cidade, esse número cai para 25%, segundo o levantamento. Nessa área, a maioria dos empresários classificou as vendas como iguais aos índices de 2016.

Esse resultado mostra que a situação econômica do país tem afetado, principalmente, a camada mais simples da sociedade, que, normalmente, compra mais no centro da cidade, onde o consumo este ano foi considerado pior que em 2016 – disse o pesquisador Luiz Carlos Laureano da Rosa, um dos coordenadores da pesquisa pelo Fapeti.

Mais dados

A pesquisa ACI-Unitau mostra ainda que a maioria dos consumidores comprou apenas um presente (68,5%), com um tíquete médio R$ 100,1 a R$ 200 (33,8%), utilizando, em grande parte, cartão de crédito (68,5%). Outro dado: o Dia dos Namorados não aqueceu o mercado de trabalho. Só 11,6% das lojas contrataram mão de obra temporária.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Hélcio Costa – Nathália Barcelos

Depois do presente, Dia dos Namorados pede…

Pesquisa ACI-Unitau revela como os casais de namorados planejam comemorar a data em São José dos Campos

E depois do presente?
Pesquisa feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, por intermédio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação), revela: um almoço ou um jantar romântico ainda é o programa ideal para marcar o Dia dos Namorados.

Isso é o que pensam 45% dos entrevistados pela pesquisa ACI-Unitau, que ouviu 382 consumidores entre os dias 29 e 31 de maio em quatro regiões da cidade: Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro e shoppings CenterVale e Vale Sul. A margem de erro do levantamento é de 5 pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

Além do almoço ou jantar romântico, outras opções são ir a um barizinho, show ou teatro (14,1%), ir a um hotel ou motel (6,1%), ou ainda comemorar em família (5,1%).

O importante, para a grande maioria é que seja uma comemoração especial, em um lugar escolhido pelo namorado ou pela namorada (30,8%), ou, ainda, em um lugar romântico (21,9%). O preço é importante para definição do local para 9,4% dos entrevistados.

O gasto médio nesse programa do Dia dos Namorados, segundo a pesquisa ACI-Unitau, deve ficar entre R$ 100,1 e R$ 200 para 28,8% dos entrevistados, entre R$ 50,1 e R$ 100 para 17,7% e entre R$ 200,1 e R$ 300 para 13,1%.

Os dados do levantamento feito pela Associação Comercial e Industrial e Universidade de Taubaté foram entregues à diretoria do Sinhores (Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares) de São José dos Campos. O levantamento serve de orientação para os empresários do setor na preparação de seus estabelecimentos para o Dia dos Namoradores.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Hélcio Costa – Nathália Barcelos

Dia dos Namorados rima com presentes

Pesquisa ACI-Unitau mostra que maioria dos consumidores de São José dos Campos planeja comprar presentes neste Dia dos Namorados

O amor está em alta: apesar da crise, a maioria dos consumidores de São José dos Campos planeja comprar presentes neste Dia dos Namorados.

Isso é o que aponta a nova rodada de pesquisas feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, feita por intermédio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação). Segundo o levantamento, 52,2% dos consumidores da cidade pretendem comprar presentes nesta data. Dos 47,8% restantes, quase 60% tem um só motivo: disseram não estar em um relacionamento sério.

A pesquisa ACI-Unitau ouviu 382 consumidores entre os dias 29 e 31 de maio no Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro e nos shoppings CenterVale e Vale Sul. O nível de confiança do levantamento é de 95% e a margem de erro é de 5 pontos para mais ou para menos.

“O Dia dos Namorados é uma das datas mais importantes do ano para o comércio. E os números da pesquisa deixam o setor otimista” disse Humberto Dutra, presidente da ACI. Para ele, o trabalho da ACI-Unitau ajuda o setor a ajustar suas estratégias de venda nesta reta final de compras para o Dia dos Namorados.

A pesquisa ACI-Unitau mostra que roupas e acessórios são os presentes preferidos neste Dia dos Namorados (36,1%), seguidos de calçados (11,3%) e perfumes e cosméticos (10.9%). E que o tíquete médio a ser gasto pelos consumidores deve ficar entre R$ 100,1 e R$ 200, valor considerado positivo pelos lojistas.

