Parcelamento em 10x cresceu no Dia do Cliente

Compras parceladas em 10x aumentaram 254% no Dia do Cliente, diz pesquisa

Realizado pela Social Miner em parceria com Loja Integrada, levantamento mapeou o perfil dos clientes que costumam comprar em lojas virtuais durante a data comercial

Os lojistas virtuais costumam aproveitar o Dia do Cliente – que foi comemorado no último dia 15 de setembro – para presentear os consumidores com promoções e descontos. Os benefícios podem valer só para a data ou para a semana toda, atraindo cada vez mais consumidores. Segundo pesquisa realizada pela Social Miner – empresa de tecnologia especializada em soluções digitais de pesquisa – em parceria com a Loja Integrada – plataforma para criação de lojas virtuais mais popular do Brasil, com 700 mil lojas criadas -, mais de 88% dos clientes disseram que usariam a data comercial para realizar compras devido aos preços promocionais.

A pesquisa revela ainda que a maioria das compras feita no Dia do Cliente em 2018 foram parceladas, 30% das compras foram dividas em 3 vezes no cartão de crédito, já 22% dos clientes decidiram parcelar em 5 vezes. Se comparado com o ano anterior, as compras realizadas em parcelamento de 10 vezes tiveram aumento de 254%.

Perfil dos compradores

A maioria das pessoas que costumam comprar no Dia do Cliente têm entre 25 e 34 anos (39%). Para os consumidores entrevistados, um fator decisivo na hora da compra é a confiança que eles depositam na loja virtual (30,5%), seguido de preço (20,1%), em terceiro fica o tempo de entrega com 19,7%, alguns também levam em consideração as formas de pagamento (16,4%) e a confiança na marca do produto (13,4%). Os dados ainda mostram que 75% dos clientes costumam ficar de olho nas promoções oferecidas por suas lojas preferidas.

Para Julia Mariá, head de marketing da Loja Integrada, os lojistas precisam aproveitar a fidelidade dos clientes para oferecerem mais vantagens em datas comerciais, como o Dia do Cliente. “As datas sazonais, como Dia dos Namorados, Dia das Mães e dos Pais, são muito importantes para o comércio eletrônico e costumam potencializar as vendas das lojas virtuais. É preciso criar uma estratégia de vendas e investir na divulgação. Já que as vendas aumentam muito, um bom planejamento evitará que a loja tenha prejuízos posteriores”, orienta.

Expectativa vendas online na Black Friday

Hoje os e-shoppers somam mais de 60 milhões no Brasil e o que contribui para esse crescimento é a Black Friday e as demais datas que a sucedem. Segundo levantamento do Google, a edição de 2017 faturou R$ 2,1 bilhões, um crescimento 10% maior do que em 2016, consolidando o dia como a segunda melhor data para o varejo brasileiro, perdendo apenas para o Natal.

Para 2018, a expectativa é que a Black Friday ganhe ainda mais força. De acordo com pesquisa recente do Google cerca de 70% dos internautas brasileiros já compraram em uma Black Friday e 99,5% dos consumidores on-line entrevistados afirmaram que já conhecem a data – podendo utilizar o dia de descontos para realizar uma compra.

Fonte: Agência NoAr – Ana Paula Vieira

Shopping em promoção para o Dia do Cliente

Via Vale promove a promoção “Tudo em Dobro” em comemoração ao Dia do Cliente

Até dia 16 de setembro, uma superpromoção agita o Via Vale Garden Shopping. A campanha “Tudo em Dobro” reúne uma seleção incrível de promoções na praça de alimentação, serviços, calçados, entre outros. Durante todo o período da promoção, ao comprar um item da promoção, o cliente ganha na hora outro produto igual, pagando por apenas um. A ação é em comemoração ao Dia do Cliente e todas as promoções podem ser conferidas nas redes sociais do shopping.

Entre as lojas selecionadas para a promoção Tudo em Dobro! estão a Constane Calçados, Sóbrancelhas, Óticas Carol, Fantasy Park, Oliver Semijoias, Paintball, além das operações da praça de alimentação: Montana, Cia do Churrasco, Spoleto, Burger King e Subway.

Estas promoções não são cumulativas com outras.

Fonte: Marketing Via Vale Garden Shopping

O cliente em primeiro e no centro das estratégias

Dia do Cliente, a celebração do ano que iguala todos

O empresário norte-americano Henry Ford tinha uma frase como máxima: “Não é o empregador quem paga os salários, mas o cliente”. Isso é algo que nenhum empreendedor deve se esquecer. Desde um padeiro com seu pequeno comércio em algum bairro da cidade até empresários do calibre de Ford.

No próximo dia 15 de setembro será comemorado o Dia do cliente, um dos poucos dias no ano em que uma celebração iguala todos. Porque afinal de contas, todos somos clientes.

Atualmente, na era da mobilidade e do mundo virtual, as empresas devem assumir o desafio de oferecer soluções e agregar valor a um cliente exigente e com pouco tempo. A frase “o cliente tem sempre razão” já não é suficiente. Deve-se ir muito além disso.

Para a Nuvem Shop – plataforma de e-commerce que oferece serviços que possibilitam a qualquer pessoa criar e profissionalizar sua própria loja online – o desafio não é simplesmente atender o cliente, mas apoiá-lo no desenvolvimento, crescimento e êxito de seu negócio, e ainda mais, contribuir com sua felicidade. Por isso a empresa conta com a área de Customer Success.

Na opinião dos especialistas, quais são os desafios mais importantes para atender ao cliente hoje?

“O maior desafio é conseguir oferecer uma experiência homogênea em todos os canais, de boa qualidade, e o mais rápido possível”- ressaltou Alejandro Vazquez Co-Founder & Chief Customer Officer da Nuvem Shop.

“Acredito que hoje em dia os clientes gostem que tudo seja resolvido na hora. Então, ter um atendimento em tempo real, com soluções imediatas é imprescindível ”, completou Natalia Lopez, Scalable Channel da empresa.

Nenhuma marca duvidaria do poder que o usuário exerce hoje. Entretanto, as formas de dimensionar e dar lugar a esse cliente dentro da estratégia variam de empresa para empresa. Neste contexto, ao mesmo tempo que cresce o compromisso das companhias para entender e se aproximar dos clientes, a tendência lógica leva a pensar em uma estratégia client first.

Client first: é uma abordagem adequada?

Vazquéz da Nuvem Shop expressa: “Ser cliente-first ou customer-oriented não necessariamente é assumir que o cliente sempre tem razão. Ser uma empresa customer-first implica em escutar seus principais usuários, aqueles de quem a empresa realmente resolve os problemas, e desenvolver um melhor produto e serviço”.

“Realmente a Nuvem se preocupa muito com o feedback e sugestões dos nossos clientes. No entanto, isso não significa que o cliente tem razão sempre, pois muitas vezes, por ter visibilidade de uma parte e não do todo, a solução desejada pode não resolver a questão a longo prazo. Por isso, nos preocupamos em absorver o feedback e processar uma solução que realmente ajude profundamente o cliente”, completou Carol Izidoro também da área de Customer Service da Nuvem Shop.

O cliente entra em contato por todos os canais disponíveis e quer uma resposta rápida porque esse é o seu negócio e a depender da ajuda oferecida pelas áreas de Customer, saberá se pode fazer ou não determinada ação (“tempo real”, “quero agora, de imediato”).

As empresas têm o desafio de responder sem aumentar as equipes de forma desmedida: a chave é a escalabilidade. Que o cliente tenha as respostas ao alcance das mãos, que não tenha nem mesmo que escrever um email, não porque lhe seja incômodo, mas porque diretamente tudo é tão claro que não há necessidade.

Em que medida é possível a atenção personalizada?

“Existe uma tendência de tentar oferecer tudo isso apoiado em inteligência artificial e machine learning. Em muitos cenários será o melhor caminho para o usuário, complementado eventualmente pela ajuda relevante de um profissional, como nossos Assessores Nuvem, que podem gerar muito valor nas interações pessoais, seja por e-mail, chat ou telefone” salientou Vazquez.

“Escalabilidade, para mim, é o objetivo – ou deveria ser – de toda a empresa. Por mais que o cliente goste de conversar e saber que existem pessoas reais conversando com ele, esperar para “dar um passo” em seu próprio negócio, dependendo de outras pessoas, é andar na contra mão”, assentiu Natalia Lopez.

O cliente em primeiro e no centro das estratégias. Tempo real e escalabilidade se apresentam como as palavras chave desta nova era. O desafio é grande, mas, sem dúvidas, as companhias que saibam responder, farão a diferença.

Fonte: Partner Press&RP