ACIT dá início a campanha promocional

ACIT inicia primeira campanha promocional do ano em homenagem ao dia das Mães

A Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT) deu início a sua primeira ação promocional de 2018, dentro da campanha TaubateAMO: “Minha Mãe Vale Muito”, em homenagem ao dia das mães, comemorado no segundo domingo do mês de maio.

Conhecida pelo comércio como segundo natal, o dia em que se comemora a homenagem à figura materna é considerada um dos melhores período de vendas no mercado. Os lojistas estão animados e esperam um comportamento mais otimista do consumidor em relação ano anterior, inclusive com ampliação do ticket médio de compra.

Repetindo o sucesso de 2017, a ACIT manteve a premiação por meio do sorteio e distribuição de Cartões Presente. Com isso, traz o consumidor em dois momentos para consumo no comércio local. O primeiro na realização de suas compras e o segundo com a premiação da campanha TaubateAMO 2018, com vales de diversos valores, que poderão ser trocados exclusivamente nas empresas participantes do fundo promocional.

Nessa promoção, serão sorteados 3 consumidores, que irão ganhar cartões presentes no valor de R$ 1 mil cada, que poderão ser trocados em diversas lojas, sempre respeitando o valor mínimo. Por exemplo, o consumidor que ganhar um cartão presente no valor de R$ 1 mil poderá usar uma parte em lojas de roupas e calçados, outra em salão de beleza, loja de utensilio, manutenção veicular, e assim por diante. O valor total não precisa ser todo usado em apenas um estabelecimento, e sim, poderá ser usado em vários locais para diferentes aquisições.

Nas campanhas da ACIT os vendedores registrados nos cupons sorteados também ganham e serão contemplados com cartão de R$ 200,00 cada.

Para concorrer, o consumidor recebe um cupom a cada R$ 50 em compras realizadas nas empresas participantes do fundo promocional. As lojas participantes sempre serão indicadas com material promocional da campanha. O sorteio acontece dia 31 de maio (quinta-feira) às 17h na sede da ACIT e é aberto à todos que quiserem acompanhar.

Com essa ideia a ACIT busca movimentar o comércio e prestação de serviço local fazendo com a economia circule pelo município e que as promoções tenham sempre mais de um ganhador. Os associados que ainda não estão participando do fundo promocional podem fazer sua adesão diretamente na ACIT. Maiores informações pelo telefone (12) 2125-8225.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

Loja do futuro e o mercado de novos consumidores

Para consumidores multicanais, a loja tem que ser do futuro?

*Por Maurício Trezub

Muito se fala em “loja do futuro” e na grande cobrança por uma adaptação do mercado aos novos comportamentos do consumidor. Mas será que entendemos e estamos prontos para colocarmos este conceito em prática hoje? Antes de responder a essa questão, precisamos voltar alguns passos.

A busca por alternativas para efetuar compras pela internet, obrigou as empresas a iniciarem uma corrida para consolidar um e-commerce. Missão cumprida, parecia que o problema estava solucionado. Porém, o consumidor mostrou que não está preso a um só meio. Não podemos identificá-lo somente como online ou físico e pensar em uma estratégia única de negócios – hoje os clientes são multicanais. Isto é, buscam a melhor experiência possível em qualquer ambiente que escolham para interagir com a marca. É essa percepção que as empresas precisam ter na hora de planejar o seu relacionamento com esse novo público.

A primeira lição é entender que não basta, apenas, ter diferentes canais – a marca precisa colocar o seu DNA, igualmente, em todos eles – na loja física, no e-commerce via desktop, smartphone ou tablet. E, mais importante, deve existir conexão entre todos esses pontos de contato com o cliente. A regra é: são vários canais, mas uma única marca. Não adianta ter uma loja conceito showrooming e um e-commerce pouco intuitivo ou oferecer uma ótima experiência online e o cliente ter um atendimento ruim pessoalmente. Resumindo, a integração dos dados, identidade visual, produtos, ofertas e comunicação é que te encaixarão no mundo omnichannel e, consequentemente, nas expectativas deste consumidor.

