Quarentena muda comportamento dos usuários das redes sociais

Estudo desenvolvido pela FAAP, em parceria com a Socialbakers, mostra queda nas interações e no número médio de seguidores das celebridades no Instagram

A velha máxima de que “conteúdo é rei” mostrou-se ainda mais válida nessa quarentena. O estudo #MS360FAAP, desenvolvido a partir de uma parceria do Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) com a Socialbakers, mostrou uma queda percentual – se comparado com o início do ano – na média de seguidores das celebridades no Instagram. A redução foi de aproximadamente 34%, saindo de um número médio de 13,175 milhões (no primeiro trimestre) para 8,680 milhões neste segundo trimestre.

Image by William Iven from Pixabay

Com muito mais pessoas nas telas, devido ao distanciamento social por conta no novo coranavírus, o pensamento mais óbvio seria que as redes sociais teriam uma inundação de usuários e conteúdo, explica o professor Prof. Thiago Costa, um dos pesquisadores do estudo. Mas não foi o que aconteceu.

Entre janeiro e março deste ano, esse mesmo os perfis das celebridades alcançavam um crescimento de 17,3% no número médio de seguidores, na comparação com o período imediatamente anterior. Ou seja, depois de uma subida considerável, esse tipo de perfil teve uma queda percentual bem maior.

“É totalmente possível atribuir essa queda dos seguidores ao empobrecimento do conteúdo gerado pelas celebridades”, afirma Thiago Costa, que também é coordenador da pós-graduação em Comunicação e Marketing Digital da FAAP.

De acordo com o professor, a partir do momento em que não havia mais uma “vida glamorosa” e distante da realidade da maior parte das pessoas, o interesse do público diminuiu. “A quarentena nos igualou. Qual o sentido em ver o look do dia se não tenho onde usar essa roupa? Não há mais o que aspirar na vida de uma blogueira, por exemplo. Ela está tão presa dentro de casa quanto qualquer outra pessoa. Ou pelo menos é isso que se espera”, afirma.

Outro ponto que pode ser considerado é o do mau exemplo dado por perfis conhecidos das redes, que não respeitaram as medidas restritivas e, por isso, foram “cancelados” pelo público. E os números não mentem: as interações feitas pelos usuários do Instagram nos perfis das celebridades também sofreram uma diminuição de 42,47% do primeiro para o segundo trimestre de 2020, justamente no auge da pandemia. Saíram de uma média de 150.385 por postagem para 86.503.

O Prof. Eric Messa, coordenador do NiMD-FAAP, aponta que aumentou a visão crítica do público. Portanto, comportamentos vistos como “politicamente incorretos” passam a ter um impacto muito maior, distanciando o influenciador de seus seguidores. Ele lembra que essa queda no volume de interações também se dá por outros fatores, como a diminuição de publicações patrocinadas por marcas e, ainda, uma consequência de novos hábitos de consumo de mídia durante a quarentena, como a televisão, por exemplo.

Facebook

Enquanto a situação das celebridades no Instagram se mostra difícil, no Facebook quem sofre são as marcas. A plataforma continua mostrando um ritmo descendente desde o início de 2020.

Um exemplo desse cenário é o segmento de páginas categorizado como “Marcas/Institucional”. No primeiro trimestre deste ano, comparando com o último de 2019, esse setor já havia sofrido uma diminuição de 31% na média de curtidores. De janeiro até o final de junho, a queda foi menor, de somente 7%, porém mantém o viés de diminuição: a média de curtidores era de 2.939.968 no primeiro trimestre e, em abril, maio e junho, ficou em 2.729.411.

Em relação à amplificação de postagens, ou seja, na compra de mídia, das cinco categorias analisadas, três aumentaram a quantidade de conteúdo impulsionado (Marcas/Institucional, E-Commerce e Entretenimento). Já o setor de Mídia/Notícias manteve a quantidade. Apenas 7% dos conteúdos recebem impulso financeiro.

Na contramão, o segmento de Bens de Consumo diminuiu o percentual de posts amplificados, de 63% para 59%. “Mesmo que pequena, essa diminuição já deve ser uma consequência direta do movimento Stop Hate For Profit, que teve início em junho nos Estados Unidos e, desde lá, ganhou adesão de mais de 240 marcas que anunciaram o fim de suas campanhas de mídia no Facebook”, explica Messa.

