Com o “boom” do streaming e vídeos, o audiovisual é o futuro para as marcas

Por Leandro Alvarenga, CEO da Prime Arte*

Está cada vez mais evidente que o setor audiovisual está passando por transformações drásticas em suas formas de produção. As plataformas de streaming, que já estavam crescendo antes da pandemia, tiveram seu papel potencializado durante o confinamento da pandemia. Já a comunicação entre público e marcas constantemente está sendo feita via vídeos gravados de formas espontâneas nas redes sociais, sem a necessidade de uma grande produção de marketing. Dentro deste cenário, qual o futuro das produções audiovisuais?

Primeiramente, é interessante analisar que, durante o período de isolamento, o consumo de conteúdos audiovisuais se tornou um hábito diário, – de acordo com um estudo divulgado pela Kantar IBOPE Media, quase 99% dos brasileiros assistiram à plataformas de streaming, TV, lives, redes sociais e videochamadas todos os dias. Por isso, diversas empresas começaram a investir neste tipo de plataforma, incentivadas pelos novos comportamentos dos consumidores. A explicação para esse fenômeno é a simplicidade em que esses conteúdos chegam às pessoas de forma muito confortável, já que agora é possível ter acesso a lançamentos de filmes e séries direto de casa por um valor mais barato, ou assistir suas celebridades favoritas muitas vezes ao vivo pela tela do smartphone.

Além disso, as novas produções cinematográficas e a visualização intensa de vídeos já são uma realidade que veio para ficar mesmo após o fim de qualquer traço da pandemia. O novo normal para os cinemas são, de fato, as plataformas de streaming. Observe que, no Oscar de 2021, os filmes produzidos por esses serviços conseguiram ultrapassar os estúdios tradicionais, com mais de 40 indicações à estatueta. Isso confirma o que muitos esperavam: as salas de cinema vão continuar a existir, mas com menos força e relevância.

Já as marcas descobriram que o formato de vídeos só beneficiaram os negócios ao notarem o poder da conexão criada com o seu público nesse período. Ainda assim, o papel das produtoras audiovisuais não muda, apenas se adapta. Nesse movimento de transformação, o audiovisual e seus profissionais são o futuro. O mundo gira em torno de imagem e som.

É importante que as empresas comecem a arriscar e acompanhar as mudanças digitais, modificando seus processos, soluções e produtos. O modelo tradicional com que o audiovisual foi consagrado já não é viável. Agora, além da qualidade de um vídeo não ser o mais importante, e sim, a mensagem que ele traz, qualquer pessoa com um celular na mão, um programa mediano de edição e um bom olho, pode produzir algo eficiente e poderoso.

Imagem de Tumisu do Pixabay

O mercado abriu um leque maior de oportunidades, até para aqueles que não possuem um background relevante de cinema ou de TV, mas dispõem de ferramentas tecnológicas capazes de sobrepor a qualidade da produção audiovisual. Muitas vezes, tornando-a algo secundária, portanto esse nicho precisa caminhar conforme as outras áreas. A comunicação atual demanda tecnologia. Cada vez mais os consumidores querem ver conteúdos personalizados, que sejam direcionados para os seus interesses, e muitas marcas já entendem isso.

O streaming e a nova forma de consumir vídeos não devem ser interpretadas como uma ameaça para o audiovisual. Essa realidade veio para ampliar o potencial desse setor, expandindo cultura e informação, inovando em criatividade e inclusão, e gerando empregos. Não há o que temer, porém, é melhor que todos se preparem. O momento pós-pandemia para o segmento será muito mais digital.

*Leandro Alvarenga é CEO da Prime Arte, produtora audiovisual especialista em tecnologia

Facebook tem crescimento no número de usuários

Usuários do Facebook cresceram 23% em 3 anos

Vem pandemia, vai pandemia: mesmo com a normalidade voltando a alcançar o mundo novamente e a população sendo liberada a sair de casa para socializar pessoalmente neste final de 2021, o número de pessoas usando as redes sociais diariamente continua crescendo. Tendo isso em mente, a plataforma de descontos online CUPONATION reuniu alguns dados sobre as performances das plataformas no mundo.

Apesar das mídias sociais crescerem de forma exponencial a cada dia, o Facebook é um gigante que parece não se abalar com nada, e uma nova pesquisa internacional comprovou esse achismo ao revelar que mesmo depois de quase 20 anos no mercado, continua sendo a rede social mais consagrada.

Com a chegada do segundo semestre do ano, a plataforma alcançou seus 2.853 bilhões de usuários ativos mensalmente conectados de todos os cantos do mundo, o que significa um aumento de 2% de pessoas acessando a mídia em um período de 6 meses, conforme um estudo semelhante divulgado no início de 2021 pela mesma companhia.

Ocupando o primeiro lugar no ranking das ferramentas de comunicação há anos, o levantamento mostrou que seu crescimento foi realmente significante para Mark Zuckerberg, que viu sua plataforma subir de 2320 bilhões de conexões para o número atual desde 2019, somando quase 23% de aumento em 3 anos.

