Dança das cadeiras

Janeiro ainda com fôlego

O mercado segue movimentado neste mês de janeiro. Confira um pouco mais das idas e vindas dos profissionais e estagiários no mercado de comunicação e marketing do Vale do Paraíba.

Vinícius Vicente da Silva foi promovido para o cargo de Designer Gráfico Júnior no Guia Taubaté.

Ayrton Fernandes acaba de assumir a posição de Scrum Master – Criação na Papaya Comunicação.

Frankillyn Yorioka passa a dar expediente na Supera Comunicação como Diretor de Arte.

A jornalista Bruna Dutra passa a integrar o time de press da Pilares Relações Públicas.

Vaga de estágio em social media (home office)

Estágio em Social Media (Home Office)

A Pachá Comunicação está em busca de Universitários na área de Marketing para atuar na empresa

Conheça mais sobre a Pachá Comunicação

No dia a dia de trabalho a estagiária (a vaga é para mulher) irá ajudar na construção do planejamento dos clientes da Pachá, criação de legenda com técnicas de copywriting, criação de textos para mail marketing e/ou site/blog. Eventualmente, design das artes para as redes sociais.

Requisitos necessários para a vaga:

– Ser mulher (aqui na Pachá o time é composto por 99% mulheres)
– Estar cursando o Ensino Superior;
– Noções básicas de marketing inbound e outbound;
– Já ter criado conteúdo no Canva;
– Entender minimamente de Photoshop;
– Comunicação Ativa;
– Disponibilidade de horário;
– Ter muita vontade de aprender.

Qual será sua responsabilidade?

– Produção de conteúdo para as redes sociais;
– Interação com o cliente para validações em reuniões de planejamento/aprovação;
– Interação com o time de criação (designers)
– Domínio de plataforma para agendamentos de postagens nas redes sociais;
– Emissão de relatórios;

Mais informações sobre a vaga e para se candidatar, acesse esse link

Coluna Propaganda&Arte

O retorno das férias parece uma jornada do herói (e você nem percebeu isso)

Já ouviu falar na Jornada do Herói? Basicamente é a ideia de que todas as histórias seguem uma estrutura em comum desde a antiguidade, das obras de milhares de anos atrás, como óperas, até os filmes mais recentes de Hollywood, como Guerra nas Estrelas. Podemos acrescentar algumas propagandas, com o uso do storytelling e, arrisco dizer, até em nossa vida, como no retorno das férias, quer ver? Então bora pra história!

Storytelling é vida

Toda propaganda moderna se baseia nos conceitos de storytelling. Ou seja, explora-se o nosso desejo latente de ouvir histórias, algo que praticamos desde quando nos reunimos ao redor de uma fogueira quando homens das cavernas (talvez falando em sinais rs).
Essa premissa de contar histórias, que seria a tradução livre do termo storytelling em inglês, vem sendo aplicada em muitas propagandas, seja para vender um novo carro ou para fazer você investir em algum curso com alguma nova fórmula para enriquecer.
Resumindo: sempre temos um narrador contando algo, tentando nos envolver, mostrar situações, gerar empatia, dar seu endosso, mostrar sua cara e “abrindo o jogo” com você na mais louca e frenética tentativa de gerar um vínculo com quem estiver ouvindo.
Sendo assim, quando chegar um vídeo desse para você no Youtube, pode anotar os passos e se preparar para uma história de como aquele produto fez bem, como a pessoa era infeliz antes ou como ela era pobre e superou tudo etc. Temos sempre uma história sendo contada e, convenhamos, gostamos mesmo de histórias, basta ver o sucesso de livros e filmes mundo afora. Pessoas, escritores, grandes mercados de entretenimento bilionários baseados simplesmente em “histórias” estão aí e provam isso. Concorda? Prendi sua atenção até aqui?

Sobre a Jornada do Herói

Joseph Campbell foi um professor e mitologista norte-americano que dedicou sua vida ao estudo dos mitos. Ele então chegou ao que chamamos hoje de Jornada do Herói. Comparando antigos livros com os mais recentes percebeu que todas as histórias tinham muitas partes parecidas de conflitos e resoluções, como se fossemos programados para falar e ouvir sempre as mesmas coisas. Como se essa fosse a essência de toda história desde sempre.

