Aulas abertas e gratuitas de publicidade com certificado

Programação de abril da Faap já está disponível, com temas das áreas de Publicidade e Rádio e TV. É necessário fazer inscrição

As aulas online trouxeram novas possibilidades às instituições de ensino, entre elas liberar o acesso aos encontros especiais que muitas vezes eram disponíveis apenas aos seus alunos. É o caso das aulas abertas do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP), que neste mês de abril ocorrerão nos dias 15, 16, 19 e 27.

Imagem de Harish Sharma do Pixabay

“Teremos convidados e professores da FAAP discutindo temas atuais, que podem ajudar o estudante da área a vislumbrar novos caminhos”, explica o professor Eric Messa, coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da FAAP.

Para assistir às aulas, é necessário fazer inscrição. Os participantes receberão certificado da FAAP.

Confira a programação do mês de abril:

15/4 – 8h

A era do som no universo das marcas

Palestrante: Prof. Marcelo Abud, professor de criação e produção em áudio da FAAP, e Paulo Dytz, empresário e estrategista sonoro de marca, cofundador e líder da Soundthinkers, uma sound company brasileira com foco em transformar marca, negócios e pessoas por meio do som.

Inscrições aqui

16/4 – 9h30

Brand Hero Journey: como transformar consumidores em heróis de marcas

Palestrantes: Vera Pacheco, professora de técnicas de atendimento da FAAP, e Andrea Mello, professora de criação publicitária da FAAP, especialista com 15 anos de experiência no desenvolvimento de estratégias de shopper marketing, campanhas de marketing, eventos e plataformas de full servisse.

Inscrições aqui

19/4 – 11h

Empreendedorismo em Comunicação

Palestrantes: Thiago Costa, professor de estratégias executivas de comunicação da FAAP, e João Victor Moraes, planejador estratégico de comunicação e marca, sócio da Matta, consultoria de Branding.

Inscrições aqui

27/4 – 9h20

O Podcast – como criar: possibilidades e formatos para comunicação

Palestrantes: Prof. Marcelo Abud, professor de criação e produção em áudio da FAAP, e Juliana Dantas, jornalista e apresentadora do podcast Finitude.

Inscrições aqui

Confira a aula aberta realizada no dia 12/4:

A música publicitária e a criação e produção de áudio

Palestrantes: Prof. Marcelo Abud, professor de criação e produção em áudio da FAAP, e André Minassian, produtor executivo e diretor musical na Play It Again.

Palestra disponível aqui

Fonte: FAAP / OBOÉ COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Agência quer contratar um Growth Hacker Jr.

Vaga para Growth Hacker Jr.

1. Área e especialização profissional: Marketing, TI e áreas correlatas.
2. Experiência em construção de campanhas e testes A / B de campanhas de Facebook Ads, Google Ads e LinkedIn Ads e análise de dados;
3. Ser fuçado. Entender e aprofundar os aprendizados de cada ferramenta (Gerenciador de Anúncios, Google Ads, Analytics e etc), vivenciando a rotina de growth.
4. Dimensionar e automatizar os processos de crescimento;
5. Dominar técnicas, configuração e aplicação de SEO;
6. Ter conhecimento de ferramentas de acompanhamento de resultados (Analytics, etc.);
7. Criar relatórios e mecanismos para monitorar a performance das diferentes iniciativas, com a documentação e o compartilhamento dos principais aprendizados, resultados e boas práticas para o cliente, o time de Marketing e outras áreas da Papaya;
8. Dominar a configuração, disparo e acompanhamento de campanhas de e-mail marketing;

Envie seu currículo para talentos@papayacomunicacao.com.br com a sua pretensão salarial de MEI e disponibilidade.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Grandes nomes da publicidade avaliam peças do FestVídeo 2021

Uma das mais respeitadas premiações publicitárias do país, realizada pela APP Ribeirão, recebeu 270 peças inscritas nesta edição

FestVídeo tem como objetivo principal premiar a criatividade e a qualidade das peças publicitárias regionais veiculadas no ano anterior a data da sua realização. Crédito: Divulgação / APP Ribeirão

Apesar de 2020 ter sido um ano de grandes desafios devido às mudanças impostas pela pandemia, o FestVídeo, evento realizado pela APP Ribeirão, recebeu 270 peças publicitárias inscritas na edição deste ano. Desde o dia 03/04, um time de profissionais renomados do mercado publicitário se dedica a avaliar os trabalhos inscritos. O julgamento das peças se encerra no sábado, 10/04.

