Novidade no mercado de comunicação do VP

A Target chegou

A Target pesquisa & mercado acaba de entrar no mercado e surge da necessidade de ter no Vale do Paraíba, uma empresa focada em entender o comportamento do consumidor, com informação de qualidade e conhecimento técnico, nesse cenário altamente competitivo.

De acordo com Adriana Carvalho, fundadora, a Target vem atualizando o cenário com o uso de neuromarketing, tema ainda pouco explorado no Brasil, com metodologias científicas que comprovam a real necessidade de conseguir se antecipar na decisão do consumidor, afinal, entender os caminhos de pensamento do consumidor é uma atividade importantíssima para gerar insights eficazes, que dialogam com o lado inconsciente, intuitivo e não verbal dos clientes e que são os grandes responsáveis pela ação de compra.

Mas além da área em estudo de neuromarketing, a Target pesquisa & mercado, também oferece pesquisas, de opinião, mercado, clima organizacional, dentre outros estudos focados em encontrar soluções estrategicamente eficazes para o sucesso de uma marca ou negócio.

Conheça mais desse novo player visitando o site: www.targetpesquisa.com.br e acompanhando as redes sociais para ficar por dentro dos nossos conteúdos e novidades.

Vaga para coordenar projetos de pesquisa de mercado

Coordenador de Projetos Júnior – Desenvolvimento de Produtos – SJC

O profissional contratado deverá ser responsável por conduzir estudos de percepção com consumidor no segmento de bens de consumo. Moderar grupos de discussão, entrevistas em profundidade e entrevistas em casa de consumidor, etc.

Também irá executar toda a parte operacional do projeto: realizar recrutamento dos consumidores, gerenciar e revisar os questionários preenchidos. Organizar e distribuir amostras, divulgar e gerenciar o cadastro de participantes para os testes.

Deve possuir formação Superior completa preferencialmente em Comunicação e Marketing. Experiência em Pesquisa de Mercado e/ou Consumer Market Insights. Conhecimento de metodologias de pesquisas quantitativas e qualitativas. Experiência em análise estratégica de dados. Necessário experiência em moderação de grupos de discussão e condução de entrevistas.

Conhecimentos em pacote Office (Excel e PowerPoint avançado). Ler, entender, escrever e se expressar bem em inglês. Ser dinâmico, comunicativo, claro e objetivo. Ter bom relacionamento / habilidade de comunicação com pessoas de diferentes níveis educacionais.

BENEFÍCIOS
Transporte Fornecido pela empresa, Restaurante na empresa

HORÁRIO
De segunda a sexta, das 08h às 17h.

REGIME DE CONTRATAÇÃO
CLT (Efetivo)

Enviar CV para anacogs@gmail.com

Discutindo a relação…

Com quantos dados se faz um mercado

Josué coluna correto

Quero retomar um assunto sobre o qual já escrevi aqui e que constantemente retomo em minhas aulas, bate papos e conversas por aí: a falta de informação, de pesquisas e de dados concretos em nosso mercado.

Essa ausência de dados confiáveis ocorre em vários segmentos de nossa atuação.Vou detalhar um pouco melhor isso.

Faltam dados de pesquisa para melhor definição dos planejamentos de comunicação e também do planejamento de mídia.Pesquisa de mercado e pesquisa de mídia são fundamentais para uma estratégia de comunicação eficaz. Não temos muita pesquisa de mercado em nossa região. É raro ver um cliente investir nisso para ter claro conhecimento de seu mercado e de seu público consumidor. Do mesmo modo, com raríssimas exceções, as agências operam seus planejamentos de mídia sem muita informação das penetrações dos veículos regionais.

Caminhos

Também faltam informações sobre o tamanho de nosso mercado de comunicação. Não sabemos exatamente quantas agências de comunicação existem no mercado. Temos mais facilidade (e olhe lá) em listar os veículos que temos a disposição. Não sabemos o quanto o mercado de comunicação movimenta (em reais) por ano, por semestre ou por mês.

Muitos alunos já me procuraram perguntando em que lugar eles poderiam encontrar dados que lhe mostrassem a realidade do mercado valeparaibano de comunicação: quantas agências, quantos veículos,principais anunciantes, volume investido em comunicação, volume investido em mídia etc.E a resposta que sempre dou, meio sem graça, é que  não há um lugar em que se reúnam tais informações.

Operar planejamentos de comunicação sem dados concretos e confiáveis é confiar demais no feeling e na intuição. Não tenho nada contra o feeling e sei que ele é parte importante da nossa atividade. Mas não podemos ficar só com ele, pois, quem viveu só de feeling, foi Morris Albert.

morris

O cantor e compositor Morris Albert, autor do sucesso “Feelings”.

No curto espaço de tempo em que ministrei aulas na Cásper Líbero tive a oportunidade de lecionar ao lado de dois profissionais de mídia de grandes agências brasileiras, McCann e Fischer. E me deliciava de ver e ouvir sobre a quantidade de informações de pesquisa que eles recebiam para definir seus planejamentos de mídia. Outro mundo…

Em minhas aulas de planejamento de mídia tento induzir os alunos a buscar sempre dados de pesquisa, mesmo que sejam os chamados dados secundários, ou seja, aqueles provenientes de outras pesquisas e de outros mercados. isso ajuda, mas nem sempre resolve. Tento ensiná-los a usar o Mídia Dados (publicação do Grupo de Mídia, há inclusive uma versão free para Ipad), o site do IBGE e os sites de alguns veículos que disponibilizam informações interessantes (um bom exemplo é o www.publiabril.com.br).

Midia1

Acredito fortemente que só com uma cultura de busca constante de dados confiáveis que orientem e balizem nossas decisões estratégicas de comunicação é que poderemos oferecer aos anunciantes resultados mais expressivos. E temos que buscar formar essa cultura em nosso mercado entre os principais players: agências, anunciantes e veículos.

Afinal de contas, parafraseando o famoso escritor, um bom mercado de propaganda se faz com homens e números!

Pesquisar é preciso

Pesquisa em pauta neste sábado

O Publicitando deste sábado traz como entrevistada Mônica Franchi Carniello. Ela é publicitária, professora da Unitau e da Anhanguera Jacareí, Pós Doutora em Comunicação pela Metodista, Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e Mestre pelo Mackenzie em Comunicação e Letras.

Além de trabalhar em várias e importantes frentes acadêmicas, a Mônica é sócia proprietária da Métrica, empresa que realiza pesquisas no mercado do Vale doParaíba desde 2008.

A conversa foi ótima! Falamos muito sobre como a pesquisa é encarada por anunciantes e agências em nossa região. Vários pontos relevantes apareceram ao longo do papo. Vale muito a pena conferir!

Mônica Franchi, sócia da Métrica, é a entrevistada deste sábado.

Mônica Franchi, sócia da Métrica, é a entrevistada deste sábado.

A Mônica falou um pouco de seus clientes e suas parcerias, um pouco do quanto sua dupla atuação acadêmica/profissional contribui para um olhar mais completo sobre o mercado, da importância dos MBAs e Especializações na nossa região e de várias outras coisa bacanas.

A banda do dia é o Everything But the Girl.

Amanhã, 12h00, na FM Unitau (107,7). Você também pode acompanhar pela internet: http://site.unitau.br/scripts/radio/