O levantamento revela também que 67,7% dos consumidores planeja pagar suas compras à vista, utilizando dinheiro ou cartão de débito (68,2%). Compras em cartão de crédito são opção para outros 31,3% dos consumidores. Apenas 0,5% disseram que preferem pagar utilizando o crediário das lojas. Não houve citação sobre uso de cheques. Mas, comprar mesmo, só depois de pesquisar preços, segundo 62,8% dos entrevistados.
Na geografia das compras, as lojas dos shoppings são preferidas por 58,6% dos consumidores, seguidas do centro da cidade, com 26,8% das citações.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia – Hélcio Costa – Nathália Barcelos

Arena Corinthians é tema de trabalho de publicitária

Publicitária apresenta trabalho final de especialização sobre Arena Corinthians em São Paulo

A ex-aluna do curso de pós-graduação em Comunicação Corporativa, Marketing e Mídias Sociais da Universidade de Taubaté, Juliana de Oliveira, apresentou o resultado de sua pesquisa sobre um dos estádios de futebol mais modernos do mundo ao Coordenador de Midias Digitais e Imprensa da Arena Corinthians, o jornalista Gabriel Nicolatti.

A publicitária realizou a monografia de conclusão do curso analisando a marca e a interação das postagens da instituição por meio das redes sociais Twitter e Instagram e foi convidada pelo coordenador, em março de 2017, a levar seu trabalho à Capital paulista.

Juliana desenvolveu sua pesquisa ao longo de 2016 e investigou de que maneira a Arena Corinthians se tornou uma marca desde sua inauguração em 2014 e de que forma ela está presente nas mídias sociais, por meio de posts e imagens publicadas e compartilhadas. “Na monografia, eu descrevo que a Arena é a casa de um time e sua torcida, ela é uma representação real do sentimento que o torcedor sente pelo clube, um local de visitação e de admiração. É muito mais do que um estádio”. E isso se reflete em imagens e posts feitos por torcedores e pelo setor de comunicação da Arena. “Eu achei o trabalho muito bacana. Acho que esse feedback é muito importante, fundamental, para a evolução dos canais de comunicação da Arena Corinthians”, elogiou o jornalista Gabriel Nicolatti, sobre a iniciativa da publicitária.

O Coordenador de Mídias Digitais e Imprensa da Arena aponta que a página do Facebook é a fanpage de estádios que mais cresceu no Brasil, nos últimos meses, já alcançando 200 mil seguidores e que o perfil no Instagram é o maior, entre arenas esportivas/estádios, em todo o mundo, com meio milhão (500k) de seguidores. Para Nicolatti, a investigação feita por Juliana revelou desafios para a evolução dos canais de comunicação da instituição. “A análise a respeito da linguagem dos nossos posts é correta. Um dos objetivos é estabelecer uma personalidade à marca Arena Corinthians, nas redes sociais, com uma linguagem que aproxime a Arena de seus diferentes públicos de interesse”.

A publicitária ressalta a importância da pós-graduação na área. “O curso oferece ferramentas importantes para saber como as mídias sociais funcionam e de que maneira empresas e públicos interagem. Hoje em dia isso é fundamental”. Para a coordenadora do curso, Profª Dra. Eliane Freire de Oliveira, a dedicação da ex-aluna foi o resultado de sua formação na Unitau como um todo, já que ela graduou-se em Publicidade e Propaganda apresentando um projeto sobre marketing esportivo no trabalho de conclusão do curso e, logo em seguida, decidiu fazer a especialização. “Juliana tem o perfil ideal para o trabalho com mídias sociais, pois é observadora aos detalhes e analisa estrategicamente os efeitos da comunicação”, afirma a docente. “Esse reconhecimento mostra que ela está em um caminho promissor e atenta às necessidades do mercado”.

Fonte: coordenação da PósCom

Brasil e Coréia do Sul em exposição fotográfica

Lagoinha oferece exposição de fotografias sobre Brasil e Coreia do Sul

A Unitau e a Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação) realizam a exposição de fotografias com o tema “Belezas do Brasil e da Coreia do Sul” na Câmara Municipal da cidade de Lagoinha.

O evento ocorreu graças ao trabalho realizado no concurso de fotografia “A beleza do Brasil”, realizado no ano de 2016 pela Universidade de Taubaté em parceria como The Brazilian Cultural Center in Korea (BCCK). A exposição teve início na sexta-feira, dia 26.