Não quero entrar em detalhes, pois vale a leitura de todos os conteúdos sobre o tema, mas muitos desses processos foram aplicados também por roteiristas de Hollywood nos maiores sucessos do cinema. Esse conceito foi dissecado pelo escritor do livro A jornada do escritor, Christopher Vogler, que indicarei para quem quiser aprofundar no tema.

Etapas da Jornada do Herói

1- Mundo comum
2- Chamado à aventura
3- Recusa do chamado
4- Encontro com o mentor
5- Travessia do limiar
6- Provas, aliados e inimigos
7- Aproximação
8- Provação Central
9- Recompensa
10- O caminho de volta
11- Ressurreição
12- Retorno com o Elixir

Essa é a estrutura que provavelmente contempla todos os atos de qualquer filme, livro, propaganda e vídeos de Youtube que tentou convencer você de que existe um método fácil de ganhar muito dinheiro com a internet, sem trabalhar. Inclusive, arrisco dizer que podemos aplicar em nossas vidas, como, por exemplo, em nosso retorno das férias. Posso dizer então que criei a Jornada do trabalhador ou do CLT. Se você se reconhecer, parabéns! Considere-se um herói/heroína.

A jornada do CLT

1- Mundo comum
Aqui está você trabalhando e pensando nas férias, cansado, estressado, cheio de preocupações, vivendo a rotina normal de acordar cedo, ir pro trabalho, voltar etc.

2- Chamado à aventura
Alguém te convida para uma viagem de férias, pode ser um amigo, um familiar, sua esposa, tanto faz.

3- Recusa do chamado
Em um primeiro momento, você recusa, pois não quer gastar dinheiro ou qualquer outra desculpa para não viajar. Em alguns casos, até diz que “vai pensar”.

4- Encontro com o mentor
Alguém irá guiar você para essa viagem, pode até ser um guia de viagens ou seu parente que sabe tudo sobre a viagem e vai te convencer.

5- Travessia do limiar
Daqui em diante não tem volta, você já comprou as passagens, já fez os planos, já está até se imaginando lá no lugar.

6- Provas, aliados e inimigos
Durante suas férias, você pode aprender alguns macetes da viagem, alguns problemas podem ser evitados, você acaba superando problemas e contratempos, alguns aliados aparecem, como um bom lugar para comer ou um lazer incrível que você quer ir novamente.

7- Aproximação
Você vive alguns momentos de surpresas pelo caminho, vai criando uma expectativa para algo ainda mais incrível que pode ocorrer. Até pode acontecer mesmo!

8- Provação Central
Você vive uma grande viagem, tem momentos realmente inesquecíveis com pessoas queridas, vive o auge das férias. Seria o clímax nos filmes.

9- Recompensa
Qual a melhor recompensa de tirar férias? Relaxamento, tranquilidade, paz, saúde, tudo que quiser colocar aqui e levar pra casa. Podem até ser brindes e lembrancinhas. Você merece!

10- O caminho de volta
Essa é a parte mais triste, mas necessária. Você precisa voltar para casa, já está no caminho de volta, literalmente. Você revê todo trajeto e já sente saudades.

11- Ressurreição
É o momento de mostrar que você realmente curtiu as férias, provar que valeu a pena. Você posta fotos que ainda não postou, você sorri para quem pergunta, comenta com alguém sobre como as férias foram boas, tudo é válido para comprovar sua grande jornada.

12- Retorno com o Elixir
Você começa sua segunda-feira de trabalho meio distante, porém, apesar do peso do retorno, parece que algo mudou dentro de você. Pode até ser que tenha mudado mesmo, pois o ócio também leva ao estado de reflexão e até a grandes ideias. E se a rotina não te engolir novamente, você pode até rever toda sua jornada e escrever novos caminhos.

Essa é minha reflexão do início de ano.
Você conseguiu viajar? Já viu histórias assim?

Que comece a sua jornada para 2022!

Texto inspirado no livro “A jornada do escritor – Estrutura mítica para escritores” de Christopher Vogler.