Ranking de agências e anunciantes

Meio&Mensagem divulga rankings

A Meio&Mensagem acabou de publicar os rankings dos maiores anunciantes e das maiores agências de propaganda do país. A publicação elabora os rankings em parceria com a Kantar Ibope Media.

Veja um trecho da matéria publicada hoje:

“O mercado brasileiro de publicidade deu um importante passo no quesito transparência com a divulgação, em abril, pelo Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp) do inédito ranking de agências do Cenp-Meios. Pela primeira vez, há uma lista com dados baseados nas autorizações de veiculação em mídia emitidas pelas agências, as chamadas PIs. O avanço será ainda maior quando o ranking incluir os valores totais movimentados por cada agência e vencer obstáculos institucionais, técnicos e burocráticos, como o de algumas agências não autorizarem sua identificação (o que deixa algumas posições em branco) e o de outras, mesmo certificadas pelo Cenp, ainda não estarem integradas ao banco de dados do Cenp-Meios, casos mais emblemáticos de Suno United Creators e Gut – duas jovens agências que estão entre as que mais crescem atualmente.”

Você pode lera matéria completa da revista aqui

Confira os gráficos:

As 10 maiores agências

Os 10 maiores anunciantes

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Artigo aborda gestão de comunidades

Gestão de comunidades ganha mais protagonismo em 2021

por Emídia Felipe*

Se você é CEO ou atua em alguma liderança estratégica, provavelmente já buscou ou vai buscar saber, em breve, o que é gestão de comunidades e quais os benefícios para o seu negócio. Dados do Relatório de Comunidades 2021 da CMX — uma das maiores referências globais para gestores — mostram que 69% das empresas vão aumentar o investimento nesta atividade este ano.

Imagem de Gordon Johnson do Pixabay

O avanço tem base nos resultados de 2020, quando as comunidades empresariais ganharam força no Brasil e no mundo, uma vez que a pandemia evidenciou ainda mais o valor das conexões entre as pessoas para aumento de engajamento, produtividade e relacionamento — seja entre clientes ou colaboradores. É por isso que, neste momento, em que as pessoas e as ligações entre elas são o ativo mais estratégico para qualquer organização inteligente, a abordagem de comunidade pode ser um ótimo catalisador para destravar e ampliar a entrega de valor para o mercado.

Mas o que é gestão de comunidades empresariais? É gerir redes sociais?

Não. Este é um engano comum, considerando que uma comunidade conta muito com redes sociais entre as suas estratégias de comunicação. Mas isso é só parte do trabalho. Gerir comunidades, na prática, é gerir as conexões entre as pessoas para impactar positivamente a vida delas e os resultados estratégicos da empresa, numa relação ganha-ganha. Isso pode ser feito por meio de programas de embaixadores/promotores, estímulo de produção de conteúdo pelos membros da comunidade, incentivo ao suporte técnico entre os próprios clientes, produção de eventos para engajamento de grupos de interesse estratégico, entre outras iniciativas.

Assim como qualquer área-meio, a gestão de comunidades precisa ter todas as suas ações vinculadas aos objetivos estratégicos da empresa, como redução de churn; de tempo e de custo em suporte técnico; de turnover; e aumento de fãs/defensores dentro de clientes (especialmente nas áreas técnicas); bem como ampliação da “paixão” pela marca, para citar alguns exemplos. As ações e suas métricas vão variar de acordo com a missão de cada grupo. De todo modo, o sucesso da gestão de comunidades mora na interseção entre o que as pessoas querem criar e compartilhar e o que a empresa precisa que elas criem e compartilhem.

Como toda área em estruturação — e, sobretudo, que trata de relações humanas — gestão de comunidades empresariais pode parecer algo difuso para pessoas mais pragmáticas. Mas essa impressão pode ser superada se olharmos para os ganhos que pessoas e empresas têm quando se unem em torno de um propósito, de uma crença, da vontade de evoluir. Anos atrás, em Tribos, Seth Godin, referência global de marketing, chamava comunidades de tribos e pontuava como elas criam “fãs verdadeiros, defensores e criadores de novas conexões”. O termo “tribos” não aparece à toa. Em Sapiens, Yuval Harari conta como somos seres comunitários há centenas de milhares de anos e diz que “Uma realidade imaginada é algo em que todo mundo acredita e, enquanto essa crença partilhada persiste, a realidade imaginada exerce influência no mundo”.

