Cabeças de lâmpada

Produtora lança primeiro viral bem-sucedido do Vale do Paraíba
A Outracena Produtora de Vídeo, de São José dos Campos, conseguiu chamar a atenção do mercado publicitário do Vale do Paraíba, com o primeiro viral de sucesso feito na região. Na intenção de buscar um novo posicionamento e, ainda, de comemorar seus três anos de atividades, a empresa apostou numa ação em que personagens com lâmpadas acesas de meio metro sobre as cabeças circulavam em pontos de grande movimento, interagindo de forma inusitada e divertida com a população.
A ação de guerrilha foi filmada, o vídeo postado no youtube, e gerou repercussão imediata nas redes sociais como twitter e facebook, despertando a curiosidade do público-alvo, os profissionais das agências de propaganda, que pensavam tratar-se do prenúncio de um novo concorrente a se instalar na região. Poucos dias após a postagem no youtube, o vídeo dos Cabeças de Lâmpada, como as personagens foram batizadas, registrou mais de mil views, o que, para os padrões regionais é considerado um índice de grande expressividade.
A ideia do viral surgiu durante um brainstorm entre cliente e a Molotov Propaganda, de Taubaté, inicialmente contratada para roteirizar um vídeo institucional e trabalhar no reforço da marca da produtora com a criação de novos materiais de papelaria. “Como o roteiro do vídeo trazia as personagens com lâmpadas na cabeça, remetendo à ‘boa ideia’, vimos que poderíamos levar isso para as ruas e ganhar a simpatia do público e, como consequência, viralizarmos a ação na internet. ”, diz Pulice.
A estratégia do viral contou com a ação decisiva da Cruz & Ferreira, de Jacareí, responsável pelo gerenciamento das redes sociais e a criação de um perfil no twitter e de um blog fake intitulado “Detetives dos Cabeças”, que era alimentado diariamente, como se fosse um internauta anônimo que passou a seguir supostas pistas deixadas pelas personagens.
Para que a ação ganhasse ainda mais força, dois vídeos – o primeiro, o viral que circulava na internet, e o segundo, o institucional (este último já na fase da revelação da brincadeira) – foram veiculados no intervalo do Jornal Nacional, na praça de São José dos Campos. Foi feito, ainda, um trabalho de assessoria de imprensa pela Roatá Comunicação Inteligente, de Taubaté, que pautou os principais jornais e colunistas da região enquanto as ações eram realizadas, colaborando para atingir os profissionais da área e outros formadores de opinião.
O mistério foi revelado na festa de comemoração dos três anos da produtora, que teve toda a decoração feita com lâmpadas e contou com participação especial das personagens dançando e interagindo com os convidados.
Os responsáveis pela campanha comemoram os resultados da ação. “Para um vídeo virar hit na internet não é fácil. Não é qualquer vídeo que se torna um viral. Não basta postar um materiala achar que as pessoas irão divulgá-lo. A palavra-chave é conteúdo”, diz o diretor de criação da Molotov, Eduardo Spinelli.
A campanha –  O mote do novo posicionamento da Outracena Produtora de Vídeo, “Não deixe que uma má produção acabe com a sua boa ideia”, tem a intenção de elevar o nível de exigência das agências na produção de vídeos de qualidade, tendo em vista a infraestrutura e o know-how da produtora. “Embora estejamos no mercado há três anos, já assinamos peças de qualidade e de grande repercussão no mercado”, diz Renato Pulice.
Além do filme da guerrilha, foram produzidos um vídeo de trinta segundos (que brincava com a possível identidade dos personagens) e diversas artes com as personagens, divulgadas em forma de pistas nas redes sociais.
A Molotov assinou a criação de toda a papelaria, incluindo cartões de visita, convites do evento, portfólio impresso, o site institucional, o comercial de trinta segundos, um vídeo-resposta à guerrilha, e também um anúncio veiculado na Lettering – uma revista de comunicação voltada ao mercado empresarial do Vale do Paraíba.
O futuro dos “Cabeças de Lâmpada” ainda é tratado com muito cuidado pelos seus criadores. Pulice entende que, por serem carismáticas, as personagens ainda podem gerar empatia com as agências da região e render novos cases divertidos.

