Parcelamento em 10x cresceu no Dia do Cliente

Compras parceladas em 10x aumentaram 254% no Dia do Cliente, diz pesquisa

Realizado pela Social Miner em parceria com Loja Integrada, levantamento mapeou o perfil dos clientes que costumam comprar em lojas virtuais durante a data comercial

Os lojistas virtuais costumam aproveitar o Dia do Cliente – que foi comemorado no último dia 15 de setembro – para presentear os consumidores com promoções e descontos. Os benefícios podem valer só para a data ou para a semana toda, atraindo cada vez mais consumidores. Segundo pesquisa realizada pela Social Miner – empresa de tecnologia especializada em soluções digitais de pesquisa – em parceria com a Loja Integrada – plataforma para criação de lojas virtuais mais popular do Brasil, com 700 mil lojas criadas -, mais de 88% dos clientes disseram que usariam a data comercial para realizar compras devido aos preços promocionais.

A pesquisa revela ainda que a maioria das compras feita no Dia do Cliente em 2018 foram parceladas, 30% das compras foram dividas em 3 vezes no cartão de crédito, já 22% dos clientes decidiram parcelar em 5 vezes. Se comparado com o ano anterior, as compras realizadas em parcelamento de 10 vezes tiveram aumento de 254%.

Perfil dos compradores

A maioria das pessoas que costumam comprar no Dia do Cliente têm entre 25 e 34 anos (39%). Para os consumidores entrevistados, um fator decisivo na hora da compra é a confiança que eles depositam na loja virtual (30,5%), seguido de preço (20,1%), em terceiro fica o tempo de entrega com 19,7%, alguns também levam em consideração as formas de pagamento (16,4%) e a confiança na marca do produto (13,4%). Os dados ainda mostram que 75% dos clientes costumam ficar de olho nas promoções oferecidas por suas lojas preferidas.

Para Julia Mariá, head de marketing da Loja Integrada, os lojistas precisam aproveitar a fidelidade dos clientes para oferecerem mais vantagens em datas comerciais, como o Dia do Cliente. “As datas sazonais, como Dia dos Namorados, Dia das Mães e dos Pais, são muito importantes para o comércio eletrônico e costumam potencializar as vendas das lojas virtuais. É preciso criar uma estratégia de vendas e investir na divulgação. Já que as vendas aumentam muito, um bom planejamento evitará que a loja tenha prejuízos posteriores”, orienta.

Expectativa vendas online na Black Friday

Hoje os e-shoppers somam mais de 60 milhões no Brasil e o que contribui para esse crescimento é a Black Friday e as demais datas que a sucedem. Segundo levantamento do Google, a edição de 2017 faturou R$ 2,1 bilhões, um crescimento 10% maior do que em 2016, consolidando o dia como a segunda melhor data para o varejo brasileiro, perdendo apenas para o Natal.

Para 2018, a expectativa é que a Black Friday ganhe ainda mais força. De acordo com pesquisa recente do Google cerca de 70% dos internautas brasileiros já compraram em uma Black Friday e 99,5% dos consumidores on-line entrevistados afirmaram que já conhecem a data – podendo utilizar o dia de descontos para realizar uma compra.

Fonte: Agência NoAr – Ana Paula Vieira

Lojistas do Via Vale confirmam tendência do mercado: consumidores preferem pagar compras à vista

Consumidores preferem pagar compras à vista para fugir do endividamento

Lojistas do Via Vale Garden Shopping confirmam atual tendência do mercado e registram alta nas compras com dinheiro e cartão de débito

Compras parceladas a perder de vista, um crédito disponível no mercado cada vez menos utilizado pelos consumidores. O Banco Central divulgou uma pesquisa neste ano que mostra a relação do brasileiro com o dinheiro. Quando perguntados sobre as formas de pagamento utilizadas com mais frequência, 60% dos entrevistados responderam dinheiro. Outros 22% falaram que optam pelo uso do cartão de débito e apenas 15% citaram o cartão de crédito.

Outro levantamento, desta vez feito recentemente pelo Serviço de Proteção ao Crédito, também mostra essa preferência da população pelo pagamento à vista. 62,8% dos consumidores disseram que usam dinheiro em espécie para pagar as compras. Outros 47,3% optam pelo cartão de débito.

No Via Vale Garden Shopping, em Taubaté, muitos lojistas confirmam essa tendência. Desde o início do mês, na Constance, considerada a maior rede de calçados femininos com conceito self shoes do Brasil, o número de consumidores que usa cartão de débito cresceu em comparação com aos clientes que optam pelo crédito. 52,88% utilizaram cartão de débito nas compras e 47,12 preferiram o crédito. O gerente da loja, Mairon Mesquita, conta que observou esse aumento na preferência pelo pagamento à vista a partir do final do semestre passado. “Inicialmente associamos esse aumento ao período de férias, em junho, devido o maior volume de dinheiro circulando, mas dois meses depois ainda notamos que o consumidor segue nessa direção”, diz.

Para o superintendente do Garden, Diogo Linhares, os consumidores e os lojistas ganham com essa mudança de comportamento no mercado. “Com o dinheiro em mãos o consumidor consegue negociar descontos nas compras e os lojistas ganham com capital de giro em caixa”, diz.

O setor de alimentação também surfa na onda do pagamento à vista, modalidade em alta entre os consumidores. O cartão de crédito é item raro na Doce Luxo, utilizado apenas por 15% dos clientes. 50% das compras são pagas com cartão de débito e 35% com dinheiro.