Os profissionais que compõem o júri do festival são: Fabiano Pinel, diretor de criação da F.biz.; Renata Leão, diretora criativa da WMcCann; Paulo Schmidt, produtor da Academia de Filmes; Fabiano Feijó, diretor de criação da Tech and Soul; Ariane Polvani, redatora Senior da Wunderman Thompson e Marcelo Lourenço, diretor de criação e fundador da Coming Soon (Lisboa).

Realizado pela APP desde 1990, o festival integra o calendário oficial de eventos da cidade de Ribeirão Preto e do Estado de São Paulo e tem como princípio reconhecer e premiar os trabalhos desenvolvidos regionalmente, além de incentivar os investimentos em talentos e tecnologia, visando o aperfeiçoamento da criatividade e da qualidade dos serviços técnicos das agências e produtoras do interior do país.

Para o idealizador e organizador do FestVideo, Toni Valente, a adesão ao festival foi muito gratificante. “Ficamos satisfeitos com o total de peças inscritas, isso demonstra a pujança do mercado e a certeza de que muitos desafios foram superados para manter ativa a criatividade e, ao mesmo tempo, a confiança dos anunciantes que reconhecem a relevância da publicidade para manter os seus negócios”.

O shortlist com as peças finalistas será divulgado a partir do dia 14 de abril no site do FestVideo e a premiação ocorre no formato on-line no dia 28/04.

Fonte: Agência ERA de Comunicação e Conteúdo – Mariana Cruz

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga na mLabs para UX Writer

mLabs busca UX Writer

A mLabs busca um UX Writer capaz de traduzir conceitos técnicos de produto para uma linguagem clara, objetiva e assertiva com o usuário mLabs.

RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES
– Redigir textos de forma consistente em linguagem de produto para garantir a melhor experiência aos nossos mLovers.
– Definir e manter um guia de escrita com diretrizes para a linguagem de experiência do usuário para a mLabs.
– Garantir o tom de voz de nossas personas e produtos na redação de conteúdo consumido por nossos clientes, como: nomeação de produtos, conteúdo de telas, landing pages, glossário, políticas, releases, FAQs, entre outros.
– Estar alinhado com os times de Marketing e Tecnologia (Produto e Engenharia) para garantir o melhor conteúdo estratégico.
– Estar em constante troca de conhecimentos com o time de UX designers.
– Cooperar na comunicação de nossas equipes de Suporte e Vendas, garantindo a consistência dos fluxos de comunicação em nossos produtos e também sugerindo melhorias.
– Ajudar na realização de constantes benchmarks no mercado.

REQUISITOS E QUALIFICAÇÕES
– Experiência com UX Writing.
– Excelentes habilidades de comunicação.
– Habilidade de conversão da linguagem técnica para a linguagem do usuário.
– Boa capacidade técnica para storytelling.
– Habilidade para redação de textos criativos e objetivos, garantindo a ortografia e a gramática corretas da Língua Portuguesa.
– Habilidade de documentação de testes de usabilidade e entrevistas com usuários.
– Olhar analítico e criterioso para decisões estratégicas.
– Habilidades de negociação para definir prioridades com stakeholders de diferentes áreas.

Se você tem experiência e formação como UX Writer, candidate-se a vaga pelo link.