Eidy Landim

Uma das vencedoras do concurso e que tem suas fotografias expostas no evento, Eidy Landim, aluna do 7º semestre de Jornalismo, fala sobre a grande realização de ter seu trabalho presente na exposição. “O sentimento que fica é de gratidão e de muita felicidade por todos que estiveram presentes e também pela Universidade que promoveu está oportunidade” conta.

A Câmara Municipal de Lagoinha está localizada na Rua Benedito Freire, número 75. O evento é gratuito a todos e se estenderá até o dia 13 de junho. Os horários de funcionamento são entre 8h30 às 11h e 12h30 às 16h.

Fonte: Joyce Dias

Pesquisa mostra como foi o dia das mães

Consumidor opta por cartão de crédito no Dia das Mães

Pesquisa ACI-Unitau revela perfil das compras feitas no comércio de São José dos Campos neste Dia das Mães; levantamento sobre o Dia dos Namorados sai na próxima semana

Os consumidores de São José dos Campos optaram por comprar apenas um presente no Dia das Mães e gastaram um tíquete médio de R$ 100,1 a R$ 200. Mais: apesar de terem dito que pagariam as compras em dinheiro, a maioria deles optou pelo cartão de crédito.

Esse é o perfil é revelado pela nova rodada de pesquisas feita pela Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos em parceria com a Universidade de Taubaté, por intermédio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação). O levantamento foi realizado entre 22 e 25 de maio. Foram entrevistados 194 empresários de lojas que vendem produtos ligados ao Dia das Mães, localizadas no Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro e nos shoppings CenterVale e Vale Sul. A margem de erro é de 5 pontos percentuais para mais oi para menos.

Os dados sobre o Dia das Mães são uma prévia da pesquisa principal, focada no Dia dos Namorados, que será divulgada pela ACI na próxima segunda-feira.

Em relação ao desempenho geral para o Dia das Mães, 38,1% dos comerciantes classificaram as vendas como regulares e 35,6% definiram as vendas como boas. Para 19,1% dos empresários, no entanto, o nível de vendas foi ruim, seguidos de 6,2% que classificaram as vendas como péssimas. Na outra ponta, 1% dos lojistas definiu o movimento como excelente. Na somatória geral, 36,6% aprovaram o resultado (bom + excelente) e 25,3% consideram o desempenho negativo (ruim + péssimo).

“De modo geral, a pesquisa mostra o consumidor receoso, o que é natural em relação ao momento do país. Isso exige que o comerciante inove cada vez mais em estratégias para estimular as vendas”, disse Humberto Dutra, presidente da ACI.

Em relação ao ano passado, houve um equilíbrio: enquanto 34,1% dos empresários classificaram as vendas de 2017 acima do patamar de 2016 (melhor + muito melhor), 35,1% disseram que as vendas foram abaixo de 2016 (pior + muito pior). Para 25,3%, as vendas foram iguais e 5,7% não souberam ou não quiseram responder.

A pesquisa revela também que a grande maioria dos lojistas não contratou mão de obra extra para o Dia das Mães: dos 194 pesquisados, 163 não contrataram temporários (84%) e apenas 31 lojistas disseram ter contratado pessoal para a data (16%).

Dois lados

A comparação entre as duas pesquisas realizadas pela ACI-Unitau este ano, uma com consumidores e outra com lojistas, mostra uma divergência. Na pesquisa feita em abril, a maioria dos consumidores disse que faria compras em dinheiro ou com cartão de débito (70%), com apenas 25,4% optando pelo cartão de crédito. Na pesquisa mais recente, feita após o Dia das Mães e com lojistas, o retrato foi outro: o cartão de crédito foi usado em 79,4% das compras. As compras em dinheiro ou cartão de débito ficaram em 16,5% das transações.

“Isso nos leva a acreditar que muitos consumidores tiveram a intenção de não contraírem dívidas com a data, mas, não tendo dinheiro, acabaram indo para o cartão de crédito”, disse o professor Laureano Rosa, um dos coordenadores da pesquisa, ao lado do diretor da Fapeti, Eduardo Enari.

Fonte:Matéria Consultoria & Mídia – Hélcio Costa/Nathália Barcelos