Celebridades voltam a crescer no Instagram depois de queda significativa em 2020

Os 100 primeiros perfis com mais interações ganharam em média 960 mil novos seguidores nos primeiros três meses do ano

O Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) acaba de finalizar mais um estudo #MS360FAAP, realizado desde 2014 em parceria com a Socialbakers. Relativa aos três primeiros meses de 2021, a pesquisa concluiu que as celebridades brasileiras estão voltando a conquistar mais seguidores, depois de uma queda significativa em 2020, desde o início da pandemia de Covid-19.

O novo estudo da FAAP mostra que os 100 primeiros perfis de celebridades brasileiras com mais interações no Instagram tiveram uma média de crescimento de 960 mil seguidores entre janeiro e março de 2021. Um aumento significativo, uma vez que a média de crescimento no último trimestre de 2020 foi de 390 mil. Hoje, esse grupo possui, em média, 13,8 milhões de seguidores.

Esse número surge como uma surpresa, depois de um 2020 de quedas sucessivas, explica o professor Adriano Cerullo, um dos pesquisadores do NiMD-FAAP. A professora Karina Bousso, também do grupo de especialistas que participa do estudo, acredita que havia antes um cansaço das pessoas em relação aos conteúdos gerados pelas figuras públicas. “Mas hoje o entendimento é de que esses materiais se adaptaram à continuidade da pandemia, voltando a ser relevantes”, completa a professora.

Mais conteúdo é igual a mais engajamento

Outra confirmação do estudo dá conta de que, no primeiro trimestre de 2021, as postagens do tipo “Carrossel” (quando há mais de uma imagem ou vídeo) são as que mais geram engajamento dos usuários do Instagram, tanto para o perfil de celebridades quanto de marcas.

As celebridades, por exemplo, quando compartilham conteúdo nesse formato, têm em média 260 mil interações (contando apenas curtidas e comentários). Em termos comparativos, posts com somente uma foto possuem média de 160 mil interações.

Já as marcas, quando postam em “Carrossel” geram, em média, 12 mil interações. O número cai para 5,7 mil quando se trata de imagem única.

Outros números

Em postagens de marcas no Instagram, os comentários representam somente 3% da interação.
Os 100 perfis com mais interações no Facebook demoram pouco mais de um dia (31 horas e 21 minutos) para dar resposta aos usuários.
Em média, somente 7% das postagens são impulsionadas no Facebook.

O relatório completo do estudo #MS360FAAP está disponível aqui 

Fonte: FAAP / OBOÉ COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Aulas abertas e gratuitas de publicidade com certificado

Programação de abril da Faap já está disponível, com temas das áreas de Publicidade e Rádio e TV. É necessário fazer inscrição

As aulas online trouxeram novas possibilidades às instituições de ensino, entre elas liberar o acesso aos encontros especiais que muitas vezes eram disponíveis apenas aos seus alunos. É o caso das aulas abertas do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP), que neste mês de abril ocorrerão nos dias 15, 16, 19 e 27.

Imagem de Harish Sharma do Pixabay

“Teremos convidados e professores da FAAP discutindo temas atuais, que podem ajudar o estudante da área a vislumbrar novos caminhos”, explica o professor Eric Messa, coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da FAAP.

Para assistir às aulas, é necessário fazer inscrição. Os participantes receberão certificado da FAAP.

Confira a programação do mês de abril:

15/4 – 8h

A era do som no universo das marcas

Palestrante: Prof. Marcelo Abud, professor de criação e produção em áudio da FAAP, e Paulo Dytz, empresário e estrategista sonoro de marca, cofundador e líder da Soundthinkers, uma sound company brasileira com foco em transformar marca, negócios e pessoas por meio do som.

Inscrições aqui

16/4 – 9h30

Brand Hero Journey: como transformar consumidores em heróis de marcas

Palestrantes: Vera Pacheco, professora de técnicas de atendimento da FAAP, e Andrea Mello, professora de criação publicitária da FAAP, especialista com 15 anos de experiência no desenvolvimento de estratégias de shopper marketing, campanhas de marketing, eventos e plataformas de full servisse.

