O impacto das ‘big techs’ na publicidade digital em 2022

Por Leila Borges Guimarães*

Com o advento e a ascensão da tecnologia no mundo, as mudanças estão cada vez mais acentuadas e, assim, o mercado da publicidade está se diversificando e, consequentemente, se atualizando constantemente. Por isso, as perspectivas de negócio no meio digital para este ano certamente virão das mais variadas plataformas, indo desde os games até os podcasts.

Leila Borges Guimarães é Country Manager da Adsmovil Brasil

Segundo o relatório “Ad Spend Forecasts”, publicado pela agência Dentsu em janeiro, é previsto que o investimento global com publicidade digital seja de US$ 745 bilhões — cerca de US$ 117,2 bilhões acima do nível pré-pandemia de 2019 —, com um crescimento de 9,2% neste ano. Já no Brasil, o incremento deverá ser de 5%, com montante que deve totalizar US$ 8,7 bilhões, um valor bastante considerável. Porém, quais devem ser os principais fatores desse crescimento num cenário que ainda se recupera da crise econômica impulsionada pela pandemia?

O ecossistema digital está em constante movimentação, exemplo significativo disso foi a aquisição realizada pela Microsoft de uma das maiores produtoras de games do mundo, a Activision Blizzard, que contém aproximadamente 400 milhões de jogadores, em jogos como Call of Duty e Candy Crush.

Observamos que essa questão movimentou o mercado e deverá impactar não somente a tecnologia em si, mas também as estratégias de publicidade, com o intuito de criar mais alternativas de espaços publicitários em busca de investimentos mais volumosos.

Outro acontecimento que deve aumentar o investimento na publicidade digital neste ano é a Copa do Mundo, que ocorrerá em novembro no Catar. Trata-se de um evento que movimenta bilhões de fãs no mundo inteiro e não à toa deve se refletir não só em ações publicitárias nas redes sociais e nos veículos de conteúdo jornalístico, como também em jogos online e álbuns de figurinha, com o intuito de expandir a experiência dos consumidores com o evento. Assim, os espaços de publicidade digital serão expandidos e trarão para o mercado uma extensa gama de consumidores fiéis e sedentos por novidades.

Com isso, a tendência é de que grandes marcas devam expandir os seus negócios para aproveitar o momento. O metaverso — ambiente de realidade aumentada e virtual — é a novidade que deve revolucionar o mercado de publicidade nos próximos anos, por exemplo, com a criação de lojas virtuais que possam mostrar produtos diferenciados e estratégicos, que posteriormente poderão ser comprados de forma exclusiva ou limitada.

Essa novidade promete ser uma tendência, já que o consumo digital vem crescendo. Para se ter uma ideia, apenas o e-commerce brasileiro registrou um faturamento de R$ 161 bilhões no ano passado, o que representa crescimento de 26,9% em relação a 2020, segundo levantamento realizado pela Neotrust. Outra ação é de as empresas investirem em ativos digitais, como criptomoedas e NFTs.

Outra frente que deve ser bastante explorada pelas marcas é a publicidade no formato de áudio, principalmente, por meio dos podcasts que já vêm sendo um sucesso de audiência com conteúdos de diferentes editorias nas mais diversas plataformas. Isso é reforçado pelo levantamento “A influência da publicidade digital no universo dos podcasts”, realizada pela associação IAB Brasil, mostrando que 59% dos ouvintes de podcasts recordam os anúncios e 37% realizam uma pesquisa na internet sobre o produto ou serviço após ouvir a mensagem da empresa anunciante.

Portanto, as perspectivas para a publicidade digital neste ano prometem não ficar limitadas apenas aos formatos tradicionais. Além das possibilidades mencionadas e que já estão disponíveis, ainda podem surgir novidades, já que a tecnologia não para e com a chegada do 5G o ambiente se tornará ainda mais propício para o surgimento de alternativas criativas para serem usadas na publicidade digital.

Por fim, vamos precisar ficar atentos aos possíveis movimentos de outras big techs, como o realizado pela Microsoft, pois é inegável que aquisições como essa trazem mudanças rápidas e consideráveis nos mercados e com o segmento de publicidade digital não será diferente.

*Leila Borges Guimarães é Country Manager da Adsmovil Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.