Agora, voltando à pergunta inicial sobre como ser a loja do futuro hoje, a resposta está nos seus clientes. O “varejo futurístico” é aquele que se relaciona de maneira cross e consistente com o seu público, que permite interação por diferentes meios e que transforma cada um deles em uma experiência exclusiva, sem atritos e, de preferência, agradável. Para colocar isso em prática, não é necessário ter acesso a softwares que ainda não foram inventados, mas sim, dos diversos que já estão disponíveis no mercado. A inovação não está na tecnologia em si, mas no exercício de olhar para dentro de casa e entender como melhor se adaptar a essa nova realidade de negócios.

Neste mundo totalmente digital, somos todos consumidores millennials. Não importa a idade, todo mundo tem um smartphone e faz uso dele para comprar – pode ser via aplicativo, e-commerce ou apenas para consultar informações sobre um produto antes de adquiri-lo. O consumidor não tem uma jornada fixa. Hoje, ele pode iniciar a busca via e-commerce, no desktop, fazer outras pesquisas online, pelo celular, e finalizar na loja física – ou, mesmo, tudo ao contrário! O mercado precisa entender que o comportamento de consumo é livre e, por isso, preparar ambientes diferenciados e funcionais são a verdadeira resposta na busca pela conversão de vendas e fidelização do público.

 

Ou seja, nada aqui é do futuro – nem o seu cliente, nem as tecnologias e nem os comportamentos. E o quanto você está pronto para isso hoje?

*Maurício Trezub é diretor de e-commerce da TOTVS

Fonte: RMA Comunicação – Marina Escarminio

Via Vale recebe temporada de promoção do Cinemark

Unidade do Garden oferece ingressos por preços promocionais de R$ 5 a R$ 12

No mês de abril a rede Cinemark de cinemas está voltando com algumas promoções que prometem fazer muito sucesso entre os apaixonados por filmes.

No Via Vale Garden Shopping, a promoção que já está ativa é a “Barato de Cinema”. De segunda à quarta-feira, os clientes da Rede que frequentam a unidade no Garden poderão assistir a filmes pelos valores de R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), para sessões em 2D, e de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia) para sessões em 3D.

A programação completa dos cinemas pode ser consultada no site da Rede: www.cinemark.com.br. As promoções são válidas por tempo indeterminado, exceto em feriados e nas salas XD, Prime e D-Box.

Serviço – Cinemark Via Vale Garden Shopping – Taubaté

Promoção – “Barato de Cinema”:
Ingressos – segunda à quarta:
Salas 2D -R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
Salas 3D – R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia)

Evento especial para os apaixonados por pets

15ª Cãocientização acontece no Via Vale nos próximos dias

Neste feriado de Páscoa o Via Vale Garden Shopping, em parceria com a Associação Vida de Taubaté, preparou um evento super especial para os apaixonados por pets. A 15ª Cãocientização acontece sexta (30), sábado (31) e domingo (01), das 10h às 21h, próximo a Praça de Eventos, e trará uma programação completa para toda a família.

Nos três dias de evento haverá adoção de animais, Show Dog com apresentações de cães adestrados e presença do “cão propaganda” da marca Magnus, distribuição de amostras de rações, pintura de rosto, algodão doce e pipoca, veterinários disponíveis para orientações e feirinha de acessórios para pets com venda de roupinhas, brinquedos e muito mais.

A programação é completamente gratuita e é uma ótima oportunidade para quem quer fazer um passeio com toda a família e aproveitar para adotar um novo amigo.

Fonte: Assessoria de Imprensa Via Vale Garden Shopping

O perfil da mulher empreendedora

ACI lança pesquisa com o perfil da mulher empresária da cidade

A mulher empresária de São José dos Campos é, em sua maioria, casada, tem de 45 a 55 anos, dois filhos e com instrução até o ensino médio. Mais importante: gosta de empreender e é apaixonada pelo que faz.

Esse é o resultado de uma pesquisa inédita que apontou o perfil da mulher empresária na cidade, feita pela ACI Mulher em parceria com a Universidade de Taubaté, por intermédio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação da Universidade de Taubaté). Os dados serão divulgados na noite desta quarta-feira, 21 de março, durante a mesa-redonda “Liderança Feminina nas Empresas e nos Negócios”, promovida pela ACI Mulher no Teatro do Sesi, na região sul da cidade, a partir das 19h.

Realizado entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março, o levantamento foca os setores de comércio e serviços. O universo pesquisado é de 56 empresas.