Candidate-se aqui

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga no A12 do Santuário Nacional

A12 abre vaga para Operador de áudio

A empresa busca profissional com graduação em Rádio e TV e com o mínimo de seis meses de experiência. O limite para se candidatar a vaga é dia 13/04.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Vaga para atuar como Assistente de Comunidade

Vaga de Assistente de Comunidade (CX – Social Media)

Sobre a vaga

 

A empresa procura uma pessoa apaixonada por animais, comunicativa, curiosa, ligada nos memes e assuntos do momento, fera em conteúdo, que goste de grandes desafios, vibra energia de inovação e se dê bem trabalhando em equipe para atuar em seu time de Customer Experience.

As responsabilidades serão:

– Relacionamento com os clientes nas redes sociais (mensagens, comentários, grupos, etc);

– Criação de conteúdos para as redes sociais;

– Planejamento, programação e análise de publicações nas redes sociais;

– Criação de posts para o blog;

– Criação de textos para ações e materiais ricos de endomarketing, inbound Marketing e Relacionamento;

É essencial que você tenha:

– Ensino técnico ou superior, cursando ou completo em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda, Relações Públicas, Marketing, Jornalismo ou afins);

– Experiência em relacionamento com cliente, social media, pós venda, customer service;

– Conhecimento e experiência em marketing de conteúdo e SEO.

Será um grande diferencial se você:

– Possui experiência com e-commerce e marketplace;

– Tem conhecimento em processos de logística;

– Domina as ferramentas e recursos das principais redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter e TikTok);

– Conhecimento em marketing digital;

– Metodologias de pesquisas de satisfação.

Se identificou? Então vem fazer parte de um dos maiores e-commerces do segmento pet do Brasil!

Atenção: Vaga presencial em São José dos Campos – SP.

Envie seu currículo para: rh@tudodebicho.com.br

Assunto: Assistente de Comunidade

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Na atividade

AlmapBBDO reforça atuação em Havaianas e vence concorrência por mesa de performance para operação Brasil

Após participar de uma concorrência, a AlmapBBDO acaba de conquistar a conta da mesa de performance de Havaianas no Brasil, consolidando cada vez mais a extensão de seu trabalho em tecnologia e digital para a marca.

A agência, que já trabalhava com o anunciante nesta área, tem uma equipe 100% dedicada ao cliente, com um time diversificado e personalizado, visando uma entrega exclusiva para trazer a conversa de performance para o centro do negócio, através de tecnologia, processos e talentos que tragam resultados de forma rápida.

Os trabalhos já tiveram início e a agência está totalmente atuando a quatro mãos com a Alpargatas em iniciativas que trabalham com táticas de BI, otimização e diversas operações de mídia online voltadas para a construção de um storytelling de Havaianas ainda mais próximo do seu usuário.

Além de operar a mesa de performance de Havaianas no Brasil, a AlmapBBDO ainda é responsável por esse mesmo trabalho junto a clientes como Cielo, O Boticário, GOL, entre outros.

Fonte: Giusti Comunicação – Vanessa Silva

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Mitos e verdades da mídia programática

Edu Sani desmistifica essa mídia que é responsável por 45% dos anúncios online

Cada vez mais se fala sobre mídia programática, mas por se tratar de uma forma de publicidade digital relativamente nova no Brasil, muitas dúvidas ainda são levantadas. Por isso, Edu Sani, CEO da Adsplay Mídia Programática e especialista no tema, elencou os principais mitos e verdades sobre essa mídia que, segundo o IAB Brasil, é a mais assertiva atualmente e já representa 45% da publicidade digital. Confira abaixo!

Edu Sani

Mídia programática é segura
Verdade. Como utiliza tecnologia de ponta a ponta em toda a sua operação, por meio dela é possível aplicar filtros automáticos que evitam temas sensíveis, além de alimentar constantemente as listas de bloqueio que podem variar de acordo com as ações, marcas e anunciantes. Como tudo é automatizado, também pode-se detectar rapidamente quaisquer problemas que, eventualmente, possam acontecer ao longo da campanha e corrigi-los rapidamente, assim como bloquear canais, categorias, faixa etária, regiões e etc.

