Coluna Propaganda&Arte

Oi, sumido! O e-mail marketing ainda é forte?

O e-mail ou correio eletrônico é quase como um avô das comunicações pela internet, porém, ele pode ser aquele avô bem descoladão, sabe? Afinal, temos tecnologia e maior compreensão de comportamento que antes. Vejam algumas estratégias para manter a força do e-mail marketing nos dias de hoje.

Faça e-mails com personalização

Quem não gosta de ser chamado pelo nome, de receber informações e ofertas personalizadas para seus gostos? Isso segue no ambiente do e-mail. Agora o desafio é fazer as automações, que colocam nosso nome em tudo, assim como outras informações preenchendo campos automaticamente, não soarem mecânicas demais. Essa bucha eu deixo para os copy que precisam buscar humanização acima de tudo.

Crie chamadas impactantes (e verdadeiras)

Não crie aqueles títulos de assunto de e-mail forçados só para conseguir clique e abertura de e-mail, fica evidente a sua estratégia e com o tempo cansa o público. Mesmo assim, podemos abordar algum tema de formas diferentes, gerando alguma urgência, por exemplo. Sexy sem sem vulgar!

Faça o uso de textos como principal formato (teste algumas imagens)

Quem faz e-mails todos em formato imagem corre um sério risco de não ser visto, pois em algumas plataformas as imagens podem não abrir automaticamente, deixando toda sua criatividade e inteligência em segundo plano. Quem não abrir ou não liberar a visualização não irá saber da sua oferta incrível. Mescle e teste os elementos, foto, texto, links etc.

Crie um relacionamento e segmentação de perfis

Não dispare e-mails sem direção ou sem uma régua de conteúdo. Algumas ferramentas oferecem automações simples que você poderá criar com uma sequência de interesse e de evolução do relacionamento, ao invés de oferecer um produto genérico para todas as pessoas do mailing. Compreender que cada cliente é único, mas que ele pode estar em fases parecidas é um primeiro passo para segmentações mais inteligentes e para maiores taxas de conversão.

Entregue conteúdo e ofertas de valor

Não adianta encher linguiça. Busque conteúdos, dicas e ofertas que façam a pessoa se sentir atendida, mesmo que ela não queira naquele momento comprar. Ao ter acesso ao seu e-mail, criamos uma lembrança, geramos interesse e abrimos portas para algo realmente relevante.

Isso sim é olhar para o vovô e-mail com carinho, e ainda mais, para seus clientes que podem vir de indicações dele. Esse cara tem história e tem respeito, viu?

Marketing de atração: estratégias de Inbound marketing e SEO conquistam 13,2 vezes mais visitantes e 5,7 vezes mais clientes para empresa

Especialista explica como melhorar os resultados das vendas e posicionar melhor uma marca no mercado

Na era digital e com um grande número de empresas de alta qualidade no mercado, como atrair a atenção do cliente de forma positiva e assertiva? É aí que o inbound marketing entra, ou marketing de atração, em português. “O inbound marketing é uma estratégia de marketing digital que tem como objetivo atrair e conquistar um determinado público e torná-lo um consumidor fiel da sua marca. É mais do que angariar seguidores, é atrair pessoas com interesses em comum com o que você publica e comenta. Isto faz delas as pessoas certas para gerar resultados positivos para uma determinada empresa”, explica o CEO da agência Pontodesign e especialista no assunto, Joaquin Presas.

Imagem por Photo Mix de Pixabay

De acordo com a última pesquisa E-commerce Trends, as lojas virtuais que adotam uma estratégia de SEO (conjunto de estratégias para melhorar um resultado nas buscas do Google, por exemplo) conquistam 13,2 vezes mais visitantes e 5,7 vezes mais clientes em comparação com os e-commerces não otimizados com SEO. Além disso, 69,4% dos usuários descobrem lojas virtuais por meio de redes sociais.

“Falando de e-commerce, uma boa estratégia de inbound marketing aumenta em mais de 50% o resultado dos investimentos em marketing digital, já que o público atraído tem alguma relação com nosso conteúdo. Na publicidade tradicional, falando de forma ampla, atrairíamos um público grande, mas este, muitas vezes, não converte em vendas”, diz Presas.

O especialista dá dicas de como aplicar a técnica na sua empresa e melhorar seus resultados.