“Este é o primeiro grande levantamento que traça um perfil da mulher empreendedora em nossa cidade. A partir dele, poderemos, como entidade, definir melhor nosso foco e auxiliar mais a mulher empresária em seu ramo de atividade e em negócio” – disse Eliane Maia, vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, entidade à qual a ACI Mulher é ligada.

O estudo ACI Mulher-Unitau revela que as empresas administradas por mulheres na cidade têm, na maioria dos casos, até três anos de existência (32,1%), possuem CPNJ regular (92,9%) e empregam até quatro funcionários (60,7%), ficando na faixa de microempresas, com faturamento igual ou menor a R$ 2,4 milhões por ano (78,6%). São primeiras empresas (51,8%) ou empresas familiares (44,6%).

Mas é sobre o perfil da mulher à frente dos negócios que a pesquisa traz informações mais detalhadas.

Segundo o levantamento, a mulher empreendedora que atua em São José dos Campos tem, em grande parte, de 45 a 55 anos (32,1%), é casada (73,2%), tem dois filhos (39,3%). Em relação ao grau de instrução, 50% das mulheres empreendedoras estudaram até o ensino médio e 42,9% tem curso superior. A pesquisa mostra também que a mulher empresária está satisfeita com o que faz. Em percentual, 100% das entrevistadas responderam que gostam do que fazem e que gostam de empreender.

E mais: pelo levantamento, a mulher empreendedora está otimista. Sobre o futuro de seu negócio, 70,9% disseram que, nos próximos cinco anos estarão expandindo seu negócio, em aumento de produção, serviços ou filiais.

“A mulher representa hoje uma força-motriz da economia e sua sensibilidade, sua ética e sua dedicação são importantes para arejar o mundo dos negócios”, disse a empresária Paula Dal Belo, presidente da ACI Mulher.

Mesa-Redonda

A mesa-redonda “Liderança Feminina nas Empresas e nos Negócios” reúne hoje à noite no Teatro do Sesi três mulheres de destaque: a coronel Eliane Nikoluk, comandante regional da Polícia Militar; a empresária Rogério Córdoba, do Bar do Coronel; e a superintendente regional da Caixa Econômica Federal. Ágata Janjacomo. O evento começa às 19h e o ingresso é 1 litro de óleo vegetal, que será doado ao Fundo de Solidariedade de São José dos Campos. O Teatro do Sesi fica na avenida Cidade Jardim 4389.

Fonte: Matério Consultoria&Mídia – Nathália Barcelos

Clube da Música é atração no Via Vale

Música ao vivo será parte da programação do shopping nos próximos dias 23 e 24, a partir das 19h

O Via Vale Garden Shopping traz para a região mais uma edição do Clube da Música, nos próximos dias 23 e 24 de março. O evento tem como objetivo apresentar todo o aprendizado que os alunos de algumas escolas de município vêm tendo.

A partir das 19h, na Praça de Alimentação do Garden, alunos das escolas Kaito, Almeida Music e Espaço do Músico se apresentarão com um vasto repertório nacional e internacional, alegrando quem estiver por lá.

Com o apoio do Via Vale, o Clube da Música é uma iniciativa da Kaito Escola e Espaço do Músico e nasceu com o propósito de trazer à população música de qualidade, além de unir as escolas de música da região. A cada edição uma nova escola, amigo-músico ou banda é convidada para compartilhar o seu som no palco do Clube da Música.

Serviço:
Clube da Música – Via Vale Garden Shopping – Taubaté/SP

Data: 23 (sexta-feira) e 24 (sábado)

Horário: a partir das 19h

Local: Praça de Alimentação – Piso 2

Fonte: Assessoria de Imprensa Via Vale

Via Vale recebe comemoração do Dia de São Patrício

Festa será promovida pelo Rock and Ribs e estacionamento do Garden receberá um ônibus retrô com seis chopeiras instaladas

O Dia de São Patrício ou Saint Patrick’s Day, em inglês, é a festa anual que celebra a morte de São Patrício, padroeiro da Irlanda, e é normalmente comemorado no dia 17 de Março pelos países cujo idioma oficial é inglês. Mas, a festa vem se espalhando cada vez mais e de uns anos para cá chegou ao Brasil. Na ocasião, as pessoas vestem-se de trajes nas cores verde e branco, saindo às ruas numa longa caminhada festiva. Além disso, a cerveja é a bebida oficial da festa.