Mídia programática e AdWords são a mesma coisa
Mito. Costumo dizer que é como comparar uma Ferrari com o saudoso Fusca. No Google Ads existem algumas segmentações nativas do próprio Google. Na mídia programática, é possível trabalhar com uma série de outras segmentações, além das do Google, o que torna as campanhas mais abrangentes e assertivas, oferecendo um potencial de audiência muito maior para os anunciantes. Além disso, no Google Ads Adwords, existem apenas dois formatos de mídia possíveis: display e vídeo. Já na programática, por conta da maior variedade de canais, existem outras possibilidades, como, por exemplo, áudio, Smart TV, aplicativos e telas conectadas.

Com a mídia programática aumentam as chances de atingir o público certo no momento certo
Verdade. Por utilizar tecnologias como inteligência artificial e bots, ela consegue identificar os perfis dos usuários e mostrar apenas os anúncios que têm potencial de despertar seu interesse. Assim, consegue contribuir com todas as etapas da jornada do consumidor, da pesquisa à compra, aumentando a assertividade das campanhas.

Mídia programática ocupa apenas os espaços publicitários que estão sobrando (calhau, no jargão publicitário)
Mito. Esse é um dos principais mitos da programática, afinal, 45% da mídia online hoje é comprada programaticamente. Dentro dessa fatia, existem muitos espaços nobres que são ocupados desta forma.

Mídia programática é investimento de médio prazo
Verdade. Toda campanha possui um período de aprendizado, por isso, não adianta apostar em campanhas com menos de um mês e meio de duração. Na programática, o algoritmo precisa de 30 a 45 dias para entregar boa performance. Assim, ao contrário do que muita agência vende, não é necessário investir em campanhas de 3 ou 6 meses para obter resultados expressivos.

Edu Sani é CEO da AdsPlay Mídia Programática e AdsPlay Educação, marcas pertencentes ao Grupo 365. É um dos maiores especialistas em mídia programática do Brasil, com mais de 18 anos de experiência em Marketing Digital e Mídia Online.

Fonte: AN Comunicação – Antônia Futuro

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Sindicato dos Jornalistas de São Paulo oxigena sua área de formações e oferece cursos de extensão à categoria

A temática dos conteúdos oferecidos é voltada a atualização e mercado editorial

Com o intuito de oferecer novas oportunidades de especialização aos profissionais, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), em parceria com o programa De Olho na Rede oferecem cursos de especialização em cinco áreas diferentes: Jornalismo Sindical; Jornalismo para a Diversidade; Jornalismo Esportivo; Jornalismo Científico; e Jornalismo de Dados.

Os cursos são online, em tempo real e já começam em maio. As aulas serão ministradas por profissionais que atuam nessas áreas e são desenhados na perspectiva do meio digital. “Estamos em um momento propício para o oferecimento de cursos, tendo em vista o rápido desenvolvimento tecnológico e a necessidade para os jornalistas de ampliarem o seu conhecimento e capacidade de atuação profissional”, considera o presidente do Sindicato, Paulo Zocchi.

Veja quais são os cursos oferecidos:

1 – JORNALISMO SINDICAL

Neste curso, os participantes terão o conceito e a contextualização do jornalismo sindical, assim como o entendimento de como se deve atuar na prática do dia a dia. É uma oportunidade interessante de descobrir um outro campo de atuação, na qual poderão exercitar o jornalismo nos seus variados canais, como TV, rádio, impresso e internet.

Os objetivos são:

– Discutir o jornalismo no âmbito da história do movimento sindical no Brasil

– Contextualizar a força do jornalismo impresso na área sindical

– Trabalhar a integração e a conexão das variadas mídias de forma que possam beneficiar o trabalho dos jornalistas e gerar valor para os trabalhadores

– Analisar a presença da internet e das mídias sociais digitais como parceiras do jornalismo sindical

– Adaptar assessoria de imprensa e RP nas funções do jornalista sindical.