*Emídia Felipe é Community Manager na Neurotech e co-host do Capítulo Recife da CMX

Fonte: Compliance Comunicação – Assessoria de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Marketing de Influência: dicas para marcas e influenciadores criarem negócios juntos

Apostar em influenciadores nichados com o setor de atuação das empresas tem sido alternativa para marcas que querem se relacionar com seu cliente

O Brasil já é o sétimo mercado do mundo em marketing digital e movimentou algo perto de US$ 18 bilhões nessas plataformas no ano passado. Dentro desse universo, um setor que não para de crescer e vem conquistando marcas de todo o mundo é o do marketing de influência. Para 2021, as projeções são de que esse mercado bata a casa dos R$10 bilhões em 2021.

Image by Diggity Marketing from Pixabay

Grandes marcas como Pedigree, Pizza Hut, Spoleto, Polishop, Coca-Cola entre outras, adotaram essa abordagem de marketing para promover os seus produtos e serviços, além de fidelizar e conscientizar o público para gerar ainda mais relevância e engajamento para a marca. A Menu – startup que conecta pequenos comerciantes a grandes distribuidores – apostou no marketing de influência dentro do seu nicho de atuação para criar campanha com influenciadores e nomes do empreendedorismo na área de food service. Entre eles, estão donos de restaurantes e participantes de realities de culinária, como o Mestre do Sabor e o MasterChef.

Segundo Peter de Albuquerque, diretor de criação e branding da Menu, essa prática estabelece maior proximidade com os consumidores. “Nossos clientes são de uma cadeia muito segmentada, por isso escolhemos influenciadores a dedo, para dialogarem diretamente com o nosso consumidor final. Só para se ter uma ideia, durante sete semanas de campanha, notamos um crescimento significativo em todas as redes sociais da empresa. Conquistamos mais de 15 mil seguidores, aumentamos o engajamento, compreensão do produto e do nosso propósito por parte do público, além de termos gerado mais tráfego para o nosso marketplace”,comenta.

O especialista separou algumas dicas para orientar startups e empresas que desejam começar a usar esse tipo de estratégia ainda em 2021, confira:

Tenha em mente como funciona o trabalho do marketing de influência

No Brasil, 45% das pessoas afirmaram já ter comprado algum produto por indicação de suas personalidades favoritas. É importante entender como é o trabalho dos influenciadores e ter em mente que o ideal é que eles construam uma afinidade com os seguidores da sua marca. Não é apenas um merchan da empresa ou do produto, mas construir narrativas para uma aproximação que gere confiança, e consequentemente, vendas.

Escolha os parceiros com estratégia – e não apenas porque são famosos

Muita gente liga a palavra influenciador apenas às grandes celebridades da internet. No entanto, a verdade é que as empresas têm muitos tipos de parcerias que podem ser feitas. A dica principal está em encontrar alguém que faça sentido para a sua marca e isso deve ser feito por meio de um mapeamento dos influenciadores do seu segmento, quem são as pessoas que fazem a cabeça dos seus consumidores, quais os tipos de conteúdos que seus potenciais consumidores seguem, entre outras ações.

Além disso, é preciso levar em conta qual é o objetivo da campanha de Marketing de Influência, além do tamanho da sua empresa e da sua verba. Os micro influenciadores podem ser mais úteis em uma campanha de marketing de influência B2B, por exemplo. No caso de uma venda mais complexa e com um ticket maior, um vídeo de um especialista testando seu produto ou uma celebridade indicando os diferenciais pode fazer mais sentido.

Seja criativo e divulgue sua campanha em múltiplos canais

Cada vez mais, as pessoas desejam mensagens reais e verdadeiras, portanto uma dica é ser criativo. Vale lembrar que uma estratégia de Marketing de Influência pode envolver apenas um influenciador, mas uma campanha de sucesso deve englobar múltiplos canais para aumentar o alcance da sua mensagem. Se pretende utilizar mais influenciadores, crie um diálogo entre suas comunicações, uma hashtag, e garanta que as ações não se tratem apenas de uma publicidade.

Acredite e invista em novos protagonismos

Contar novas histórias e cotidianos é fundamental para trazer um tom singular à sua marca ou campanha. Além disso, essa postura contribui para a chegada de novos nomes ao mercado de influência.

Fonte: Comuniquese – Larissa Guedes

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Shopping Pátio Pinda continua trazendo novidades

Inaugurações, novos contratos e feirão animam o centro de compras e trazem novas oportunidades aos clientes

O ano está quase acabando, mas o Shopping Pátio Pinda continua trazendo novidades para completar o seu mix de lojas. Na última semana, o centro de compras inaugurou mais duas operações: o quiosque Arrazei na Make, especializado em maquiagens, e a Edson Derrico House, imobiliária que traz um dos conceitos mais modernos do segmento.

Outras três marcas também fecharam contrato com o centro de compras. Até o fim do mês, os clientes do shopping poderão conferir a loja Natural Vale, empório especializado em produtos naturais, e o quiosque da Piticas, marca focada no mundo Geek. Para o próximo ano, quem chega para reforçar o time é a Claro, concessionária de telefonias móvel e fixa, banda larga e TV por assinatura.

“Oferecer aos clientes excelentes oportunidades de compra é um dos nossos objetivos. Por isso, buscamos sempre as melhores marcas”, comenta Mayara Moleiro, analista de Marketing do Shopping Pátio Pinda.

Feirão Carrera Nissan
A partir desta quinta-feira (10), o Shopping Pátio Pinda também recebe o feirão “Vale do Paraíba é Território Carrera Nissan”. São diversas opções de novos, como o Kicks, o Frontier e o novo Nissan Versa, que promete desafiar as expectativas dos visitantes. Já os seminovos também estão com condições especiais e o cliente poderá receber o carro antes do Natal. O evento segue até domingo (13), às 18h, e acontece no estacionamento do shopping.

Fonte: Communicare – Camila Dezze

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Fornecedora de sistemas para comércio eletrônico é novo unicórnio brasileiro

São Paulo 5/11/2020 –

A VTEX, fornecedora de sistemas para e-commerce, foi declarada o novo unicórnio brasileiro. Em 28 de setembro, a startup fez um anúncio para anunciar o recebimento do aporte financeiro de US$ 225 milhões.

A VTEX, fornecedora de sistemas para e-commerce, foi declarada o novo unicórnio brasileiro. Em 28 de setembro, a startup fez um anúncio para declarar o recebimento do aporte financeiro de US$ 225 milhões – o que, na época, correspondeu a cerca de R$ 1,25 bilhão – , fazendo com que a empresa passasse a ser avaliada em, aproximadamente, US$ 1,7 bilhão. Os investimentos ocorreram no dia 24 de setembro.

Diversos fundos e gestoras fizeram parte do investimento

A rodada de investimentos que tornou a VTEX um novo unicórnio teve a participação de alguns fundos e gestoras, como o Lone Pine Capital, Endeavor Catalyst, Tiger Global e Constellation, além do fundo japonês Softbank – que, em 2019, já havia investido US$ 140 milhões nas operações da startup brasileira.

De acordo com a empresa, “A VTEX usará fundos da rodada para fazer aquisições, contratar talentos adicionais, inovar sua plataforma e acelerar o crescimento nos mercados dos Estados Unidos, Europa e Ásia-Pacífico”.

A plataforma foi apontada como visionária por consultoria

Em agosto de 2020, a plataforma VTEX foi apontada como visionária pela consultoria Gartner em seu celebrado relatório Quadrante Mágico. Os aportes chegam em meio a um período de muita prosperidade para a startup, principalmente ao se considerar todas as mudanças trazidas pelo pandemia do novo coronavírus, que acabou por ajudar a companhia a fechar o ano com aumento de até 114% de crescimento, alcançando o recorde de US$ 8 bilhões em GMW – Gross Merchandise Volume, ou Volume Bruto de Mercadorias.

A VTEX, mais exclusivamente sua plataforma de comércio colaborativo, mostrou um crescimento incrível de 98% na contratação durante a pandemia. Até o momento em que foi declarada como unicórnio, a empresa já abastecia mais de 3 mil lojas digitais, algumas delas globais, como a Motorola, Walmart, AB InBev, Stanley Black & Decker, Whirlpool, Sony, Nestlé e Coca-Cola.

VTEX representa recursos vantajosos ao e-commerce brasileiro

Os clientes VTEX contam com diversas vantagens ao adotar a plataforma para comércio eletrônico, incluindo o VTEX Intelligent Search, que auxilia no aprimoramento de buscas dentro do domínio. Além dos benefícios que a startup proporciona com o auxílio de mídia de performance, é possível otimizar ainda mais os resultados das vendas feitas pela loja.

Para saber mais sobre a plataforma VTEX e aprender a utilizá-la, os clientes podem contar com o auxílio da we.digi, agência de performance que conta com uma equipe especialista em VTEX, estando apta a ajudar empresários e gestores a potencializarem resultados por meio da plataforma.

Website: https://www.wedigi.com.br/

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Ranking global e inédito de publicidade revela que os consumidores preferem seus anúncios no TikTok

Kantar divulga lista completa no Media Reactions, novo estudo que mede a percepção dos consumidores em relação à publicidade no mundo, incluindo o Brasil

A Kantar, empresa líder mundial em dados, insights e consultoria, divulga neste mês o primeiro ranking global de equity de publicidade. O ranking, que mede a percepção dos consumidores em relação à publicidade em diferentes ambientes, foi publicado em Media Reactions. O TikTok, plataforma social que ganhou ainda mais atenção durante a pandemia, lidera o ranking inédito global no quesito plataformas digitais.

O estudo Media Reactions, que entrevistou 4.000 consumidores e mais de 700 profissionais de marketing, incluindo o Brasil, fornece uma métrica global de “equity de publicidade”* para canais de mídia, assim como redes sociais, publishers e aplicativos mobile. Ele contém diagnósticos detalhados que também ajudam os anunciantes a entenderem o impacto que as diferentes plataformas terão em suas campanhas e suas marcas. Os aprendizados do estudo incluem:

Divisão online-offline:

Os consumidores preferem canais offline para receber publicidade e tendem a considerá-los como de melhor qualidade, mais confiáveis e menos intrusivos do que os canais online. Em geral, os canais de mídia em que os consumidores afirmam preferir consumir publicidade globalmente e no Brasil são:

O cinema lidera a lista em 4 dos 7 países avaliados (Austrália, Alemanha, Reino Unido e EUA), enquanto eventos patrocinados lideram o ranking no Brasil e na China. Os meios de comunicação impressos e os anúncios digitais OOH também são bem avaliados entre os consumidores.

Embora os formatos online sejam geralmente menos aceitos do que os formatos offline, as percepções dos consumidores são mais favoráveis para conteúdos patrocinados por influenciadores, anúncios em podcasts e anúncios de TV por streaming.

Entre todos os formatos, a publicidade na TV e em vídeo online continua a dominar a exposição a anúncios. Enquanto nosso estudo explorou uma variedade de ambientes, os consumidores claramente têm visões entusiasmadas e um pouco polarizadas entre os formatos. O estudo revela que alguns são considerados divertidos, de boa qualidade, relevantes e confiáveis, enquanto outros não agradam pela excessiva saturação e repetição.

Apesar da preferência dos consumidores por receber publicidade offline, o foco da comunidade de marketing permanece no engajamento digital. As prioridades dos profissionais de marketing em relação a plataformas estão, portanto, em desacordo com as preferências dos consumidores. As plataformas de anúncios preferidas da indústria são (em ordem de preferência) anúncios em vídeo online, anúncios na TV, anúncios em redes sociais, anúncios na TV por streaming e stories em redes sociais.

Ranking global de plataformas digitais

Em uma seleção de plataformas digitais globais, a Kantar também mediu a opinião dos consumidores sobre publicidade nas plataformas sociais/de conteúdo que eles usam. Com base em 11 variáveis, o TikTok ficou no topo do ranking global em equity de publicidade. As marcas de mídia digital que ficaram nas cinco primeiras posições para publicidade são:

Tabela 2: Plataformas globais de anúncios digitais preferidas dos consumidores:

Dentro do ambiente digital, consumidores e profissionais de marketing concordam em relação às plataformas digitais confiáveis, como Google, Instagram e Twitter. No entanto, os consumidores geralmente são mais positivos em relação à publicidade naquelas mais novas, como o TikTok, enquanto os profissionais de marketing preferem marcas mais estabelecidas, como o YouTube.

Em contraste com os rankings gerais de canais, o equity de publicidade é geralmente maior para as marcas globais de mídia digital do que para marcas de mídia locais (herança offline). Parece que as “falhas gerais” dos anúncios online são um problema menor para a maioria dos ambientes digitais premium incluídos em nosso estudo.

Perspectiva de investimento publicitário

Durante a pandemia da Covid-19, 60% das empresas relatam ter reduzido seus gastos com marketing, com 30% tendo reduzido muito**. A pandemia resultou em um maior foco em Propósito da Marca e Transformação Digital. Talvez como consequência, os profissionais de marketing agora avaliam a adequação da campanha e a receptividade publicitária antes do ROI e de considerações de custos ao tomar suas decisões de investimento de mídia.

As mudanças de investimento têm estado em grande parte alinhadas com a mudança de hábitos de mídia dos consumidores, que durante a pandemia se tornou mais digital do que antes. A alocação de investimento/recursos para canais digitais aumentou como resultado da Covid-19. O investimento em mídia offline em geral diminuiu em resposta ao isolamento entre a maioria das grandes sociedades.

Parece que as mudanças que aconteceram em 2020 vão acelerar ainda mais em 2021, especialmente para vídeos online. As plataformas globais mais propensas a se beneficiar são YouTube, Instagram, TikTok e Google. Espera-se que a TV se recupere junto com a OOH digital. Para a maioria das outras mídias offline, o ambiente de negócios desafiador de 2020 parece continuar até 2021.

Situação 1: Mudanças planejadas na alocação de investimento/recursos (alteração para aumento líquido planejado)

“O Media Reactions 2020 traz luz sobre o fato de que ter um publisher premium no mix pode sim garantir melhores resultados para a performance de uma campanha”, comenta Maura Coracini, diretora de Mídia&Digital da Kantar. “Saber as fortalezas que cada plataforma e canal de mídia podem “emprestar” para a sua marca facilita uma maior aceitação da publicidade e ajuda a ganhar maior relevância entre os consumidores. É natural que os investimentos de mídia se movam cada vez mais para o digital – principalmente com o aumento do uso dessas plataformas na pandemia – porém a saturação, a repetição e o excesso de segmentação em alguns ambientes podem jogar contra a marca no final do dia. As plataformas de mídia precisam gerenciar seu equity de publicidade tendo consumidores e profissionais de marketing em mente, garantindo que a experiência seja positiva para as duas pontas do ecossistema”.

Fonte: Tamer Comunicação – Karina Rodrigues
Assessora de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Comunicação assertiva e o novo normal

O novo normal corporativo e o investimento em comunicação assertiva

*por Vera Moreira

Somos agentes de uma mudança histórica na jornada humana. Estamos vivendo a disrupção econômica, social, digital e pessoal.

Image by Karolina Grabowska from Pixabay

Um analista de comunicação ilustra muito bem o atual momento: “Estamos numa tempestade em barcos diferentes. Não interessa se está num bote ou num iate porque todos precisamos nos salvar”. É isso!! A pandemia fechou os países e vai mudar a economia e a sociedade.

Você já sacou que não existe mais “voltar ao normal”? Não existe mais a rotina antes do lockdown. Não iremos voltar ao escritório, abraçar nossos amigos, apertar a mão do cliente ou fazer longas reuniões. O novo normal é assegurar a integridade de seus colaboradores, promover reuniões em aplicativos eficazes, implantar home office ou teletrabalho, mudar as métricas de produtividade, mudar o layout dos escritórios e adotar um protocolo que garanta saúde e bem estar na empresa, no deslocamento, nos intervalos e no atendimento eficaz ao cliente.

A comunicação nunca foi tão importante para a retomada dos negócios. Quebrar paradigmas de marketing e da equipe de vendas. A ordem é ser transparente, fazer as alterações com leveza, estratégia de sustentabilidade da cadeia e informar com qualidade e assertividade.

A digitalização não inclui a inteligência e a flexibilidade diante da nova realidade da economia, dos serviços e da demanda do cliente/consumidor. As habilidades para manter o cliente e expandir os negócios estão alicerçados em empatia, eficácia e qualidade.

Não sabemos o tempo necessário para manter nossa saúde e evitar mortes, mas vamos sobreviver com novas estratégias e o olhar mais holístico sobre os desafios que a pandemia nos impôs. E essa mudança tem que ser encarada como oportunidade de melhorar.

Como você quer ser lembrado nessa crise?

Empresários, profissionais liberais, entidades representativas, executivos, atletas, artistas, educadores, cientistas e empreendedores estão inovando e repensando formas sustentáveis de manter sua expertise e construir um “novo normal”.

Marcas e empresas devem valorizar o que podem solucionar, apresentar uma identidade e “vender” sua imagem com comunicação integrada e que atinja os objetivos em cada público de atuação.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

A comunicação é decisiva nesse momento para ser relevante e impactar seu cliente. Ser inovador e valorizar a carga de experiência que conquistou, mas ser humilde para aprender e entender esse novo momento da jornada da humanidade.

A nova sociedade quer uma vida melhor, mais saudável, mais sustentável e mais honesta.

Mude, conecte-se e mantenha conexões com essa nova realidade.

A comunicação é o investimento prioritário no novo modelo de negócios. Esteja atento a esse movimento.

*Vera Moreira é jornalista, especialista em comunicação corporativa integrada, fundadora da Vera Moreira Comunicação e empreendedora da startup Organics News Brasil.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

O rádio aproveita o embalo digital

Praticidade e dinamismo garantem vida longa e relevância ao rádio em meio à revolução digital

Crescimento no consumo de ‘podcasts’, arquivos de áudio disponíveis na internet e que abordam temas diversos, prova que a mídia está longe do fim.

Poucas mídias são tão dinâmicas e práticas quanto o rádio. Quem vê toda a euforia com que o veículo é tratado hoje em dia nem imagina que um dia chegou a ser condenado à extinção, quando a televisão surgiu, no início do século XX. Com o passar dos anos, o rádio se reinventou e hoje desponta como um dos canais mais promissores do século. E foi justamente a chegada da internet que permitiu essa grande virada: a rede mundial facilitou o acesso a gravações de entrevistas, análises e até mesmo programas de entretenimento. Tudo isso impulsionado pelos populares ‘podcasts’.

O recurso ainda está em fase de consolidação, mas já é visto como um dos responsáveis pela revitalização da plataforma. Segundo dados de uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Podcasters (Abpod) com duas mil pessoas que estão regularmente conectadas À internet, 32% nunca ouviram falar de podcast. Por outro lado, 40% do público já acompanhou ao menos um programa desse tipo. A variedade de conteúdo impressiona: mais de três mil projetos foram produzidos em 2018, em todo o território nacional. Os maiores consumidores são os paulistas, que correspondem a 37% do total. São Paulo também é o lar de 80% dos apresentadores que comandam os cinquenta programas campeões de audiência.

Surfando na onda
O investimento em dinamismo e entretenimento passou a ser essencial para manter a audiência. Programas exibidos nas grades tradicionais das rádios mudaram para se beneficiar da nova onda. É o caso do ‘Esquenta’, exibido diariamente na Rádio 89 FM, o programa conquistou um público cativo e hoje assumiu a liderança de audiência no horário, segundo o IBOPE. O conteúdo tem como base pautas modernas e a presença de formadores de opinião para cativar o público durante o horário de apresentação. Exibido ao vivo, a partir das 22h, o programa é conduzido por Fitinha, Marcele Becker, Wendell e Bia Sato. Além dos temas diferenciados, a interatividade com o público é uma das marcas do Esquenta.

As mudanças na grade de programação também ajudam a promover novas bandas nacionais. Tudo isso porque uma das estratégias foi o desenvolvimento de programas com foco no ouvinte. Como resultado, a rádio ocupa a liderança na audiência da Grande São Paulo, de segunda a domingo, das 5h à meia noite, tanto nos rádios dos carros como também durante o trajeto dos ouvintes nos horários de pico, segundo dados do Ibope. No ranking geral, o programa é líder de audiência, em toda a Grande São Paulo, oferecendo muito rock n’roll e relacionamento com o público.

Mercado americano
Nos Estados Unidos, os podcasts fazem parte da rotina mensal de 26% da população. A abrangência ajudou a conquistar dinheiro e promoveu adaptações para a televisão e outras mídias. Consultores especializados estimam investimentos de quase US$ 700 milhões nesse tipo de mídia, neste ano, em todo o país.

Fonte: Valle da Mídia

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Otimismo entre os empresários

Nova pesquisa ACI/Unitau aponta otimismo da economia e do empresário para os próximos três meses

Com o objetivo de identificar o nível de confiança do empresário de São José dos Campos, a Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, em parceria com a Universidade de Taubaté, realizou um levantamento para identificar as expectativas da classe para os próximos três meses. Os resultados revelam que os empresários da cidade estão mais otimistas que em junho de 2018.

Esse é o terceiro levantamento do gênero, feito pela Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação) da Unitau.

A primeira pesquisa foi realizada entre 21 e 25 de maio de 2018 (com 202 empresários), a segunda entre 7 e 9 de novembro de 2018 ( com 275 empresários) e a terceira ente 26 e 28 de junho de 2019 (com 298 empresários). A margem de erro do levantamento é de 5 pontos percentuais para mais ou para menos e um nível de confiança de 95%. Os locais estratégicos utilizados na pesquisa foram o Calçadão da Rua 7, rua 15 de Novembro (próxima à Rodoviária Velha) e os shopping Center Vale, Vale Sul e Colinas.

Com relação aos empresários, em junho de 2018, o índice apresentou o valor de 56,37, próximo da neutralidade (50,00). Já em novembro de 2018 houve uma melhora em relação ao anterior, com 66,71 e esse índice ainda foi superado pelo de junho de 2019 apresentando o valor de 68,24. Sobre o crescimento da economia do país, em junho de 2018 o índice foi de 51,36, durante os meses seguintes os pontos foram subindo, até atingirem 70,97 em julho de 2019.

O levantamento também aponta otimismo dos empresários com relação ao aumento no faturamento e no lucro das empresas, assim como no aumento do número de contratação e investimentos em infraestrutura. Os índices de junho de 2018 foram 56,71 e em junho deste ano de 67,42.

Para o presidente da ACI, Humberto Dutra os índices apontam novidades para a economia. “A pesquisa comprova que o ânimo do empresário mudou, fruto de alguns fatores, como a inflação baixa, a aprovação da Reforma da Previdência e a retomada do poder de compra do consumidor. Ainda leve, ela mudança deve se cristalizar nos próximos meses”.

Fonte: Matéria Consultoria&Mídia – Nathália Barcelos

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Infográfico mostra desafios da comunicação interna

2018: Desafios da comunicação interna nas empresas

Quais são os principais desafios da comunicação interna numa empresa? Por que é tão importante investir nesse setor? Não é novidade para ninguém que comunicação é essencial para uma empresa! Mas será que ela é bem aproveitada dentro das empresas? Para saber mais sobre os desafios que todas as empresas vão passar no que diz respeito a comunicação interna , o Contact Telecom preparou um infográfico mostrando aqui os desafios mais enfrentados por colaboradores da área e como melhorar afim de obter o sucesso da sua empresa ou corporação.

Veja o conteúdo a seguir:

Fonte: Assessoria de Imprensa Contact Telecom – Nayrison da Costa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0