Para quem também está a fim de curtir a data, neste sábado, 17, o Via Vale Garden Shopping recebe pela primeira vez a comemoração. A festa, promovida pelo Rock and Ribs, localizado na entrada principal do Garden, no piso 1, começará às 16h. No estacionamento do Garden, em frente ao restaurante, estará a atração principal da festa: o Yellow Skullbus, um ônibus amarelo estilo retrô com seis chopeiras de altíssima qualidade instaladas. Para quem vier curtir a festa e estiver vestindo verde, o Rock and Ribs oferecerá um chopp cortesia (350ml). Além disso, o evento contará com os shows de Paulo Meyer e Banda, a cantora Twyla e DJ Boto. Vale a pena conferir.

Fonte: Assessoria de Imprensa Via Vale

Modelos de e-commerce

3 modelos de e-commerce para colocar as indústrias no cenário digital

*Por Maurício Trezub

O e-commerce está cada dia mais forte no Brasil e podemos acompanhar esse movimento pelo crescimento das lojas virtuais, que estão obtendo retorno de anos de investimento. Segundo o relatório Webshoppers, divulgado pela Ebit, em 2016, o comércio eletrônico brasileiro faturou R$ 44,4 bilhões e alcançou um crescimento nominal de 7,4% em relação ao registrado em 2015. Este ano, isso tende a aumentar ainda mais. Ao observar a maturidade do setor, as indústrias, em sua maioria off-line, começam a se interessar pelo universo digital por enxergar nele novas oportunidades e um grande potencial para divulgar sua marca e ampliar seu campo de atuação.

No modelo de negócio atual, para um produto chegar ao consumidor, ele passa por diversas etapas – a do fabricante, a do atacado/distribuidor e a do varejista. Isso faz com que o cliente final pague mais caro pelo produto, que é tributado em cada um desses passos. Outros pontos fracos do processo são a distância entre o fabricante e o consumidor, que acaba não conhecendo o perfil de quem consome os seus produtos e nem tendo acesso às demandas em tempo real. Desta forma, a marca permanece afastada e fica na dependência dos grandes varejistas, que controlam os preços de venda e a experiência do cliente. Porém, esse jogo está virando. Hoje, com o fortalecimento das redes sociais, a expansão dos aplicativos e das opções para vendas virtuais, esse cenário está num processo de forte transformação.

É nesse momento que as indústrias devem ingressar no e-commerce, sem se afastar dos seus canais. Então, quais são os caminhos que elas podem seguir para se aproximar dos consumidores, fechar negócios, aumentar sua receita, seu alcance e diminuir esses custos? Existem três modelos que podem ser adotados, contribuindo, inclusive para o gerenciamento das vendas, distribuição e controle do retorno sem grandes desafios. O que determina a escolha por um deles é a capacidade de investimento e maturidade da indústria no cenário digital. Vamos analisar:

Direto puro: o fabricante abre seu site, publica seus produtos no marketplace e centraliza toda a operação de vendas. É uma estratégia barata, rápida e que mantém o contato direto com o consumidor final. Em termos de relacionamento com o cliente, este modelo é um dos mais indicados. Com o formato direto, o fabricante conhece tudo sobre os seus clientes e evita conflitos com os revendedores, já que normalmente são eles que retém a informação. A experiência de compra é a melhor possível por não oferecer transtornos e complicações.

Híbrido: este modelo é para quem já tem uma estrutura de canais e não quer competir com ela, mas quer colocar um pé na entrada das vendas e, para isso, adere à uma plataforma de e-commerce. É um formato compartilhado de responsabilidades que atende às necessidades de indústrias de todos os portes. Aqui o propósito é encarregar tarefas críticas que se afastam do conhecimento da manufatura e, ao mesmo tempo, absorvem as questões operacionais e de atendimento ao consumidor. A fabricante controla todas as etapas e acompanha diretamente o desempenho das vendas, já que ela envia os pedidos aos clientes. Caberá a um intermediário, no caso, um parceiro contratado, assumir as estratégias do e-commerce, manter a plataforma operando com estabilidade e segurança, pois sua marca que aparecerá nos marketplaces. Esse intermediário faz as parcerias, fornece relatórios e informa à manufatura sobre todos os dados da operação.