2 – JORNALISMO PARA A DIVERSIDADE

Este curso traz a adequação do tema para a comunicação digital, com vistas a atender a diferentes públicos.

Os objetivos são:

– Discutir a prática do jornalismo com foco na diversidade

– Entender o contexto de diversidade no momento atual

– Compreender o alcance e particularidades das plataformas digitais na disseminação de informação e engajamento

3 – JORNALISMO ESPORTIVO

O curso visa apresentar o trabalho do jornalista no setor esportivo, com a experiência e vivência diária de profissionais que atuam há muito tempo nesse campo.

Objetivos:

– Apresentar o contexto do jornalismo esportivo no Brasil e no Mundo.

– Discutir as áreas, canais e recursos utilizados pelos profissionais.

– Contextualizar os conteúdos para cada um deles.

– Destacar a força da internet, sobretudo no apoio ao rádio e à TV.

– Avaliar como são feitas as transmissões e as análises esportivas

4 – JORNALISMO CIENTÍFICO

É uma especialização que se dedica a decodificar ao público fatos relativos a pesquisas, estudos e investigações sobre as mais diversas áreas da ciência, como tecnologia, biologia, medicina, arqueologia, astronomia, economia, direito, entre tantas outras.

Este curso destina-se aos profissionais que buscam diversificar sua atuação no jornalismo, por meio do jornalismo especializado, aproveitando-se de um vasto campo de atuação. Além da introdução ao jornalismo científico, esta formação trabalhará a pauta; a cultura científica versus narrativas jornalísticas, tradução e pesquisa online, plataformas para divulgação científica, além de promover discussões e reflexões com exercícios práticos.

5 – JORNALISMO DE DADOS

O curso orienta sobre como desenvolver conteúdo a partir de dados, analisando-os na perspectiva da informação ao grande público. Auxilia na apuração e investigação de matérias jornalísticas. Voltado a jornalistas que querem se aprimorar e entender o a lógica da informação em bancos de dados relevantes para o seu dia a dia. Dentre os quais destacamos não apenas Google, Facebook e outras ferramentas digitais, mas inclusive arquivos de veículos como Folha de S.Paulo, Estadão, Globo, entre outros.

O curso discutirá os temas: o novo processo de produção de informações; recursos e vantagens do Big Data; os riscos do jornalismo mecânico; visão crítica desse novo formato do jornalismo; o apoio dos dados nos segmentos jornalísticos.

Para mais informações e inscrições, acesse aqui

SOBRE O DE OLHO NA REDE

Ivone Rocha e Naia Veneranda

O DE OLHO NA REDE é um programa de cursos criado pelas gestoras Ivone Rocha e Naia Veneranda para dividir seus conhecimentos de mais de 20 anos e trocar experiências sobre comunicação, branding, marketing e negócios digitais.

Ivone Rocha é jornalista, especialista em mídia digital e em tecnologia da informação, mestre em políticas públicas e professora do ensino superior em comunicação integrada e digital.

Naia Veneranda é jornalista, tradutora, professora e palestrante, formada também em História e especialista em Letras e Comunicação Digital e mestre em Estudos da Tradução. Desenvolve produção técnica em EAD para curso de Letras.

Fonte: KAMPLIE COMUNICAÇÃO – Paula Farias

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

CBA B+G lança o estudo “Marcas Ativistas”, com lições para se engajar em causas de forma verdadeira

Documento traz informações para causar impacto positivo, seja para marcas Superativistas, Quebra-paradigmas, Ousadas ou Responsáveis

A CBA B+G, agência do grupo WPP especializada em branding, design, pesquisa e inovação, apresenta o estudo “Marcas Ativistas”, que traz um conjunto de reflexões e lições para ajudar as marcas a entenderem diferentes tipos, níveis e possibilidade de ativismo, bem como os riscos e benefícios para aqueles que decidem “levantar sua voz”.