Apresentando mais de 15 redes sociais que fazem sucesso ao redor do globo, o Youtube e o WhatsApp estacionaram em segundo e terceiro lugares do ranking e desbancaram o Instagram, somando 2,291 bilhões e 2,000 bilhões de usuários ativos todo mês, nesta sequência. Veja a pesquisa completa no ingráfico interativo do CUPONATION.

O levantamento ainda registrou que os populares Facebook Messenger, Tik Tok , Pinterest e o Twitter também aparecem na lista, com este último ficando em penúltimo lugar e somando 397 milhões de usuários acessando todo dia mensalmente.

Fonte: Fonte: Comuniquese – Giovanna Rebelatto

Marketing e tecnologia ajudam a melhorar performance de vendas

Martechs fornecem dados para que as empresas possam aperfeiçoar o relacionamento com os consumidores e proporcionar experiências exclusivas

É fato que durante a pandemia de Covid-19 muitas empresas precisaram se adaptar a novas ferramentas para sobreviverem em meio à crise. Isso porque a experiência digital passou a fazer parte da rotina de grande parte da população mundial. No Brasil, segundo o estudo Webshoppers feito pela Ebit|Nielsen, o aumento do número de pessoas que passaram a comprar pela internet foi de 23% só em 2020. Por isso, cada vez mais as organizações buscam melhorar a experiência dos consumidores e a tecnologia tem sido uma importante aliada nesse processo, abrindo espaço para a atuação crescente das martechs.

Imagem por ar130405 do Pixabay

Com o aumento das experiências de compra on-line, os conceitos de marketing e tecnologia estão se tornando uma coisa só. Diante desse cenário, uma martech atua com o objetivo de aprimorar o relacionamento com o potencial cliente e proporcionar experiências exclusivas. “O varejo físico está passando por um momento de transformação digital e ao mesmo tempo consumindo muita tecnologia. As martechs são protagonistas nessa revolução, trazendo dados que ajudam a melhorar o marketing e as vendas dentro do cotidiano das empresas”, afirma Marcio Pacheco, CEO da startup PhoneTrack.

Apesar do crescimento das experiências digitais, as ligações telefônicas ainda são um importante canal de contato entre cliente e empresa. Afinal, quando é importante a agilidade é um dos trunfos do telefone. Nesse sentido, tecnologias como o call tracking e o speech analytics, por exemplo, são capazes de melhorar a performance das vendas com inteligência artificial e automações. Isso acontece porque elas colaboram para a tomada de decisões baseadas em dados reais, resultado da análise de números. Esse é um dos exemplos de martechs, empresas que estão trabalhando com ferramentas que vão além da experiência digital e atuam com o telefone como um canal que ainda é importante no marketing.

Segundo Pacheco, o relacionamento com o cliente é uma das esferas que ganham cada vez mais espaço dentro do mercado de marketing e de vendas. Segundo o Google, em 2019, houve mais de 2,5 bilhões de visitas às páginas de contas pessoais para ajustar preferências de personalização de anúncios. Essa é uma entre tantas provas de que hoje, sem dados, não há campanha de marketing que consiga atingir os objetivos propostos, pelo menos não com o máximo de eficiência. “A digitalização dos dados para melhorar essa relação entre a empresa e o consumidor está sendo protagonizada pelas martechs”, analisa. As martechs já são muito populares entre os profissionais e agências de marketing e a tendência é que as ferramentas de inteligência artificial ganhem ainda mais mercado, já que têm o objetivo de melhorar estratégias de marketing e de vendas com base no comportamento do consumidor.

Sobre a PhoneTrack

Fundada em 2015, a PhoneTrack é uma startup que utiliza a inteligência artificial aplicada à voz para transformar a relação entre consumidor e empresa. Por meio de tecnologias como o call tracking e o speech analytics, a ferramenta fornece dados sobre campanhas on-line e off-line, como a quantidade de chamadas recebidas e perdidas, a média de duração de cada ligação e as principais palavras-chaves usadas durante o contato. Além disso, a PhoneTrack permite a comparação de resultados entre campanhas diferentes, melhorando o padrão do atendimento telefônico.

Fonte: Betini Comunicação

Pré lançamento do livro “Conteúdos Autênticos para Redes Sociais”

Paula Tebett, especialista em mídias sociais faz pré-lançamento online de seu livro: “Conteúdos Autênticos para Redes Sociais”

A especialista em mídias sociais Paula Tebett está fazendo o pré-lançamento online do seu livro “Conteúdos Autênticos para Redes Sociais” pela Editora Girafa. Entre os diferentes assuntos podemos destacar: a importância de se entender a sua audiência e fazer um planejamento de conteúdo direcionado a seus diferentes formatos para aumentar o alcance e o engajamentos nas redes sociais, como explorar a criatividade, dicas entre diversos temas importantes para se produzir um material autoral e que faça a diferença nas redes sociais.

Paula é profissional brasileira de marketing digital, jornalista, palestrante e criadora de conteúdo, seu promissor trabalho a fez ser capa e colunista da Revista High Profile, considerada a Rainha Brasileira da Mídia Social. Atualmente ministra palestras, treinamentos, cursos on-line e criação de conteúdo para diferentes empresas do Brasil.

Para adquirir o livro autografado e com desconto é só acessar o site paulatebett.com