Parceiro digital: é o modelo ideal para a fabricante que já atua por meio de revendas e deseja ingressar também no e-commerce. Para isso, cria seu próprio comércio eletrônico com os seus produtos. Caberá ao consumidor escolher a revenda mais próxima do endereço de entrega, evitando processos longos na cadeia. Aqui, a manufatura tem um e-commerce de venda direta para o consumidor final e repassa os pedidos às revendas escolhidas pelo cliente, que pode, inclusive, optar por buscar o produto na revenda, aumentando assim, as chances dessa loja vender outros produtos.
Mais do que optar pelo modelo mais adequado à sua empresa, ter um bom planejamento é essencial para sustentabilidade do negócio. Apesar das indústrias possuírem marcas conhecidas no mercado, elas precisam entender e ingressar cada vez mais no ambiente virtual. O fato é que as fabricantes que entenderem como ganhar visibilidade no universo digital, conseguirão garantir sua competitividade no mercado.

É necessário inovar até mesmo na forma de vender e se relacionar com os clientes e só por meio do e-commerce que as indústrias conseguirão ficar mais próximas de seus consumidores. Desta forma, poderão estabelecer um canal direto com eles e, até mesmo, alinhar sua estratégia de negócio aos gostos e preferências dos clientes. É hora indústria ser sinônimo de inovação, não só no processo de fabricação, mas também no modelo de vendas.

*Maurício Trezub é diretor de e-commerce da TOTVS

Fonte: RMA Comunicação – Marina Escarminio

ACIT comemora data especial

ACIT – 119 anos de história em Taubaté

No último domingo, dia 04 de março, a Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT) completou 119 anos desde sua fundação, figurando como uma das Associações Comerciais mais antigas do país

De lá pra cá, vem escrevendo sua história a cada dia, sempre acompanhando as páginas da história de Taubaté, estando totalmente ligada ao desenvolvimento da cidade, figurando de maneira expressiva nos diversos períodos econômicos vivenciados pelo país.

Felix Guisard foi o grande responsável pela fundação e liderou um grupo de comerciantes para enfrentar as dificuldades apresentadas diante do cenário instalado com a crise do café, em 1899.

Com a intenção de estimular o associativismo e o empreendedorismo, o papel da Associação é ser um agente de desenvolvimento social, sempre em defesa da classe empresarial, oferecendo serviços que atendam às necessidades e anseios desse público, para fazer com que Taubaté se mantenha no topo da lista entre os municípios considerados como referência em comércio, indústria e prestação de serviços.

A ACIT procura estar sempre à frente, inovando e se atualizando num mundo cada vez mais tecnológico e com informações que correm à velocidade da luz. Aliado à isso, busca manter parceria e um bom relacionamento com os poderes executivo, legislativo e judiciário para buscar melhorias e ações que possam beneficiar o comércio local.

O grande desafio é oferecer ao associado excelência na prestação dos serviços que estimulam a criatividade em qualquer momento econômico e político. É função da ACIT mostrar ao empresário as mais variadas possibilidades para manter seu negócio vivo e rentável, com soluções práticas e viáveis.

A capacitação faz parte da história da ACIT desde seu primeiro ano de existência, quando foi anunciada a criação do primeiro curso noturno sobre Direito e Geografia Comercial, naquela época já preocupada em oferecer treinamento para o mercado.

“Passamos por momentos de turbulência política e econômica nos últimos anos, mas a ACIT foi mais forte e se manteve firme. Isso foi possível devido ao apoio e confiança dos mais de 1200 associados, que participam ativamente de nossas atividades e utilizam todos os serviços oferecidos em busca de melhorias constantemente. Somos desafiados diariamente à oferecer produtos e serviços que tragam soluções para os mais diversos cenários. Fico honrado de poder fazer parte dessa história e estar à frente de uma Instituição tão forte e de tamanha importância para nossa cidade.” ressalta José Saud, o 19º presidente à frente da ACIT.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

IoT e os negócios

Os impactos rápidos e práticos da Internet das Coisas nos negócios

*Por Eros Jantsch

O conceito de Internet das Coisas (IoT) tem ganhado cada vez mais destaque e está presente na vida de muita gente. De acordo com o Gartner, até 2020, teremos mais de 20 bilhões de coisas conectadas. Se considerarmos os mais de sete bilhões de habitantes no planeta, haverá quase três vezes mais coisas conectadas do que pessoas.