1 – Coloque-se no lugar do seu cliente e construa a jornada dele até chegar a você. “Se eu estivesse procurando pelo meu serviço, por onde eu começaria essa busca? E qual seria meu trajeto até fechar o negócio? É o primeiro passo para começar a colocar em prática o marketing de atração”, enfatiza;

2 – Tenha um bom site e otimizado para SEO. O site é a “casa própria” da empresa no mundo digital. Investir em atrair pessoas para o site e fazer ele ranquear bem no Google é algo que vai durar e deixar dividendos para a empresa. Já investir muito para atrair as pessoas para a sua rede social é como “reformar casa alugada”: enquanto você mora lá tudo bem, mas quando a rede social perde relevância, você perde tudo;

3 – Produza conteúdo. O Google consegue ler o conteúdo do seu site. Ele sabe a frequência com que você posta e consegue entender sobre o que você tem conhecimento, então invista nisso e movimente-o com um blog. Ele é um dos principais motores para a melhoria de ranqueamento orgânico e, é por meio dele, que os seus clientes vão te achar quando procurarem pelo seu serviço no Google;

4 – Conheça suas palavras-chaves e as use. “Por exemplo, se você tem uma pousada em Caiobá, como seu cliente te acharia num buscador? Coloque essas palavras no site, em textos no blog, em hashtags nas redes sociais, entre outros”;

5 – Dissemine o conteúdo e atraia para o site. É bom postar o conteúdo no blog, mas ajude as pessoas a saberem que ele existe. Poste e divulgue, seja nas redes sociais, seja via podcast, por meio de vídeos no YouTube, entre outras ferramentas. “Esteja presente no mundo digital. Hoje a maior parte das pessoas buscam na internet por uma empresa. Esteja onde seu público está”, finaliza Presas.

Fonte: TRIO COMUNICAÇÃO – Mariana Siqueira

Sincrorizar campanha digital com off é possível

Sincronização de campanha no ambiente digital com o anúncio na TV ou Rádio. Já ouviu falar?

Se tem uma coisa que não falta em mídia digital é novidade. A todo momento, aparece uma nova tecnologia que surge pra facilitar a vida das pessoas e tornar fácil aquilo que até então talvez fosse impensável.

A comunicação de marcas no ambiente digital evoluiu de igual forma e a cada dia que passa, mais e melhores maneiras de impactar os consumidores são apresentadas ao mercado anunciante.

Sabemos que as pessoas vivem grudadas ao celular o dia todo. Talvez deixem ele de lado ali, somente na hora de dormir. Talvez nem isso. O consumo médio diário hoje é de 10h04m olhando para a tela de um smartphone. Sabemos também que é bastante comum e que mais de 70% dos internautas brasileiros assistem, por exemplo, a TV enquanto também navegam pela tela de um celular.

E é aí que entra o TV Sync da OPL. Uma tecnologia à disposição de marcas, de produtos e serviços que vai além dos recursos tradicionais existentes da comunicação das marcas e que bem explora todos os limites da mídia programática.

E como ele funciona? De modo prático, assim que o anúncio da marca entra na TV, a campanha é lançada também no ambiente digital, para o target escolhido e na tela do Smartphone.

Existem três jeitos de se apropriar da solução de Sync:

1 – Reimpactando o target na tela do celular, assim que ele ver na TV o filme da marca
2 – Utilização de Guerrilha, implementando na ferramenta termos para captação de áudio
3 – Se apropriando de um território ou programação. Por exemplo, se você quiser associar a sua marca com programas de culinária ou futebol, assim que o target for impactado por esses programas, em qualquer canal, receberá o Reimpacto na tela do Smartphone.

Ah, mas será que isso faz algum sentido?

Quase 30% das pessoas que visualizam um comercial na TV tendem a procurar por informações online sobre o assunto. Sincronizando as plataformas, transformar o usuário interessado em um clique ou uma conversão para sua marca torna-se muito mais fácil. Aumento de CTR%, visita e por consequência, venda.

Além da TV, essa tecnologia também permite sincronizar a campanha do digital com o Rádio. É o que chamamos de Rádio Sync. Desta vez, o áudio emitido pelo rádio é captado pela fermenta e a mensagem aparece na tela do smartphone.

A OPL DIGITAL tem cases incríveis para clientes que utilizaram a TV Sync ou o Rádio Sync em suas campanhas. Chegou-se a resultados em que a taxa de vistas de um site foi duplicada, quadruplicadas as conversões de um site e um outro em que a taxa de rejeição de um site caiu 65%.

Fonte: creativosbr – Sophia Furlan