Inscrições aqui

19/4 – 11h

Empreendedorismo em Comunicação

Palestrantes: Thiago Costa, professor de estratégias executivas de comunicação da FAAP, e João Victor Moraes, planejador estratégico de comunicação e marca, sócio da Matta, consultoria de Branding.

Inscrições aqui

27/4 – 9h20

O Podcast – como criar: possibilidades e formatos para comunicação

Palestrantes: Prof. Marcelo Abud, professor de criação e produção em áudio da FAAP, e Juliana Dantas, jornalista e apresentadora do podcast Finitude.

Inscrições aqui

Confira a aula aberta realizada no dia 12/4:

A música publicitária e a criação e produção de áudio

Palestrantes: Prof. Marcelo Abud, professor de criação e produção em áudio da FAAP, e André Minassian, produtor executivo e diretor musical na Play It Again.

Palestra disponível aqui

Fonte: FAAP / OBOÉ COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

FAAP organiza programação intensa com palestras de comunicação abertas ao público

São 40 webinários sobre temas diversos

Para participar, é necessário fazer inscrição

Em mais uma edição aberta ao público, os “Encontros de Comunicação” da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) serão realizados de 22 a 26 de março. Estão sendo organizados 40 webinários, com profissionais das áreas de audiovisual, jornalismo, relações públicas e publicidade e propaganda. Para participar, é necessário fazer a inscrição nos eventos de interesse. As vagas são limitadas.

Entre os destaques da programação, dois eventos internacionais: uma conversa com Sam Ford, coautor do livro “Cultura da Conexão”, e um bate-papo com Tim Cunningham, norte-americano do canal Tim Explica, com mais de 1 milhão de assinantes.

Também participam do evento, a semioticista Lúcia Santaella, o CEO da Publicis, Eduardo Lorenzi, os jornalistas Fernando Mitre, Sérgio Dávila e Jamil Chade, a atriz Alexandra Richtner, a head de comunicação do LinkedIn, Erica Domene Firmo, os filmakers Diana Boccara e Leo Longo, do Couple of Things, e a premiada cineasta Tata Amaral, entre outros nomes.

A programação completa está disponível aqui

Encontros de Comunicação FAAP

Data: de 22 a 26 de março

Local: plataforma ZOOM

Inscrições aqui

Vagas limitadas

Fonte: FAAP / OBOÉ COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

Quarentena muda comportamento dos usuários das redes sociais

Estudo desenvolvido pela FAAP, em parceria com a Socialbakers, mostra queda nas interações e no número médio de seguidores das celebridades no Instagram

A velha máxima de que “conteúdo é rei” mostrou-se ainda mais válida nessa quarentena. O estudo #MS360FAAP, desenvolvido a partir de uma parceria do Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) com a Socialbakers, mostrou uma queda percentual – se comparado com o início do ano – na média de seguidores das celebridades no Instagram. A redução foi de aproximadamente 34%, saindo de um número médio de 13,175 milhões (no primeiro trimestre) para 8,680 milhões neste segundo trimestre.

Image by William Iven from Pixabay

Com muito mais pessoas nas telas, devido ao distanciamento social por conta no novo coranavírus, o pensamento mais óbvio seria que as redes sociais teriam uma inundação de usuários e conteúdo, explica o professor Prof. Thiago Costa, um dos pesquisadores do estudo. Mas não foi o que aconteceu.

Entre janeiro e março deste ano, esse mesmo os perfis das celebridades alcançavam um crescimento de 17,3% no número médio de seguidores, na comparação com o período imediatamente anterior. Ou seja, depois de uma subida considerável, esse tipo de perfil teve uma queda percentual bem maior.

“É totalmente possível atribuir essa queda dos seguidores ao empobrecimento do conteúdo gerado pelas celebridades”, afirma Thiago Costa, que também é coordenador da pós-graduação em Comunicação e Marketing Digital da FAAP.