Mais achados de destaque da pesquisa

– O setor de “Entretenimento” foi o que mais postou no Facebook no 2º trimestre, com uma média de 30 conteúdos por semana.

– 92% das postagens feitas no Facebook em abril, maio e junho de 2020, pelas principais páginas de “Mídia e Notícias”, continha algum tipo de link que levava o leitor para fora da plataforma, ou seja, outra página.

– 28% dos conteúdos postados pelos 100 maiores perfis do Instagram no Brasil não aparecem com nenhuma hashtag no texto.

– O tipo de postagem que mais gera engajamento para marcas no Instagram é o Carrossel (mais de uma foto no mesmo post). No segundo trimestre deste ano, em média, os 100 maiores perfis receberam 14.183 curtidas em conteúdos desse tipo.

O estudo #MS360FAAP apresenta trimestralmente o comportamento das 100 marcas e celebridades com mais interações no Facebook e Instagram. Os relatórios estão disponíveis no site www.faap.br/ms360faap.

Fonte: FAAP / OBOÉ COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Brasil está entre os que mais teve crescimento de e-commerce

Brasil é o 6º lugar no ranking do crescimento do comércio eletrônico de varejo

Tendo em mente que rapidez e praticidade podem ser facilmente considerados sinônimos de “vendas pela internet” e que cada vez mais consumidores se sentem atraídos e seguros para realizar compras enquanto conectados e com apenas um clique, o Cuponation, plataforma de descontos online, compilou dados atuais e as expectativas sobre o mundo do comércio eletrônico no Brasil e no mundo.

O Statista realizou recentemente um levantamento mundial sobre a previsão de vendas de varejo no comércio eletrônico entre 2020 e 2024. Feita com base na taxa de crescimento anual composta desse segmento, a pesquisa aponta que o Brasil ocupará a 6ª posição do ranking, com expectativa de 9.1% de desenvolvimento do comércio eletrônico de varejo.

Apesar de boa, a informação não surpreende: a ABComm divulgou em março deste ano que o Brasil teve um aumento médio de 400% mensal no número de lojas que abriram o comércio eletrônico devido à pandemia do Coronavírus, passando de 10 mil aberturas mensais para 50 mil. A estimativa é de que este dado exponencial apenas cresça nos próximos meses, com ou sem o isolamento social.

Não relacionando este fato somente ao momento atual do mundo e à percepção de economias no geral ao escolher a opção de vender online, o varejista consegue intensificar seu marketing e sua propaganda para chegar à mais consumidores. Oferecer cupons de descontos – que podem ser encontrados em sites como o Cuponation, por exemplo – é um dos melhores métodos. Afinal, apesar do desconto na compra, o varejista compensa com um número ainda maior de vendas.

Dentre as nações apresentadas no estudo do Statista, Turquia e Argentina são os países que estão em primeiro e segundo lugares na lista do aumento do comércio eletrônico no varejo, com uma taxa de 20,2% e 16,3%, respectivamente. O Reino Unido aparece em último lugar, com apenas 4,7% de projeção. Confira a pesquisa complea no infográfico interativo do Cuponation.

Fonte: Giovanna Rebelatto – Comuniquese

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Kantar anuncia o Projeto Moonshot

Kantar anuncia o Projeto Moonshot, lançando plataforma inédita de medição de eficácia de publicidade

Parcerias fundamentais, incluindo Google, Roku, Pandora e Anzu, impulsionam a próxima geração de planejamento e otimização de mídia

A Kantar, principal empresa de dados, insights e consultoria do mundo, anuncia neste mês um marco importante em seu projeto para oferecer a plataforma independente mais avançada para medir a eficácia da publicidade.

O Projeto Moonshot é a primeira iniciativa do setor a estabelecer integrações diretas de dados com empresas como Google, Pandora e a plataforma de anúncios em rápido crescimento, Anzu, para avaliar o impacto da publicidade nas marcas e suas vendas.

Foram anunciadas também as parcerias com plataformas como Dish, Pinterest, Roku, Snap, Spotify e Twitter para medições sem cookies. A Kantar agora possui parcerias operacionais ou está em testes avançados com 9 dos 10 principais publishers, 15 dos 20 principais aplicativos, e está em discussões avançadas de integração com mais de 50 outros publishers. No Brasil, já foram confirmadas parcerias com grandes nomes como Google e Facebook.