Quando olhamos a evolução da tecnologia, percebemos que um houve um avanço acelerado nos últimos anos, se comparado com décadas anteriores. Hoje, com a popularização da mobilidade, quase todo mundo tem acesso a um dispositivo móvel. O surgimento da nuvem facilitou o investimento de pessoas e empresas em inovações, como inteligência artificial, social e etc. Em resumo, a tecnologia está mais acessível.

Eros Jantsch

Por trás de tudo isso, e muitas vezes não visível aos nossos olhos, está a velocidade de processamento dos dispositivos, que tem ficado cada vez mais acessível em função da escala. A conexão com a internet melhorou e o custo baixou, isso no mundo todo. Esses dois fatores, bom processamento e a possibilidade de conectar as coisas com mais agilidade e um valor menor, criou um cenário propício para explorar a internet nas coisas.

As tais coisas conectadas já estão disponíveis no mercado, são relógios, equipamentos fitness, geladeira, ar condicionado, uma série de objetos inteligentes com acesso à web e às infinitas possibilidades que ela proporciona. Viveremos em um planeta com bilhões desses objetos que, em um futuro próximo, terão uma influência maior no nosso cotidiano – até mais do que as próprias pessoas.

No mundo dos negócios não será diferente e a IoT terá um impacto significativo em todos os segmentos. As coisas conectadas estão provendo uma série de informações que antes não existiam ou demandavam um esforço enorme para se obter. No varejo, por exemplo, os dispositivos inteligentes serão os responsáveis por identificar o perfil de cada consumidor de uma loja – desde o sexo e faixa etária, até a frequência de visitas ao local. Tudo isso, sem ter que ficar buscando dados em diferentes sistemas ou aplicando pesquisas com os clientes. E esse tipo de informação tornará possível um planejamento mais direcionado.

Vamos imaginar um estabelecimento que comercializa cosméticos e usa sensores de IoT. Por meio de uma câmera inteligente, o gerente saberá quem são as consumidoras presentes no exato momento em que elas estão no estabelecimento. Monitorando esse tráfego, ele poderá ver que às 15h, a maioria das mulheres que estão no local tem acima de 40 anos. Não seria um bom momento para fazer uma promoção relâmpago de cremes anti-idade? Ou ainda, enviar uma mensagem de texto sugerindo um produto com desconto que a consumidora demostrou interesse no e-commerce? Aqui, o objetivo, além de conquistar a fidelidade, é proporcionar uma experiência multicanal –começou no online e terminou na loja física.

Viabilizar esse tipo de inovação, seja em um estabelecimento comercial ou uma fábrica, requer a adoção de sensores inteligentes, um gateway e uma plataforma para gerenciar tudo. São estes 3 componentes que armazenam, trafegam e analisam os dados. Porém, de nada adianta ter os dados, mas não os utilizar de uma maneira que traga benefícios para o negócio. Nesse ponto, a figura da plataforma IoT é essencial, pois é ela que vai analisar as informações e dar os insights necessários para que se extraia valor dos dados.

Ou seja, para usufruir dos benefícios de um mundo conectado nos negócios, não basta ter uma câmera inteligente, é necessário que ela esteja conectada à um gateway e ele à uma plataforma. Parece uma dinâmica complexa, mas na prática é muito mais simples, desde que o seu parceiro tecnológico conheça os caminhos das pedras e te entregue tudo pronto no modelo PaaS (sigla em inglês, para plataforma como serviço). Já a plataforma, precisa contar com uma interface simples e intuitiva para que soluções de negócios deslanchem.

Como qualquer novidade, no começo, é difícil enxergar quais serão os benefícios que a tecnologia trará – foi assim até com o celular. O mercado ainda tem dificuldade para entender que esse investimento traz um retorno rápido, não só em vendas, mas em experiência para o consumidor – cada dia mais digital e ávido por um atendimento personalizado. E o resultado prático disso é: operar com mais eficiência, ser mais lucrativo e, por que não, criar novas fontes de receita?

*Eros Jantsch é CEO da Bematech e vice-presidente de Micro e Pequenos Negócios da TOTVS

Fonte: RMA Comunicação – Regina Sanches