Dia de comemoração

Hoje é Dia Mundial da Propaganda

Em quatro de dezembro comemora-se o Dia Mundial da Propaganda.

É, essa tal propaganda que muita gente insiste em dizer que morreu, que não existe mais. Respeito todas as opiniões e correntes teóricas, mas não concordo. A propaganda está viva como nunca. Diferente, é claro, mas viva.

Não poderia mesmo, a propaganda, ser a mesma de tantos anos. Ela é uma das atividades mais dinâmicas e ligadas ao tempo presente que conhecemos. Ela depende do contemporâneo, do atual e, principalmente, do novo.

A propaganda é industria inserida na chamada economia criativa. Ela é mola propulsora – e isso é antigo – da livre iniciativa e da liberdade de imprensa. E, não, sinto muito, ela não morreu!

Em texto publicado no site da FENAPRO sob o título “Impacto da propaganda no crescimento econômico é um dos temas de encontro da propaganda promovido pela Fenapro” e que relata a palestra de José Otaviano Pereira, realizada em Encontro de Lideranças do setor no Piauí, temos o seguinte trecho:

“A propaganda estimula o aumento do consumo, acelera a velocidade de absorção de inovações, estimula a competição e o crescimento do PIB”, comentou José Otaviano Pereira, ao mencionar um estudo da McKinsey, realizado em 2012, cuja conclusão aponta que a propaganda foi responsável pelo crescimento de 15% do PIB das maiores economias, nos últimos 10 anos.

O profissional também apresentou dados de uma pesquisa da Nielsen, feita em 50 países, em 2009, mostrando que a propaganda no Brasil é ‘muito bem vista’ pela população em geral e, na opinião dos mais de 25 mil pessoas entrevistadas, ela impulsiona o crescimento econômico.”

Aqui em terras brasilis temos a felicidade de conviver com uma das melhores propagandas do mundo. Com menos verba de produção, menos verba de mídia, menos cultura de marketing e comunicação e menos poderio econômico. Mas uma das melhores do mundo.

Nossa propaganda, segundo o Projeto InterMeios já havia crescido 4,1% até setembro. Cresceu, portanto, mais uma vez, acima do PIB nacional. E, ainda segundo o relatório InterMeios: “Ao todo, foi investido nos veículos nacionais um montante de R$ 22,695 bilhões até setembro de 2013”. E olha que está de fora da conta o último trimestre que sempre ganha o gás do Natal.

No cenário regional acredito que este ano tenha sido de estabilidade, de amadurecimento e de afinar os instrumentos. Pudemos perceber isso na série de entrevistas que o Publicitando realizou com algumas lideranças regionais na série “Análises e Expectativas – A voz dos líderes”. Além disso, tivemos a consolidação do Prêmio Lettering – importante para o mercado do Vale do Paraíba – com casa cheia e uma noite para não se esquecer; agências regionais venceram diversas premiações (regionais,estaduais e nacionais) e a consolidação de importantes players no segmento digital.

Recuos aconteceram. Lógico e natural. Negócios não prosperaram. Faz parte da movimentação dos mercados.

Acredito, ainda, que temos mais motivos para comemorar e dizer que a propaganda está, sim, mais viva do que nunca. E que, portanto, hoje é dia de celebrar e bater no peito com orgulho para dizer que vivemos de propaganda!

Viva a propaganda! Propaganda, viva!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *