Segundo evento da APP Vale acontece nesta terça

Segunda live da APP Vale do Paraíba

Amanhã, dia 27 de julho, a partir das 19h30, ocorre o segundo evento promovido pela APP RM Vale do Paraíba. Desta vez o tema tratado é podcasts.

Com o título de “Podcasts: como a publicidade, o conteúdo e a inteligência de dados podem trazer resultados para as marcas?” a live reunirá os debatedores Natália Garcia, Gerente de Comunicação e Marketing do Grupo Verzani&Sandrini; e Felipe Raphael, fundador da Eu e o Mundo Podcasts.

Os podcasts vêm se destacando como importante recurso de conteúdo, atratividade e construção de autoridade para marcas e profissionais. Os números do podcast no Brasil são bastante animadores e isso chamou a atenção da diretoria executiva regional da associação que resolveu escolher esse assunto como tema para seu segundo evento remoto.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por aqui

A live vai fornecer certificado aos participantes.

Colinas Shopping inicia temporada de liquidações com descontos de até 70%

Campanha Colinas Sale segue até 30 de junho, com ofertas em vestuário, acessórios, calçados e tratamentos estéticos; shopping prevê crescimento de 5% nas vendas

Os meses de junho e julho costumam ser marcados por liquidações. Como as grandes marcas começam a abrir espaço nas lojas para a chegada das coleções de primavera-verão, as peças de frio ganham descontos exclusivos de até 70%, como é o caso da campanha Colinas Sale, no Colinas Shopping.

No mall, a expectativa é de crescimento nas vendas de aproximadamente 5%, em comparação com o ano passado. A previsão é até conservadora, considerando que os descontos abrangem não só o setor de vestuário, mas também acessórios, calçados e tratamentos estéticos.

“Os meses de junho e janeiro são períodos que muitos clientes esperam para aproveitar as oportunidades de desconto da Colinas Sale. Temos um bom engajamento dos lojistas, que promovem diversas ações promocionais, com descontos e parcelamentos e até entrega de brindes, com foco em movimentar suas vendas e estoque”, afirma Margarete Sato, gerente de marketing do Colinas Shopping.

A ação também é estratégica para o shopping, pois antecede o período de férias e a campanha de Dia dos Pais. “Em geral, esse período entre o Dia das Mães e as férias de julho é um dos preferidos para quem quer renovar o guarda-roupa. Especialmente neste ano, com um frio que promete temperaturas bem baixas, prevemos bons negócios aos clientes e lojistas”, explica Margarete.

O período das campanhas de descontos das marcas varia de acordo com cada loja, mas a maioria segue até o dia 30 de junho. Para conferir o guia de lojas e produtos das marcas, o cliente também pode acessar a vitrine virtual do Colinas Shopping (www.colinasshopping.com.br/shopping/vitrine) e realizar a sua compra online ou com retirada dos seus produtos no drive-thru.

Confira as lojas participantes e seus descontos:

Anacapri – até 50% off

Arezzo – até 50% off

Bodylaser – até 60% desconto em planos de tratamento

Botoclinic – 50% de desconto no segundo procedimento de menor ou igual valor (até o dia 26/06)

Cacau Show – Festival de Tabletes, com kits a partir de R$ 9,90

Canal – até 50% off

Capri – 40% (até 15/07) em itens selecionados

Closet – até 30% off em toda coleção

Darling – até 30% off em coleções selecionadas + cashback

Dudalina – produtos com 50% e 60% off

Dermage – ações de descontos semanais

Espaço Laser – todos os pacotes com 55% de desconto e parcelamento em 18 vezes

Gold Finger – até 20% off e parcelamento em 10 vezes, sem juros

Gregory – até 50% off

Kopenhagen – 20% off na linha Mil Delícias e 30% off na segunda unidade da linha Língua de Gato

Le Lis Blanc – até 60% off

L’occitanne – 50% off linha Herbae

Loungerie – até 50% off

Luciana’s Esthetic Center- 10% off em todos os serviços

Magnólia – até 30% em itens selecionados

Maria Filó – até 40% off

Miss Maria – até 60% off

MOB – até 50% off

Mr. Cat – até 50% + R$ 50 de cashback a cada R$ 300 em compras

Nagata Shoes – até 40% off

Oscar – até 40% off

Rafox imports – 20% off em acessórios e brindes na compra de smartphones

Richards – descontos progressivos até 30% de desconto

Santa Lolla – até 70% off

Santo Luxo – 50% em peças selecionadas. Promoção progressiva em todas as peças até 25% off

Side Walk – até 50% off

Simple Organic – 15% off em produtos selecionados. Compras acima de R$ 300 ganha um toalha exclusiva

Sóbrancelhas – 25% de desconto no microblading

Unhas Cariocas – de segunda a quarta, 25% de desconto no spa dos pés + mãos

Universal Joias – até 50% off

Victor Hugo – até 30% off e parcelamento em até 10x sem juros

Vivara – até 50% off

Thule – até 30% off

Dança das cadeiras

Confira as novidades no mercado de comunicação

Abril estava meio parado, mas agora as coisas começaram a aquecer novamente. Confira algumas boas novas do mercado de comunicação e marketing da Região Metropolitana do Vale do Paraíba.

A publicitária Rafaela Bonafé Rangel acabou de assumir novo posto no Marketing da Vale Safe EPI’s.

O designer Lucaz Mathias é o novo Head de Marcas na Lojas Kubbo

A ainda estudante de Relações Públicas Lorrane Figueiredo foi promovida ao cargo de Planejamento e Social Media na Conecta Marketing Digital.

 

Seja omnichannel para vender mais. Site não é cartão de visita e prateleira não é banner. Entenda.

Da presença à atitude: marcas precisam mudar comportamentos para melhorar a experiência de compra do cliente e se destacar em um cenário multicanal

*Hugo Alvarenga

Durante muito tempo se defendeu que uma empresa precisa marcar presença em diferentes canais de venda. Esse tipo de mantra causou uma corrida desordenada das organizações por novas possibilidades e vitrines. O estrondoso crescimento do e-commerce nos últimos meses, porém, mostrou que presença é insuficiente. O que adianta estar presente sem se comunicar direito, construir relacionamento ou vender o quanto precisa? Por isso, 2021 consolida uma nova era no varejo. A era da diversidade dos canais levada a sério, em que mais do que marcar presença será necessário marcar novas atitudes em cada canal.

Hugo Alvarenga

No início da pandemia, nos EUA, quase 40% dos compradores não conseguiram encontrar os produtos que precisavam e tiveram que comprar itens de outras marcas, que normalmente não comprariam, de acordo com o Instituto Ipsos. Suas marcas preferidas até poderiam estar online, mas provavelmente não se mostraram preparadas para realizar uma entrega efetiva como faziam tradicionalmente. Primeira lição que fica: site não é cartão de visita, rede social não é relatório, prateleira não é banner. Esses meios são ferramentas poderosas para captar a atenção do consumidor e vender. Seus canais estão vendendo? Que experiência você oferece ali?

Quando alguém vem me contar muito empolgado sobre os números do e-commerce, lembro que os nossos tempos falam, por incrível que pareça, menos do comércio eletrônico e mais de uma necessidade de as marcas olharem para as novas jornadas multicanais de compra. A venda online é peça-chave, mas não exclui outras formas de venda. Restaurantes que disponibilizam produtos em supermercados, fabricantes que “pulam” o varejo e oferecem seus produtos diretamente ao consumidor, lojas que reforçam o e-commerce e transformam seus espaços físicos em ambientes de experiência com produto.

São muitos exemplos e, ao investir nos seus canais de venda, há empresas que descobrem a segunda etapa da evolução: ser plural nos canais exige ser multi em um monte de áreas. Marcar atitude além de presença em cada meio impacta na forma como você cria relacionamento, produtos, conversas, posicionamento…

Recentemente, uma famosa grife de roupas lançou um curso online sobre branding, com lista de espera para a primeira turma. Quem imaginaria que um dia o setor de moda e vestuário abraçaria a área de educação, de um jeito muito natural, sem que uma marca perdesse a sua identidade? O professor do curso, aliás, é um dos próprios sócios-fundadores da grife, ajudando a construir uma experiência de relacionamento do cliente omnichannel muito próxima das pessoas.

Imagem de Peggy und Marco Lachmann-Anke do Pixabay

O conceito omnichannel se ramifica. Dá licença para as empresas testarem canais, mas também novos produtos. Nada é estático, muito menos o portfólio de uma empresa. De uns tempos para cá, uma estratégia comum é lançar com alguma regularidade produtos em edição limitada, para gerar buzz e conhecer na prática o gosto do consumidor. Uma rede de fastfood brasileira vem se destacando nessa área. Alguns dos lançamentos de maior sucesso entram no cardápio fixo das lojas e os que não têm desempenho satisfatório são descartados. Enquanto isso, o cliente experimenta sabores diferentes e sempre volta para conferir as novidades.

Quando o próprio entregador vira canal de relacionamento

O varejo online, por sua vez, é mestre em ser omnichannel sem abandonar o mundo virtual. Há empresas que além de manter o e-commerce no site ingressam em marketplaces no Whatsapp, onde vendem desde materiais de construção e produtos para pet a passagens aéreas.

Existem supermercados brasileiros inclusive sem única loja física, com o comércio totalmente online, conseguindo maior controle de estoque e logística. Um deles firmou parceria sustentável com a Coca-Cola para substituição de garrafas de vidro, graças a seus diferenciais de logística reversa e equipe própria de entrega, que supermercados tradicionais não possuem. Um caso em que o delivery por si vira canal de relacionamento sustentável.

O e-commerce tem uma grande participação na economia multicanal. Para termos uma noção de impacto, enquanto a Ford demitiu pouco mais de 6 mil colaboradores com o encerramento da produção de carros no Brasil, os aplicativos de entrega são a primeira fonte de renda para cerca de 4 milhões de pessoas no país, segundo o IBGE.

Outros números reforçam a dimensão. Há alguns anos um estudo de Harvard com quase 50 mil consumidores nos EUA revelou que as pessoas que compravam produtos em diferentes canais gastavam 10% a mais online do que as que realizavam compras em um único canal. O estudo Riverbed Retail Digital Trends, com 3 mil pessoas nos EUA, Austrália e Alemanha, apontou que 89% dos consumidores consideram que ter uma experiência de compra digital positiva é tão importante para voltar à loja quanto o preço.

Ser omnichannel, construindo eficiência no e-commerce e em outros canais de venda, virou pré-requisito para a sobrevivência das empresas. No início da pandemia, em muitas organizações a multicanalidade foi conduzida na base do grito e do desespero. Em 2021, temos a obrigação de pensar a multicanalidade de forma estratégica.

*Hugo Alvarenga é sócio-fundador da b8one, laboratório de soluções digitais especializado em e-commerce, que cresceu 800% em faturamento em 2020 e atua para grandes marcas em 11 países.

Fonte: Ryto Comunicação Estratégica