Um pouco sobre o Festup – Parte II

Segundo dia do 22 Festup. Nossos ônibus chegaram em cima da hora. Tive que ajudar alguns alunos com alguns pequenos problemas na secretaria do evento. Depois fui tirar meu carro da rua e por no estacionamento. Quando estava voltando para finalmente assistir à primeira palestra, fui convidado pela Jeni da APP para gravar um depoimento para o video oficial do 22 Festup. Foi uma grande honra. Mas tudo isso me fez entrar muito atrasado na primeira palestra de domingo. Mesmo assim o dia valeu e muito! Vamos lá relatar um pouco do domingo do Festup.

Fernando Musa – Ogilvy&Mather – Módulo agência

Perdi um pedaço grande dessa palestra. Mas cheguei a tempo de ouvir uma importante colocação do Musa: quanto mais mistura e mais diversidade melhor para a propaganda. E para alcançar isso, eles promovem na agência o “David de fora”, projeto que traz alguém de fora do mundo da propaganda para falar para a equipe.

Uma outra frase importante que ele soltou: “Ter idéias nem é tão difícil. Fazer é difícil!” Todos temos que brigar contra a preguiça do fazer.

Outro evento promovido pela Ogilvy é o Portfólio Night, em que vários diretores de criação do mercado publicitário brasileiro avaliam pastas de jovens criativos (muitos alunos) que se inscrevem com antecdência.

Musa disse também que, atualmente, criativo é qualquer um que trouxer uma boa idéia. Não importa em que área da agência ele trabalhe.

Bartira Pontes – BorghiEhrLowe – Módulo de Mídia – Inovação Interativa e Mídia

Outro palestrante que repeti esse ano. Na edição do ano passado havia adorado sua palestra e os outros auditórios não ofereciam temas muito interessantes. Então fui de bis. De novo.

Ela iniciou afirmando que comunicação interativa é pensar em pessoas. É só em função das pessoas que a comunicação evolui. Portanto, temos que estar atentos às inovações tecnológicas, mas compreender que quem faz comunicação são pessoas.

Ela mostrou que o consumidor moderno muda o hábito de consumo tanto de produtos e serviços como de meios/mídias constantemente; conta com a opnião de outros consumidores; tem o mesmo potencial de comunicação das marcas e valoriza a oportunidade de interagir.

Em seguida ela mostrou vários cases suportados por diferentes plataformas digitais, como o case da Caixa para o patrocínio do Campus Party 2010, o case Ikea Facebook Showroom, o case Stella Artois em que se desenvolveu um aplicativo para IPhone que localiza bares que tem a marca a venda, o case TPain também para IPhone.

Depois mostrou o mídia kit da Veja para IPad, a última e grande novidade digital do mercado.

Deixou, no final da apresentação, algumas coisa para se pensar: 1 – Constância de comunicação; 2 – presença de marca em múltiplos canais; 3 – respeito à opinião do consumidor; network.

Marcello Ursini – Zoppa – Módulo de Inovação

Existe, no mundo todo, uma nova cultura de “sharing”(compartilhamento). Assim o Marcello abriu sua apresentação. Disse ainda que a mídia é mais do que nunca o homem. A pessoa.

A Zoopa trabalha sob o conceito de “crowdsourcing”, modelo de produção que utiliza a inteligência e o conhecimento coletivo e voluntário para resolver problemas, gerar conteúdo e desenvolver novas tecnologias. Na verdade, a Zoopa trabalha com “crowdsourcing advertising”, o mesmo conceito anterior só que para criar conteúdo publicitário de qualidade, ao mesmo tempo engajando o usuário numa relação mais profunda com a marca.

No Brasil há muito mercado para este tipo de serviço, uma vez que 86% dos 68 milhões de brasileiros que usam internet estão em redes sociais. Ou seja, o brasileiro é participativo, colaborativo e compartilhador. Muito mais de que outros povos.

A Zoopa, disse Marcello, é a maior empresa global de propaganda colaborativa, colocando grandes marcas frente a frente com uma grande comunidade de criativos cadastrados no portal.

A Zoopa acredita e busca conseguir comunicação baseada no novo marketing, em que: as ações devem gerar boca-a-boca, endosso e engajamento; boca-a-boca exige criatividade extra; o poder está com o usuário; as redes sociais são mais críveis que a propaganda tradicional; há transparência; não é intrusiva; alcança-se alto ROI (return on investiment).

Benefícios principais do serviço ofertado pela Zoopa: vsibilidade, network e ganhos.

Assim encerrei minha participação na edição desse ano do Festup. Saí de lá, como sempre, muito satisfeito, empolgado, cheio de novos imputs e, claro, de novo tendo a certeza de que amo propaganda e comunicação.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *