Agência busca criativo

Vaga para atuar em criação

A Arriba! Marketing está contratando para reforçar seu time criativo.

Perfil desejado:

✔ Experiências com comunicações on e off;
✔ Criação de KVs, apresentações, marcas e campanhas;
✔ Pacote Adobre (Photoshop, Illustrator e InDesign).

Então envie seu CV, portfólio + pretensão salarial para lais@arribamkt.com.br!

Vaga para trabalhar com conteúdo/e-commerce

Vaga para Assistente de Conteúdo (Cadastro de produtos E-commerce)

Descrição da vaga

Atuará no departamento de marketing junto a equipe responsável pelo cadastro de produtos no e-commerce com descrição detalhada dos produtos e elaboração de textos de recomendações.

Auxiliar na gestão da árvore de categoria sugerindo alteração e manutenções sempre que necessária.

Revisão e otimização constante dos cadastros.

Imagem de Diggity Marketing por Pixabay

AMBIENTE DE TRABALHO

O selecionado trabalhará junto a um time jovem, unido, inteligente, ambicioso e criativo – capaz de criar o ambiente de trabalho mais gratificante e estimulante possível.

DIA A DIA DA FUNÇÃO

• Cadastrar novos produtos no e-commerce com foco em otimização para os buscadores (SEO);

• Ajustar imagens do produto no Photoshop de acordo com e especificações e briefing;

• Haverá interação constante com o departamento de compras e fornecedores para obter informações de produtos;

• Revisão e análise constante da base de dados de cadastros.

PRÉ REQUISITOS

• Formação técnico ou superior nas áreas de marketing, publicidade propaganda e informática;

• Conhecimento básico em HTML e CSS;

• Conhecimento avançado em Excel / Google Sheets;

• Photoshop – Nível Intermediário;

PRINCIPAIS HABILIDADES

• Capacidade analítica bem desenvolvida;

• Boas noções de design e atenção aos detalhes;

• Perfil empreendedor e proativo;

• Espírito inovador e gosto pelo marketing digital, vendas e tecnologia;

• Gostar de trabalhar em equipe e ser participativo;

• Boa comunicação e pro atividade;

• Capacidade de análise crítica, engajamento e comprometimento;

• Apaixonado por novas tecnologias.

ITENS RELEVANTES, MAS NÃO SÃO OBRIGATÓRIOS:

• Inglês básico;

• Noções básicas em SEO;

• Ter trabalhado em e-commerce;

Enviar currículo para e-mail: rh_thais@yahoo.com com o assunto Vaga para Assistente de Conteúdo (Cadastro de produtos E-commerce)

Coluna Propaganda&Arte

Assistir séries: perda de tempo ou arte de uma Era?

A arte está sempre mudando. Reflexo da tecnologia que avança, mudança de hábitos e da comunicação. Até por isso, a febre das séries e de streamings criaram um novo verbo para o dicionário: maratonar. (e não é sobre exercícios físicos intensos) é sobre assistir muitos episódios de uma série, sem paradas. Mas seria isso uma perda de tempo e um problema para nossa saúde?

Aqui, vou abrir com vocês um pensamento que sempre me deixou inquieto como criativo:

será que o entretenimento, como um todo, é uma perda de tempo?

Eu sempre fiz esse questionamento justamente, pois trabalho diretamente com isso. Além de publicidade, adoro escrever livros, contos, roteiros de curtas e longas, podcasts etc. Mas a pergunta da utilidade dessa arte para o mundo sempre me deixou com o pé atrás.

Você já parou para pensar quanto tempo da sua vida “perdeu” assistindo séries?

Quando falamos de arte ou entretenimento, estamos falando de um momento de descontração. Ou então, de sonhos, protestos, questionamentos sociais e algo a mais. Esse “algo a mais” que sempre gostei de buscar na arte que consumo, sejam livros ou séries, me fez acender uma luz. E, com o recente boom de streamings, essa nova forma de consumir arte, que vem crescendo muito, fiquei mais preocupado, comigo e com todos.

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay

A TV a cabo, por exemplo, perdeu 1,4 milhões de assinantes em 12 meses (2019). No Brasil, aumentou-se o consumo de streaming de vídeos (Youtube e afins) em 130%. Estamos falando de uma mudança brusca e relevante na vida das pessoas e no tempo delas. E tudo isso para o quê?