Produtora lança primeiro viral bem-sucedido do Vale do Paraíba

A Outracena Produtora de Vídeo, de São José dos Campos, conseguiu chamar a atenção do mercado publicitário do Vale do Paraíba, com o primeiro viral de sucesso feito na região. Na intenção de buscar um novo posicionamento e, ainda, de comemorar seus três anos de atividades, a empresa apostou numa ação em que personagens com lâmpadas acesas de meio metro sobre as cabeças circulavam em pontos de grande movimento, interagindo de forma inusitada e divertida com a população.

A ação de guerrilha foi filmada, o vídeo postado no youtube, e gerou repercussão imediata nas redes sociais como twitter e facebook, despertando a curiosidade do público-alvo, os profissionais das agências de propaganda, que pensavam tratar-se do prenúncio de um novo concorrente a se instalar na região. Poucos dias após a postagem no youtube, o vídeo dos Cabeças de Lâmpada, como as personagens foram batizadas, registrou mais de mil views, o que, para os padrões regionais é considerado um índice de grande expressividade.

A ideia do viral surgiu durante um brainstorm entre cliente e a Molotov Propaganda, de Taubaté, inicialmente contratada para roteirizar um vídeo institucional e trabalhar no reforço da marca da produtora com a criação de novos materiais de papelaria. “Como o roteiro do vídeo trazia as personagens com lâmpadas na cabeça, remetendo à ‘boa ideia’, vimos que poderíamos levar isso para as ruas e ganhar a simpatia do público e, como consequência, viralizarmos a ação na internet. ”, diz Pulice.

A estratégia do viral contou com a ação decisiva da Cruz & Ferreira, de Jacareí, responsável pelo gerenciamento das redes sociais e a criação de um perfil no twitter e de um blog fake intitulado “Detetives dos Cabeças”, que era alimentado diariamente, como se fosse um internauta anônimo que passou a seguir supostas pistas deixadas pelas personagens.

Para que a ação ganhasse ainda mais força, dois vídeos – o primeiro, o viral que circulava na internet, e o segundo, o institucional (este último já na fase da revelação da brincadeira) – foram veiculados no intervalo do Jornal Nacional, na praça de São José dos Campos. Foi feito, ainda, um trabalho de assessoria de imprensa pela Roatá Comunicação Inteligente, de Taubaté, que pautou os principais jornais e colunistas da região enquanto as ações eram realizadas, colaborando para atingir os profissionais da área e outros formadores de opinião.

O mistério foi revelado na festa de comemoração dos três anos da produtora, que teve toda a decoração feita com lâmpadas e contou com participação especial das personagens dançando e interagindo com os convidados.

Os responsáveis pela campanha comemoram os resultados da ação. “Para um vídeo virar hit na internet não é fácil. Não é qualquer vídeo que se torna um viral. Não basta postar um materiala achar que as pessoas irão divulgá-lo. A palavra-chave é conteúdo”, diz o diretor de criação da Molotov, Eduardo Spinelli.

A campanha –  O mote do novo posicionamento da Outracena Produtora de Vídeo, “Não deixe que uma má produção acabe com a sua boa ideia”, tem a intenção de elevar o nível de exigência das agências na produção de vídeos de qualidade, tendo em vista a infraestrutura e o know-how da produtora. “Embora estejamos no mercado há três anos, já assinamos peças de qualidade e de grande repercussão no mercado”, diz Renato Pulice.

Além do filme da guerrilha, foram produzidos um vídeo de trinta segundos (que brincava com a possível identidade dos personagens) e diversas artes com as personagens, divulgadas em forma de pistas nas redes sociais.

A Molotov assinou a criação de toda a papelaria, incluindo cartões de visita, convites do evento, portfólio impresso, o site institucional, o comercial de trinta segundos, um vídeo-resposta à guerrilha, e também um anúncio veiculado na Lettering – uma revista de comunicação voltada ao mercado empresarial do Vale do Paraíba.

O futuro dos “Cabeças de Lâmpada” ainda é tratado com muito cuidado pelos seus criadores. Pulice entende que, por serem carismáticas, as personagens ainda podem gerar empatia com as agências da região e render novos cases divertidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *