Educação&Mercado

Cinco profissões tecnológicas despontam e prometem mudar as relações de trabalho

Em um processo cíclico, as profissões surgem e se reinventam à medida que a tecnologia avança.

Os avanços mais recentes na tecnologia estão nas áreas de automação, inteligência artificial, robótica, big data, computação na nuvem, realidade virtual e impressão 3D. Nesse cenário, é natural imaginar que o trabalho não será o mesmo, uma vez que uma máquina pode realizar atividade de várias pessoas.

Foto: Pixabay

De acordo com Natália Messina, especialista pedagógica da Evolua Educação, cerca de 47% dos empregos atuais nos Estados Unidos correm o risco de deixar de existir entre 2025 e 2035 por conta das novas tecnologias, segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Oxford. Em contrapartida, um estudo feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) considera que surgirão 30 novas profissões relacionadas à tecnologia.

Ou seja, os impactos tecnológicos serão sentidos nas profissões mais tradicionais como cargos administrativos, analista de investimento e advogado. Ao mesmo tempo em que surgirão novas atividades para criar ou aplicar essas inovações tecnológicas. É um processo cíclico que vem se repetindo desde a 1ª Revolução Industrial, em 1760.

Natália trata o assunto de forma pontual e afirma que os avanços na tecnologia atual já alteraram e continuam modificando setores, da agricultura à educação, passando por transporte, saúde e finanças. Diante do rol de possíveis profissões do futuro, ela destaca as seguintes: gestores de big data, de marketing para e-commerce, de operações e logística, de inovação e qualidade de vida.

“O que mais conta é ficar de olho nas tendências, avaliar as oportunidades de mercado e direcionar sua carreira para ser um profissional completo. A educação profissionalizante é uma ótima opção para quem busca adquirir conhecimento em um período curto e se torna fundamental diante da necessidade do mercado de trabalho em ter pessoas preparadas”, explica.

Além disso, ela lembra ainda que grande parte das crianças e dos jovens de hoje exercerão profissões que ainda não existem, por isso, os modelos e as metodologias educacionais não podem permanecer em inércia. Uma das técnicas para que o aluno se sinta estimulado constantemente é a gamificação – que consiste em utilizar recursos de jogos em outros contextos, como na educação.

Fonte: Evolua Educação – Dayane Malta