De acordo com o professor, a partir do momento em que não havia mais uma “vida glamorosa” e distante da realidade da maior parte das pessoas, o interesse do público diminuiu. “A quarentena nos igualou. Qual o sentido em ver o look do dia se não tenho onde usar essa roupa? Não há mais o que aspirar na vida de uma blogueira, por exemplo. Ela está tão presa dentro de casa quanto qualquer outra pessoa. Ou pelo menos é isso que se espera”, afirma.

Outro ponto que pode ser considerado é o do mau exemplo dado por perfis conhecidos das redes, que não respeitaram as medidas restritivas e, por isso, foram “cancelados” pelo público. E os números não mentem: as interações feitas pelos usuários do Instagram nos perfis das celebridades também sofreram uma diminuição de 42,47% do primeiro para o segundo trimestre de 2020, justamente no auge da pandemia. Saíram de uma média de 150.385 por postagem para 86.503.

O Prof. Eric Messa, coordenador do NiMD-FAAP, aponta que aumentou a visão crítica do público. Portanto, comportamentos vistos como “politicamente incorretos” passam a ter um impacto muito maior, distanciando o influenciador de seus seguidores. Ele lembra que essa queda no volume de interações também se dá por outros fatores, como a diminuição de publicações patrocinadas por marcas e, ainda, uma consequência de novos hábitos de consumo de mídia durante a quarentena, como a televisão, por exemplo.

Facebook

Enquanto a situação das celebridades no Instagram se mostra difícil, no Facebook quem sofre são as marcas. A plataforma continua mostrando um ritmo descendente desde o início de 2020.

Um exemplo desse cenário é o segmento de páginas categorizado como “Marcas/Institucional”. No primeiro trimestre deste ano, comparando com o último de 2019, esse setor já havia sofrido uma diminuição de 31% na média de curtidores. De janeiro até o final de junho, a queda foi menor, de somente 7%, porém mantém o viés de diminuição: a média de curtidores era de 2.939.968 no primeiro trimestre e, em abril, maio e junho, ficou em 2.729.411.

Em relação à amplificação de postagens, ou seja, na compra de mídia, das cinco categorias analisadas, três aumentaram a quantidade de conteúdo impulsionado (Marcas/Institucional, E-Commerce e Entretenimento). Já o setor de Mídia/Notícias manteve a quantidade. Apenas 7% dos conteúdos recebem impulso financeiro.

Na contramão, o segmento de Bens de Consumo diminuiu o percentual de posts amplificados, de 63% para 59%. “Mesmo que pequena, essa diminuição já deve ser uma consequência direta do movimento Stop Hate For Profit, que teve início em junho nos Estados Unidos e, desde lá, ganhou adesão de mais de 240 marcas que anunciaram o fim de suas campanhas de mídia no Facebook”, explica Messa.

Mais achados de destaque da pesquisa

– O setor de “Entretenimento” foi o que mais postou no Facebook no 2º trimestre, com uma média de 30 conteúdos por semana.

– 92% das postagens feitas no Facebook em abril, maio e junho de 2020, pelas principais páginas de “Mídia e Notícias”, continha algum tipo de link que levava o leitor para fora da plataforma, ou seja, outra página.

– 28% dos conteúdos postados pelos 100 maiores perfis do Instagram no Brasil não aparecem com nenhuma hashtag no texto.

– O tipo de postagem que mais gera engajamento para marcas no Instagram é o Carrossel (mais de uma foto no mesmo post). No segundo trimestre deste ano, em média, os 100 maiores perfis receberam 14.183 curtidas em conteúdos desse tipo.

O estudo #MS360FAAP apresenta trimestralmente o comportamento das 100 marcas e celebridades com mais interações no Facebook e Instagram. Os relatórios estão disponíveis no site www.faap.br/ms360faap.

Fonte: FAAP / OBOÉ COMUNICAÇÃO CORPORATIVA