“Quando o consumidor compra à vista, ele consegue reduzir as despesas com juros e sempre é possível negociar um desconto com o vendedor”, explica o economista Edson Trajano.

Fonte: Assessoria de Imprensa Via Vale

Cai a inadimplência em Taubaté segundo a ACIT

Estudo ACIT aponta que inadimplência do consumidor em Taubaté caiu 0,2% em maio

Um estudo realizado pela Boa Vista SCPC, parceiro da Associação Comercial e Industrial de Taubaté (ACIT), aponta que o Indicador de Registros de Inadimplentes caiu 0,2% em Taubaté, na comparação mensal de maio contra o mês anterior.

No resultado acumulado, a inadimplência obteve queda de 1,3%, enquanto na variação interanual (mesmo mês do ano anterior) o indicador cedeu 4,5%.

A recuperação de crédito do consumidor, por sua vez, aumentou 0,9% na comparação mensal de maio contra o mês anterior. No resultado acumulado, a recuperação avançou 0,3% enquanto na variação interanual (mesmo mês do ano anterior) o indicador recuou 8,4%.

Para levantamento desses dados, a Boa Vista utiliza o indicador de registro de inadimplência, que é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas e o indicador de recuperação de crédito é elaborado a partir das exclusões de registros informadas à Boa Vista SCPC pelas empresas credoras.

O índice calculado pela média móvel dos últimos 12 meses do mês de referência, tendo como ano base a média desses valores em 2011 (base = 100). A partir de março de 2016, as séries dessazonalizadas (as quais utilizavam o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau) foram descontinuadas.

Confira os dados dos indicadores no quadro:

A Boa Vista SCPC é parceria da ACIT e oferece serviços aos associados há alguns anos. A empresa está no mercado há mais de 60 anos, com atuação no segmento de inteligência analítica sobre consumidores e empresas e tem como diferencial a transformação de dados de pessoas físicas e jurídicas em informações inteligentes para o mercado. Destacam-se as campanhas de renegociação de dívidas (como a “Acertando suas Contas”, realizada junto com a ACIT no final de 2017 em Taubaté), a consulta gratuita de CPF pela internet e o monitoramento para proteção a fraudes. Além disso, ela oferece o Cadastro Positivo, que apresenta às empresas credoras o histórico de pagamentos honrados pelos consumidores, aumentando suas chances de conseguirem crédito no mercado.

Fonte: Acontece Comunicação e Eventos

Crédito para empreender

A partir de maio, Banco do Povo e BEJ passam a funcionar dentro da sede da ACI, no centro de São José dos Campos

Desde o dia 2 de maio, o Banco do Povo Paulista e o Banco do Empreendedor Joseense passaram a funcionar dentro da sede da Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, no centro da cidade. O BPP e o BEJ trabalham juntos e oferecem crédito de até R$ 10 mil a microempresários para compra de mercadorias e equipamentos.

Para o diretor administrativo do BPP e BEJ, José Alberto Nassur, o novo endereço dos bancos possibilita aos microempresários maior acessibilidade e melhor concentração de serviços, já que além da ACI, o prédio também dispõe serviços da Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo).

De acordo com Nassur, a mudança aconteceu para melhorar o atendimento aos empreendedores. “Nós passamos a atender ao lado da Jucesp e da Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos, o que é positivo. Afinal, atendemos, em boa parte, o mesmo público e estamos no centro da cidade. Isso facilita o acesso e otimiza o trabalho do microempresário.”

Para o presidente da ACI, Humberto Dutra, é uma honra ter dentro da sede da entidade dois bancos voltados ao microcrédito. Ele ressalta também os juros cobrados pelo BPP e pelo BEJ, abaixo da média dos juros do restante do mercado. “No momento de crise, no qual os juros nos bancos oficiais e privados são bem acima da média dos juros do Banco do Povo, ter isso dentro da casa do empresário nos deixa muito orgulhoso.”

Os juros cobrados pelo BPP são de 0,35% ao mês, pré-fixados. No BEJ, os juros são de 2,7% ao mês.

Desde a inauguração do BEJ, em 1997, foram realizadas 10.428 operações de crédito na cidade. Pelo Banco do Povo foram 540 2.270.710.00 empréstimos efetuados desde 2011. Esses dados sinalizam que as ações influenciam o desenvolvimento socioeconômico e colaboram com o progresso do empresário local e expansão de oportunidades.

Antes, os bancos funcionam no Paço Municipal. A ACI é sócia do BEJ, junto com a Prefeitura de São José dos Campos, regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Vale do Paraíba) e Univap (Universidade do Vale do Paraíba). O BEJ realiza empréstimos para compra de mercadorias e matéria-prima (capital de giro) ou mesmo para o investimento em ativo fixo (equipamentos, máquinas e reformas). O valor mínimo do financiamento é de R$ 200 e o máximo, R$ 10 mil.

Como fazer

Os interessados no crédito devem comparecer ao Banco do Povo Paulista e ao Banco do Empreendedor Joseense e realizar um cadastro. Será feita uma análise da microempresa para verificar se ela está dentro das regras solicitadas para que a aprovação seja efetuada. Para mais informações, acesse os sites www.bancodopovo.sp.gov.br e http://www.bejcredito.com.br ou compareça às unidades, à Rua Francisco Paes, 56, centro. BPP e BEJ funcionam das 9h às 17h.

Fonte: Matéria Consultoria & Mídia