No atual contexto social e de negócios, apenas ter um posicionamento não é mais suficiente para as marcas, que precisam construir um engajamento autêntico com uma ou mais causas para se manterem competitivas em seus segmentos de negócios. Porém, muitas ficam pelo caminho e acabam soando oportunistas ou incoerentes com seus valores reais, podendo até sofrer boicotes em um ambiente em que cada deslize pode ser fatal. Nesse cenário, “Marcas Ativistas” se propõe a indicar caminhos para evitar estratégias que podem não dar certo.

“Se bem trilhados, esses caminhos podem levar a um engajamento real e duradouro com os consumidores. As marcas estão desafiadas a construir seu território de impacto positivo, pois a simples posição baseada na troca por produtos e serviços, associada à neutralidade em relação a temas relevantes como racismo, questões de gênero, feminismo e meio ambiente já não alimenta mais o vigor de suas ofertas .Não se posicionar pode transmitir a ideia de consentimento, enquanto emitir opiniões de forma superficial pode ser lido como hipocrisia, se o discurso não vier acompanhado de ações concretas e condizentes com seu DNA”, avalia Luis Bartolomei, sócio-fundador, CEO e head de criação da CBA B+G.

As marcas não têm mais escolha: precisam se arriscar mais. “Sem dúvidas existem riscos no envolvimento de uma marca em causas relevantes para os indivíduos. Entretanto, muitos exemplos reais têm nos mostrado que agir ainda é melhor do que não se posicionar, mesmo que o impacto seja pequeno, e desde que a ação seja direcionada por verdade e transparência”, completa Carolina Barruffini, diretora de branding da agência.

Um dos aspectos que o estudo aprofunda é o tipo e nível de ativismo das principais marcas, o que ajuda a identificar o melhor perfil de cada uma. Os quatro tipos são as “Superativistas”, militantes desde sua fundação (como Patagonia, Ben & Jerry’s e outras); as “Quebra-Paradigmas”, inovadoras e pioneiras em seus negócios (Fazenda Futuro, Impossible Burger e Fenty Beauty são exemplos); as “Ousadas”, que defendem seus valores e causas de forma coerente, buscando incentivar discussões, mesmo que isso signifique não agradar a todos (Starbucks, Nike e Boticário, por exemplo); e as “Responsáveis”, empresas que têm iniciativas corporativas que beneficiam causas, mas sem engajamento de forma tão visível entre as sub-marcas (Nestlé e a iniciativa Cocoa Plan, por exemplo).

A partir das observações, a CBA B+G identificou Os Oito Passos do Impacto Positivo, que servem como guia para as marcas se engajarem em uma causa de forma perene e autêntica, minimizando riscos:

1. Desenhar um posicionamento claro e poderoso – Qual é a razão de existir e as crenças da marca? Qual seu DNA, sua personalidade e quem é o seu público-alvo?

2. Escolher batalhas – identificar as causas que a marca tem credibilidade para defender.

3. Definir os stakeholders – quem a marca impacta, de forma indireta ou direta, externa e interna?

4. Olhar para o histórico da marca (e seu momento presente) – revisitar ações, afirmações e campanhas anteriores para avaliar a credibilidade para se engajar em um assunto.

5. Definir o perfil de engajamento – onde faz mais sentido para a marca estar hoje e qual sua ambição para o futuro?

6. Identificar riscos potenciais – Quanto mais peso tiver a marca, mais ela precisa avaliar os riscos e benefícios antes de tomar qualquer posicionamento

7. Walk the talk – A marca não sobrevive de promessas, grandes discursos ou campanhas impactantes sem ações significativas e reais

8. Escutar os feedbacks – Monitorar a relação ‘promessa versus expectativa atendida’ pode determinar a saúde e a reputação da marca.

O estudo completo se encontra à disposição neste link.

Fonte: Comuniquese

Share and Enjoy !

0Shares
0 0