O objetivo é representar 95% dos gastos globais com anúncios digitais, integrando 250 publishers em medições cross-publishers na plataforma até o final de 2021.

O Projeto Moonshot foi criado para atingir três objetivos em todo o setor:

• Estabelecer uma plataforma de dados e tecnologia de última geração, compatível com privacidade, para migrar o setor da medição baseada em cookies para integrações diretas com os publishers.

• Ter uma medição independente da eficácia dos anúncios de publishers individuais e empresas de mídia.

• Obter uma medição independente da eficácia dos anúncios entre todos os publishers dentro de um plano de mídia, incluindo soluções de pesquisa para Walled Garden (plataformas fechadas para mensuração) e campanhas cross-publishers.

A avaliação holística, consistente e transparente da eficácia da publicidade em todas as plataformas, incluindo plataformas de mídia social e walled gardens, é identificada como um grande desafio por 75% dos maiores anunciantes do mundo segundo o Getting Media Right, estudo sobre o mercado de mídia e marketing.

A pesquisa da Kantar indica que 80% dos profissionais de marketing confiam na avaliação de terceiros, em comparação com pouco mais de 40% que confiam nos dados de publishers individuais ou plataformas de mídia. O estudo também identificou prioridades importantes para os anunciantes: a necessidade de provar o ROI, atribuir impacto na marca e nas vendas aos canais certos e a capacidade de otimizar as campanhas.

“Até agora, anunciantes e agências de mídia conseguiam medir a eficácia de sua publicidade on-line com muitos publishers, exceto os walled gardens, usando cookies de rastreamento. Com o desaparecimento dos cookies de terceiros, nós desenvolvemos novas maneiras de avaliar a eficácia, usando uma combinação de metodologias, incluindo integrações diretas e medição probabilística amplamente validada, anunciando uma nova era para a eficácia cross-publisher”, afirma Maura Coracini, diretora e líder de Mídia de Insights da Kantar Brasil.

O Projeto Moonshot fornece aos publishers duas metodologias sem cookie e compatíveis com as normas de privacidade para implantar medições e rastreamento. Ambas as metodologias têm em seu núcleo a divisão Profiles da Kantar, baseada em permissão e em conformidade com a privacidade, de 100 milhões de consumidores em todo o mundo.

“Mais do que nunca, é importante que os publishers possam defender suas receitas de forma independente do desempenho dos anunciantes”, diz Valkiria Garré, CEO de Insights da Kantar Brasil. “A remoção gradual dos cookies de terceiros significa que a mensuração da eficácia dos anúncios on-line precisam evoluir, em conformidade com a privacidade.”

Fonte: Karina Rodrigues – Assessora de Imprensa

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Webinar destaca novas perspectivas para o setor de shoppings

Taubaté Shopping promove encontro online de negócios que destaca novas perspectivas para os shoppings

Com a participação de especialistas renomados do setor, o bate-papo voltado para a área do varejo terá transmissão no YouTube

Para fomentar discussões que promovam a troca de conhecimento e contribuam como um olhar de otimismo para o setor varejista, o Taubaté Shopping e a AD Shopping, administradora de shopping centers pelo Brasil, realizam no próximo dia 31, a partir das 14h, o webinar “Oportunidades e Retomada do Varejo em Shopping Centers”. Voltado para lojistas, franqueadores, investidores de shoppings centers e profissionais do mercado, o evento terá transmissão pelo canal da AD Shopping no YouTube.

O evento contará com participações especiais como José Galló, Presidente do Conselho de Administração das Lojas Renner, que conta com mais de 30 anos de experiência no ramo e reúne diversos prêmios de reconhecimento de mercado, e Glauco Humai, Presidente da Abrasce que com sua sólida trajetória profissional atuando no setor público e privado, tanto no Brasil como no exterior, contribuirá trazendo um panorama do cenário de shopping centers, a retomada da economia, além dos desafios e perspectivas para o setor.

Também estão confirmadas as presenças de profissionais renomados do setor, como Helcio Povoa, Presidente da AD Shopping, Magali Sanches, Diretora Comercial da AD Mall, Vinicius Penido, Gerente Key Account do Banco Inter e Cristiane Moreira, Marketing AD Shopping.

“Neste momento de retomada das atividades econômicas por todo o País, diversos setores ainda lidam com os impactos da crise causada pelo coronavírus. Mas o brasileiro tem como forte característica a resiliência e a criatividade para se reinventar, e é esse olhar de otimismo que queremos trazer para este webinar, uma forma de levar conteúdo de qualidade para o varejo”, afirma Helcio Povoa, presidente da AD Shopping.

Com duração de 1h30, o Webinar “Oportunidades e Retomada do Varejo em Shopping Centers” é uma realização do Taubaté Shopping e da AD Shopping, maior administradora independente de shopping centers do País.

SERVIÇO

Webinar – Oportunidades e Retomada do Varejo em Shopping Centers
Quando: 31 de julho de 2020
Horário: 14h
Onde: canal da AD Shopping no You Tube.

https://youtu.be/u08eXLsj-HI

Fonte: Communicare – Giovanni Romão

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Vaga aberta para estágio em social media

Vaga de estágio em social media na LIF

A vaga é para trabalhar home office (mesmo após a pandemia) e, quando puder, ter reuniões presenciais uma vez por mês.⠀Não é preciso ter experiência anterior – mas a agência busca alguém proativo e organizado

Principais atividades:
– Criação de artes para redes sociais (escolha de conteúdo de acordo com o setor de cada cliente e design). A criação é a principal atividade, então ter um portfólio é um diferencial, mas não obrigatório – se tiver artes soltas que desenvolveu no passado, de trabalhos da faculdade, tá valendo!;⠀
– Além da criação de conteúdo para o ambiente digital, eventualmente será necessário criar conteúdo impresso como cartão de visita, flyer e apresentações institucionais;⠀
– Interação com o público;⠀
– Criação e envio de e-mail marketing;⠀
– Publicação do conteúdo nas redes sociais necessárias;⠀
– Monitoramento das redes sociais;⠀
– Auxílio no desenvolvimento de estratégias para mídias sociais;⠀
– Criação e apresentação de relatórios, com métricas e interpretação de resultados atingidos;⠀
– Geração de relatórios a partir das ferramentas de monitoramento de mídias sociais.⠀
.⠀
Pré-requisitos:⠀
– Cursar Publicidade, Marketing, Design ou áreas relacionadas;⠀
– Pacote Adobe (Photoshop ou Illustrator);⠀
– Pacote Office;⠀
– Preferência por Inglês avançado ou fluente;⠀
– MUITA qualidade na escrita e clareza de comunicação;⠀
– Ter um computador pessoal e acesso a internet;⠀
– Ser heavy user de redes sociais.⠀

Os interessados devem mandar o CV para o e-mail contato@lifconsultoria.com.br com o assunto: Estágio Social Media LIF.⠀

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Dança das cadeiras

Mais movimentação

Apesar do isolamento social e da maioria das empresas seguir trabalhando remotamente, o mercado ainda se movimenta em busca de profissionais para compor seus quadros de colaboradores. Veja o que rolou recentemente:

Vitor Kobbaz assumiu o cargo de Digital Marketing Director na Verge Parceria Estratégica.

Já a ainda estudante de Relações Públicas, Giovanna Barrios de A. Lima, foi promovida para o cargo de Auxiliar de marketing na Imobiliária Danelli.

Anderson Sobrinho acaba de assumir o posto de Coordenador de Comunicação Corporativa e Gestão de Pessoas na TerraMagna.

E a publicitária Bruna Lopes passa a atuar no Marketing do Hotel Rainha do Brasil, em Aparecida.

 

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Shopping faz campanha de arrecadação de roupas de inverno

Taubaté Shopping promove campanha solidária de arrecadação de roupas de frio para Projeto Esperança Taubaté

“Amor que Aquece” vai receber as doações até o dia 17 de agosto, na entrada da Praça de Alimentação do centro de compras

O Taubaté Shopping, em conjunto com a AD Shopping, promove a campanha “Amor que Aquece”. A iniciativa, que vai até o dia 17 de agosto, visa arrecadar roupas de frio, como casacos, blusas e calças, que serão destinas aos assistidos pelo Projeto Esperança Taubaté. Quem desejar contribuir com a ação deve deixar sua doação na entrada da Praça de Alimentação do shopping, de segunda a sexta, das 16h às 20h. Os interessados em doar podem ainda destinar cobertores, sapatos e meias.

Localizado no bairro Jardim Sonia Maria, o Projeto Esperança Taubaté presta assistência social a crianças e adolescentes, visando a melhoria na qualidade de vida da comunidade local, elevando a autoestima e a cidadania para que os assistidos se tornem protagonistas de seu contexto social.

Além do Taubaté Shopping, o RH corporativo da AD Shopping e outros 13 empreendimentos também participam da campanha.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Evento gratuito aborda nova profissão: Tech Writing

Evento gratuito sobre Tech Writing aborda profissão que tem ganhado destaque no Brasil

A profissão de Tech Writing tem ganhado destaque no mercado brasileiro, tanto que as empresas de tecnologia buscam, cada vez mais, por esses profissionais. Na VTEX, plataforma de comércio digital que mais cresce no mundo, colaboradores de diversas formações estão se desenvolvendo na área. A área equilibra habilidades técnicas e escrita clara, buscando simplificar a complexidade da tecnologia. Ainda pouco falado no país, o tema será abordado em um evento gratuito no dia 30 de julho, idealizado por três profissionais da área: Mariana Moreira, Tech Writer da Zup Innovation, Juliana Meyer e Breno Barreto, ambos da VTEX.

Image by Gerd Altmann from Pixabay

Pensando em desmistificar o que existe por trás da nomenclatura técnica, Juliana, Mariana e Breno fundaram a comunidade Tech Writing Brasil, criada para troca de experiências entre quem já trabalha ou deseja atuar com escrita no mercado de software brasileiro. O primeiro meetup da comunidade será aberto ao público e acontecerá na última quinta-feira do mês de julho (30), a partir das 19h. Voltado para comunicadores e interessados no assunto, o evento abordará o que é ser Technical Writer e as habilidades que um profissional da área precisa ter. “Nossa ideia é dividir com as pessoas as nossas impressões sobre a profissão, compartilhar vivências e, cada vez mais, fortalecer nosso ramo de atuação no país”, revela Breno.

O trabalho de um Tech Writer é ser técnico, se ater aos detalhes e se aprofundar em assuntos intrincados e específicos. “Meu dia a dia é entender como funciona a complexidade da plataforma VTEX, tendo como pano de fundo o universo multifacetado do e-commerce. Faço isso colaborando com desenvolvedores, designers, product managers, redatores e pessoas incríveis a nível global, que contribuem com peças do quebra-cabeça que tenho que montar diante dos meus olhos. O trabalho de um Tech Writer não é só entender o funcionamento de um software, mas também explicá-lo de forma clara, para que vários públicos que acessam esse produto possam compreendê-lo e operá-lo da melhor forma”, declara Juliana.

A profissão de Tech Writing ainda está se desenvolvendo na América Latina, por isso existe pouco conteúdo sobre o assunto. Para quem gosta do desafio de lidar com a intersecção entre produtos tecnológicos e escrita, a profissão pode ser uma boa opção. A VTEX, além de ser apoiadora de iniciativas como esta, valoriza a troca de conhecimento e a vontade de aprender. “Percebo que trabalho em uma empresa que se coloca como responsável pelas transformações no mundo, seja promovendo ações educativas ou incentivando atitudes criadas pelos employees, como esse evento que organizamos”, finaliza Juliana.

Como participar

Data: 30 de julho, última quinta-feira do mês

Horário: A partir das 19h

Link gratuito: meet.google.com/irg-vptp-bwy

Fonte: Agência NoAr – Mariah de Freitas

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Entenda como conectar o varejo físico ao digital

4 maneiras de conectar o varejo físico ao digital

Por Michael Klein*

Sua primeira experiência no varejo provavelmente foi muito diferente da mais recente. Antes da internet, você levava moedas para comprar doces. Hoje, você clica em “comprar” e espera um pacote chegar à sua porta.

O varejo certamente mudou muito nas últimas décadas, e continua a evoluir de forma extremamente rápida. À medida que as lojas fecham e os consumidores exploram opções digitais por conta das imposições de isolamento social, muitas marcas estão mudando rapidamente as estratégias on-line para alcançar e interagir com os clientes de maneiras diferentes e mais significativas – e com razão.

Michael Klein

O futuro do varejo chegou mais rápido do que se esperava, e as marcas agora precisam se adaptar a um mundo em que lojas digitais substituem lojas físicas. Veja como os varejistas podem garantir que estão criando experiências relevantes para seus clientes durante esse período.

Deixe os dados determinarem a alocação de orçamento

O comportamento do consumidor está mudando rapidamente, e, em muitos casos, os clientes estão levando as empresas para o digital. A questão é: como as marcas do varejo podem alocar seus orçamentos de forma eficaz quando há tantas opções para investir on-line?

A boa notícia é que a maioria dos clientes está mostrando suas prioridades por meio de suas interações e transações digitais. Muitas marcas já repensaram seus esforços de marketing, promovendo e priorizando seus canais digitais (por exemplo, o foco da Lowe no Youtube). Outras, como a Nike, têm patrocinado shows ao vivo e eventos esportivos para conseguir inserções nas redes sociais.

O comportamento on-line de hoje indica claramente onde a atenção do consumidor está, e os varejistas podem se beneficiar disso deixando esses dados guiarem seu foco financeiro e criativo.

Desenvolva um novo caminho

Enquanto alguns estão em situações mais desafiadoras, muitos varejistas estão escolhendo ver 2020 como um renascimento. Os consumidores estão abraçando as compras on-line mais do que nunca, dando aos varejistas a chance de reinventar o comércio e reavaliar o papel das lojas físicas.

Shopping físicos estão em declínio – mesmo antes da situação atual, um em cada quatro shoppings fecharia até 2022 –, mas isso não significa que os consumidores estejam desinteressados em comprar. As marcas que buscam integrar experiências físicas e digitais devem buscar espaços menores. Pense em showrooms e pequenos centros de distribuição.

Lojas como a Tractor Supply, por exemplo, abraçaram a oportunidade de introduzir a entrega no mesmo dia. E muitos varejistas estão expandindo suas ofertas digitais para incluir realidade aumentada – empresas de óculos, como a Warby Parker, estão permitindo que os clientes “experimentem” a armação antes de comprar, enquanto lojas de móveis como a Wayfair permitem que os clientes vejam como um sofá ficará na sua sala de estar.

Combinar lojas on-line robustas com a opção de testar digitalmente os produtos é uma vantagem para todos – os clientes têm experiências personalizadas com a seleção e a conveniência das compras on-line, enquanto os varejistas têm a flexibilidade e a agilidade que vêm com a redução do estoque.

Ofereça algo para todos

Os consumidores são omnichannel – especialmente nas últimas semanas –, e as marcas também precisam ser. Vemos que as pessoas estão dispostas a experimentar coisas novas no ambiente on-line, e estão adotando novos comportamentos digitais que provavelmente continuarão depois que a pandemia da covid-19 se dissipar.

Uma pesquisa recente da Mckinsey mostra que alguns consumidores estão se voltando para sites que nunca visitaram anteriormente para adquirir o básico (14%), comprando em um novo supermercado (20%), adotando retirada na loja (15% e 19% para usuários novos e aumentados, respectivamente), e usando software de videoconferência para fins profissionais e pessoais pela primeira vez (21% e 23% para usuários novos e aumentados, respectivamente). Dadas essas mudanças rápidas no comportamento do consumidor e nossa vontade de ampliar, agora pode ser um bom momento para pensar em expandir sua experiência de comércio em áreas emergentes, como compras por realidade virtual e muito mais.

Ao tentar atingir tanto nativos digitais quanto idosos não familiarizados com tecnologia, ter uma variedade de maneiras de encontrar e comprar produtos é importante. Alguns podem amar uma experiência automatizada, enquanto outros vão querer falar com seres humanos reais ao longo do caminho. De qualquer forma, o mercado tem visto uma nova onda de usuários na internet.

Deixe sua mensagem clara

Varejistas mais inovadores já estão usando dados de experiências digitais dos clientes para entregar mensagens personalizadas e contextualizadas. Mas e os consumidores que ainda estão aprendendo a comprar nesses ambientes on-line? Para esse grupo, o conteúdo deve ser mais educativo do que persuasivo:

  • Seja honesto e pessoal para atrair os clientes nesta era de pós-verdade
  • Compartilhe avaliações positivas reais que motivem os clientes a comprar
  • Quando possível, elimine pontos de atrito, como custos de frete, que podem afugentar os clientes
  • Confirme que a segurança é uma prioridade ao trabalhar com fornecedores confiáveis. De acordo com um estudo, 69% das pessoas disseram que confiam mais no Paypal do que em seus próprios bancos para proteger informações financeiras.

Quaisquer que sejam as habilidades de compra on-line dos clientes, a comunicação útil e inspiradora é imprescindível, e não há momento melhor para investir em novas infraestruturas digitais. As organizações digitalmente maduras estão tendo mais facilidade em ser resilientes.

Acelere sua experiência no varejo

Previsões futuras à parte, é provável que as coisas nunca mais sejam as mesmas. Entregas sem contato e transações digitais mesmo dentro das lojas físicas se tornarão a nova norma. Lockers de entrega serão instalações permanentes. A maior lição desse caos para os varejistas é que é hora de mudar de marcha. A sua tecnologia, a sua estratégia e o seu serviço ao cliente têm de evoluir para esta nova ordem digital mundial.

*Michael Klein é diretor global para Indústria e Marketing para Varejo, Turismo e Bens de Consumo na Adobe.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Grupo Comunique-se investe R$ 2 milhões em nova plataforma

Em meio à pandemia, Grupo Comunique-se investe R$ 2 milhões em nova plataforma de comunicação e marketing

Na contramão do pessimismo econômico gerado pelos efeitos do novo coronavírus, o Grupo Comunique-se anunciou, nesta terça-feira (21), que vai apresentar ao mercado sua nova plataforma de comunicação e marketing, o Comunique-se 360. O lançamento será realizado em uma live, no dia 28 de julho, às 11 horas, no canal oficial da companhia no YouTube.

Com o título “É hora do show”, a participação será gratuita e, na ocasião, o CEO e Founder do Grupo Comunique-se, Rodrigo Azevedo, apresentará, em detalhes, a nova tecnologia e os impactos que a plataforma pode gerar na indústria da comunicação e do marketing.

Com uma abordagem de comunicação 360, para múlti-públicos, a nova plataforma reúne diversas inovações e funcionalidades que visam trazer mais produtividade aos usuários e, até mesmo, opção de novas receitas ao mercado.

Os interessados em participar devem se registrar pelo link www.comunique-se.com.br/lancamento. Até o momento da redação desta notícia, o número de registrados já havia passado de 1.600.

Lançamento do Comunique-se 360

Rodrigo Azevedo, CEO e Fundador do Grupo Comunique-se, ficará à frente da apresentação do evento. “Estou pessoalmente realizado. Por termos seguido com nosso propósito de conectar marcas aos seus diferentes públicos por meio de alta tecnologia, termos mantido nossos investimentos durante a pandemia, e poder, mais uma vez, fazer a diferença na vida de milhares de profissionais de comunicação e marketing”, declara o empreendedor.

‘Sua comunicação em um único lugar’. A chamada do evento faz uma alusão direta à nova tecnologia da plataforma. A solução engloba ferramentas para realizar ações de comunicação externa e interna, a fim de conectar marcas aos seus diversos stakeholders.

Abaixo, a lista de funcionalidades do Comunique-se 360:

_ Acesso a todos os jornalistas brasileiros

_ Sistema de envios de releases e e-mail marketing;

_ CRM: Sistema de gestão de tarefas, atividades e follow up;

_ Media monitoring: mais de 100 mil veículos monitorados, em rádio, televisão, internet e impresso;

_ Múlti-públicos

_ Geração de relatórios e analytics

Investimento em tecnologia

Com mais de R$ 2 milhões de investimento em inovação, a nova plataforma entra para o leque de soluções do Grupo Comunique-se para o mercado de comunicação corporativa. A nova solução substituirá o Workr, que atualmente conta com mais de 3 mil usuários ativos utilizando a ferramenta para relacionamento com jornalistas de redação.

O Comunique-se 360 ganhou uma abordagem diferente com relação à antiga solução. Além de ampliar o relacionamento com a imprensa em geral, a plataforma possui ainda, o propósito de conectar marcas aos seus públicos, seja em âmbito externo, como clientes, fornecedores e prospects ou interno para uma comunicação direta com colaboradores.

“O Comunique-se 360 é resultado de anos de experiência e feedbacks de clientes, atrelado à expectativas do mercado de comunicação corporativa em ter uma solução completa.. A solução vem para facilitar o trabalho do profissional do setor de forma que nenhuma outra plataforma é capaz de realizar”, afirma Rose Silva, Sócia-Diretora da empresa.

Fonte: Grupo Comunique-se – Rodrigo Azevedo, CEO e founder

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0