A Era das séries e o foco nas pessoas

Em meio a esse caos filosófico e existencial, aproveitei minhas merecidas férias para “maratonar” algumas séries que estavam na lista de “to do”. E sabe o que descobri? As séries que mais gostei não foram as mais mirabolantes, com milhões investidos ou cheias de efeitos especiais. (e olha que eu adoro ficção científica). Eu pirei e viciei mesmo em séries tradicionais com histórias bem humanas que se passam em ambientes de trabalho, com personagens arquetípicos, situações que muitas pessoas passam, passaram ou passarão. Segue a listinha e considerações:
-The Office: uma série já antiga, mas que demorei para pegar firme e estou adorando. Ela mostra o cotidiano de um escritório (uau, quem manja de inglês já sacou) e como um chefe bem tradicional precisa se virar para lidar com os problemas da empresa e situações do mercado, como cortes de pessoal, relacionamento dentro do trabalho etc.;
-Parks and Recreation: com prêmios merecidos para a atriz principal, a série mostra uma repartição do governo responsável pelos parques de uma pequena cidade. O que vemos é um retrato do funcionalismo público que, pelo jeito, é igual no mundo todo. Muita burocracia, vontade de fazer acontecer mesclado com procrastinação, uso do dinheiro público de formas não ideais e todo tipo de funcionário (dos que trabalham bastante aos que só querem receber o salário fazendo menos possível);
-Brooklyn 99: uma delegacia precisa sobreviver às mudanças do mundo, revela pontos da sociedade como preconceito, questões de gênero, equilibrando tudo isso com a solução de casos investigativos, festas, brincadeiras, descobertas pessoais e muita amizade.

Se serviu para sorrir ou pensar, já valeu!

A escolha das séries anteriores não foram ao acaso. Elas possuem um estilo cinematográfico bem particular, aquele “reality” com câmera balançando e personagens falando com a câmera, mas bem fake, sem compromisso de parecer real. Às vezes, até esquecemos que a câmera está ali. E todas as histórias abrangem casos ligados ao trabalho e à vida. Seja num escritório, num órgão do Governo ou numa delegacia, no fim, estamos falando de problemas, soluções e convívio entre pessoas diferentes. Se essas séries marcaram uma geração, ganharam prêmios e tudo mais, devem ter uma função social, de resgate ou questionamento de valores interessantes: igualdade, respeito, humildade, amizade e amor ao próximo.

E a arte serve para alguma coisa?

Acho que pode sim, desde que você faça escolhas certas e pense na sua vida, em como melhorar algum aspecto dela. Até mesmo para dar algumas risadas já está valendo, como no caso destas séries de humor ou pensar em como melhorar seu ambiente de trabalho.
Segundo pesquisas de uma Universidade americana, rir é capaz de aumentar nossa expectativa de vida, pois aumenta circulação sanguínea, estimula respiração, melhora colesterol e diabetes, digestão, autoestima, diminui estresse e aumenta a imunidade. Se isso já não é motivo para maratonar, eu não tenho outro remédio para indicar.

Qual série você recomenda? Qual delas fez bem para sua vida?

Vaga de estágio em marketing/comunicação

Estágio em marketing/comunicação

Atividades a Serem desenvolvidas:
Fazer edição de fotos e vídeos, programação de publicidade em redes sociais e cronograma mensal de promoções e atividades.

O que se pede:

Cursar: Propaganda & Marketing ou comunicação à partir do 3 semestre.
Ter conhecimento com edição de fotos e vídeos (enviar portfólio)
Facilidade de comunicação
Ser dinâmico, trabalhar com ideias
Gostar do que faz e ser alegre
Gostar de viagens e ter curiosidade sobre o assunto

Lingua Exigida: Inglês / Intermediário

Carga Horaria de Trabalho: 30 Horas/Sem

Dias de trabalho: Segunda a Sexta

Tempo de Experiencia: Com experiência

Beneficios: Vale Transporte

Candidate-se por aqui

Shopping Pátio Pinda firma parceria com o Pinda Futsal

O projeto visa proporcionar novas oportunidades ao time e fortalecer o nome da cidade na categoria

O Shopping Pátio Pinda é o mais novo apoiador da equipe de Futsal de Pindamonhangaba, nas categorias sub-18 e sub-20. A parceria surge com o intuito de proporcionar novas possibilidades ao time, fomentar o nome da cidade no segmento, além de incentivar o envolvimento e a participação do público em atrações esportivas.

“Essa parceria é uma oportunidade para apoiarmos novas conquistas no esporte para Pinda. Outro ponto importante é contribuir para a popularização da categoria na região”, diz Leila Diniz, analista de Marketing do shopping.

A trajetória do time teve início há três anos, quando o professor Lucas Torão trouxe para a realidade o sonho de construir a equipe Pinda Futsal, por meio de reformulações da equipe e comissão técnica. Desde então, o time já foi campeão invicto dos Jogos Regionais 2019 Sub-20, campeão invicto dos Jogos Abertos da Juventude 2019 Sub-18, vice-Campeão da Taça São Paulo 2019 Sub-20, campeão metropolitano 2018 Sub-18 e campeão estadual 2018 Sub-18.

Agora, o time se prepara, com as equipes sub-18 e sub-20, para o campeonato Metropolitano que tem início na segunda semana de março. “De olho no crescimento dentro e fora das quatros linhas a parceria veio para agregar valores e muitas novidades nesta temporada 2020. Uma delas será um grande evento de apresentação do uniforme da equipe no próprio shopping, em data a ser divulgada posteriormente”, diz o assessor do time, Alex Santos.

Fonte: Communicare – Camila Dezze – Jornalista

mLabs apresenta nova funcionalidade

Estúdio mLabs: nova funcionalidade permite usuários criarem peças profissionais de divulgação direto na plataforma

A mLabs, empresa líder em gerenciamento de redes sociais, anuncia a chegada do Estúdio mLabs, espaço onde o usuário poderá editar qualquer post, inserir textos e imagens, logos ou elementos complementares no material que deseja publicar. Neste primeiro mês serão disponibilizados 80 modelos diferentes para serem editados.

Segundo Rafael Kiso, fundador da mLabs e especialista em mídias sociais, a nova funcionalidade tem como objetivo aumentar a produtividade e reduzir de custos dos usuários, uma vez que para usar a novidade não será cobrado nenhum valor a mais. “Para pequenas e médias empresas, que apresentam desafios na gestão das redes sociais, pois o trabalho necessita de estratégias e demanda tempo da equipe – muitas vezes enxuta, a funcionalidade é uma forma de serem mais competitivas no ambiente digital. A intenção é ajudar tanto de criação quando inserção do conteúdo nas redes sociais. Além de economizar tempo, os empreendimentos ainda podem deixar o post mais atrativo e profissional dentro da plataforma”, comenta Kiso.

Rafael Kiso

De acordo com o levantamento Social Media Trends feito no ano passado, 96,2% das empresas utilizam canais digitais e desse total, 62,6% das organizações já consideram as redes ferramentas relevantes para as suas estratégias. Para Kiso, criar conteúdo de qualidade e que seja apresentável é um dos segredos para quem quer ter sucesso nas mídias sociais. “Um posicionamento inteligente parte do princípio de que o conteúdo precisa fazer sentido para a vida das pessoas, quando alinhado com um material visualmente atrativo as chances de retenção da mensagem é ainda maior”.

Criada em 2015, a mLabs conta com planos comerciais acessíveis, é fácil de ser gerenciada, totalmente intuitiva e com soluções que facilitam a rotina dos gestores de contas de mídias sociais como agendamento de postagens e gerenciamento de plataformas como Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, Pinterest, LinkedIn e Google Meu Negócio, sendo possível analisar a performance das páginas, controlar o fluxo de criação e aprovação de posts, comparar com o desempenho dos concorrentes e até gerar relatórios personalizados. Hoje a startup conta com mais de 122 mil companhias e em 2019 recebeu o aporte de R$ 4 milhões da Domo Invest para ampliar o portfólio de clientes em território nacional e escalar a operação.

Mais informações sobre a mLabs: https://www.mlabs.com.br/

Fonte: Emanoella Leite – Assessora de imprensa

Coluna “Discutindo a relação…”

Mais do que nunca, para vencer é preciso dividir

Hoje ouvi mais um episódio de um dos meus podcasts favoritos, o The Shift. O tema do episódio (o podcast trata basicamente de disrupção) é cidades inteligentes e a entrevistada é Viviane Mansi, diretora de comunicação e sustentabilidade da Toyota para Latam e Caribe.

Viviane trouxe a informação de que a Toyota construiu uma cidade inteligente próxima ao Monte Fuji no Japão. A cidade funciona como um gigantesco laboratório de novas tecnologias e soluções. Sensacional!

Mais legal que a informação foi a frase que ela usou para explicar a opção da Toyota em deixar a cidade aberta a colaboradores e parceiros para desenvolvimento e implementação destas novas tecnologias e soluções: “para necessidades complexas soluções conjuntas”. Ou seja , a marca entende pra valer que num mundo onde as demandas serão cada vez mais sofisticadas e numerosas, a colaboração e a co-criação serão decisivas.

Ela também disse que esse pensamento funciona na montadora para tudo e não apenas para sua cidade laboratório. Abrir-se para parceiros e fornecedores de modo a buscar soluções inovadoras capazes de enfrentar demandas difíceis.

Tudo que foi discutido nesse episódio de The Shift reforça minha ideia de que em comunicação e marketing a busca por soluções compartilhadas, com equipes inclusivas e diversas, buscando e vendo nos parceiros e fornecedores co-criadores virou peça fundamental.

Ouça o podcast. Ouça podcasts! Vale muito a pena!

A importância da humanização das marcas

Em um momento online e robotizado, especialista em branding fala sobre a importância de aproximar as marcas dos clientes para torná-los fiéis

Em um momento em que a robotização e o online estão tomando conta da vida das pessoas, a ideia de humanizar uma marca para torná-la mais acolhedora, adaptada ao seu público de maneira próxima, humana e, principalmente compreensiva, é essencial. Isso significa que a humanização das marcas busca aproximá-las dos clientes por meio de sentimentos, desejos e expectativas.

A internet é um novo mundo de oportunidades e vendas. Tudo passou a ser mais acelerado. “As marca aprenderam a utilizar as plataformas e ferramentas para mapear, monitorar e acompanhar cada passo dos consumidores, e souberam utilizar muito bem as informações para apresentar ofertas cada vez mais micro-direcionadas para os desejos do público, porém, pouco se pensava em detalhes, como por exemplo, as necessidades dos clientes”, conta o especialista em Branding, D.J. Castro, da Nexia Branding.

O especialista explica que cada detalhe é essencial. “As marcas precisam compreender até que ponto podem obter dados das pessoas e restabelecer relações mais humanizadas com elas. Não é necessário abandonar os sistemas de automatização de marketing, mas é imprescindível redimensionar a comunicação para a escala humana, um a um. As pessoas merecem se sentir ouvidas e compreendidas para se tornarem fiéis”, explica.

Humanizar uma marca é aproximá-la do humano, com sentimentos, desejos e expectativas, pode parecer óbvio, mas não é. Castro explica que a necessidade de empatia, consumidor e marca, não surge da noite para o dia, é uma construção. “Dá-se em cada momento de contato, seja no ato da compra ou em qualquer outra ação cotidiana em que a marca é lembrada, é fazer com que a compra seja mais do que apenas de um produto ou serviço, tornando a empatia real, com carinho, afeto e cuidado, ou seja, tocando o coração do cliente”, relata.

De acordo com o especialista, a abordagem das marcas deve buscar se reconectar com a sua essência. “Retomar um contato mais próximo e acessível e deixar um pouco de lado os excessos do passado recente. É uma grande oportunidade para reiniciar as relações com as pessoas, deixando claro o respeito pelas informações, e reconquistando o espaço, passo a passo”, conta.

“As marcas que optarem por esse caminho mais humano, poderão se beneficiar da boa vontade das pessoas que procuram uma conexão mais íntima com a marca, e estas sim vão consentir, de forma consciente, o uso de suas informações para criar experiências melhores. As pessoas querem ter um caso de amor com as marcas, mas é preciso ter respeito nessa relação”, finaliza D.J. Castro.

Fonte: Presse Comunicação Empresarial – NATHÁLIA HEIDORN

Investimentos em digital vão ultrapassar os realizados nas mídias tradicionais

Brasil seguirá os passos dos EUA na publicidade digital

Lá fora os investimentos na internet já ultrapassaram os realizados nos meios tradicionais, o que deixa evidente que estar na mídia online é condição para o sucesso real independente do mercado de atuação

por Thiago Cavalcante*

Pela primeira vez, o investimento em publicidade digital superou o realizado nos meios tradicionais nos Estados Unidos, um feito importante para o setor que foi alcançado ano passado. Segundo levantamento da eMarketer, o mercado publicitário do setor no país recebeu cerca de US$ 130 bilhões em 2019, o que corresponde a um crescimento de 19% em relação ao ano anterior e a 54% do bolo total. Google e Facebook lideram como principal destino.

É uma tendência que deve se repetir no Brasil em algum momento. Muito embora, grosso modo, a distribuição de verba continue sendo puxada pela TV aberta, o movimento de expansão já sinaliza que não vai demorar muito.

O Conselho Executivo das Normas-Padrão, o Cenp, que reúne os principais anunciantes, veículos de comunicação e agências de publicidade do País, divulgou dados que ainda mantém a TV como líder, seguida por Internet e Mídia exterior.

Mas quando comparada às mídias tradicionais, a projeção de investimento em TV é de 5,5% de crescimento ao ano. Nos jornais e revistas, deve cair para 3% e 5% por ano, respectivamente. E, em mídias digitais, a expansão estimada é de 12% ao ano até 2021.

Parece desproporcional, mas faz todo sentido. A TV aberta fala para as massas enquanto na internet, graças à tecnologia programática, é possível uma segmentação inteligente. Assim, entende-se melhor o perfil dos consumidores para definir quem são os potenciais clientes e, a partir daí, criar mensagens personalizadas. Ao se direcionar a melhor mensagem ao canal mais adequado e, ao consumidor com maior chance de compra, se garante também a comprovação do retorno sobre o investimento, permitindo mensurar os resultados finais de cada ação com precisão.

Isso, contudo, não muda o ranking dos maiores anunciantes. Dados do Kantar Brasil mostram que o “top 5” setores entre os maiores anunciantes é formado por Comércio; Serviços ao Consumidor; Financeiro e securitário; Higiene pessoal e beleza; e Farmacêutico. Já o “top 5” categorias inclui Lojas de departamento; Supermercados, Hipermercados e Atacadistas; Campanhas públicas; Mercado Financeiro; e Mídia eletrônica.

O que é possível afirmar diante desse cenário é que ter presença digital é um pré-requisito básico para ter sucesso no mercado atual independentemente do setor. Isso porque o número de pessoas que têm acesso à internet vem crescendo dia após dia. São mais de 100 milhões de pessoas conectadas em todo o Brasil, somando mais de 63% dos domicílios do país. E as pessoas, de diferentes faixas-etárias e gênero, estão cada vez mais buscando soluções cotidianas nos meios digitais.

Pesquisa da SEO Trends estima um aumento de 70% de novos investimentos em marketing digital pelas empresas no País nos próximos anos. A estimativa foi feita baseada em análise de investimentos em publicidade móvel nos últimos cinco anos e revela como a internet, associada ao marketing digital, tem se tornado um lugar rentável.

As redes sociais também tiveram um grande impacto não só na forma como as empresas fazem publicidade, mas também no modo de se relacionar com seu público. Na internet, possuem a possibilidade de se posicionar de forma mais efetiva que nas plataformas tradicionais. Através do conteúdo produzido para Facebook e Instagram, por exemplo, a marca consegue afirmar sua personalidade, defender causas e se tornar mais popular.

O público exposto ao conteúdo se identifica com o posicionamento da empresa e passa a divulgar e defender o negócio. Além disso, as redes sociais são ferramentas excelentes para garantir um atendimento mais ágil e eficiente. Algo que antes demoraria horas para ser resolvido pelo telefone, hoje com ajuda do chat e direct, por exemplo, pode ser resolvido muito mais rápido.

Fora a agilidade, as redes sociais permitem que as empresas ofereçam atendimento cada vez mais personalizado, o que é essencial para a fidelização do cliente.

* Thiago Cavalcante é diretor de Novos Negócios e sócio-fundador da Adaction, startup especializada em ações de mídia digital, que tem na carteira clientes como Bradesco, Banco Next, Nestle e Bayer.

Fonte: Compliance Comunicação – Assessoria de Imprensa

Tem vaga para estagiário de marketing digital

Estagiário(a) de Marketing Digital

Você precisa:

– Ser apaixonado(a) por Marketing Digital;

– Cursar Comunicação Social ou áreas correlatas;

Seria legal se você manjasse de:

– Marketing Digital e Growth Hacking;

– Google Ads, Facebook Ads ou Google Analytics;

– Conhecimentos de SEO;

Quais serão suas atividades:

– Suporte na produção de textos para Blog e Artigos;

– Gestão de conteúdo de Websites;

– Monitoramento de Redes Sociais;

– Criação e Edição de peças de Marketing Digital.

Interessados deverão encaminhar uma versão atualizada do currículo para o e-mail: mtc.psico@gmail.com. No assunto mencionar o nome da vaga: Estagiário de Marketing Digital.